quinta-feira, 2 de abril de 2009

BOICOTE E PERDÃO ÀS CELEBRIDADES

Jane Fonda, na época em que era conhecida como Hanoi Jane, presa injustamente em 1970 por carregar drogas com prescrição médica.

Quando Sean Penn derrotou Mickey Rourke no Oscar, teve gente comovida (eu inclusa) com seu discurso pró-direitos gays. Houve até gente que disse: “Que bom que o Sean ganhou, e não aquele espancador de esposas, o Mickey”. Mas logo veio alguém lembrar que ei, o Sean também bateu na mulher, quando essa mulher era a Madonna. Eu lembro da separação turbulenta deles nos anos 80, e da Madonna machucada. Sean era um bad boy, do tipo que chutava mulheres e paparazzis. E era homofóbico, pra piorar a situação.
E hoje o carinha é de esquerda, faz discursos anti-guerras, e transformou Milk num projeto pessoal seu. Perceba que em nenhum momento estamos discutindo seu dom artístico (ele é um excelente ator e diretor), e no fundo nem sua vida pessoal, porque nada sabemos do seu dia a dia doméstico (ele tá casado com a Robin Wright, a pobre alma de Forrest Gump, há anos). O que conhecemos é sua persona, a imagem que ele passa pro público. E eu, pessoalmente, gosto dele. Perdoei-o por ele ter batido na Madonna. Isso foi em 1989, e dá a impressão que ele amadureceu de lá pra cá.
Mas aí fiquei matutando: quanto tempo precisa passar pra gente perdoar um astro? E até que ponto o que uma celebridade faz é imperdoável? E por que a persona desse astro às vezes é mais levada em conta que suas realizações profissionais?
Pensando bem, nem na época em que o Sean era um conhecido mau caráter eu boicotei seus fimes. Eu achava que dava pra separar. Mas até quando seria perdoável? O astro teria que matar ou estuprar alguém pra que eu parasse de ver seus filmes? (Isso é, se ele continuasse fazendo filmes).
Não tenho respostas. Conheço muita, muita gente que odeia o Tom Cruise. Ele nunca cometeu nenhum crime, mas o pessoal não perdoa que ele pertença a uma religião estranha, a Cientologia, e que ele tenha feito declarações estúpidas sobre a depressão pós-parto da Brooke Shields. Ninguém esquece que ele fez um papelão na Oprah ao anunciar sua paixão pela Katie Holmes, mas e aquela vez em que ele ajudou uma brasileira que havia sido atropelada? Tá, não sei se dá pra contar o Tom, porque, francamente, não conheço ninguém que diga “Odeio o Tom Cruise” que deixe de ver um filme dele.
Mas e o rapper Chris Brown, que bateu na sua namorada, a Rhianna? Parece que ela o perdoou e eles voltaram, o que é um péssimo exemplo pra todas as moças que apanham dos parceiros. A pressão em cima dela foi tão grande que ela decidiu “dar um tempo” no relacionamento. Sua carreira estaria ameaçada se ela continuasse com ele. Quanto à carreira dele, espero que ele tenha enfrentado uma debandada geral de fãs.
Mas e quando o que repercute tanto não é um crime, mas nossos preconceitos fazem com que o ato ganhe conotações criminosas? Estou falando de 1995, época em que Hugh Grant foi flagrado com a prostituta Divine Brown. Ambos foram presos por conduta imprópria. O escândalo foi gigantesco, e o preconceito, maior ainda: como que um astro lindo como o Hugh precisa pagar pra transar? E como que ele, que namorava a modelatriz Liz Hurley, poderia “trocá-la” por uma prostituta negra? (Ninguém falava isso diretamente, mas as comparações eram óbvias). A carreira do Hugh sobreviveu.
O preconceito também rolou solto quando Ronaldinho se envolveu com travestis. Isso me fez lembrar como pouca gente sofre tanto e desperta tanto ódio quanto travesti. Mas, além da homofobia (do tipo “Oh meu Deus! Será que havia dois pênis na cama?!”), o que mais me chamou a atenção foi o elitismo. Li um monte de gente dizendo asneiras como “Você pode tirar um pobre de uma favela, mas não pode tirar a favela de um pobre”. Como se executivos ricos não contratassem travestis! De qualquer jeito, poucos meses depois, só se falava no Ronaldo de novo - desta vez positivamente, porque ele tinha fechado com o Corinthians.
E Daniela Cicarelli, que teve a infelicidade de ser filmada transando com seu namorado no mar? Ela perdeu patrocinadores e contratos. Bom, pessoalmente, ainda que eu achasse que Daniela tivesse feito algo de errado (não acho), eu nem saberia por onde começar a boicotá-la. Nem sei o que ela faz da vida. O mesmo com Dado Dolabella. Boicotar a Hebe Camargo, então, seria a coisa mais fácil do mundo pra quem nunca viu um programa dela.
Ah sim, se alguém estiver perguntando “Por que você boicotaria a Hebe?”, é por ela ser malufista. Ué, se tem gente que detesta o Mel Gibson por ele ter falado um monte de besteiras anti-semitas, eu posso não gostar da Hebe por ela ser malufista. Até hoje eu guardo um pouquinho de rancor contra quem apoiou o Collor em 89. Mas nem por isso deixaria de ver uma peça de teatro com a Marília Pêra ou a Claudia Raia. Acho, talvez, que nem um espetáculo com a Regina Duarte eu boicotaria, por ela ter protagonizado aquela histeria do “Eu tenho medo” em 2002.
Ok, admito: este texto está bem sem rumo. Eu pensei em escrevê-lo após ver que o Terrence Howard (lindo e bom ator de Homem de Ferro e Valente) apareceu na capa da Ebony, a principal revista pro público negro americano. E que houve muitas críticas dessa comunidade porque, afinal, Terrence foi preso em 2001 por bater na (atual ex) mulher. Mas eu e a maior parte do público nem sabíamos dessa segunda parte. Ela só veio à tona depois que o Terrence deu palavras de apoio ao... Chris Brown. Então me ajude. Quem você boicotaria? O que a celebridade teria que fazer de tão terrível pra que você a boicotasse? Como você a boicotaria? E depois de quanto tempo você a perdoaria? Enfim, ajude a responder todas essas questões que eu não pude responder.

47 comentários:

Barbara disse...

Eu odeio o Tom Cruise. Ele me irrita como ator, e ele simplesmente eh o lider mundial de uma religiao que prega que psiquiatria eh errado, que homossexualismo eh errado, e que pessoas com problemas mentais tem que ser eliminadas (mais ou menos isso).
Eh uma religiao envolvida em varias historias muito mal contadas e em suicidios mais mal contados ainda. Sera que isso nao eh razao suficiente?

Sobre Daniela Ciccarelli, na minha opiniao a transa publica nao foi o problema. Mas tentar censurar o video de uma coisa que ela fez EM PUBLICO eh razao para boicote sim!

asnalfa disse...

Quem você boicotaria? O que a celebridade teria que fazer de tão terrível pra que você a boicotasse?
Celebridades preconceituosas: como Claudia Leitte por afirmar que prefere um filho macho. E se o filho dela nascesse cego? Jogaria no lixo? Tomara q ela flagra o filho dela transando com o filho da Ivete Sangalo daqui uns 18 anos!

Como você a boicotaria? Não consumindo mais os produtos dessas celebridades. A Regina Duarte tem todo o direito de apoiar qualquer presidente ou partido político assim como vc Lola. Afinal todos nós somos obrigados a votar, portanto podemos ter opiniões diversas sem ferir o mais próximo.

E depois de quanto tempo você a perdoaria?
Só se a pressoa se mostrasse arrependida e mesmo assim talvez eu sequer a perdoaria.

anacris disse...

bem, nunca fui muito fã do Cruise. E nem preciso de esforço pra boicotar o Chris Brown, mas uma pessoa que eu faço questão de boicotar é o Dado Dolabela, e todas as fãs ABSURDAS dele. Não só pelo episódio com a Luana Piovani, mas por antipatizar com ele desde que o vi pela primeira vez na televisão. E as minhas expectativas só se confirmaram, ano a ano... O lance do Sean Penn, admiro o trabalho dele, mas quando penso em alguém se relacionando com ele sempre me vem a mente o fato dele ter batido na Madonna. Isso e a religião do Cruise são suficientes pra boicote, ainda fico pensando o quanto a Kate Holmes mudou depois que se casou com ele, parece uma boneca sem personalidade, e a filha deles também, duas bonequinhas pra enfeitar!

Tina Lopes disse...

Eu boicoto o Tom Cruise por considerá-lo um tremendo canastra. Mas daí ele faz um filme com um diretor que eu gosto, e assisto, porque há diretores que não posso boicotar só porque contratam maus atores! Quanto aos demais, com exceção da Regina Duarte, de quem peguei nojinho, não boicoto não. Se fosse assim, não leria Cèline, por exemplo. Eu separo a obra do autor, não vejo tudo como um libelo do modo de vida da pessoa.

Ariane Bianca disse...

E o que você diria sobre a Kate Moss?? Lembra do vídeo dela cheirando cocaína? E ao invés de perder os contratos ganhou vários outros e mais caros??
Mas pensando bem, até que seria hipocrisia por parte do mercado boicotar a pobre sendo que se ouve que no mundo da moda é hiper fashion e normal usar drogas pra se manter em forma e aguentar o ritmo...
O que eu sei é que cada um com seus problemas, e é melhor cada um cuidar da sua própria vida, antes que cada um seja vítima de futuros boicotes...

Masegui disse...

Houve uma época em que eu pensei seriamente em boicotar a Nastassia Kinski... por ela não responder aos meus telefonemas apaixonados...

Andei ligando pra Michelle Pfeiffer pra causar ciúmes... não deu certo!

Mas eu sou compreensivo e perdoei as duas...

Chris, mãe da Cecília disse...

Sei lá, eu não tenho lá muitos parâmetros para boicote, não.
Detesto o Jim Carey, mas assisiti alguns de seus filmes pseudo-sérios; ODEIO dicumforça Mickey Rourke, mas achava ele super cool nos anos 80.
Tenho pena do Cruise, que é louco de pedra ao defenter a religião esquisista dele. Mas, daí a boicotá-lo é demais.
Regina Duarte é nojenta, NOJO! E a coleguinha Suzana Viera também - aliás, quando ela vai se tocar de que não é mais nenhuma adolescente? (nada a ver com ela estar namorando um menino mais novo que os filhos, pelo amor de Deus).
Enfim, não dá para fazer boicote total de todos que vc não suporta, porque tem os diretores envolvidos, como bem disse a Barbara..

Beijos

Mica disse...

Provavelmente nada me faria boicotar alguém. Bom, em termos. Desde que eu vi um filme com o Antonio Banderas (que esqueci o nome, mas é um que ele faz com o Stallone, eu acho) eu fiquei com nojo dele. Da cara dele, entende? Demorou anos para eu perder o nojo e atualmente eu só nao tenho mais simpatia pelo cara. Assisto, acho bonitinho, mas não me leva ao cinema, definitivamente não. Só se o tema for muito bom ou se os outros atores chamarem a minha atenção.
Mas aí é questão pessoal minha. Olhar para a cara da pessoa e cansar dela. Boicotar por qualquer coisa que a pessoa faça e que eu discorde? Não.

Srta.T disse...

Ih, minha lista é longa e, por hora, engloba só um dos que você citou (e não exatamente pelo motivo que você citou), mas vários dos citados pelos outros aqui. Lá vai os que não perdôo:

- Ronaldinho. O problema não é sair com travestis: o problema é um cara casado, com uma mulher grávida em casa, viver assim na gandaia. Pode parecer conservadorismo, mas eu simplesmente acho uma falta de respeito. Quer badalar, que passar a noite no prostíbulo, nada contra, cada um com seu cada um: mas pra quê assumir um compromisso com alguém e expor essa pessoa? Isso sem entrar em outra questão: pra quê precisa sempre estar com várias mulheres? Usá-las e trocá-las como se fosse meia?

- Galvão Bueno: já escrevi num comentário no seu post sobre o Clodovil o que acho desse dileto senhor consumidor de drogas, espancador de mulheres. Por ter morado na mesma cidade, conheci de perto podres dele que nunca foram à público. Botei lá no meu antigo comentário:

Agora, Galvão Bueno: ele mora em Londrina, a atual esposa dele é de lá. Ele bate na mulher repetidamente. E em prostitutas também. O office-boy do escritório onde fiz estágio era vizinho de uma menina (menor de idade na época) que se prostituía. Ela saiu com o Galvão, e ele bateu muito nela, mas ela ficou com medo de apresentar queixa. Ah, o cara consome muita cocaína, dava pra ver naqueles programinhas de colunismo social que ele estava doidão.

E veja essa notícia: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u40614.shtml

Na verdade, o que aconteceu: ele bateu na mulher até quebrar o maxilar dela (a mãe de uma amiga minha dava aulas particulares de inglês pra ela). Os irmãos (dois, eu acho) dela então resolveram dar uma surra no Galvão e quebraram o braço dele. Essa história de tombo de cavalo foi inventada pra abafar o caso, porque ela não quis a separação. Estão juntos até hoje.

E vários amigos meus na época de faculdade (eu estudei em Londrina) frequentemente o viam nas casas noturnas: ela fechava camarotes, distribuía coca, destratava garçons e demais pessoas. Quase sempre puxava briga com algum desavisado.

O cara é um lixo, resumindo. Daqueles não-recicláveis.

- Xuxa: também falei dela no post do Clodovil (até te perguntei sua opinião, acho). Assim:

Xuxa é um bastião da hipocrisia e do consumismo desenfreado. Pior: o público dela é (ou era, não sei) crianças, que ainda tem o senso crítico em formação, e ela não se preocupa em passar nada de educativo. Ela anuncia maionese e "shake" pra emagrecer no mesmo intervalo comercial, vende de tudo. Abraça crianças deficientes na frente das câmeras e grita com as mesmas crianças quando as gravações acabam (e isso quem me contou foi uma fanzoca, que estava na gravação do programa dela). Aliás, sabia que ela escolhe só as crianças mais bonitas pra ficar na frente do palco? As "feinhas" têm que ir pras cadeiras, lá no fundo.

Ah, e ela posa de defensora da natureza, né? Mas tentou comprar um terreno protegido pelo Ibama, por ser um pouco do que restou da Mata Atlântica, pra construir um parque aquático. Deu rolo judicial e tudo, ela perdeu. Mas abafaram.

Isso sem falar naquele filme “Amor, Estranho Amor”. Muito se fala em crimes de pedofilia, mas sempre praticada por homens. No meu entender, uma mulher também pode cometer esse tipo de crime. E é exatamente o que acontece nesse filme: ela pega a mão do menino, põe sobre o seio e pede para apalpá-la. Depois se deita nua sobre ele... pra mim, ficou claro que houve uma relação sexual ali. Aí resolve virar apresentadora de programa infantil, recolhe todas as cópias do filme das locadoras e age como se nunca tivesse acontecido.

Desculpa, escrevi demais!

asnalfa disse...

Uma coisa é interpretar pedófilo, outra é ser pedófilo na vida real.
Temos que aprender a separar da ficção da realidade. Além disso, o filem da Xuxa doi baseada no livro do Mario de Andrade, onde o pai de familai contratava uma prostituta, disfarçada de governate, para ensinar sexo ao filho do patrao.
No mais, odeio a Xuxa e o Monange (creme hidratante de velha!)

asnalfa disse...

desculpe pelos erros de digitação!

Gustavo C. disse...

Eu conheço tão pouco dos artistas (sempre digo que sou fã das obras, não das pessoas, e isso com uma boa seletividade) que quando eu não gosto de algum é pelo simples motivo de não ir com a cara dele(a). Sou muito distante desse mundo.

Aí nesse caso entra um monte de famoso, que acho que nem tem a ver com o assunto do post, a índole das celebridades.

lola aronovich disse...

Ah, gente, sem tempo, mas adorando os comentários.

Só algumas respostas mínimas:

Barbara, tem razão, foi muito ruim a Ciccarelli ter tentado censurar o video. Mas isso foi depois de todo o escândalo, não foi?

Asnalfa, quem é Claudia Leite?
A Regina Duarte tem o direito de apoiar quem ela quiser politicamente, assim como o Tom Cruise tem o direito de ser da religião que quiser, assim com as demais celebridades têm o direito de falar as besteiras que quiserem (como essa tal de Claudia Leite dizer que prefere um filho macho). Não é de direito que estamos falando. É mais de responsabilidades. E o que a Regina fez foi mais que apoiar o Serra. Ela foi usada pra fazer terrorismo eleitoral.

lola aronovich disse...

Anacris, é, pra mim tb é meio difícil pensar no Sean Penn sem lembrar que ele bateu na Madonna.


Tina, ah, eu acho o Tom Cruise um ótimo ator.

lola aronovich disse...

Ariane, ah é? Eu nem sabia que o salário da Kate Moss tivesse aumentado depois d'ela ser filmada cheirando cocaína. Mas minha dúvida é: como que a gente faz pra boicotar uma modelo?


Mario, vc é um fofinho. Entendi o recado. Sei que o nosso boicote individual a alguma celebridade não muda nada. Mas aposto como eles se preocupam com a imagem que têm. Falando em Natassja Kinski, vc viu Hotel New Hampshire (Um Hotel Muito Louco), em que ela se veste de urso? Eu gosto desse filme (e do livro). Ninguém mais fala dele.

lola aronovich disse...

Chris, a religião do Tom Cruise é uma piada. Mas tá cheio de gente de Hollywood que segue. Não sei se tenho muito contra a Suzana Vieira. Tudo bem que ela não tenha sorte com alguns maridos e que faça sempre o mesmo papel, mas ela tenta adiar a aposentadoria o máximo que pode. Eu não gosto do sistema em que a gente vive que decreta que mulheres não possam envelhecer. Não posso culpar as celebridades por quererem se encaixar nesse sistema.


Mica, Antonio Banderas? Eu nunca o achei tão lindo quanto muita gente acha, mas gosto dele. Não acha que ele tá charmoso em Zorro? Gosto dele em Evita! Aliás, eu sou a única pessoa no universo que adora Evita!

lola aronovich disse...

Srta T, eu não tava no Brasil quando estourou esse escandâlo com os travestis. O Ronaldinho tava casado? É, qualquer cara que trai a mulher já pega mal. Trair mulher grávida, então, é péssimo. Sabe o Billy Crudup, que faz o Dr. Manhattan em Watchmen? Então, ele largou a Mary-Louise Parker (de Tomates Verdes Fritos e Weeds) quando ela tava grávida de 7 meses. Trocou-a pela Claire Danes. Isso repercutiu muito mal na carreira dele. Os próprios colegas o boicotaram.
Sobre o Galvão Bueno, eu li o seu comentário naquele post e até pensei em usá-lo no post, mas não dá. É tudo fofoca. Não tem nada que comprove que ele bata na mulher, use drogas ou saia com prostitutas. Claro que quando a gente mora na mesma cidade que o cara a gente ouve mais coisas. Anyway, o Galvão eu já não gosto profissionalmente. Acho-o falso e sem graça. Mas muito melhor que o Silvio Luis. Não sei se tem algum locutor esportivo que não me irrite. O Galvão deve ser um dos caras mais odiados do Brasil. Mesmo pra quem não acompanha a vida pessoal dele...
E sobre “Amor, Estranho Amor”, o filme, não foi a Xuxa que pôs a mão do menino sobre seu seio. Foi o diretor, Walter Hugo Koury, que sempre faz o mesmo filme, em que um cara chamado Marcelo (alter-ego do diretor) se envolve com mil e uma belas mulheres. Pra mim, os filmes dele são ridículos, e só num mundo de homens com tantos críticos homens é que o tipo de cinema que ele faz pode ser considerado “de autor”. Incrível que ele consiga verba pra fazer essa masturbação cinematográfica! Na época, a Xuxa era uma modelo fazendo qualquer coisa pra subir na carreira, como, aliás, quase todas as modelatrizes. Nos EUA, seria difícil uma moça com esse currículo virar apresentadora de programas infantis. Mas aqui tava na moda ter modelos apresentando programas infantis pra transformar logo as crianças em consumidoras. Não tô defendendo a Xuxa, não tenho nenhuma simpatia por ela, e se eu tivesse filhas nos anos 80, tentaria mantê-las longe dela. Mas, no caso dos filminhos que fez, imagino que TODAS as atrizes em qualquer lugar do mundo que começaram fazendo filminhos duvidosos depois se arrependam e tenham a maior vergonha do seu início de carreira. E se pudessem, tentariam tirar esses filmes de circulação.

Srta.T disse...

Eu sei disso Asnalfa, mas você vê algum filme com cena de sexo com atores de 12 anos? Eu nunca vi, e nem quero ver. Uma coisa é abordar o assunto ("Pecados Íntimos", "O Lenhador"), outra bem diferente e pegar uma criança de 12 anos e colocar nua junto com um adulto. Uma coisa é o plano das idéias; outra, partir pra ação.

Srta.T disse...

É Lola, o que eu sei é o que eu vi e ouvi das pessoas. Acredito no que me disseram porque não são pessoas que teriam motivos pra mentir, mas enfim, realmente não tenho como provar.

Quanto ao caso da Xuxa, acho que o tal diretor é tão "pedófilo" quanto ela. Na verdade, nenhum dos dois é, porque (até onde sei) não têm essa fixação sexual por crianças. O que me irrita mesmo é a hipocrisia da indivídua. o caso isolado da cena do filme, eu realmente me pergunto se não seria um caso de pedofilia. Claro que ela não seria a única a ser acusada, acho mesmo que o diretor tem mais responsabilidade que a atriz, de verdade. Mas sei não... ainda acho que dava pra enquadrar como crime, viu. Problema é que deve estar prescrito.
E minha mãe não gostava MESMO que eu visse Xuxa! Você teria agido como ela, presumo. E teria uma filha pentelha feito eu, ahahahahaha!

asnalfa disse...

Lola... eu tb adoro Evita.. somos dois!

asnalfa disse...

Se eu tiver um relacionamento com um menor de 15 anos posso ir pra cadeia?? Tipo.. se a familia desse menor descobrir e tal..

Srta.T disse...

Asnalfa, penal não é muito minha área, mas acho que se você for maior de 18 e a família dele quiser te prejudicar, há um risco sim. Deve ter alguém com mais conhecimento que eu aqui que vai te responder direitinho.

filipe disse...

eu acho que não boicotaria ninguém. no máximo me recusaria a tomar um café com uma celebridade ou outra.
mas a regina duarte com aquela história do "eu tenho medo" me fez rir muito. eu adorava aquele pseudo blog meunomeeregina.com, ou algo do tipo.

Anônimo disse...

comercial da Keira sobre a violencia contra a mulher.
a reportagem
http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1070033-9798,00-KEIRA+KNIGHTLEY+FAZ+CAMPANHA+CONTRA+VIOLENCIA+DOMESTICA.html

e o video
http://link.brightcove.com/services/player/bcpid1509319623?bctid=18234972001

Leila Silva disse...

A Cláudia Raia apoiou o Collor? Cruzes, não me lembro. Lembro da M. Pêra porque o povo jogou pesado.
Eu odiava a Regina Duarte naquela pasmaceira do 'tenho medo'. Já era muito chata, depois disso, então. Não, não pagaria para vê-la de jeito nenhum, não chamo isso de boicote, mas...
Eu me lembro que uma vez, faz anos, vi a Gal e a (ih, valhamedeus, o nome fugiu, a viuva do Jorge Amado) abraçadas com o ACM numa revista...Eu meio que boicotei a Gal, quer dizer, eu estava com vontade de comprar o cd dela e não comprei porque vendo aquela foto eu perdi a vontade.
Esse post me lembrou o caso Polanski, lembra-se? Ele nem pode voltar aos Estados Unidos, a não ser que tenha mudado. É grave, mas eu nunca o boicotei. Acho que ninguém boicotou, nunca ouvi falar. Uma vez li uma entrevista com a moça que foi abusada e ela mesma pedia que se esquecesse isso.

Tina Lopes disse...

Nossa, esqueci completamente da Xuxa. É que eu não considero artista, né. Pra mim sempre foi uma vagabunda exploradora de menores. Minha irmã acordava e já ia ligar a TV pra ver a Xuxa cantar "bom dia amiguinhos" e falar: coma isso, coma aquilo. Depois, parabéns pros aniversariantes do dia, com bolo e docinhos. E eu pensava em tantas crianças querendo ser loiras e comer tudo aquilo de manhã. Tenho nojo dela, nojo de todos que fizeram a fama dela e que lucraram com os produtos dela, e faço questão de passar esse nojo pra minha filha. Ela não entende o "ódio" mas já pegou o conceito. Já com relação ao Ronaldo - e agora falando direto com a Srta.T - eu acho que respeito tem duas mãos: quem tem (ou não) e quem exige. Se eu estivesse grávida de um cara famoso e ele fosse pego com mulherada, simplesmente acabava ali o relacionamento. Bem, famoso ou não, acabaria de qqr forma. Mesma coisa com quem apanha e permanece com o cara: pode haver mil situações particulares, mas no geral, a mulher que apanha do marido e continua com ele é aquela de classe baixa, que depende dele. Essa mulher do Galvão aí só perpetua a categoria "gosta de apanhar". Das brasileiras, Suzana, Regina, Carolina, Daniela, bem, eu não vejo tv aberta mesmo. E acabo de lembrar de um exemplo que me deixa um pouco confusa: o Roman Polanski, que eu adoro, é acusado de pedofilia e não pode entrar nos EUA, não é? O mesmo que ocorreu com o Chaplin, se não me engano. Então, tenho ressalvas, mas não boicoto, não.

Dai disse...

Lola, eu adorei seu post. Principalmente por não ter um tom conclusivo.

Acho que essa discussão é tão densa, né? Parece fácil concluir que alguém que não compactua com as nossas idéias, professa algo que nos soa repulsivo ou age de uma forma que merece ser repudiada (os agressores de mulheres são o exemplo mais ostensivo disto) merecem o nosso desprezo e boicote irrestrito. Mas, é exatamente como você coloca: boicotar quem exatamente, o ser, o profissional ou a persona?

E, ainda a outra questão: não estaríamos incorrendo num falso moralismo e numa tremenda hipocrisia ao fazer juízo de valor de pessoas cujas mazelas conhecemos graças à difusão de um noticiário (um filtro, parcial e repleto de recortes e interpretações tendenciosas)?

O limite entre condenar publicamente alguém que comete um crime ou age de forma delituosa e simplesmente dar vazão aos nossos preconceitos é bem tênue. Como feminista, eu acho que os agressores de mulheres merecem ser repudiados e pagar pelo crime que cometeram. Tudo bem que hoje eu aplaudo o Sean Penn de pé. Eu também acho que ele amadureceu e se distanciou daqueles episódios barraqueiros dos anos 80. Claro, eu não esqueço que ele teve um passado em que agrediu a Madonna. Mas, mesmo um criminoso tem o direito de seguir com sua vida após cumprir a pena merecida - no caso dele, acho que a execração pública foi de bom tamanho. E outra: crimes de machismo não são necessariamente surpreendentes. Acontecem em nossas próprias casas, com nossos amigos e amigas, vizinhos e vizinhas. Culminando ou não em agressões ou algo mais grave. O comportamento das celebridades, monitorado 24 horas, apenas deflagra isso. (Uma ressalva: não estou dizendo com isto que crimes decorrentes do machismo não são graves, apenas que são mais comuns, por que o mundo é estruturado no machismo. E também acho que há fatores que atuam como complicadores e devem ser considerados).

Mas, no geral, eu acho que na maioria das vezes todo mundo se comporta como fã mesmo, quando uma celebridade de sua preferência sai da linha. O produto preferido exibe suas falhas evidentes e é descartado - ou colocado na geladeira. Penso que isto tem a ver com o lado consumista do star system, que nos faz perceber as estrelas como simulacros delas mesmas. Lembro de um exemplo recente: a Angelina Jolie foi ao Oscar "vestindo" esmeraldas e logo caíram em cima dela, argumentando que aquilo não era papel de alguém que é contra a fome e a exploração do trabalho infantil na Àfrica. Atuaram como censores da Jolie, destacando a persona politicamente correta da superfície hollywoodiana onde ela ancora a sua fama. Complicado achar que aquela gente mais bonita e enfeitada é muito diferente de nós. Estrelas vivem no mesmo planeta cheio de contradições. Apenas tem mais dinheiro.

L. Archilla disse...

o engraçado do caso Ronaldo é q fizeram muito mais alarde por ele ter saído com um travesti do q por ter traído a mulher. pouco importa se ele sabia ou não se a pessoa era travesti. lugar de homem casado é bem longe de garota(o) de programa e ponto final.

Srta.T disse...

Tina, concordo contigo. Mas não acho que a cagada de um justifica a do outro. Infelizmente tem essas meninas que eu nem imagino o que têm na cabeça e se prestam a esses papéis ridículos. Difícil não ter certeza que são interesseiras, arrivistas.

Mas vale ressaltar que o lance de ser interesseiro não é monopólio das mulheres, né: aquele finado ex-marido da Suzana Vieira é um ótimo exemplo. Só acho engraçado todo mundo cair de pau nela. "Velha ridícula, fica andando com um cara mais novo, que só quer a grana dela". Alô, nunca ouvi da boca de ninguém (a não ser da minha) que o Olacyr de Moraes ou o Hugh Heffner são "velhos ridículos".

Enfim, já dizia o Eurythmics: "Some of them want to use you/Some of them want to get used by you/Some of them want to abuse you/Some of them want to be abused"

Gabriela Martins disse...

Ai, eu tb boicoto o Ronaldo, de certa forma. Acho o sujeito muito escroto, justamente por ser arruaceiro desse jeito, trair as esposas abertamente... e a turma só desceu a lenha no caso dos travestis, porque traveco não dá, né moçada? Enquanto ele saía com maria-chuteira tudo bem, já que ele é rico, elas interesseiras e ele tem mais é que aproveitar mesmo...

e as esposas, coitadas, também são condenadas, não interessa o que façam: se divorciarem, eram interesseiras que conseguiram o que queriam; se não divorciarem, só estão segurando as pontas por causa de dinheiro. Sempre são vilãs, ó mulher, ser vil.

Outro que eu detesto e boicoto tb é o Justus; acho o sujeito nojentinho e prepotente, criou aquela persona que trata mal os concorrentes do reality show dele. Na vida real deu declarações péssimas, como a de que só casa com mulher nova porque "não gosta de pelanca".

Nos dois casos aí em cima, meu boicote se resume numa rejeição à figura deles, já que não tenho como fazer o boicote propriamente dito: não gosto de futebol e quase não vejo TV (e o programa do Justus seria a última coisa q eu veria).

Respondendo à pergunta: acho que eu "perdoaria" algo grave sim, se a tal celebridade se mostrasse arrependida. E se mantivesse uma coerência: não conheço o Chris Brown, mas se ele virar um gangsta rapper vai parecer até q está fazendo piada com o episódio da Rihanna.

Agora Tom Cruise, Hugh Grant, Kate Moss, ao meu ver não tiveram posturas condenáveis. No caso da Moss soa até meio hipócrita caírem de pau em cima dela. O Mel Gibson eu boicoto porque os filmes dele estão bem ruins, just it.

Priscila Bilhalva disse...

Eu não perdoaria o Guilherme de Pádua que matou a filha da Glória Perez.
Já atores e atrizes com suas polêmicas sexuais, pouco me interessa porque quando vejo um filme eu me preocupo mais com os personagens e não com os atores.
Quando tenho mais simpatia por algum ator, até procuro saber alguma coisa de sua vida pessoal, mas por mera curiosidade.
Espancadores, homofóbicos, estupradores, eu até boicotaria.
Mudando de assunto: Lola, você assiste novela?
beijos

N. Chaves disse...

Humm... alguém aí lembra da Flávia Monteiro e do Reginaldo Farias em A Menina do Lado?
Aquilo foi meio forte, mas o filme até que é simpático.
E ela me parece beem criança ali.
Não sei como existem pais que permitem que filhos façam uma coisa assim.

Deborah disse...

Sean Penn: Não sabia que ele tinha batido na Madonna. Mas ele parece ter melhorado então certo? Espero que sim.
Eu costumo gostar das pessoas de dentro pra fora. Acho que Oasis faz um som bacana, mas não gosto da postura arrogante deles. Então não ouço.
Embora ameeee o Morrissey! *_*
Tá ok, ele tem aquele sotaque britânico, proíbe que vendam carne em seus shows(clap,clap), tem aquele pose toda. Mas eu adoro! Sem contar que nos anos 80 ele dançava com flores (na bunda) =)
O Tom Cruise é sem graça. A beleza dele é deveras enjoativa. Gostei de alguns filmes com ele: Vanilla Sky e Colateral.

Eu escrevi um post sobre o Ronaldo:

http://aqueladeborah.wordpress.com/2008/05/02/o-fenomeno-do-fenomeno/

Quem você boicotaria? O que a celebridade teria que fazer de tão terrível pra que você a boicotasse?

Qualquer um que causasse dor a um ser sensciente. Sou bem sensível a causa animal e feminista. Então se alguém diz "Estupra, mas não mata", terá meu repúdio não sei até quando. Mesmo que com palavras.
Cada um tem seu calo. Eu detesto caçadores. Eu não odeio quem abate um boi por necessidade. A pecuária em 2008 foi a campeã do trabalho escravo no Brasil. Eu entendo que a maioria dessas pessoas não tem mesmo saída. Eu odeio pecuaristas que lucram com humanos que vivem em condições precárias e exploram procriando os animais por bel prazer. E eu odeio pescadores também. E pai que leva filho pro puteiro. E a revista Playboy. E a Cosmopolitan...e...(mas confesso que ás vezes leio quando vou no dentista, é necessário entender o inimigo).

Como você a boicotaria?

Eu não veria os filmes. Não sou fã de Speed Racer, mas me recusei a ver depois que descobri que usaram macacos de verdade na filmagem. Macacos tirados do habitat nunca mais são inseridos, outros macacos não o reconhecem como tal e ele fica dependente a vida toda, sem contar que a maioria deles tem os dentes arrancados e outras atrocidades pra tornarem-se dóceis.

Eu não pago pra ver Garganta Profunda, eu sei a história real de quem o vídeo mostra. Eu não vou mais a zoológicos. Eu não vejo o Faccolli, que é um apresentador que fala com ódio sobre pitbulls.

E depois de quanto tempo você a perdoaria?

Só se "percebesse" que a "redenção" não era jogada de marketing.

Túlio disse...

Li em algum lugar que o Chris Brown deixou de concorrer a algum prêmio da música (que esqueci o nome) pq seus fãs fizeram estardalhaço pra que ele fosse retirado.


Pra falar a verdade, eu acho que sou meio parcial nesse sentido... pq hoje eu odeio o Chris Brown, mas não desgosto do Terrence (não sabia dessa história dele ter batido na esposa). Talvez o que mais me irritou no caso do Chris Brown foi que, depois de deixar a namorada toda machucada, ele foi visto na mesma semana andando de ski (?) nesses paraísos tipo Havaí. Todo posudo pros paparazzis. O mínimo que ele poderia fazer é se desculpar em público e reconhecer quão fdp foi.

L. M. de Souza disse...

eu não tô nem aí pro q os caras fazem ou deixem de fazer. bater em mulher é errado e pronto. não ligo se a amy bate em fotógrafos, ofende a lily allen ou usa o q quer que seja de ilícito, eu gosto da música dela. ponto. britney é uma que pode até dar os filhos pra adoção que não to nem aí, boicoto a música dela prq é ruim não prq ela, a pessoa é ruim.

Anônimo disse...

Sei que n tem nada a ver com o tema, mas estou curioso: Lola, tu pretendes escrever sobre os melhores filmes da década no fim do ano?

Anônimo disse...

Esse negócio é bastante complicado. Já pensei em não mais assistir peças ou programas do Miguel Falabella por causa do tom exageradamente preconceituoso de muitas de suas comédias. Mas não consegui boicotá-lo, pois curto o gênero besteirol e algumas de suas peças - televisivas ou teatrais - colaboram justamente para minar alguns preconceitos. Mas fiquei curiosa com relação ao boicote a blogs. Vc já deixou de visitar algum blog por alguma(s) opinião(s) emitida? Sou viciada em ler blogs dos mais variados estilos e propostas. Leio relatos de gays, feministas, escritores, comediantes, donas de casa, estudantes universitários etc. Mas quando alguns deles trazem 'posts' que descambam para o preconceito eu paro de visitá-los, embora muitas vezes morra de curiosidade para saber o que estão escrevendo. Sei que o meu sumiço não faz diferença para o autor, mas gosto de pensar que não estou contribuindo para elevar o seu "ibope". Há um blog de temática gay divertido e esteticamente atraente que parei de ler porque o seu autor adora fazer piadas grosseiras sobre pobres e negros, chamando de "macacos" as meninas e os meninos faveladas que frequentam as praias da zona sul carioca. Visitava também um blog de uma mulher da classe média paulistana, que dizia ter encontrado a liberdade por meio da escrita diária, até que ela escreveu um post afirmando que as mães pobres são as verdadeiras culpadas pelo fato de suas filhas se transformarem em "putinhas baratas". Acho tudo isso de uma crueldade sem tamanho.
Rosangela Garman

marjorierodrigues disse...

Lola, bom post. Essa coisa do boicote é algo em que eu também tenho pensado.

Masp osso fazer só uma observaçãozinha? Não acho nada legal publicar a foto do rosto da Rihanna com as marcas de agressão.

Porque essa foto "vazou" através de um site de celebridades, que conseguiu a imagem, óbvio, de alguém da polícia. Essa imagem foi divulgada internet afora SEM O CONSENTIMENTO da Rihanna.

E eu acho isso uma segunda agressão. O TMZ ter usado essa foto, sem pensar em como isso afetaria a Rihanna e todas as outras vítimas de violência doméstica, apenas para conseguir mais visitas e grana... Porra, é nojento, para dizer o mínimo.

Embora este blog não tenha o mesmo objetivo, acho que toda vez que alguém publica essa foto da Rihanna está a agredindo de novo. Porque ela tem o direito de não querer que os outros a vejam assim, num momento tão difícil e humilhante. Não importa que seja uma celebridade. Ainda é um ser humano e acho que a gente tem que ter essa sensibilidade.

Tem gente que publica essa fotos para "alertar" os outros de como a violência doméstica é ruim, etc. Mas, se a dona do rosto não consentiu em liberar a sua foto para este propósito, quem somos nós para tomarmos essa liberdade?

Ju R. disse...

um grande motivo pra não apenas boicotar mas também odiar uma celebridade seria esta defender o uso de peles de animais.

Raquel Portilho disse...

Eu também não gosto do Tom Cruise. Mas porque o acho irritante. E fiquei muito decepcionada ao saber que o Terrence defendeu o Chirs Brown...se você já agrediu sua parceira, fique quieto, não fale a respeito, sinta vergonha.

Eu tenho algumas cismas com celebridades. O Chirs Brown eu nunca gostei mesmo (sequer conheço direito). Mas esse povo do Cansei (tenho um ódio mortal de Ivete e cia)eu boicoto. Ah, e os caras conhecidos por bater/estuprar companheiras prostitutas e travestis (Dado Dolabella, o defunto da Susana Vieira, Gabriel Braga Nunes...). Esse não existem pra mim.

Mas tem uma história curiosa envolvendo futebol. Eu adoro futebol. E acho que muita gente sabe que existem MUITOS jogadores gays. O último a protagonizar um boato foi o Richarlyson, do São Paulo (podem acompanhar a história aqui http://globoesporte.globo.com/ESP/Noticia/Futebol/Sao_Paulo/0,,MUL86869-4286,00.html). E através de um amigo que trabalha na mídia esportiva, fiquei sabendo que quando o Richarlyson foi convidado pelo Fantástico a falar sobre o assunto e sair do armário, Rogério Ceni, o atleta mais asqueroso ever, deu uma prensa no cara, dizendo que ele iria "manchar" a camisa do time e grupo. Achei isso o fim. Rogério Ceni é alguém que eu não perdoo.

Beijos,

Raquel

Ana disse...

Dolores, celebridades tendem à notoriedade, o que tende à um dia elas serem odiadas, e depois amadas de novo, e aí odiadas mais uma vez, tudo isso bem rápido até serem esquecidas ou não tão lembradas como gostariam.

Abs

Marcos disse...

A primeira pessoa em quem eu pensei foi Picasso. O cara era um cafajeste com carteirinha, diploma e atestado. Mas se eu tivesse que resumir a história da arte ocidental em um nome, era ele. Fazer o quê?

Então, acho que é uma questão de pôr os pratos na balança. Roberto Carlos é legal, mas não tão legal que eu possa ignorar a censura à biografia dele. Zico foi Secretário de Esportes do governo Collor, mas o Zico pode. (Já o Ipojuca até fez uns filmes bacaninhas, mas foi tão desastroso como Secretário da Cultura e falou tanta bobagem depois que hoje eu me recuso a ver qualquer coisa dele).

Marx aprontou, teve um filho com a empregada, e tal. Mas ninguém no mundo deixa de ser marxista por isso. (Ok, aí a gente já está no campo das ideias. Mas no fundo não é a mesma coisa?)

Anônimo disse...

e o caetano, hein?
q a gente sabe q ganhou a virgindade da paula lavigne comopresente de aniversario de 40 anos... a gente faz o q???

Mel Savi disse...

Esse post tá excelente!!

Rocha disse...

eu boicoto a REGINA DUARTE ela pode votar em quem quiser mais tem que assumir e nao falar que ta com medo PEGOU MAL DEMAIS MUITO MAL

Mari Lee disse...

Bom, tem muitos artistas dos quais eu não gosto, por "n" motivos, e por isso não tenho vontade de ver/ouvir. Entre eles Hebe Camargo e Regina Duarte.
Mas não boicoto propositalmente, não.

Pensando a respeito, me incomoda essa mistura entre o trabalho que a pessoa faz e sua vida pessoal.
O trabalho de um bom ator não deixa de ser bom por ele ter cometido um crime, por exemplo. Mas ele tem que pagar pelo crime, claro.

Ninguém é perfeito.
Artistas têm visibilidade e espera-se que el@s sejam um exemplo de bom comportamento, mas todo mundo faz cagada de vez em quando.
Precisamos é colocar cada coisa em seu lugar, e ser capazes de dizer que admiramos uma pessoa por uma coisa ao mesmo tempo que a condenamos por outra.
(claro que é mais fácil falar, porque temos preconceitos, mas acho que é por aí)

Quanto à Xuxa, eu tinha discos dela quando era criança, mas não via o programa porque sempre acordei tarde e estava acabando.
Mas minha mãe, sempre que podia, via tv comigo e fazia críticas aos programas (por exemplo, às competições entre meninas e meninos), para que eu tivesse pensamento crítico em relação ao que via.

E quanto à Kate Moss e as drogas... bom, eu nunca dei a mínima para a Kate Moss, mas acho o CD do namorado na época (as imagens dela se drogado junto com ele foram feitas no estúdio onde ele gravava o álbum) ótimo - a banda chamava-se Libertines e o cara é Pete Doherty.
Dizem que a banda acabou pq os outros caras o expulsaram devido ao descontrole com as drogas.
Ironicamente, ninguém sabe o nome dos outros caras, mas o Pete Doherty continua fazendo sucesso...

Mari Lee disse...

Nossa!
Desculpem o tamanho do comentário anterior!