quarta-feira, 1 de junho de 2011

CQC ANTI-AMAMENTAÇÃO, VAI PRA PQP

Rafinha, que nunca viu um rocambole, engasga ao dizer mamaço

Eu não vejo CQC, mas leitoras me contaram da última do programa da Band em geral, e do Rafinha Bastos (que adora contar piadas sobre estupradores merecerem um abraço) em particular. Dá pra ver aqui. Raf começa lendo carta de uma leitora que lhe pede pra falar sobre o mamaço, a manifestação promovida em frente ao Itaú Cultural depois que uma mãe foi impedida de amamentar seu bebê em público. Note como ele diz mamaço, com a maior cara de asco. Não fica claro se seu nojo é pelo ato de amamentar ou pela audácia de pessoas protestarem. Ele exemplifica falando do beijaço, que seria “pra promover o beijo, sei lá”. É, é pedir demais que um carinha, numa concessão pública que é a TV, se informe minimamente antes de falar diante das câmeras. Beijaço não é pra promover beijo. É uma arma do povo LGBTTT para lutar contra a homofobia. Porque, assim como pessoas como Rafinha não aceitam ver uma mulher amamentar em público, também acham horrível um casal gay se beijar. Do jeito que Raf menciona beijaço e mamaço, ele deixa transparecer o que acha de protestos: ativistas são pessoas fúteis sem nada pra fazer na vida além de reclamar. Revolucionário e profundo é o CQC.
Reproduzo um pouquinho o diálogo. Raf: “Por que cargas d'água tem aquela mãe que enfia a teta nas caras das pessoas na rua, véio? Mano, vai prum banheiro, c*ralho, porque a gente olha, não tem como.
Joga um lencinho em cima,” diz um outro neandertal. “Às vezes dá até um constrangimento” [é, o constrangimento é deles! Não das mães com um cara babando em cima delas!]
Raf: “Não precisa tirar aquele mamilo, que mais parece uma, que parece um rocambole. [...] [Definição rafística pra mamaço:] Todo mundo lá mostrar as teta. [...] Não pode proibir, é um direito da pessoa [note que ele não diz “da mulher”], mas pô, dá uma protegida”.
Aí vem o outro energúmeno dizer que amamentar é um pretexto, porque no fundo o que a mulher quer mesmo é mostrar os seios. Claro, né? Afinal, a primeira coisa que tá na mente de toda mulher, inclusive as que estão com um bebê chorando nos braços, é atrair a atenção sexual do macho. É instinto! O problema, segundo o filósofo Rafinha Bastos, não é que a mulher queira se mostrar (isso pode na nossa sociedade! Imagina se não pudesse, a TV ia viver do quê? Só do talento de Rafinhas e Marcelos Tas?), “é que quem quer mostrar a teta é quem não deveria querer mostrar. Nunca é aquela gostosa. Geralmente é aquela mãe com aquelas buchibas”. E os três machos lamentam que nunca viram a Giselle Bundchen amamentar, apenas aquela mulher “que não precisa de um sutiã, precisa de joelheira”.
Essa conversa entre compadres tão moderninhos me revolta, porque é difícil ver três marmanjos do alto do seu privilégio falar de um assunto que não lhes diz respeito. Sabe como tem muita gente que acha que homem não deve dar pitaco sobre aborto? (e ainda assim 77% de quem comanda as campanhas anti-aborto são homens). Então. Também não deve se meter em amamentação. Porque homem não entende de amamentação. Pra entender, teria que parar de pensar com o pênis e pensar um tiquinho com a cabeça. Toda a questão é que seios não são apenas órgãos sexuais, assim como mulheres não são objetos sexuais. Mulheres existem independentemente do que os homens acham delas. Seios existem, independente do que os homens acham deles. A atitude do CQC deixa claro, em cada linha, que mulheres e seus seios deveriam ter apenas um propósito na vida: servir aos homens.
Tenho certeza que Rafinha pensa assim. Aquilo não é um personagem, é ele mesmo, seus pensamentos. Esse pessoal tem muito em comum com o Bolsonaro. É toda uma maneira fascista/mimada de ver a vida, de achar que algo que não os serve não serve pra nada. Mas não são apenas os reaças que pensam assim. Lembro quando vivia em Detroit e vi o Bill Maher, que nos EUA é tido como liberal, discursar longos minutos contra amamentação em público (veja aqui, é de 2007). Ele acha que mulheres que amamentam em público são preguiçosas, porque não planejam com antecedência quando o bebê terá fome. E ridiculariza as queixas das ativistas: “Não é lutar por um direito, é lutar pelos holofotes. Pare de se achar especial porque você teve um bebê. É algo que um cachorro pode fazer”. E, óbvio dos óbvios, compara amamentar com se masturbar. Todo mundo que é contra amamentar em público fala uma asneira dessas, e nem fica vermelho. As pessoas se masturbam (e, por algum motivo estranho, parece que apenas os homens têm vontade de se mastubar em público, geralmente na frente de alguma menina indo pra escola) para obter prazer pra elas mesmas. Amamentar, embora possa ser um ato prazeroso, é alimentar um outro ser, inclusive um ser indefeso, que depende da mãe (ou ao menos de um adulto) pra sobreviver.
Como há inúmeros estudos provando que amamentar é melhor pro bebê, já que leite materno é feito especialmente pro bebê humano, e por isso o protege contra doenças, essas cretinices que alguns homens dizem não condenam a amamentação como um todo, apenas a amamentação em público. Mas dá na mesma. Pregar que uma mulher não pode amamentar em público equivale a dizer que ela não deve sair de casa, que ela deve viver pro bebê, deixar de trabalhar e de curtir a vida pra unicamente servir ao bebê. E isso por quê? Ah, porque homens são seres que não conseguem se controlar ao ver um peito de fora (quem diz isso são eles, não eu!). Mulheres devem deixar de vestir certas roupas e de amamentar porque homens são tarados. Quer dizer, os homens é que têm um problema, e a mulher é quem deve resolvê-lo, abdicando da sua liberdade.
Porque olha, não são as mulheres que têm problemas com mamilos. São os homens. E não me venha com essa de que, imagina, homem hétero adora mamilo de mulher! Primeiro que homens mal reconhecem que eles têm mamilos! É zona erógena pra homem hétero também, sabia? Lembra de todo o carnaval feito em cima da armadura com mamilos de um Batman aí? (escrevi sobre isso). Quem armou todo o auê, homens ou mulheres? Eu me recordo de quando algumas mulheres, no início da década de 80, quiseram fazer topless em praias cariocas. Elas quase foram linchadas. Precisaram de escolta policial pra sair. Quem quase linchou? Homens ou mulheres? Eu nunca ouvi um homem dizer “Ué, não teria problema algum se as mulheres saíssem sem roupa” sem o adendo “mas só as gostosas, mulher feia nem deveria poder ir à praia”. Então não estamos falando de liberdade, né? Estamos falando de homens ditarem pras mulheres quando, quem e onde elas podem fazer o quê com o corpo delas.
A ofensiva contra a amamentação em público é uma coisa recente, iniciada nos EUA. Não existia com tanta força até poucos anos. Agora se alastrou, e como adoramos importar o que não presta dos países desenvolvidos ( o que não presta, como algemar criminosos), importamos mais esta barbaridade pro Brasil. Tá se alastrando. Precisamos lutar contra mais essa barbárie.
Os machos do CQC terminam com outro exemplo de como a anatomia feminina é asquerosa, principalmente quando não está a serviço de sua função primordial (satisfazer o homem). Um deles fala de uma tia que mostrou o vídeo do parto. Eles quase vomitam ao mencionarem vaginas gigantes e sangrentas. Ahn, dica. Gente, tem um nome pra quem diz que anatomia feminina é nojenta, algo do qual as mulheres deveriam se envergonhar: misógino. O substantivo é misoginia. Vocês devem ter ouvido falar. Afinal, é isso que vocês fazem pra viver.
Aprendam, homens: seios têm mais finalidades que vender cerveja.
Leia Liberdade relativa: Marcelo Tas quer me processar.

632 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 400 de 632   Recentes›   Mais recentes»
Patrícia disse...

Nossa, eu concordo com a Fernanda...acho até anti-higiênico ficar amamentando assim, com o peito de fora, tudo à mostra. Pára, né? Tem que ser liberado amamentar onde a mulher quiser, mas acho que um pouco de noção é bom..
Homem é tudo idiota sim, e isso não vai mudar. Então se a gente sabe q eles olham com outras intenções, pq vou ficar me expondo? Qual é o problema de colocar uma fraldinha de leve, em cima?
Afff, que perda de tempo para uma coisa com uma solução tão simples??

Angélica disse...

Gente, gente! Todo post da Lola gera discussão, mas esse aqui tá um trem de doido!

Já teve "o politicamente correto é bobo, feio e cabeça de melão", já teve "vão viver suas vidas, levem as coisas menos a sério e usem filtro soltar", já teve "eles fazem humor e podem até arrancar a minha cabeça se isso for engraçado que eu também vou rir", já teve até ameaça de processo, olha só!

Tá um festival de humor involuntário, mas pra mim o comentário mais engraçado até agora foi:

"Se o pessoal quer jornalismo sério, é só assistir Jornal Nacional!"

SOCORRO!!!!!

sandra disse...

Olha Lola, não é fácil.
O que faz com que Marcelo Tas e outros tantos, ao se deparar com críticas bem fundamentadas (como a sua), se revoltem e ameacem com processos, é que isso faz com que eles mesmos repensem e cheguem à conclusão de que são mesmo trogloditas na sua maneira de pensar, e pior, que muitas pessoas também os acham, e pior ainda, que outras pessoas que assistiram esse programa e os viram tentando extrair graça desse assunto e na hora não acharam nada demais, também repensem e vejam o quanto esse tipo de comunicador é dispensável.
Bjs Lola

Ana Paula Vasconcelos disse...

"afinal de contas, alguém aqui acha q jornais, telejornais e revistas deveriam perder tempo publicando uma idéia tão estúpida?"

Desculpe, Pedro Paulo, mas fiquei na dúvida...

A idéia estúpida é discutir um assunto de Saúde Pública que é a amamentação? ou é estúpido amamentar em locais públicos? Ou o q é estúpido é querer proibir/privar mãe e bebê da amamentação em locais públicos?

Só pra esclarecer, sem ofensas. é que fiquei na dúvida, mesmo, do q quiseste dizer.. se não puder ou não quiser esclarecer, tudo bem..

abraços

Lorena disse...

Como é que amamentar em público é anti-higiênico, gente?? qual a diferença de oferecer o peito no shopping ou sentada no sofá da sala?? O ambiente de casa é esterelizado, assim o peito não pega germes??

E o que a "fraldinha" tem a ver com a higiene?

Gizelli Sousa disse...

Tudo o que eu queria era dar um abraço na Lola e dizer que torço por ela. Só isso.

Emerson Lopes disse...

Sempre achei uma cena tão bonita uma mãe amamentando seu filho.Não entendo como tem quem se incomode com isso.

Um homem que fica com "nojinho" de ver mulher amamentando na rua deve ser um frescão do pior tipo! E os que se excitam com isso devem ser tarados, só pode...rs.

Isabel disse...

Angélica, fui eu quem falou do "politicamente correto feio e bobo", eu estava sendo irônica, ok? :P

Turma A 2008 disse...

Estou pasma!
Esse Tas ainda querendo tirar a culpa!
Nossa, esse cara é um BOSTA né?!
O Rafinha é outro BOSTA!

Que vergonha...

Texto sensacional!! ;D

Festa da Firma disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Festa da Firma disse...

Essa Lola só pode ser doente! É isso mesmo? Um blog FEMINISTA? Jamais pensei ver isso em 2011! Coisa mais ultrapassada! De onde você tirou a ideia de que mulher é minoria? Eu não sou minoria, tô aqui lutando de igual pra igual com um bando de marmanjos. Mulheres são diferentes de homens, só isso!
Quanto texto idiota nesse blog: não fale por mulheres, eu não me identifico com nenhuma dessa ideias, nunca li tanta besteira em um mesmo lugar. Não fale por mim!
Ser feminista é tão nojento quanto ser machista! Você acha que vai continuar rotulando o sexo feminino de minoria por muito tempo? Enquanto você está aí brigando com o mundo, tem muita mulher, que ao contrário de você, está trabalhando efetivamente por respeito, com atos, mostrando capacidade e competência para deixar de ser tratada como minoria!!
Eu não sou contra o ativismo, quando são legítimos!! Sabia que tem causas mais urgentes? O CQC é programa de humor, pra quê dar um tom tão sério a uma conversa fiada, conversa de homem!! Mulher também faz isso, estamos sempre ridicularizando homens por suas diferenças.
Se quiser ser feminista, não condene o machismo... sua causa é exatamente igual!!

Luiza, 27 anos

Roy disse...

"mas que a piada (sem graça) tá validando a atitude de proibirem uma mulher de amamentar seu filho. e isso, se não é criminoso, é de um mau gosto atroz."

hahahah Quero ver se as mulheres, por causa do CQC, deixarao de amamenter em publico. Aqui nos EUA ninguem deixou de amamentar em publico mesmo com o Bill Maher. :-)


Isso tem nome, hem? (neurose, Freud, machistao, explica).

Roberta disse...

Fernanda,que piada desrespeitosa que eu fiz?

Evil Magus disse...

O CQC deixou de ser engraçado para ser ridículo faz bastante tempo. Não existe cena mais linda que uma mulher amamentando, e um imbecil desses vem dizer uma asneira dessas.

Roy disse...

Otavio:

"O Rafinha faz stand-up comedy, e a sátira eh um das coisas mais engraçadas do humor, são as piadas de humor negro, essas que são realmente engraçadas.

Se você já foi num show dele, ele já defendeu a amamentação e o quanto é dolorido esse processo pra mulher, até elogiou a mulher dele em público.

Quer ler piadas sem graça, lê as piadas da Reader Digest."

CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP

Hoje perguntei a uma amiga do que ela ria, e ela disse: "comedia romantica americana." hahahahaha

Meu... aiaiaiaia

Ana Recalde disse...

Eu fiquei simplesmente horrorizada!! Cara, sério!! Estão dizendo o seguinte "queremos que vcs amammentem nossos filhos, que cuidem das crianças para que elas sejam saudáveis, mas não faça esse seu "trabalho sujo" na minha frente, mulher imunda!"

Sério, me senti muito ofendida!! Ainda bem que não assisto a essa merda, nem nunca assiti!!

Desculpa o palavrão, mas assim não dá!!

Os caras querem acabar com 20 anos de campanha de amamentação? Cadê o ministério público, saúde?

Enfim... sem mais, estou muito puta e vou acabar apenas xingando e sem contribuir pra discussão...

Angélica disse...

Isabel, no seu caso sim, eu entendi. =D

Mas teve N pessoas aqui (e em outros posts) falando mal do politicamente correto sem nem saber o que é isso, assim como a maioria das pessoas que critica o feminismo não faz ideia do que se trata, como se estivéssemos numa eterna gincana de meninos x meninas.

Gizelli Sousa disse...

Festa da firma, se você luta de igual para igual com um homem, você é feminista. Só não sabe disso. O feminismo, diferentemente do machismo é a luta por uma sociedade igualitária. Não é um movimento sexista, é igualitário. Infelizmente, o machismo vigente apregoa por aí que o feminismo é sexista, mas um pouquinho de informação desmente isso em segundos. Abs.

Natália disse...

O Tas passou o vídeo inteiro rindo e quer dizer que não concorda com o q os outros falaram? E, pra defender a liberdade de expressão, ele quer processar uma BLOGUEIRA!? Faz tempo q ele mostra q é ridículo, mas eu sempre me surpreendo com o tanto!

Gizelli Sousa disse...

Roberta, creio que a autora da piada sou eu. A Fernanda é que NÃO ENTENDEU a minha piada, não entendeu nem que eu sou a autora.

Lêmure disse...

pra mim MAMILOS NÃO SÃO POLÊMICOS! use-os do jeito que quiser.

Ana Paula Vasconcelos disse...

"Sabia que tem causas mais urgentes?"

euripracarai!!

Saúde Pública SEMPRE vai ser urgente!! E amamentação é quetão de saúde pública..

"Doente"...hehe.. Se a pessoa expressa sua opinião em blog pq não tem maiores recursos, é doente; mas se é "artista famoso", é liberdade de expressão!!

Engraçado que a Lola ofender os caras tá errado, mas ofender a Lola é correto?

Bah! É só gente querendo atenção, Lola.. puro trauma de infância, pq quando era pequeno e pedia o seio da mãe, a elegante senhora o ignorava completamente para atender aos caprichos dos marmanjões que se sentem intimidados com o poder do corpo da mulher...

Sol Hoffmann disse...

Tenho 52 anos e uma filha de 24, qdo ela era um bebê, amamentei a minha filha sempre que ela sentia fome, podia ser em casa, na rua, no shoping, restaurante enfim em qq lugar, pq naquele momento eu estava sendo MÃE e não uma mulher que quer exibir os seios em público. Pq então se proíbe as vestimentas das "mulheres frutas", ou os vídeos de uma fanqueira enfiando um celular no rego e pedindo para os homens tirarem?Se um ato de amor como amamentar é ridicularizado por esses misóginos, imagino o respeito que els tem pelas esposas.

Debora Regina disse...

Ai Lola, quer dizer que o Tas ficou putinho e ameaçou processá-la. Mas eles não são os grande defesores da "liberdade de expressão". Quer dizer que só eles querem ter "liberdade" para falarem os absurdos que quiserem e a gente não pode sequer mandá-los para a PQP??? Ácho que quem está merecendo um bom processo são eles, né não?

Pentacúspide disse...

um dia talvez compreendam o que é humor. mas até lá, vou dicar: o humor é humor, tentem aprender isso, o humor consegue sê-lo porque não faz parte do normal. Dizer: a água é composto por hidrogénio e oxigénio não fará rir a ninguém numa aula de química, mas talvez tenha feito rir os colegas do primeiro cientista que o disse. Eu sei lá quem são os autores do CQC, mas é extremismo marcar limites do que se deve e não deve rir e de como se deve fazer piadas. Se eu estiver num programa onde deva fazer piada e perguntarem-me o que acho que é uma trovoada, acham que eu vou responder que é o choque de ventos e blá-blá-blá, física e blá? Claro que não, vou responder que é o Deus a peidar, ou os gordos a rolarem no espeto no inferno, ou qualquer coisa mais absurda que que possa fazer rir os outros, porque o que preciso é que os outros riam. Eu já andei também por stand-up comdedy e sei que o non-sense é o que mais desperta o riso, e jogamos todos os trunfos para conseguir o riso, porque não há nada mais golpeante para um comediante do que uma piada seca.

Cíntia Barenho disse...

texto e análise ótima!!
toda a minha solidariedade feminista contra esses machistas

Adriana disse...

Oi Lola, excelente post, como sempre! Gostei muito da forma como você organizou os argumentos, dissecando o machismo e a misoginia na fala desses infelizes.
E a atitude do Marcelo Tas ameaçando processo é patética. Esse babaca acha que direito de expressao so vale pra ele e os neandertais que ele comanda? O coleguinha dele pode incitar o estupro, ele pode falar o tanto de merda que der na telha dele, e ninguém pode criticar? Inacreditavel.
No fim do video, alias, o Marcelo Tas compara uma vagina a um "tubo infecto". Ele também vai vir com mimimi de processo se a gente chama-lo de misogino? Que nojo dessa figurinha.

Eriquitas disse...

LOLA, TE AMO!
CQC ODEIO DESDE SEMPRE.
BORA DIVULGAR!

Flavinha disse...

Cheguei ao seu blog através da Mari (http://contosmamaepolvo.blogspot.com) e simplesmente adorei!
Tenho falado muito sobre misoginia no meu blog e com pessoas próximas na tentativa de alertá-las para essa ideologia absurda que vem ganhando muita força entre a juventude de hoje.
Muito boa sua abordagem dentro do conceito do CQC.

lola aronovich disse...

Num dia em que fui até ameaçada de processo (tô escrevendo sobre isso e publicarei o texto amanhã), só a Angélica pra me fazer rir. Adorei seu comentário:

"Gente, gente! Todo post da Lola gera discussão, mas esse aqui tá um trem de doido!

Já teve 'o politicamente correto é bobo, feio e cabeça de melão', já teve 'vão viver suas vidas, levem as coisas menos a sério e usem filtro soltar', já teve 'eles fazem humor e podem até arrancar a minha cabeça se isso for engraçado que eu também vou rir', já teve até ameaça de processo, olha só!

Tá um festival de humor involuntário, mas pra mim o comentário mais engraçado até agora foi:

'Se o pessoal quer jornalismo sério, é só assistir Jornal Nacional!'

SOCORRO!!!!!"

Hahahahahahaha! Quer dizer, só a Angélica e a Fernanda, a dona desta pérola, pra me fazerem rir. Confesso que quando li sobre o jornalismo sério do JN, eu quase bati a cabeça na mesa.

Fernanda, como é lindo todo mundo expondo sua opinião, debatendo, dizendo o que pensa... exceto quando uma dessas pessoas diz pra outra "vou te processar". Aí, sei lá, perde um pouco da beleza, não acha?

Mariana Passaglia disse...

Depois dessa troca de e-mails estou totalmente convencuida de que o MARCELO TAS ficou com medinho de perder sua coluna na revista Crescer. Ia ser ótimo se isso acontecesse porque ficou muito claro no video que ele ficou em cima do muro ao invés de defender a amamentação em público (se ele respeita e acha legal mesmo). Deveria ter defendido. Teve a oportunidade e não fez...deu risada consentindo as besteiras que os outros dois disseram. Na minha opinião perdeu qualquer propriedade pra falar de cuidar de filho numa revista com esse seguimento. E digo mais: me pareceu que ficou com medo de expor sua opinião no blog da Lola... por que tanto medo de se comprometer, Tas? As vezes a gente tem que tomar partido na vida e assumir as consequencias, prof. Tiburcio!

Pentacúspide disse...

e fazer piada com deus ou com o inferno significaria que acredito em deus ou no inferno?

Roy disse...

Lei de bando contra a Fernanda mesmo... Realmente, desilusao total com isso aqui. Baccio

Republica Oficina disse...

Foi impressionante seu discurso, parabéns pela ousadia.

Rita Colaço Brasil disse...

Tenho 51 anos e jamais acreditei possível essa cena - censura, nojo, repúdio à amamentação em público.

Li isso aos 10, 11 anos de idade, no ADMIRÁVEL MUNDO NOVO, livro escrito por Aldous Huxley.

Patético!

Roy disse...

Lola, quando que a Fernanda falou que o processo era engracado... Acho que perdi essa parte... Sei la...

Ta vendo? Sensibilidade extrema gera mesmo histeria. Mil comentarios aqui falando mal de todos os homens, e ai da pessoa que quiser contradizer a santidade da amamentacao (ironia).

De todos os modos, como disse Kathy Griffin, ser boicotado por certos grupos (ou o que ela chama de uma porcao infima de membros desse grupo), e uma medalha de honra para um comediante.

ourweddingnight disse...

Thais, não é pq eu AINDA não amamentei que não tenho o direito de opinar... se vai sair e sabe que vai amamentar, leva um paninho... não é por concordar com o machismo, nem por timidez, mas exatamente por repudiar os pré-históricos que vem os seios de uma mãe como apenas um objeto de desejo sexual e não conseguem separar seus instintos das cavernas da realidade materna.

Ártemis disse...

Lola, é calúnia, é?

A gente pode processar por preconceito/misogenia? Machismo?

Ou isso ainda não é crime?

Quédizê que carinha é MODERADOR da bagaça e não se responsabiliza pelo que sua equipe fala no programa do lado dele, ao vivo.

Sei.

Lord Anderson disse...

Roy.

Engraçado, não vi ninguem falando mal de todos os homens.

Apenas dos machistas que se sentem no direito de querer controlar até o momento em que uma mãe amamenta o filho.

Bárbara disse...

Muito bom o texto!
Fiquei pensando que ainda é muita generosidade nossa querer só amamentar em público. Eu morro de raiva toda vez que está quente, algum cara tira a camisa e eu lembro que não posso fazer o mesmo. Devia acabar com essa bobagem de peito ser uma coisa a se esconder é em todas as situações.

Déborah Gérbera disse...

Flor, mandou muitíssimo bem! Colocou tudo de uma forma muito clara e inteligente, suas palavras fazem parte de meus pensamentos e sou atacada por homens e também por mulheres por causa deles. Fui bem criticada em meu blog por criticar a manifestação ridícula dos CQC e mais uma vez me surpreende que foram de mulheres! Reforço o coro: vai pra PQP!
Parabéns pelo texto, se precisar de uma força pra qq coisa é só dizer!

ANDRÉA VIEIRA disse...

Está na hora de reagirmos às agressões desses apresentadores imbecis. Sugiro um boicote: vejam os patrocinadores do CQC e parem de comprar os produtos. Avisem as empresas pelo twitter e por e-mail. O Danilo Gentile já se lascou por falta de patrocínio por conta das bobagens que fala...

Antônio Soares disse...

Parabens pelo texto. Li no seu twitter que o MTas ameaça te processar. Conte comigo. Não consigo fazer um texto desses, mas se precisar participo do rateio do advogado. Beijo ;)

Diogo S. disse...

Para bom entendor meia palavra basta, Marcelo Tas ASSUME claramente que o programa foi Misógino mas ele não.
Parabéns Tas. Conivente com Nazistas, homofóbicos, misóginos. Mas nunca é com ele. Nunca é com você né Tas. São sempre as pessoas do seu lado.

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme disse...

Mais uma tempestade em um copo d'água, como quase tudo que é publicado neste blog.
Fazer algumas piadas em relação à amamentação em público é diferente de ser contra a amamentação em público.
Uma grande virtude é não se levar tão a sério e saber rir de si mesmo, característica que não parece ser bem difundida por estas bandas.
Em nenhum momento os três CQCs se posicionaram peremptoriamente contra a amentação em público como algum desavisado poderia acreditar lendo o seu texto. Os apresentadores fizeram comentários jocosos e ofensivos sim, mas deixaram bastante claro que mesmo que se sintam incomodados, não são contra a amentação em público e que é um direito. Disseram isso com todas as letras. Se você estiver com dúvida reveja o vídeo. Interpretação de texto básica.

Somnia Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Somnia Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Valéria disse...

O Brasil não tem bons programas de humor.E sempre investem numa coisa bem machista, e não venha me dizer q o CQC não é. Aquela garota lá não é nada no programa, ela é meio q um enfeitizinho, algo colocado para que parassem de encher o saco com a mesma pergunta do CQC não ter mulher. Eu lembro que na época eu queria que tivesse mulher no tal programa, porque achava um absurdo 7 homens. Fui chamada de lésbica por isso. Sempre tive a impressão que eles pensam q mulher não tem senso de humor.

Fico pensando se as mães deles não os amamentavam em público, se elas iam ao banheiro dar mama aos respectivos filhos.
Eles acham q liberdade é libertinagem!
A mulher quando amamenta não tá lá mostrando os seios como em revistas masculinas. Elas estão ali alimentando o filho.
Olha, nem no século 18 os caras pensavam assim.
"Ah, vcs levam tudo a sério." Eles que fizeram piada com um assunto sério.

Somnia Carvalho disse...

Sabe uma coisa que nao combina, mas gente idiota assim nao percebe? Normalmente ira abrir a boca para falar como somos primitivas amamentando em publico, coisa de gente atrasada. Os mesmos quadrupedes irao dizer que precisamos seguir exemplos de gente civilizada, mas a verdade e que nao conhece nada de pais civilizado, de primeiro mundo. E nao to falando em primeiro mundo em consumo.

Putz! e pensar que a gente as vezes eu ainda tenho fe na humanidade.. .

falei disso dias atras e comparei como me senti na primeira e na segunda amamentacao, na suecia e no brasil... sem comparacoes! infelizmente beijos Lolinha

Fernanda disse...

Algumas pessoas citaram meu nome aqui nos comentários, mas minha resposta pra geral é que acho que se resolve muito mais os problemas com sucesso no bom humor do que nessa radicalização! Sou á favor de muitas coisas, incluindo a amamentação em público, se eu quiser cobrir os seios, SE DER tempo de cobrir ou não, isso só tem á ver comigo, faço como quiser, todos poderiam pensar dessa forma, ia ser tão mais fácil...rs viva a sinceridade, liberdade de expressão e suas consequências! E pra terminar meu mundo virtual de hj e indo viver a vida real, cito agora o que li e concordei no twitter @Xurras: "Estamos vivendo na retrospectividade, estamos andando pra trás, estamos levando tudo e todos para o que era antes. LIBERDADE POR FAVOR!"

Somnia Carvalho disse...

tinha falado do post, mas nao escrevi o link,
http://borboletapequeninanasuecia.blogspot.com/2011/05/na-suecia-tambem-nao-tem-problema-de.html

amymuh disse...

Que texto maravilhoso. Sem mais. Disse tudo. Esses homens têm que aprender que não vivemos para satisfazê-los. Adorei o blog, voltarei mais vezes. Você escreve muito bem!

Marco Calavera disse...

Lola, eu entedi o intuito do seu texto e concordo com ele. Mas tome cuidado da forma com que você escreve, porque ficou dirigido para todos os homens. Fica parecendo que você tem ravia dos homens (o que, por sinal, se chama filogenia).
Tá, quem tem bom senso percebe que não se trata disso, mas não cai bem para o politicamente correto. Cuja importância você defendeu no outro post sobre o Rafinha Bastos.

Mas...acho engraçado essa coisa de não poder amamentar em público, agora. Quando eu era criaça, minha mãe me explicou que não era feio mostrar o seio se a mulher estivesse amamentando. E, de fato, todas as mães faziam isso. Acho que querer impedir isso é um tipo de conservadorismo que simplesmente nunca exististiu (se é que isso é possível)! Se bobiar, logo inventam leite Longa Vida pronto para dar para o bebê, aí todo mundo passa a considerar natural proibir a amamentação em público.

Angélica disse...

Pois é, Marco. Os mais velhos parecem menos conservadores que nós, jovens "cabeça aberta", em pleno século XXI...

Contei essa história pra minha mãe e ela ficou horrorizada de polemizarem com uma coisa tão natural.

Disse inclusive, quando eu comentei que teria um pouco de vergonha de pôr o peito pra fora, que quando eu for mãe vou ter menos pudor, porque as prioridades mudam quando se tem filhos.

Carina Prates disse...

Pelo que eu estou entendendo, humor só é humor quando ataca grupos historicamente oprimidos e ridicularizados.
Já perguntei: cadê as piadas de homens brancos, heterossexuais e ricos pra eu rir tb? Ah, não tem? Por que será? Será que é pq os caras do CQC correspondem a essa descrição e fazem parte do "padrão"da sociedade? Sabem, essas pessoas que são bem representadas nos meios de comunicação... Ué, então pelo que parece, esse tipo de humor que vemos é para legitimar sim preconceitos e o status quo. Por que eu não vejo piadas que ataquem a anatomia masculina? (a não ser que seja dos homens não brancos, ou seja, fora do padrão vigente, como o japa de pinto pequeno). Por que a piada da loira burra é só contra A loirA? . Se o humor fosse realmente democrático, não haveria motivo pra se ofender, porque atacaria a todos indistintamente.Mas não é o caso. Escolhe grupo cuidadosamente escolhidos como alvo. Pensem, gente.

Fefa Nagaishi disse...

não sou mãe ainda mas irei amamentar quando e a onde quiser não tem essa de horário criança não tem relogio é ridículo... e para os machistas de plantão faz um favor para de coçar o saco na frente de todos isso sim é nojento...

Carina Prates disse...

Tirar o pinto todo pra fora, pra mijar na rua, blz. Agora, tirar o peito pra dar de mamar a uma criança que tá com fome é nojento? Que porra de sociedade é essa?

Letícia Rodrigues disse...

Pelo o que eu entendi do post da Lola, um mamaço se fez necessário pq uma mãe foi impedida de amamentar no Itau Cultural. Então não dá pra dizer que quem é a favor da amamentação em publico não precisa se manifestar, que a mãe que quiser amamentar no ônibus que amamente. Defender o direito se faz necessário.
E o humor é só mais uma forma de defender o que se acredita, e não um veículo para se falar qualquer bobagem sem ser questionado ou criticado.
Interpretação é algo subjetivo, pelo visto tem gente que entendeu que o trio do CQC estava ironizando o preconceito, e não sendo preconceituoso. Pra mim eles estavam, no mínimo, diminuindo a importância do mamaço e do beijaço, ou seja, podem não ser contra, mas não acham que seja importante, e isso já é assumir posição.
E não estou entendendo quem acusa a Lola e alguns comentaristas de quererem censura. Ninguém aqui quer censurar nada, estamos apenas exercendo nossa liberdade de expressão para discordar e criticar.

Barbara disse...

Eu não amamentaria na rua porque sou nojentinha (claro que não tenho filho e não sei como é etc). Eu fico um pouco incomodada sim com as mulheres tirando o peito pra fora da roupa em qualquer lugar e dando pra criança, mas ISSO É PROBLEMA MEU. A mulher tá no seu direito. Quem ficar constrangido, que não olhe. Cara, se um homem fica excitado ou não consegue deixar de olhar sexualmente o peito de uma mulher com uma criança pendurada nele mamando, ele é muito doente e merece terapia.

Dj Marcelo Rodrigues disse...

Parabéns pelo Texto. Ainda não sou pai, mas quando for, darei total apoio para minha mulher amamentar a hora que quiser.

Gostava do CQC , mas tem muito tempo que não vejo pois acho que já perdeu a graça para mim.

Não compartilho da idéia que pode tudo na TV só porque é humor. Isso é ridículo. Tão ridículo quando essa piada sobre amamentação.

Mais uma vez parabéns pelo seu texto.

Abraço

Marcelo Rodrigues.

Mary Goes disse...

Parabéns Lola!! Já divulguei o seu texto.
Abração,
Mara

taty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
taty disse...

Lola, não sei se você está certa quanto a achar que esse posicionamento masculino é porque os homens acham que "peitos e mulheres só servem para servir os homens". Acredito que este posicionamento masculino é por puro DESPEITO (o trocadilho caiu muito bem aqui.....rsrsrsrsrsrsrs...).
É despeito dos homens por não poderem amamentar.
É despeito dos homens por não poderem parir.
Olha bem esta frase que você citou do Bill Maher: "Não é lutar por um direito, é lutar pelos holofotes. Pare de se achar especial porque você teve um bebê. É algo que um cachorro pode fazer."
Veja só: "pare de se achar especial". Aqui está claro que ele acha as mulheres especiais. E ainda: "algo que até um cachorro pode fazer". Na verdade, é algo que uma cadela pode, mas um homem não.
É tão clara a tentativa de desdém de algo que ele não pode fazer. Puro despeito!
Sabe toda aquela história do Freud, da inveja do falo, da castração? Então, é mais uma historinha pra esconder a verdadeira inveja, a verdadeira castração: a inveja dos homens e a castração sofrida por estes: a falta de um útero.
Bjs!

Letícia Rodrigues disse...

Lola, vc tem certeza que foi o Tas que te mandou esse e-mail ameaçando te processar? Não pode ter sido alguém se passando por ele?

Joel Bueno disse...

Eu devia ter feito como o Paulo Francis (a respeito de um filme) e simplesmente declarar: não vi e não gostei. Mas eu resolvi ver o programa. Aguentei talvez uns 5 minutos. Acho que nem tanto.

É um programa estúpido, grosseiro, preconceituoso e principalmente - sem a menor graça. Não entendo por que causa tanta polêmica - aqui, no Twitter, em tudo quanto é lugar.

Sou contra qualquer censura e acho que não existe tema "sagrado". Pode-se fazer humor com qualquer coisa. Mas precisa de inteligência. Humor burro não existe.

Ultimamente, a Lola vem gastando muita vela de boa cera com defuntos da pior qualidade.

conradopreto disse...

Escreva Lola, escreva!
...e ele que talvez se julgue à frente do seu tempo ou equiparado à ele. Seu texto Lola é lucido e expõe ao meu ver tão somente um ponto de vista com uma boa argumentação. Talvez seja um processo (ou a ameaça de um) o que reste ao marcelinho quando seus próprios argumentos lhe faltam. Tentar uma censura legalizada é um golpe baixo marcelinho e a ameaça por si é um ato covarde.

ful4no disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ful4no disse...

Ótimo... radicalismo sendo combatido com radicalismo... tudo o que precisamos.

Barbara disse...

Quanto à ideia de por um paninho em cima para resguardar, eu acho estúpido, sinto muito. Fica todo aquele ar de "estou tentando ser discreta, não reparem" e acaba chamando mais atenção e atraindo mais curiosidade. Todo mundo sabe que ali é um peito saindo leite, portanto deixa o bebê lá em paz, sem tampar tudo com paninho. Por isso geralmente mulheres mais desinibidas se dão melhor pra fazer essas coisas, acaba sendo mais normal que as que ficam tentando proteger o recato. Sem falar que hoje se exige um paninho em cima, amanhã nem com paninho pode, nada de amamentar em lugar público, né? Por isso acho a ideia até perigosa.

Barbara disse...

Passei os olhos nos comentários e vi que uma pessoa lembrou de Admirável Mundo Novo. Muito bem lembrado! Eles tinham ojeriza da amamentação, era considerado primitivo, não vou me estender, mas quem leu vai lembrar. Confesso que fiquei com medo da correlação.

Zuni disse...

Imagino se esse imbecil, depois disso tudo, ao menos se digna a perguntar pra a mãe se ela o amamentou em público.

Só posso ter pena da mulher e filhas dele, que devem ter que usar burca pra ir no mercado comprar a cerveja do "chefe da casa".

Isabel disse...

O que eu acho mais engraçado é que em qualquer discussão, todo mundo vira especialista em psicanálise. Faculdade de psicologia e cursos de pós-graduação pra quê, se eu li "Psicanálise for dummies", né verdade?
Festival de humor involuntário mesmo.

Isabel disse...

gente, vai de cada mãe decidir se amamentar num lugar público é apropriado. Por motivos de higiene ou outros, até timidez mesmo. Mas as mulheres que têm filhos e deram suas opiniões deixaram bem claro que nada disso importa quando um bebêzinho tá chorando de fome no seu colo. Enfim, o que me assusta é quantas pessoas defendem o argumento do "coloca um pano sobre o ombro". Jura, gente? Alguns homens são idiotas o suficiente para não respeitarem uma mulher que amamenta e nós temos que evitar isso? Eles é que DEVEM nos respeitar! Por favor, gente, essa é a mesma lógica de falar: "ah, uma mulher que sai com saia curta vai ouvir grosserias porque chama atenção, ela que use outra roupa".

É muito mais fácil restringir a liberdade das mulheres do que ensinar aos homens que nós devemos ser respeitadas, não é?

Aaaaah, façam-me o favor, mulherada. Bora repensar isso.

Denise disse...

Eu não sei se o Pedro Paulo tem razão nesta: talvez sejam as personagens que cada um representa mesmo no programa. Mas, de qualquer forma, as opiniões demonstrada por essas personagens são passivas de críticas e de endossamento ou não. Tal qual uma novela. Então tá. Também a Fabiana Zardo, concordo com algumas coisas. Indiscutível: a amamentação, dentro ou fora de casa, é um direito que cabe ao bebê e compete somente à mãe decidir como fazê-lo. Ponto final! Não tem mais, não tem constrangimento, não tem "nojinho", não tem banheiro, não tem... E pode chorar, se quiser! Agora também concordo com a Madame Papilon: Lola, acho que dessa vez você se deixou levar pela cegueira da revolta, pois publicou mensagens que não tinha autorização para. Isso foi, no mínimo, desrespeitoso. Também. Acho que, dos 3, o Tas foi o que menos contribuiu para a propagação dos comentários - humorados ou não. Pelo menos é minha opinião, vendo este vídeo - a não ser que exista 2ª parte. Reconhecer o erro também é humano. Também é bonito. E é muito feminista! :)

Angélica disse...

Essa de colocar um pano me lembra aquelas pessoas que vão palitar os dentes e põem a mão na frente: todo mundo sabe o que o cara tá fazendo, mas fica "tudo bem" porque "ninguém tá vendo".

Enfim, tem mulheres que ficam mais à vontade assim, outras não. Mas impor que todas adotem essa postura porque o peito de fora, amamentando, é "imoral", é ridículo.

taty disse...

A questão do paninho não é só com relação a como a mulher se sente mais a vontade ou não, pois o principal interessado aí é o bebê. E, embora muitos bebês não se incomodem com o pano no rosto, tem muitos bebês que se incomodam sim. Aliás, acho que a grande maioria gosta de ser amamentado olhando para a mãe.

Denise disse...

Só uma sugestão: vamos abolir esse FDP, né, minha gente? A gente ofende as putas e as mães ao mesmo tempo. Repararam que é machista esse termo? Tô usando Filho de Brocha agora. FDB pra frente!

Denise disse...

Aurélio amigo me falou que é BROXA. Não BROCHA. :) Vivendo e aprendendo...

Juliana De disse...

Lola você é foda! Texto perfeito! Parabéns! Abaixo a esse lixo misógino udenista CQC, estão fazendo hora extra na mídia. Nojo dessa gentalha.

Sil Noronha disse...

Excelente seu texto. Só podia ser de uma professora da minha amada UFC. O CQC é o pior programa "humorístico" do país... Não sei onde está o humor nele. Ah, sim, é o humor negro, só pode.
Parabéns!

maenatural disse...

Lola, conte com as "redinhas sociais" a seu favor, caso tenha algum embaraço judicial por conta desse texto.
Vc está de parabéns, vou linkar no meu blog, pq acho difícil escrever tão bem quanto vc!

Acho que a saúde pública no Brasil tá uma me***, não precisa de mais gente prejudicando a amamentação!

Não li tds os comentários, mas quem já teve filho e mamentou, ou quem acompanhou algum amigo ou parente com bb pequeno amamentado sabe que apenas se a nutriz viver numa situação de clausura durante no mínimo 6 meses ela "privará" os idiotas de ver uma mulher amamentando.
Eu amamentei minha filha exclusivamente por quase 8 meses, e depois mantive a amamentação até os 2 anos e 4 meses, e seria impossível se não a amamentasse em público!

Eu levava ela pra todo lado no sling, e amamentava sempre que ela pedia (isso se chama livre demanda), mas nunca "enfiei" meus peitos na cara de ninguém!
Mas nunca amamentaria num banheiro! Isso sim é nojento!

O que me deixa brava é que esses caras são formadores de opinião. Toda asneira que eles dizem repercute, tem gente por aí que deve estar dando toda razão do mundo pra eles.

Não amamento mais, mas vou ao mamaço dia 5/6 aqui em SP no parque do ibirapuera.
Haverá mamaço em diversas cidades do brasil!
Quem estiver disposto e apoia a causa, compareça!!!

Anderson Fortaleza disse...

Olha, eu tenho 3 filhos e minha esposa amamentou todos eles onde eles tivessem fome.

O cara comparar o ato de amamentar, que é um ato tão bonito e de tanta ligação entre mãe e filho, com qualquer manifestação de exibicionismo ou de saciedade de tensões sexuais é um doente mental.

Doente mental daqueles que não diferencia dia de noite. Esses nojentos projetam suas mentes doentes e vazias sobre este ato santo da amamentação e transformam toda aquela beleza numa imagem da imundície que são seus próprios pensamentos.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Gente, o Rafinha Bastos NÃO É HUMORISTA! Ele é COMEDIANTE! Alguém aqui até defendeu ele dizendo que ele faz Stand Up Comedy. Comedy, not Humor! é diferente. Ele não vai estudar e pesquisar antes de falar besteiras, pq o público DELE não se importa com essas coisas, são do mesmo nível.

Pra que ser intelectual se o público dele jamais o será?

Ele é formador de opinião? claro, mas só pra quem tem preguiça de pensar, estudar, pesquisar.. aí propagam as mesmas idéias idiotas que caras como ele dizem.

Quem nasce pra Rafinha Bastos jamais chegará a Chico Anísio..

Eu só tomei conhecimento desse vídeo através da lista de discussão do Ishtar, pq senão nem saberia..

Comédia só existe ridicularizando coisas. Se não ridicularizar, não tem graça.. e oq é mais fácil? criar novas piadinhas ou usar as mesmas velharias idiotas de sempre?

infelizmente, esse é o tipo de programa que passa por aí...

Tanko disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lola aronovich disse...

Taty, amei seu comentário. Vou reproduzi-lo pra quem não viu, ótimas colocações. Acho que vc interpretou bem a fala do Maher:

“Lola, não sei se você está certa quanto a achar que esse posicionamento masculino é porque os homens acham que "peitos e mulheres só servem para servir os homens". Acredito que este posicionamento masculino é por puro DESPEITO (o trocadilho caiu muito bem aqui.....rsrsrsrsrsrsrs...).
É despeito dos homens por não poderem amamentar.
É despeito dos homens por não poderem parir.
Olha bem esta frase que você citou do Bill Maher: 'Não é lutar por um direito, é lutar pelos holofotes. Pare de se achar especial porque você teve um bebê. É algo que um cachorro pode fazer.'
Veja só: 'pare de se achar especial'. Aqui está claro que ele acha as mulheres especiais. E ainda: 'algo que até um cachorro pode fazer'. Na verdade, é algo que uma cadela pode, mas um homem não.
É tão clara a tentativa de desdém de algo que ele não pode fazer. Puro despeito!
Sabe toda aquela história do Freud, da inveja do falo, da castração? Então, é mais uma historinha pra esconder a verdadeira inveja, a verdadeira castração: a inveja dos homens e a castração sofrida por estes: a falta de um útero.
Bjs!”


Ish, Leticia, agora vc me deixou com a pulga atrás da orelha... Pois é, e se não for email do Marcelo Tas, e apenas de alguém querendo se passar por ele? Mas eu tenho toda a impressão que é. Além do mais, o que ele colocou no Twitter dele tb foi o que recebi pelo email (até aí, pode ser alguém copiando, eu sei). Mas olha, ele deve ter recebido mais de mil tweets hoje falando de mim, boa parte falando da ameaça de processo. Se não fosse ele, ele já não teria se manifestado?

Anderson Fortaleza disse...

A propósito, esses merdas não tiveram mãe não né? Eles devem ter brotado da terra!

Manu disse...

TÃO SIMPLES: QM TÁ INCOMODADO, PEGA UM LENCINHO E COBRE OS OLHOS, OU SE VIRA, OU MELHOR, VAI PRO BANHEIRO! ONDE JÁ SE VIU AMAMENTTAR NO BANHEIRO? UM LUGAR QUE CHEIRA MAL, SÓ P NÃO INCOMODAR UMAS PESSOAS IMBECIS Q VÃO REPARAR NO FORMATO DO SEU PEITO! MOMENTO MÃE E BEBÊ, MTO LINDO ISSO NA TEORIA, MAS CRIANÇA SENTE FOME NA FILA DO MERCADO, NO ONIBUS LOTADO, VAI FAZER O Q? DXAR O BEBE CHORANDO P TEM GENTE Q TEM NOJINHO DE PEITO?
O GOVERNO INVESTE UM DINHEIRÃO EM CAMPAHNAS A FAVOR DA AMAMENTAÇÃO E ESSES IMBECIS VEM C ESSE TIPO DE PIADA SEM GRAÇA. PEITINHO NA TV PODE PASSAR A VONTADE Q NINGUEM SE CONSTRANGE NÉ?
E VC FERNANDA, QDO VC TIVER SEU FILHO, VC COBRE C UM PANINHO, OU VAI AMAMENTAR ELE NUM LINDO BANHEIRINHO BEM ACONCHEGANTE, PODE ATÉ SE SENTAR NA PRIVADA ;)

PÁGINA 2 disse...

Muito bom! Devidamente compartilhado em redes sociais e creditado!

Igor Tomaz disse...

Pra mim o trio do CQC foi bastante infeliz. Dentre os 3 a atitude do Marcelo Tas sinceramente me decepcionou.. agiu exatamente como age o Milton Neves quando é criticado pelos colegas de trabalho. Da autora, desculpe, não a conheço. O texto é excelente e retrata uma realidade que incomoda e toca a ferida muitos. E já que foi permitido exercícios de interpretação, na minha opinião o único pecado (se é que existe pecado em textos de blogs) foi a falta de cuidado ao generalizar o comportamento de todos os homens. Assim como o colega observou, nem todos os homens são contra a amamentação pública, assim como nem todos sentem-se excitados com seios a mostra. Eu defendo publicamente toda demonstração de amor. No caso da amamentação entra-se numa condição essencial do ser humano que é a alimentação. Pelo pouco que eu saiba, nenhum ser humano deve ser privado de seus direitos básicos, isso inclui amamentar. Aliás, principalmente amamentar... Paninho ou falta de paninho é uma discussão boba ao meu ver... falta consciência, atitudes e educação de ambas as partes... Defendo que a mulher em nenhuma hipótese deveria sentir-se constragida aos olhares maliciosos, não há nada malicioso em amamentar em público e que os homens em geral deveriam em nenhuma hipótese deveriam render-se a argumentos como "é instintivo, não dá para evitar". A maior característica do ser humano é exatamente sobrepujar a natureza em todos os seus sentidos, inclusive a sua própria natureza. Muita coisa é evitada diariamente p/q escolhemos evitar situações ditas "instintivas".

Ludy disse...

Que me desculpem as pessoas que acham bonito, mas eu também acho uma falta de noção muito grande mostrar vídeos de partos numa reunião de família.

Igor Tomaz disse...

Pra mim o trio do CQC foi bastante infeliz. Dentre os 3 a atitude do Marcelo Tas sinceramente me decepcionou.. agiu exatamente como age o Milton Neves quando é criticado pelos colegas de trabalho. Da autora, desculpe, não a conheço. O texto é excelente e retrata uma realidade que incomoda e toca a ferida muitos. E já que foi permitido exercícios de interpretação, na minha opinião o único pecado (se é que existe pecado em textos de blogs) foi a falta de cuidado ao generalizar o comportamento de todos os homens. Assim como o colega observou, nem todos os homens são contra a amamentação pública, assim como nem todos sentem-se excitados com seios a mostra. Eu defendo publicamente toda demonstração de amor. No caso da amamentação entra-se numa condição essencial do ser humano que é a alimentação. Pelo pouco que eu saiba, nenhum ser humano deve ser privado de seus direitos básicos, isso inclui amamentar. Aliás, principalmente amamentar... Paninho ou falta de paninho é uma discussão boba ao meu ver... falta consciência, atitudes e educação de ambas as partes... Defendo que a mulher em nenhuma hipótese deveria sentir-se constragida aos olhares maliciosos, não há nada malicioso em amamentar em público e que os homens em geral deveriam em nenhuma hipótese deveriam render-se a argumentos como "é instintivo, não dá para evitar". A maior característica do ser humano é exatamente sobrepujar a natureza em todos os seus sentidos, inclusive a sua própria natureza. Muita coisa é evitada diariamente p/q escolhemos evitar situações ditas "instintivas".

Letícia Rodrigues disse...

Pois é, Lola, não sabia que o Tas tinha falado sobre o assunto no Twitter quando escrevi o ultimo comentário. Realmente tá com jeito de ter sido ele mesmo que escreveu os e-mails.
Acho que seria um absurdo ele realmente entrar com um processo. No seu post fica claro o que foi dito no programa dele - para o qual vc dá o link - e o que é a sua opinião, que vc tem o direito de manifestar. O titulo não é "Marcelo Tas anti-amamentação" e sim "CQC anti-amamentação", e realmente membros do programa ridicularizaram a amamentação em publico.
Mas já tem blogs, como o Blog da Dilma, se manifestando a seu favor, vc viu?

Edson Bueno de Camargo disse...

O irritante é que o responsável coltou atrás, pediu desculpas e abraço o mamaço, o CQC é a voz do conservadorismo brasileiro.

Pedro Alexandre Sanches disse...

Lola (& todos), eu cometi o desatino. Tentei ver o lado bom do CQC. "CQC nos faz bem":

http://farofafa.com.br/2011/06/01/cqc-nos-faz-bem/

Obrigado pelo banho de educação e aprendizado que é este seu texto, somado aos comentários que ele tá provocando, mesmo os mais cabeludos.

Quando eu era menino pequeno lá em Barbacena, digo, Maringá, não tinha esse tipo de debate pra eu acompanhar (e participar), não. Que tempo lindo e surpreendente este que estamos vivendo, cacilda!

Pili disse...

querida Lola,
Marcelo Tas pediu pra mostrar onde ele foi contra mulheres amamentarem em público? Tá no fim do vídeo, quando eles comentam sobre o vídeo do parte de alguma tia.
Em suas palavras: "Não é uma coisa para a sala de estar(onde estão outros familiares além da mulher e bebê)."
Mas ainda tem o respeitabilíssimo apelido que ele dá à vagina de uma parturiente:
"Aquele tubo infecto"

Quer dizer que não basta a mulher se aprisionar à sua própria casa pra amamentar? Ainda tem de ser fora da sua própria sala?
aaaaaf

Déborah Gérbera disse...

Quanta polêmica só por causa do Tetê! Um dia vou contar isso pro meu filho e vamos nos divertir muito!

Alex disse...

Sou pai, não tenho problema em ver mulheres amamentando em público, não sou contra, não gosto do CQC e nem assisto, mas na boa?

Vcs estão muito raivosas, é tanta mágoa e frustração exposta que perde-se a vontade de acompanhar o blog.

Podem me apedrejar, mas é essa a sensação que tive ao ler a grande maioria dos comentários e do proóprio texto.

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bella Felicio disse...

AHHHH é verdade, eu sou mãe, minha filha tem 9 meses, se ela quiser mamar é claro que eu vou entrar nos limpissimos banheiros públicos que temos na minha cidade e amamentar ela!!!

Se eu fosse do CQC no menino me sentiria uma ANTA em fazer tal comentário machista e de gente ignorante !!!

Aoi Ito disse...

Não vi o vídeo até o fim (Não consegui) mas sério que chamaram a vagina de "tubo infecto"?

Não é exatamente o que cai no conceito de mascus da Lola? Se a mulher é um ser tão ruim, doente, degenerado, cruel e inferior, então um relacionamento entre dois homens é a coisa mais sacra na visão deles, não é?

Não, sério: Será que o Tas tem nojinho de transar com mulher porque vai botar o sacro pênis dele em um tubo infecto?

Cuidado porque a vagina dentata vai cortar teu pinto fora! No mínimo, fazer infeccionar e necrosar que nem a mordida de um dragão de Comodo.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Tili, "tubo infecto" é o apelido que o Tas deu para o aparelho de televisão.. ele sempre chama assim, não foi relacionado à vagina. Falou da família assistindo ao parto no "tubo infecto", ou seja, vendo na televisão o vídeo do parto...rsrs

Pelo menos nisso dá pra defender ele, néééé?

Aoi Ito disse...

Opa, Ana, parece que faltou contexto aí na minha interpretação. Espero que sua interpretação seja a verdadeira, porque senão, esperança neles vai a -500 na hora. :p

Teresa Silva disse...

Lola, uau, 300 e tantos comentários! Bateu o recorde!
Agora só falta o CQC fazer anúncios de leite em pó e em caixinha no programa, visto que essa antas pensam que mães não podem amamentar em público.

Denise disse...

Pili, o Tas não é contra a amamentação. Acho que temos que ser just@s. Ele fez um comentário no final sobre o vídeo da tia do Luque, que foi mostrado pra família toda. Também concordo com alguém que já comentou: esse tipo de vídeo não é algo que interessa à família toda assistir: eu não gostaria, pois não me agrada muito ver essas cenas médicas, digamos assim. Fico agoniada, na verdade, ao ver sangue, pele esticando e coisas do tipo. Para mim, é visualmente agonizante. Mas se as pessoas se interessam, é outro caso. Vejam novamente o vídeo e prestem atenção ao que ele comenta nos minutos 00:40 e 01:47.

Ana, ainda bem que você corrigiu meu erro. Foi meu, viu? Eu entendi errado o final do vídeo então (sobre o "tubo infecto"...

Enfim... Só queria dizer que a gente tem que ver e ler com atenção as coisas - mesmo assim somos passíveis de errar.

Talvez o Tas tenha parecido complacente com o que estava sendo falado, mas daí a taxar o cara de misógino e outros adjetivos, não sei se é bem o caminho...

Shirles disse...

AMMMMMMMEEEEEEEEIIIIIIII SEU POST!!! PAREBSN PELA CORAGEM!! SÓ TENHO UMA FILHA, MAS FIZ QUESTÃO 100% DE AMAMENTA-LA E TB DE DOAR LEITE MATERNO... QUEM ABRE A BOCA PRA FALAR ALGO CONTRA ESTE ATO DE AMOR TEM NO MINIMO UM TRAUMA, POR NAO TER RECEBIDO AMOR TÃO SUBLIME!!

Marllon Romualdo disse...

Putz! Fico impressionado com a falta de censo de humor das pessoas... Não digo nem que seja pra morrer de rir de tudo mas levar numa boa uma bricadeira ao invés de transformar isso num "bicho de 7 cabeças"! Não quero defender nem o programa nem o blog, mas sim deixar claro aqui minha indignação com essa busca vil pelo politicamente correto. Vamos aprender a dar risadas do que é pra dar risada (como por exemplo um programa de humor) e brigar pelo que precisa ser mudado (como nossos políticos e nossas políticas de censura indireta).

Abraço a todos e Viva a liberdade de expresão!!!


PS.: Queria ver qq homem q tenha comentado aqui ver a Daniele Winits amamentando na rua e não ficar no mínimo tenso.

Marllon Romualdo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Thiago Leal disse...

Lola, com mais de 300 comentários eu me dou ao luxo de não ler todos atentamente. Geralmente, quando eu não tenho nada a dizer (no caso, porque você já disse por mim), eu nem comento. Mas quero deixar registrado meu apoio a você e meu repúdio ao CQC como um todo, todinho mesmo.

Abraços!

Thiago Leal disse...

Marllon: eu não fico tenso com isso. Não tem pq.

Sil disse...

esse MARAVLHOSO comentário (http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2011/06/cqc-anti-amamentacao-vai-pra-pqp.html?showComment=1306954991292#c2699484675972109983) exprime exatamente como me sinto.
Sensacional a crítica e ao CQC, ridículo.

Thadeu disse...

Tassi.. não é questão de desviar o olhar ou olhar para o rosto.

Acontece que há coisas que dizem respeito a intimidade e recato.

Urinar não é um ato sujo.. é uma necessidade. Assim como amamentar. Nesse ponto a comparação não está errada.

Mas a mesma coisa se diz respeito ao modo como se expõe a intimidade, doutro modo não haveria necessidade de haverem locais próprios para tanto

O mínimo que a mulher que necessita amamentar pode fazer é, sim cobrir o rosto do bebê e seus seios. Isso se chama respeito em uma cultura que anda tão sem ela. Se esculhambaram com os comentários... aí é problema desse jornalismo sem bom senso.

Quanto a protestos do tipo, são completamente ridículos. Ok que vivemos numa sociedade livre, ainda bem por isso. Mas cá entre nós... há coisa muito mais importante para se protestar.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Thadeu, olha só, me desculpa.. Mas protestar a favor da amamentação em livre demanda não é ridículo. Já disse isso antes, mas vou repetir: é questão de saúde pública, envolve saúde física e mental, pq a amamentação não é só alimentação, envolve aspectos psicossocias e até de desenvolvimento de capacidades motoras de um bebê.

E desculpa também, mas onde moras? eu sou de Belém, uma cidade extremamente quente e abafada, com uma das taxas de umidade mais elevadas do país. Faz sol quente todo dia e chove toda tarde, quase não tem vento... é praticamente um inferno!

Cobrir o rosto do bebê com paninhos, toalhinhas e afins, aqui, é crueldade, pq esquenta demais, o bebê se agonia com o calor e falta o ar!

Então aqui o "bom senso" é justamente NÃO COBRIR COM PANINHO!

À todos: sabem oq mais me impressionou? é que na Arábia Saudita a amamentação pública é extremamente respeitada.. Arábia Saudita, gente!! Lá as mulheres são obrigadas a usar a burca (o tal al-rijab) em locais públicos (ok, eles têm uma explicação filosófica linda pra isso, mas não deixa de ser uma imposição), mas se elas sacam o peito pra fora pra dar de mamar, todo mundo respeita!!

Nunca vi nenhum homem aqui indignado com as peitolas de fora no carnaval carioca. alguém já?

Ah, façam-me o favor...

blog da cris disse...

Lola e a primeira que escrevo,apesar de ser sua seguidora ha mais de um ano.
Excelente texto,parabens!!!!
Adoro seu blog,vou tentar escrever mais vezes,bjos para voce!!!

Adib disse...

Lola, esse mascote do DEM tá assanhado porque Ali Kamel ganhou processo contra Paulo Henrique Amorim.

Menina Rapadura    disse...

então eu vi esse programa e na hora realmente não me ofendi em relação a situação mesmo sendo mulher. O fato é que concordo com a idéia de que quando formos amamentar na rua podemos cobrir com um pano. Não pra "proteger" os outros da imagem, mas para proteger a mim mesma deste tipo de gente que fica olhando maldosamente. Mas ai lendo seu texto parei pra pensar no assunto e realmente e absurdo ter que me preocupar quando estou fazendo algo lindo pra meu filho. E confeço que me senti culpada de rir de algumas piadas. valeu por abri os meus olhos!

Teresa disse...

Desse jeito, daqui há uns anos o cqc vai exigir que as mulheres usem burca na rua...

Teresa disse...

Patrícia: anti-higienico é amamentar em banheiro...logo esses banheiros nojentos que a gente vê em locais públicos...

Juliana disse...

Poxa Vida! Que insatisfação!! Ouvir algo desse nível de apresentadores da tv aberta realmente posso achar que em merda se pisa e merda também se ouve! Parabéns Lola, pela iniciativa de não se calar!!!!!

disse...

Parabéns Lola, ESCREVA, mas escreva MUITO. Sua visão sobre o tema, se for tachada de feminista, que seja assim então, temos que ter certas posturas "radicais" para (re)afirmar nosso direito de exercer nossa feminilidade. Apresentadores como os do CQC nunca fizeram o que eles gostam de chamar de "jornalismo" realmente. Além disso são veiculadores de uma ideologia machista, racista e elitista, que tantos brasileiros também possuem, mas preferem mascara-los com "bom humor".
Vozes como a sua, textos como o seu devem existir pra isso. Obriga por não se omitir. Muito obrigada.

Giovanni Gouveia disse...

Procura um psiquiatra, magote de cabra safado que se diz "humorista"

Essa postagem de Denise Arcoverde deve ser quase um "Brasileirinhas" pra esses doentes/dementes que acham que amamentação é "falta de pudor"

http://sindromedeestocolmo.com/2008/07/blogagem_coletiva_da_amamentacao_-_01_de_agosto/

L. Archilla disse...

Pra galera que defende o uso de paninho por uma questão de moral e bons costumes: por que não se cobrem com um lençol quando forem se alimentar em público? É que eu não gosto de ver gente mastigando (sem falar nos que ficam com alface nos dentes, argh!)... mesmo num verão carioca de 40 graus, não deve ser TÃÃO ruim assim, vai! E é super higiênico, afinal, o lençol protege da poluição! Claro que as bactérias e germes que ficam no próprio devem ser inofensivas... e dane-se que as mulheres não são legalmente proibidas de amamentar em público, como bem lembrou nosso amigo Rafinha, o que vale é a decência!

Ághata disse...

Uaaaaau!! 322 comentários!!

Vamos abusar da liberdade de expressão já que esta galera fala o quer quer na tv: o CQC é uma merda! O que me assusta é gente mandando e-mail pra saber a opinião dos jumentos.

D. disse...

Juro que achei que a Festa da Firma estava sendo irônica. Depois percebi que ela só pode ser um masculinista disfarçado. Céus!

... disse...

Ainda tem idiota pra defender esse cqc. Quer ficar burro, assista.
Todo mundo tem direito a consumir besteiras e estragar o próprio cérebro.


Liberdade de expressão é um direito. Mas isso também requer responsabilidade. E não é o humor que vai fazer com que esses caras sejam irresponsáveis.

A minha esperança é que eles recebam tantos processos por danos morais que acabem a carreira pobres e esquecidos.

letyleal disse...

Não sou de comentar aqui, apesar de ler todos os textos.

No entanto dessa vez não dá pra não te parabenizar Lola.

O post além de muito bem escrito acertou em cheio o cerne da questão.

Uma vez comentei com minha mãe que tb achava meio estranho a mulher amamentar na frente de todo mundo, ela me deu um cala a boca, disse que quando o filho chora de fome vc tira o peito e pronto, nem lembra que aquilo é algo mais que um meio de alimentar quem vc precisa, antes de tudo, proteger.

Concordei com ela na hora e sempre falo sobre isso com quem faz comentários impertinentes.

Vc não tem filhos, mas foi certeira ao expor a questão.

Sou fã assumida.

D. disse...

Alex, é muita raiva e frustração porque a gente passa a vida inteira aguentando um monte de merda só por ser mulher. Desde criança a gente vai sendo reprimida para poder aguentar cada vez mais merda no futuro. Não é que a gente acordou um belo dia de mau-humor, sabe? É porque, acredite em mim, as mulheres ainda são cidadãs de segunda categoria no Brasil, e isso ou te mata por dentro e te transforma em um mero objeto ou te inflama e te consome e você fica com raiva. Com ódio. Não é raiva do gênero masculino, não. Eu tenho um namorado legal, feminista como eu. Mas essa raiva precisa ser expressa para que algo possa ser posto em movimento. Para que as mentalidades, ainda que poucas, sejam mudadas. Para que o backlash que a gente está vivendo agora não piore cada vez mais.

Somnia Carvalho disse...

Lolissima

eu nao acredito que alguma blogueira, algum dia, tenha conseguido 327 comentarios num so post!

voce esta mais do que de parabens! quando e que vao publicar seu blog meu!

e agora sao 328!

D. disse...

Ah, e além disso, posts como os que a Lola escreve tem um serviço de utilidade pública mesmo: vejo por aqui muitos comentários de mulheres que "abriram os olhos", "mudaram a maneira de pensar" e etc., a partir do momento que tomaram conhecimento das idéias feministas. Eu já era feminista antes e por isso cheguei no blog, mas leio o blog (parabéns, Lola!) porque me mantém informada dos últimos atentados contra a nossa humanidade, como o que é cometido pelo CQC de forma bastante regular e insistente.

Lemon Incest disse...

Poxa!!! Adorei o texto... e pensar que pessoas que pensam assim são muito parecidas com homofóbicos elitistas!

Enfim, povo sem cultura...

Fabio Manzano disse...

o CQC pode ter seus erros, suas imbecilidades. Mas trata-se de um programa com bons quadros sim. Eu assisto. Não constantemente, mas assiosto sim e admiro o trabalho deles. Quanto a forma infeliz de se comentar sobre a mamentação, é sim fato lamentável. Porém, dentro de um respeito lógico e nescessário deixo aqui minha forma de pensar: O texto mesmo diz que quem tem problemas ao ver, olhar, "secar" um peito, os seios de uma mulher, são os homens, os tarados de plantão, certo? A sociedade é sim cheia de DOENTES, idiotizados pelo sexo desenfreado, pela imagem distorcida sobre o corpo humano. Tanto o homem como mulheres (estas em sua menoria, creio) Portanto cabe sim a uma mãe, amenizar o visual, cobrir com uma fraldinha leve, um lencinho. Ou fiquem expostas, atraindo pessoas e seus comentários absurdos, ou atitudes absurdas. Se é um local onde as pessoas tem mais intimidades, familiares, amigos, ainda vá lá. Mas na rua, em locais públicos, seios de fora infelizmente serão alvos de ignorantes e maus intencionados. E a mudança deste quadro não se fará da noite para o dia.

Gonçalo disse...

UM CALHORDA! QUERIA VER SE ELE COMO PAI, GOSTARIA DE OUVIR OU VER ISSO. SEMPRE VI O RESPEITO DO HOMEM PARA COM A MÃE QUE ESTA AMAMENTAR E TEMOS QUE ACHAR NATURAL. SERÁ QUE ELE NASCEU DA CHOCADEIRA OU VEIO DIRETAMENTA DA LATA DO LIXO? CANSO DE VER HOMEN DESVIAREM A ATENÇÃO E VOLTAREM O OLHAR NO QUE É DA SUA PRÓPRIA CONTA AO INVÉS DE FISSURAR O OLHAR NA MULHER NO PROCESSO DE AMAMENTAÇÃO. NEM UM ADOLECENTE NORMAL NA PUBERDADE ENCARA UMA MULHER NA AMAENTAÇÃO ELE FICA COM VERGONHA. ELE SABE QUE PASSOU POR ISSO. CQC SUCK´S! NUNCA ASSISTI ESSES OTÁRIOS!

Gonçalo disse...

UM CALHORDA! QUERIA VER SE ELE COMO PAI, GOSTARIA DE OUVIR OU VER ISSO. SEMPRE VI O RESPEITO DO HOMEM PARA COM A MÃE QUE ESTA AMAMENTAR E TEMOS QUE ACHAR NATURAL. SERÁ QUE ELE NASCEU DA CHOCADEIRA OU VEIO DIRETAMENTA DA LATA DO LIXO? CANSO DE VER HOMEN DESVIAREM A ATENÇÃO E VOLTAREM O OLHAR NO QUE É DA SUA PRÓPRIA CONTA AO INVÉS DE FISSURAR O OLHAR NA MULHER NO PROCESSO DE AMAMENTAÇÃO. NEM UM ADOLECENTE NORMAL NA PUBERDADE ENCARA UMA MULHER NA AMAENTAÇÃO ELE FICA COM VERGONHA. ELE SABE QUE PASSOU POR ISSO. CQC SUCK´S! NUNCA ASSISTI ESSES OTÁRIOS!

Suâmi Dias disse...

Não tenho nada contra a amamentação em público, seja que idade for, pois qualquer uma tem sua liberdade de escolha. Mas caso minha mulher estivesse nesta situação, eu a aconselharia a ter uma postura mais discreta, com o objetivo de não expô-la. É fato que muitos ficam olhando. Outra coisa, não levem muito à sério o CQC, talvez fosse interessante vocês assistirem A Liga (que Rafinha Bastos participa) que passa às terças. Na semana passada falaram sobre a legalização do aborto, maconha, etc. Foi muito bom! E aí dá para perceber que a postura do apresentador acaba sendo voltada para a ideia do programa e não simplesmente para um preconceito descabido. Se colocassem uma mulher na bancada, as brincadeiras seriam sobre homens: barrigudos, broxas, carecas, etc. Acho que o problema está na pessoa que fala assim: "Pô, isso é brincadeira, mas é a pura verdade".

Eduardo disse...

Pedro Paulo

O CQC é sim um programa "humorístico" que faz criticas a determinados assuntos idiotas que nem deveriam ser questionados ou levados em conta,o desprezível é a forma como fazem.Deixam transparecer suas verdadeiras e sujas opiniões a respeito do assunto,geralmente cercada de muito preconceito.

Eu curtia o programa no início e deixei de assistir devido a babaquices exageradas.Uma vez mesmo,o Tas,no calor do "humor",para não perder a piada,chamou o grupo Sex Dolls de prostitutas.Apartir daí disseram que o programa seria gravado e foi o maior auê.

http://diversao.terra.com.br/tv/noticias/0,,OI3788874-EI12993,00.html

Icaro Fernandes disse...

Eu, homem, hetero, 'branco'.. já to de saco cheio desse programa extremamente preconceituoso. Infelizmente ele faz sucesso porque representa a classe média e seus preconceitos, tranvestidos de policamente corretos, e possuidores da verdade. No caso específico da amamentação em público, você expos como extrema lucidez do que se trata: da eterna visão de que a mulher existe para servir o homem.. Fico feliz em ver que não sou o único preocupado com o tipo de baboseira que eles 'vomitam' e o público se delicia..

Kine disse...

Fernanda está em total direito de concordar com o Rafinha Bastos, assim como ela deveria dar total respeitos às mães que amamentam seus filhos, de amamentá-los onde elas bem entenderem. O que eu não entendo é, Rafinha Bastos mostram em seus vídeos sua bunda muchimbenta, e o vídeo está aí, na rede, vê quem quer, assim como mães amamentam na rua e quem quer ver, vê.
Se vc acha que deve ter um "paninho", leve um lenço com você também... faça sua parte, coloque o paninho em seus olhos, ou pendure no óculos escuros como os do CQC.
Fazer piada inteligente já foi o foco do CQC, Marcelo Tas não fez comentários, mas foi conivente, e como âncora do programa, deveria sim fazer uma retratação, assim como sugeriu à Lola, por que não?
Quanto ao título de "jornalista" é só usar o caso do amigo "Boris Casoy" ao defender sua superioridade diante dos lixeiros, alguém recorda o fato?
O que deveria constranger o Tas era lembrar dos seus personagens na TV Cultura, que serviam para educar futuros cidadões e imaginar a imagem que ele pode passar hoje, com essa conivência frente aos seus companheiros de palco.
Porque Humor Inteligente no C* dos outros é refresco. Façam humor do jeito que quiserem, mas assumam a responsabilidade de serem criticados do jeito que não querem também. Pois estar na TV torna você um formador de opinião!

Quanto a leitora Fernanda, não concordo que ela seja um homem disfarçado, ela apenas nunca teve um filho, ou tem recordações da mãe dela jogando um paninho na cara dela. Assim como homens realistas concordam em ver mulheres bonitas ou feias amamentando e acham normal, não vão ficar de pau duro por isso, ela tem o direito de se incomodar com os seios alheios e de quando tiver filhos jogar paninhos na cara do bebe ou se abrigar em locais mais "discretos".
Sobre o atual "Humor Inteligente" do CQC o Pânico na TV é bem melhor!

Ághata disse...

É o mundo está muito chato!! As barangas querem amamentar na rua e nós não podemos nem mais reclamar!! Ó, que lugar chatooo!! [Tradução: nhénhé, não tenho mais do que reclamar porque sei que tô errado.]

Que ridículo!! Lola, o Marcelo Taz tá ofendido?? Por quê? Será que se tivessemos feito piadas e rido da cara deles, eles ficariam menos ofendido porque é uma crítica 'com humor'?

Jornal Nacional é jornalismo sério??? Aaaah!! /o\
Huahauhauhauha, meo deos, me matem!! kkkk!

Ana Paula Vasconcelos disse...

Fábio Manzano,

vou repetir oq escrevi no último post, pois acho que vc não o leu:

"E desculpa também, mas onde moras? eu sou de Belém, uma cidade extremamente quente e abafada, com uma das taxas de umidade mais elevadas do país. Faz sol quente todo dia e chove toda tarde, quase não tem vento... é praticamente um inferno!

Cobrir o rosto do bebê com paninhos, toalhinhas e afins, aqui, é crueldade, pq esquenta demais, o bebê se agonia com o calor e falta o ar!

Então aqui o "bom senso" é justamente NÃO COBRIR COM PANINHO!"

Então, vc gostaria de ver seu filho se sufocando e agoniado de tanto calor debaixo de um paninho? Assim o bebê nem consegue mamar, e vai passar a associar a mamada à coisa ruim...

Sério, me dá nojo dos caras que têm tara por seio de mulher amamentado, mas também acho muita gente não sabe como é complicado cobrir com paninho. não é simples assim como algumas pessoas dizem.. pelo menos não na minha região. e aí? fazer oq?

Danielle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Matrimônio Homoafetivo disse...

Quero deixar a opinião do Matrimônio Homoafetivo (www.matrimoniohomoafetivo.com.br): Uma mulher grávida é um ato sagrado, é um momento mágico, é a face do renascimento. O ato de dar de mamar é algo transcendental, pois nos faz imaginar o quão bom era aquele momento em que estávamos protegidos de toda a maldade do mundo. O ato em si é uma doação de vida, de transposição de saúde, de transplante da proteção de uma vida inteira. Porisso, uma mulher quando está grávida ou amamenta, está em um ato de harmonia universal. Uma pessoa que consegue ver erotismo ou sexualidade comparada em um momento maternal, deve ter um buraco no lugar de cérebro. Não que mulheres grávidas ou em amamentação não sejam sensuais, e nem que inexista fetiches. Mas, espera um pouco, cada coisa em seu lugar. Vexar publicamente toda uma classe de mulheres, passou do ponto. A sabedoria passou longe.

Isso posto, quanto ao "beijaço", a demonstração de afeto não tem lugar e hora. É um impulso afetivo. É uma supernova. Você simplesmente beija e ponto.

A afetividade, seja por beijo ou amamentação, não deveria ser comparado com uma forma de extirparmos dejetos biológicos de nosso corpo. Quando damos afeto, nós fazemos um transplante de sentimentos e paixão. Senão, amamentar ou beijar seria uma obrigação operacional.

Beijo a todos!

Lu disse...

Aposto que ele quando um bebê esperava a mãe estar em um lugar privado pra chorar de fome!

tomara que a mulher dele saia em todas as revistas amamentando o filho dele quando ela resolver engravidar (se ela puder)

Será que ele se dá conta que ele ofende as mulheres que são da família dele tbm?

Lu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danielle disse...

Concordo que seja um absurdo esse papo anti amamentação e concordo que os apresentadores do CQC, principalmente o Rafinha Bastos, erram feio em seus comentários. Eles não limites e é contrário ao que o próprio programa A Liga tenta transmitir (quebrar preconceitos e paradigmas das diferentes realidades).... Humor também tem limite; Quando você fere os direitos do outro e o desrespeita, você perdeu a razão.

Mas, em público devemos ser DISCRETOS, e isso é simples de se resolver no caso da amamentação em público, apenas por uma fraldinha sobre o ombro da mãe e o rosto da criança, algo tão simples, que para mim se trata de bom senso e de preservar um momento tão lindo como é o de amamentar o seu filho. É aí que o laço entre o bebê e a mãe fortalece.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Danielle,

vou repetir pra ver se você entende:



"E desculpa também, mas onde moras? eu sou de Belém, uma cidade extremamente quente e abafada, com uma das taxas de umidade mais elevadas do país. Faz sol quente todo dia e chove toda tarde, quase não tem vento... é praticamente um inferno!

Cobrir o rosto do bebê com paninhos, toalhinhas e afins, aqui, é crueldade, pq esquenta demais, o bebê se agonia com o calor e falta o ar!

Então aqui o "bom senso" é justamente NÃO COBRIR COM PANINHO!"

Então, vc gostaria de ver seu filho se sufocando e agoniado de tanto calor debaixo de um paninho? Assim o bebê nem consegue mamar, e vai passar a associar a mamada à coisa ruim...

Sério, me dá nojo dos caras que têm tara por seio de mulher amamentado, mas também acho muita gente não sabe como é complicado cobrir com paninho. não é simples assim como algumas pessoas dizem.. pelo menos não na minha região. e aí? fazer oq?

Eu gostaria de ver esse pessoal que diz pra cobrir com paninho fazer isso aqui em Belém, e ver seu filho berrando de agonia, dando brotoejas do calor e suando por causa do tal "paninho ou fraldinha"...

Pati Merlin disse...

Eu entendo que em um programa todos são resposnáveis por tudo o que é dito. Alguém poderia ter susurrado no ponto: cala a boca Rafinha! antes que o outro bocó dissesse que a gente amamenta em público por que quer mostrar o peito e não sabe como. De fato, dos 3 o Marcelo foi o único que não DISSE bobagens, mas riu e não cortou a falação dos outros. Eu não sei se esse é um caso de "falem mal mas falem de mim"... eu prefiro coisas boas e educativas sobre amamentação, embora sinta a MESMA vontade de esculhambar todos eles (e os iguais a eles). Mas sabe aquela coisa de dizer: PELA PAZ ao invés de dizer; NÃO ÁS GUERRAS??? É meio por aí.
bjs!

Lellito disse...

Lola,

Entendo seu ponto de vista mas acho que vc está praticando exatamente o que se diz contra.

Quando vc generaliza e diz que os homens são assim ou que se comportam assado, você está fragmentando e separando os homens das mulheres, está retro-alimentando a mesma cadeia de preconceito e segregação que você não medo de lutar "contra". Você só escolheu um lado da quadra, o jogo da segregação é o mesmo...

Pra ser sincero o me me motiva a escrever agora é que me senti bastante incoomodado com as suas colocações. Sou homem (o quê realmente não importa) e não me preocupa ver mães amamentando, topless, mulheres no poder; não acho que um há lugar pré-definido para nada neste mundo.

Mas sinceramente me incomodo com pessoas que em público arrotam, não pedem licença, não dizem por-favor nem obrigado, não dizem bom dia, que não têm consciência do outro
Comportamentos, sempre eles. Hábitos, sempre eles.

Também acho que vc está gastando energa com pessoas erradas, elas trabalham com piadas - metáforas, alegorias, traduções do mundo. Não implica necessariamnete que eles acreditam ou que divulgam este assunto com unhas e dentes. Aliás, todos estamos neste mundo fazendo a mesma coisa, diferimo-nos apenas em número de "seguidores", não é verdade? Mas não suporto preconceito (piadas então...) e muito menos segregação.

Todos achamos que temos a verdade com relação ao que deve ser praticado pela sociedade, mas se não percebermos que - ao jogarmos o jogo dos conceitos/preconceitos - acabamos por causar os mesmos males que tanto combatemos, continuaremos desperdiçando energia para manter os conceitos sagrados da ordem-e-do-progresso, dos bons costumes, gerando discórdia e desunião por onde passamos, ao mesmo tempo que vemos sim uma sociedade cada vez mais fragementada, dividida, incapaz de de se comunicar.

Não jogue este jogo. Não vale a pena. Pense fora da caixinha.

Um abraço,
Paulo

Alessandra disse...

Que nojo do CQC e que nojo das mentinhas pequenas que assistem essa merda!!!! Que nojo desse comentário medíocre e que nojo de saber que homens como esses que não deveriam ser chamados de homens e sim de abortos mau feitos, tanto esse Rafinha Bastos como os outros idiotas que fazem esse programa e que provocaram essa revolta em tantas mães e mulheres que estão simplesmente vivendo para os seus filhos nesse momento. Energuminos como nossa amiga disse é pouco. Também vou jogas essa matéria aos quatro ventos em todos os lugares, para ver se consgio abrir a mente dos ignorantes de plãntão que assistem esse lixo de programa. Parabéns aos internautas que postaram.
Um beijooo

Danielle disse...

Ana Paula,

Estou em São Paulo e comento pela minha realidade, aqui é bem mais frio do que aí; Mas, independente disso, já fui à outros lugares quentes p/ chuchu e cheguei a ver mais de uma mãe fazendo (até como vi minha irmã fazer aqui c/ minha sobrinha, no verão e o bebê ficou super bem); Você pode apoiar a fralda no ombro e segurar a outra ponta p/ que entre o ar e a criança não sufoque (claro, sempre pelo bem estar do bebê)... assim a privacidade é mantida.

Acho que quem quer, dá um jeitinho de fazer....

Allan disse...

Ora Lola, acho que você está exagerando.

Pati Merlin disse...

Sem contar que existe uma questão cultural que não passa pelo preconceito enquanto necessidade de exclusão por repulsa... É falta de hábito mesmo. Se a gente pretende que as pessoas vejam a amamentação como algo natural precisamos entender que até bem pouco tempo atrás não era assim. É natural do ponto de vista biológico, mas não culturalmente. Pra cultura o cero é o plástico e o bicão... quem se posiciona contra não tem idéia do que seja uma coisa ou outra, só reproduz a " nomalidade" do que aprndeu. Isso não desculpa em hipótese alguma o que eles disseram, por que enquanto aprsentadores de programa eles tem obrigação de pensar, refletir, pesquisar, é uma reflexão pra NÓS, pros que querem ver a amamentação sendo o que ela se propõe a ser...

Ana Paula Vasconcelos disse...

Danielle, entenda:

Aqui não é só quente! é abafado, e a sensação térmica é muito superior à temperatura ambiente devido à altíssima umidade do ar.. não dá pra comparar calor de cidade ventilada e de baixa umidade com de locais como Belém. quem estudou o ensino médio deve lembrar do calor específico da água e tals...

Não é sufocar de falta de ar, mas sufocar de quente que fica... meu sobrinho ainda recém-nascido suava de dar dó dentro do quarto do hospital com ar-condicionado ligado, e tinha que ficar só de fraldinha. Imagina só!!

aqui em belém não é simples, se vc sai na rua com camiseta e calça jeans, você já passa mal.

Só pra teres uma idéia, Danielle, quando vou ao Ceará, AMO andar na rua, pq mesmo tendo sol forte o dia inteiro, é fresquinho... Aqui em Belém é completamente diferente. NUNCA é fresquinho, nem quando chove...

Então não venha dizer que "quem quer, faz" pois você não conhece a realidade daqui... nem à noite fica fresquinho, entende? não tô querendo ser grosseira, mas é q é muito fácil falar pra quem não sabe oq o outro passa...

M. disse...

Esse Bill Mahe é NOJENTO!

Danielle disse...

Ana Paula,

Ok, como já disse antes, não conheço Belém...

Repito, falo por minha realidade e por locais onde conheci que são muito quentes também e vi pessoas serem discretas.... Cada região tem uma cultura e uma maneira de comportamento, que mesmo sendo no mesmo país, se adequa a realidade e ao conforto de quem mora nela. Se aí é inviável, é inviável.
A necessidade faz a ocasião e cada um encontra um meio, seja por fralda ou outra coisa, ou seja sem, de encontrar algo em que sinta bem e confortável.

Desde a primeira postagem me refiro ao que é possível p/ maioria das pessoas e muitas vezes não fazem, apenas isso.... ;)

Fique em paz. ;)

Débora Accioly disse...

Foda.

Agora mulher tem que deixar o filho com fome.. tornar promiscuo um ato desse é simpelsmente....... Foda.

blogdomaurosilva disse...

Li. Gostei. Copiei. Publiquei. E Divulguei para Deus e o mundo todo.

Endora disse...

Certamente eles não foram amamentados, se alimentaram mal na infância, aí faltou fósforo e viraram "humoristas" do CQC.

ana_alice disse...

Fernanda, você defende com unhas e dentes a liberdade de expressão do Rafinha e dos companheiros de bancada. Mas, por algum motivo estranho, você não entende que quem é contra também possui liberdade de expressão. E é isso que a dona deste blog fez aqui, mostrou reprovação ao conteúdo da "opinião deles"

Vcs tem o direito de desaprovar essas piadas, expor a opinião de vcs e se forem construtivas, melhor ainda! Mas não acho certo fazerem a caveira do cara!

Isso que você chama de "fazer a caveira" somos nós, expressando nossa opinião contrária.

De acordo com o que você prega, você deveria aceitar, não ler. Ir embora. Não passar horas comentando o blog, se você discorda tanto.

Percebe agora? Você diz que quem não quer ouvir, não assiste o programa. Eu digo de volta: quem não quer ler, não fica aqui comentando.

Isso seguindo o seu pensamento. No meu pensamento, eu acho q vc tem toda a liberdade de rebater nossos argumentos (sim, estou endossando a opinião da Lola, pq assino embaixo) e acho saudável o debate.

Só que você está insistindo na mesma tecla desde o seu primeiro comentário. De que "ele pode falar o que quiser pq é um programa de humor e quem não gosta, que não assista". Eu não assisto MESMO. Mas isso não anula o meu direito de criticá-los ("fazer a caveira", nas suas palavras) quando fico ciente das barbaridades que ele diz.

Assim como agora me vi no direito de criticar a sua opinião. Por incrível que pareça, fiz isso para tentar te mostrar o nosso ponto de vista de outra forma. Se achasse q vc era só uma defensora cega do dito apresentador, nem perderia o meu tempo. Mas cá estou, na esperança de que você (e quem concorda com você e está lendo os coments aqui) repense sua posição branda com eles.

Teve um sujeito que apareceu por aqui dizendo que a Lola quer censurar o programa. Mas, gente, ela nem tem poder para tal... Não vi ela defendendo censura em momento algum.

Quer dizer que o programa pode desfazer de todas mulheres e nós temos q aceitar. Mas se reclamamos (nem PROCESSAMOS, NEM NADA ASSIM. SÓ RECLAMAMOS) estamos "fazendo tempestade em copo d'agua".

Ué, então quem chama um simples post de ato de censura está fazendo oq? Soa como "exagero", né?

Além disso, a palavra censura deveria ser usada apenas quando o conteúdo não é reprovável. Se masturbar em público é, sim, censurável. Porque demonstrar a sua libido não é aceitável, na nossa moral. O ordenamento legal é baseado no que a sociedade entende como aceitável ou não. Amamentar não é um ato libidinoso. É uma necessidade, assim como comer e urinar.

A única diferença aqui é que é a necessidade de OUTRO SER, INCAPAZ de se expressar. Quando a gente precisa fazer xixi, procuramos um banheiro. Temos algum controle sobre nossa bexiga. Quando ficamos com fome, aguentamos até achar algo pra comer. Temos controle sobre isso também.

Mas o bebê não fala, nem sabe até que ponto ele aguenta ficar com fome. Então ele chora, para avisar a mãe. E ela tem a obrigação de alimenta-lo, mesmo que esteja na rua.

ana_alice disse...

Assim, é absurdo compararem esse ato ao de urinar em público. O cara q mija na rua não só expoe seu orgao genital, mas também suja a cidade e deixa tudo fétido. É uma falta de respeito TRIPLA.

Oq menos me incomoda, ironicamente, é o atentado ao pudor. Pq eu SIMPLESMENTE NAO OLHO. Então se o peito da mãe alimentando o filho pode vir a te incomodar, não olhe!!!

Pior ainda, comparação ao ato de se masturbar em público. O tesão não é uma necessidade vital, ninguém morre se não der "uma aliviada". Mas as pessoas morrem de sede e de fome, em especial um bebezinho.

Um programa que tem "trilhões" de espectadores, como vocês mesmos admitem, sendo a maior parte desse público de classe baixa, sem estudos, sem poder de reflexão e capacidade crítica, TEM, SIM, O DEVER DE NÃO PROPAGAR ATITUDES ODIOSAS, PRECONCEITOS E VALORES MORAIS TORTOS. Não estou pedindo pra que eles parem de fazer humor, pra que falem sério, pra que se transformem no "Jornal Nacional" (rs).

Mas uma coisa é criticar atitudes condenáveis (como mijar em público, por exemplo) e outra e desfazer da figura da mulher, do negro, do gay, daqueles que não tem voz. Faça piada de homem, então. Homem hetero e branco. Ele é o dono da emissora, o diretor do programa, o apresentador.

Recomendo a leitura desse post (curtíssimo, eu juro) sobre a diferença entre humor e desrespeito: http://blogdobemvindo.blogspot.com/2011/04/autistas-tem-humor-se-limites.html

Eu sei que qd o babaca do Genitlli faz piada de judeu, ele "tá brincando", afinal o próprio Rafinha é judeu. Convenhamos, judeu, hoje em dia, não é minoria oprimida. São os donos da mídia. Da tv, do cinema, dos jornais. Então falar algo contra eles tem grande repercussão. E é algo fácil de identificar, pq todo mundo já ouviu falar em nazismo na escola, mesmo os mais ignorantes.

Agora IDENTIFICAR atitudes odiosas contra o gênero feminino é mais difícil, né? Não existiu o holocausto da mulher. A mulher é aniquilada pela sociedade silenciosamente ao longo dos anos. Sempre foi. Mas não precisa continuar sendo, certo?

Então quando o CQC propaga o nojo contra a figura feminina, um preconceito tão antigo e consolidado na sociedade, que exige muito esforço para as pessoas enxergarem (veja você mesma, uma menina culta, que não percebe, ou não liga, para o machismo nas palavras do seu ídolo), ele está sendo prejudicial à sociedade.

Não sei quanto a vocês, mas eu não acho graça em ser humilhada e reprimida. Talvez por isso mesmo não assista... Gostaria que meus vizinhos, meus colegas, o motorista de onibus, enfim, todos que me cercam, também tivessem discernimento o suficiente pra "perceber" oq é condenável ou não, contado em forma de piada.

Você, Fernanda, veio até cobrar da gente uma postura real, dizendo q n basta reclamar na internet. Engraçado q vc n para pra pensar q nós praticamente não temos voz, não temos poder. O CQC, por outro lado, tem uma voz q ressoa a "trilhoes" de espectadores e faz o uso errado dela, não é? Usa seu poder pra achacar o oprimido.

Mas, concordo com você, reclamar no twitter não basta. Por isso mesmo essas mães q estão sendo oprimidas estão fazendo a passeata. Passeata esta q foi ridicularizada pelo CQC. Bonito, né?

Ariane disse...

tô louca ou aos 3:14 do vídeo o Tas se refere à vagina como 'tubo infecto'? entendi mal?

Avati disse...

Concordo com a autora do post. Inclusive, muitos homens que não discordam, acabam se colocando contra por causa de outros homens, porque ficam constrangidos com o fato de que a maioria dos caras só consegue ver a amamentação em público como nudez. Ficam encarando a mulher, o seio, e não querem saber se você está ali. É claro que existe o erotismo, mas na cabeça de uma pessoa menos impulsiva, aquele erotismo se converte em uma característica passiva do gesto. A mulher, ao menos as que eu vi, jamais torna aquele momento um espaço de sensualidade.

Um grande exemplo desta cultura é aquele filme do Jim Carrey, "Eu, eu mesmo e Irene". Enquanto o protagonista é normal, ele tem uma boa conduta, respeita a todos e aguenta todos os "inconvenientes" que lhe acontecem. Quando ele pira, o que faz? Vai atrás de todos esses "inconvenientes" para resolvê-los. Num deles, ele surpreende a mãe que amamenta com a boca no seio dela. Pra mim, uma clara mensagem de, "olha, aguentei por muito tempo esse peito à mostra, agora chega, agora vou mamar e dane-se essa criança, porque eu sou mais forte e você me provocou". É ridículo.

Lucio K disse...

muito boa denuncia! Postei no meu FB (lucio queiroz k)

Ana Paula Vasconcelos disse...

Ariane, ele realmente utilizou o termo "tubo infecto", mas não se referindo à vagina, e sim ao aparelho de televisão.

Esse é um apelido que ele deu ao aparelho já faz tempo, e toda vez q se refere à televisão ele fala "tubo infecto" (tubo=tubo de luz)..

Acontece que na hora que ele falou, o outro lá tava falando de vagina, e as pessoas acabaram fazendo confusão com isso... rsrsrs

oq ele quis dizer é que a família estava reunida em frente ao "tubo infecto" (televisão) assistindo ao parto da fulana.

nisso ele foi inocente, tá? rsrs

beijos

Joao disse...

então, resumindo o texto, a argumentação principal é: amamentar em publico é ok porque se trata da alimentação de um ser humano. só isso?

com alguns ajustes aqui e ali, periga muito esse argumento ser o mesmo de fazer xixi na rua -- prender o xixi faz mal e é desumano.

acho fraca essa argumentação. e é preciso dar ao outro o direito de ter a opinião contrária tb.

além disso, se trata de um programa de comédia, pessoal... comédia. rafinha bastos é apenas um personagem.

Lord Anderson disse...

João.

Serio que o fato da amamentação servir para alimentar um ser humano em formação é uma argumentação fraca?

Me explica isso direito por favor.

Joao disse...

esse papo de "não olhe"... tudo bem, que desagradável. se vcs vivem na utopia-lândia. vamos falar de realidade? no mundo real, mulher tá recebendo cantada na rua, rabo de olho... algumas mulheres, inclusive, até gostam disso. algumas até saem na rua de decote, de shortinho, e vcs sabem, os homens olham. vão protestar contra isso tb? acho que seria coerente.

Polenta News disse...

Muito bom esse seu texto. Tomamos a iniciativa de republicá-lo no nosso blog (polentanews.blogspot.com), pois o Tass não conseguirá processar todo mundo que contraria ele (que é muita gente).

Abraços diretamente do Sul do país.

Joao disse...

Anderson,

a argumentação pra mim se baseia na ideia de que "alimentar um ser humano" é um gesto muito mais bonito do que fazer xixi na rua. mas não é bem assim. as mães fazem isso naturalmente pelo seu filho, não é nem sequer por altruísmo (verdadeiro altruismo seria amamentar um estranho no meio da rua, aí sim).

de modo que, se é natural... tem muitas outras coisas q tb são naturais e nem por isso a sociedade aceita que façamos em publico.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Senhor João,

na verdade não, amamentação em locais públicos não está ok apenas por se tratar de alimentação, necessidade básica ou coisa do gênero.

Se trata da urgência de um bebê. A amamentação não está relacionada somente à nutrição, vai muito além disso.

Muitas vezes o bebê pede o "mamá" pq precisa de uma ligação mais forte com a mãe, pq está nervoso, assustado, sentindo alguma dor ou coisa do gênero. Sabia que no leite materno encontramos endorfina? poisé, essa substância é capaz de suprimir a dor, causar relaxamento e diminuição do temor e/ou angústia.

Além disso, a amamentação no seio materno, em livre demanda (ou seja, a hora que o bebê pedir), auxilia no desenvolvimento social e psicomotor da criança: crianças que mamam em livre demanda tem melhor aprendizado no futuro, se tornam adultos mais confiantes..

Entende pq a amamentação é urgentee não dá pra mãe passar 20 minutos ignoranto o bebê até encontrar um "local adequado"?

O problema é que a maioria das pessoas, inclusive mulheres e mãe, não têm conhecimento disso, e acabam criticando sem entender.

As mães que não têm essas informações e mesmo assim amamentam em público e acham natural, é por puro instinto materno, pois a natureza é sábia e nós humanos temos sim instintos ainda.

Acho que agora deu pra esclarecer mais...

abraços

Joao disse...

agora sim, uma argumentação muito melhor.

sobre a piada que ele fez, é igual piada de gordo. piada é assim.

rodrigo disse...

Sei que a atriz principal da pagina Lola Corra vai ler o meu post, bom só interessa a ela o que vou dizer mesmo, rs.

Lola você sabe que os herois americanos são diferentes dos nossos, o mundinho deles é autuista e narciso demais para a "macacada" daqui. Vou remeter seu link as caixas de mensagens dos 3 palhaços da peça principal chamada CQC e perturbar na esperança de que LEIAM E REFLITAM que por mais que sofram recaídas.

Que não tentem mais ser um LIXO para a maioria dos brasileiros, pois foi essa a imagem que tive dos 3 eu sou um puta fan do Marco Luque e seus personagens, mais nessa matéria babaca parte do carisma foi pro INFERNO.

CRETINOS FORAM ALEM DA CONTA TODA EQUIPE JORNALISTICA NESSE DOCUMENTÁRIO!

Drica Leal disse...

A argumentação de certos homens é tão absurda que chega a ser engraçada, como essa do João de que "homem é assim mesmo, o mundo é assim mesmo, não sei pra que vocês reclamam, deveriam se conformar de uma vez e não ficar lutando pra conseguir mudar alguma coisa, suas chatas!".

A "lógica" de gente como João, de que homens não se controlam e a mulher que se vire para não excitá-los se não quiser ser incomodada, é bem conveniente pra ele, afinal, ele é homem! Até comparar o ato de alimentar o filho com mijar na rua tá valendo (engraçado é que só homem não consegue segurar a urina até encontrar um banheiro para mijar quando está apertado, né? Mulheres não vivem se agachando pelas ruas pra mijar quando estão apertadas, mas vai ver que esses enérgumenos pensam que mulher não tem nexessidade de mijar, sei lá, rs).

Ainda bem que existem homens no mundo que, antes de tudo, sentem, pensam e se comportam como seres humanos e enxergam as mulheres como tal, fora desse plhar arogantes dos "Joãos" da vida que acham que homem pode fazer o que quiser sem ser questionado enquanto mulher nem amamentar o próprio filho de acordo com a necessidade pode!

Raquel disse...

Não sei como tem gente que assisti esse programa. Vergonhoso!

Vivien Morgato : disse...

Deprimente.

Joao disse...

@Drica Leal

o seu exemplo é ótimo: já que o homem "pode" urinar na rua mas a mulher não, vcs tb vão reinvindicar esse direito? não. o que quer dizer que a reinvindicação pela amamentação, por esse raciocínio, pode ser tão arbitrária quanto qualquer outra. os indios andavam pelados, nós não, e daí, quem é o certo e quem é o errado?

argumento muito melhor foi o que outra pessoa expôs aí. eu sequer dei minha opinião se amamentação em publico é certo ou errado, eu apenas apontei que a argumentação tava fraca. provavelmente porque o objetivo maior, como tem sido praxe na internet, foi fazer pouco de um programa besta de TV.

arrogancia é de quem não aceita uma opinião contrária.

internet brasileira tá muito polemista hj em dia, tá doido.

Guiga Dupont disse...

Parabéns pelo texto.
Absurdo o machismo dos caras do CQC.
Como que um ser pode ser tão ignorante a ponto de comparar amamentação com masturbação?! É por isso que homens não têm o privilégio de ser mãe. Imagina, amamentar não é para satisfazer prazer, e sim para satisfazer uma necessidade da criança, que sente fome a todo momento, sem entrar no quesito benefícios que a amamentação traz. Muitos vezes esse é um ato muito doloroso para as mulheres e nem sempre elas abrem mão de amamentar por amor e por saber o bem que isso trará para o bebê. Experimenta colocar uma criança desesperada de fome no colo de um imbecil desses, aí eles vão sentir o que uma mãe passa, e depois ainda o bebê pode se transformar em um ser nojento desses. Só quem é mãe e amamenta, sabe a diferença de amamentar e dar uma mamadeira para seu filho.
P.S: "ir para o banheiro". Super higienico dar de mamar no banheiro cheio de bactérias. Aff

Luciane Mirella disse...

Concordo plenamente... gosto do CQC, mas acho totalmente machista! Não podemos deixar isso acontecer assim, na boa! Que isso, gente?

Luciane Mirella disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Henrique disse...

Olha, eu acho que era pra ser uma piada...

Esse movimento "super-cult" que ataca principalmente os humoristas brasileiros já encheu a paciência.

Matheus Felipe disse...

mimimi

Robson Fernando de Souza disse...

Post movimentado esse, hein? Uma coisa boa (post com muitos visitantes, divulgações e comentários) mas por causa de um fato péssimo - o CarambaQueCagada e seus integrantes tendentes a trolls da TV fazendo mais uma de suas palhaçadas contra as mulheres.

Quero ver se eles fazem algum dia piadinhas com negros, ou com judeus, ou com nordestinos, ou apoiando o nazismo, diante das câmeras da Band se eles são tão metidos a polêmicos assim. Vão dali direto pra cadeia por racismo ou intolerância religiosa.

O Brasil não precisa dos membros do CQC e de suas apresentações de stand up horror. Estava muito bom enquanto eles se limitavam a pentelhar os políticos ou flagrar as contradições morais dos brasileiros. Mas quando começaram a dar uma de polemistas de meia-tigela, perderam qualquer resquício de respeito e dignidade.

Próxima parada desses palhaços sem graça, especulo eu: fazer troça dos vegetarianos e veganos. Fazer como os alfacistas: esculhambar aqueles que tudo o que fazem é apenas praticar o respeito ético aos animais não humanos.

Astria disse...

Liberdade de expressão, agora e sempre, para todos, sem distinção. Para aquelas q querem botar os peitos pra fora e dar de mamar na rua ou em qq lugar, e tb para os humoristas do CQC, de falar mal e fazer piada disso e de qq outra coisa q seja. Sem ofensas para os dois lados, ok?

Robson Fernando de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Fernando de Souza disse...

"mimimi"

Um mimimi mascu em cima do meu comentário, olha só que bacana...

Como dizem nas comunidades feministas, "machinhos de pintinho duro" fazendo troça das reivindicações das mulheres.

Enoc Jr. disse...

Só me faltava essa, sujeito sem respeito querendo determinar como e onde a minha filha se alimenta.

Ana Paula Vasconcelos disse...

Ah, gente, vou defender. O Sr João em nenhum momento disse ou exprimiu a idéia de que homem pode tudo e mulher não. Ele colocou uma verdade: dizer que amamentação em público deve ser aceita pq é algo natural, fisiológico e tals não é argumento suficiente, pois se o fosse, estaríamos compactuando com o texto infame do João Pereira Coutinho, em "Mamonas Celestinas", que diz em tom de ironia que deveria ser permitido masturbação e sexo em público. não, ele não comparou arbitrariamente sexo com amamentação, ele apenas utilizou o mesmo argumento d q é natural e fisiológico.

Por isso mesmo é que nós, mulheres, que lutamos para sermos ouvidas, devemos sim nos informar para debater de forma contundente assuntos que são de interesse principalmente nosso!!

No meu comentário anterior utilizei argumentos muito mais fortes para defender a amamentação mesmo que seja em locais públicos, e pronto. E o Sr. João gostou dos meus argumentos. Não foi, Sr. João?

Quando ele fala de mulher de minissaia e decote, vamos combinar que ele não está falando nenhuma mentira. Quem usa essas roupas, usa pq quer mostrar partes do corpo, pq quer se sentir bonita e atraente, não é verdade? não é pra isso que nos produzimos por horas em frente ao espelho? Então se ficamos atraentes, chamamos a atenção, e recebemos olhares e cantadas. O ponto é de como vamos nos portar frente à isso. Olhares não ofendem, pelo contrário, envaidece, mas comentários e cantadas toscas para muitas mulheres é quase que "broxante", pq é nojento e de machismo puro. Mas sinceramente, sabem pq muitos homens agem assim? pq tem sim muita mulher que acha lindo quando o cara na rua fala uma merda do tipo "e aí, gostosa!". Tem pq conheço mulheres que são assim.

Na verdade, tudo está na maneira de agir, no comportamento e na postura que a pessoa toma para si. Mas convenhamos que muitas mulheres que se portam de maneira vulgar acabam denegrindo a imagem feminina, assim como homens igualmente vulgares deturpam a imagem masculina. é igual evangélico que faz merda: todo mundo acaba julgando os evangélicos como se fossem todos iguais, não é assim?

Quem amamenta em público o faz pq a postura de MÃE assim exige, a maternagem assim o exige. Mas se homens nos tratam como objeto é pq por muito tempo nós (estou falando do sexo feminino, não de mim ou você) nos portamos como objeto. Se quisermos mudar essa cultura, devemos lutar, mas lutar de verdade.

Acontece que muita mulher por aí acha que direitos iguais é poder fazer as mesmas merdas que homens que são machistas fazem. a gente vê isso o tempo todo: mulher indo pra "balada" e sai "pegando" um monte de cara, com o argumento fraco de que "se homem pode, mulher também pode". caaaara, é vulgar tanto pra mulher, quanto pra homem!!!

Fala sério, se quisermos lutar por igualdade e respeito, devemos imitar ou agir como os homens DE RESPEITO agem, e não copiar os merdinhas das "baladas"...

Axo que perdi um pouco o foco do meu comentário, mas agora já foi...

rsrsrs

abraços

Fabio Manzano disse...

Ana Paula Vasconcelos: Eu morei em Corumbá - MS. 40 graus na sombra. Sei como é o calor, apesar de saber "tb" que o calor que faz aí pode ser até maior. Hoje moro em Curitiba e amo o frio. Aqui tem um clima muito bom também no verão. É propício ao paninho sim, às fraldas no rostinho. Meu filhinho foi amamentado durante muito tempo com este sistema ao estar em algum evento público, ou minha esposa se recolhia a um lugar mais reservado. Ele gostava tanto,que no frio ele mesmo puxava o paninho pra cima dele como quem diz: "fecha aí Ô!" rs... mas imagino que neste caso que vc cita possa sim ser ruim ao bebê. Dá-se um jeitinho para tudo, uma chegadinha a um lugar mais discreto, uma viradinha de costas, uma disfarçada, ou um leque, uma capa de caderno, enfim... - não podendo e não querendo tapar nada, que não tirem o direito à mãe amamentar como queira, claro! Mas segue a recomendação de ser o mais recatada possível pela falta de bom senso do ser humano, pela falta de segurança e policiamento mais ostensivo em locais de grande movimentação,... Eu presenciei uma senhora ofendendo uma moça que estava amamentando discretamente um bebê. Ela dizia: _"onde já se viu dar mamar em qualquer lugar?"(era um terminal de ônibus, apenas parte do seio da moça aparecia, como num decote. O bATE boca quase evolui pra porrada entre as duas se não fosse eu e outros apaziguarmos os ânimos. Acredite você que teve gente a favor da senhora?! É mole? Se a moça estivesse mostrando os seios, aí ia ser pior. A moça não estaria errada em nenhuma das hipóteses. Porém, a ignorância das pessoas anda falando mais alto. Eu, no seu estado P.A.,aqui mesmo no P.R. (EM QUALQUER OUTRO) evitaria andar com meu carro (sem ar) com as janelas totalmente abertas mesmo no calor. Pois apesar de ter este direito os bandidos estão às soltas, tal qual a idiotice na cabeça das pessoas. E é uma coisa que se muda a longo prazo com educação. saudações, frio aqui, calor aí, as vezes dá vontade de trocar um pouco e tomar um belo assaí gelado ou um cremão de cupuaçú! rs

Ronaldo Cezar disse...

quanta besteira num tema só, eles riducularizam pra fazer piada e não como machismo...agora ta na moda se sentir ofendido viu..taloco

Ana Paula Vasconcelos disse...

o exemplo das janelas do carro fechadas cai bem. realmente é difícil fazer valer seus direitos com a insegurança que rola nas ruas, não se pode mais nem parar em sinal fechado (aí a gente tem que escolher: ou sofre acidente ou é assaltado e sequestrado)...

Mas no caso do bebê, veja só... Estou grávida de quase 9 meses, o calor aqui tá infernal, moro em apartamento alto com janelão e varanda, o céu tá nubladérrimo e NÃO BATE VENTO NENHUM!! acreditas?

agora imagina um bebezinho todo empoladinho de alergia do calor (era como eu ficava quando era bebê), tendo que ficar com algo tapando a cara pq mentes poluídas vão querer roubar o peito da mamãe dele. imaginou?

aqui, se tu deres um leque ou um caderno pra mãe tapar o seio sem que digas nada, ela vai entender que estás dando o objeto pra que ela abane a criança, q a essa altura já tá ensopadinha de suor!! rsrsrs

axo que nesse caso, mais que meu pudor (e olha que tenho muito, morro de vergonha até de usar biquíni em praias), deve valer o conforto do bebê. Se vai ser possível cobrir com paninho, eu não sei. Vamos tentar, né?

só pra descontrair: caaaara, ri muito me imaginando com um leque daqueles de dançarina de flamenco!! me senti meio vovó.. rsrsrs

Lucia Marina disse...

Muito legal mesmo, homens!

Homem urina na rua, se alguém reclama é um chato, vai se meter com sua vida; homem escarra e cospe na rua, beleza, tudo bem; homem se coça o tempo todo, ah, é normal; homem vê uma mulher na rua e, é óbvio, a coitada vai ouvir um monte baboseiras, se estiver com decote ou pernas de fora então, era isso o que ela queria, era isso o que ela esperava; homem anda por aí sem camisa, nem aí, tanto que vários estabelecimentos têm que pedir que o indivíduo se vista antes de entrar. HOMEM FAZ PIADA COM ESTUPRO E O HOLOCAUSTO E RI, e um monte de patetas vão na onda!

Agora, mulher amamentar em público é um absurdo, né, coisa que não dá, ela fica provocando com os seios de fora, o homem fica constrangido, ou excitado, absurdo isso. O bebê que passe fome, a mulher que entre em um banheiro público fedido para amamentar, que vire para a parede (WTF!?), que sufoque o bebê com um cobertor!

Sinceramente, queria saber se fosse a mãe deles! Que vergonha, gente, um ato de amor que é amamentar, um momento entre mãe e filho, e homens falando fiado! Eu tenho vergonha é dos políticos em Brasília, eu tenho vergonha é das notícias sobre corrupção, roubos, violência, da mãe ou pai que abandonam ou maltratam os filhos, tenho vergonha da nossa política internacional, tenho vergonha do machismo, do preconceito...

Gente, alguém avisa pra essa tropa que estamos no séc XXI, e não na Idade Média!

Adorei o texto!

Glau disse...

Realmente, o vídeo é nojento. E, definitivamente, eles não entendem nada de amamentação. Triste.

Pamela disse...

Bom, eu os defendo pois sou a favor do humor sobre qualquer coisa.
Eles fizeram uma brincadeira. Tem gente que gosta e tem gente que não gosta. Cade a liberdade de expressão? Se não gosta da opinião deles, não os assista mais, oras.

beijos

Luciana disse...

Gente, o mais ridículo de tudo isso é estarmos em 2011 discutindo amamentação em público. Amamentar é um ato de amor, e realmente quem diz que as mães não tem direito de se sentir especial porque teve um bebê que até uma "cadela" pode ter, de repente é filho de uma. Eu me sinto especial sim por ser mãe... e não é um pseudo humorista ou uma matéria ridícula que vai mudar meu ponto de vista, minha postura com a vida tampouco meus valores. VIVA O MAMAÇO!!!

Su disse...

Lola, pelo que entendi, o Marcelo Tas foi pontual no e-mail que mandou pra você. Ele pede tão-somente que você faça uma retificação quanto ao texto. Quem formulou a piadinha infame e sem-graça (como sempre) foi o Rafael Bastos. O Tas não proferiu nenhuma palavra de caráter machista e misógino naquele momento, e é nisso que ele insiste em ser respeitado. Se ele tem a mesma opinião desses dementes que colocam ao lado dele na bancada, eu não sei, mas certamente que também me incomoda muito o fato de ele rir e não se posicionar contra aquele monte de imbecilidades. Mas ele NÃO DISSE, taí a diferença legal. Você é livre para expressar a sua opinião (aliás, eu concordo com o teor dela), mas no seu e-mail resposta você realmente disse o que ele não disse.

Ana Paula Vasconcelos disse...

"Cade a liberdade de expressão? Se não gosta da opinião deles, não os assista mais, oras."

Então, Pamela.. Eles têm o direito de falarem o q quiserem, e todo mundo tem o direito de apoiar ou criticar, é a mesma liberdade de expressão.

Dizer "não assistam, oras" como quem quer dizer: "parem de reclamar" é defender a liberdade de expressão unilateral.

Ah, fala sério...

Você concorda com eles? ótimo. não concorda, ótimo também. você externou a sua opinião, mas dizer que não podemos contradizer oq eles falaram por causa da liberdade de expressão é absolutamente contraditório, é censurar o direito de resposta..

Rebecca disse...

bem se vê que você não assiste cqc, pois quem de fato assiste, e tem o mínimo de bom senso, sabe que é um programa humorístico, eles são sarcásticos, eles entram no personagem. ou você acha mesmo que o marco luque (o "energumeno") é burro daquele jeito e o rafinha bastos grosso daquele jeito? não, eles não são. eu já tive o maravilhoso prazer de conhecer o rafinha bastos pessoalmente, e te digo que nunca conheci alguém tão atencioso e simpático. você, lola, também não deve saber que tanto o rafinha, quanto o luque e quanto o tas, são casados. e os dois últimos tem filhos. o marco luque, por sinal, tem uma filha pequena, de alguns meses. eu acho que não faria muito sentido ele criticar o ato de amamentar, de verdade, não é? vai me dizer que você realmente acha que eles enchergam as mulheres como um "objeto a ser explorado" (ou seja lá o que se passa na sua cabeça)? querida, deve ter no youtube as cenas extras do dvd do rafinha bastos, em que ele é super carinhoso com a mulher dele, vai dar uma procurada. e também, se você se informar, vai descobrir que em uma das twitcams dele, ele chamou a mulher de "princesa". muito agressivo e machista da parte dele, não acha? e sobre a possível homofobia dos membros do CQC, você sabia que a filha do marcelo tas é lésbica? pois é, no programa ao vivo, ele fala que a filha dele, luiza, é gay, em resposta ao Bolsonaro. então acho que eles não tem pensamentos assim tão semelhantes, não é? sobre as piadas polêmicas do rafinha bastos e do danilo gentili, pelo amor de deus, foi uma PIADA! talvez tenha sido uma piada infâme, pode ser, mas foi apenas uma piada, não é pra ser levada tão a sério. além do mais que eles fazem piadas deles mesmos inúmeras vezes, mas como você não vê o programa, não deve saber disso. bom, lola, por favor, procure se informar antes de falar mal de um dos melhores programas da televisão brasileira. ou pelo menos assista ao programa, quem sabe assim não muda seu pensamento? (não vou nem entrar no mérito de falar do quão bem o marco luque e o felipe andreoli tratam suas respectivas esposas).

Paloma, a mãe disse...

Fantástico, Lola! Eles são uns minibolsonaros, nem me surpreendi com o que disseram em relação à amamentação, pois não esperava nada diferente. O ideal seria não tocarem no assunto mesmo, porque desconhecem completamente o tema.
Mas o seu texto e a sua crítica estão fenomenais!
Beijos

Rebecca disse...

https://twitter.com/marcoluque/status/76239811526135808
https://twitter.com/marcoluque/status/76241292711051264
pelo amor de Deus, vamos ter bom senso, né

Emerson Roger disse...

pra mim eles não falaram nada demais.

Lucio K disse...

a maturidade sexual vem a partir do momento em que o individuo entende que nao precisa fazer sexo com todos por quem sente atração. Esse argumento deles só parece mais um "sustente a minha imaturidade, é responsabilidade sua, nao minha". Ridiculo mesmo.

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 400 de 632   Recentes› Mais recentes»