sábado, 30 de novembro de 2002

CRÍTICA: SENHOR DOS ANÉIS / Morte lenta aos hobbits

Uau! Sobrevivi ao “Senhor dos Anéis”! Não, não à trilogia, que ninguém é de ferro. Mas consegui assistir à primeira parte cochilando só um pouquinho. Não sou de pegar no sono no cinema. Agüento até as películas de época do James Ivory sem bocejar. Porém, considero uma façanha dormir apenas uns 15 minutos durante as quase três loooongas horas do “Senhor”. Gente, que porre! Suponho que os fãs de Tolkien me enviarão cartas com antraz, mas não vou me calar. Odiei o filme com todas as minhas forças.

Nunca li o clássico da literatura infanto-juvenil. Primeiro, porque o tema não me atrai. Duendes, elfos, anões, hobbits, smurfs, tô fora! Segundo, porque o título me remetia imediatamente a um outro clássico da minha adolescência, “O Senhor das Moscas”, que adoro. Mas entendo que os tais dos anéis tenham uma legião de seguidores. E é possível que, para eles, a versão cinematográfica seja mágica, fantástica, mítica, entre outros adjetivos que críticos jabazentos distribuem sem sentimento de culpa. No entanto, para mim, mera mortal, o filme não disse nada. Quer dizer, pareceu que a tela sussurrava “duuurma...”. E eu obedeci.

“Senhor” tem quatro categorias de seqüências: closes de anel, cenários deslumbrantes da Nova Zelândia, closes de nariz de ator, e lutas. Só. Minto. Às vezes, a câmera focaliza espadas também. Estas cenas vão se intercalando, formando um efeito hipnótico que leva o espectador menos iniciado no mundo de Tolkien ao sono profundo. Vi muita gente dormindo e se mexendo sem parar nas cadeiras. Ouvi inúmeros bocejos. Fiquei contente em perceber que estas não foram somente as três horas mais longas da minha vida. E pensar que o slogan da superprodução é “A lenda ganha vida”. Esses publicitários têm senso de humor, não se pode negar.

Ahn, a história? É o básico. Aquela ladainha do bem contra o mal. Em algum lugar na terra, em alguma época que lembra Idade Média, mas não é, foi cunhado um anel que dará forças sobrenaturais de domínio. Mais ou menos os poderes absolutos que o ministro Cavallo tinha pra afundar a Argentina. É como se o Bush, ou o Bin Laden, usasse um anel. Um hobbit (que é um ser menor que um anão, com pés peludos e orelhas pontudas, sem ser verde) precisa destruir o anel, levando-o a um vale amaldiçoado. Oito criaturas vão com ele, a confraria dos espadas, imagino. Eles enfrentam mostrengos diversos no caminho. Não se engane com o que estou escrevendo – a trama não é tão excitante assim, como parece no papel. A menos que você se entusiasme com enredos do tipo “Passolargo e Frodo Bolseiro encontram-se no Pônei Saltitante”.

E tudo no filme é tenebroso? Não, claro que não. Pra não dizer que não falei das flores, a paisagem neozelandesa é belíssima. Deve existir um vídeo da National Geographic mostrando as mesmas cenas, sem durar uma eternidade. Tem também os incríveis efeitos especiais. Pena que não dê pra vê-los, pois tudo está envolto num breu danado. Tudo bem que a trama se passe na Idade das Trevas, mas isso é ridículo. Agora, com 450 milhões de dólares, até eu crio efeitos de ponta! Aliás, os vilões meio símios que têm lá me lembraram as máscaras de “O Planeta dos Macacos”, só que com a maquiagem borrada. O que mais “Senhor dos Pastéis” traz de bom? Ah, a música. 95% do filme tem trilha sonora de fundo. Ela é horrenda, daquelas exageradamente melodramáticas, mas serviu pra embalar meu sono e cobrir meus roncos.

O hobbit interpretado pelo Elijah Wood é a cara da mediocridade. É hoje que serei linchada, mas convenhamos: o Frodo é froda. Aqui em Joinville tem Fritz e Frida, e ninguém faz um filme sobre eles. Há outros seres esquisitões no filme, nenhum com o qual possamos nos identificar. A vantagem é que ninguém fala muito, a não ser quando tem três flechas cravadas no peito. Aí, o sujeito desanda a tagarelar.

A trilogia custou US$ 450 mi e já está prontinha. A próxima parte, que se não me engano chama-se “As Duas Torres (Gêmeas?)”, virá no final do ano. Estou louca pra vê-la, lógico, mas infelizmente estarei ocupada. O maridão crê que boa parte da grana foi usada pra pagar os críticos. Como ele é injusto! Eu garanto que não recebi um centavo. Olha, depois de ver este tédio monumental, este trekkie medieval, vou precisar de um medicamento élfico. “Xuxa e os Duendes”, depois dessa, não tenho mais medo de ti!


Leia aqui as mensagens iradas de leitores revoltados.

71 comentários:

Diane disse...

Eu tinha a mesma opinião que você.
Nem aguentei assistir ao primeiro filme completo.
Depois que li a obra completa, mudei completamente.
Vi os três filmes e adorei.
É fantástico!
Experimente!!!

Paulo Aragão disse...

Realmente "Senhor dos Anéis" é um porre. Com muito esforço assisti sem dormir. A mesma sorte "Guerra nas Estrelas - Episódio I" quase não teve. Mas como eu estava muito determinado, consegui assistir na terceira tentativa.

Thiago Beleza disse...

Poxa Lola.... que crítica mais vazia....

Esperava mais de VC...Uma análise que levasse em consideração, além da sua opnião pessoal sobre o filme, as características mais marcantes...O filme tem enredo e a história ficou bem fiel ao livro, o que é fantástico se levarmos em conta algumas adaptações que já vimos por aí...

Os efeitos especiais são muito bons e mesmo que vc não se luigue nessa parafernália tecnológica (minha mãe detesta filmes com efeitos especiais pq diz que não tem graça.. é mto mentiroso) não dá pra ignorar....

O hobbit surge como um personagem novo e é beeeeem diferente do herói comum... feio, frágil, não tem poderes, pequeno e pacífico...normalmente os heróis são feitos por milhares de cicatrizes, voz grossa e um milhão de façanhas....

eu concordo que vc não goste do estilo, assim como eu detesto romances e comédias romãnticas...alguns elementos qualitativos do filme como roteiro bem escrito, uma boa história e a atuação de alguns atores não pode ser simplesmente ignorada...

Fiquei realmente decepcionado com este post...

Júlio Pereira disse...

Só agora fui ler essa critica absurda! Sou também critico de cinema e não conhecia Senhor dos Anéis antes de assistir ao longa que é uma aula de cinema, para quem gosta, é claro. História boba? uhum, com certeza! Acho que você deveria rever, e ver a trilogia inteira, quem sabe se toca.

Vitor Ferreira disse...

Não se intimide Lola! O filme é ruim mesmo. Um tédio interminável. Só tendo infância mal vivida pra se apegar tanto. E até pra reconhecer os predicados do filme, mas por exemplo, "alguns elementos qualitativos do filme como roteiro bem escrito, uma boa história e a atuação de alguns atores não pode ser simplesmente ignorada", não dá pra concordar. Primeiro que a história é frívola. Se o roteiro fosse bom não daria sono. E a atuação de alguns pode até ser boa, mas também não há nenhum grande momento de interpretação no filme.
Qualidades a trilogia tem, óbvio, mas nem por isso faz dele um grande filme. Uma grande superprodução, com certeza.
Se alguém disser que esse filme mudou sua vida, eu posso avaliar em que tipo de mundo em que ele(a) vive.

Lana disse...

Ahn... Eu acho que você NÃO GOSTA de épico... Pra que assistir então? É o mesmo de alguém não gostar de ficção científica e resolver assistir - e pior, escrever uma resenha - sobre Matrix.
Particularmente, acho ridículo, detesto, acho bobo aquela historinha ridicula de maquinas - coisa mais maluca!!! E etc. Mas pq? Pq eu não gosto. Não gosto do estilo, não gosto não gosto não gosto. E ponto final.
Acho que o Thiago Beleza está certíssimo ao dizer "Poxa Lola.... que crítica mas vazia...."; pois existe uma diferença - algum dia alguém ainda vai entender disso, escrever um tratado e ensinar isso no colégio! - entre GOSTAR e CONSIDERAR BOM.
Eu não gosto de sertanejo, mas não posso dizer que todos os que o executam o fazem MAL. Adoro Beatles, mas eles tocavam mal pra porra. Musicalmente falando.
E por aí vai.
Sabe, isso é um blog, blog são pessoais, você escreve o que bem entender a hora que bem entender - não é pra isso que serve a liberdade de expressão?!!!!
É!
Mas acho que você entende críticas. E a minha fica nisso:
Cuidado. Leve em consideração outros fatores. Seja "a advogada do diabo" consigo mesma.
Abraços

Lana disse...

P.S.: Eu ri muitos litros com o Vitor Ferreira dando um de estudante de psicologia barata.
INFANCIA MAL VIVIDA?!
0.0
Caraaaaca! Isso realmente é a coisa mais absurda que já li na minha vida.

Vitor Ferreira disse...

Não parece que você riu litros mesmo... Você se doeu, isso sim. Senão não viria aqui deixar esse comentário tão rancoroso disfarçado de superioridade. Relaxe, é só uma opinião. Diferente da sua. Acontece às vezes...

Henrique disse...

Estava achando o seu blog interessante. Mas vc perdeu qualquer credibilidade comigo depois que eu vi que vc gostou de Crepúsculo e não gostou de Senhor dos Anéis. Acho que o seu problema é querer ver por trás de toda obra uma mensagem feminista ou machista e montar sua opinião em cima disso e não realmente sobre a qualidade da obra. O filme Crepúsculo é uma das coisas mais sofríveis que eu já assisti na vida. Atuações pífias, situações inverossímeis que não fazem sentido nem mesmo em um filme de fantasia, roteiro com mais furos que uma peneira e uma história sem nenhum atrativo. Pensei que só adolescentes descerebrados(as) conseguiriam gostar daquilo, mas pelo visto estou errado.

Vitor Ferreira disse...

Henrique, acho sempre muito pequeno querer desqualificar totalmente uma certa opinião de alguém (e todas as demais) se baseando em uma outra circunstância. Dessa forma eu creio que você não vai nunca encontrar alguém em quem concordar. Sua definição de atrativos, como a de qualquer outra pessoa, é muito pessoal. Eu não gosto de Crepúsculo, mas acho um romance muito mais atrativo do que uma história pra lá de simples, arrastada e interminável em torno de um anel. Acho que O Senhor dos Anéis, como filme, é superior em tudo em relação a Crepúsculo, mas a diferença, e trunfo, é que Crepúsculo é muito mais fácil de se prender a atenção. E não dar sono.

Cássia Oliveira, vulgo Francisca Valentina disse...

Achei muito risível essa crítica! Na verdade eu nem dormi no filme, eu sai na metade, nossa, terrível. Mas tem quem goste, né.
Quase um: Não vi e não gostei.
Abraços

Detestador disse...

Sua crítica é uma das balelas mais imbecis que já li, parabéns deves de ser uma escritora de merda.

E sópara corrigir o vosso desvio de atenção, ou retardo cerebral, tanto faz:

Antrax se escrve com X e não com Z, volte a escola senhora indiplomada.

São oito pessoas que estão na missão de destruir o anel, e não oito. Sabes contar, ao menos?

Senhor dos Pastéis? Estás a querer ser engraçada? Parabéns, não conseguistes fazer rir, além de escritora de trampa, ainda és uma humorista falida.

Trilha sonora ruim? O que querias numa película com tons de idade média? Funk por acaso?

As Duas Torres (Gêmeas). Eu li isso mesmo? Você escreve essas piadas mesmo? Pois sinceramente nunca vi humor tão falho quanto o vosso.

Considerações finais: liberdade de expressão é uma merda mesmo! Pois é ela que faz com que trampas ignorantes feito a ti venham a escrever balelas monumentais, sem nem ao menos saber patavinas de cinema, música, roteiro, blá, blá, blá.

Devias a matar-te, pois logo vê-se que és uma suína com pouco ou nenhum talento literário.

Detestador disse...

*E só para corrigir o vosso desvio de atenção, ou retardo cerebral, tanto faz:

*Nove pessoas estão tentando destruir o anel e não oito.

Em meu acesso de fúria quase fui dominado pela sua idiotisse.

Vitor Ferreira disse...

Minha nossa, Portuga, você precisa controlar esses seus acessos de fúria à toa. É só uma opinião. Se você não sabe conviver com pensamentos diferentes, então é melhor se recolher às cavernas.

PS: E é "idiotice" que se escreve. Volte pra escola...

Detestador disse...

Estás a comprovar-se que a vossa ignorância estás a correr a internet de forma contagiosa.

No estupor que me deixou a balela que escrevestes, acabei por digitar idiotisse, quando devias escrever idiotice. Dito pelo SamuelMMoreira no twitter, que provavelmente és maricas.

Mas o fato é que visitar esta página de trampa apenas contribui para deixar as pessoas menos letradas. Devias orgulhar-se disso Lola Monte de Trampa

Detestador disse...

E caro Sr. Vitor Moreira, vais a tomar no ânus que ganharás mais ao invés de puxar o saco de gente imbecil.

Vitor Ferreira disse...

Deve ser pelo nosso português ser diferente do português daí de vocês, tendo em vista a forma de colonizador explorador e descrerebrado como você escreve agora.

E você acha que "maricas" seria ofensa? Além de intolerante e nervosinho é preconceituoso também?

Vitor Ferreira disse...

*descerebrado

Maria Júlia disse...

Sem querer entrar no mérito da crítica da Lola, mas...

"Adoro Beatles, mas eles tocavam mal pra porra. Musicalmente falando."

Tocavam mal pra porra? QUEM tocava mal pra porra? George Harrisson, que foi considerado SÓ o melhor guitarista DO MUNDO?

Quem com 15 anos conseguia fazer os solos do Chuck Berry que nem ele fazia?

Hum!

lola aronovich disse...

Ha ha ha, Detestador, vc me matou de rir! Obrigada, eu tava precisando, ainda não tinha gargalhado hoje.
Já tuitei as suas pérolas. Não sei qual é a minha preferida, se ”São 8 pessoas que estão na missão de destruir o anel, e não 8. Sabes contar, ao menos?" ou se "Devias a matar-te, pois logo vê-se q és uma suína sem talento literário" (tive que abreviar um pouco pra caber no Twitter, desculpe).
Quando me dizem algo como "Essa é a pior crítica que eu já li na vida", sempre me lembro do Ed Wood no filme do Tim Burton. Alguém diz pro Ed sobre o filme que fez (acho que foi o clássico Planet 9 from Outer Space) "Este é o pior filme que já vi na vida". E o Ed, que não se deixa abalar, responde: "Tentarei melhorar da próxima vez".
Eu também, Detestador!

Lis disse...

Lola, não sei como você consegue colecionar trolls tão pitorescos!

Para garantir até a aposentadoria dos netos dos seus gatinhos (se eles não forem esterilizadados) é só abrir um circo!

Dá pra cobrar baratinho pelos ingressos, e soltar um por vez na arena, enquanto o público ri das bobagens que falam... Talvez até soltar dois no mesmo espaço, para ver se eles se unem ou começam a trollar uns aos outros.

Sobre os filmes, eu gosto de Senhor dos Anéis - li os livros quando era menor, adoro as paisagens e os momentos épicos de batalhas contra bichos feios, o tiquinho de humor que aparece de vez em quando...

Talvez seja por isso que eu tenha achado engraçada a sua crítica - talvez só quem conhece e gosta sem fanatismo consiga rir de uma crítica desfavorável, sem achar que o mundo acabou ou que quem não gosta de SDA é um herege ou sei lá o que...

Mamãe já me dizia que as pessoas gostam de coisas diferentes, e é isso o que torna o mundo interessante, e nem todo mundo gosta do que eu gosto. Se uma menina de 5 anos consegue entender, POR QUE tem gente que não entende?

lola aronovich disse...

Não entendi, Maria Júlia. Quem escreveu essa infamia sobre meus amados Beatles? Eu tenho unicamente dois gostos musicais: Beatles e Chico Buarque. Qualquer pessoa que fala mal deles torna-se minha inimiga mortal.

(Desculpem, mas não consigo escrever nada sério enquanto o Efeito Detestador não passar. Huauauauauaua).

Detestador disse...

Ora Cara Lola, se eu fizestes a ti rir, comprova-se que o vosso senso de humor é mesmo falho. Mas é sempre um prazer MATAR, nem que seja de rir.

Quanto às minhas pérolas, são todas méritos seus, que em um texto tão mal escrito conseguiu contagiar-me com a sua própria ignorância.

De qualquer modo eu já havia corrigido-me quando disse que são 9 pessoas ao invés de oito. Se gostas de SE fazer de imbecil ignorando totalmente erratas, parabéns, estás a fazer um excelente serviço.

Quanto a tentar melhorar, francamente creio que vais a ficar apenas na tentativa, visto a sua total falta de massa cinzenta.

Agora siga as instruções do link abaixo (também serve para todos os seus visitantes):

http://i.imgur.com/9KCdj.jpg

aiaiai disse...

Alguém poderia por gentileza me explicar o que é trampa? kkkkkkkkkkkkkk

Lord Anderson disse...

Caro Deste...posso te chamar assim?

de fã p/ fã, queria te pedir um favor.

Não avacalha com a nossa imagem assim...

Vc vem num post escrito a quase uma decada reclamar pq a Lola não gostou de SdA e foi ironica como é o estilo dela?

E com ofensas ridiculas ainda por cima.

Muita furia, pouca inteligencia, um verdadeiro Troll...e vc lembra do que acontece com os trolls em O Hobbit certo?

adélia disse...

"Em meu acesso de fúria quase fui dominado pela sua idiotisse."

rolando de rir!!!

Detestador disse...

Caro Sr. Lord Anderson

Não poderás a chamar-me de Deste, simplesmente pq soa deveras maricas. Se quer chamar-me por algum apelido, poderás a chamar-me de Sr. Supremo do Universo, acho que este estás bem a calhar.

Quanto a pedir que eu pare de escrever? Bom, a mim ninguém diz o que fazer, escreverei o que me apetecer quando me der a calhar.

E outra coisa é tentar colocar-me na mesma navegação que a ti, "de fã para fã". Posso ter passado a imagem errada, mas de maneira alguma eu afirmei que sou fã de Sr. dos Anéis.

Na verdade eu detesto a Sr. dos Anéis, assim como detesto a todos que curtiram ao filme e a todos que não curtiram ao filme. Meu nome não é Detestador à toa, lembre-se disto. Meu lema é: "Detesto a tudo, detesto a ti, a tua família, seus amigos e seu cão".

Não que vocês mereçam qualquer consideração da minha parte, mas apenas vim aqui esculhambar este texto meramente porque eu posso e deu-me vontade.

Quanto às acusações de que sou um troll e faço ofensas ridículas. Pode até ser, mas apenas as faço para combinar mais com meu alvos. Vítimas rídiculas devem sofrer ofensas ridículas.

Já a parte de que sou um troll, pode até ser, eu concordo ser considerado um troll desde que me vejam como o imperador supremo de todos os trolls, porque se vou ser chamado de alguma coisa que seja como o monarca-chefe da mesma. E para a vossa informação eu não li ao Hobbit e nem tenho interesse de ler ou assistir ao vindouro filme desta balela de terra média.

Já ao ingnóbil que insiste em perguntar o que é Trampa: em seu país deverias ser o mesmo que merda, estrume, cocô,bosta,esterco excremento... O que é uma redundância da minha parte, não poderias a esperar que montes de trampa como vocês produzam qualquer outra coisa a não ser mais trampa.

Agora aos falhados qua ainda não seguiram as instruções:

http://i.imgur.com/9KCdj.jpg

Samuel Moreira disse...

Não vou responder para não virar bate-boca. Vou só aproveitar para rir! Fazia tempos que não me divertia tanto!

Ayesha Luciano disse...

Obviamente o filme não é uma adaptação absolutamente fidedigna do livro (na verdade fica bem aquém em alguns aspectos), mas daí a classificar a história como boba por isso? A história tem um monte de aspectos filosoficamente interessantes. A começar pelo fato de que Frodo (que é mesmo um personagem muito chato, mas vá lá) pertence à "menos importante" das raças da Terra Média... e são justamente ele e Samwise, outro Hobbit, que enfrentam a parte mais difícil da travessia, rumo à Mordor. Entenda bem: são dois dos "pequenos", que é como os hobbits são chamados, que realizam o feito mais importante de todos, um gesto que poderia salvar ou condenar todos os outros seres da Terra Média. Como diz Elrond, o sábio, em um dos trechos do livro: "É sempre assim o curso dos fatos que movem as rodas do mundo: as mãos pequenas os realizam porque precisam, enquanto os olhos dos grandes estão voltados para outros lugares". Na verdade, existe uma série de enredos dentro do enredo principal: busca da honra, heroísmo, amizade, lealdade, coragem. Um dos trechos mais bonitos do livro é aquele em que um dos guerreiros, um tanto quanto desiludido, diz: "A guerra deve acontecer, enquanto estivermos defendendo nossas vidas contra um destruidor que poderia devorar tudo; mas não amo a espada brilhante por sua agudeza, nem a flecha por sua rapidez, nem o guerreiro por sua glória. Só amo aquilo que eles defendem". E o que eles defendem é o povo da Terra Média. Uma das personagens femininas (que são poucas e pouco importantes, de fato, mas releve a época em que a história foi escrita) diz: "Só é necessário um inimigo para preparar uma guerra, e não dois, [...] e aqueles que não têm espadas ainda podem morrer por meio delas". Essa mesma personagem deu fuga ao povo de Rohan quando estes foram atacados, mostrou-se corajosa e sábia, tornou-se a regente de Rohan quando o Rei parte para a batalha, vestiu uma armadura na batalha mais importante, e destruiu um dos inimigos mais cruéis.

Embora o foco seja mesmo a eterna luta do bem contra o mal, a história tem um sem número de aspectos extremamente interessantes. Por exemplo, a história se passa em uma época em que anões e elfos tinham uma "inimizade" em virtude de um mal-entendido passado. Pois bem, Legolas, um elfo, e Gimli, um anão, tornam-se grandes amigos, passando por cima da diferença racial e cultural. Entende? Além disso, a própria sociedade do anel é multi-racial: um elfo, um anão, dois homens, um mago e quatro hobbits (9 membros ao todo). Prova de que as épocas de sofrimento irmanam mesmo os diferentes, e criam as alianças mais improváveis.

Dos membros da comitiva, apenas os 4 Hobbits eram completamente inexperientes em batalhas, mas são justamente os personagens que dão maiores provas de coragem e lealdade.
Outro exemplo é a figura do Gollum, uma criatura que foi corrompida pelo poder obscuro do Um Anel: Gollum não era um vilão, era uma vítima do Anel, e mesmo assim era hostilizado e marginalizado pelos personagens "do bem", que o teriam matado se tivessem uma chance. Pois é justamente nas mãos dessa criatura tão desprezada que recai a salvação de todos, inclusive do chato do Frodo. Afinal, como o sábio Gandalf havia dito, "Um traidor pode trair-se a si mesmo e fazer o bem que não pretende"

Eu poderia falar de um sem número de aspectos da história, que não são nada bobos... Nem sei se devo recomendar que você leia o livro, pois embora o filme seja bem diferente, os elementos principais da história estão lá, e se você não gostou do filme, é pouco provável que goste do livro. Só posso dizer isso: a genialidade de Tolkien criou em "O senhor dos Anéis" um mundo fantástico, mas absolutamente cativante. E se a história fosse mesmo tão rasa, duvido que ainda conquistaria leitores depois de tantos anos!

Lord Anderson disse...

Ah sim...faz mais sentido agora.

Tb tive essa fase de detestar tudo e a todos e ter essa carencia de ego ridicula.

foi no começo da adolescencia...mas durou pouco.

Gabriel disse...

Eu acho que é o marido da Lola dando um jeito de distrai-la da rotina. Só um chute.

Ayesha Luciano disse...

Acabei fazendo um comentário falando apenas do livro, mas minha opinião do filme também é positiva. Mesmo adaptando, cortando, espremendo trechos, suprimindo personagens, achei os três filmes muito bons.
Eu fui uma das pessoas que mais reclamou do fato de a adaptação ter cortado alguns personagens e trechos do livro. Também reclamei de algumas escolhas, quando foi divulgado o elenco. Mas depois de ver o resultado total, não vejo de que outra maneira a adaptação poderia ter sido feita. Gostei de tudo, dos cenários, dos figurinos, das músicas... Pelo menos para mim, uma fã de "O Senhor dos Anéis" desde os 12 anos, que já leu o livro duas vezes e tem todos os três filmes em DVD, e a trilha sonora em mp3, o filme foi uma viagem pelo universo mágico e magnífico de Tolkien...

Giovanni Gouveia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giovanni Gouveia disse...

aiaiai, Trampa pode ser:
1. Excremento; sujidade.
2. Fig. Bagatela; insignificância.
3. Ant. Enredo; trapaça; engano; trama; alçapão.

lola aronovich disse...

Ah, confesso que fiquei decepcionada com esse trecho do Detestador:

“Na verdade eu detesto a Sr. dos Anéis, assim como detesto a todos que curtiram ao filme e a todos que não curtiram ao filme. Meu nome não é Detestador à toa, lembre-se disto. Meu lema é: 'Detesto a tudo, detesto a ti, a tua família, seus amigos e seu cão'.

Putz, e eu pensei que o seu ódio fosse pessoal contra a minha pessoinha. Agora vejo que vc fala isso pra todas. Chuif.

lola aronovich disse...

Gabriel, o maridão não faria algo tão engraçado por mim!


Ayesha, ahn, prefiro os comentários do Detestador, se me perdoa. É meio chato explicar alguma coisa detalhamente pra quem não gostou daquela coisa. É parecido como um fã que me perguntou: "Vc entendeu pq Legolas não afundou na neve?!". E eu respondi: "Quem é Legolas? Tinha neve?"
Mas agradeço o seu empenho.

Detestador disse...

Oras Lola se eu viesse a dizer que apenas detesto a ti e seus artigos de trampa eu estarias a ser rigidamente preconceituoso demais, concorda?

Porque eu viria a detestar apenas a uma pessoa se existem outras 6 bilhões que também estão carentes de meu talento único de detestar sem arrependimentos?

Apesar de ser um gajo a favor de um belo regime ditatorial (comigo no poder e vocês a serem escravizados), um pouco de democracia vai bem.

Na arte de detestar sou democrático.

Alex Girardi disse...

Lola pode não ter feito rir, mas o Detestador me fez!

E parece a época em que saiu a primeira crítica no jornal, milhares de pessoas tentando de convencer a se render aos hobbits.

Ayesha Luciano disse...

Opa! Sem problemas!! rsrsrsrs Mas é que eu sou muito nerd, como toda nerd, muito fã, e além de tudo falo pelos cotovelos! É um grande defeito meu ficar explicando em detalhes quando se trata de um assunto que eu gosto, mesmo quando a pessoa não está nem aí... Minha irmã que o diga! Lembro de ter tentando explicar pra ela a diferença entre o filme X-MEN e os quadrinhos, mesmo contra a vontade dela!!! rsrsrsrs

De fato, o Detestador é muito engraçado! Gostaria muito de saber de onde surgiu esse sujeito, porque né? Ele pode até ser um troll, mas garanto que não vem da Terra-Média! (piadinha nerd! rsrsrs)

bye!

Ayesha Luciano disse...

Ah, e só pra constar: posso até ser uma fã, mas não sou o tipo de fã que acha que "Quem não gosta é porque tem a mãe na zona!"(rsrsrsr) Até porque isso não é ser fã, é ser fanático, e todo fanatismo leva ao extremismo, e todo extremismo leva ao conflito, o que não é nada saudável! As divergências de opiniões, sim, são muito saudáveis, e eu pessoalmente gostei da sua crítica, mesmo não concordando!

Abraços!

Giovanni Gouveia disse...

Maria Júlia, George era um guitarrista fenomenal, e os "cabeças" John e Paul tocavam muito, além de serem os responsáveis por tirar o Rock do 4x4, com construções ritimicas, harmônicas e melódicas fenomenais, principalmente pós 66.
Mas Ringo Starr tocava uma bateriazinha sofrível... ;)

Vivian disse...

Se nem sabia quem era Legolas, sabe de que se tratava o filme?

Sinceramente se vc fosse viver só de cinema vai morrer de fome porque achar Crepusculo melhor do que SDA é um atentado ao bom senso.

Lucas Jerzy Portela disse...

Me desculpe, mas O Senhor dos Anéis (e toda a obra de Tolkien, a exceção de um livro) não é "literatura infanto-juvenil".

É literatura, ponto. É um classico do modernismo, ombreando com Joyce, Proust e Mann.

Taxa-la de infanto-juvenil é como dizer que Moby Dick, de Melville, ou Memorias de um Tonel, de Swift, é infanto-juvenil.

A unica obra infantil de Tolkien é O Hobbit - em que, mesmo assim, ele mostra o genio que é no dominio da escrita e da narrativa. Mesmo assim, O Hobbit só é infantil no sentido em que O Burrinho Pedrês, de Guimarães Rosa, é infantil - o conto que abre seu livro cujo titulo (Sagarana) traduzido seria "narrativas de ninar".

A parte disso, se Tolkien não tivesse escrito uma obra ficcional sequer, já estaria entre os grandes. Percursor do pos-colonialismo em sua celebre aula "Ingles e Gales", e pensador fundamental do encontro Romano-Germanico no século VII com um classico da crítica até hoje: "O monstro e os criticos", de longe a mais bem acabada análise de Beowulf jamais realizada.

Ignorar tudo isso apenas diz muito mal de você, Lola - que trata a tradição de ficção de fantasia anglófona como uma literatura "menor" (embora para isso se tenha de colocar Borges e Stevenson no mesmo balaio - mas pra você, parece, isso é mero detalhe).

Vitor Ferreira disse...

Dá preguiça desses fãs de SdA que tentam enfiá-lo na goela abaixo de todos como uma obra prima.

Diêgo Cesar disse...

(rindo) Cara, os comentários aqui são demais; uma diversão. Na boa, adoro o Sr. dos Anéis, sou fã de carteirinha, li os livros e tudo, mas ri do post, achei engraçado, na boa. É a sua opinião, e eu consigo respeitar opiniões alheias se elas não ferem, sei lá, os direitos humanos rs!! Relaxa aí, gente! Viva os hobbits, viva Chico Buarque e viva os Beatles!!! =)

Luíza disse...

Eu adoro "O Senhor dos Anéis". Li o livro com 11 anos, reli algumas vezes e a história é encantadora. O filme não é como o livro nem de longe, mas não achei ruim. Não sei como é para alguém que nunca leu o livro, mas para mim foi empolgante assistir e ver como era retratado no cinema o que eu imaginava quando lia a obra.
Você tem o direito de não gosar, é claro. Mas achei sinceramente péssimo você dizer que "Ahn, a história? É o básico. Aquela ladainha do bem contra o mal."

Você não leu o livro e dormiu durante o filme. Você acha realmente que sabe algo sobre ele para fazer um comentário tão simplista? "O Senhor dos Anéis" não é básico, e não é uma ladainha.

Você tem o direito de não gostar de fantasia medieval, mas a obra é muito mais do que elfos, anões e hobbits. É uma história linda e complexa, leitura que recomendo a crianças e adultos.

Fi triste ler você tecer opinião sobre aspectos que você desconhece totalmente. Bastava dizer: "não gosto de gênero e por isso senti sono". Falar que é básico e que é ladainha de bem contra mal sobre algo que você nem conhece foi pueril.

Sooraya disse...

Acho que nunca li uma crítica negativa a um filme/livro que gosto tão divertida.

Mesmo que por vezes discorde, sempre me divirto com seus comentários.

Death Neko disse...

Poxa Lola, caiu no meu conceito :( gostou de Crepúsculo e não gostou do Sr. dos Anéis? Esse filme é lindo em todos os sentidos! Enquanto crepúsculo deixa muito a desejar...

Charles Christie disse...

Mundo cruel...
Mas maravilhoso!!!
Adoro essa coisa que chamamos de “diferenças”, e é isso o que nos faz cair na real: nunca teremos um mundo perfeito... Daí, talvez, a ideia de Tolkien ao criar aquele mundinho, infelizmente pequenininho, para fugir da triste realidade que é a frustração (verdade) humana...
Caramba, adorei os livros que li dele, e estou torcendo para que façam a versão para o cinema de O Hobbit. Gostei mais deste livro que da saga do anel.
O filme peca sim! Mas só por deixar de lado tantas maravilhas imaginadas por Tolkien (tipo as árvores que tentaram engoli-los, Tom Bombadil e sua companheira).
O maravilhoso, o fantástico, foi muito bem recriado pelo diretor e por mais que não tenham sido os filmes tão fiéis aos livros, só por chegarem perto do imaginado pelo autor, já mereceram as tantas estatuetas do Oscar.
Eu adorei...

Anônimo disse...

''Se alguém disser que esse filme mudou sua vida, eu posso avaliar em que tipo de mundo em que ele(a) vive.''

E QUEM DISSE QUE ESSE FILME FOI FEITO COM O PROPÓSITO DE MUDAR A VIDA DE ALGUÉM?!?!

KKKKKKKKK, ESSE AÍ NASCEU ANENCÉFALO!

Anônimo disse...

Minha namorada(leitora assídua) acaba de descobrir este post, e eu acabo de lê-lo. Continuo achando o blog de Lola massa, e sendo fanático por Tolkien.

Rafael Medeiros

Anônimo disse...

E também leio Joyce, Kafka, Beat eoscambau, rsrsrsrs

Verô! disse...

Eu também não gostei do filme, mas é uma questão totalmente pessoal já que não gosto desse estilo de cinema. Vi o último filme da trilogia no cinema e foi uma tortura! Até a pessoa que me convidou para assistir a película não suportou o treco!

Tentei começar a ler Tolkien com "O Hobbit". O livro é bem escrito sim, a narrativa é bem construída e dá para entender a quantidade de fãs da obra de Tolkien, mas é aquilo, os livros e os filmes devem ser um delírio para quem curte esse tipo de tema, eu não. Não gosto, já me conformei com isso.

Anônimo disse...

VOCÊ MERECE MORRER POR NAO GOSTAR DE SENHOR DOS ANÉIS
fim.

JéSsIcA Pessoa disse...

Como disse o Thiago Beleza... Poxa Lola, esperava mais de você. Conheci o seu blog semana passada acho, e realmente admiro o seu conhecimento e inteligência com que escreve. Mas sinceramente essa foi a "crítica eu odeio Senhor dos Anéis" mais vazia que já vi. Uma coisa é certa, você odiou o filme pelo estilo e ainda fez uma crítica ridicularizando, mas enfim... Senhor dos Anéis é FANTÁSTICO, FANTÁSTICO, FANTÁSTICO, quando eu assisto um filme, geralmente me preocupo mais em aventuras que eu nunca passaria aqui, mas SdA me trouxe um peso mais filosófico do que qualquer outra coisa. O filme é sim uma super produção, aliás, não sei pq você dormiu pq pra mim é de tirar o fôlego. Tolkien foi um cara a frente do seu tempo, até mesmo pelos papéis das mulheres, eu novinha quando vi pensei: "Poxa, nenhuma mulher na sociedade...". Mas as poucas mulheres do filme dão um show, eu poderia falar muito mais coisas mas isso é só um comentário. Com todo respeito,o que vocÊ demonstrou nesse post foi: Eu odeio esse tipo de filme,não entendi nada dessa merda e vou fazer um post pra todo mundo saber disso.

Jefferson Reis disse...

Tenho paixão profunda e sem cura para filmes de fantasia.

Luana disse...

Nossa, eu adiei esse filme por anos, finalmente tirei uma semana pra assistir a triologia e fiquei encantada. Há mta simbologia em senhor dos anéis, a relação entre a fraqueza e a sedução pelo poder, como líderes manipulam paixões através de falsas ideologias, além do forte teor homoerótico presente na narrativa... eu gostei bastante, de alguma maneira me lembrou A Revolução dos Bichos, só que com um final feliz.

Vitor Ferreira disse...

Luana, tudo verdade o que você diz. Só que eu detesto a trilogia. Morro de tédio. Mas engraçado que todo o homoerotismo passa despercebido pela maioria dos aficcionados. Eles não se permitem ver. Fere a masculinidade deles.

Teresa A. disse...

Ai, Lola, rolei de rir da sua crítica! Valeu mesmo, tava precisando muito desopilar.

GANDALF disse...

CRÍTICA LEZA A SUA, IMAGINO VC COMO UMA PESSOA SUPER PRIGUIÇOSA, BURRA, FEIA, NOJENTA, HORRÍVEL E MISERÁVEL. VC TBM PARECE MT FRESCA PQ SÓ CRITICA FILME. SE NAO SABE RECONHECER UM BOM FILME,OU OBRA LITERÁRIA, FICA CALADA... LOTR É UM FILME FANTÁSTICAMENTE INCRÍVEL COM 17 OSCARS, BEM MERECIDOS! SE VC NÃO GOSTA ENTÃO LEIA A HIS TORIA DOS TRES PORQUINHOS E DIZ O QUE ACHA. TENTA SER ENGRAÇADA? AS DUAS TORRES (GEMIAS)? QUE MERDA DE CRITICA A SUA. SE NAO RECONHECE OS VALORES DO FILME (OBRA) QUE SE F* .

Rennê Cruz disse...

Lola, meus parabéns pelo blog, você tem excelentes argumentos quando fala sobre feminismo e coisas adjacentes.
Mas, por favor, quando escrever sobre algum filme, por favor, não chame de crítica.

Carlos M. disse...

Essa crítica é uma farsa. Primeiro que o filme estreou em dezembro de 2001, não 2002. Então ela não poderia ter visto o filme no cinema nessa época. Da mesma forma, ela não poderia ter ''sobrevivido'' á trilogia se os outros filmes dois filmes nem haviam sido lançados ainda. Esse tipo de comentário só faria sentido após o lançamento dos três filmes. Pra mim essa crítica foi escrita muito tempo depois da trilogia ter acabado.

Ou seja: FRAUDE.

Vocês -- pessoas sem argumentos -- são patéticas.

Vitor Ferreira disse...

ahahahaha
Adoro essas teorias da conspiração que procuram pelo em ovo...
Essa "unanimidade" é tão acima da crítica assim?

Anônimo disse...

A crítica é muito boa, gente! Pense só: a Lola (e não foi só ela) quase dormiu no cinema assistindo SdA... e ainda não perdeu os detalhes da 'história'! Êta crítica porreta!

Quando assisti o filme, achei infantil nível Anime. Na verdade, parece a readaptação de um anime (daqueles com bastante lição de moral) num livro "clássico" infanto-juvenil.

Natascha Fox disse...

Lolinha linda, como eu disse, opiniões completamente diversas no quesito cinematográfico. Realmente acho que suas críticas atuais tem mais embasamento que as antigas. Obviamente, ninguém é obrigado a ler o livro, que é um dos melhores já escritos. Não só no gênero, mas o livro é fantástico. Agora entendo que não é para todos realmente, muita gente não gosta, acha cansativo. O problema é que você nem se esforçou Lolinha para entender, para ir mais fundo. Enfim, fiquei triste porque sou muito fã haha Bjinhos

Anônimo disse...

Epa! Essa crítica é antiga, mas só estou comentando agora. Acho q as pessoas estão se confundindo com a questão livro/filme. Por exemplo, qdo eu falo que não gostei de Senhor dos Anéis (FILMES), as pessoas começam a citar um tratado de como Tolkien era genial, a história é muito profunda, tem muitos valores filosóficos etc etc... Oi, então, deixa eu falar; eu tô falando do FILME, não do LIVRO (são linguagens mto diferentes, resultando em obras mto diferentes e isso devia ser ÓBVIO), acho que o espírito do Tolkien não baixou numa mesa branca e ele bateu um papo com o Peter Jackson, discutindo a adaptação para o cinema. E é óbvio que o olhar de um fã do LIVRO, qdo ver a adaptação de sua obra adorada no cinema, será diferente da de uma pessoa que foi assistir ao filme sem saber de nada da história (que foi o meu caso). No meu caso, qdo eu fui assistir ao FILME (e não só fui eu e o resto da ralé-leviana-que-não-entende-nada-e-ousa-profanar-uma-obra-prima que achou isso), a história (DO FILME) não me pareceu muito diferente de vários filmes sobre lealdade, universos fantásticos, aventura, a guerra do bem contra o mal. Se o LIVRO tem uma profundidade mto maior, bom... como já disse, não estava falando do LIVRO. Em nenhum momento li a Lola falando mau do Tolkien. Não troquem as bolas. Espero q as maiúsculas ajudem a entender.
Um exemplo de como livro/filme são linguagens muito diferentes e q é preciso tomar muito cuidado ao compará-los é o do filme O Iluminado. Eu assisti ao filme primeiro, amei, achei genial. Fui ler o livro e achei uma porcaria, mas lembro q gostava muito das parte que lembravam o filme.

Anônimo disse...

Lembro qdo lançou esse filme, mta gente ficou falando da relação entre Frodo e Sam. Se eles são gays ou simplesmente são dois amigos q se gostam mto e é o nosso olhar preconceituoso, de que homem não pode demonstrar carinho q já é tachado de bicha, que vê maldade nisso.
Recentemente, assisti ao excelente documentário "The celluloid closet" (indicação da Lola), que fala sobre como os homossexuais são retratados no cinema. E traz o depoimento de alguns roteiristas de filmes famosos falando que eles tinham q fazer uns malabarismos para alguns personagens homossexuais passarem pela censura. Então eles escreviam algumas cenas de forma meio q ambigua (o famoso pode ser q sim, pode ser q não...talvez). Fiquei mto surpresa com vários personagens q eu nem desconfiava q a intenção do roteirista foi "deixar uma dica". Eu sabia q escritores faziam isso faz tempo, mas nunca tinha pensado nisso no caso do cinema. Enfim, minha dúvida é: esse é o caso de SDA? É só no filme ou no livro tb tem trechos ambíguos? Alguém sabe dizer se essa foi a intenção de Tolkien, ou do roteirista do filme? Toda vez q eu pergunto p/ alguém q é fã da série (justamente pq eu sei q a pessoa leu os livros) ela fica extremamente ofendida, como se eu estivesse perguntando p/ um padre "Mas, como uma virgem pode ficar grávida?" rsrsrsrsrs

Nando Moraes disse...

Corrigindo: No caso, o Senhor dos Anéis não eh considerada uma obra "infanto juvenil", como voce mencionou. Não eh por ter elfos, magos ou que for que cai pro infanto, posso te sugerir diversas leituras com esses personagens que vc iria se surpreender.
Considerar Harry Potter infanto juvenil ai tá certo. Eh importante uma critica nao padecer de informação correta.

Anônimo disse...

É uma mulher que escreveu isso só pode, com certeza não gosta do gênero ou não entendeu nada, bom aposto que vc gostou da mini seria Harry potter

Anônimo disse...

Quem fala que não gostou do filme senhor dos anéis não sabe o que é arte visual, não entende nada de cinema, bom eu não gostei de Harry Potter mas assisti todos pois já tinha começado a assitir e fui até o final ridículo aonde colocam os personagens moleques vestidos de velho, aquilo ficou ridículo, péssimo final, nada de grandioso ou artístico como senhor dos anéis, quem não gosta de senhor dos anéis não entende nem de uma bela trilha sonora, não entende de arte no seu geral, música, imagem, cenas,literatura, maquiagem, interpretação, história rica que revolucionou a historia de conto de fadas no mundo todo, que demais filmes e historias copiam os personagens da fantasia que R R Tolkien criou

Anônimo disse...

eu odeioooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo esse filme