segunda-feira, 11 de junho de 2012

ESTUPRO, UM CULTO À MASCULINIDADE

Estupro é uma forma de poder e dominação através do sexo. Homens que adotam o modelo de masculinidade vigente ganham de brinde todos os preconceitos mantidos por esse mesmo modelo. Este culto se baseia em dominar as mulheres, principalmente no quesito sexual.
É basicamente isso que diz um ótimo artigo de Gloria Steinem e Lauren Wolfe chamado “Violência sexual contra mulheres é resultado do culto à masculinidade”. Elas apontam que, quando falamos em racismo, o maior foco é no racista. Quando falamos em antissemitismo, o foco é no antissemita. Então por que, ao falarmos de estupro, o maior foco não é no homem que estupra, e sim nas vítimas?
Um exemplo desse culto à masculinidade é que, tanto nas guerras quanto em gangues de rua, homens costumam cometer estupros em grupo. Estuprar em grupo os une. É uma forma de provar sua masculinidade aos outros membros do grupo. Não é incomum que, em guerras, oficiais militares mandem soldados estuprar como prova de sua lealdade. Também não é nada raro que estupradores em grupo digam, mais tarde, que não queriam estuprar, e que só o fizeram por causa da pressão do grupo.
Esta pressão de grupo acontece o tempo todo em nossas vidas. E faz muitos de nós fazermos coisas erradas e contra a lei, como dirigir depois de beber. Por que pensar que essa pressão só se aplica a gangues ou guerras? Vejo direto no Twitter rapazes que querem se enturmar provando sua lealdade uns aos outros através da exibição de sua masculinidade, que se dá via trollagem. Um alvo preferencial são feministas. Parece que atacar feministas vale tapinhas nas costas do grupo todo. Eles fazem isso rotineiramente. Não estou dizendo que esses caras são estupradores, mas que eles sofrem pressão para provar sua masculinidade. E sua masculinidade tem sérios problemas em lidar com as críticas que feministas fazem a um modelo de masculinidade que já ficou pra trás.
Nós mulheres também sofremos muitas pressões, óbvio. Aprendemos lições desde pequenas: aprendemos que é preciso ter um homem, que é preciso agradá-lo sempre, que temos de ser educadas e quietinhas. De onde vocês acham que vem essa realidade de que a maioria das mulheres estupradas não denuncia? Será que a gente se junta numa convenção e decide optar pelo silêncio, ou será que aprendemos isso já na infância?
A pressão social para adotar um único modelo (também falido, a meu ver) de feminidade existe, mas este modelo não é tão prejudicial à sociedade como o modelo da masculinidade. O mundo ainda vê ser feminina como ser mãe e ser bonita. Ser feminina, segundo esse padrão, é ser comportada, é “se valorizar”, é se adornar para atrair e agradar um homem. E ser masculino é sair por aí caçando o máximo de mulheres possíveis, ao mesmo tempo desvalorizando as mulheres que “cedem fácil”. Ou seja, a pressão é justamente para que haja uma guerra dos sexos em que as garotas se valorizam evitando sexo, e os garotos se valorizam fazendo sexo. Tá tudo errado! Precisamos abolir esse pensamento tacanho que mulher se desvaloriza ao ter vários parceiros. Ou que homem se valoriza ao ter várias parceiras. Por que atribuir qualquer valor moral ao sexo?
A pressão social não faz com que os homens saiam por aí estuprando, mas afeta, e muito, o jeito como homens veem o estupro. Pra começar, estupro é visto pela maioria como um assunto feminino e distante. Só acontece com as mulheres, e não acontece com nenhuma que a gente conhece. Estupro de homens só acontece na prisão, e aí a gente ri disso, faz piadinhas sobre abaixar pra pegar o sabonete, é tudo muito engraçado. O dia a dia nos lembra que estupro, a maior diversão, não é um problema. Todas as piadas de estupro que envolvem mulheres têm uma só mensagem: a mulher quis. A mulher gostou. Foi uma oportunidade pra ela. 
E tantos homens contam essas mesmas piadas sem desconfiar que estão perpetuando uma cultura de estupro. Aí, quando vem uma feminista pedir que homens façam a sua parte, que se conscientizem sobre estupro, que condenem o estupro em vez de usar o tema pra piadas, eles praticamente gritam em coro: “Não posso fazer nada! Eu não estupro! Não tenho nada com isso, e detesto você por tocar no assunto e dizer que todos os homens são estupradores!” Bom, em nenhum momento da minha vida eu disse que todos os homens estupram. São vocês que estão dizendo que nenhum estupra, ou que só doentes estupram, ou que estupro não existe, já que vocês não conhecem nenhuma mulher que foi estuprada, e não têm nenhuma amizade com estupradores. Afinal, estupro é só o que acontece em vielas escuras, à noite, com uma mulher que estava no lugar errado no horário errado vestindo a roupa errada.
Até num caso tão evidentemente condenável como aquele de Queimadas, PB (que não recebeu atenção suficiente da mídia), em que homens planejaram uma festa de aniversário para poder estuprar as conhecidas, eu li textos de homens me condenando por falar no assunto e “culpar os homens”. Até num caso desses eles juram que não foi o machismo e o culto à uma masculinindade arcaica que fez os estupradores agirem assim. Foi a natureza humana. Ou o descontrole de um ou outro indivíduo. Bela maneira de tirar o corpo fora, pessoal!
Enquanto homens continuarem vendo estupro como um problema individual, não social, o estupro seguirá firme. Enquanto homens pregarem que o estupro -– que não tem nada a ver com eles -– pode ser resolvido de duas formas básicas (mulheres não se colocarem em posição de perigo: não saírem à noite, não usar roupas convidativas, não beber etc; homens que estupram serem punidos com pena de morte ou castração e serem estuprados na cadeia), vocês não estarão ajudando.
Enquanto vocês disserem que estupro não é um problema seu, vocês estarão ajudando a perpetuar a cultura de estupro. Por que estupro tem que ser um problema só meu, e não seu? Ué, eu, assim como você, não sou estupradora. Eu, assim como você, nunca fui estuprada. A lógica é que se não é um assunto pra vocês, porque vocês nunca estupraram, então não deve ser assunto para nenhuma mulher que não foi estuprada. E mesmo as que foram estupradas, fiquem quietinhas aí, que o tema é desagradável e você está se vitimizando se contar a sua história. Criamos uma espiral de silêncio, torcendo para que, se ninguém tocar no assunto (a menos que seja pra fazer piada; aí pode!), o estupro desapareça.
Assim como estupro não é um assunto feminino, não deve ser visto como um assunto exclusivamente feminista. Homens (principalmente meninos) também são estuprados. O estupro afeta todo mundo. Numa zona de guerra, o estupro não atinge apenas as mulheres estupradas. Afeta os maridos e filhos dessas mulheres. Afeta a comunidade inteira. Afeta os próprios estupradores. Não estamos numa zona de guerra, felizmente, mas estupros (que podem acontecer com sua mulher, sua mãe, sua filha) afetam a forma como mulheres veem os homens. Somos ensinadas a temer vocês. Estupros afetam a nossa liberdade sexual, nosso direito de ir e vir. Só sendo muito tapado pra pensar que um medo constante da metade da população não interfira com a outra metade.
Talvez um bom começo seja refletir sobre que modelo de masculinidade vocês querem seguir. O que é “ser homem” pra vocês? Que modelo de masculinidade vocês querem passar a seus filhos?

400 comentários:

1 – 200 de 400   Recentes›   Mais recentes»
Hamanndah disse...

Boa pergunta, Lola, o que é "ser homem" para os masculinistas?

Ser homem é usar a força física para subjugar e humilhar?

Sabe, Lola, os maculinistas dizem que feminismo é a favor do aborto e a favor de mutilações genitais em homens, porém, vejo muita feminista, como eu, por exemplo, que é contra o aborto e se dá muito bem com homens.

Tenho amigos homens, machistas e não machistas, a quem sou sempre gentil e educada, outros que abraço e beijo no rosto( os comprometidos) e sou também querida por eles

Os masculnistas ficam sem argumento e começam a atirar a rodo

bjs
hamanndah

Hamanndah disse...

Esqueci de falar uma coisa;

Nós, mulheres feministas e/ou humanistas, também repudiamos a violência de mulher contra o homem

Eu repudio o assassinato do empresário da YORK pela sua esposa, Elize

Se ela era traída, ela que se separassse, da mesma forma que um homem traído também deve deixar a esposa/namorada/, pois ninguém merece ser humilhado

Somos feministas também unidas contra o assassinato de homens e mulheres

Bjs
Hamanndah

Lucas disse...

Bom texto!

Acho que mais até do que atacar diretamente os machistas (ou masculinistas), ir direto à raiz do problema, o modelo de masculinidade imposto, é uma arma de desconstrução do machismo ainda mais eficiente.

Sem querer pautar o blog, mas sugerindo, posts mais nesse sentido do que batendo continuamente nos mascus sem avançar na discussão podem ser mais úteis e produtivos!

Abraços

Alessandro disse...

De fato, tudo o que vc disse é verdade. Eu não percebia isso antes, achava que estupro era apenas uma coisa excepcional, que não acontecia com frequência. Acontece que temos toda uma cultura de estupro.

"Ou seja, a pressão é justamente para que haja uma guerra dos sexos em que as garotas se valorizam evitando sexo, e os garotos se valorizam fazendo sexo. Tá tudo errado! Precisamos abolir esse pensamento tacanho que mulher se desvaloriza ao ter vários parceiros. Ou que homem se valoriza ao ter várias parceiras. Por que atribuir qualquer valor moral ao sexo?"

Exato!

Desculpem falar de um assunto não relacionado aqui, mas eu tinha que mostrar isto. Tem um cidadão no BRchan anunciando que vai publicar um livro de ficção sobre o Brasil. Vejam só a história, que coisa mais tosca:

http://www.brchan.org/bairro/res/1412.html

2032: 14 anos após a crise institucional que encerrou a sexta república e gerou a infame constituinte de 2018, o governo brasileiro novamente se depara com o colapso. Os Estados Confederados do Brasil, como passou a ser conhecido o Brasil após a Constituição de 2018, mergulham em um profundo e irreparável conflito entre os múltiplos blocos regionais fortalecidos pela nova constituição.

Aprovada em meio a crise econômica global e com entusiástico apoio dos governos socialistas da então dilapidada União Européia e com o silêncio sepulcral dos EUA sob a 3ª administração de Obama, a constituição de 2018 caiu sobre o Brasil como uma tampa a uma panela de pressão sobre as tensões internas brasileiras.

A nova constituição, projetada para restaurar a hegemonia petista e peemidesbista no poder (encerrada após a crise institucional de 2018 que derrubou o governo petista poucos meses após a sua eleição e acabou por instalar Michel Temer na presidência brasileira, o qual logo foi derrubado também, assumindo a presidência um jovem e desconhecido senador de Tocantins), redesenhou as fronteiras estaduais e fortaleceu enormemente a autonomia local dos estados, centralizando nestes o poder político e concedendo aos governadores o direito exclusivo sobre o voto para as eleições presidenciais).

A frágil experiência democrática brasileira é então sepultada, dando lugar a uma bizarra perversão dos ideais federalistas, na qual uma aliança de governadores de estados do Nordeste com Rio de Janeiro, Espirito Santo e Minas Gerais passa a governar o país com o apoio da maioria dos estados da região norte, a excessão de uma isolada Roraima, que pouco a pouco é dilapidada pelo governo confederado. A "Frente Popular", como ficou conhecida a aliança, composta pela unificação do PMDB com o PT, o PSD de Kassab e o bloco aecista e aloyisista do PSDB controla o país, sem que a frágil oposição, refugiada em múltiplos micro-partidos locais pudesse fazer qualquer forma real de oposição.

São Paulo, mais dilapidada do que nunca, começa a entrar em colapso econômico pela total ausência de recursos e múltiplas barreiras econômicas criadas pelo governo confederado para "promover a igualdade estadual e a distribuição industrial do Brasil". O sul, igualmente abandonado pelo regime confederado se torna um foco de insurreição separatista.

Alessandro disse...

Anônimo, essa coisa de ninguém ligar para o homem ser abusado pela mulher é um efeito colateral do machismo e da "supremacia masculina". Como se presume sempre que o homem é mais forte, ninguém liga quando ele é abusado por alguém supostamente mais fraco. E no que um homem pode ser abusado por uma mulher? Na sua masculinidade, ou aquilo que a sociedade define como isso. Quando uma mulher agride psicologicamente um homem, ela geralmente o chama de gay, fraco, justamente o contrário do que a sociedade define como masculino. Somos todos vítimas do machismo.

Páginas Da Minha Vida disse...

Adorei o texto!

Sinto ainda que este assunto virou tabu.Porque estupros acontecem todos os dias, e a mídia "nem aí".Teve aquele caso dos 10 homens que que fizeram um festa e estupraram as convidadas, e olha,só vi passando no Fantástico.Quer dizer, um assunto sério desses,TINHA sim, que passar a semana toda,gerar debates...

a verdade é que a mídia só dá importância à coisas , digamos "irrelevantes".Toda hora está passando o tal caso da Elize.Foi errado ela ter matado e esquartejado o marido? foi.Se ela não estava satisfeita, que se separasse.mas vamos falar a verdade: todos os dias homens matam mulheres pelos mesmos motivos ( ciúmes, traição...) e não passa nem a metade nos noticiários.Agora porque foi a mulher, não para mais de passar.

a mídia tinha sim que dar mais atenção à esses problemas da sociedade ( estupros , pedofilia,homofobia,misoginia...).Mas infelizmente, é mais um meio de comunicação que nos deixa em falta :/

Anônimo disse...

eu só queria entender por que uma pessoa estupra a outra. o que que passa na hora? falta de empatia? raiva? querer matar tudo dentro da pessoa?

não é por tesão, acho eu. ainda acho que estupro pouquíssimo tem a ver com sexo e tesão.

"Ser feminina, segundo esse padrão, é ser comportada, é “se valorizar”, é se adornar para atrair e agradar um homem. "
sobre isso de papel feminino, fiquei super mal depois de sábado pq me disseram (sem eu ter perguntado) que mulher não pode ser forte (fisicamente) e, em seguida, o cara me falou que mulher tem que ser delicada, tem que ser carinhosa pro homem... e disse que homens têm medo de mulheres fortes. eu disse que homem que tem medo de mulher forte não é homem pra mim. mas depois fiquei arrasada. todo mundo diz que sou delicada, que tenho a pele super macia, que tenho gestos delicados... e me vem um asno e fala como eu TENHO QUE SER. confesso que isso me fez perder o resto de crença que eu ainda tinha na humanidade.

Anônimo disse...

11:35, bem vinda ao clube!

Anônimo disse...

Páginas Da Minha Vida disse...

tem razão vamos perguntar ao marido da elize o que ela acha ?

valores feministas :
extupro de mulher : crime horrivel
assassinato de homem : crime menor

Lord Anderson disse...

Otimo post Lola

é incrivel como tantos homens fogem do assunto estupro. Talvez pq seja dificil aceitar que tantos de nós cometam um crime tão brutal.

Tem que bater na tecla mesmo, denunciar, chamar pro debate, até que todo mundo que não criminoso se dedique a mudar isso, a ter uma nova educação pras crianças, e novos encentivos ao comportamento masculino, que se baseiam no respeito e empatia por todos independentes do genero, etnia ou classe social.

Bruno S disse...

Não dá para nos omitir mesmo nisso.

Depois de ler aqui alguns dos relatos de caso de terror e perceber que praticamente todas já sofreram violência, ou correram risco de sofrer, ou já foram ameaçadas, ou já tiveram fortes motivos para acreditar que o moço sorridente à sua frente representava perigo acredito que a maioria de nós já esteve envolvida em alguma história dessa.

Mesmo não tendo sendo agentes do estupro (ou do abuso sexual, dá no mesmo), provavelmente já fomos omissos com atitudes de amigos ou parentes. Inclusive podemos não ter percebido que a aparente travessura relatada se tratava de uma grave violência. Também já deixamos de perceber o pedido de socorro de alguma mulher próxima a nós.

Como geralmente não estamos acostumados a lidar com estupro como se fosse nosso problema, ignoramos esses sinais.

E mesmo sem nunca ter pensado em estuprar alguém, é bem possível que já tenhamos nos comportado de forma a fazer com que alguma mulher se sentisse ameaçada.

Um texto ótimo para essa parte é o do "Schrödinger’s Rapist", que já acredito que foi indicado nesse mesmo blog.

Acho que reexaminando nossas atitudes podemos fazer com que violências não ocorram, que as vítimas se sintam à vontade de denunciar e que as mulheres não se sintam sempre ameaçadas.

Sara disse...

Lola enquanto o machismo ainda tiver a influência que tem , nada vai mudar no sentido de que o foco desse problema é o homem e seu condicionamento construido por séculos e séculos.
Nós as feministas somos a linha de frente, pra tentar nem que for bem aos poucos, mudar essa mentalidade revoltante, o que vc faz aqui tentando dar um pouco de luz a um tema tão cercado de tabus ja é um passo nessa direção.
Quem sabe num futuro, que espero não esteja tão distante assim, nossas descendentes não enxerguem mais o homem como uma possível ameaça, e que os homens descubram finalmente que não perderam nada, muito pelo contrário, por terem deixado os velhos conceitos de masculinidade para traz.

Anônimo disse...

bruno s, o problema é que nossa cultura é estupradora.

é assunto desconfortável pra todo mundo, mas a gente teria que falar mais nele.

há uns 3 anos, eu tava saindo pra ir ver minha mãe morrendo no hospital qdo eu ouço no jornal global da manhã que uma senhora havia sido estuprada pelo pedreiro. ela tinha uns 74 anos, acho. acredita que a apresentadora virou e falou:"ela devia ser um espetáculo" fazendo, com as mãos, um movimento de um corpo feminino, violão. eu não acreditei, achei que tinha imaginado pq eu não tava prestando atenção e com sono.

UMA MULHER. UMA MULHER SUPOSTAMENTE EDUCADA. CABEÇA DE UM JORNAL supostamente importante.

mandei um email na hora e eu soube depois que muita gente caiu matando. mas não foi demitida e, no máximo, pediu desculpas no ar. me mandou depois por email o que ela leu no ar. mas o estrago já tinha sido feito. se muita gente, inclusive o chefe dela, tolerou isso, dá pra entender que "foi só uma piada, ela já pediu desculpas".

Anônimo disse...

Com tudo e por tudo, eu é que não queria estar na pele de um homem. Deve ser uma chateação só ser bombardeado pela testosterona constantemente.

Anônimo disse...

11:53, quem é essa apresentadora?

Lord Anderson disse...

Caramba, quanto de má fé é necessario pra alguem dizer que um post combatendo um crime esta condenando todo um genero?

e novamente, não falam do crime, do estupro, mas quer jogar a culpa em quem o denuncia.

Tai um exemplo perfeito do que o post falou.

Cláudio disse...

Bom assunto a ser debatido...

Estupro: este ato é cometido por homens fracos emocionalmente que não sabem lidar com a rejeição, aí somam na cabeça: desejo + rejeição = estupro; Todos homens estavam mal acostumados por um momento em nossa sociedade que garantia uma mulher para cada homem (tanto que este sustentasse ela e os futuros filhos) e isso NÃO existe... é natural e normal todas mulheres quererem uns 10% dos homens que se destacam em alguma coisa.

Masculinidade para mim é manter longe outros machos e proteger meu território, minha(s) fêmea(s) e meu(s) filhote(s), exatamente isso que vocês leram, me comporto como machos de outras espécies que são extremamente territoriais.

Anônimo disse...

11:54 - aquela liliane sei lá o quê, do df tv (agora é um cara, mas, se vc é de brasília, sabe quem é).

Luara Tanuri disse...

Lola, gostei muito desse post, me impressiona muito essa coisa da cultura do estupro. compartilhadíssimo.

Gostei do texto, mas ñ muito do título. Como vc sabe, trabalho a terapia tântrica q pretende um culto à feminilidade (princípio feminino)e à masculinidade (princípio masculino)entendendo q são forças, na realidade dual, responsáveis pela criação do universo. Mulheres representam, através da forma organizada, a força feminina e homens a força masculina. Estupro ñ considera a energia feminina. E sem uma a outra ñ se sustenta, são parte de uma só teia, trama, Tantra. ñ há culto ao masculino sem o respeito ao feminino. Estupro é um anti-culto (é possível essa palavra, professora?)à masculinidade.

Abraço

Anônimo disse...

Liliane Cardoso. Não conhecia. Obrigada, anônima.

Anônimo disse...

12:06 - a própria. imagine a dor de um estupro de uma mãe, tia, avó... uma senhora de uns 74 anos. e, no dia seguinte, ainda esse comentário logo cedo. não me espanta que mulheres não denunciem estupros pq até nos jornais são tratadas assim.

Anônimo disse...

bruno s, li agora o "Schrödinger’s Rapist". não conhecia. mas é exatamente isso (e ela luta jiu jitsu! já gostei).

gelei qdo li isto aqui pq o cara que quase me estuprou dentro da minha casa ano passado era SUPER insistente e não entendia "não" em todos os outros contextos. gelei pq eu realmente não tinha ligado uma coisa à outra. e, sim, era um cara legal, as tias dos cafés adoravam ele, todo mundo adorava ele...


"There’s a man with whom I went out on a single date—afternoon coffee, for one hour by the clock—on July 25th. In the two days after the date, he sent me about fifteen e-mails, scolding me for non-responsiveness. I e-mailed him back, saying, “Look, this is a disproportionate response to a single date. You are making me uncomfortable. Do not contact me again.” It is now October 7th. Does he still e-mail?

Yeah. He does. About every two weeks.
(...)
this particular Schrödinger’s Rapist has a probability ratio greater than one in sixty. Because a man who ignores a woman’s NO in a non-sexual setting is more likely to ignore NO in a sexual setting, as well".

Li disse...

que caixa de comentários bizarra, só reforça o post de ontem, e o de hoje como disse o Anderson.

Eu acho que estupro tem menos relação com sexo do que com poder, dominação. Acho que o prazer é muito mais por subjugar o outro, da forma mais humilhante possível do que por satisfação sexual. Nessa relação de dominação, o que é afirmado é o poder pessoal e coletivo. Pessoal na medida em que a aquela pessoa busca submeter outro aos seu mando e coletivo no sentido de estabelecer o poder de um grupo, afirmar que determinado grupo é mais forte e capaz de dominar. Isso que foi comentado no caso de gangues e guerras me parece essa manifestação de poder violenta e cruel de grupos afirmando seu poder.
O que o post traz de muito bacana é apontar que o estupro promovido por um homem é sempre coletivo, pois está afirmando uma estrutura de poder, o patriarcado, que entra nas nossas subjetividades dizendo que existe uma forma específica de masculinidade e esta deve ser honrada defendida, todo poder precisa ser mostrado.

Bom, to pensando isso tudo porque muitas vezes o estupro é colocado como uma coisa de monstros, sociopatas, loucos, etc, pessoas que não teriam poderiam se agrupar na nossa sociedade, portanto não teriam vínculos o suficiente pra exercer poder. Então o problema não é nosso, não compartilhamos com essa estrutura social.

Mas não é isso que acontece na prática, os estupradores são pessoas comuns, muitas vezes educadas e gentis, totalmente integradas na nossa vida social.

Eu disse...

Anônimo das 11:57, você não leu o texto ou se faz de louco mesmo? Esta bem claro que os homens não são todos estupradores, mas para mudar essa cultura de estupro eles também têm que mudar suas atitudes. Me da nojo de pessoas como você que ficam manipulando texto para que sua ideologia machista sobre o feminismo soe verdadeira. Muito baixo isso.

Anônimo disse...

"Mas não é isso que acontece na prática, os estupradores são pessoas comuns, muitas vezes educadas e gentis, totalmente integradas na nossa vida social."

e aí, se acontece como quase aconteceu comigo, eu que sou a louca por dispensar um cara "tão legal" assim.

Anônimo disse...

Os homens tem que mudar suas atitudes... concordo.

Porém, acho que as mulheres tem que mudar suas atitudes também, e aê?

Anônimo disse...

om, antes do estupro, vem o assédio tipo insitência. Nem sempre fazemos essa associação de imediato. Separamos as duas situações e a lei também. É bom tomar conhecimento dessa nuance e já tomar providências antecipadas. Dar nome aos bois pode funcionar. O cara começou a insitir, já o define como estuprador e bate em retirada.

Anônimo disse...

12:31, Temos que mudar sim. Desconfiar de todos, inclusive de você.

Iara disse...

Muito bom o texto, gostei demais.
O assunto é delicado mesmo, eu ainda me assusto com a reação dos homens diante do que é um estupro.Li coisas terriveis quando o Rafael Bastos fez aquela piada sobre estupro, fiquei boba de ver homens inteligentes apoiando, como senão fosse nada demais,a visão masculina é o que mais me assusta nisso, a maneira como isso é retratado em novelas, filmes, é uma violencia constante com a mulher.

Larissa disse...

Que atitudes as mulheres devem mudar, anônimo 12:31?
Por acaso elas devem evitar de sair de casa, de voltar do trabalho, devem comprar um carro pra não ficar submetidas ao perigo da rua, devem usar uma burca?
Vou te contar uma coisa que você não sabe: as pessoas precisam trabalhar, têm que estudar à noite, e ainda precisam voltar para suas casas, sãs e salvas. E nem sempre tem gente disponível para montar guarda ao lado dela, e isso nem deveria ser necessário, se a mentalidade fosse de respeito ao próximo!

Iara disse...

Mas para eles é sempre assim, são as mulheres que tem que mudar, não eles, os intocáveis!

Maicon Vieira disse...

Páginas Da Minha Vida disse...

"a verdade é que a mídia só dá importância à coisas , digamos "irrelevantes".Toda hora está passando o tal caso da Elize.Foi errado ela ter matado e esquartejado o marido? foi.Se ela não estava satisfeita, que se separasse.mas vamos falar a verdade: todos os dias homens matam mulheres pelos mesmos motivos ( ciúmes, traição...) e não passa nem a metade nos noticiários.Agora porque foi a mulher, não para mais de passar."

Creio que o motivo não seja por ter sido a mulher e sim a vítima ser uma pessoa considerada importante.

Anônimo disse...

12:39 - nem usando burca, né, pq freiras são estupradas, mulheres mais velhas (supostamente fora do padrão desejável pra caras de 20 anos) tbem são... só de existir, já parece ser provocação, né?

e lembrando que, se for assim, meninos (crianças) tbem deveriam "se proteger". pq, né, o que esses meninos fizeram pra provocar um estupro? usaram decote? o que prova que a doença tá na cabeça do estuprador, não da vítima.

Anônimo disse...

maicon, eu concordo. não acho que tenha sido só pq foi mulher. o chico picadinho é lembrado sempre.

Anônimo disse...

iara, eu acho que todos nós devemmos mudar. a sociedade tem essa cultura do estupro. claro que eu ou vc, como indivíduos, não aprovamos o estupro e não fazemos piadinha com isso. mas nossa sociedade é estupradora. no geral. homens e mulheres.

Larissa disse...

Com relação aos "insistentes" (nome bonito para canalha estuprador né?), a desculpa sempre é: "ah, ela estava fazendo doce, mas queria, só insisti um pouquinho e foi".

Anônimo disse...

Larissa, todo movimento tem seu risco. Assumimos um monte de riscos calculados todos os dias. Agora me diz: é necessário ir a bares, festas, baladas e encher a cara, passar mal, ficar a mercê dos imbecis que vão querer tirar proveito de nossa fragilidade? os homens se protegem também, fique sabendo. Os que dão mole, entram pelo cano igualzinho.

Larissa disse...

Anônimo 12:39, eu estava sendo irônica....

Anônimo disse...

12: 46 - ok, tem o boa noite cinderela, tem gente que mata com soco e tal. mas acho que a diferença entre homem é mulher é que um cara, num ambiente de trabalho (pra citar algo comum), nunca vai ficar pensando em estupro (ou boa noite cinderela, ou que vá morrer de socos). já uma mulher, se ela tem que ficar até tarde e tem só um cara lá, muita chance há de que ela ou avise pra alguém que tá ainda no trabalho, ou peça pra alguém buscá-la ou, mesmo que de maneira menos aberta, pense em estupro. a questão do "tô sozinha aqui com um homem" acaba passando pela cabeça da mulher.

mesmo que eu ache que o que sustenta a cultura do estupro é a sociedade toda, não só os homens. pq eles tbem são vítimas.

Anônimo disse...

Cultura do estupro não existe. O estupro é universal, não cultural. Os bichos estupram livremente, diga-se de passagem. Estupro e assédio tben não é virose que se erradica com vacina. Antes fosse.

Larissa disse...

Anônimo 12:46, é necessário que a pessoa tenha liberdade para ir onde quiser, beber se desejar, e mesmo assim, ficar segura de que não será tocada se não desejar. É tão difícil assim entender que estar bebendo numa festa não significa que a pessoa está aberta a todo tipo de situação? É tão difícil entender que devemos respeitar o próximo? É essa mentalidade que tem que mudar! Partindo da sua premissa, é permitido ao homem passar a mão em mulher na rua, porque ela estava dando mole ali, então está liberado pra tirar proveito.

Anônimo disse...

Acho que ninguém aqui está dizendo pra mulher nenhuma encher a cara mesmo e confiar na sorte, eu mesma acho que beber demais é bobeira, eu não como 2, 3 quilos de comida, pra que eu tomaria 2, 3 litros de álcool... a questão é que beber não causa estupro, o que causa estupro é o estuprador e passividade da nossa sociedade em relação a isso.

Anônimo disse...

Uma coisa que o feminismo quer colocar e todos os homens o sentimento de culpa pela ações de outros homens criminosos e estupradores. Isso nunca vão colocar em mim, porque eu não posso responder pelo atos de outra pessoa.

O feminismo colocou nas cabeças das mulheres, que são livres para fazer o que quer na vida, não medindo as consequencias dos seus atos.

A liberdade não existe para ninguém, ninguém é livre para fazer o que quer a vida, todos nós somos limitados perante a sociedade, se quiser ir mais para frente sofrerão punições.

O mundo sempre quer mais liberdade, esta indo para o buraco e não aprende. Lola tem que parar de colocar idéias erradas na cabeças das mulheres, senão quantas mortes e estupros serão necessarios para arender que não somos livres para fazer o que quer, seja homem ou mulher.

Tem um video no youtube, que todos os homens numa festa se ajoelham para pedir desculpas para as mulheres devido pelo suposto seculos de "opressão", é isso que você quer, que os homens sempre peça desculpas para as mulheres, por ter nascido homem? Quer que viva sempre me desculpando e falar "amém" para todos os comportamentos inadequados das mulheres? Eu e todos os homens descentes não devemos desculpar por nada, que os estupradores fazem.

O feminismo sim rotula todos os homens de maus, estupradores e um mal que deve ser combatido. Já vi utros posters seus falando que todos os homens são potencialmente estupradores. Para com isso, isso é paranóia e já é doença.

Anônimo disse...

Esse caso de Queimados é bem sintomático,os caras conheciam as vítimas,todos estavam numa festa confraternizando,as esposas dos mesmo tmb estavam no recinto e nada disso foi impecilho pra bárbarie que se seguiu,o pior foi ver a galera,maioria homens,condenando as vítimas,apontando o fato delas terem aceitado ir a uma festa com tanto homem,sendo que nenhum era namorado/esposo,quer dizer...eles mesmo se condenam fazendo isso,a mensagem é clara; não confiem NEM nos seus amigos,principalmente se estiverem em grupo.

Cética

Braga disse...

interessante que se estigmatiza a vítima, se estigmatiza até o estuprador condenado (em geral é justiçado no cárcere, ou sob vive a eterna ameaça) mas se faz vista grossa pro sexo não consentido que não vai parar na delegacia.
e claro, se ignora totalmente a raiz cultural do estupro. também, pudera, desde tempos imemoriais é uma arma de guerra, contra as sociedades, ou como instrumento de dominação ou até 'correção' contra os indivíduos, servindo pra reafirmar a dominação do gênero masculino.
a mudança vem ocorrendo, mas engatinha. e continuará engatinhando pelas idéias de boa parte dos homens e, mais lamentavelmente ainda, de mulheres.

Anônimo disse...

cala a boca, caracala. vai encher o saco noutras bandas. vaza

Anônimo disse...

12:54, está dizendo sim. Mesma coisa, deixa seu carro com a chave na ignição de porta destrancada e vai às compras. Quando voltar, que o carro esteja ali intacto. Bom, pode ser que ninguém veja ou que ninguém se interesse. Ah a culpa é do ladrão, roubar é crime. OK, se seu carro não lhe faz falta, arque com as consequências e ou nem corra atrás.

Bruxinha disse...

Trabalho na justiça criminal e um dia desses fiquei chocada- e olha q pouca coisa me deixa assim ultimamente, tanta coisa feia ando vendo- uma moça foi vítima de um estuprador serial, um doente, um maníaco, seja lá que nome se dê pra uma criatura abjeta daquela. O fato é que essa mesma moça, casada e com um filho adolescente, estava sendo vitimada duas vezes: a primeira pelo fato torpe em si e a segunda pq o marido simplesmente não conseguia aceitar que ela tenha sofrido o ato sexual. Na cabeça dele acredito que tenha encarado como traição (!!)e sério: ele chegou a dizer que a mulher poderia ter reagido, mesmo que o assaltante e estuprador na ocasião tenha usado uma arma para intimidá-la e consumar os delitos. Que nome tem isso? Machismo, né? Mt triste!

Anônimo disse...

O único tipo de estupro que vejo causar comoção é o de meninos e meninas pequenas (essas se forem bem pequeneninhas mesmo) pq se for do sexo feminino, sentar na calçada e os pezinhos tocarem no chão,como eles gostam de dizer,já sabe o quer e foi pq quis,é NOJENTO.



Cética

Anônimo disse...

"Acho que ninguém aqui está dizendo pra mulher nenhuma encher a cara mesmo e confiar na sorte"

está sim.

Anônimo disse...

bruxinha, muitos maridos se separam de suas mulheres depois de um estupro.

Anônimo disse...

se vc anda por aí sem colete a prova de bala e morre pq tomou um tiro, LÓGICO que a culpa é tua.

só genialidades no baguio.

Anônimo disse...

12:55, pera lá, Lola nunca disse que considera todos os homens estupradores em potencial, pelo contrário.

Anônimo disse...

13:03, então, isso mesmo, ninguém está dizendo pra vc deixar seu carro aberto, parado em qualquer lugar, mas o fato de vc trancar, botar alarme, evitar certos lugares não impede que seu carro seja roubado. Meu carro foi roubado 10 da manhã na porta da minha casa e por isso eu tenho todo o direito de reclamar da segurança pública. Por isso se vc quer mesmo comparar um crime hediondo como estupro à roubo de carro, saiba que não, ninguém está dizendo pra mulher encher a cara, só estamos dizendo que esse não o motivo, que a culpa não é dela e a sociedade tem que mudar.

Anônimo disse...

13:10, depende de onde você anda. Se for no meio do fogo cruzado num motim ou guerrilha, aconselho fortemente a usar um colete à prova de bala. No outro dia, um jornalista morreu por causa disso.

Luciana disse...

Excelente texto Lola! Espero que muitas pessoas reflitam sobre o assunto.

O estupro é uma violência brutal que não é combatida, muito menos debatida. As mulheres são ensinadas a temer e sempre são apontadas como culpada (o que é um absurdo). Não consigo entender como existem pessoas que vomitam seus pensamentos perversos e hostis, fazendo brincadeira sobre um assunto tão triste.

Os pais / a sociedade deveriam ensinar o respeito para seus filhos, e não a violência.

Anônimo disse...

daí basta usar um cinto de castidade! é, viva a idade média!

Anônimo disse...

13:11, e vem você com esse argumento roto de que a culpa não é dela. Não discuto de quem é a culpa. Discuto as precauções para não ocorrer o estupro. Não ter culpa por ser estuprada não atenua o fato, o sofrimento e tudo o mais. Quer discutir de quem é a culpa, pega outro. Abs

Lord Anderson disse...

Caracala

tb cai a mascara de quem diz que respeita dereitos, mas não tem emparia nenhuma pela vitima.

Sò alguem muito mergulhado no proprio umbigo para se ofender com que se posiciona e luta contra um crime tão barbaro.

E outra coisa, a primeira reação de muitos homens é dizer que nem não se pode ver todos como estupradores em potencial, mas ao mesmo tempo condenam as mulheres por darem "mole", e por não se precaver, por ficar atentas a toda possibildiade de estupro.

Agora expliquem ai genios, como ela pode ter todo esse cuidado e não considerar cada homem como um estuprador???

Anônimo disse...

"O estupro é universal, não cultural. Os bichos estupram livremente, diga-se de passagem."

eu sei que existe estupro entre animais. acontece que não são todos e, principalmente, nós somos seres "pensantes". já li relato de estupro coletivo entre golfinhos, mas sei tbem que cachorro não cobre a cadela se ela não quiser. o mesmo, com outros bichos.

se fosse assim, estaríamos andando ainda de 4. pq, né, é natural. andar em pé e sem usar os membros superiores é cultural. ou a gente diria então que deveríamos todos andar de 4 pq nossa estrutura óssea sentiria menos com isso? houve uma evolução que fez o homem moderno se adaptar. o mesmo com certos valores.

a gente não pode justificar tudo dizendo que animais fazem assim e que é a natureza. a gente tem uma evolução inteira aí no meio.

Anônimo disse...

Larissa e Iara,

saíram logo falando um monte de besteira né? Escrevi duas frases e já saíram falando que mudar de ATITUDE seria deixar de trabalhar. Pelo amor de Deus.

Que tal uma coisa simples, que tal não encher a cara até desmaiar? Se já fizer isso acabam todos os estupros devido a bebida. (pelo menos no referente homem => mulher desmaiada ou embriagada).

Já pensou, em 24 horas dá pra resolver esse problema e é de se imaginar que as possíveis vítimas sejam as mais interessadas nisso. Aê, a geração atual não vai ter histórias do tipo pra passar pra geração futura, fazer algo do tipo vai se tornar algo bem errado, como deveria ser.

E sim, existem milhares de outros casos, que poderíamos catalogar e entender cada tipo.

Já citaram aqui o caso de homens muito insistentes, quem sabe se para com o retorno positivo pela insistência isso acabe também. Não tem como convencer um cara a não ser insistente se é isso que está dando certo com as mulheres pra ele.

E podem desconfiar de mim, a Lola direto deleta comentários meus aqui. Afinal, por ser homem sou automaticamente um potencial criminoso... ou nem potencial se eu for masculinista certo?

Eu sempre me pergunto se vocês percebem a ironia dessas posições extremistas e infundadas.

Não se citou um único estudo nesse post, o que é estranho porque existem, colocaram coisas totalmente tiradas de um "senso comum", mas pelo fato de ser uma posição feminista é aceito.

Anônimo disse...

"13:10, depende de onde você anda. Se for no meio do fogo cruzado num motim ou guerrilha, aconselho fortemente a usar um colete à prova de bala. No outro dia, um jornalista morreu por causa disso."

pois é. acontece que, pra mulher, correr no parque é fogo cruzado, andar de ônibus à noite é guerrilha e trabalhar até tarde sozinha com um homem é motim.

Anônimo disse...

Desculpa 13:15, mas roto é você, nem só os seus comentários, que nem entendeu ainda que a discussão não é sobre precaução, até pq ensinar a mulher a se precaver, a sociedade já faz o tempo todo desde que ela nasce. Se vc não tem nada a acrescentar, pense um pouco antes de escrever.

Anônimo disse...

13:11

Não foi a Lola,e numca disse ter sido ela,leia de novo,faça um esforço,tá fácil de entender.

De cair o c da bunda ficar fazendo essa analogia cretina entre roubo de bens materias(quando o ladrão vai roubar não olha o sexo do dono)e o esturpro que tem um sexo especifico como alvo.


Cética

Anônimo disse...

Ah sim, adicionando porque já vi que a lógica não impera os comentário, o estupro também acaba se os criminosos pararem de efetuá-lo. O problema é que o criminoso não quer e não se importa com a consequência, é um trabalho muito mais demorado conseguir coibir e mudar a mente dos mesmo.

Já as vítimas devem querer muito evitar esse tipo de crime o que permitiria mudanças muito mais rápidas.

Esse é o mesmo raciocínio de eu não andar abanando notas de R$100 à noite em um bairro perigoso.

Sim, mulher não é dinheiro, estou apenas apontando uma análise de causas e conseqüências e formas para resolver o problema.

A pergunta é: Vocês querem resolver o problema ou querem resolver o problema somente de uma única forma específica em que apenas vocês fiquem satisfeitas?

Se quisessem resolver mesmo o problema já teriam mudado de atitude e então cada caso de estupro ecoaria muito mais forte na sociedade, ficaríamos cada vez mais chocados com essas atrocidades e a luta por justiça seria mais eficiente. Mas qualquer coisa que peça a mudança de atitude de uma mulher é uma ofensa.....

Anônimo disse...

Mulheres existem para serem protegidas S2

Larissa disse...

Bom, eu quase fui vitima de estupro na seguinte situacao: indo trabalhar, 8 h da manha de segunda. E ae, eu dei mole? O cara quase me enforcou com o cordao do meu cracha, e eu consegui escapar. Ae a teoriazinha de que soh acontece com quem esta dando mole cai por terra, porque, eu nao estava merecendo, afinal, estava indo trabalhar.
Culpar a vitima eh tao monstruoso que chega a me dar nojo de quem pensa assim.

Anônimo disse...

Lord Anderson

Sou jornalista e já entrevistei todo tipo de pessoa e faço a seguinte pergunta. Matar é errado? Roubar é errado? Humilhar os outros é errado? Estuprar é errado? Para pessoas ditas normais isso é errado, mas para muitas pessoas é certo.

Os ladrões na cadeia falam: "Estava cero de roubar, nasci pobre e ninguém nunca me deu nada, roubei de quem tinha". Na cadeia todo mundo fala que são inocentes, no máximo que fala que são vitimas da sociedade.

É a mesma coisa na cabeça do estuprador, na mentalidade dele esta certo, se a mulher não se cuidar sofrerá o estupro.

É a mesma coisa quando saio com objeto de valor na madrugada e todo mundo esta vendo, eu estou chamando o ladrão. Sem esticar o assunto, façam o que querem, quem vai ser estupradas e mortas serão vocês mesmo, pois não somos livres para fazer o que quer na vida.

Obs: Golpe baixo das feministas sempre usam o estupro para assustarem as mulheres, para que possa entrar para p movimento, enm que seja pelo medo.

Anônimo disse...

13:26 - claro. aí pessoas doentes em camas de hospital têm que tipo de atitude que provocaria estupro? velhinhas dentro de suas casas provocam como? crianças de 9 anos provocam seus pais/padrastos como? a mulher do valdívia evitaria a tentativa de estupro como? uma mulher saindo pra trabalhar às 3 da manhã poderia evitar tbem se saísse outro horário. e andar de ônibus, jamais, só na hora do rush e tomando cuidado pra não encostar demais em alguém no ônibus lotado.

muito lógico. é só ninguém beber, usar decote e não andar sozinha na rua que todos os estupros serão exterminados.

Lord Anderson disse...

Anonimo jornalista

Mas parece que vc tem um problema de interpretação de texto, a Lola não fala s´odo estupro, fala da conveniencia com ele. Da mania de pessoas de dizerem que a vitima foi culpada, de duvidarem, de fazerem piada, de não ter empatia com a vitima.

Outra coisa, vc deve saber que a maioria dos estupros são cometidos por conhecidos e até mesmo familiares.

E sempre se culpa a mulher.

É contra isso que tem que se lutar.


E todas as mulheres são ensinadas a tomarem cuidado, mas quando se fala em ensinar homens a não estuprar, alguns como vc saem no ataque ao inves de refletir sobre a presença constante do estupro.


Outra coisa a Lola não precisa usar o estupro como bicho papão, ele acontece diariamente.

Cris disse...

Anônimo das 13:26: Nojo de vc.

Anônimo disse...

e o curioso é que, por essa lógica, nenhum homem deveria trair, né, pq, se traísse, terminaria que nem o cara da yoki.

ou seja: vamos ensinar os homens a não traírem para que não sejam mortos. afinal, ele provocou.

sim, estou sendo irônica.

Maicon Vieira disse...

Mas como o culto a masculinidade seria responsável por estupros cometidos por mulheres contra mulheres? Li que em presídio femininos é comum a presidiária ser estuprada por causa de dívidas, acertos de contas e tal. Como nesses casos o culto a masculinidade seria responsável?

Anônimo disse...

haha, 13:38, foi um risco que ele correu. Mal calculado, pois fez tudo à luz do dia. Fora as outras que ele aprontou e a ameaça de tirar a filha da mulher. Ainda por cima, deu uma arma de presente à esposa que treinava tiro como ele próprio. Se arriscou um monte. As pessoas não conseguem antecipar desdobramentos de seus atos. Fazer o que?

Anônimo disse...

Reparem que quando falei mudar de atitude não disse que era a solução definitiva do estupro.

Porém, pelas medidas dos próprios sites feministas, cerca de metade estão nos casos de bebida e noitada.

A outra metade estão no caso dos familiares, médicos, conhecidos e os malucos que atacam na rua.

Agora eu me pergunto se é esse senso comum de acharem que é culpa da mulher nos últimos casos citados.

Quando um médico estupra uma mulher, não conheço uma única alma que diga que foi a culpa da mulher.

Quando um pai/tio/etc... estupra a filha, não conheço pessoas que digam que ela estava pedindo (mas já ouvi relatos de pessoas do interior)

Quando o maluco do parque atacou as mulheres no parque não vi ninguém dizendo que a culpa foi delas.

Agora quando a mulher enche a lata e um safado se aproveita dela, aê eu conheço muito gente que não tem empatia por ela.

Claro, muitos de vocês provavelmente dirão que já encontraram dezenas de pessoas que acham que a culpa é da mulher sempre (o que me impressiona muito onde vocês encontram essas pessoas), mas se fizer uma análise mais a fundo CREIO que verão que não é uma sociedade a favor do estupro.

A sociedade é sim contra o hedonismo, então grande parte dos estupros não recebem empatia da sociedade. Isso é errado? Talvez seja, mas não saiam misturando dois crimes em situações diferentes como a mesma coisa.

Maicon Vieira disse...

"e o curioso é que, por essa lógica, nenhum homem deveria trair, né, pq, se traísse, terminaria que nem o cara da yoki.

ou seja: vamos ensinar os homens a não traírem para que não sejam mortos. afinal, ele provocou.

sim, estou sendo irônica."

Teve um jornalista que falou quase isso, disse que homens que tem amantes que tomem cuidado por podem acabar que nem esse cara.

Cris disse...

Mais uma característica de mascu no anônimo das 13:26:

Sérios problemas de interpretação de texto... e de contexto também.

Volte lá para o seu espaço, que são os blogs masculinistas, e defeque lá as suas m*****.

Cristopher Ramon disse...

Anônimo disse...
Cultura do estupro não existe. O estupro é universal, não cultural. Os bichos estupram livremente, diga-se de passagem. Estupro e assédio tben não é virose que se erradica com vacina. Antes fosse.

11 de junho de 2012 12:51

Anônimo, desde quando o estupro é "universal", para a antropologia esta tese ainda não foi comprovada, trabalhamos com a tensão entre o universal e o particular, ao fazer referência ao ser humano é preciso pensar como a Cultura (no sentido adaptativo-ecológico) está relacionada à filogênese, Geertz explora bem esta tese no artigo "a transição para a humanidade", postular uma natureza "hobbesiana" é literalmente se precipitar em suas conclusões e aplicá-las aos outros como se elas já estivessem lá...lembre-se, o pensamento também pode ser invenção.

carolinapaiva disse...

Nossa, falar sobre estupro deixa as pessoas muito na defensiva.

Olha, é óbvio que não dá para erradicar o estupro, assim como não dá para erradicar qualquer outro crime.

É óbvio que temos que nos cuidar em qualquer situação, não é isso que está sendo discutido aqui, gente.

A questão é: em qualquer outro crime, as vítimas são consideradas como vítimas apenas, não se discute se ela mereceu o crime ou não, se pediu por ele. Agora, quando se fala em estupro, a primeira coisa que o povo faz é procurar meios de julgar a vítima.
Pensem, gente: por que esse julgamento moral da vítima SÓ ocorre no estupro?

Resposta: porque a pessoa violada é considerada suja pela sociedade. Claro que ninguém diz isso abertamente, mas todo o julgamento moral que fazem somente com as vítimas de violência sexual aponta para isso.

E no que esse julgamento moral da sociedade afeta a impunidade dos crimes de estupro? O que nós, como coletividade, devemos fazer?
É muito simples: basta tratar vítimas de estupro como vítimas de outros crimes.
Por que muitos não denunciam o estupro sofrido? Por medo da reação da sociedade. Por medo de serem excluídos, de serem considerados "sujos".

Se as vítimas de estupro fossem tratadas como outras vítimas (sem apedrejamento moral) crimes de estupros seriam punidos com maior facilidade.

Querem ajudar? Não façam piadinhas de estupro nem desmereçam as vítimas, assim como não desmerecem vítimas de outros crimes.

Se algo assim é tão difícil de entender, então que 21 de dezembro de 2012 venha logo e que os conspiranóicos de fim de mundo estejam certos.

Anônimo disse...

Lord A. eu não acho essa bandeira de eximir a mulher de culpa pelo estupro algo muito vantajoso. Qual é? Vamos continuar a sermos estupradas desde que a culpa não seja nossa? De que culpa estamos falando? Não há culpa legal da mulher no estupro. Não era melhor hastearmos a bandeira do não permitiremos o estupro e mais ainda, reagiremos à altura? Já pensou se a moda pega e todo traidor de esposa levasse chumbo?
Os homens arredam facilmente perante a ameaça de punição ou reação. Aliás, eles fogem de reação. Por isso não gostam de mulheres mandonas e reativas.

Relicário disse...

Ótimo texto Lola!

Quando adolescente essa atitude masculina já me incomodava horrores, naquela época andaram ocorrendo uns estupros de garotas que estavam acompanhadas de seus respectivos namorados, e estes últimos apesar de todo o drama acabavam os relacionamentos por "vergonha" de continuar com a menina, era um assunto recorrente na nossa roda de amigos, e eu ficava sempre muito revoltada com a indiferença da maioria dos "meninos" que se comportavam como se aquilo em nada tivesse a ver com eles.
Oras bolas, como assim? Que mundo é esse em que estamos sozinhas na hora de lutarmos com um inimigo que atinge à todos de uma maneira ou de outra...é realmente absurda a cultura que culpa a vítima de estupro por estar na hora errada e vestida da forma errada, como se "ela" sozinha pudesse evitar um mal que atinge toda a humanidade.

Anônimo disse...

Cristopher, se você me apontar uma sociedade sequer em que não haja o estupro (não vale aquelas em que o estupro é reprimido), retiro o que disse. Inclua-se a coação em geral, porque o estupro nada mais é do que uma coação.

Anônimo disse...

Tem gente aqui que além da cultura do estupro alimenta a cultura do medo.
Aposto que mais da metade assina a Veja.

Anônimo disse...

Cris, creio que o seu nojo seja direcionado a mim.

Só posso dizer que você é livre pra fazer o que quiser e que EU não tenho responsabilidade nenhuma pelo que lhe acontece.

Eu como homem me recuso a ser punido pelo que outros fazem, ainda mais resultante de ações questionáveis.

Só posso ser responsável pelo que eu faço.

Anônimo disse...

Em resumo,mulheres tenham um comportamento "honesto"(ditado conforme as normas da sociedade nojenta e dotada de uma dupla moral)lembrando sempre que esses códigos são fluídos,uma simples minisaia é suficente pra te tirar do "rol" das respeitaveis,e considerem bem feito qualquer violência cometida contra vcs ou outras,afinal,vc procurou.

Cética

Relicário disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Iara disse...

Ai, gente cansei !
Já falei para a Lola cobrar 1 real para cada comentário cretino de trolls e doar o dinheiro para a causa.
Mas hoje já cansei de ler tanta besteira!
Não adianta filosofar, estupro é crime e ponto final.
Não tem teoria ,não é aceitável e acabou .
Estupro é crime e a pena deveria ser a mais dura possível.
E no caso desses trolls e seus argumentos (?) não vejo solução nem cura,nem educação, caso perdido mesmo,por isso sou a favor de cobrar pedágio deles aqui, reverter em uma coisa boa tantas ofensas gratuitas .

Anônimo disse...

Relicario, vestimenta não vem ao caso. Fosse assim, as prostitutas de rua seriam estupradas toda hora.

Relicário disse...

Anônimo das 13:50

Não sei qual o mundo que vc vive, no meu mundo, e veja bem trabalho na área, vejo sempre a culpabilização da vítima, e colegas que insistem em argumentar sobre o comportamento moral da vítima, e como ela contribuiu para o ocorrido, para culpar a vítima não há a necessidade de previsão legal, costumam chamar de falta de provas...

11 de junho de 2012 14:00

Anônimo disse...

Iara, isso sim. nada de trocar pena de reclusão por serviços à comunidade. Isso é incentivo ao estupro. BTW, ninguém aqui aventou da descriminalização do estupro. Passar bem.

Relicário disse...

Querido anônimo se informe melhor pois prostitutas também sofrem estupros...

Anônimo disse...

Sou o 13:26 e 13:58,

acho que as mulheres deve atirar mesmo nos maridos traídores, desde que elas sejam presas pelo crime sou totalmente a favor.

Só que ver o que as mulheres falariam se tivessem homens apoiando que eles atirassem em esposas adúlteras.

Lord Anderson disse...

Anonimo,que tipo de punição vc esta sofrendo? conta pra gente

e oq seriam essas ações questionaveis?

e é tão dificil entender que o é pedido é que nós homens tenhamos empatia pelas vitimas, não as julgando, não as desmerecendo, não fazendo piadinhas, não passando a mão na cabeça de estupradores com a desculpa de que homem não consegue se controlar, homem que é homem mostra quem é que manda... que o não da mulher quer dizer sim....

doi tanto assim em vc?

Anônimo disse...

Falta de provas existe em qualquer crime. Crimes têm que ser provados no nosso ordenamento jurídico. E provas podem ser materiais e testemunhais. Tem que haver oportunidade. Tem que haver vestígios. Até para um simples furto à residência tem que haver provas, senão o seguro não paga.

Anônimo disse...

Pra ver que foi o que eu falei, pedir uma mudança de atitude é interpretado como querer colocar a culpa na vítima, como dizer que o estupro é aceito......

Essa dissociação que fazem acho impressionante.

André disse...

carolinapaiva,
"É muito simples: basta tratar vítimas de estupro como vítimas de outros crimes."
Então não é nada simples. Em geral, o primeiro comentário do PM, vizinhos ou curiosos em um caso de roubo é que a vítima gastou x no produto mas quis economizar y no sistema de segurança, ou ficou exibindo o produto por onde não devia.

Anônimo disse...

Lord Anderson,

e onde eu falei pra passar a mão na cabeça de alguém? Ou aceitar esse tipo de crime?

carolinapaiva disse...

André

Sempre tem alguém para apontar o dedo na cara da vítima de dizer que teria agido diferente. Isso não é novidade.
O que aponto é que somente nos casos de estupro esse comportamento se acentua. É muito mais fácil achar várias pessoas que acusam vítimas de estupro do que outras vítimas.
O que é discutido não é a reação isolada de certos babaquinhas, mas uma reação facilmente perceptível na sociedade, de modo a afetar na denúncia (no caso, na falta de denúncias).

Anônimo disse...

Relicario, eu disse toda hora. Prostitutas não estão isentas de sofrerem abusos, bem entendido, mas elas se vestem sumariamente sempre, inclusive trabalhando, então deviam ser estupradas toda hora.

Anônimo disse...

Achei bem simplista dizer que estupro é resultado do culto à masculinidade. A gente precisa começar a entender os processos e deixar de debitar em uma só ideia a causa para algo.

Cristopher Ramon disse...

Anônimo disse...
Cristopher, se você me apontar uma sociedade sequer em que não haja o estupro (não vale aquelas em que o estupro é reprimido), retiro o que disse. Inclua-se a coação em geral, porque o estupro nada mais é do que uma coação.

11 de junho de 2012 13:56

Anônimo, não trabalhamos com dados fora de contexto. O que você denomina de "estupro" pode não apresentar o mesmo sentido simbólico em diferentes culturas. Trabalhamos com a objetividade relativa do conhecimento. O sentido por você utilizado pode não apresentar a mesma conotação emocional/comportamental/social que está sendo enfatizada no texto acima, ou nos contextos interculturais em que estas situações se desenrolam.

Considere-se o argumento fenomenológico da Lola: 1) a questão da experiência do sujeito; 2) a questão da construção da narrativa (do enredo) e do sentido da histórica contada; 3) Se nascemos em uma cultura particular, como podemos afirmar que somos capazes de saber/conhecer como outros sujeitos sentem ou pensam a respeito daquilo que acreditamos ser o que eles pensam/sentem/acreditam - se estamos a todo momento negociando o conhecimento/sentido do que nossas práticas podem efetivamente construir?

Não se trata somente do ato, mas do sentido que ele carrega, onde, como quando, com quem, por que? e assim sucessivamente.

Neste caso a minha referência é ao sofrimento das mulheres e homens (em sua diversidade) em nossa própria sociedade. Posso falar dos Iatmul, por exemplo, que performatizam o ato sexual publicamente, sem que necessariamente recorram ao intercurso forçado. Posso mencionar sociedades que aplicam o estupro coletivo como alguns grupos do Xingu, e posso falar de sociedades que desconhecem a noção "estupro" como os Ifaluk, não por que ele é reprimido por uma força externa (essa sociedade hobbesiana totalitária e estatal em que vivemos), mas por que ele é constituinte, ou neste caso - não é constituinte do que é um ser humano, uma Pessoa possa vir a ser do ponto de vista dessa população.

O conceito de repressão é proveniente da psicanálise, (ou) do direito, e/ou de uma sociologia bastante empirista que adota uma noção coercitiva de sociedade, como coisa externa e anterior ao sujeito...


Não sei se posso compartilhar dessa noção de sociedade e se poderia utilizá-la como critério analítico para produzir um conhecimento sobre algo que eu já estou supondo existir por si mesmo. Caberia entender como é que se produzem esses contextos daquilo que você denomina de: "estupro".

Bateson é excelente ao afirmar:

Daddy, what is an instinct?
Father: An instinct, my dear, is a explanatory principle. D: But what does it explain?
F: Anything—almost anything at all. Anything you want it to explain.
D: Don’t be silly. It doesn’t explain gravity.
F: No. But that is because nobody wants “instinct” to explain gravity. If they did, it would explain it. We could simply say that the moon has an instinct whose strength varies inversely as the square of the distance…

;)

Anônimo disse...

Li disse...

que caixa de comentários bizarra, só reforça o post de ontem, e o de hoje como disse o Anderson.

Eu acho que estupro tem menos relação com sexo do que com poder, dominação.

..................
Parem de se atrair pelo homem pelo poder que ele exibe que esse motivo some.
Sabe aquela historia tem que ter pegada,se impor ,ser agressivo na conquista etc e tal. Ai o caramada que não consegue por bem ,e tem uma moral froxa faz por mal.

Explicar algo não é justificar ou endossar.
Estupro ja era crime muito antes das feministas queimarem sutias e pararem de se depilar .então parem de culpar o sistema, culpem individuos.

Ou vamos pela logica da exceção faz a regra : não traiam sua esposas ou podem acabar picotados

André disse...

carolinapaiva,
Eu discordo. Mas minha opinião é baseada apenas em experiência pessoal. Se você tiver estudos sobre o assunto, por favor made os links.

Adriana disse...

Impressionante o texto!
Ótimo, excelente, perfeito.
Me fez lembrar a cena do "Millennium, o homem que não amava as mulheres", em que um homem disse que a mulher lá foi estuprada pelo "tutor" porque ela quis, sendo que ela sabia que ele queria serviços sexuais em troca de dar a ela dinheiro.
Eu olhei para o indivíduo e disse: NADA DA O DIREITO DE UM HOMEM ENCOSTAR NUMA MULHER SEM O CONSENTIMENTO DELA. MESMO ELA ESTANDO NUA E REBOLANDO NA FRENTE.
A imagem que sempre passam é que se a mulher foi estuprada, foi porque ela "pediu", ela provocou...a culpa é da mulher..
se já nao bastasse ela ser estuprada por um ser podre desses, ela ainda tem que ser culpada e julgada por isso.

André disse...

A sociedade tolera tanto o estupro que "acusado de estupro morto" não retorna nada no Google.

Páginas Da Minha Vida disse...

[ Anônimo disse:

"páginas Da Minha Vida disse

a verdade é que a mídia só dá importância à coisas , digamos "irrelevantes".Toda hora está passando o tal caso da Elize.Foi errado ela ter matado e esquartejado o marido? foi.Se ela não estava satisfeita, que se separasse.mas vamos falar a verdade: todos os dias homens matam mulheres pelos mesmos motivos ( ciúmes, traição...) e não passa nem a metade nos noticiários.Agora porque foi a mulher, não para mais de passar."

tem razão vamos perguntar ao marido da elize o que ela acha ?

valores feministas :
extupro de mulher : crime horrivel
assassinato de homem : crime menor ]

Vem cá...Onde eu disse que estupro é um crime menor que a morte de um homem?

O que eu estou dizendo, é que a mídia não para de passar sobre este assunto e ops, todos os dias homens matam mulheres pelos mesmos motivos e não ficam passando isso toda hora.Concordo sim, com Maicon Vieira ,quando ele disse que isso está acontecendo por causa que a vítima era um homem importante, o que para mim chega ser pior ainda,porque quer dizer, se você é pobre e seu companheiro te mata, isso é irrelevante.Agora,se você tem posição e dinheiro, é que merece atenção da mídia?

Enfim, não estou aqui para discutir o caso Marcos e Elize, mas da importância da mídia nesses casos de estupros.Citei aquele caso da festa de aniversário que teve as convidadas estupradas.Só vi UM programa falando dele e morreu o assunto.Vocês já ouviram falar mais desse caso? o que aconteceu com eles, quando vão ser julgados? se não procurarmos na internet, ficamos sem informação.

A mídia ignora assuntos assim.Essa é a realidade.

Anônimo disse...

Christopher, muito obrigada pelos apartes academicistas. Então fiquemos assim: o que quer que a mulher de qualquer sociedade primitiva ou não considere sexo contra vontade ou submissão a qualquer comportamento molestador chamarei de estupro. Não vai dizer que existe ou existiu uma sociedade em que nenhuma mulher ou criança foi molestada por um homem, senão vou rir.

Práticas como apedrejamento, mutilação de nariz, ataques com ácido no rosto podem ser culturais, mesmo tendo como pano de fundo a opressão universal do sexo feminino. Mas estupro, meu amigo, é universal em sociedades de mamíferos como a nossa. Só olhar em volta e ver se as gatinhas não são amoladas pelos gatinhos.

Anônimo disse...

Adriana disse...

Impressionante o texto!
Ótimo, excelente, perfeito.
Me fez lembrar a cena do "Millennium, o homem que não amava as mulheres", em que um homem disse que a mulher lá foi estuprada pelo "tutor" porque ela quis, sendo que ela sabia que ele queria serviços sexuais em troca de dar a ela dinheiro.
Eu olhei para o indivíduo e disse: NADA DA O DIREITO DE UM HOMEM ENCOSTAR NUMA MULHER SEM O CONSENTIMENTO DELA. MESMO ELA ESTANDO NUA E REBOLANDO NA FRENTE.

mas se o homem não tiver muito auto-controle(doente da cabeça) ,estiver bebado ou chapado a chance dele fazer algo que não deveria aumenta exponencialmente se tiver uma mulher nua rebolando na frente dele.
A culpa é dele por não ter auto-controle, ter bebido ou ter se chapado ,mas se não acontecer o bonus é dela.
Ai voce vai argumentar que tem homens que fazem sobrios...isso tem um nome sociopatia.

Cristopher Ramon disse...

Destaque-se que eu não adoto o termo "estupro coletivo" enquanto principio epistemológico (correção), pois assim estaria supondo que "todas" as "mulheres" seriam "potencialmente violentadas"...é importante perceber que alguns autores adotam essa noção, outros não a adotam.

A noção de violar pode estar associada a uma relação de pureza (e perigo), e varia para cada contexto social. O que não significa que eu esteja a favor do estupro como tem sido concebido em nossa própria sociedade. Aliás considero a oposição "homens x mulheres" uma oposição falsa que só tem nos conduzido a mais desentendimentos do que soluções.

Enfim...

Lord Anderson disse...

"Estupro ja era crime muito antes das feministas queimarem sutias e pararem de se depilar .então parem de culpar o sistema, culpem individuos."

negativo. em tempos antigos, os Lords feudais tinham o direito de ter a primeira noite com uma mulher que se casava, ela querendo ou não e isso não era considerado estupro.

Estupros sempre foram considerados "normais" em periodo de guerra. Salvo enganho foi no sec XV que isso começou a ser questionado, mas demorou para ser considerado crime mesmo

Até bem pouco tempo, a propria lei não protegia prostitutas ou mulheres "promiscuas" pq afinal de conta, se elas ja fizeram sexo com varios homens ,elas não tinham direito a se negar a nenhum (uma ideia que ainda esta presente na mentalidade de muitas pessoas).

Oq as feministas sempre lutaram é que não importa aroupa da vitima, ou se ela tem vida sexual ativa ou não, força-la ao sexo contra sua vontade é crime.

Mas ainda tem gente que não entende isso, como se pode ver no tal conceito que o não de uma mulher quer dizer sim.

Cristopher Ramon disse...

PS: meus comentários academicistas são reforçados pelo mais puro black metal, tenha certeza disso.

André disse...

Pegunta para os advogados. A tal Elize equartejou o japa depois de morto, ele morreu com um único tiro durante uma discussão, foi homicídio qualificado por meio cruel? Ou o Fantástico errou mais uma vez?

Anônimo disse...

Pares de opostos em luta ou alternância é uma condição do universo dualista em que estamos, né, Christopher? Homem X Mulher é apenas um deles.

A orgia é um estupro coletivo consentido. Também sempre existiu. Veja que o consentimento é o fio da navalha com relação ao encontro sexual entre dois seres.

Anônimo disse...

homem X mulher? não acredito nisso.

Anônimo disse...

Andre, provavelmente homicídio qualificado, sem chance de defesa (um duelo seria mais apropriado), por motivo fútil(?) + ocultação de cadáver. O esquartejamento é parte da ocultação do cadáver, não?

Anônimo disse...

orgia é estupro? afe. com consentimento, nada é estupro.

Anônimo disse...

Christopher, espero que esta dobradinha (academicismo + black metal) seja benigna e inofensiva. Abs.

André disse...

Páginas da Minha Vida,
Morte no high society sempre atrai a mídia, lembra do caso Nardoni?

carolinapaiva disse...

André

Alguns links

1- http://pt.scribd.com/doc/85738647/Maioria-das-vitimas-de-estupro-nao-registra-queixa-por-vergonha

2- http://aredacao.com.br/noticia.php?noticias=687

Cristopher Ramon disse...

Anônimo, preste atenção para as correlações que você estabelece entre as categorias, em que nível/contexto você está utilizando uma homologia entre gatos e seres humanos.

Este texto do Borges é fantástico para demonstrar como há noções variadas sobre o que é o humano, o que é o animal e como o Ocidente - e as ciências naturais - constróem (inventam uma "natureza") a relação entre eles.

Em uma certa enciclopédia chinesa que se intitula Empório Celestial de Conhecimento Benevolente, está escrito, em suas remotas páginas, que os animais se dividem em:

a) pertencentes ao imperador

b) embalsamados

c) domesticados

d) leitões

e) sereias

f) fabulosos

g) cães em liberdade

h) incluídos na presente classificação

i) que se agitam como loucos

j) inumeráveis

k) desenhados com um pincel muito fino de pêlo de camelo

l) et cetera

m) que acabam de quebrar a bilha

n) que de longe parecem moscas.

Pensar sobre esse sistema classificatório é importante para que você possa repensar as analogias utilizas: gatas no cio - mulheres (?) e assim por diante...

Não estou negando a realidade do ato, posso admití-lo enquanto fato, é evidente, mas não posso pensá-lo fora do contexto em que se produz...

E pensando bem, acho tão estranho esse animismo nosso - atualmente somos aparentados de gatos, cachorros, coelhos, e quais outros animais mesmo? Eu gosto de bois!

Páginas Da Minha Vida disse...

"André disse..
Páginas da Minha Vida,
Morte no high society sempre atrai a mídia, lembra do caso Nardoni?"

quem não lembra? :/

Anônimo disse...

Cristopher Ramon disse...

sempre foi mais grave matar ou estuprar uma mulher de origem nobre que um homem escravo...
mas citar a cultura chinesa é fogo ,pra eles mulher é segunda classe mesmo. Por que os chineses eram belicos pacas.explico :

Em algumas sociedades barbaras a mulher tinha uma equidade quase plena ,mas em compensação tinha que lutar nas batalhas tambem...
na antiguidade as pessoas eram medidas pela utilidade belica delas ,triste ,mas é verdade.

Anna disse...

pra complementar o comentario do Lord: estupro dentro do casamento também é um conceito recente.

Cristopher Ramon disse...

Pois é, realmente o consenso é um fio de navalha...

Mas a desculpa de que foi a natureza sexual institntivamente natural do homem que guiou sua conduta é conversa pra boi dormir.

Outra coisa (o tio) homem (pluralize: homens) mulher (pluralize: mulheres), e onde estão as outras categorias?

Travestis? Andróginos? Transexuais?
e assim por diante...?

E os ETS de marte? Pq não eles tbm? (desculpem, mas a piada era inevitável).

Cristopher Ramon disse...

Só citei a cultura chinesa para demonstrar um princípio, não fiz referência ao "estupro na sociedade chinesa"...eita.

Anônimo disse...

E que baixou o espirito da segunda onda feminista aqui.

Todos os homens são estupradores e é isso que eles são.

Anônimo disse...

Christopher, somos sexuados como os gatos, os bois, e somos mamíferos. Duas coincidências justamente com relação à reprodução. Se fôssemos peixes, não caberia alegação de estupro, concorda?

Luiz disse...

Bem, você começa dizendo que o estupro é um problema social. Bom, discordo. Estupro não é um problema social. Estupro é acima de tudo um problema moral que impacta na vida social (Kant discute isso com muita propriedade). Como é também o assalto a mão armada, a corrupção, o tráfico de drogas, o estelionato e o golpe da barriga para receber pensão que algumas moçoilas dão em alguns jogadores de futebol e um vasto etc. Esse é em meu ponto de vista o maior erro das esquerdas, acham que o homem é induzido ao erro e que o crime é um problema social. Não, as escolhas criminosas são antes de tudo escolhas morais. Russeau estava errado. A sociedade não corrompe o homem e sim alguns homens corrompem a sociedade e nem todo homem nasce bom. Esses que não nasceram bons são fortes candidatos a serem estupradores, líderes de gangues de tráfico de drogas, estupradores, políticos corruptos, e por ai vai. O traficante Fernando Beira-Mar não escolheu o mundo do crime por que nasceu pobre, mas sim porque fez uma escolha moral pela bandidagem. Como também a fez o Sarney e o Collor que nasceram em berço de ouro. Ai certamente reside a nossa diferença ideológica. Eu não compro um carro usado nem do Sarney nem do Fernando Beira-Mar, mas teria coragem de comprar um carro usado da mão da ampla maioria dos moradores da Favela Beira-Mar. Como é de se esperar, maioria dos brasileiros são pobre e não são criminosos. Associar a violência à pobreza é um dos maiores preconceitos contra pobres que existe. O mais divertido é ver alguns ditos progressistas alimentarem isso. Os moradores honestos da favela Beira-Mar são as maiores vítimas das frouxas escolhas morais do ex-pobre, Sr. Fernando, o Beira-Mar, como nós restante dos brasileiros somos vítimas das frouxas escolhas morais de outro Fernando, o sempre rico Collor.
Mas seriam os homens os únicos responsáveis pela violência sexual no mundo? Vamos ver o que no tem a dizer sua excelência, a realidade. Lembro-me do meu tempo de faculdade em um curso de ciências exatas, em um tempo em que essa área era dominada por homens. No primeiro semestre tínhamos aulas de sociologia. Essas aulas eram dadas por uma professora que vinha das ciências sociais com seu corpo e sua roupa esquisita. O primeiro dia de aula era em um bar e ela pagava toda a cerveja consumida, depois vinha à outra parte, o assédio sexual aos alunos, que costumava continuar nas aulas e na sala dela. Ou seja, ela não ia para as exatas por acaso. Como tinha muitos garotos homens por lá, mais presas em potencial. Daí, eu concordo com você, a violência sexual é uma demonstração de poder, mas de quem tem esse poder e independe se é homem ou mulher. Como essa professora de sociologia controlava a torneirinha das notas ela poderia trocar notas por favores sexuais. Mas antes de tudo ela fez uma escolha moral. Mas vamos supor que eu esteja te falando de um fato muito isolado e improvável. Um ponto fora da curva. Será mesmo?
Vejam o que aconteceu no Zimbabue.
http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/inacreditavel/2011/10/18/286490-tres-mulheres-sao-acusadas-de-estupro-a-rapazes-no-zimbabue
http://www.meionorte.com/noticias/internacional/professora-de-religiao-assediou-aluno-com-mais-de-200-torpedos-148585.html

Veja essa reportagem publicada pela BBC sobre pedofilia.
http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/magazine/8022861.stm

Aqui a versão simplificada traduzida.

http://hypescience.com/existem-mulheres-pedofilas/

Chata e aborrecida essa realidade. Ela teima em não se encaixar nos clichês. Parece que se tiver que mandar os homens para centros de reeducação sexual algumas mulheres terão que irem juntos para se tratarem também. E daí como fica a teoria que diz que todo homem é estuprador e toda mulher é vítima? Não fica porque ela é falsa. Alguns homens de mau caráter estupram e assediam sexualmente mulheres. Algumas mulheres de mau caráter assediam sexualmente homens. Essa é a realidade. È claro que o modus operandis de um e de outro varia por causa da diferença de força física, mas os princípios morais, não.

Anônimo disse...

15:16, em potencial, sim, inclusive você, se for homem.

Luiz disse...

Outra coisa, não costumo transmitir valores de masculinidade, femininidade, judaidade, gayzidade, negridade, caucasianidade para ninguém. Basicamente porque não acredito nisso. Pior, acho que isso é fonte de preconceito. Dividir o mundo em grupos e investir no confronto é o pior que podemos fazer. Antes de ser mandada para os campos de extermínio minha bisavó tinha que andar com uma estrela amarela na roupa para mostrar ao mundo sua judaidade. Era uma forma de identificá-la como o inimigo a ser vencido. A responsável pela Europa em crise. Prefiro ver as pessoas como marias, joses kadocs e por ai vai. É estúpido ver alguém como homem, como judeu, como mulher, como branco, como asiático, como negro antes de vê-lo como pessoa. Vejam essa lição de sociologia que Morgan Freeman dá ao mundo quando o entrevistador lhe pergunta sobre sua negritude.
http://www.youtube.com/watch?v=tNEoIo3XMws

Anônimo disse...

"Fácil resolver o problema. Basta eliminar os homens e dessa forma não teremos estupros. "

Sua ilação está muito mal tirada. Não precisamos eliminar os homens. Basta considerá-los pelo que eles são e agir de acordo. Isso inclui as mulheres também, sem dúvida.

Lord Anderson disse...

Lesbicas separatistas


cara, eu imagino que quem fala uma asneira dessas, ainda mais sem ler o post deve sorrir, pq não é possivel que leve a serio.

alias, podia monstrar no post onde ta escrito isso.

lala disse...

Engraçado como os que estão criticando ativamente o post estão só reforçando o argumento de "tirar o corpo fora" que foi apresentado, ao invés de responder a grande questão do texto:

"O que é “ser homem” pra vocês? Que modelo de masculinidade vocês querem passar a seus filhos?"

Ou vcs acham simplesmente que do jeito que tá tá bom?

Será q dá para se apegar menos a questão de quem é a culpa do estrupro e mais à reflexão sobre masculinidade????

afinal, não são vcs (homens/mascus) que vivem reclamando que não possuem espaço de reflexão e debate por aqui, só acusação?

Aproveitem a chance de vocês!!!

Anônimo disse...

15:18

voce é assissino(a),ladrã(o),falso(a),mentiroso(a)
...em potencia.

Por essa logica todos somos criminosos so faltando consumar o fato.

Cristopher Ramon disse...

Exato, somos sexuados...mas como pensamos o sexo.

O problema é que criamos fatos, mas esquecemos de pensar o por que os criamos.

Quanto ao tópico da reprodução da espécie, atualmente somos "cyborgs", como diria Haraway, em uma cultura que já inventa - cria efetivamente a natureza e das formas mais diversas - dificil sustentar a noção de família (tanto pagã quanto cristã) que aponta para "a necessidade do casal"...estamos na era das novas tecnologias da reprodução.

Pessoalmente considero que recusar este fato pra alegar a legitimidade da preservação da espécie é uma hipocrisia danada, eu mesmo faço sexo por prazer, com homens e mulheres, e não por que desejo ter filhos e reproduzir a espécie.

Agora, falar de estupro entre peixes? Não sei, pq não aprendi a falar peixês, talvez no dia em que aprendamos a nos comunicar com um deles eu poderei saber o que um ato (comportamental) de reprodução coletiva entre peixes significa para eles.

Enfim, a discussão tá boa, mas vou voltar ao trabalho aqui...

Falow Galerë.

Anônimo disse...

Cada um com sua problemática,certo,Luis? Você com a cicatriz do Holocausto e o resto de nós com as feridas do assédio/estupro sexual.


Isso me remete a uma outra dimensão, Christopher, à dimensão do universo mental de cada um de nós. Vemos e sofremos o que está em nosso pensamento e nada mais.

Seria muito construtivo se alterássemos nossa realidade externa a partir da reformulação de nosso pensamento. Aí sim, poderíamos refutar o universal e aderir ao pessoal, cultural. Mas ao dizer isso arrisco-me a ser chamado de louco ou retardado. Mas como diz Jó, 'assim como o homem pensa [acredita], ele é' fica a dica como um bom ponto de partida.

carolinapaiva disse...

Caracala

Qual parte do trecho "Bom, em nenhum momento da minha vida eu disse que todos os homens estupram." você não leu?
Aliás, você leu o post e os comentários?

Tira a faca dos dentes que ninguém aqui está acusando todos os homens como potenciais estupradores, mas sim questionando uma sociedade que QUER que nós, mulheres, vejamos todos os homens como potenciais estupradores.

Anônimo disse...

"Creio que não, pois o blog é feito para colocar todos os homens como seres terríveis, selvagens e brutais... é isso o que a lola quer escrever e é isso o que muitas de suas leitoras querem ouvir..."

Eu simplesmente não compreendo a dificuldade que muit@s tem de entender o que é dito nesse blog. Isso é um problema muito grave de interpretação de texto. Ou, é claro, vocês só querem incitar discussões vazias para que o problema seja deixado de lado.

Lord Anderson disse...

Caracala

vc pode dizer exatamente onde no post e no resto do blog a Lola faz oq vc fala?

pq eu a leio a muito mais tempo que vc e apesar de sempre ter algum homem pra fazer essa "acusação", ninguem nunca prova.

André disse...

carolinapaiva,
Esses textos não mostram que a sociedade trata as vítimas de estupro de modo distinto.

Anônimo disse...

15:29, consumar o fato depende de uma série de coisas. Ocasião, motivo, estado mental e talz. Inclusive para atos heróicos e altruístas. Nem tudo está perdido.
Depor as armas é muito salutar, mas olho vivo é a melhor arma em todas as ocasiões. Mesmo porque, estarei impedindo que alguém cometa um crime. Por si só já é uma boa ação.
Faça isso e não vai se arrepender.

Bruno S disse...

"pois o blog é feito para colocar todos os homens como seres terríveis, selvagens e brutais"

Melhor do dia com certeza.

Como diria o Tremendão, eu sou terrível.

ANDREA disse...

AEEEE PELO VISTO A HOMARADA TÁ INCOMODADA ATÉ OS CABELOS POR CAUSA DA CONSCIENTIZAÇÃO DE QUE TODO HOMEM É UM ESTUPRADOR OU ABUSADOR EM POTENCIAL. BOM SINAL.

Lord Anderson disse...

cerce-alos socialmente?

onde ta dito isso? alias como seria isso?

caramba

o post ta certo mesmo, tem pessoas que fazem de tudo pra fugir do assunto estupro.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 13:26

Eu posso me vestir como quiser - ou deveria ter o direito de - dançar como quiser, falar o que quiser, de viver minha sexualidade como quiser, sem ter que pensar em não fazê-lo por medo que isso cause uma reação "natural" -como os mascus adoram falar- de um estuprador me atacar pq eu "despertei" a libido dele.

Vítima é vítima. Não existe culpa compartilhada! Se eu preciso me privar de usar certas roupas, ou evitar lugares, ou modificar de qualquer forma minha maneira de me expressar, para evitar que um estuprador me ataque, isso já é violência psicológica.

Se formos pela sua linha de raciocínio melhor usar uma burca.

Lola, parabéns, de novo, pelo seu blog, que é de utilidade pública.
Espero que os ataques que vc vem sofrendo sejam resolvidos e que as autoridades prendam os bandidos que lhe fazem ameaças.

Bjos

Lana

Bruno S disse...

"A sociedade quer que as mulheres vejam os homens como possíveis estupradores?"

Amigo, as mulheres já nos veem assim.

Segue o link do Schrödinger rapist

Anônimo disse...

15:29
a taxa de mortes por arma de fogo no japão e na suiça e muito similar
no japão armas de fogo são proibidas e na suiça todos são obrigados a ter um rifle em casa...

Armas não matam sem um pessoa pra puxar o gatilho...

mas isso é outra discussão com pros e contras...

Anônimo disse...

"Se alguém passa essa idéia são posts iguais esse da Lola."

Nossa, muito certo isso. É por isso que todo mundo aqui fica repetindo toda hora que homens são culpados de tudo. Ah peraí, na verdade a gente tenta o tempo todo mudar essa maneira de ver as coisas e fazer tod@s pensarem sobre sua maneira de agir, porque do jeito que tá, não dá mais. Mas é mais fácil culpar a Lola né?

Lord Anderson disse...

"Não existe culpa compartilhada! Se eu preciso me privar de usar certas roupas, ou evitar lugares, ou modificar de qualquer forma minha maneira de me expressar, para evitar que um estuprador me ataque, isso já é violência psicológica."

isso sim é cercear socialmente.

Anônimo disse...

Caracala:

"o blog é feito para colocar todos os homens como seres terríveis, selvagens e brutais... é isso o que a lola quer escrever e é isso o que muitas de suas leitoras querem ouvir..."

Não! Terríveis, selvagens e brutais são os estupradores.
E os homens que mesmo sem estuprar ninguém acham que a vítima é culpada pelo estupro.

Lana

carolinapaiva disse...

André

Mostra que as vítimas não denunciam por terem vergonha do julgamento da sociedade.
São pesquisas que provam que o julgamento da sociedade em relação à vítimas de estupro ajuda na impunidade. Exatamente o que eu disse.
Não é preciso pesquisar muito para ver que vítimas de estupro são desacreditadas.
Aqui mesmo no blog tem vários relatos de estupro, e a caixa de comentários fica lotada com gente xingando e culpando a vítima.
Tem também a história da cheerleader estuprada, que foi julgada por ter denunciado seu agressor, a Lola fez um post.
A Monique do BBB, o caso do estupro coletivo em Queimadas, o depoimento da Xuxa, o caso Joanna Maranhão são só mais alguns exemplos recentes onde vítimas (exceto Monique, que depois esclareceu não ter sido vítima) foram desacreditadas e julgadas publicamente.
A SlutWalk também é um bom exemplo de como o estupro é visto pela sociedade. Um protesto ao pensamento de que mulheres são estupradas por parecerem vadias. Ou seja, que vadias são mulheres estupráveis.
Em vários posts e críticas da marcha, pessoas mais exaltadas dizem que "vestidas como vadias, mulheres devem/pedem para serem estupradas mesmo". Basta procurar e ver.
Essa reação das pessoas não ocorre com vítimas de outros crimes na mesma proporção, pois não afeta nas denúncias. Não se fazem propagandas de incentivo à denúncia de crimes de roubo e furto, mas sim de violência doméstica e sexual. Mais um exemplo de como a vergonha das vítimas em denuncias esses crimes ajuda na impunidade.
E o que causa a vergonha? O julgamento moral diferenciado.

Agora, se você me provar que não há diferenciamento, aí a gente pode continuar conversando.

Anônimo disse...

Cercear não, Caracala, apenas se precaver. Uma mulher precavida vale por duas ou por uma livre de estupro e outras coisas.
É só um exercício de conscientização, sacou?

Anônimo disse...

Lord Anderson, adorei te encontrar online
Já sabe q estou na fila das suas fãs, mas deixo registrado aqui ;)

Super beijo

Lana

Lord Anderson disse...

E onde estão esses fatos?

oq mais tem é o contrario, pessoas menimizando estupros e abusos.

e novamente vc não falou onde esta escrito isso no post ou no blog.

Anônimo disse...

"Não! Terríveis, selvagens e brutais são os estupradores.
E os homens que mesmo sem estuprar ninguém acham que a vítima é culpada pelo estupro."

Tais homens que culpabilizam ou ridicularizam a mulher são culpados de estupro por procuração. Confirma a ideia de que todos são estupradores em potencial.

carolinapaiva disse...

Caracala

Não sei se você interpretou mal o texto de propósito ou não, mas sugiro que leia novamente, retirando a faca dos dentes (ou seja, sem procurar ódio onde não tem).
Agora, se essa interpretação for proposital, não vejo sentido em discutir com alguém que vai procurar "entrelinhas tortas" em tudo o que é dito. Se a sua intenção é metralhar todo mundo com acusações, não te responderei mais, pois gosto de discutir com quem está aberto a uma posição contrária, e não com quem vem aqui só para distorcer tudo e acusar.

Lord Anderson disse...

A melhor maneira de fugir do golpe da barriga é fazer vasectomia, a segunda é usar presenvativo.

nem precisa de tecnicas especiais, só de raciocinio.

Anônimo disse...

"E isso que a lola e os comentaristas daqui querem, cadeia no hoemem de qualquer jeito."

Wow, tu até lê pensamentos agora, porque escrito aqui pela maioria ou pela Lola eu nunca vi.

Bruno S disse...

Pessoal compara "golpe da barriga" a estupro? Sério isso?

E só existe o tal "golpe da barriga" porque a maioria dos homens vê a contracepção como responsabilidade puramente feminina.

carolinapaiva disse...

Caracala

Não quero que tu concorde com a Lola, mas que pelo menos aponte com maior clareza a sua discordância, sem apelar para acusações à Lola e aos comentaristas.
Aponta aí onde eu disse que homens devem ser presos sem provas, por exemplo.
É fácil sair por aí julgando os outros, não é? Mostra que quem está fechado é você.

Anônimo disse...

"E isso que a lola e os comentaristas daqui querem, cadeia no hoemem de qualquer jeito."

Não, Caracala, isso é que VC, com uma enorme falta de raciocínio lógico, ACHA que queremos.
Vc leu o post inteiro? Ou todos os outros posts? Ou não leu, ou leu e não entendeu.

Lana

Anônimo disse...

Lord Anderson disse...

A melhor maneira de fugir do golpe da barriga é fazer vasectomia, a segunda é usar presenvativo.

vasectomia sim infalivel se for efetiva,camisinha é só a mulher dar uma nicada com unha e poff ou pegar no lixo depois(tem caso de prostitas de luxo e altos executivos)..
anyway eu falei de maneira ironica...que todas são culpadas só falta fazerem

È mesma ideia homens e estupro..todos são estupradores,so falta consumarem

Anônimo disse...

Bruno, ambos os casos podem desembocar em gravidez indesejada e não consentida para um dos pais.

Eu considero o golpe da barriga como um tipo de estupro, praticado pelo sexo feminino.

Ana disse...

... medo do que essa caixa de comentários revela. Provas de que esse debate é extremamente necessário.

O que mais me assusta é pensar na delícia que deve ser pra um estuprador ouvir que a culpa é da vítima. É como se a gente viesse com uma bandeja de prata e dissesse: ó, essa aqui é a tua cota, pode pegar.

Por que é isso, né, a cultura do estupro e culpabilização da vítima entregam as mulheres de mão beijada: "Ó, fulana fez coisa a, b, e c, pode ficar que com ela a gente não se importa". São esses argumentos que alimentam o estuprador. Dão a ele segurança e justificativa pra fazer o que ele faz.

A vítima? Se fez x, y, ou z, é condenada sem pensar duas vezes.

O estuprador? Ainda que pego, pode tranquilamente apontar o dedo e dizer: mas ela fez tal coisa.

Funciona assim: contanto que ele escolha a vítima certa, vai sair numa boa. Porque ninguém vai pensar em culpá-lo, vai estar todo mundo muito distraído com o que elA fez. Ele sabe muito bem que nessas horas qualquer pano a menos numa blusa se torna mil vezes pior que sexo não consentido. E enquanto isso continuar valendo, ele vai continuar estuprando, sem problema nenhum.

O cara sempre tem cartas na manga - Cartas que a gente entrega pra ele.

Outra das tantas munições que um tipo desses tem é a imagem de que estupro é uma mulher ser agarrada e arastada pra um matagal - qualquer coisa que fuja a essa interpretação dá margem a mil e um questionamentos, porque as pessoas falham em reconhecer que mesmo fora do cenário macabro, o abuso ainda é brutal. E aí o que foi horrendo vai ficando cada vez mais suave... Até parecer que 'não foi tão ruim assim'. E lá se vai uma dose de empatia perdida.

Paralelo ao cenário, tem a imagem do próprio estuprador, que povoa a mente das pessoas como um marginal da pior espécie - quando na verdade ele pode muito bem ser o amigão do peito de alguém. O gente boa. O parceria.

Afinal, um sistema que dá tantas vítimas de bandeja atrai bastante gente. Não é preciso ser um completo psicopata com cara de maníaco, só é preciso achar que estupro é direito teu porque ela mereceu. E o que tem de 'gente boa' que pensa assim... Todos saem impunes, porque na hora H ninguém quer acusar o fulano que tem cara de bom moço de ter feito um coisa tão horrenda. Mais empatia pelo ralo.

E por aí vai.

Qualquer coisa depois do 'não' é crime. Que seja denunciado e investigado.

André disse...

carolinapaiva,
"Mostra que as vítimas não denunciam por terem vergonha do julgamento da sociedade."
Mostram principalmente que as vítimas sofrem com as etapas investigativas (BO, IML, etc) e com o, suposto, baixo índice de resolução (identificação do culpado, julgamento e efetivo cumprimento da pena) dos culpados.
"Aqui mesmo no blog tem vários relatos de estupro, e a caixa de comentários fica lotada com gente xingando e culpando a vítima."
Conte seu drama sobre qualquer outro crime e vai chover comentário anonimo trollando seu sofrimento. Já vi isso em outros blogs.
"Essa reação das pessoas não ocorre com vítimas de outros crimes na mesma proporção, pois não afeta nas denúncias."
É exatamente sobre esse ponto que eu pedi links. O que eu disse eu já adimiti ser fruto de experiência pessoal. Se eu tivesse estudos estatísticos de que há diferenciamento, aí é que não haveria mais necessidade de conversa.

Ana disse...

Meu problema todo com o argumento do 'não quer ser violentada não beba' é que eu escuto isso como 'ó caras, continuem estuprando, a gente só se irrita mesmo é com bebedeira'.

Acho muito interessante como as pessoas se irritam profundamente com a vítima e não com o agressor.

Vamos dizer que fulana passou da conta e bebeu demais. Vamos dizer que foi errado. Bom, humanos cometem erros.

Agora, e o cara que a estuprou? Ele sabia exatamente o que estava fazendo. Ele não cometeu erro nenhum. Ele simplesmente usou o direito que a sociedade dá a ele de estuprar quem quiser desde que as condições a, b e c sejam cumpridas.

Ele cometeu um crime na maior cara dura, PORQUE ELE PODE. A GENTE DEIXA. Dizemos: mulheres X e Z estão a disposição. Se alguma coisa acontecer, a culpa deixa de ser sua e se torna delas.

A gente dá passe livre pra estupradores toda vez que a gente diz 'ah, mas quem mandou fazer coisa x'. Isso, amigos, é a mesma coisa que apertar a mão do cara, com direito a tapinha nas costas.

Culpar as mulheres é fazer um favor ao estuprador. Talvez não seja essa a sua intenção, mas eu sinto muito, é exatamente o que você está fazendo.

Não, eu não diria à minha filha 'vai beber que não dá nada!'. Eu sei que existe um perigo real aí.
Mas eu também JAMAIS DIRIA 'se você beber, então a culpa é toda sua'. Porque pra mim isso é a mesma coisa que dizer que eu permito estupro - em condições 'tais', mas que diferença isso faz? É estupro. A dor está lá, em qualquer situação.

Me admira que muita gente ache que beber, por exemplo, é uma coisa horrível; mas ao mesmo tempo facilite a vida do criminoso com tanta felicidade.

Só pra comentar, sou abstêmia. Não gosto sequer da imagem mental de beber ácool. Nunca pisei numa boate, não faço farra, não curto festa. O direito de ir e vir nem me é assim tão caro em relação à "curtição". Não faço questão de poder beber. Nem acho que seja bom consumir álcool. Eu e Lineu Silva seríamos uma dupla dinâmica, mais quadrado e certinho que isso, impossível. Não acho que beber seja bonito e jamais vou incentivar que bebam, homens ou mulheres.

Só que vai precisar de outra vida pra eu facilitar pra um monstro desses. Estupro é crime, não tem justificativa e eu me recuso terminantemente a entregar qualquer tipo de mulher numa bandeja pra esses lixos. A culpa deve ficar aonde ela pertence: n@ criminos@, que deliberamente abusou de outra pessoa.

... curiosamente [/ironia], até eu que não bebo tenho história de terror pra contar. Que coisa, não? [/ironia]

E sinceramente, achar que ser convocado a lutar pelo estupro é uma punição... Porque né, COMO OUSAM essas pessoas dizerem que eu tenho que ser contra um crime desses? Se NEM FUI EU que fiz?

Beeem pior que dizer que 'nem todo homem estupra', que eu ainda tomo como um argumento válido pq né, é vero (só que não te exime de lutar contra o crime, né amigão).

Melhor nem comentar.

Depois de todo esse amargor, talvez valha dizer que me encho de esperança toda vez que aparece um cara novo por aqui dizendo 'puxa, realmente, temos que lutar contra isso'. Quem sabe um dia sejamos tod@s assim.

carolinapaiva disse...

André

Não há estudos comparativos entre denúncias de diversos crimes, mas o que se aponta como problema é a falta de denúncias nos casos de violência sexual, o que mostra que a falta de denúncias de crimes sexuais é um problema, o que não ocorre com outros crimes.
Não há campanhas de incentivo a denúncias de roubo e furto, assim como não há julgamento moral dessas vítimas por parte da mídia e da sociedade.
Eu apontei estudos e exemplos jornalísticos, não é apenas minha percepção pessoal sobre o tema.
Se você puder me provar algo além da sua percepção pessoal, aí podemos progredir na conversa.
Do contrário, vamos então concordar que discordamos.

Anônimo disse...

"Não, eu não diria à minha filha 'vai beber que não dá nada!'. Eu sei que existe um perigo real aí."

parei aí.

uma que beber é uma coisa, cair inconsciente de bêbada é outra. Outra que discurso é uma coisa e prática é outra coisa.

Lord Anderson disse...

Claro Caracala


pq pra discordar de vc eu tenho que ter sido doutrinado, não tem chance de que eu acredite no que falo.

só vc tem razão ou capacidade de decidir por si proprio certo?

desqualificar a opinião de alguem assim e fugir do tema do post, que é o estupro, não é facista

sei.

Anônimo disse...

Ah é, a Lola é tão cruel e quer dominar o mundo Pink, digo Caracala (aliás não tinha sido convidado a se retirar?) Quanto mania de perseguição!

Anônimo disse...

Ana disse...

Não se deve falar pra vitimas que a culpa é delas ou que elas facilitaram
ai já é tarde.

tem que falar para as não-vitimas que existem comportamentos que dificultam e comportamentos que facilitam sofrem violencia,nao apenas sexual

André disse...

carolinapaiva,
Que fique claro que minha experiência pessoal foi construída também, e principalmente, indiretamente através de amigos e parentes que trabalham em delegacias e fóruns. É mais restrita e não estatítica que pessoal.
Estou sem internet o suficiente para lhe fornecer links, mas veja que basicamente todos os tipos de crime são subnotificados no Brasil. Até mesmo homicídio, lembra o espetáculo tragicômico que foi a busca pelo corpo do jornalista Tim Lopes?

Lord Anderson disse...

E como seria essa discussão?

explica, oq seria não tendencioso para vc.

Anônimo disse...

"tem que falar para as não-vitimas que existem comportamentos que dificultam e comportamentos que facilitam sofrem violencia,nao apenas sexual"
Revoltante, quando alguém diz que temos que ensinar a não estuprar, estamos querendo quebrar o ciclo, pra que as próximas gerações não precisem temer. Tu acha que não se ensina a vítima em potencial a se proteger? Como se eu não tivesse que cronometrar o horário quandos aio sozinha pra não voltar tarde, como se eu não prestasse atenção nas pessoas que passam por mim na rua, como se quando um homem passa por mim à noite, eu não baixasse meus olhos pra fingir que não estou ali, como se eu não cuidasse a minha bebida o tempo todo em festas, como se quando saio num encontro com alguém que não conheço muito bem eu não me certifique de várias formas de proteção. É claro que nós tememos, é claro que somos ensinadas a se proteger, mas isso não muda em nada o quão distorcido isso é. E se esquece de ensinar a não estuprar.

Anônimo disse...

estupros são cometidos por homens apegados emocionalmente, e dontes mentais, o isolamento dos psicopatas e sociopatas, e desapego( reeducação emocional e sentimental do homem)são o melhor caminho para livras as mulheres deste crime absurdo que e o estupro.
-
e quando digo desapego,não e não se envolver, não ter relacinamentos sadios com mulheres, mas sim priorizar o amor propio, ao inves de o amor por outro, pois isso não funciona, ninguem vai compretar as expectativas de ninguem, so o propio individuo pode se compretar, os outros...são somente os outros, o homem honrado deve ser prioridade em sua, desapenguen-se, e serão plenos !!!

Larissa disse...

Tenho vontade de rir dessa distorção que alguns criam em suas mentes. Eles acreditam piamente que as mulheres querem eliminar todos os homens do mundo. O que tem que ser eliminado é: o preconceito, o desrespeito, o ódio, a humilhação, a insegurança, a maldade, a distorção.

Anônimo disse...

"tem que falar para as não-vitimas que existem comportamentos que dificultam e comportamentos que facilitam sofrem violencia,nao apenas sexual"
Revoltante, quando alguém diz que temos que ensinar a não estuprar...

Para...eu tambem preferia viver num mundo onde não fosse necessario ensinar como fugir da violencia ...

com leis mais duras e policia mais eficiente e melhora social daqui a 2 ou 3 gerações o quadro ficaria bem melhor mas jamais some
mas enquanto isso não acontece SIM é necessario ensinar como reduzir a chance de sofrer violencia.

carolinapaiva disse...

André

Sim, claro que há crimes não denunciados de todos os tipos, não disse que é exclusividade dos crimes de estupro.
O que discuto é a diferenciação entre vítimas de crimes sexuais de outras vítimas, e que a vergonha é o principal motivo para que vítimas de estupro não denunciem.

O que acho ideal é que se discuta os motivos dessa vergonha, e o que podemos fazer para melhorar a situação.

Larissa disse...

Caracala, menos ;-)
Quero que você me aponte, no texto, ou em qualquer texto deste blog, a frase que diz que todo homem é mau, estuprador, etc. Ou então, pare de distorçer e entender só que você quer entender.
[]´s

Anônimo disse...

Larissa disse...

Tenho vontade de rir dessa distorção que alguns criam em suas mentes. Eles acreditam piamente que as mulheres querem eliminar todos os homens do mundo. O que tem que ser eliminado é: o preconceito, o desrespeito, o ódio, a humilhação, a insegurança, a maldade, a distorção.

Mulheres praticam isso tambem :preconceito, o desrespeito, o ódio, a humilhação, a insegurança, a maldade, a distorção ...devo lhe lembrar que a mulher via de regra prefere fazer uso de violencia psicologica que fisica.

Anônimo disse...

Larissa disse...

Caracala, menos ;-)
Quero que você me aponte, no texto, ou em qualquer texto deste blog, a frase que diz que todo homem é mau, ...


segunda-feira, 11 de junho de 2012
ESTUPRO, UM CULTO À MASCULINIDADE

PS :
A masculinidade é, de acordo com o Dicionário Collins,o que possui qualidades ou características consideradas típicas ou necessárias para um homem.

Anônimo disse...

Se eu sair de casa mto cedo para trabalhar todos os dias ou voltar de um curso a noite todos os dias, eu vou pensar em não ser estuprada todos os dias, vou pensar que roupa vestir para não ser estrupada, o que não fazer, com quem não falar. Qual homem tem que passar a vida pensando nisso todos os dias? é isso que alguns não entendem, nós já somos aterrorizadas para ter precaução e isso nunca serviu para diminuir o número de estupros, pq fora da rua, da balada, do matagal, tem o "amigo", o primo, o padastro/pai, o namorado/marido, o colega, o médico. E sim, nós damos passe livre para eles qdo nossa primeira preocupação é ensinar a vítima a não beber, a não vestir, a não isso, não aquilo. A questão da precaução é tão presente na nossa vida que não tem como não ver que é mais uma prisão para a mulher, o problema é que ela pode ser estuprada dentro dessa prisão também.

Bruna B. disse...

Caracala

A Lola já te mandou passear, criatura estúpida, qual parte do 'não quero mais que você comente no blog' tu não entendeu?
VAZA! RAPA FORA! TE MANCA! SOME! DESAPARECE! EVAPORA!

maisfazer disse...

Violência contra mulheres disfarçada de moda: http://jezebel.uol.com.br/violencia-contra-mulheres-disfarcada-de-moda/

Anônimo disse...

A gente vive em um país onde uma juizinha se sente ofendida e tem 150 mil reais de indenização arbitrados por outro juiz e reforçado por outros juizes no recurso. Mas nesse mesmo país, uma mulher que foi estuprada na frente de seus dois filhos pequenos teve que engolir a absolvição do réu porque não existiam provas e testemunhas do abuso. Ela, toda lacerada ali embaixo, não era prova. O trauma das duas crianças, que não conseguem mais ficar sozinhas um minuto sequer, idem. A janela arrebentada, por onde o vizinho estuprador entrou, também não era prova. O fato dela ter ENGRAVIDADO por conta do estupro, também não.

Então para o homem que se acha acima do bem e do mal e que o problema não é dele, eu aconselho fortemente a repensar essa posição.

Anônimo disse...

Cara que mala o caracala.

Bruna B. disse...

Roçar o cu nas ostras... hahahahahahahhaa
Essas crianças saem com cada uma, viu...
tsc, tsc.

Bruna B. disse...

Anônimo disse...

Bruna Buceta


Buceta não é ofensa não, filhinho... buceta é uma coisa linda.

Louise Nouvain disse...

Julgando pela escrita podre e o termo "homem honrado" o anônimo das 16:50 é o Fábio.

Anônimo disse...

Uma pessoa q usa o nick de Caracala ñ está em juizo perfeito. Para quem ñ sabe quem foi Caracala:

"De 205 a 208, Caracala e o seu irmão mais novo, Geta, tinham ganho fama de dissolutos e aos poucos a intensa rivalidade entre eles transformou-se em ódio. Ambos acompanhavam o pai nas campanhas da Britânia de 208 a 211. Por essa época, a instabilidade mental de Caracala começava a preocupar e, em certa ocasião teria quase esfaqueado o pai pelas costas perante todo o exército, ao que Severo teria reagido convidando-o ironicamente a matá-lo "já que estás no auge das tuas forças e eu sou um velho" (no século XVIII, em 1769, este episódio duvidoso seria o tema de uma pintura do francês Jean-Baptiste Greuze, que, com ela tentou alçar-se, sem sucesso, à condição de pintor "de História" , insatisfeito com o seu prestígio como pintor de gênero).

Depois da morte de Severo, em 211, Caracala e Geta encerraram a campanha britânica e voltaram para a cidade de Roma."

Anônimo disse...

Severo parece haver pensado em alguma forma de colegialidade que permitisse a seus dois filhos partilharem o poder, nos moldes da parceria entre Marco Aurélio e Lúcio Vero, mas a rivalidade entre Caracala e Geta impedia qualquer arranjo desta ordem. Ter-se-ia mesmo pensado numa divisão do império entre ambos, num esquema nos moldes da futura divisão entre Império Romano do Ocidente e Império Romano do Oriente, que, no entanto, não prosperou. Em Roma, a animosidade entre eles cresceu tanto que o palácio ficou dividido, e no fim do mesmo ano de 211 Caracala mandou matar o irmão mediante um ardil, fazendo-o depois ser declarado inimigo público pelo Senado e massacrando seus partidários reais ou supostos- entre os quais o prefeito pretoriano e jurista Papiniano e o neto de Marco Aurélio através de sua filha Lucilla, o cônsul de 209 Aurelius Pompeianus.

Anônimo disse...

Caracala procurou caracterizar-se como imperador guerreiro: a partir de 213 dirigiu-se à fronteira do Reno, e desta ao Danúbio a à Dácia, onde organizou operações defensivas contra os germanos, muito especialmente os alamanos. Acabou, no entanto, por pagar um subsídio regular aos mesmos alamanos para que protegessem a fronteira, ao mesmo tempo que buscava preservar sua base de apoio no exército romano. Sua força como imperador provinha da habilidade com que conquistava a fidelidade dos soldados, compartilhando mesmo dos seus trabalhos braçais, chegando em público a moer ele mesmo a farinha para fazer seu pão de campanha. Infelizmente para ele, sua política militar agressiva - combinada à elevação de soldos e a uma política de obras públicas ambiciosa, cujo maior resultado foi a construção, em Roma, das Termas de Caracala - exigia altos gastos, que a economia do Império Romano não podia suportar. Em 215, foi obrigado a desvalorizar a moeda de prata pela emissão de uma nova denominação (o antoninianus) de teor de metal precioso (51,5%) muito diminuído - na verdade, uma volta ao denário desvalorizado emitido por Marco Aurélio e Cômodo; mas como os denários de Septímio Severo eram ainda mais desvalorizados, Caracala atribuiu ao antoninianus o valor de face de dois denários, quando na verdade, em valor intrínseco (peso em prata), a nova moeda equivalia a 1,5 denários. Ao mesmo tempo, buscava confiscar propriedades de inimigos políticos reais ou supostos.

Sua instabilidade mental, o tratamento brutal aos seus adversários e sua política fiscal muito severa, além do tratamento privilegiado por ele concedido aos seus funcionários e aos soldados de carreira, fizeram com que se tornasse odiado - muito especialmente pela velha aristocracia do Senado Romano, que acabaria por caracterizá-lo como um monstro nos moldes de Nero e outros "maus" imperadores. As anedotas a respeito de suas várias perversões transmitidas pela coletânea tardia de biografias romanceadas dos imperadores conhecida como História Augusta fazem parte desta tradição hostil, como também a narrativa do massacre que, durante suas viagem ao Oriente, Caracala teria promovido entre os membros da aristocracia grega de Alexandria, que o teriam satirizado. Segundo um relato de Herodianos, funcionário municipal de Alexandria, Caracalla chegou à cidade para participar das festividades. Fez oferendas no túmulo de Alexandre, o Grande, agradando o povo. No meio da festa mandou reunir todos os jovens em uma praça central, prometendo criar uma grande linha de batalha. Eles se reuniram, trazendo consigo seus familiares. Caracalla caminhou entre eles, dizendo coisas agradáveis durante a inspecção. Enquanto isso seus soldados cercaram a praça. Quando tudo estava cercado, ele se afastou e os soldados massacraram todos e os jogaram em valas comuns.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Caracala

Anônimo disse...

"Só pelo título já dá pra ver BEM o pensamento da autora: as feministas querem castrar os homens.

DESDE QUANDO ESTUPRAR É CULTO À MASCULINIDADE?

Associar masculinidade a CRIME?

Estuprar não tem nada de masculino. Estuprar é violentar a liberdade sexual alheia, seja por parte do homem, seja por parte da mulher. A questão é que mulheres são mais fracas fisicamente, por isso não estupram homens. Só por isso. Mas são capazes de esquartejar, matar, torturar. As não tão cruéies e/ou que não são fisicamente violentas, também podem ser violentas de outras formas: proporcionar infernos emocionais, instrumentalizar o ciúme, se vingar, acabar com a vida de um homem.... etc etc etc.

Ser masculino é ser ativo, empreendedor, racional, objetivo; ser feminino é ser protetor, passivo, emocional, carinhoso (antes que surtem, cada homem e mulher pode ter um pouco dos dois, até mais do oposto, sem perder sua qualidade de homem ou mulher).

A violência pode se manifestar em ambos.

Estupro é culto à masculinidade? Em que mundo?
"

SENSACIONAL

Louise Nouvain disse...

"Ser masculino é ser ativo, empreendedor, racional, objetivo; ser feminino é ser protetor, passivo, emocional, carinhoso (antes que surtem, cada homem e mulher pode ter um pouco dos dois, até mais do oposto, sem perder sua qualidade de homem ou mulher)."

Não sou passiva e muito menos emotiva.
Acho que sou homem óóó /pensa
Só homens podem ser empreendedores,racionais e objetivos /AHAM
Porque mulher é tudo histérica,chorona e chantagista emocional certo sr. anônimo preconceituoso?
Nas entrelinhas dá pra ler muito bem o que você quis dizer,mas pra não ficar muito retrógado e machista no final do seu discurso você diz que ambos podem ter qualidades um do outro,sei conte-me mais sobre.

Anônimo disse...

Futuro Endividado e Caiacasa, vocês dois são a prova de que atingimos o coração do machismo ao colocar todos os homens como estupradores em potencial. Essa não é a estratégia da dona do blog. O que ela pretende é envolver todos os homens na problema do estupro, quer parando de culpar as mulheres, quer aliviando a pressão social da masculinidade uns sobre os outros. É pedir demais? Não, mas vocês fazem ouvidos moucos. Porém quando todos são colocados no mesmo saco, como estupradores em potencial vocês tremem na base que nem vara verde. Isso prova que TODOS realmente promovem a cultura da masculinidade de alguma forme inclusive o estupro. Estamos no caminho certo.

Cristopher Ramon disse...

Anônimo disse...
Christopher, prazer no sexo é a isca, meu caro. Você faz sexo para reprodução, mas pensa que faz por prazer. Um dia dá certo. Té mais.

11 de junho de 2012 15:43

Não sou tão piá pançudo para acreditar nisso, cresça.

Anônimo disse...

Louise, onde disse que mulher é isso q vc falou q disse?

PRA FICAR CLARO, há mulheres que são assim sim. Ligue a tv e verá. No seu dia dia verá. A violência é COMUM a AMBOS os sexos, e não tem relação alguma com a masculinidade ou feminilidade.

Anônimo disse...

17:22, quem fez esse raio desse inquérito? o estuprador? aiaiai

Louise Nouvain disse...

Você está atribundo "qualidades" a papeis de gênero,isso já mostra o quanto você é retrógado e pra salvar o discurso você coloca um "porém,contudo,entretanto" de que homens e mulheres podem ter características um do outro.
Feminino é isso,Masculino é isso.
Eu nem deveria responder a um anônimo covarde e quem nem mostra a cara ao expor as suas idéias.

Cristopher Ramon disse...

Acredito que os rapazes deveriam se pronunciar sobre o estupro masculino. Até agora pouco se comentou sobre as possíveis violências sexuais sofridas por rapazes (causadas tanto por homens quanto mulheres), sabe-se, por exemplo, que há grande incidência de casos de violência sexual intra familiar nas narrativas de rapazes homossexuais (e heterossexuais, às vezes), isso é algo a ser pensado...Os rapazes também são "estuprados", mas muito silêncio se faz sobre o assunto.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 400   Recentes› Mais recentes»