sábado, 5 de novembro de 2016

CHEGAR ATRASADO PRA PROVA, QUEM NUNCA?

Hoje tem Enem e, junto com a prova, a zombaria pra quem chega atrasado. É muita falta de empatia. Há inúmeros motivos pra alguém se atrasar. Pô, quem nunca?
Pensando nisso, lembrei de quando vim aqui pra Fortaleza fazer meu primeiro e único concurso na vida. Era agosto de 2009, eu morava em Joinville, SC, e fazia quase vinte anos que não pisava no Ceará. A primeira prova era numa terça, às 8 da manhã. Eu viajei na segunda pela manhã, 24 horas antes. Mas o aeroporto de Navegantes estava fechado por causa da neblina. E o único jeito foi pegar um voo pra Campinas, ficar quase o dia inteiro num quarto de hotel, revisando o que eu tinha preparado, e só depois ir pro meu destino final. Só cheguei na minha pousada em Fortaleza depois das duas da manhã de terça.
Acordei cedo -- mal dormi -- e às 7:20 estava na saída da pousada esperando o táxi. Que não chegava nunca. Pelo mapa, a pousada ficava próxima da UFC, a 3 km apenas. É pra levar 10 minutos! Eu não tinha a menor ideia que o trânsito era tão pesado, ou que o táxi levaria mais de dez minutos pra chegar ao hotel, ou que o motorista não tinha tanta certeza onde ficava o CH1 da universidade. 
Quando finalmente cheguei ao campus, ainda tinha que achar o prédio certo. Perguntei pra várias pessoas; ninguém sabia onde era. Nem sei como descobri. Só sei que cheguei na local da prova faltando literalmente um minuto, quando as examinadoras da comissão já estavam fechando a porta. 
Se eu tivesse perdido a prova, não estaria aqui agora. Teria ficado revoltada, teria perdido um bocado de dinheiro (inscrição pro concurso, passagens aéreas atravessando o país, táxi, hotel, tempo gasto -- havia dispensado lecionar um minicurso numa faculdade particular pra poder me preparar pras provas), mas acho que não teria pensado que fracassei por não chegar a tempo, ou que a culpa fora minha. Mil e uma coisas podem dar errado, e mil e uma coisas muitas vezes dão errado, sem que a gente possa fazer algo a respeito. 
E, no meu caso, não é que eu poderia fazer o concurso na UFC no ano seguinte. De 2009 pra cá, no meu departamento, tivemos apenas mais dois concursos pra professor efetivo; teremos o terceiro agora). É triste e desesperador, mas o pessoal que perdeu o Enem hoje ainda pode tentar ano que vem. Quero dizer, isso se até lá o governo não acabar com a prova...
Fica aqui minha solidariedade a quem chegou uns minutos atrasado hoje. E a quem chegou no horário também. Prova é sempre complicada.

29 comentários:

R. T. disse...

Boa sorte a todos que conseguiram fazer a prova e espero que tanto o Enem quanto o SISU continuem existindo nos próximos anos para facilitar toda esta aventura que você escreveu para quem ainda deseja cursar uma universidade.
Abraços.

Charle Coimbra disse...

É difícil pensar que algo pro qual alguém se prepara durante um ano, perca por se atrasar para chegar ao local de fazer a prova, de cara pensamos "é muita irresponsabilidade!", mas de fato, pode acontecer com qualquer um, imprevistos pode acontecer sim, facilitando a chance é maior, mas mesmo quando cuidamos de tudo...

Anônimo disse...

esses foram os minutos q mudaram a sua vida, hein Lola

Por um minuto e sabe se lá quem hj vc seria

Uma alerta pra q valorizemos cada minuto e segundo das nossas vidas, eles valem, olhem o exemplo incrível da Lola

Rosa Estrada disse...

Como tem gente ruim no mundo, né? Hoje a diversão da internet foi rir da desgraça alheia. Como se não bastasse o infortúnio de se atrasar, essas pessoas ainda terão suas imagens expostas à exaustão em forma de memes. Essa falta de empatia me faz ter vontade de correr para as colinas...

Anônimo disse...

Lola, eu tava falando sobre isso agora há pouco com a minha mãe. Uma vez fui fazer um concurso público às 8 da manhã de um domingo. Sai de casa 6:30 da manhã, sendo que de carro levava mais ou menos 15 min pra chegar no local de prova. Às 6:50 chegamos na avenida que dava acesso à universidade: estava congestionada. Se eu fosse à pé provavelmente eu levaria uns 20 min pra chegar no local de prova, maaaassss... estava caindo uma chuva muito forte que não tinha guarda-chuva que aguentasse. Encarei o trânsito até chegar no campus, maaaassss, ainda tive aquele dilema pra achar a sala onde ia fazer a prova. Resultado: cheguei faltando 7 minutos para fechar o portão. Foi um sufoco enorme, mas tudo isso contou como experiência para as minhas proximas provas. Se eu não tivesse conseguido chegar a tempo com certeza eu teria ficado extremamente chateada, e acharia um desaforo ver gente que se deu o trabalho de sair de casa só para rir disso.

Julia disse...

Quando fui a Fortaleza a trabalho fiquei numa pousada nesse bairro. Montese. Será que é a mesma? Eu fiquei na mesma pousada da Lola!!! #mesentindo

lola aronovich disse...

Será, Julia? (saudades de seus comentários, menina). Não me lembro o nome da pousada. Qual foi a sua? Eu só fiquei lá duas noites, que eu me lembro. Felizmente uma leitora era prima de um gerente de um hotel mais perto da praia e ele deu um excelente desconto e acabei ficando lá os outros cinco dias.
Eu lembro que estranhei aquela pousada no Montese porque não tinha água quente no chuveiro! Lembro de uma hóspede de SP reclamando disso...

Anônimo disse...

Vc quer comparar uma pessoa que são de joinville para Fortaleza com um aluno irresponsável que não chega em uma escola na sua própria cidade,muitas vezes no mesmo bairro, faça-me o favor né, e pare de colaborar com o vitimismo e mimimi desses adolescentes

Anônimo disse...

Seu post me fez lembrar uma colega de escola que quase perdeu a hora do vestibular por culpa minha e dela .... rsrsrs... felizmente percebemos o erro a tempo, foi o seguinte:

na época eu morava em Araras/ SP, e era comum os pais se revezarem para dar carona aos colegas .
Uma colega que ia prestar agronomia me pediu carona para prestar a FUVEST e perguntou onde eu ia fazer a prova, respondi que ia fazer em "PIRA"e ela respondeu que tambem faria a prova em "PIRA"
só que eu quis dizer "PIRASSUNUNGA "e ela ia fazer a prova em "PIRACICABA",e ela entendeu que o meu "PIRA "e o dela eram a mesma cidade e eu também entendi assim.
as duas cidades ficam próximas de Araras mas em direcoes opostas, e Picacicaba um pouco mais longe( 1 hora de estrada , pra 40 min de Pirassununga).Chega o dia e o pai dela a deixou na minha casa pro meu pai nos levar juntas a "PIRA", eis que o tempo passa e ela estava preocupada se nao estavamos atrasadas( claro, Piracicaba era mais longe) e eu "imagina, Pirassununga fica aqui do lado". Dai percebemos o erro; resumo localizamos o pai dela que veio ( branco ....rsrs.), ele estava num velorio(!!!), pegou a menina, que conseguiu chegar a tempo em Piracicaba pra fazer a prova dela e eu fiz a minha em Pirassununga.
ela passou em agronomia na ESALQ e eu prestando medicina acabei nem passando na FUVEST, passei na UNESP de Botucatu.
Realmente...quem nunca?? rsrsrs
saudades

Maria Valéria

Anônimo disse...

Se fosse para assistir a um show do Justin Bieber, estariam acampados há uma semana no mínimo na porta do local, agora, quando o assunto é estudo....

Charle Coimbra disse...

A Lola seria professora de outra universidade, porque não ?

Anônimo disse...

Uma semana? Já tem gente acampando pra um show que vai acontecer em março do ano q vem.

Então não, não eh falta de empatia. Quem está sendo zoado agora é porque merece.

Anônimo disse...

É tenso, comentário acima, os fãs do Bieber já estão acampando desde agora para o Show de março de 2017! Aqui no Brasil!

Já perdi uma prova por conta do horário de verão. Quase mesminha história da Lola. Pior que tava estudando já uns dois anos, concurso também. Daí o horário de verão não veio no Estado que fui fazer a sem vergonha e fui avisada na porta da faculdade que era pra ser feita a sem vergonha no horário de Brasília. Ai eu não safo nadinha nessa vida. Meu Pai Amado!

yuna . disse...

Que post fofo lola! verdade cada um sabe seus motivos não tem a menor graça!
beijinhos <3

Anônimo disse...

Acho que a maior parte das pessoas que riem disso nunca estudaram pra uma prova séria na vida, caso contrário entenderiam que imprevistos acontecem independentemente de uma boa organização e planejamento. Inclusive, uma coisa muito recorrente na vida dos concurseiros é separar um tempo no planejamento semanal para repor as horas de estudo perdidas pelos imprevistos. Enfim, nem sempre as coisas acontecem por irresponsabilidade. É só a vida que é assim mesmo, e a gente tem que lidar com isso. Mas rir da desgraça alheia é o supra sumo da babaquice.

Anônimo disse...

Afinal todas as pessoas que perdem o Enem acampam no show do Justin Bieber né?

Anônimo disse...

Então que não tenha mais limite de horário para nada mais, chega na hora que quiser e faz a prova na hora que quiser. Ótimo assim.

titia disse...

Amigolinos que estão falando do pessoal que acampa em show; qualquer prova exige que o aluno esteja fisicamente apto - que tenha tido uma boa noite de sono, esteja descansado e bem alimentado. Acampar por uma semana na frente do local da prova (além de atrapalhar a vida dos alunos da instituição), dormindo mal, comendo mal, se exaurindo fisicamente seria dar um tiro no pé. Porque o indivíduo pode estar lá na hora, mas vai estar exausto e vai tomar bomba do mesmo jeito.

Não imagino por que todo mundo acha que os atrasados do Enem são todos uns vagabundos que não quiseram acordar cedo. Auto projeção, talvez...?

Kasturba disse...

Só pode ser DOENÇA a pessoa se dar ao trabalho de sair de casa pra rir da desgraça alheia...
Sério... Não consigo entender... A humanidade me enoja certas horas...

Anônimo disse...

Também odeio essas coisas, mas a Lola pôs um meme onde um dos estudantes que perdeu a prova num Enem do papel da mulher na sociedade atual -se não me engano- e no meme estava escrito "Machistas não passarão" sendo que há ZERO provas de que esse estudante é machista.

Anônimo disse...

Ao contrário. Tem muiiiiitas pessoas que zoam esses estudantes atrasados que são ou já foram vestibulandos, concurseiros também... Sabem sim o que é se matar de estudar o ano INTEIROOO e por isso mesmo não entendem como perder "a prova da sua vida" chegando atrasados. Quem estuda e tem foco REALMENTE sai algumas vezes antes do dia da prova pra verificar o local e verificar quanto tempo dura o trajeto ou se não tiverem tempo, saem de casa hooooras antes pra nada dar errado (diminuir o risco o máximo possível). Claro que existem sim exceções mas no geral eles merecem ser zoados sim, meme pro ano todo. Fico com pena é dos pais que pagaram um ano inteiro de cursinho...

Valéria Fernandes disse...

Sei que há casos e casos. Por exemplo, há gente que vem de outro estado, municípios distantes, para um concurso. Gente que, efetivamente, não tem como vir fazer reconhecimento do local de prova, salvo, claro, se for alguém com muitos recursos e tempo livre, algo que a maioria não tem. Há, também, casos fora do comum, um engarrafamento monstro; uma prova no fim de semana com ônibus que quebra e o outro não passa. Um jovem passou por isso, aqui, em Brasília. Mais de três horas de antecedência, 40 minutos se muito de ônibus, e não conseguiu chegar. Concordo que quem se desloca para porta de local de prova para debochar tem algo de doente, mais ainda, doença que é alimentada pela mídia, PORÉM, não acredito que tudo seja relevável, não.

Querem ver? Estava saindo ontem por volta de 12h15. Uma adolescente estava sendo conduzida pelo pai até um táxi. Menos de uma hora da prova. Suponhamos que a prova fosse no CEUB ou na UnB. Mínimo de 20 minutos para chegar em tempo normal, com ENEM, o engarrafamento é certo. Meu marido pegou voltando da UnB para casa no sábado. Enfim, é certo que vai chegar correndo. Pode ter rolado alguma coisa? Sim, mas estavam todos muito calminhos. É legal arriscar-se a encontrar o portão fechado, ou perder tempo se acalmando, porque, bem, chegou correndo? Não.

Ainda que a gente busque compreender todo mundo, é notório, pelo menos aos meus olhos, que convivo diariamente com a turma que vai fazer vestibular, que muitos garotos e garotas chegam a essa idade absolutamente tutelados e protegidos pelos pais de qualquer frustração. Os mais pobres precisam se virar, mas, ainda assim, muitas vezes não receberam igualmente os bons exemplos para gerenciarem tempo, pensarem no imprevisto. E, aí, temos esses espetáculos que vemos toda vez que há concurso.

Tem muita gente adiando responsabilidades que deveriam ser aprendidas aos 14 anos para os 25 e isso, aos meus olhos, não é saudável. Tipo, por exemplo, checar o horário de provas e colocar seu despertador para tocar.

Eu fiz vários concursos ao longo da vida. Prestei vestibular aos 16 anos. Fui de condução. Saindo de casa, na baixada Fluminense, com o máximo de antecedência. Meu pai foi comigo duas vezes: primeiro dia da UFF, porque eu nem sabia como chegar até Niterói, e quando UERJ e Rural tiveram provas no mesmo dia. Ele faltou trabalho, tirou o carro da garagem e saí de uma para correr pra outra. Sem almoço. Mas eu sabia, porque observava desde sempre, o sacrifício dos meus pais - mecânico de automóveis e professora primária - para que eu tivesse alguma chance de chegar lá. Teria muita vergonha de decepcioná-los. Pesada a carga? Sim, mas um pouco disso em doses homeopáticas não faz mal para ninguém.

Anônimo disse...

alguém aqui assistiu o programa conexão reporter ontem,sobre o caso da vendedora de sao gonçalo que sofreu estupro coletivo?

segundo o relato dela,os abusadores eram todos menores de idade.A reportagem ainda mostrou que as pessoas da comunidade estão indignadas com a prisão dos menores,por considerar tudo uma grande injustiça.teve ate depoimento de moradores dizendo que ela costumava "ser vista com muitos homens",como se isso justificasse o crime.Ou seja, no final das contas o caso vai terminar impune.seja socialmente,pois a vitima está sendo rechaçada pela comunidade.seja juridicamente,pois os agressores eram menores de idade.

a cultura do estupro pode ate existir,mas a cultura da impunidade também existir.

Anônimo disse...

É por isso que o Brasil é um país tão atrasado, em países asiáticos as pessoas são educadas desde cedo a cumprirem horários e em nenhuma prova ou qualquer outro compromisso chegam atrasados. Aqui, não se respeita horário para nada - há na nossa cultura um tal de 15 min de tolerância que não existe em país nenhum do mundo! Aí, quando não dá pra fazer isso, a pessoa se irrita e fica de mimimi.

Está na hora de começarmos a ensinar sobre consequências a esta geração, senão a coisa fica feia. E outra coisa, se acham que os jovens não aprendem nada sendo barrados, revejam seus conceitos:

http://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2016/11/atrasado-em-2015-homem-chega-4h-antes-do-enem-em-rr-prevencao.html

Anônimo disse...

Credo Lola, ta doida? Haha
Claro que tem que saber tudo isso... No meu último concurso, que podia mudar a minha vida, eu desci de escada (vao que fico presa no elevador) e sai e casa com antecedência suficiente para chegar a pé (tb era cerca de 3km) caso tivesse trânsito. Não fui de metrô, pq de metrô vc não tem como descer e acabar de chegar a pé.... Enfim, tem que se precaver. Ou não ficar reclamando depois. Se a culpa não é do atrasado, é de quem? O planejamento e preocupação ficam na medida do quanto vc se importa com a prova que está por fazer...

Anônimo disse...

Ah, lógico que é mto besta as pessoas ficarem paradas no portão esperando pra rir de quem se atrasa. Mas que o atraso era evitável em 99,99999% dos casos, isso é....

Anônimo disse...

A Valéria expressou tudo o que eu queria falar... Sei que há casos e casos mas a quantidade de pessoas beirando aos 30 que não sabem pegar um ônibus, acordar sozinho sem ter mamãe pra chamar e avisar que está na hora e/ou conferir o local de prova e fazer um planejamento básico do trajeto é assustadora. Já testemunhei incrédula o meu tio caçula revoltado com minha avó por ela se recusar a pagar o oitavo ano de cursinho, sendo que desses anos de vestibulando INTEGRAL ele perdeu três por atraso/sono/ressaca.

Anônimo disse...

Esse é só um dos motivos pq a esquerda não é mais levada a sério: mimimi para tudo. Eu ri foi muito da família evangélica que perdeu a prova pq parou pra rezar. A falta de pontualidade é cultural no Brasil. E tà em todos os níveis: tenho professor de faculdade que NUNCA chegou no horário certo pra uma aula sequer. Onde trabalho 3 já foram despedidos por sempre atrasar. Se é pra problematizar vamo mirar no problema.

Anônimo disse...

Vocês viram aquele vídeo de um pessoal que se reuniu pra cantar quando o portão fechasse? Aliás, hilário!!!

De boa gente, se até o pessoal da zueira consegue chegar antes do horário, quem se atrasou tem mais que se ferrar mesmo. Salvo raras exceções, se furou um pneu, sofreu um acidente, o resto é gente irresponsável mesmo, só reflete a falta de comprometimento dessa geração leite com pera que não sabe pegar um ônibus, se o papai não levar de carro na frente do local de prova, ficam perdidos.

Foi bom pra aprenderem, acho difícil que quem perdeu a prova esse ano por minutos perderá ano que vem. Fica a lição!