quarta-feira, 1 de agosto de 2012

CULTURA DE ESTUPRO? NÃO, IMAGINE!

Sempre que se fala em cultura de estupro, vem homens dizer que de jeito nenhum, isso não existe, é paranoia de feminista. Eu digo que cultura de estupro é quando temos uma sociedade que tolera e até incentiva o estupro, e que está sempre pronta pra culpar a vítima. Costumo dar alguns exemplos. Tipo: se você foi vítima de estupro e estiver procurando ajuda, será mais fácil encontrar na internet vídeos pornôs com simulações de estupro, mostrando estupro como algo excitante, do que instruções tratando de delegacias e exames de corpo de delito.
Cultura de estupro é comediante dizer que homem que estupra mulher feia não merece cadeia, merece um abraço, e metade da população rir e, diante dos protestos da outra metade, xingar quem se indignou com o chiste de mal amada, mocreia, sapatão, “nem pra ser estuprada vc serve”. Cultura de estupro é vender camisa (e muita gente comprar pra usar) com “fórmula do amor”, que equivale a embebedar a mulher para conseguir sexo sem resistência. Cultura de estupro é um programa de TV fazer rir em cima de um problema que acomete milhares de mulheres por dia (bolinações dentro de meios de transporte coletivo). Cultura de estupro é anúncio de preservativo brincar que sexo sem consentimento queima mais calorias.
Cultura de estupro é o comercial da Nova Schin estar passando na TV há meses sem que se veja qualquer problema. Não viu o comercial? Eu explico: um grupo de amigos, só homens e brancos, bebem na praia, quando um deles, ao observar mulheres, pergunta pros outros: “Já pensou se a gente fosse invisível?”. Corte pra latinhas de cerveja flutuando, representando que a fantasia virou realidade. E o que os homens invisíveis estão fazendo? Passando a mão na bunda de mulheres no mar. Sacaneando um cara que joga frescobol. Tocando o terror na praia. 
Até que entram num vestiário feminino. A câmera não mostra tudo, só as latinhas abrindo a porta, e mulheres correndo pra fora, aterrorizadas. O mais perverso é que, mesmo no “clima de humor” do comercial, a expressão no rosto das mulheres é de pavor. Na maior parte das vezes, quando homens fazem piadas de estupro, atenuam a violência fingindo que a vítima está gostando (esta também é uma mensagem perversa, claro). Aqui nem tentam isso. As mulheres saem correndo dos homens invisíveis com medo mesmo.
Publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico (eu fui redatora publicitária em outra encarnação). Mas uma de suas funções é estar antenado com o mundo, saber o que acontece, conhecer outros produtos culturais. Daí eu imagino que os publicitários saibam que, desde 2009, as leis brasileiras deixaram de considerar estupro apenas quando há penetração vaginal. Hoje temos uma das leis mais abrangentes do mundo, e passar a mão também pode ser visto como estupro. Ou seja: o que os homens invisíveis do comercial da Nova Schin fazem, pela lei, é estupro. E eles morrem de rir disso. Se fosse com eles, seria engraçado? 
Mesmo que os publicitários não conheçam a lei, eles definitivamente conhecem O Homem Sem Sombra, filme de 2000 do Paul Verhoeven. Nesse thriller, Kevin Bacon faz um cientista que descobre a fórmula da invisibilidade, e a testa nele mesmo. Ele vai ficando cada vez mais obcecado com esse poder, até que decide estuprar uma vizinha que ele espia pela janela. A cena é terrível (você pode vê-la aqui, e aqui a continuação, com o comentário do diretor explicando que tiveram que suavizar o estupro), mas mais chocante ainda é o número de comentaristas no YouTube fazendo piadinhas (“ela vai ter um filho invisível?”) e afirmando que, na pele do cientista, fariam exatamente a mesma coisa -– estuprariam mulheres.
E eles não estão brincando. Não tenho tempo para encontrar todas as pesquisas que já li mostrando que, se estupro não fosse crime, muitos homens estuprariam. Margo Paine fez um estudo com universitários americanos, e os números, publicados em Body Wars, não são bonitos. 30%  dos entrevistados responderam que estuprariam se não houvesse consequências legais. 8% revelaram já ter estuprado ou ter tentado estuprar. 83% concordaram com a expressão “Algumas mulheres parecem que estão pedindo para ser estupradas”. Diante de resultados assim, você ainda quer manter sua certeza de que apenas psicopatas estupram? De que não vivemos numa cultura de estupro?
Um dos problemas é que boa parte dos homens não faz ideia do que seja estupro. Estupro, pra eles, é só o que acontece num beco escuro à noite entre um psicopata e uma mulher que, pelas roupas, “estava pedindo”. E tem que haver muita violência física para que esses mesmos homens encarem aquilo como estupro. Para esses cidadãos, não passa a ideia de que estupro é pura e simplesmente sexo sem consentimento. Nesse mesmo estudo de Paine, quando a palavra estupro foi substituída por “sexo forçado”, 54% dos entrevistados disseram que “forçariam sexo”. Quer dizer... Muitos homens não veem forçar sexo como estupro! Assim como a Prudence não vê sexo sem consentimento como estupro. Assim como a Nova Schin não vê agarrar mulheres nuas como estupro.
É exatamente isso que a cultura de estupro faz com a sociedade: ensina que mulher faz charminho, que quando ela diz não ela no fundo está dizendo sim, que é totalmente normal pruma mulher, que obviamente nem gosta de sexo, “vender caro seu passe”, fingindo refutar o macho incontrolável para assim se valorizar. E que homens são eternos brincalhões, boys will be boys.
Acho que nunca publiquei um só post sobre estupro sem que viesse algum sujeito dizer que aquilo é besteira, que somos paranoicas, que não deveríamos dar importância pra aquilo, que deveríamos estar falando da corrupção do governo ou salvando criancinhas na África. Ou sem que viesse algum cara dizer que o caso narrado simplesmente não aconteceu, que a mulher está mentindo, que aquilo não é estupro de jeito nenhum, que as mulheres gostam, que imagina se aquela propaganda faz apologia do estupro!, que nós é que não temos senso de humor. O que eu leio em todas essas frases é apenas um recado vindo de homens: “Não quero saber de assuntos de mulheres, mas quero continuar podendo rir deles”.
Que tal trocar o disco? Que tal assumir sua responsabilidade nesta cultura de estupro? Temos basicamente dois times: um que luta pelo fim do estupro e pela liberdade das mulheres; outro que luta para manter o privilégio de encarar estupro como piadinha e manter as mulheres com medo. Em que time estão os publicitários e a mídia em geral? Em que time você está?

Leia sobre a repercussão deste post. E sobre respostas e ações.

349 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 349 de 349
Anônimo disse...

Anônimo disse... 90% das mulheres sentem orgasmo durante o estupro, isso é bom ou isso é ruim?
2 de agosto de 2012 20:04

vc não está de todo errado na primeira parte do seu comentário; há um ótimo documentário americano que aborda isso. porém o orgasmo no caso de estupro nada tem a ver com a vítima, no caso a mulher, estar gostando, tendo prazer. é um orgasmo que ocorre pela própria biologia querendo manter a espécie. qdo a mulher sente orgasmo ela tem mai força pra atrair o esperma e esse orgasmo a que vc se referiu é um orgasmo totalmente involuntário do qual a mulher nem se dá conta e se ocorrer dar-se conta é muito doloroso e confuso para a mulher lidar com isso. esse tema é tratado com muita seriedade no documentário a que me refiro. vou pesquisar pra ver se consigo o link pra Lola que tenho certeza ela vai apreciar. e eu espero que antes de vc morrer, muito muito antes, vc aprenda sobre o assunto e não o trate assim banalmente ao menos respeite o sentimento alheio.

nando disse...

Estas propagandas de cervejas são de um preconceito atroz,é uma falta de respeito com próximo:Mulher,Negro,Homossexual e etc. Até aonde nós iremos,até aonde nós seremos chamados de seres humanos, é muito triste isso.

lola aronovich disse...

Anônimo, eu não acredito MESMO nesses números (se é que eles existem) de que 90% das mulheres têm orgasmo quando são estupradas. E não acredito nessas idiotices da psicologia evolutiva dizendo que é instintivo ao homem estuprar pra espalhar a sementinha e que é natural (pero involuntário) as mulheres gozarem durante o estupro pra assim a inseminação vingar. Sabe no que acredito? Que um terço das mulheres nunca tiveram um orgasmo. Por inúmeros motivos: por não conhecerem o próprio corpo, por repressão sexual, por incompetência dos parceiros, por falta de clima. E aí aparecem números do nada dizendo que 90% das mulheres estupradas têm orgasmo... SEI!

nando disse...

É nojento estes anúncios de cervejas,é uma falta de respeito com o próximo que são as mulheres,os negros, e os homossexuais e todo mundo acha isso normal,porque nós somos ensinados desde á infância a não respeitar,não tolerar,e ainda sermos egoístas,crescemos sendo estes adultos preconceituosos.

Anônimo disse...

Propaganda imbecil mesmo, como todas as de cerveja.

Mas que abuso masculino é ridicularizado também, isso eu concordo... comecei a pensar nisso com esse video, relativamente famoso na internet:

http://www.youtube.com/watch?v=yVKk5AmbI0E

não conheço ninguém que não tenha achado graça ou tenha achado um absurdo o cara estar bêbado e ter sido arrombado. Se fosse uma mulher, teria causado mto mais impacto negativo.

Só pensando que, homem ou mulher, o ser humano ainda está longe de ter respeito com 'o outro'.

Helena disse...

Muito bom esse post! Tenho notado cada vez mais uma intensificação de piadas para se esconder uma situação atroz, e isso vale pra muitas coisas, como o machismo, a homofobia, o racismo, até doenças mentais... Acho que fodam-se os comentários preconceituosos e as vozes desses imbecis. Devemos continuar lutando contra isso, postando e gritando para que uma situação horrível mude.

Carina disse...

Tenho que admitir que o texto me deixou um tanto perplexa. Não conhecia o blog e apenas cheguei a essa discussão pois uma amiga compartilhou o texto no facebook.

A sensualização da infância e a forma como a mulher é retratada em comerciais de tv são problemas já conhecidos ha bastante tempo mas não estava familiarizada com esse conceito de cultura do estupro. Ao ler as explicações de diversas pessoas aqui, e também alguns comentários contra, isso ficou tão claro!

Lola, passarei a acompanhar seu blog, obrigada!!

Anônimo disse...

E no que deu aquela campanha machista da VW sobre a qual foi falada aqui no blog? A VW retirou do ar ou de circulação?

Anônimo disse...

Sensacional,seu blogão...
Seguirei fielmente.
Cris

visite o meu ;
http://quanddoacidadedorme.wordpress.com/

Lilian Soares do Nascimento disse...

Completamente sem palavras para agradecer e parabenizar a prestação de serviço público que você dá a nossa sociedade, Lola...

Fantástica! Fantástica...

Biazacha disse...

Nunca tinha lido nada no seu blog, mas fiquei interessada pelo link que minha amiga postou no Face.... e antes de mais nada, sinta orgulho de si mesma por falar daquilo que todos evitam a qualquer custo, como muita gente mesmo apontou, de tal forma que a sensação é de que "deixou de existir".

Comercial de cerveja e produto de limpeza sempre foram ridículos na minha opinião; os de carros deram uma melhorada considerável, mas você dificilmente vê uma mulher dirigindo...

Mulher é a figurinha lasciva nos bares, é a dona de casa, é a que sabe os remédios na hora em que ficam doente e agora... é passível de abusos, desde que claro, seja num contexto "engraçado".

Não acho que as mulheres tenham culpa por um lado, mas a maioria se omite; tanto que no geral somos taxadas como dramáticas e exageradas pelos outros ao verbalizarmos nossa indignação.

Denunciem em peso na internet,mandem e-mails para as mídias e entupam as caixas dos órgãos públicos.

Achei desnecessário a ofensa e generalização aos publicitários, principalmente porque tenho amigos e amigas na área que não são uns trogloditas como os senhores da LBTM.

Mas ironicamente, o homem que defendeu a classe responsável por nossas propagandas deu a solução: se eles refletem a sociedade, vamos mudar os valores dela. Vamos educar melhor nossos filhos, vamos impedi-los de ouvirem essas músicas populares com apologia (Uma coisa é a pessoa falando sobre sexo na música e muita gente curtir e outra é a pessoa falando 'se eu te pegar você vai ver'), vamos, ao invés de assistir e entrar em choque, boicotar programas como Pânico na TV e Zorra Total (dois que aliás não sei porque as pessoas assistem), vamos entupir a página do Fantástico (um programa no mínimo influente na população do país) com mil e uma reclamações sobre estas propagandas, de modo que eles se sintam pressionadas a criar uma matéria...

Vamos parar de ver quietas um cara passando a mão em uma mulher, filmando o decote dela, meninas tirando fotos escondidas de garotos no metrô por acharem eles bonitos ou de não mandar pra aquele lugar as pessoas que nos mandam cantadas baratas na rua.

Vamos nos lembrar sim que homossexuais e transsexuais são cruelmente agredidos também; acho o cúmulo do absurdo quando dizem "concertar" para as lésbicas, como se violenta-las fosse válido porque elas erram em gostarem de mulheres.

Chega de hipocrisia ou de fechar os olhos... discussões nos comentários a parte, o que conta mais: discutir de quem é a culpa ou tomar atitudes para mudar o panorama?



Lola, parabéns!

Sergim Duarte disse...

E é que ela nem comentou as músicas de funk e forró comercial...

Anônimo disse...

Problema mundial:

http://news.aufeminin.com/le-machisme-ordinaire-filme-en-camera-cachee-actu5604.html

Anônimo disse...

Lola, eu não vi o comercial da cerveja e claro que não aprovo, mas também me recusaria a participar. Será que a cultura do estupro está tão enraizada que nem as mulheres (as que fizeram o comercial)se dão conta do absurdo???

Erres Errantes disse...

Aff, essa propaganda é asquerosa. E faz tempo que passa incessantemente na TV.
Os publicitários parecem que buscam inspirações malignas para criarem essas propagandas, sobretudo as de cerveja, mas essa da nova schin foi demais. Obrigatoriamente, todas têm que ter um cunho sexista e até criminoso.
Nesse sentido, a propaganda da Budweiser, com Anderson Silva, é um exemplo de que é possível fazer uma campanha publicitária com criatividade e humor, e sem recorrer ao machismo.

morandini disse...

Sabe aquela idade na qual a criança 'testa' os pais. Ela avança e é repreendida. Avança novamente. Avança outra vez... Até que consegue vencer pela repetição e se lambuza na cobertura do bolo de chocolate? Então, o Brasil vive na eterna 'idade do testar'. Primeiro uma letra de música mais maliciosa, depois um pedacinho a mais de pele mostrada no programa de auditório, seguida por uma piada pesada... Isso abre caminho para que 'colocar a mão no creme do bolo' passe a ser encarado como algo normal pela população em geral.

Para a maioria, que não tem poder de reflexão, a mídia dita o comportamento. Na mão de irresponsáveis (de caso pensado ou não) isso é uma espécie de terrorismo dotado de armas prá lá de perigosas.

patnonaka disse...

É a primeira vez que entro no blog e estou surpresa com a abordagem da cultura do estupro!! Ótimo tópico, parabéns!!!

Thiago disse...

Ótimo texto.

Sou professor de História na rede Estadual Paulista e vamos fazer uma feira cultural com os alunos sendo que o tema geral são valores humanos.

Eu recortei, para a minha sala de coordenação, o tema da Mulher e os seus lugares na nossa cultura e sociedade (conquistas e permanências históricas) e este texto é ótimo para eu trabalhar em sala de aula. Com certeza irei usá-lo.

E é horrível ver como os adolescentes, que estão começando a descobrir a sexualidade, reproduzem essa violência no cotidiano deles. Já flagrei alunos de sétima série bolinando algumas colegas em "tom de brincadeira" pois elas riam, argumentavam os meus alunos.

Chamei as meninas de canto e perguntei se isso estava incomodando elas - claro, já sabendo que a resposta delas seria positiva. Elas disseram que sim e eu lhes disse que elas não devem sentir vergonha (e medo) de não aceitar esse comportamento dos meninos e qualquer incomodo que elas sentirem em relação à isso deveriam me procurar ou algum outro professor. Ainda falei se eu deveria levar essa história adiante - chamar pais, diretoria, conselho tutelar (afinal são todos menores de idade). Elas pediram quase que chorando para que eu não contasse para elas, que os pais delas iriam acabar com elas (reprodução da culpabilidade feminina nos discursos maxitas). Aí, para deixá-las mais confortáveis eu disse que em respeito à vontade delas eu só iria chamar atenção dos meninos, mas que é importante, para elas, denunciar quando se sentirem incomodadas.

Na sequencia chamei os meninos que estavam fazendo isso para fora da sala e comecei a questionar o comportamento deles. Um doce se adivinharem o que aqueles meninos de 13/14 anos disseram?

Que "elas no fundo gostam disso" e que também tinham passado a mão na bunda deles. E o pior: eles, como homens, pensavam que tinham a "obrigação" de se comportarem daquela forma.

Eu dei um esporro verbal neles. Expliquei a situação, de que homem nenhum tem direito de fazer qualquer coisa com uma garota sem consentimento dela e tentei fazê-los ver de que o comportamento deles é uma herança cultural de opressão. E por fim, tive que usar a ameaça. Se isso voltasse a se repetir, e eu ficar sabendo de qualquer coisa que vocês fizeram, a coisa vai ficar feia para o lado deles e o problema não iria ser resolvido nem comigo, nem com os pais, nem com a diretoria da escola, mas com a polícia e o conselho tutelar.

Sei, como você bem disse no texto, muita gente só não age de forma violenta contra as mulheres pois é crime, e temos que superar essa visão. Não basta o "não poder estuprar", devemos atuar no "não querer". Por isso estou desenvolvendo um projeto com os alunos para pensarmos os lugares das mulheres em nossa cultura e como a situação de opressão permanece, mesmo com brilhantes exemplos de grandes conquistas de direitos pelas mulheres.

Por isso deixo meu e-mail aqui: se algum leitor tiver alguma sugestão de abordagem com adolescentes (13-15 anos) sobre esse tema, agradeço. Leituras, depoimentos, etc.

thiago_prof@yahoo.com

Déa disse...

Lola, bom dia!

Não vi a propaganda da Nova Schin (e estou com receio de ver por isso não procurei rs), mas quero parabenizá-la pelo belo post.

Beijos

Andréa

Wesley disse...

Parabenizo o blog pela atitude. Temos que aproveitar a rede e disseminar essa ideologia de respeito! Bora compartilhar?

Jacilene Silva disse...

Falta uma boa dose de reflexão ética nos cursos de publicidade, só pode ser. É cada comercialzinho escrotamente preconceituoso!

---
jacifoiodiscovoador.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Simplesmente AMEI o post. Eu já ouvi uma menina que eu conheço dizer "quando passo perto de uma construção/grupo de homens fico zarolha, entorto as pernas, fico corcunda pra ninguém me paquerar." Só quem passa por esse tipo de CONSTRANGIMENTO sabe como é você ter "medo" de ser gostosa/bonita/feminina nas ruas de sua cidade, mas mesmo assim é vítima da falta de respeito de homens totalmente ignorantes, e quanto ao comediante, não tem isso de mulher feia, "não gostosa". Várias vezes vi CRIANÇAS serem agredidas, tendo bunda e peito, eles tão agredindo com tudo! Por muito tempo acreditei que eu mudando minha postura ao andar na rua, estaria evitando esse tipo de coisa, de ESTUPRO, mas vejo que essa cultura é PODRE e a forma que a mídia trata isso na televisão e nos meios de comunicação,influencia o pensamento da maioria dos homens e mulheres, que aplaudem. Dá vontade de virar a mão na cara de certos imbecis, mas você não faz por que eles são "mais fortes" que você e geralmente estão em grupo, por que homem em grupo adora aparecer pro amigos e dá cantada "nas gostosas". Nos resta lutarmos, como podemos, por isso, por esse direito que temos de sermos respeitadas. Esse post é uma dessas formas. Queria que todo mundo lesse esse texto, sério. Desde os mais jovens até os mais velhos, é muito importante refletir sobre essa cultura que existe no nosso país e no mundo. Isso não é birra feminista. Mulheres e Homens tem seu papel individual na sociedade, ambos podem ser muito bons no que fazem. Mulheres não querem substituir os homens, elas querem apenas seu lugar digno na sociedade, tão importante quanto o "dos homens", por que MERECEM. Nós queremos apenas respeito. Culpo os publicitários, nessa situação, e ao mesmo tempo não, por que assim como tem pessoas que ABOMINAM, tem 83% que se identifica e compra "Schin" por causa disso.

catbamboo disse...

oi lola, so queria dizer q acho seu blog super interessante, me faz pensar a beca. nao vou dizer super legal, pq as coisas q vc escreve tao longe disso, mas precisam ser ditas.
sobre o post, concordo com tudo! so acrescento uma coisa q as vezes penso: ja me deparei com gente boa, boa mesmo, q falava alguma besteira do genero por nao ter nunca pensado sobre o assunto. quando encaradas com a verdade, ja vi caso de homem reconhecer a influencia da educacao q recebeu e mudar de opiniao. isso nao eh so pra cultura de estupro: muito homem encara a mulher de uma maneira q na verdade ele nunca pensou a respeito, so reproduziu e quando colocado a pensar no assunto, discordava com muito do que recebeu.
ate ai nada de novo, ne. o que me impressiona mais, na verdade, eh quando se ve isso com mulher. lembro um caso de uma garota na minha adolescencia que soltou uma vez q tinha a fantasia de ser estuprada... pois eh. duro! muita gente ficou chocada, mas teve outras meninas q nao acharam tao mal assim, se fosse o ator xyz, ou o musico xyz. quem ja nao ouviu uma besteira dessa? acho bizarro!

Lugar de pesca disse...

Muito triste essa ideia de que mulher faz charminho mas
"se apertar ela dá". Sim, se apertar ela dá, óbvio, como o condenado,submetido à tortura, confessa qualquer crime. Ela dá sim depois de negar, não porque queria isso desde o começo, mas pelo medo e pelo sentimento de fragilidade que plantaram dentro de nós desde muito cedo. Muito bomo texto!

Martha Chaves disse...

Muito boa a reflexao toda sobre a questao ëstrupo"Gostei de conhecer seu blog! Continue assim!( Nao tive o desprazer de assistir ao referido comercialda Skin).

Gabriel Martins disse...

Concordo que esse mundo é injusto, mas acho isso muito paranoico. Sou homem e tenho amigas feministas e lendo textos assim fico cada vez mais bolados com mulheres. Na boa, as vezes tenho medo de mulher! Hoje se você encostar sem querer numa garota ou roubar um beijo dela em uma balada você pode ser acusado de estupro. Acho que vou virar assexual, porque gay também é foda. Depois mulheres, não reclamem que falta homem hein.

Anônimo disse...

Kayla Harrison says she almost quit judo because of sexual abuse by a coach. Instead, she’s now the first American to win Olympic gold in the sport.
http://news.blogs.cnn.com/2012/08/02/harrison-grabs-first-u-s-olympic-judo-gold/?hpt=hp_t2

Anônimo disse...

Jacilene Silva disse...
Falta uma boa dose de reflexão ética nos cursos de publicidade, só pode ser. É cada comercialzinho escrotamente preconceituoso!
3 de agosto de 2012 10:49

falta uma tremenda dose.

Guilherme disse...

Lola, a propaganda da Schin é de péssimo gosto (bem como todas as propagandas de cerveja, é impressionante!), mas creio que, a rigor, o que ela mostra não caracteriza estupro, como você afirmou. Estupro é constranger alguém a realizar conjunção carnal ou outro ato libidinoso mediante violência ou grave ameaça.

O que a propaganda mostra é outra coisa. Igualmente reprovável, igualmente inserida na cultura de desrespeito às mulheres, mas outra coisa.

Tati disse...

Vi a propaganda e fiquei estarrecida! Lola parabéns pela sua coragem em abordar esses temas, que infelizementa ainda são tratados com naturalidade.
Ah, uma questão o livro da Margo Paine Boys War foi traduzido?

Abraços!

Johnny disse...

Com certeza, sexo sem consentimento é estupro. Mas o que define "consentimento"? O que define "sexo"? O Texto é bom, mas condenar por estupro um bêbado que passa a mão na bunda de uma garota é o mesmo que acusar de terrorismo uma criança que rouba uma bala juquinha do mercado. Tem coisas que são erradas, podem até ser criminalizadas. Mas é preciso ter bom senso. Indo por esse caminho que algumas mulheres querem ir, daqui a pouco vai ter cara pegando cadeira elétrica por chamar a mulher de "gata".
Por outro lado, é um fato que nenhum homem gostaria de estar na situação dessas mulheres retratadas no comercial.
Mas ainda assim, elas aceitaram fazer.

Rafael disse...

Todo comercial de cerveja é ridículo! Especialmente no que se trata da visão sobre a mulher. Mas falar que estão fazendo Apologia ao estupro!? Isso É RIDÌCULO! Quem em sã consciência, especialmente uma empresa, iria fazer algo assim só pra se queimar!? Eu não concordo e acho um exagero, que por sinal, sempre parte dos mesmo grupinho que querem revolucionar o mundo com causas infundadas e desnecessárias.

João Madeira disse...

@Ana and @Mihh


Muito legal 'discutir' com vocês, e é isso que o mundo precisa. Troca de informações entrelaçando viés que não são abordados a todo o tempo e o entendimento, seja você machista, feminista ou simpatizante. rs :)

Anônimo disse...

Lola, parabéns e obrigado. Nós homens muitas vezes não percebemos que essas "brincadeiras" passadas de geração em geração carregam uma falta de entendimento que é vital para um mundo mais justo.

Abraços.

Daniel disse...

Estão acabando com a criatividade e humor do premiada propaganda brasileira graças a esta hipocrisia de sermos politicamente correto.

Arthur Callado disse...

Excelente postagem, Lola, muito bem escrita. Realmente, vivemos numa sociedade por demais sexista, onde o que uma pessoa pode ou não pode é em parte determinado pelo seu gênero. Gostaria só de lembrar duas coisas que sempre vejo 'faltar' quando uma feminista fala sobre o assunto:

1- Embora em números incrivelmente menores, também existe assédio e estupro de homens (tanto por outros homens, comuns em prisões, quanto por mulheres, especialmente as hierarquicamente superiores a eles);

2- boa parte da sociedade (com a qual eu concordo) não aceita que um homem agrida fisicamente uma mulher em público, à vista dos outros, independente do que motivou a agressão; uma parte maior ainda da sociedade (com a qual eu discordo) acha normal que uma mulher agrida fisicamente um homem, independente do motivo. Para nossa sociedade, um homem que bate na mulher é um covarde, mas um homem que apanha da mulher é um fracote.

Bem, fica aqui o meu apelo: se queremos a igualdade de direitos entre os gêneros, que a tenhamos por completo!

Um forte abraço!

Bruna B. disse...

Gabriel Martins

Nós é que deveríamos ter medo dos homens... são eles que nos estupram.

E pra sua informação, roubar beijo é CRIME (enquadrado em ato libidinoso), ou você acha que nós somos obrigadas a aceitar um beijo de um estranho (principalmente se for asqueroso como o Sr.)?

Estupro
Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique OUTRO ATO LIBIDINOSO: Pena - reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos. § 1o Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos: Pena - reclusão, de 8 (oito) a 12 (doze) anos.


Haaa, e antes que eu esqueça, babacas como você não fazem falta. Podes ficar à vontade pra se tornar assexuado.

Janaina Capistrano disse...

Poxa, quando eu via esse comercial e achava um horror, ficava pensando se só eu tinha essa sensação, mas que bom ver pessoas que se indignam tanto quanto eu. Essa peça publicitária faz apologia ao estupro sim, só não vê quem acha conveniente não ver.

Mihh disse...

Johnny,


E nós mulheres que passamos por isto NA VIDA, e não num comercial? Nós não aceitamos. Nós não gostamos. Nós não queremos. E sabe o que fazem? Um comercial para rir da gente.

Mihh disse...

Gabriel Martins,


se você precisa roubar um beijo, não se preocupe, você JÁ É assexuado, porque ninguém te quer de livre e espontânea vontade.

Letícia Rodrigues disse...

"O Texto é bom, mas condenar por estupro um bêbado que passa a mão na bunda de uma garota é o mesmo que acusar de terrorismo uma criança que rouba uma bala juquinha do mercado."

"Todo comercial de cerveja é ridículo! Especialmente no que se trata da visão sobre a mulher. Mas falar que estão fazendo Apologia ao estupro!? Isso É RIDÌCULO!"

Os comentários do jonny e do Rafael traduzem o senso comum : sair passando a mão na bunda das mulheres - como os caras fazem na propaganda - é errado mas não é tão grave assim.

É justamente essa mentalidade de que isso não é tão grave que faz com que seja um hábito comum.

Agarrar alguém a força ou tocar a pessoa sem seu consentimento já é, por si só, uma violência.
E a forma como toleramos esse tipo de abuso em nossa cultura cria um terreno fértil para violências sexuais mais graves proliferarem.

Leiam o texto que a Lola publicou ontem, e prestem atenção a essa parte:

"Apologia ao estupro não é (só) motivar um cara a cometer estupro. É contribuir com a cultura de estupro de forma geral."

Bruna B. disse...

Rafael

Dane-se você e dane-se o que você acha. Não precisamos do seu aval para nada.


Get out!

Fernanda Toyomoto disse...

Estava conversando com um amigo que é da Arábia Saudita e perguntei para ele por que as mulheres do seu país tinham que se cobrir dos pés a cabeça, mostrando apenas os olhos, sua resposta foi clara e direta: porque as mulheres do meu país são muito bonitas e por isso o índice de estupro é altíssimo, então perguntei: por que então não educar a população/ homens para não cometer esse ato horrendo? ele se calou e concordou. É hora de repensar.

yulia2 disse...

''Mas falar que estão fazendo Apologia ao estupro!? Isso É RIDÌCULO! Quem em sã consciência, especialmente uma empresa,
iria fazer algo assim só pra se queimar!?''

TA sabendo legal hein???

alguém explica pra esse cara que a propaganda
NATURALIZA E BANALIZA o abuso sexual e é
por isso que estamos protestando....

''Eu não concordo e acho um exagero, que por sinal, sempre parte dos mesmo grupinho que querem revolucionar
o mundo com causas infundadas e desnecessárias.''


dá um tempo.... o que vc tem feito pra mudar ???
bando de ( FAZ PORRA NENHUMA ) vem aqui pra falar
que sou contra machismo e feminismo, contra isso e
aquilo.... que saco! a gente não precisa de pessoas
em cima do muro vir aqui ficar dando liçãozinha de moral...
muito ajuda quem não atrapalha....

yulia2 disse...

''Estão acabando com a criatividade e humor
do premiada propaganda brasileira graças a esta hipocrisia de sermos
politicamente correto.''

é né? bom mesmo é fazer humor em cima de mulheres , negros, gays....
enquanto esse for o grupo atingido vc ta pouco se lixando mesmo...
o dia em que fizerem piada grotesca em cima do homem hetero branco
ai vc muda de idéia...
esse é o típico cara de classe mérdia...

''mas condenar por estupro um bêbado que
passa a mão na bunda de uma garota é o mesmo
que acusar de terrorismo uma criança que rouba uma bala juquinha do mercado''

acho que vc não entendeu direito o comercial e tudo aquilo que ele
representa...e eles atingiram o seu objetivo... tornar a violencia
uma coisa banal, divertida e sem maldade...
a naturalização do abuso...

''Por outro lado, é um fato que nenhum homem gostaria
de estar na situação dessas mulheres retratadas no comercial.
Mas ainda assim, elas aceitaram fazer''

não é porque elas aceitaram fazer o comercial que TODAS AS MULHERES
TEM QUE PAGAR POR ISSO com assédios e desrespeito indiscriminados. esse pensamento de vcs é GROTESCO!
Um monte de homens aceitam coisas horrendas no seu dia a dia e os outros não pagam por isso....

yulia2 disse...

Sou homem e tenho amigas feministas e lendo textos assim fico cada vez mais bolados com mulheres.

normal ... afinal vc NUNCA VIU e provavelmente
JAMAIS VERÁ alguma piada esculachando e aviltando o homem branco
hetero.... vc jamais será a parte agredida e é por isso que
vc não entende.

''Na boa, as vezes tenho medo de mulher!''

eu tenho medo da ignorancia e da TOTAL
falta de empatia e egoísmo de certos homens...
vc deve ser daqueles que pensam assim:
ah não é comigo, então foda-se o resto...

Hoje se você encostar sem querer numa garota ou roubar um beijo dela em uma balada

vc precisa roubar beijos cara???
não consegue arrancar um beijo que seja consentido?
é , é pra vc se preocupar mesmo.... mas não com mulher
é com vc mesmo.

''Depois mulheres, não reclamem que falta homem hein.''

hahaha... mas homem como vc jamais fará falta cara.
vire gay, POR FAVOR!

carolinapaiva disse...

Bruno

Na boa, vem aqui na maior grosseria e depois diz que "só está discordando".
Bem, aprenda a debater antes, amiguinho, ninguém é obrigada a discutir com gente que vem aqui querendo botar banca de fodão e depois se faz de vítima.

yulia2 disse...

Não basta o "não poder estuprar", devemos atuar no "não querer". Por isso estou desenvolvendo um projeto com os alunos para pensarmos os lugares das mulheres em nossa cultura e como a situação de opressão permanece, mesmo com brilhantes exemplos de grandes conquistas de direitos pelas mulheres.
___________________

Parabéns Thiago!!!
cumpriu o seu papel de educador , quem dera todos os professores fossem como vc e tivesse a sua consciência!!! Muitas vezes o professor tem que fazer a função que os pais nem fazem mais... o de educar e instruir para a vida.

Ana disse...

@João Madeira
Opa. Disponha, moço :)

@20:04
"90% das mulheres sentem orgasmo durante o estupro, isso é bom ou isso é ruim?"

Já ouvi dizer que muitos homens ficam excitados quando são estuprados. Eu podia perguntar 'isso é bom ou é ruim?', mas não vou, porque é crueldade demais (ao contrário de certos anônimos, eu tenho uma coisa chamada empatia).

No caso dos homens, se não me engano é reflexo, o corpo age sozinho. Me pergunto, não poderia o mesmo acontecer com mulheres?

O comentário foi nojento, mas acho que o tema é importante. Imagina o trauma da vítima, a vergonha, a culpa...

@Gabriel
"Na boa, as vezes tenho medo de mulher! Hoje se você encostar sem querer numa garota ou roubar um beijo dela em uma balada você pode ser acusado de estupro. Acho que vou virar assexual, porque gay também é foda. Depois mulheres, não reclamem que falta homem hein."

Suspiro.

Gabriel, você tem medo do quê?

Peço que reconheça que do jeito que as coisas estão hoje, nós vivemos com medo 24h por dia. A roupa que usamos, os lugares onde vamos, o horário em que saímos e por aí vai... Tudo precisa ser cuidadosamente feito porque temos medo de que alguma coisa nos aconteça.

Medo de sermos ofendidas - às vezes é gritado; às vezes, sussurrado.
Medo de sermos tocadas - às vezes é uma mão boba; às vezes é uma encoxada no ônibus.
Medo de sermos agredidas - às vezes é um namorado violento; às vezes é um cara que você nunca viu na vida, mas que resolveu responder o seu 'não' com força (lembra-se da menina que teve o braço quebrado numa boate? pois é).

Por favor, POR FAVOR não venha tentar me dizer que eu sou paranóica. Numa coisa vamos ter que concordar, a única que sabe o que é viver como mulher aqui sou eu. Por favor acredite na minha - na nossa - palavra quando dizemos que sentimos medo.

Ninguém vai te por na cadeia sem motivo, fica tranquilo. Mas eu peço que reflitas pra entender que qualquer toque não autorizado é, sim, 'motivo'. Basta que toques só as que também te querem, é pedir demais?

Cara, eu sei que fostes ensinado (como muit@s outr@s) que beijo roubado é pegada, é atitude, é romântico, etc. Mas precisas lembrar que talvez nem todas as garotas do mundo queiram ser beijadas por ti. Muito menos se for de surpresa, sem ter chance de concordar ou não. Que tal pensar um pouco na outra pessoa também?
Tem mulher que curte? Tem. Mas não são todas. Já que tens tanto medo, eu sugiro que não tentes a sorte. Porque se por acaso ela não gostar, ela tem sim direito de reclamar.

E se um cara roubasse um beijo teu, pensando que tu és gay? A intenção dele ia ser te agradar, mas te sentirias melhor por isso? Beijo roubado é muito lindo na teoria, mas imagina o horror que é quando a outra pessoa não quer.

Não precisa virar assexual. Basta aprender a pensar nos outros. Acredite você ou não, mostrar respeito e amadurecimento também impressiona ;] Um cara pode se dar bem sem ter que roubar nada.

Ana disse...

@Johnny
"Mas ainda assim, elas aceitaram fazer."

Pra você ver, né cara, como o machismo passa despercebido.

@Arthur
"Gostaria só de lembrar duas coisas que sempre vejo 'faltar' quando uma feminista fala sobre o assunto:"

Oi, eu vou ter que discordar de ti por um motivo bem simples - a gente vive mencionando estupro de homens; até porque muitas vezes é o único argumento que alguns aceitam. Infelizmente muita vezes a gente acaba tendo que lembrar que homem também sofre abuso, como se fosse um trunfo, uma carta na manga pra jogar na cara de certas pessoas que teimam em culpar as vítimas, por exemplo. Falar das vítimas XY não é ruim, é muito, muito importante; mas dói que isso tenha que ser feito pra despertar o mínimo de empatia.

Não, é sério Arthur, eu já cansei de dar exemplo com homem no lugar da mulher pra ver a ficha d@ neguinh@ caía.

Mas enfim, sim os abusos existem contra homens e NÃO, jamais deveremos nos calar sobre isso! De qualquer jeito fizeste bem. Só discordo que ignoramos o assunto.

"Para nossa sociedade, um homem que bate na mulher é um covarde, mas um homem que apanha da mulher é um fracote."

É vero. Sabe da onde vem isso? Do machismo. Porque é o machismo que prega a figura masculina como um poço infinito de força que não deve se machucar nunca. O feminismo discorda veementemente dessa visão! 'Bora mudar isso, companheiro? 'Bora fazer barulho pra que as pessoas acordem que não tem nada de normal em pensar assim? :D

Ana disse...

@Thiago
Falando em educação e gêneros, tenho algumas coisas a comentar.

Estudei em escola religiosa, particular. Palestras de todos os tipos eram organizadas regularmente, e muitas vezes os palestrantes eram pastores. Num desses dias, um jovem pastor se dispôs a nos dar uma aula de ‘educação sexual’.

Como quase tudo que acontecia em minha escola, o tema foi bem dividido entra a parte “às meninas” e a parte “aos meninos”. Para as meninas, ele contou a história de uma garota que foi assediada por um colega - um menino, que sentava na classe de trás, puxou a alça do sutiã dela, de leve.

“Aí ela virou pra trás” – nos contou o pastor – “e pediu que ele parasse”. Me lembro até hoje de como ele dublou a cena com voz meiga e risinhos, um ‘fulaninho, pára!’ bem educado.

Ele continuou: “Assim que ela virou pra frente de novo, ele foi lá e fez de novo, com mais força. Ela virou pra trás e pediu que ele parasse pela segunda vez” – novamente o ‘pára’ meigo, com risadinha inocente.

“Mas aí ela virou pra frente, e ele fez de novo. E nessa terceira vez, ele puxou com força! E aí ela gritou, caiu no choro, fez um escândalo! Todo mundo correu pra acudir, e claro, nós levamos os dois para a diretoria. Quando nós chamamos o menino pra conversar, adivinhem o que ele disse? ‘Ela estava rindo, eu fiz porque achei que ela estava gostando!’”

A conclusão brilhante do pastor foi:

“Então, meninas, a mensagem que deixo hoje pra vocês é que vocês têm que ser firmes, ou não podem reclamar depois!”.

Juro. Bem assim.

A mensagem dos meninos era algo sobre a importância de escolher uma mulher decente pra casar.

Naquela época eu era muito novinha, com uma cabeça muito machista, achei o raciocínio dele bem montado. Só fui me dar conta do absurdo anos depois, graças ao blog da Lola.

Machismo passa despercebido quando a gente não é educado pra ver as coisas com filtro de igualdade.

Eu espero sinceramente que você faça a diferença com seus alunos, porque as coisas começam aí. Eu sei que muitas das minhas colegas estao seguindo ‘a lógica do sutiã’ até hoje...

Eu ainda ouvi de professor, sobre o caso que repercutiu na época, da menina que passou mal numa festa e foi estuprada por 4 amigos no banheiro (foi filmado e acabou no youtube): ‘a gente avisa, a gente pede, os pais suplicam, mas nãããão, elAs tem que ir pra gandaia. Depois acontece uma desgraça dessas, e tudo o que dá pra fazer é chorar.’ (nem uma palavra de indignação contra os ‘amigos’)

Das professoras de história, nunca ouvi nenhuma palavra sobre qualquer movimento feminista ou opressão das mulheres, no máximo era mencionado.

Enfim, o que não me falta são falhas pra apontar... Torço pra que seu trabalho dê certo, é sem dúvida muito importante, uma iniciativa louvável. Parabéns e muito, muito obrigada!

Anônimo disse...

Algum anonimo disse que o Gérard Depardieu cometeu um estupro, acho que seria melhor ele se informar sobre a vida do próprio antes de soltar boatos: http://cineinsite.atarde.uol.com.br/personalidade/personalidade-biografia.php?id_personalidade=762

yulia2 disse...

Para os MEDIOCRES.... é mais fácil virar assexuado do que SE REEDUCAR...

Anônimo disse...

Simone, acho que o seu comentário é o mais legal, o mais racional de todos.
A gente se importa demais com os machos com os quais não nos devemos importar.

Carla Mariano disse...

Ótimo texto! É por essas e outras que não sinto pena quando vejo fotos compartilhadas de estupradores que foram linchados, ou quando meu pai nos conta relato (sendo ele delegado), de acontecimentos bizarros com os presos que cometem esse delito. Não respeita, tem mais é que ser penalizado!
Comerciais como estes não passam por revisão? Não tem mulheres trabalhando nas edições dessas agências, para dizer "Epa, o que é isso gente"???

É um horror mesmo!

Bjs,
Carla Mariano

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Algum anonimo disse que o Gérard Depardieu cometeu um estupro, acho que seria melhor ele se informar sobre a vida do próprio antes de soltar boatos: http://cineinsite.atarde.uol.com.br/personalidade/personalidade-biografia.php?id_personalidade=762
3 de agosto de 2012 16:35

e vc acredita em qq merda da imprensa brasileira que vive encantada com a França? mas na verdade quer o que os EUA tem....

Anônimo disse...

Compreendo o medo que algum homem expressou aqui na página, mas é bom tomar em conta que a mulher viveu e ainda vive sob medo ainda pior, medo até mesmo dos homens que deveriam protegê-las.

Braga da Rocha disse...

Tenho sua argumentação por extremamente consistente. Identifico, sem dúvida, o ingrediente da violência bastante presente no que resta da cultura machista da sociedade contemporânea. Mas nem por isso a tese é inteiramente procedente. Cada um vê fantasmas onde quer...

Babi disse...

AAAHHH!! Que maravilha!! Eu vivo falando a mesma coisa desse comercial que eu odeio. Já virou até ladainha aqui em casa. Eu procurei saber como denunciar esse comercial, mas ainda não descobri o meio certo pra isso... Compartilho com prazer o seu texto que diz tudo!!

Fábio disse...

Artigo estremamente pertinente, Lola.

de Fábio para Flávio:

"e se os caras que acham isso tudo normal começassem a ser eles mesmos vítimas de estupro"

Na verdade, muitos homens são vítimas de estupro por mulheres e, principalmente POR OUTROS HOMENS. Sendo o último do conhecimento de TODOS, além de acontecer numa base diária e extremamente violenta. Sim, todo mundo sabe o que acontece diariamente nas milhares de prisões espalhadas pelo mundo. Presos também são seres humanos e tem direitos, ou não?

gabriela martins disse...

Lola,

Sou mulher e detestei o seu texto. Esse não é um comentário de hater. Se quiser ver algumas críticas ao teu pensamento e tentar desenvolver melhor suas próximas argumentações:

http://pensariaduasvezes.blogspot.com.br/2012/08/re-cultura-de-estupro-nao-imagine.html

yulia2 disse...

diz a lenda que o cara estuprado na cadeia por outros presos são os estupradores não?

Priscila T. disse...

Essa "fantasia" da invisibilidade, ilustrada pelo comercial, eu já presenciei tempos atrás, em minha adolescência.
Foi na saída da escola, no Ensino Médio, quando um grupo de alunos (colegas de classe) se aglomeraram na porta da escola e começaram a bolinar um grupo de alunas que tentavam sair pelo portão. Por se tratar de uma escola de periferia, não havia fiscalização de inspetores na saída. Lembro que um dos alunos que passou a mão em mim, era um dos meus colegas de classe que, de longe, não imaginava que faria isso comigo. Foi ali que todo o "respeito" que acreditava que ele tinha comigo, caiu por chão. Sob os olhares dos professores e autoridades da escola, era respeitada, mas quando eles se tornavam "invisíveis" aos olhos autoritários, eram tomados pelo inconsciente coletivo, agindo conforme dita a crença que mulher sozinha, longe de uma figura de autoridade que a proteja, deve ser usada, bolinada e estuprada. Vejo que o alto grau de consumo da cultura de estupro, gera sim essa fantasia de desrespeitar a integridade da mulher. E quando isso é visto por um adolescente, que ainda esta em fase de construção de identidade, poderá contribuir para que futuramente ele considere isso "normal", desde que ninguém veja, claro.

yulia2 disse...

Priscila resumiu tudo! È aterrador!!!

carolinapaiva disse...

Gabriela Martins

Começar a frase com "sou mulher e detestei seu texto" não faz o menor sentido, pois ser mulher não é requisito que valide (ou invalide) o texto da Lola.
E lendo seu texto, acho que você não entendeu bem o que é dito no texto da Lola. Não há terrorismo ou "a sociedade está perdida e homens são todos maus", mas sim a crítica a naturalização da violência.
A única parte do seu texto que dá para levar a sério é o questionamento ao termo "cultura de estupro", mas tal questionamento foi melhor embasado por outra comentarista, que perguntou o porquê de usarmos a palavra "cultura". Sua crítica não foi clara, já que você só aponta para lermos sobre "rape culture" e deu, sem desenvolver sua argumentação.
Sobre o humor: você ignora que o humor é uma forma de discurso e que tudo depende do contexto. Ah, e humor não é imune a críticas.
Sobre o que seria ou não seria consentimento e o "tirar a roupa da mulher nas brincadeiras entre casais", sugiro que leia novamente o texto da peça publicitária, pois a palavra consentimento não é colocada entre aspas, portanto, a sua interpretação da peça não refuta a nossa.
Sobre o que você considera um ato de violência: é muito subjetivo, só analisando o caso concreto para saber. Novamente, não refuta nada que falamos sobre o tema.

Lara disse...

Excelente texto! Acho que foi a melhor publicação que você já fez até hoje. Parabéns!!!

Denis Lima disse...

Gostei do seu texto, mas vale lembrar q estupro é horrível pra td mundo... homem, mulher, criança... homens são estuprados tb... Acho q a msg deveria ser: Estupro é ruim. Incentivar tb. Ponto.

EneidaMelo disse...

Gabriel Martins, Johnny, Rafael e Daniel,

Falta de homens como vocês é lucro!


Lola, esse foi um dos melhores posts do blog.

Renata disse...

Todo comercial de cerveja pra mim é de um apelo sexual tão grande que acho absurdo mesmo eles ainda insistirem com isso. Ou incita mesmo a cultura do estupro ou chama a mulher de burra ou oferecida (tipo as mulheres de decotão que ficam do lado dos homens jogando poker em outra propaganda que não lembro qual é a marca). Todas deveriam ser banidas só pelo simples fato de não valorizar a mulher nunca.
Adorei o post, tudo faz muito sentido. Parabéns!

yulia2 disse...

ESSA gabriela é uma pobre coitada querendo se aparecer nas costas da Lola.....

Sarah disse...

Adorei o seu post! Logo que vi essa propaganda da schin me revoltei, aliás, assim como tantas outras... Sempre há exposição do corpo da mulher. Como se a mulher fosse um objeto. Agora entendi, quando vc cita no seu texto que a maioria dos publicitários são homens. Por isso sempre tive a forte sensação que tudo girava em torno para o universo masculino. Fora a falta de respeito como nessa propaganda da Schin. E sempre tive a impressão que a maioria das mulheres encaram tudo isso como normal. Porque sempre fui taxada de revoltada, e não só por homens. E já vi muita passividade por parte das mulheres perante tudo isso. Fiquei muito feliz em saber que tantas outras pessoas percebem o que sempre notei e que tanto me deixa indignada. Não estou sozinha e saber disso é muito bom.

Juliana Abι disse...

Nada a ver com o post mas só para desabafar:

uma amiga comentou num post do facebook disse que a causa feminista está ganha e tal, que as mulheres tem cargos de gerencia, diretoria e aquelas mulheres que trabalham num setor operacional por exemplo, se ganham MENOS do que os homens é pq o homem ganha mais pq esta mais tempo na empresa, por mérito, etc, eu , estressada por passar a noite e o dia seguinte discutindo com machistas, simplesmente respirei fundo e nao quis argumentar para nao me desgastar mais ainda, disse que respeitava (?) opiniao dela e ia me abster de dar a minha. Resultado? semanas depois ela me excluiu do facebook.

Ai, ai... Foda hein

E coincidentemente o ex namorado dela tbm me excluiu pq eu comentei que achava ele paquerador,em tom de brincadeira, até disse que os dados astrologicos dele indicavam isso e tal, tudo sem parecer pejorativa nem nada, ele se ofendeu e eu pedi desculpas. Resultado: hoje vi que me excluiu. Para ele até mandei uma msg me desculpando novamento e comentando que fiquei decepcionada com sua atitude, mas mesmo assim desejei-lhe felicidades.
Será que eu errei com ele?

Ai, ai...

Confesso que estou triste com essas coisas sabe? De ver tanta opressão contra as mulheres e simplesmente poucas pessoas se darem conta disso, cansada de slut shaming, das noticias sobre violencia e morte de mulheres, cansada, cansada, cansada.
Eu até parei de compartilhar posts feministas no meu Facebook, pq sinto que estou falando sozinha...
Uma vez que vc toma a pilula vermelha, vc nunca mais pode voltar então é por isso que eu nunca vou desistir do feminismo mas eu vou parar um pouco de militar, pelo menos por um tempo. Claro que pedirem para denunciar algum propaganda machista como essa, contem comigo.

Só digo uma coisa: eu estou cansada, meus amigos feministas, eu estou cansada.

Rafael Lopes Azize disse...

Muitos comentários parecem confundir a discussão sobre a cultura do estupro com outra coisa. O jogo não é o de censura VS. liberdade. O jogo é o da promoção de certos valores. Pessoalmente eu não quereria viver num mundo sem humor. Putz! Censura zero. Mas tudo se discute - até as piadas. Que, aliás, muitas vezes não são "só" piadas: expressam um julgamento sobre certas atitudes (vale a pena ler a Nancy Fraser sobre isso). Talvez o repúdio à cultura do estupro incomode pq mexe com algo que é inerente à dança (eu disse dança) da sedução: um certo movimento de propor-rejeitar-aceitar que se parece com a histeria freudiana, e que nos é precioso! Eu também não quereria viver num mundo sem sedução. Mas nada disso tem a ver com a cultura do estupro, que é simplesmente perversa. E, sim, atravessa os discursos por todos os lados, como mostra a autora. Em tempo: acho que a cultura do estupro presta um desserviço à pornografia, ao fetichismo ;-)

Anônimo disse...

num país onde há uma bolacha preta chama NEGRESCO, esperar o quê de marketing e propaganda?

Carolina Torres de Castro disse...

Prezado Sr(a).

Sua queixa mereceu nossa melhor atenção.

O CONAR instaurou em 12/03/2012 a Representação de nº 062/12 relativa ao anúncio “NOVA SCHIN – INVISÍVEL”, em razão de queixas de consumidores.

Apreciada a defesa do anunciante PRIMO SCHINCARIOL, a 1ª Câmara do Conselho de Ética, em sessão de 05/07 último, decidiu acolher por maioria de votos a recomendação de ARQUIVAMENTO da representação sob o fundamento que o comercial não foi considerado ofensivo à mulher, retratando uma situação absurda (alguém ficar invisível). Aliás, o personagem, ao final, é ignorado e desprezado pela modelo mulher.

Permanecemos à disposição.

Atenciosamente,

Edney Narchi
VP Executivo

Ana disse...

Eu tinha que digitar alguma coisa errado, né ¬¬

@gabriela martins

Moça, eu responderia teu texto, mas detectei que tens um problema sério de interpretação, então responder seria inútil. O item 15 é a prova mais clara de que não entendeste o que a Lola diz.

Me arrisco a dizer que não vistes muitos textos do blog, porque várias outras vezes já foi discutido aqui que esta não é uma 'guerrinha contra homens'. Estás captando um 'clima de terror e ódio' que não é o que está sendo proposto aqui.

Nós sabemos que as pessoas não são deliberadamente más, por isso atacamos a cultura. O problema hoje é que a cultura faz parecer que as agressões não são tão graves, e aí gente muito boa acaba fazendo coisas horrendas, simplesmente porque não tem noção do estrago que está causando. Estupro não é coisa de psicopata, é também coisa de rapaz mal informado que achou que 'ela queria'. Precisamos mudar isso.

Sim, o machismo é sustentado por mulheres, muitas vezes de maneira muito mais efetiva do que por homens. Nós vivemos dizendo isso, leia mais o blog.

Sim, podemos educar amigos e irmãos, podemos conversar com nossos amigos. É o que estamos tentando fazer. Queremos mudar a cultura, queremos mudar a educação que temos hoje, queremos mudar a cabeça das pessoas. Se entendestes outra coisa, precisa ler de novo.

Eu não vou rebater o resto, não porque estou fugindo, mas porque sinceramente acho que é inútil por enquanto. Há uma falha de comunicação aqui, e antes de continuar precisaria corrigir isso. Precisas entender o que a Lola está - o que nós estamos - dizendo primeiro :)

De qualquer maneira obrigada por contribuir com a nossa discussão, pontos de vista diferentes são sempre bem vindos.

@Rafael Lopes
Comentário muito lúcido, rapaz!

Humor e sedução sim, cultura de estupro jamais. O problema é que como as coisas estão hoje, as pessoas não conseguem mais dividir as coisas.

Vide o Gabriel lá em cima, por exemplo, que acha que se não pode mais roubar beijos, então terá que virar assexuado. Aí percebemos, não é que os caras queiram de fato abusar - é que hoje muitas vezes o abuso é vendido como romântico, como 'pegada', como algo 'desejado por elas', que vai atrair mulheres. E claro, como na propaganda, algo engraçado, inocente e 'absurdo'.

Bom, chega disso! Não há sedução, romantismo, ou humor se um dos lados está sendo atacado...

Humor é uma coisa maravilhosa, aliás, mas ele não está acima do bem e do mal; simplesmente porque nada está. Então assim, quando se reclama de uma piada ofensiva, não é pedir por um mundo mais chato - é só pedir por um mundo onde todos se divirtam sem exceção. Na minha opinião isso é trabalhar a favor do humor, e não contra.

Por fim...

Eu gostaria de entender qual a dificuldade de dar o braço a torcer.

Ninguém aqui acha que os caras da publicidade sentaram numa mesa com ar pensativo e mão no queixo pensando: "Hhmmmmm, o que eu vou inventar hoje pra incentivar o estupro?". NÃO. Não somos idiotas, PQP!

Mas assim, com um monte de mulher - e homem! - se sentindo ofendido, não é óbvio que algo saiu errado? Não queriam ofender, não são más pessoas, ok, mas custa dar ouvidos a quem de fato se sentiu atacado?

A única mensagem sendo passada agora é que a dor alheia está sujeita ao julgamento deles, que eles decidem se os outros tem ou não motivo pra reclamar e ponto.

Puxa, a Prudence reconheceu que 'sem consentimento' é estupro e é ilegal; e acho que não doeu neles, sabe.

É inocente, é insignificante, mas vale mais que os apelos das pessoas. A gente reclama, reclama, reclama, e o comercial 'sem importância' ainda importa mais que a gente.

Puxa, que legal.

carolinapaiva disse...

Ana: perfeito. Eu não poderia dizer melhor.
Também não entendo essas justificativas ao estilo "nossa intenção não era ofender". Bem, isso a gente já imaginava, não é? O problema é justamente essa dificuldade em assumir o erro. Parece negação.

Uma coisa que me assustou muito foi ler os comentários nas cenas do filme O Homem Sem Sombra, que a Lola postou aqui.

No primeiro vídeo, destacarei comentários das primeiras cinco páginas:
- "Engraçado, conheci minha esposa da mesma maneira" (duas pessoas gostaram)
- "Ela foi comida pelo Gasparzinho, o fantasma camarada. Eu queria ser invisível, aí eu estaria comendo um monte de garotas :)"
- "(...) O que as mulheres devem fazer é escolher seus parceiros sabiamente, evitar situações de risco e estar alerta a todo o tempo. Vocês são o sexo frágil e e serão caçadas por alguém. Só dizendo..."
- "Por que vocês não mostram peitinhos?!"
- "Eu gozei.Há alguma coisa sobre um Kevin Bacon invisível estuprando mulheres inglesas que me excita. Isso soa estranho?"
- "Eu queria ser o homem sem sombra"

Comentários do segundo vídeo:
- "Se eu tivesse esse poder, acho que faria a mesma coisa" (35 pessoas gostaram)
- "Eu estupraria todo dia se tivesse esse poder"
- "Se eu tivesse esse poder, acho que faria o mesmo com com monte de garotas virgens!"
- "seria engraçado se tivesse um cigarro flutuando quando ele vai embora"
- "Eu acho que todos faríamos isso se tivessemos o poder. Até as garotas, mas elas estariam procurando o Taylor Lautner ou o Robert Pattinson"
- "que poder útil"
- "Ela terá filhos invisíveis?"
- "Nossa, estupro é tão legal!"
----
Enfim, nojo ao infinito. Infelizmente, não é difícil encontrar esses comentários por aí, e um monte de gente fazendo corinho e dizendo que "é só piada", "vocês mulheres deveriam relaxar, pois é só um filme, não é real".
Outros comentaristas falaram que ela estava "pedindo para ser estuprada" por ter tirado parte da roupa na frente da janela, ou que ela era uma vadia mesmo.
Não acredito que essas pessoas sejam naturalmente más, muito menos que sejam estupradores em potencial. O que ocorre é a falta de empatia com vítimas de estupro, a confusão que se faz entre estupro e sexo e a ideia de que estupro não é tão ruim assim. É a naturalização da violência que discutimos aqui.
Fora que na internet há aquela síndrome de sou foda, onde os piás querem se mostrar mais fortes e "politicamente incorretos" do que os outros.

Jo disse...

O que mais me assusta na cultura do estupro foi algo que li essa semana com depoimentos de estupradores, mostrando como de fato nosso conceito de estupro está muito deturpado e caras "normais" estupram sem perceber que o que estão fazendo é estupro. Vale a leitura: http://jezebel.com/5929544/rapists-explain-themselves-on-reddit-and-we-should-listen

Anônimo disse...

“Já pensou se a gente fosse invisível?” igual à "Já pensou se ficássemos impunes?"

Anônimo disse...

De acordo com a UOL, nossa indignação vem do fato que os homens passaram a mão nas costas das mulheres.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/08/02/internautas-protestam-contra-propaganda-da-nova-schin-e-dizem-que-peca-incentiva-violencia-sexual-contra-mulher.htm

Luci

HAROLDÃO FRANCISCO disse...

Nova Schin , a cerveja do molestador ... Itaipava , a cerveja 100% machista ... Ambas com cunho preconceituoso e racista ... Lixo sem nenhuma qualidade ... Que mulher gostaria de se relacionar com bêbados consumidores dessas porcarias ? Um meio de manifestar indignação a esses produtos é não consumi-los .

Raissa Ishida Sanfelice disse...

A que ponto chegamos: Vamos brincar de estupro?
http://www.puroveneno.blog.br/2011/11/vamos-brincar-de-estupro.html

Anônimo disse...

E de que serve publicar aqui links de estupro? Isso sim é partir pro sensacionalismo. Ontem, pra testar minha busca no Google, entrei a palavra estupro e até pra lá da quarta entrada veio dicionário e mais dicionário e somente muito depois um texto de um blog com um vídeo que eu duvidei fosse aterrador como o cara do blog advertiu e sinceramente quase passei mal, claro que nem vi o vídeo todo de uns 3 minutos. É tudo forte demais até mesmo para eu indicar unicamente para a Lola ver o vídeo.

André Quitério disse...

Olá Lola,

"Publicitário é um bicho arrogante e egocêntrico."

Muito cuidado com essas generalizações, se você realmente quer convencer TAMBÉM os publicitários, sugiro que você traga-os para dentro do seu discurso, não os rebaixe.

As generalizações, como esta que você fez, também são puro preconceito. Tenho certeza que, assim como você não percebeu esse seu "deslize" ao se referir aos publicitários, acredito também que os publicitários que participaram desse filme da Nova Schin também não tinha consciência do desserviço em que estavam se envolvendo.

Eu sou publicitário, mais especificamente redator publicitário, sou professor universitário e não, não criaria um vídeo com essas cenas, também achei que o vídeo "errou a mão".

Mas demonizar os publicitários é diminuir a abrangência da questão e a quantidade de entidades envolvidas. Em um filme como esse da Nova Schin, por exemplo, são responsáveis a agência de publicidade, o marketing da Nova Schin, a diretoria da Nova Schin, a produtora de vídeo, a agência de atores/modelos, os próprios veículos de comunicação que veiculam o filme... e, talvez, mais responsável ainda, a nossa sociedade como um todo, que tem contato com esse tipo de comunicação e não consegue perceber que há algo de estranho.

Li um comentário questionando se há mulheres no Conar. Sim, há mulheres no Conar. Mas o Conar é a coisa mais corporativa do mundo, feito de publicitários para publicitários. Esse tipo de controle das comunicações ainda precisa ser introduzido no Brasil, talvez pela Leis dos Meios, mas não sei qual seu posicionamento sobre isso, e isso é outro assunto.

Bom, só escrevi tudo isso porque achei muito bem colocada a forma como você enxerga a cultura do estupro se permeando por outras comunicações, não só pela publicidade, mas também pelos filmes, pelas piadas dos comediantes, pelos comentários da Internet, pelas frases de camisetas e provavelmente pelas novelas, pelos sermões nas igrejas, pelas reuniões familiares etc.

O meu recado como publicitário é que a publicidade tem suas fontes na própria vida. Então, quando uma publicidade faz algo como esse filme da Nova Schin, não é criação, fruto de arrogância, egocentrismo ou um machismo/ogrismo em particular. É reflexo do que é nossa sociedade. Sim, é alienado. Mas é reflexo. É replicador, claro, reproduzir é uma das funções da publicidade. Mas é reflexo. A arte imita a vida, não sempre dizem?

Os publicitários são responsáveis, claro, porque por vezes são irresponsáveis. Mas demonizar a categoria é um preconceito que não ajuda a resolver esse problemão, que não é só comunicacional, é cultural.

Enfim, vou ficando por aqui.
Espero ter deixado uma mensagem pacífica.

Tudo de bom.
André Quitério.

Anônimo disse...

Roberto, essa é uma questão de conscientização de TODOS! Não só mulheres, como, principalmente, os homens, pq quem estupra são justamente os homens! E que tipos de homens? Os homens que pensam que atitudes citadas no texto são normais para eles, mesmo que não sejam para as mulheres!

Ou seja, não somos apenas nós, mulheres, que devemos achar errado ou nos sentirmos ofendidas, os homens de verdade também devem se sentir ultrajados com isso, não só pq tem mães e irmãs, mas pq o estupro se refere à uma violência contra o ser humano, e, nesse caso ele toma o gênero de mulher!

Chega a ser um ABSURDO que depois de ler esse texto vc ainda pense que só nós é que devemos nos mobilizar contra isso!

Sinceramente desejo que vc pense melhor sobre isso.

Joelma

Anônimo disse...

André Quitério, ótimo comentário. E que coincidência vc ser de
Ribeirao Preto... hoje localizei aí um colega da minha juventude, Estefano George Haddad. Bem, li lá no seu blog sobre Plínio Marcos, pois eu sempre pensei que ele vesse vindo de família pobre assim como Lula e que equívoco o meu! Valeu muito ler vc aqui e lá no seu blog tb!

Daniela disse...

Me assuta que mulheres não tenham percebido a propaganda abusiva.

Quem já sofreu algum abuso se sente mal assistindo à propaganda. Eu me senti.

Anônimo disse...

Acho que vocês são radicais demais , levam tudo ao extremo . Vêem preconceito e discriminação em absolutamente tudo .

Anônimo disse...

A questão principal é: A mulher sempre foi vista como "corpo", isso é cultural e é isso que temos que mudar!
E sim, a mídia é machista, na minha opinião o melhor a fazer é enfrentar admitindo-se ser vista pelo "outro" "como corpo" porem demonstrando isso através das historias das mulheres.
Bibliografia é o que não falta!!!
Podemos iniciar com Virginia Woolf em "Um quarto só para si"
Saudações

Anônimo disse...

Ótimo post!
Acho muitas vezes exaustivo ter de opinar quanto a certos assuntos polêmicos como esse.
Vivemos numa sociedade machista, e esse sexismo vem dos dois lados, há mulheres que aceitam e condenam suas próprias companheiras e homens que subjulgam e discriminam.
Ainda não será nessa geração que viveremos em harmonia, apesar da mulher ter mais voz hoje em dia, ela não sabe definitivamente como usar a sua liberdade.

Anônimo disse...

Realmente a propaganda da cerveja Nova Schin leva na brincadeira comportamentos sádicos, ofensivos, e antiéticos.
Não obstante, afirmar que vivemos em uma cultura do estupro é por demasiado radical e desconsidera o bom senso. Se houvesse um interesse por parte da sociedade de encorajar o estupro, porque essa teria tornado o estupro um crime gravíssimo? Porque estupradores são amplamente odiados por toda a sociedade inclusive entre a população carcerária? Não consigo ver como o estupro pode ser um comportamento incentivado na sociedade ocidental moderna.
É preciso perspicácia e sabedoria, mesmo em um assunto tão urgente, para não nos perdermos com conceitos ubíquos e vazios. Existem várias formas de abuso contra as mulheres e todas elas devem ser punidas de acordo com a sua gravidade. Malfeitores que forçam o sexo devem receber penas muito mais altas do que outros tipos de agressores.
O movimento feminista atinge o seu melhor quando defende mulheres de agressões recônditas e socialmente aceitas como as vistas no comercial abusivo da Nova Schin. Ainda assim, pode escorregar para o seu pior ao cair nas armadilhas do extremismo. Qualquer conceito possui limites de inteligibilidade. Nem tudo é estupro. Não vivemos em uma cultura do estupro, muito pelo contrário, nossa cultura repugna e considera crime tal comportamento. O feminismo ainda tem muito para alcançar e para nos ensinar, contudo tem de ter cuidado para não perder credibilidade com afirmações pouco razoáveis.

@barangurte disse...

Post incrível, te daria um beijo e um abraço se te conhecesse.

O problema é que isso é tão real, tão palpável, mas os homens preferem não ligar, mimimi de mulherzinha, perseguição (lembrem dos 54% que forçariam o sexo) e as mulheres preferem fingir que não, imagina, nunca vai acontecer comigo.

Pois sim, acontece.

carolinapaiva disse...

Anônimo 00:14

Realmente, nossa sociedade repudia o estupro, mas somente em alguns casos.
Cultura de estupro pode também ser entendida como a naturalização da violência sexual, pois certas condutas que são tipificadas como estupro (como atos libidinosos sem o consentimento da outra parte) são vistas como normais e aceitáveis.
A imagem que temos do estupro é muito limitada. Muita gente não considera que uma relação sexual sem consentimento com uma pessoa bêbada seja estupro, ou que um beijo forçado seja estupro, por exemplo.
Quando as pessoas reconhecem que a conduta é estupro, há a repulsa, mas e quando não reconhecem?
A conduta dos "humoristas" do comercial, por exemplo, poderia ser enquadrada como tentativa, já que não sabemos o que ocorre no banheiro, mas vemos as mulheres saindo sem a parte de cima dos bikinis.
No entanto, há uma dificuldade em reconhecer essa conduta como estupro, já que não há a violência que o pessoal imagina, e nem a caracterização dos personagens como abusadores.
É para isso que chamamos a atenção, para dizer que há diversos cenários possíveis para estupro, e não só a cena padrão da mulher sendo atacada em um beco escuro por um criminoso.
Inclusive: por que tanta gente gosta quando fica sabendo que o estuprador foi estuprado na cadeia? E por que chamar ele de "mulherzinha"? É bom se questionar sobre essas coisas. Nem todo estupro é reconhecido como estupro, e nem todo estupro é repudiado.

ps: importante também é salientar a culpabilização da vítima. É comum ouvir que a mulher pediu para ser estuprada, ou que merecia ser estuprada para "tomar jeito" ou "aprender a lição".

Maria disse...

uma vez vi de uma jornalista que estava fazendo uma reportagem no oriente (creio) sobre a guerra,e das mulheres que falaram que foram estupradas. Li que ela disse que ficou tão aterrorizada que para passar o medo pediu ao namorado que simulasse um estupro com ela (!!!!!). Fiquei besta com isso,principalmente porque a psicologa parece que achou boa ideia. O texto é ótimo,e precisamos difundir essa ideia. As poucos,se cada um falar com um amigo,colega,parente sobre essa cultura pessima,creio que as coisas podem mudar. (se quiser eu procuro o texto,mas faz algum tempo que li)

Unknown disse...

Concordo com tudo! Apenas um detalhe: há mulheres q cultuam algo q deveria ser repudiado, q se não é estupro, é ao menos "parecido"! Nessa seara, tudo tem q ser falado com muito cuidado! Já vi mulheres que só "ficam" com os caras q foçam beijá-las, confundindo o beijo inesperado com algo q incentiva uma "atitude de estupro"! Fora as muitas fantasias de mulheres na cama q simulam estupro - ok, na cama "vale tudo", mas tem q ter muito cuidado com quem se "brinca"! A sociedade, infelizmente, parece q não assimilou o respeito ao próximo como deveria...

Anônimo disse...

Galera, mais fácil do q denunciar na Conar o comercial da Nova Schin, é mais fácil vcs criarem uma imagem no facebook e geral compartilhar. Sim, é triste, mas facebook hoje em dia tá com mais força do que reclamações oficiais.

Tati disse...

Anônimo das 20h: é.. e 93% das estatísticas são inventadas...

Anônimo disse...

Gostaria de saber qual sua opinião a respeito daquela outra propaganda de cerveja, da Kaiser com a Daniela Cicarelli e Carol Castro que para mim é uma forma Feminista de humilhar a maioria dos homens, passando uma mensagem subliminar de que as mulheres querem homem com mais pressão (mostrando uma mangueirinha maior) que a do outro que tem menos pressão ( com uma Mangueirinha menor). Isso mais me parece uma alusão ao tamanho do falo. Poderia fazer um outro post falando sobre este assunto?

Joycio disse...

seria bom pra todo mundo se os viados dos comerciais fizessem assim pegasse um grupo de gays (claro, não estereotipados) no lugar dos homens e homens héteros no lugar das mulheres... Será que não considerariam a coisa mais abominável do mundo?
seria que eles estariam sendo estrupados ?
bom uma vez isso aconteceu cmg um Homosexual chegou a passa a mão no meu penis ,nao gostei e falei pra ele se ele fizesse isso de novo ele iria apanha muito ,não gosto de brigas porém tbm não gosto de ser acediado por uma pessoa do mesmo sexo.
acho que talves não queria ser acediado por niguem se eu estivesse no lugar de vcs mulheres. isso e tudo

Maria disse...

Este post está muito bem escrito. Não conheço os comerciais (não passam em Portugal), mas sim, poderiam ser "em qualquer lado". Enfim... vergonhoso e nojento.

Anônimo disse...

A Prudence devia fazer nota informando que demitiu a equipe ou o responsavel pela liberação deste material na internet, além de suas notinhas..

Nina disse...

Perfeito e super pertinente seu texto! Parabéns!

AAM disse...

Estou no seu time Lola,contra a cultura do estupro!
Belo texto!! Já estou compartilhando para que mais pessoas conheçam esta triste realidade.

Saudações!

VINIBEh disse...

"ensina que mulher faz charminho, que quando ela diz não ela no fundo está dizendo sim"

Mas isso acontece de verdade. Não é invenção da sociedade. Por causa de uma cultura machista que vem desde o início dos tempos, de que mulher não pode ser "oferecida", a maioria delas não diz explicitamente que querem fazer sexo. Isso é bom por um lado e ruim por outro. Por um lado torna o jogo da conquista mais interessante, do tipo, "você sente quando um não quer dizer sim". E se você não entender? Não há problema nenhum em dizer "quero fazer sexo". Apenas se você pensar "homem que fica com várias é pegador e mulher é vadia". E as mulheres, que são as que mais sabem que isso não é verdade, não deviam pensar isso. Digam que querem fazer sexo! Qual é o problema?

Marilene Gil disse...


Adorei o texto. O crime sexual é o que mais me enoja e revolta.

Regina Be -Violleta Rj disse...

O comercial eu não vi, mas vi tantos exemplos iguais ou piores numa ultima visita ao Brasil que me deixaram chocadas.Não que seja um problema localizado, longe disso, no mundo inteiro existem mentalidades de agressão as mulheres.Visadas como produtos e portanto podendo serem usadas, agredidas e insultadas. O que mais me espantou e ainda me espanta é que ai no Brasil muitas vezes isso é aceito, como normal, que a TV a publicidade a mídia em geral usa disso para vender e a sociedade em grande parte ,aceita e permite Longe de chegar ao estupro apenas a agressão verbal aqui na Bélgica já é considerada crime e portanto passível de multas,posto um documentario de uma estudante belga que foi executado numa rua de Bruxelas num quarteirão basicamente de imigrantes e tb a postura das autoridades, que já estipularam as multas, apesar de a serem difíceis de serem aplicadas pela, necessidade de policia no momento A diferença é que em geral esse documentário foi assunto de jornal televisivo e de apoio popular
original em holandes e tb com falas em ingles existe na internet posto em francês
http://www.dailymotion.com/video/xsi69g_sofie-peeters-femme-de-la-rue-bruxelles_news
e no Brasil infelizmente ainda se discute e se faz apologia ao estupro sem que nada seja feito a nivel legal para inibir isso.

Anônimo disse...

Anônimo da 20:04,como eu gostaria de encontrar vc...saber realmente se seus dados são verdadeiros,essas informações tão primárias.Junto com vc deve ter um monte de moleques de seu naipe que nem se quer sabem o que é uma mulher...te garanto que se te encontro,vc vai se machucar um pouco.Não falo isso pelos meus campeonatos de MMA e faixas pretas de jiu jitsu e Karatê, falo isso pela necessidade de,como mulher, te falar que numa situação errada de encontrar uma mulher como eu,ou mais furiosa, vc é quem pode perder e feio.Pode até ser empalado numa dessas.Se liga moleque.Tipo de adolescente mesmo.Aprende enquanto papai e mamãe te bancam pq o mundo aqui fora é mais pesado.

GM de Moura disse...

Não só o estupro,mais muitas das atividades criminosas contra a pessoa e o patrimônio são banalizadas.
A questão da invisibilidade da a pessoa uma imunidade às leis, sendo possível, estuprar, matar, e roubar um banco sem sofrer com as consequências.
O pior é que não existe um certo e errado, todos os conceitos de moral são criados por homens, mas peso que a única coisa que devemos fielmente segui é o respeito ao próximo, seja ele desconhecido ou não, homem ou mulher, não quebrar barreiras pela vontade própria que causem certo mal a qualquer um.
Esse mal pode ser tanto tirar uma vida, um bem, ou um conceito de integridade (como um constrangimento público, um tapa na cara, um passada de mão ou um ato sexual forçado).

Marcelievsky disse...

Duas coisas que eu pude perceber no post da criadora e nos comentários.

Uma delas tem a ver com a falta de respeito e entendimento com o que foi exposto no post e que deve ser levado em consideração - neste caso, o post em si - e que o "outro lado" não enxerga por ver "extremismo exagerado".

No outro lado, é a defesa do orgulho, que não se permite rever os exageros exprimidos ou não percebe que a própria defesa está criando dogmas que seu próprio algoz possui - e isso está contido tanto no post quanto nos comentários.

Isso faz com que ambos os lados vejam exageros e partindo disso, vocês entram na discussão pelo excesso e não pelo contexto.

Minha opinião é a favor do blog que deve sair em defesa à mulher sim e aqueles que não entenderam, ou sequer tentam ao menos imaginar a situação; ou realmente é um dos que pratica o ato ou deveriam ter a experiência de vivenciar ou relatá-la através de entes mais próximos.

Mas sem elitizar. A vida não é feita de duas cores; é feita de diversidades e muitas interpretações. E num desses momentos, existe o momento de descontração e o momento de falar seriamente. Se misturarmos estes dois universos, misturamos a essência que cada um traz, e assim, o que se deveria ser levado a sério, acaba se tornando piada, porque é isso que as pessoas fazem: captam as impressões iniciais e extrapolam as interpretações.

Essa é a minha contribuição e espero que vocês analisem com carinho e sem perder o foco! Abraços!

amorincondicional disse...

não acho de forma alguma que o comercial seja abusivo ou faça apologia á qualquer tipo de violência contra a mulher, vcs estão exagerando sobre uma coisa que é pra ser engraçada. não se pode ser engraçado com nada hoje, que já é bullying, preconceito ou apelativo demais. aprendam a levar as coisas mais na esportiva, gente.....

Anônimo disse...

Sabe o que mais me surpreende? Eu me lembro de que um comercial das havaianas foi censurado que era mais ou menos assim: O Cauã Reymond chegava no restaurante no qual a neta e a avó conversavam, a neta já uma moça, grandinha. A avó sugere que ela "arrumasse" um rapaz como ele, e a neta diz seria muito chato casar com um homem famoso. A avó lança a seguinte frase: "Mas quem falou em casamento? Tô falando em sexo..."
O comercial foi censurado porque, segundo as havaianas, algumas pessoas se sentiram muito ofendidas e acharam um absurdo...
E esse da nova schin as pessoas acham normal, natural..
Sério, fico arrasada.
Aqui está o comercial censurado: http://www.youtube.com/watch?v=wZbiM6m7qh4

Anônimo disse...

Conheci o blog agora, e gostei muito do texto.
Mas tem gente que não entende mesmo essa luta tão importante, como nosso amigo das perguntas - "2. os homens não deixaram de sentirem atração por mulheres, não importa o condicionamento social que recebam, sentir atração pelo sexo oposto e algo biológico para os homens,e não uma " construção social" E ISTO NÃO VAI MUDAR"

Aqui dá pra identificar o mesmo discurso padrão de vários homens, como se SOMENTE ELES fossem possuidores de desejos e instintos, como se a mulher não sentisse atração pelo sexo oposto e existissem apenas para o bel prazer masculino. A partir do momento que esses homens se tornarem conscientes da sexualidade feminina, muda o esquadro da relação homem-mulher em relação ao sexo.

danni84 disse...

Não vi esse comercial, mas de certa forma, saber que algo como isso é produzido no Brasil infelizmente não me espanta. Afinal, pela "cultura publicitária" nacional, mulher não é uma consumidora que deve ser respeitada, mas um objeto sexy usado para atrair as atenções do público masculino. E se alguém "ousar" em pedir a remoção dele do ar ainda será acusado de promover a "censura"...

farias disse...

Lola vc está totalmente errada.
Sua linha de raciocinio está distorcida.
Os rapazes só imaginaram, foi
apenas um sonho, não desejo.
Qdo eles quiseram agir o rapaz foi tentar conversar com as garotas e não toca-las.
Aceite q vc foi cega em sua analise.
Um abraço.

Catia disse...

Texto maravilhoso!
Já ouvi muitas amigas dizendo "cuidado para não ficar com fama de mal amada" quando critiquei manifestações machistas.
É muito bom ler uma análise como essa.
Parabéns Lola!

Romildo disse...

NÃO HÁ NADA DEMAIS NO COMERCIAL DA NOVA SCHIN, NÃO HÁ ESTUPRO (AS MULHERES CONTINUAM DE BIQUINI. QUANTO A SER VISTO COMO OBJETO SEXUAL,QUAL O PROBLEMA? AS MULHERES NÃO TÊM SEUS GALÃS DE TV E LÍDERES DE BANDA? NÃO SEJAMOS HIPÓCRITAS,A LIBIDO É ATIVADA DA MESMA FORMA, SÓ QUE NOS HOMENS ELA É MUITO MAIS VISUAL. ALÉM DISSO NÃO ME CONSIDERO CANALHA POIS APESAR DE FANTASIAR COM TODAS AS AMIGAS DA MINHA NAMORADA EU NUNCA A TRAÍ

Anônimo disse...

Essa propaganda da Prudence é a coisa mais nojenta que eu já vi! É criminosa. Estou chocada.

Luiza Alves disse...

Olá, Lola.
Adorei seu post, ajudou-me e muito em um trabalho de Sociologia.
Como alguns disseram, nós, telespectadores, nunca vemos um comercial, um filme... como ofensa pública e social, seja contra mulheres ou homens. A sua matéria ficou bem explicada pra quem entende seu recado. Muito bacana.
Obrigada pela ajuda!

Nathália disse...

Fico pasma como tem publicitário infeliz que faz esse tipo de propaganda... te mandei por e-mail e acredito que muitas tenham visto uma "homenagem" que uma agência do Rio Grande do Sul fez para os ginecologistas em seu dia, a mensagem "sabemos que são estritamente profissionais. mas morremos de inveja de vocês. feliz dia do ginecologista" a foto no fundo é das pernas de uma mulher sentada na cadeira ginecológica com as pernas abertas. Esses dias postei em meu facebook uma imagem que falava "não aguento quando falam que não posso usar roupa curta, pois isso é PROVOCAR" e teve cara comentando "se provocou agora aguenta". Ele insistiu que chamar a mulher de gostosa na rua é ELOGIO, e eu disse que era ASSÉDIO... ele não entendeu, disse que eu tava sendo radical e parecia estar falando que nem lésbicas.

não sei nessas horas tenho vontade de sumir desse mundo. eu nunca aceitei bem elogio de cara na rua, sempre fiquei com medo de andar a noite ainda mais se estiver de saia ou decote. e agora lendo isso tudo aqui no seu blog eu vejo o quanto é preciso melhorar, informar, as pessoas não tem noção de como essa cultura do estupro é forte... acham que é normal....

Helena Azevedo disse...

Amei o seu blog. Tantas coisas, como essa apologia ao estupro, que passam até então por mim despercebidas. Passavam, por conta da minha dose de inocência somada a influência grande que tenho de pessoas ignorantes quanto a estes assuntos. Obrigada por abrir meus olhos.

raissa disse...

entendo perfeitamente o que vc está falando, porque muitas vezes penso; pq eu tenho que andar com uma burca para mostrar que não desejo ser estuprada. Pq preciso andar sempre acompanhada por um homem para mostrar que mereço respeito de homens que soltam piadas imundas nas ruas. Pq a mulher tem que sofrer para perder a virgindade! pq? não faz sentido na minha cabeça...

Anônimo disse...

Extremista. Se existem homens que assumem esta cultura, existem o mesmo de mulheres. Nao somente Homens governam.(concordo em parte no que disse).

Anônimo disse...

sera q eh coincidencia q agora a nova schin esta patrocinando os shows da banda new hit???

Didi disse...

Muito bom texto! Te convido para a leitura de um texto que escrevi quando houve aquele debate sobre o possível estupro no Big Brother.
http://direitoelegal.wordpress.com/2012/01/22/o-sexo-que-da-pena/

Mira disse...

Concordo plenamente com o texto!

Fernanda disse...

Oi Lola, admiro e sigo seu blog sempre. Você realmente é uma inspiração para mim, que adoro escrever textos críticos sobre a sociedade.
Mas pela primeira vez fiquei triste com uma coisa que você disse, quando falou dos publicitários. Sou mulher, feminista e publicitária, tenho meus valores éticos e não faria um comercial deste, ou propagandas que incitassem algum tipo de perversão idiota, enfim.
A sua generalização que me incomodou.
Pode acreditar, existem muitos publicitário éticos! Não julgue a todos eles por causa desses comerciais idiotas...

A História da Animação na África disse...

achei a propaganda da skol do carnaval 2013 machista. mais do que essa da nova schin. está aqui o link no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=XBfY6uXEMKk
nao sei se estou sendo exagerada, mas nao gostei nem um pouco

isabelita disse...

Lola, não sei se já apareceu este anúncio por aqui... não chega a restaurar a fé no mundinho publicitário, claro. Mas é bom ver que existe gente que consegue tratar o assunto de maneira séria e objetiva.

http://alergianomada.wordpress.com/2010/05/15/anuncio-de-imprensa-2/

Anônimo disse...

Acho estranho que 90% dos comentarios são de mulheres! Sou homem e tenho uma irmã mais velha, sei bem como ela sofreu e sofre com esta cultura machista. Acredito que a unica maneira de ser acabar com este ciclo que dura milhares de anos é a conscientização das mães, esposas, filhas a dizer chega e apoiar outras mulheres! Minha mãe por exemplo, sempre reprendeu minha irma por não se submeter aos homens, a humilhou de varias maneiras, lembro me bem que a principal coisa que minha mãe ensinou a minha irmã foi a seguinte: Aprenda a cozinhar, ou teu marido vai te espancar. Chega né? acabou-se o tempo em que este comportamento estupido era aceito por alguem, é hora de acabar com esta porcaria toda.

Rodrigo Green disse...

Excelente texto. Retrata bem a sociedade atual. E o pior é que tem muita mulher que ainda acha engraçado também.

Eu sou homem, mas não concordo com este tipo de cultura que não reconhece o valor da mulher.

Bom post e continue escrevendo com esta qualidade que presenciei neste post.

Até mais.

Anônimo disse...

Sensacional!!! Falou e disse!!!!
















João disse...

Interessante a análise feita neste post em relação ao que a mídia divulga. Porém não vejo de forma clara o que a autora sugere como a solução para o "problema" apresentado pela mesma. Restringir a forma como fazemos humor, como fazemos publicidade definitivamente não é viável. É assegurado por lei a liberdade de expressão e opinião. Vivemos em um país livre. Culpar os homens por tudo também, é a pura da hipocrisia. Notícia recente mostrou que na china um cara bêbado desmaiado na rua foi estuprado por uma mulher. Não venha me dizer que é um caso isolado. Cada vez mais as mulheres agem como homens ou pior. Manipulando, se oferecendo, enganando, provocando, desprezando, humilhando...etc. Feminismo virou poder nas mãos daquelas que eram símbolo de carinho e afeto, símbolo de delicadeza e fragilidade. Que homem enxerga nas mulheres de hoje em dia, o retrato da própria mãe? Os valores estão invertidos, o mundo está de cabeça para baixo. A chamada "cultura de estupro" tem que ser fiscalizada sim! Banida? Não. Censurada? Talvez. A mídia e os órgão de fiscalização como o CONAR, devem determinar a classificação indicatória. Os governantes devem melhorar a educação dos jovens, aumentar a segurança nas cidades, promover políticas públicas para um país mais justo, mais consciente. Nós? Devemos cobrar, analisar e pensar. Somos animais, mas animais racionais, chega de por a culpa nos meios de comunicação, de banalizar algo por isso e aquilo. Somos inteligentes pela graça de Deus. Nosso dever é agir como seres pensantes, ao invés de errantes.

Marcelo disse...

Quem mais apóia o machismo são as próprias mulheres! Se um cara diz não a uma mulher é logo taxado de "viado" por elas, se não abre a porta do carro ou nao cede a vez numa fila ou no banco do ônibus é chamado de mal-educado, grosseirão, se sugere que ela pague a conta ou ao menos divida elas acham isso um absurdo nos chamam de aproveitador, e etc, etc.... As mulheres não querem acabar totalmente com o machismo, muitos dos privilegios que elas usufruem, alguns até sacramentados na lei, decorrem do machismo.

Rose disse...

Lola, gostei muito de seus textos e sei que ainda é pouco o que tem sido feito. Eu pergunto, o que mais podemos fazer pra evitar tanto abuso? Porque é xocante o que acontece e é muito bom quando ouvimos que pessoas se preocupam com isso. Vejo muitos comentários elogiando e apoiando você mas sei que podemos fazer muito mais. O que fazer? E como fazer?

bolha disse...

Nem sei se vc vai responder, é velho esse post. Eu não estou em nenhum time!! Algumas coisa que você falou é fato e é relevante, mas para mim esse não é o X da questão. Você está focando ao meu ver na punição, e o maior problema não é esse, embora de fato, as autoridades são pessimamente preparadas mas se trata de um ciclo vicioso. O sexo é mal compreendido e estimulado excessivamente e ao mesmo tempo reprimido! Claro, há exceções, só que ao invés de se tratar os casos caso a caso, não, ao invés disso as feministas e simpatizantes pedem para criar leis idiotas para se "protegerem" e acaba se protegendo tanto q daqui a pouco nenhum homem vai chegar perto dela. Vai saber? pode ser crime, assédio, etc, ou seja coisas que a lei não devia se meter na esmagadora maioria dos casos que citei anteriormente(não o estupro propriamente dito e denunciado) e isso cria mais uma outra via para o estupro. Com a pornografia, leis q punem essas viadagens(q poderiam ser resolvida amigavelmente ou até mesmo mandado a merda o sujeito na esmagadora maioria) sem envolver leis. Nossa sociedade quanto mais tenta resolver, piora mais, pois são pessoas que foram estupradas ou simpatizam com as vítimas, ou seja, muito abaladas, e querem acabar com isso de uma vez como se ela tivesse uma varinha mágica, e ai ela pega a dor dela e passa para a sociedade idiota que absorve e transforma isso em lei e ainda com o apoio do povo em geral que é formado de babacas, então, ao invés de ir no cerne do problema(cujo poucos estão interessados, pois acabar com a pornografia é basicamente acabar com duas coisinhas: religião e repressão sexual e consequentemente moda erótica, tudo isso vai pro espaço!), mas essa seria a maneira certa de amenizar os casos ou tirar isso da cultura, mas não, ficam criando leis e muitas vezes de um trauma de algumas mulheres, leis para todos, ou seja, a velha história babaca de que todos pagam por causa de um e isso não poderia ocorrer. Veja como os homens e mulheres estão, caindo aos pedaços. Os homens morrem de medo das mulheres, homossexuais muito por causa dessas leis e propagandas idiotas que parecem ser boa, como, "não bata em mulher", "não seja homofóbico", etc e isso cria um perversão. Os psicólogos mais inteligentes sabem disso. Uma vez que você proibe demais uma coisa gera perversões e a "lei" só vai atrapalhar a nossa vida que é isso para que ele serve na maior parte, previne algum mau, mas isso não vem de graça vem com repressão que gera outros males, inclusive muitos casos de estupro, pedofilia(isso nem devia passar na tv). Hoje o homem tem medo de chegar na mulher nem sempre por timidez, mas pq na mentalidade da massa já entrou um monte de coisas. E tenho quase certeza hoje que muitas mulheres estão loucas para dar e não o fazem para não ficar com uma imagem ruim, e, por outro lado o homem, prefere ficar distante ou então, quando chega, vai cheio de dedos, vai saber? Pode ser uma louca e resolve denunciar. Um homem passa a mão em você, manda ele a merda! Veja como repressão, estímulo incorreto não criam essa babaquice. Pode soar frio, mas não importa: Pq simplesmente a pessoa não saiu fora ou gritou? Isso seria o correto, não precisaria de lei nem nada, o cara, se não fosse um louco sairia correndo com as calças na mão e ainda seria capaz de ser linchado! Não precisaria envolver leis e justiça nesse caso pois isso dá poder ao estado que interfere nas nossas vidas e a transforma numa coisa pequena, ridícula!

bolha disse...

Sara: Eu tenho quase certeza que se pegar mais da metade dos homens são estupradores em potenciam. Mas uma boa parte dessas pessoas são mais vítimas que qualquer outro, até mais que as próprias mulheres. A maneira como a sociedade trata o sexo é que em geral cria perversões e ai o homem fica com tanto medo de chegar na mulher, hoje, chegar numa mulher pode soar como crime nas mentes masculinas, inclusive na minha, que devido a pornografia, leis idiotas que "protegem" a mulher, etc. Antigamente em casos como o citado não precisaria de lei e sim se ela visse aquilo, simplesmente sairia e o cara ficaria com o pau na mão, ou gritaria e se o cara não fosse um doido sairia correndo ou seria linchado. Mas o que a autora do texto pergunta no final é uma estupidez completa, embora pareça algo bonito, supremo, para mim, o que temos que fazer no geral é nem defender nem atacar, não tomar partido, pois se trata de uma espécie de conspiração criar esse comportamento na cabeça da população(não estou falando do estupro, mas sim o que pensamos dele e como deviamos agir), e isso cria uma inimizade sutil entre homens e mulheres e não resolve nada, pois não temos que resolver o problema do estupro? Temos? Pergunte para si mesma, vc tem? Quem é vc, quem é a garota que postou, quem sou eu? Ninguém, ou seja, não devemos tomar partido sobre isso, a não ser que aconteça com um de nós. Parece comovente, mas isso é apenas propaganda, pode não ser a intenção de quem postou isso, mas é isso. Causa medo, horror, desnecessariamente. Quantas mulheres perto do todo já foram estupradas. O número é infimo tenho quase certeza e mesmo assim o próprio estado/igreja são os responsáveis(no nível mais profundo da coisa) pela esmagadora maioria dos estupros.

Latino Modesto disse...

Abordo a cultura do estupro nesse post, com uma orientação menos voltada para o feminismo e sugerindo uma explicação para os fundamentos estruturais do "logos" do flerte que envolvem uma contribuição do homem e da mulher - que se volta contra ambos em situações-limite (como a do própria estupro) quem tiver u mtempo pra ler: http://discussaodegeneroo231.blogspot.com.br/2013/09/a-cultura-do-estupro-pressuposta-no.html

Anônimo disse...

A cultura do estupro está muito mais enraizada dentro de nós mesmos do que nos damos conta.

Já livros que falam que quem cria estes machistas são as MÃES!!! Não o pai machão, a mãe mesmo!

A princípio, com medo de que seu filho seja homossexual, elas acabam incentivando QUALQUER comportamento machista.

Depois, quando já se provaram "machos", é a hora dessa mesma mãe usar contra outras mulheres o machismo que foi imposto a ela, inconscientemente mesmo!

"Náo, meu filho, aquela é vagabunda!"
"Aquela não é o tipo que se traz para dentro de casa"

A mulher é vitima desde muito nova da sociedade do pudor! Se vc não tem pudor (palavra que, sinceramente, eu traduzo como "vergonha de sentir"), vc não é boa... vc não é material para casamento. Ela começa, sem saber se isso veio da essencia dela ou do meio, a passar isso para frente com seus filhos, filhas, etc.

Eu acredito, do fundo do meu coração, que as mulheres machistas que temos ao nosso redor (são muitas) não tem mesmo consciencia de que foram programadas para pensar assim. Que isso não vem de dentro delas, da sua essencia!

Acho que nós, que pensamos fora da caixa, somos a mudança!!!

Infelizmente, uma mudança que não será a curto prazo. Vamos ter que investir nos nossos filhos, irmãos, pais e amigos. Discussões saudáveis como a que esse site traz é o caminho! Tomara...

Amei!

Anônimo disse...

po, realmente concordo com vc, mas... ja pensou se agente fosse invisível?

Matheus Buzzatti disse...

Sempre achei as propagandas da Nova Schin uma merda. No início da mesma, quando eles jogam a idéia, já me veio o "Homem sem Sombra" na cabeça, até porque propaganda de cerveja SEMPRE vai ter mulher bonita e pouco vestida, mas achei que a propaganda poderia ter uma pegada mais criativa e pudesse achar e explorar um lado engraçado da coisa. Ai já viu, foi decepção certa. Os caras mexendo com as mulheres se banhando, entrando no banheiro, foi mais do mesmo de sempre, idéia previsível e objetificação da mulher.

Anônimo disse...

Porra, isso aqui abriu meus olhos. Tá tudo tão na cara, e é tratado como se fosse normal. Obrigada por ter me feito refletir.

Anônimo disse...

Obrigadíssima pelo post! Suas falas sempre são lúcidas e precisas. Eu, como sobrevivente de um estupro, posso atestar o mal que essa cultura faz no dia-a-dia de milhões de pessoas. E, antes que alguém pergunte: não, não tive culpa. Não, eu não gostei. Sim, eu lutei pela minha vida até o último minuto. E sim, eu achei que fosse morrer. Beijos sofridos porém inteiros, Lola! <3

Anônimo disse...

Gurias acho que o ponto de vista de vocês é muito certo. Sou Homem e assim como algumas mulheres postaram acima, nunca parei para pensar na interpretação da propaganda desta maneira. Concordo que é errado, mas questão é o popular "qual o limite do humor"? Pois para mim a parte engraçada da propaganda foi o final.

Mas ao contrário do que disseram acima,acho que o estupro para o homem (ser estuprado no caso) também é a pior coisa que pode acontecer, mesmo que seja menos comum e com certeza deve ser mais raro ocorrências policiais deste tipo, mas acho que tem o mesmo peso para um homem ou mulher.

Quanto a propaganda, mesmo entendendo o ponto de vista de vocês, penso que sendo uma brincadeira (a propaganda no geral), as mulheres nunca pensariam "e se eu fosse invisível"?

Sem querer distorcer muito o assunto, mas hoje é comum ir em festas e uma mulher apertar a bunda de um homem, já aconteceu comigo e também com amigos, me senti constrangido. Já aconteceu de levar cantada de mulher e sem ter nenhum interesse negar e ser chamado de gay assim como um homem na mesma situação chamaria uma mulher de "vagabunda". O que isso tem a ver? Sei lá, mas esse tido de atitude parece que, ao invés de serem corrigidas estão sendo copiadas por algumas mulheres.

Pode ter ficado confuso meu texto, mas apoio vocês!

Yana disse...

De todas as coisas que passam na TV e as pessoas acham "engraçado" ou "normal", nada supera o NOJENTO PÂNICO NA TV, aquilo ali sim é tudo que não presta junto num programa só!

Anônimo disse...

"Tipo: se você foi vítima de estupro e estiver procurando ajuda, será mais fácil encontrar na internet vídeos pornôs com simulações de estupro, mostrando estupro como algo excitante"

Sério? Quais os termos de busca usados, por favor.

Alguns erros atras disse...

Ameio o seu texto...

Anônimo disse...

me fez ver esse comercial ,com outra visão , ter reflexão , sobre o que esta acontecendo em nosso pais.

Tati disse...

É triste e assustador criar filhos numa sociedade tão machista e violenta. Dá uma sensação de impotência tão grande, um desalento...

WWW.MESTRESABE.COM disse...

Estupro e consentimento explicados em 7 ilustrações

VEJA http://www.mestresabe.com/2015/07/estupro-e-consentimento-explicados-em-7.html

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 349 de 349   Recentes› Mais recentes»