sábado, 26 de fevereiro de 2011

MINHA PRIMEIRA PALESTRA SOBRE FEMINISMO

Anteontem estive em Mossoró, Rio Grande do Norte, pra dar uma palestra. Mossoró é uma cidade charmosa com cerca de 300 mil habitantes, e fica quase no meio entre Fortaleza e Natal. É perto da divisa entre Ceará e Rio Grande do Norte. Pra minha surpresa, tem o maior PIB do RN, porque tem petróleo. É incrível o quanto quem vem de longe não sabe sobre o Nordeste. A gente até ouve falar das capitais, mas das cidades do interior, nada. E no entanto lá estão elas, lindas, arrumadas, e crescendo muito rapidamente, como todo o Nordeste. É um privilégio viver aqui e poder acompanhar ao vivo todas essas mudanças.
Mas por que fui pra lá? Porque o Allan Patrick, um dos comentaristas frequentes do blog, me convidou pra dar uma palestra lá. O Patrick é delegado da Receita Federal na cidade, e é uma dessas pessoas que eu já adorava mesmo antes de conhecer pessoalmente — ético, idealista, que quer mudar o mundo, quer fazer a sua parte. Pra homenagear o Dia Internacional da Mulher (que é dia 8 de março, mas este ano cai bem na terça de carnaval) ele decidiu, ao invés de fazer o convencional (você conhece, você confia: rosas, manicure pra todas, e cartões de “Parabéns por ser mulher” e “Você embeleza o mundo”), promover uma palestra feminista. E como ele lê meu blog faz tempo, e como a gente mora relativamente perto (dá 3 horas e pouco de carro entre Fortaleza e Mossoró), ele me convidou. E eu aceitei.
Talvez mais pra frente eu coloque mais ou menos um texto com a palestra, ou parte dela, por aqui. Por enquanto, o Patrick pos no seu blog um podcast com a palestra gravada, e também o powerpoint que apresentei (eles filmaram a palestra, mas demora um pouco pra edição e tal). Ficou meio brega, meu powerpoint. Usei uma rosa bem clarinha como pano de fundo pro slide. Pros slides que só tinham texto tudo bem, mas pros que tinham foto ficou esquisito pacas (sei que letra amarela é sempre ruim, mas eu e o maridão testamos todas as outras cores, e a amarela ficou melhor). Tive pouco tempo pra preparar. Em compensação, a palestra apresenta um monte de dados provando como falta muito pra gente ter igualdade de gêneros. Como eu gosto de estatística, vivo colecionando dados. Leio uma notícia e já guardo o link e escrevo uma ou duas frases sobre o que se trata. Mas claro que tava tudo uma bagunça antes da palestra. Agora tá tudo mais organizado. A ideia de publicar um texto aqui é também poder colocar os links pra todos esses dados.
Acho que consegui fazer uma boa introdução ao feminismo, mostrando por que ele ainda é importante, e como todo mundo (mulheres e homens) se beneficiaria se vivêssemos numa sociedade igualitária. Era um público leigo, e pra boa parte, imagino, algumas das coisas que falei devem ter sido absolutamente chocantes (se bem que pra mim pareçam banais). Ainda não sei ao certo como foram as reações, e espero que o Patrick me conte depois. Só sei que foi minha primeira palestra feminista, e que adorei a experiência. Eu tava um pouquinho receosa sobre o que dizer, mas pô, depois de mais de três anos fazendo um blog com essa temática, eu sabia que tinha material.
Adorei também conhecer a Daiany e a Luciana, que compareceram e participaram na palestra. Ambas são professoras universitárias, feministas, e atualmente vivem em Mossoró. E são uns amores. Mais tarde elas, e o Patrick, me levaram ao belo Memorial da Resistência, um museu que marca a passagem de Lampião e seu bando pela cidade. A principal igreja ainda tem as balas! E em junho a cidade organiza um evento musical em que reconstrói a batalha entre Lampião e os coronéis e moradores. Fiquei morrendo de vontade de ver, e a Lu ainda me deu um dvd com a montagem.
E depois do museu fomos a um lugar enorme, cheio de barzinhos, restaurantes e mesas na calçada. A quinta-feira inteira representou uma experiência super agradável, que pretendo repetir. E gente, eu amo o Nordeste.

22 comentários:

Carol Winchester disse...

Que chique!

DH disse...

Que pena que não deu pra ir, fiquei a tarde inteira no hospital e não deu pra sair.

Espero que a semente plantada naquele auditória cresça e mais pessoas tomem consciência das desigualdades dessa nossa suposta "sociedade democrática" (clichê, mas é bem isso mesmo).

P.s.: E perdi a chance de conhecer a Lola e assistir a uma grande palestra, snif. :(

Eduardo Marques disse...

Que legal, foi lá em Mossoró que eu nasci!

Não é por nada não, mas a primeira foto do post ficou horrivel BTW.

Joon Pearl disse...

Que legal Lola!Alguem gravou?Eu queria ver.Sei lá,hoje em dia todo mundo tem celular com camera,uma boa alma deve ter gravado.
Da proxima vez venha para ribeirão preto \o/.

Priscila disse...

q maneiro. coincidência que também fiz algo bem parecido onde trabalho, o IFMA, campus Imperatriz. trouxemos uma militante feminista da cidade pra compor mesa-redonda com um pesquisador de gênero e educação e a pedagoga da casa, que tem uma marcante atuação no movimento negro. foi uma experiência incrível, sobretudo pela platéia ser de estudantes de cursos técnicos, alguns de PROEJA, enfim. acho que nunca presenciaram algo parecido e espero que tenha sido plantado uma sementinha na cabeça deles.

=)

Dária disse...

Lolaaa, verei o vídeo da sua palestra assim que possível. Patrick já vinha falando tanto da sua visita a Mossoró que a noiva dele já tava enciumada hahah

Parabéns pela palestra! Certeza que você se saiu bem, tem uma bagagem de sobra, estou morrendo de inveja de não ter estado por lá ;)

Abraços!

Pedro @snoopy_xxx disse...

Parabéns Lola! Achei sua palestra ótima ,principalmente para quem deveria ser totalmente leigo ali no público. Foi muito bem explicada e tudo muito descontraído. Arrasou!

Kinna disse...

Lola, reparei na foto que você colocou do público da palestra, que as mulheres estão com uma linguagem corporal bem relaxada, descontraída, ao passo que os homens (em sua maioria) estão retraídos, de braços cruzados, passando a impressão de resistência. Essa imagem procede com a realidade?

Bárbara disse...

Amei a iniciativa, parabéns a vocês dois! Espero uma palestra sua aqui em São Paulo =)

Kinna, eu ia escrever a mesmíssima coisa que você: a maior parte dos homens estão de braços cruzados, resistentes ao que está sendo dito.

Dai disse...

Lola, foi muito legal e muito ousado falar de feminismo para um público misto e leigo. Realmente o Patrick está de parabéns. E você o fez super bem, desconstruiu preconceitos e convocou os homens para a luta. Não poderia ter gostado mais. Sem mencionar a alegria de conhecê-la. Curti muito, muito a sua companhia, sua doçura, gentileza e o senso de humor que me fez rir horrores. Um beijão e até breve, espero.

ps.: mandei as fotos para o Vitor, que ficou bem triste por não estar lá, mas o acalmei dizendo que ambas falamos (bem) dele também, dessa forma ele esteve presente. Risos.

ps2: agora vou pensar cá num jeito de te trazer para uma palestra ou mesa redonda na uern, quem sabe na semana de humanidades? hein? já estou empolgada aqui.

ps3: as fotos em que eu apareço - exceto essa com a lu - são da anna paula brito, estagiária de lá.

Carina Prates disse...

Olá Lola.

Parabéns pela iniciativa sua e do Patrick! Precisamos de mais iniciativas como essa para desconstruir essa corrente de ignorância que é a falsa democracia entre os gêneros que, assim como a famigerada democracia racial, apenas invisibiliza a nossa luta.

Também observei a mesma coisa que a Kinna, a postura de resistência de alguns homens da platéia. Fiquei curiosa em saber qual foi a reação do público, principalmente das mulheres presentes.

Um abraço e, de novo, parabéns! ^^

lola aronovich disse...

Oi, gente boa! Obrigada pelos parabéns e tal. Às que perguntaram sobre a reação dos homens, minha impressão foi boa. Os carinhas mais perto de mim não ficaram com essa postura de braços cruzados o tempo todo, não. Tinha uns 2 ou 3 que riam, faziam que sim com a cabeça, eu senti bastante receptividade. Esses inclusive vieram falar comigo depois da palestra e foram muito simpáticos. Agora, tinha um grupo de homens mais velhos, sentados bem atrás, e esses eu não garanto. Inclusive, no final, quando eu já tava respondendo algumas perguntas (não teve muitas, infelizmente), e falei que tem gente que acredita que o verdadeiro discriminado hoje em dia é o homem branco hétero, um desses lá atrás fez sinal de que estava aplaudindo, sabe? Sem som, mas batendo palmas? Aí eu perguntei: "O que, vc concorda com essa Escola Marcelo Dourado de pensamento?!" E o cara não disse nada. Havia tb algumas poucas mulheres de cara amarrada, mas vai saber, não conheço as pessoas, de repente essa é a cara delas sempre. Sei que teve muito aplauso no final, vários sorrisos e risos (quando eu fazia alguma piadinha) no meio da palestra, então eu achei que a receptividade em geral foi excelente. Mas deve ter gente que estranhou MUITO todo aquele papo!

lamayeshe disse...

Gostaria de uma resposta para o meu questionamento.

Koppe disse...

Deve ter sido muito legal. Fico na torcida para que um dia tenha uma palestra aqui no Rio Grande do Sul.

karina disse...

Muuuito legal. Parabéns. Só não curti o cartaz, com a tal da flor...

cronicasurbanas disse...

Parabéns, Lola, e parabéns ao Patrick pela iniciativa. Uma sugestão pra foto no Power Point: se você gostar mesmo de uma foto e quiser usá-la, você pode clareá-la antes, deixando-a quase como uma marca d'água. Assim não tem perigo de causar cansaço visual quando tem muitas outras coisas no slide.
abraço,
Mônica

Jamille disse...

Onde eu trabalho o pessoal da qualidade de vida no trabalho está organizando a festa do dia das mulheres. Minhas expectativas são baixas... aposto que vai ser o mesmo tricot do ano passado (curso de automaquiagem, uma palestra de auto-ajuda, etc.). Se você morasse em São Paulo acho que daria a sugestão de te chamar para um a palestra dessa...
O Brasil precisa de mais feminisno na vida da sociedade.

claudiamay disse...

Parabéns, Lola! Melhor iniciativa para o dia internacional da mulher. :D

Carol disse...

Lola.. Parabéns, mto boa a palestra. ouvi o mp3 e gostei bastante. Só estranehi uma coisa.. A sua voz.. ela é mto diferente da que eu escutava na minha cabeça enquanto lia os seus posts.. rsrsrs.. Enfim.. meus parabéns, se todas as comemorações de dia da mulher fossem assim seria mais fácil causar alguma mudança no mundo

Daní Montper disse...

Parabéns pela 1ª palestra feminista, Lola! Espero que venham outras.

Também adoro o Nordeste, ainda não tive o prazer de conhecer Mossoró, mas os locais que conheci me deixaram impressionada, principalmente pela simpatia das pessoas.

Também quero saber quais foram as reações, não deixe de comentar conosco, por favor. xD

Patrick disse...

Como muito bem observado nos comentários, embora o tema do feminismo fosse uma novidade para todos, a palestra foi muito bem compreendida pelas mulheres. Alguns homens ainda estão pensando e refletindo sobre tudo o que viram e ouviram. Demos um primeiro passo. Outros virão :).

LisAnaHD disse...

Lola, vc sabe que a primeira mulher prefeita no Brasil (e na América Latina) foi numa cidade no RN? O feminismo da mulher nordestina vem de longa data... que legal saber que foi no RN que vc deu sua primeira palestra sobre o feminismo! Bem, pra mim que vc já dava palestras de longa data...

Eu nutro um 'love affair' todo especial pela gente do Nordeste tb.