domingo, 14 de setembro de 2008

POEMA PARA MINHA MUSA DE INFÂNCIA E SEMELHANÇAS COM PAUL MCCARTNEY

Esse poeminha meigo eu escrevi quando tinha oito anos. Gosto da parte em que explico que balançar a cabeça quer dizer sim. Pode parecer banal, mas o maridão vive sacudindo a cabeça quando quer dizer sim. Ele diz que é seu lado japonês. Vamos ao poema da Lolinha Prodígio:

Procuro você, você eu procuro.

Onde está você?

Quando vai voltar?

Procuro você,

Você eu procuro.

Estou ficando...

...estou ficando...

...com medo,

de me perder também.

Você voltou.

Me deu um beijo,

e me disse:

- Quando você estiver a minha procura,

procure a felicidade.

Balancei a cabeça,

que queria dizer sim.

Outro dia, ela plantou amor.

Ela tinha plantado amores perfeitos...

...e me deu um beijo com gosto de alegria.

Parece uma poesia muito romântica, até eu ler o que está escrito em letra miúda no canto da folha: “Feita para minha tartaruga, a Paquita”. Não quero nem imaginar o tipo de amor-perfeito que ela deve ter plantado. Ou o verdadeiro gosto do beijo que ela me deu. Mas obras-primas da poesia internacional já foram feitas pros bichinhos de estimação. Por exemplo, o “Martha my dear” que o Paul McCartney escreveu era pra cadela dele, uma Sheepdog que foi seu primeiro bicho de estimação. Isso aqui eu tirei de um livro revelador, Many Years from Now, biografia do Paul escrita por Barry Miles. Diz assim (minha tradução):

A canção 'Martha My Dear' foi escrita totalmente por Paul e, como 'Yesterday', não tinha nenhum dos outros Beatles no acompanhamento. Começou como um exercício de piano.

PAUL: Quando eu me ensinei a tocar piano, gostava de ver quão longe conseguia ir, e essa canção começou como uma composição que você aprende como lição de piano. É bastante difícil para eu tocá-la, é uma peça de duas mãos. Na realidade, lembro de uma ou duas pessoas surpresas que eu a tocava porque era um pouco acima do meu nível de competência, mas eu a escrevi dessa forma, algo um pouco mais complexo para que eu tocasse. Enquanto eu estava esboçando as palavras – você dá contorno aos sons e algumas coisas aparecem – encontrei as palavras 'Martha minha querida'.

Então criei outra canção fantasiosa. Lembro de George Harrison me dizendo, 'Eu nunca poderia escrever canções assim. Você as cria e elas não significam nada pra você'. Acho que no fundo elas significam alguma coisa pra mim, mas na superfície elas são fantasia como Desmond e Molly ou Martha minha querida. Quero dizer, não estou realmente falando com Martha; é um tipo de comunicação afetiva mas de maneira abstrata – 'Sua garota boba, veja o que você fez', esse tipo de coisa. Por mais que pareça ser uma canção sobre uma moça chamada Martha, é na realidade sobre um cachorro, e nossa relação era platônica, pode acreditar.

A canção foi escrita em outubro de 1968, quando Martha já tinha três anos de idade (pg. 497-8).

Escute a bela canção aí embaixo. Minha tradução nada poética pra ela seria algo como “Martha minha querida / Embora eu gaste meus dias conversando / Por favor / Lembre-se de mim, Martha meu amor / Não se esqueça de mim, Martha minha querida / Mantenha sua cabeça pra cima, sua garota boba / Veja o que você fez / Quando você se encontrar no meio de tudo / Pegue um pouco do que está a sua volta / Garota boba / Olhe em volta e você verá / Que eu e você fomos feitos pra ficar juntos / Martha minha querida, você sempre foi minha inspiração / Por favor / Seja boa pra mim, Martha meu amor / Não se esqueça de mim, Martha minha querida”.

Tão fofa essa música! E eu falando dos amores-perfeitos que minha tartaruguinha plantava! Quem sabe se eu tivesse um bicho mais peludo como um sheepdog eu ficaria mais inspirada. Naquela época eu ainda não sabia que tinha tanto em comum com meu amado Paul.

The Beatles - martha my dear

31 comentários:

Ju R. disse...

beatles é sempre bom! me sinto outra pessoa quando ouço (não conta pra ninguém, mas já me peguei chorando ao ouvir across the universe).

Ju R. disse...

ahh, esqueci de dizer: você realmente parecia uma bonequinha. tão linda!

minha mãe, ao ver tua foto exclamou "nossa....como ela é velha" por causa das latas de sabão carioca. se você é velha, ela é o quê???

lola aronovich disse...

Beatles é maravilhoso mesmo. Eu já chorei com tanta música deles... Vc viu Across the Universe? Eu amei!
Ish, não sabia que precisava photoshopear as fotos pra esconder o Sabão Carioca! É verdade, foi o primeiro emprego do meu pai no Brasil, eu acho. Por isso, nossa casa tava sempre cheia de latas. Acho que essa empresa não passou dos anos 70, certo? Pois é, eu sou velhinha mesmo. Tenho 41 anos!

Masegui disse...

Eu tive duas tartarugas. Comprei para os meninos. O vendedor me disse que eram "importadas" e que eu não teria problemas com o IBAMA! Elas cabiam na palma de minha mão... Leopoldo Vinícius e Luiza Aparecida. Leo e Lu.
Cresceram demais, chegaram a mais de 20cm e tive que solta-las numa lagoa porque elas se recusavam a falar inglês e eu não poderia provar aos fiscais que não pertenciam à nossa fauna...
Ah, um amigo me disse que Leo era Lu e Lu era Leo, mas há controvérsia...

Mudando de pau pra cavaco, nunca faça uma enquete da melhor música dos Beatles, a não ser que tenha a opção de votar 250 vezes...

Ps.: Você era lindinha (atenção no tempo do verbo)

Chris disse...

AMO, Beatles, AMO!
Aliás, acho que sou uma das poucas que consegue amar tanto Beatles como Elvis, em igual proporção (ok, podem atirar as pedras rsrsrs)
Eu já sabia da Dear Martha, e achei o máximo sua 'Ode a Tartaruga Paquita', muito fofa!

Beijos,
Chris

Kaká disse...

Enquete com músicas dos Beatles? Impossible. hahaha!
Eu adoro os Beatles. Ano passado eu fui a Liverpool e fiz um passeio que tem lá pelos lugares que aparecem em várias músicas, onde eles moraram, estudaram, etc, com um guia super divertido e uns americanos beatlemaníacos que sabiam todas as trivias (essa da Martha eu soube por eles). O guia contou que uns anos trás o Paul estava parado na porta da casa que ele tinha morado encostado no carro e um garotinho chegou para ele e disse "por uma libra eu te mostro a casa em que Paul McCartney morou" hahaha!

Ju R. disse...

"por uma libra eu te mostro a casa em que Paul McCartney morou"

UHAUHAUHAUHAUHAUHAUHA!!!!

lola, minha mãe tem 50 anos. sacanaia ele agora! hahahaha!!!
se você não tem idade pra ser minha mãe, não posso te considerar velha, hehe!
qual a nacionalidade do teu pai, só por curiosidade?

to com medo de não gostar de across the universe, tenho horror a musicais (tirando, óbvio, "o mágico de oz" e "mary poppins", que fazem parte da minha querida infância ) - adorei saber que você odiou moulin rouge. nunca consegui terminar de ver aquela bosta. aff!

Anônimo disse...

Lola, que fofuras!
O poema, Paquita a musa, e,principalmente a poeta tão sensível revelada já na infância.
Pôxa eu não fiz nenhum poeminha quando criança...
Pelo menos eu disse um versinho na primeira série, em dia de festa na escola e, foi este:
"sou a rosa perfumosa,
todos gostam de mim
e por isto me fizeram
a rainha do jardim!"
bj da Fatima.

lola aronovich disse...

Ai, Mario Sergio, nem diga isso. Se alguém estiver lendo esses comentários, por favor, jamais, jamais, jamais compre animais silvestres. Isso é incentivar o tráfico de animais, que mata milhões de animais por ano e contribui para a extinção de espécies inteiras. Nada de papagaios e micos, gente!
Eu era pequena, não sabia nada sobre isso. Imagino que minha tartaruga não era silvestre e veio de criação, mas realmente não sei. Ela era pequena e terrestre. Eu pensei que ela iria viver cem anos, e tinha enorme admiração por alguma coisa que poderia viver tanto. Mas ela morreu misteriosamente uns dois ou três anos depois (não sei, porque criança não tem noção de tempo). Foi muito triste. Ela simplesmente parou de sair da “casinha” dela e começou a cheirar mal. Eu a enterrei no jardim do nosso prédio (a essa altura acho que não morávamos mais no Rio, já em SP). E meu irmão depois ficou dizendo, cruelmente, que eu a havia entrerrado viva! Pobrezinha da Paquita. Eu a endeusava. Sério mesmo, achava que ela era uma pequena deusa.
Mas, sei lá, não acho que as pessoas devem ter tartarugas. Cachorros, gatos, e até hamsters são mais aconselháveis.
Iria ser difícil mesmo fazer uma enquete dos Beatles. Do Chico já foi impossível, lembra? Quem sabe o melhor álbum?
Já sei: posso fazer enquete do Beatle favorito. O que vcs acham?

lola aronovich disse...

Cris, eu também AMO os Beatles. De paixão. Desde sempre. É Beatles no mundo, Chico na América Latina, e Deus no céu. Quer dizer... Agora, Elvis?! Eu o achava super sexy rebolando, e gosto de algumas músicas. Mas não tem comparação, né?


Puxa, Kaká, que legal! Esse tour por Liverpool deve ser tão legal! Cadê a sua foto em cruzando aquela rua? No documentário do Michael Moore, Sicko, tem o caso de um americano que tentou atravessar a rua de cabeça pra baixo e fraturou umas costelas. Algo assim. Lá em Wayne State University tavam oferecendo um curso (matéria) universitário sobre os Beatles. Iriam estudar a influência dos Beatles na cultura pop pós-moderna e depois, no final do semestre, iriam a Liverpool durante umas duas semanas. Pareceu hiper legal, mas era caríssimo. E o seu tour, foi muito caro?
Há, ótima essa anedota sobre a casa do Paul!

lola aronovich disse...

Ju R, eu não acho ninguém velho ou velha. Só o McCain! Acho que 72 anos é velhinho demais pra ser presidente, a menos que a pessoa esteja muito bem de saúde e não tenha uma vice como a Sarah!
Meu pai é argentino. Puxa, ainda preciso publicar um post sobre isso.
Bom, se vc não gosta de musicais, deve evitar Across mesmo. Teve vários Beatles puristas que odiaram. Mas eu me considero uma purista e adorei, então...
Agora, se a senhorita odeia musicais, tava fazendo o que vendo Moulin Rouge? Hein? Hein?


Fátima, que gracinha o seu verso! Não acho os meus melhores não!

batatatransgenica disse...

nem fale em enquete, inda não consegui votar nessa da cenda de terror.
;o)

[chorei de rir do comentário da kaká, do garoto que ofereceu um tour ao macca!]

Kaká disse...

Lola,infelizmente eu não tenho a foto cruzando a Abbey Road(a do filme do Michael Moore) porque eu estava sozinha no dia, então só bati uma foto da placa, essa rua fica em Londres. Próxima vez que eu for lá eu bato a foto. :) Mas eu tenho foto em Penny Lane, no portão de Strawberry Fields, no Cavern Club, etc.
Olha, qualquer viagem para Inglaterra é muito cara principalmente transformando tudo para reais, mas vale cada centavo. Só passei um dia em Liverpool. Eu estava na casa da minha "avó" (a minha mãe é casada com um inglês) que fica uma hora de trem de Liverpool. Nesse um dia eu gastei com o trem ida e volta, o tour, o museu, comida, bebida (cervejas com os americanos) £45, que em reais dá R$145. Se eu ganhasse em libras seria razoável. Só o tour foi £13, a gente andava por 2 horas no ônibus colorido do Magical Mystery descendo para fotos. Foi um dinheiro bem gasto. :)

Ju R. disse...

lolinha, eu estava vendo moulin rouge porque era final de ano e essa bodega passou na globo - e meu namorado tinha viajado e me abandonado sozinha.

mas eu NUNCA consegui terminar de ver. não aguentei. chatéééésimo! bocejos, muitos bocejos!

pai argentino, é?? o maridão nunca fez piada a respeito? hehe!

Masegui disse...

Eu morro de inveja desse povo que já foi a Liverpool e visitou todos aqueles lugares ligados aos Beatles.
Mas em uma coisa ninguém me supera: Eu sabia de cor quase todas as músicas e tudo sobre eles, tanto que minha irmã queria que eu fosse num programa de televisão responder sobre os Beatles (lembra que tinha um programa assim na TV?).
Tenho todos os CDs lançados no Brasil e (pode acreditar) todos os LPs e mais alguns compactos (acho que tem gente aqui que nem sabe o que é isso!)
Ah, todos os álbuns são ótimos, mas o Abbey Road é insuperável...

Liris Tribuzzi disse...

Já dei meu update semanal lolístico.

Que mágico você ter tido uma tartaruga! Eu sempre quis uma, mas eu tinha um cachorro que seria capaz de comer a coitadinha e não deixar nem casco. Depois que ele morreu, a idéia da turtle ficou meio esquecida.

Ah! Fui ver Zohan hoje. Não acredito que deixei de ver 'Cegueira' pra ver aquilo! Foi o pior filme que eu vi nos últimos anos. Piadas de total mal gosto e sem necessidade. Só vi Zohan por causa do meu mino. Ele queria muito ver, e como 'Cegueira' não tá escasso, fica pra semana que vem. Pelo menos quebrei meu jejum de um mês sem cinema.

Juliana B disse...

ai que lindo! Vc e o Paul!! E os bichinhos!!! As tuas fotos de criança, como sempre, maravilhosas!! Tanto a foto quanto a modelo.

Raquel disse...

Ju R., assista Across the Universe sem medo de ser feliz! Basta você gostar de Beatles, que aí nem vai ficar reparando que se trata de um musical (que também detesto). As músicas são tão bem inseridas no contexto do filme, e aparecem tantas referências à história e às músicas dos Beatles, que eu acho que você não vai se arrepender.

Lola, depois de ver a reação fofa do Saramago ao assitir Ensaio Sobre a Cegueira ao lado do Fernando Meirelles (link do youtube no blowg da Marina W.), fui conferir o filme.
É belo, profundo e muito revoltante.
Uma parte em especial do filme me deixou muito perturbada, e eu chorei pra caramba (e acho que todas as mulheres que estavam no cinema sentiram o mesmo).
Há uns 3 anos, eu li o livro até quase a metade, e deixei de lado. Não tinha nem idéia do que estava por vir no desenrolar da história.
Apesar de uma coisa não ter nada a ver com a outra coisa, me fez lembrar O Nevoeiro, no quesito "seres humanos em situações extremas viram completos imbecis".
Ah, e acho que você já deve saber, mas pelo menos algumas cenas do filme foram rodadas em SP. Minha amiga, que é de lá, passou o filme inteiro achando que estava reconhecendo pontes, avenidas... até que em uma cena, apareceu o prédio onde o pai dela trabalhava, hehe! Aí ela teve certeza.

Ashen Lady disse...

Toda vez que atravesso uma rua fico pensando em Abbey Road, isso se dá assim umas 50 vezes por dia.
Toda vez que eu como morango fico com Strawberry Fields na cabeça o dia inteiro.
Acho que isso se enquandra num TOC.

Strawberry Fields também me lembra um professor de biologia do colégio, o Biolouco, que num dia resolveu que a aula seria em inglês e sobre morangos, ele colocou a letra da música na lousa, fez a chamada em inglês, e começou a falar sobre morangos, em inglês, e nós, alunos segurando o riso porque se ríssemos seríamos expulsos da sala.

lola aronovich disse...

Batata Naomi, vota, vai. Muito gracinha essa anedota sobre o Paul!


Puxa, Kaká, 13 libras pelo tour não parece caro mesmo! Em Washington cada tour de duas horas custava mais de 50 dólares, que eu me lembre. Se no total vc gastou 45 libras, realmente parece um bom investimento. Porque andar em Abbey Road e Penny Lane é algo que nunca mais se esquece... Bom, quem sabe um dia...

lola aronovich disse...

Ju R, ah, se o namorado te abandonou sozinha, entendo vc ter feito o enorme sacrifício de ver Moulin Rouge. Não, brincadeira, conheço muito mais gente que amou o filme do que gente do meu timinho, que o detestou. Se o maridão faz piada pelo meu pai ser argentino? Não. Nem pode. Minha família toda é argentina: pai, mãe, tias, irmão, irmã... inclusive eu. Mas não espalha que um dia eu falo disso.


Mario Sergio, então vc é um beatlemaníaco? Somos dois! Eu já soube mais deles, mas com a memória falhando ficaria difícil participar de um desses concursos especializados (quando esses concursos existiam, eu fantasiava em responder tudo sobre o Oscar, dos anos 50 em diante, algo assim. Hoje em dia, não lembro quem ganhou no ano passado!). É muito difícil escolher um só álbum dos Beatles, mas Abbey Road não é meu preferido. Acho que é mesmo Sgt. Pepper's. Se bem que eu amo o White Album. E Revolver também. E Magical Mystery Tour. Ô, por que vc não guarda uma graninha todo mês pra, daqui a alguns anos, poder realizar esse sonho de fazer o tour em Liverpool? Sério!

lola aronovich disse...

Li, não acredito no que vc fez! Não fala mais comigo! Vc podia escolher entre Zohan (uma comédia acéfala que tem toda semana) e Cegueira, e foi ver Zohan?! Como que pode? Seu namorado, apesar de ser um gatão, é uma péssima influência, hein? Vão ver Cegueira e me contem!
E sobre a tartaruga... É, não sei se tartarugas se sentiriam muito confortáveis próximas a cães e gatos.


Viu, Ju B, o quanto eu e o Paul temos em comum? É pra quem pode, não pra quem quer. Não basta ter uma sacolinha dos Beatles pra ter essa incrível conexão cósmica que eu e o Paul temos.

lola aronovich disse...

Raquel, cuidado que eu conheço Beatlemaníaco que odiou Across the Universe! Eu não consigo entender bem COMO, porque o filme é magnífico. Agora já vi três vezes, e quero ter o dvd.
Eu falo sobre aquele vídeo comovente do Saramago vendo Cegueira. É de chorar mesmo, né? E a reação do Meirelles, então? Que doce! Tá aqui.
Eu tenho tanta vontade de ver o filme! Mas não sei como. Vou torcer pra que continue em cartaz até o mês que vem, já que ele vir pra cá tá difícil (o gerente diz que não vem, chuif).
E deve ser muito legal reconhecer prédios e ruas num filme...


Ashen Lady, acho que, se eu estivesse na Inglaterra, teria essa sensação: toda rua que atravesso é Abbey Road. No Brasil não penso muito nisso, porque tenho que me concentrar pra não ser atropelada por motoristas que não respeitam sinal e faixa de pedestre.
Agora, morangos... É difícil não associar morangos com Strawberry Fields Forever. Mas eu penso mais mesmo em Penny Lane. Toda vez que vejo o céu azul lembro dos “blue suburban skies”. E puppies ou poppies from a tray também. Eu penso em puppies, filhotinhos de cão. E penso muito em “a little help from friends” tb. Mas já falei que meu hino do otimismo é “We can work it out, we can work it out!”. Como esse é meu mantra em situações desesperadores como escrever tese, deve ser essa a música dos Beatles que mais tenho na cabeça.
Gostei do seu professor de biologia!

Vitor Ferreira disse...

Essa foto com a mão no queixo tá a cara da Linda Blair. Eu respondi o teu comentário sobre o Nevoeiro tb. Não sei se vc viu.

Pernambucobebendoparaomundo disse...

Não gosto daquela fase da literatura, mas ee certa forma os parnasianos estavam certos, "arte pela arte", engraçado isso de ter uma tartaruga como musa, na verdade, a julgar pelas fotos, um jabuti, tive um desses, que vivia azucrinando a vida de um cachorro que convivia com ele. O danado mordia o cachorro que quando partia pra cima ele escondia a cabeça...

Mas Paquita morreu mesmo, ou, como Paul, "is dead"?

Melhor fase dos beatles ,sem dúvida, é a psicodélica, e dessa fase o Sgt. Peppers é o Melhor disco, sem desmerecer o resto, só uma questão de hierarquizar a qualidade do trabalho...

lola aronovich disse...

Linda Blair, Vitor? Nada a ver! Ela não era loira, pra começar? Imagino que vc esteja falando da Linda pré-possessão... Ah, não vi seu comentário, vou ver.


Gio, o jabuti mordia o cachorro? Tadinho do cão! O problema de ter uma tartaruga de estimação é que elas são mais na dela. Cães e gatos são diferentes. Hamster, coelhinho, peixe (pássaros sou contra – pra que ter um pássaro engaiolado, coitado?), tudo bonitinho e tal, mas eles mal notam que a gente existe. Cães e gatos interagem direto com as pessoas. Muito mais agradável.
Pô, eu escrevi um artigo imenso sobre “Paul is dead”, mas o computador pifado levou.
Sgt. Pepper's é considerado o melhor álbum de música de todos os tempos. Mas acho muito difícil escolher um só.

Vitor Ferreira disse...

Sim, a antes do cão tomar conta. mas ela não era loira não... A que roda a cabeça parece mais comigo! Ahahahhaa Depois te mando a foto!

Anônimo disse...

Sou apaixonada por leitura e por poemas, que legal Lola que vc. guardou seu primeiro poema, acho que não escrevi nenhum, mas muitas vezes fui escolhida na escola para ler sobre alguns deles.

Beijão !!

Maristela Aparecida Petters

Liris Tribuzzi disse...

Lola, eu não me perdoei de ter trocado 'Cegueira' por aquilo que me recuso a mencionar o nome. Acho que vou me punir ficando um ano sem comer chocolate ou ver todos os filmes do Steven Segal que o SBT passar na próxima década.

lola aronovich disse...

Sim, sim, Vitor, a menina do exorcista que gira a cabeça é a sua cara! Semelhança impressionante! Tá, sei. Como assim, a Linda Blair não é loira?


Oi, Maristela, que legal te ver por aqui! Na realidade, esse não foi meu primeiro poema. Eu escrevia muitos poemas e guardava quase todos em alguns livros (cadernos encadernados em branco). Recomendo que toda criança guarde seus escritos. É ótimo pra gente, quando adulta, poder se lembrar de como a gente era. Abração!


Li, tá feio o negócio, hein? Vc vai se punir com uma ação que te deixará distante de filmes importantes por mais tempo ainda! Bom, espero que vc e o namorado bonitão-porém-não-muito-inteligente vão ver Cegueira este fim de semana.

Marta disse...

Gosto demais dos beatles, mas a voz de Elvis é a mais fantástica que já ouvi.