domingo, 27 de novembro de 2016

COMPARAÇÃO COM CUBA PROVA O GIGANTESCO FRACASSO DO CAPITALISMO BRASILEIRO

Reproduzo um excelente texto do professor de Filosofia e Psicologia da UFJF, Gustavo Castañon. O artigo foi publicado na Revista Língua de Trapo

"Vai pra Cuba!”
Coxa
Com a morte de Fidel o leitmotiv predileto da direita vai voltar à carga. Esse é a acusação de que a esquerda quer transformar o Brasil numa Cuba. É uma estratégia tão, mas tão desonesta, que é até difícil explicar o tamanho da desonestidade. Mas vou tentar.
Para começar, Cuba pode realmente ser ruim para mim, que sou de classe média alta, mas é para 100% de seus habitantes melhor do que o Brasil é para 90% dos seus. Esse não é um chute estatístico, mas uma estimativa conservadora. 75,9% dos brasileiros vivem com menos de U$10.000 ao ano enquanto 10% dos brasileiros abocanham 75,4% da renda nacional (1% abocanha 48%) [Credit Suisse – Research Institute. Markus Stierli. Outubro de 2015. Tabela 6-5, pág. 149, 17-10-2016]. A renda per capita em Cuba ajustada por poder de compra é de 20.611 dólares internacionais, enquanto a do Brasil antes da depressão econômica era de 15.893 dólares. O povo daquela ilha rochosa bloqueada é mais rico que o povo do continente Brasil. Essa é uma realidade chocante e geralmente desconhecida.
Ainda assim não quero ir pra Cuba, a não ser a turismo. Porque para mim a quantidade de liberdade é mais importante do que o pão. É claro, eu tenho pão. Bem mais do que isso, eu faço parte dos 10% de privilegiados brasileiros. Logo, sou mais livre aqui do que lá. Mas minha diarista certamente não. Que pena que ela não tem ideia do que realmente significa “Vai pra Cuba!”.
E é também por isso que não posso querer para mim uma sociedade moralmente monstruosa como os EUA, aquela plutocracia onde o último traço de democracia é uma relativa liberdade de expressão. Mas o Brasil, meu Deus, o Brasil é uma monstruosidade social tão maior, que querer que ele se transforme em algo parecido com os EUA é querer reformas de esquerda. 
Miséria no Brasil
Sim, na maioria dos aspectos, os EUA estão à esquerda do Brasil. No dia em que o Brasil tiver um salário mínimo como o dos EUA (U$7,25 por hora contra U$1,12), uma distribuição de renda como a dos EUA (gini 40,8 contra 54,7) [World Bank GINI index], uma lei de mídia como a dos EUA, a proteção às indústrias e agricultura local como a dos EUA, um estado do tamanho do dos EUA (14,6% da população empregada contra 11,1%), a direita vai poder alertar para o risco de ele virar uma Alemanha. Até lá, em vez de gritar: “A esquerda quer transformar o Brasil numa Cuba!”, deveria gritar: “A esquerda quer transformar o Brasil num EUA!”.
Se temos que acabar com o bem estar
social, podemos começar com as
corporações? E não com as nossas
crianças
E quando o Brasil ficasse parecido com os EUA, querer um governo de esquerda ia ser querer que o Brasil começasse a ter políticas de salvaguarda social mais parecidas com as da Alemanha, sua saúde pública, sua educação pública, suas políticas ambientais estreitas, sua carga tributária (40,6% contra 34,4% do Brasil) [Heritage Foundation "2015 Macro-economic Data” Index of Economic Freedom], seu imposto progressivo (quanto mais rico, mais imposto). E a direita deveria então gritar, se quisesse ser honesta: “Cuidado, a esquerda quer transformar o Brasil numa Alemanha!”
E então, quando o Brasil ficasse parecido com a Alemanha, a direita poderia alertar para o risco de virarmos uma Dinamarca. Aí, querer reformas de esquerda seria querer que mais da metade da renda fosse para os impostos (50,8%), que os filhos da elite fossem obrigados a estudar em escolas públicas, entre as melhores do mundo, que o estado empregasse mais de um terço da população (34,9%), bancasse dois anos de licença para criar um recém-nascido, limitasse fortemente a atuação das grandes corporações, fosse radicalmente democrático.
Finalmente, quando o Brasil ficasse parecido com a Dinamarca, o direitista poderia gritar sem hipocrisia seu terror com a Cuba que se avizinha, a do estado total e economia planificada, e assim disfarçar melhor sua inveja do funcionário público sob a máscara do ódio ao estado. Provavelmente nesse dia, até eu estivesse protestando a seu lado.
Se um homem tem uma casa cheia de
jornais, o chamamos de louco. Se uma
mulher tem uma casa cheia de gatos, a
chamamos de maluca. Quando pessoas
juntam tanto dinheiro que elas empo-
brecem outras, as colocamos na capa
da revista Fortune e fingimos que são
modelos a seguir
Na estratégia do espantalho cubano o reacionário brasileiro finge ser a favor da liberdade e do mérito, enquanto na verdade é contra. Contra a liberdade do povo, seus direitos trabalhistas, o investimento na educação e universidade públicas, o fortalecimento do SUS e a redução dos juros. Contra o aumento da carga tributária, do salário mínimo, do estado, da remuneração do professor básico, da distribuição de renda e das oportunidades para os excluídos.
Um conservador na Inglaterra é só um conservador. Um conservador no Brasil é um monstro. Um monstro que quer conservar as estruturas de um dos países mais desiguais e injustos do mundo.
Não, Cuba não é o paraíso. É só uma ilha rochosa no meio do Caribe sem recursos naturais de qualquer tipo e bloqueada economicamente há cinquenta anos. E, no entanto, garante saúde e educação universal para seu povo e tem um IDH maior que o nosso, nós, que somos um continente, nós, que temos todos os recursos naturais em abundância. Essa é a medida de nosso fracasso. O incrível e gigantesco fracasso do capitalismo brasileiro.

50 comentários:

Anônimo disse...

Discutir isso eh a mesma coisa que convencer uma pessoa que 1+1 sao 2 e a pessoa teima que eh 3.

Inocencia ou canalhice. Um dos 2

Anônimo disse...

O imbecil já começa se refutando:

"Para começar, Cuba pode realmente ser ruim para mim, que sou de classe média alta"

Ele acabou de dizer que Cuba é um país miserável. Ser classe média lá é IMPOSSÍVEL, segundo ele.

É um animal.

Wellington Fernando disse...

Acompanho as postagens do brilhante Gustavo Castañon no Facebook e em outros bons blogs de esquerda há algum tempo. Ele é uma das pessoas mais esclarecidas, lúcidas e cultas para falar sobre esse assunto. E mais uma vez ele mata a pau. Excelente texto.

Sobre o tema, eu diria que os nossos conservadores precisam deixar de ser ignorantes e maus-caracteres com aquele pensamento rançoso de equiparar social-democracia com o que eles acreditam ser o "comunismo". Social democracia é remédio. Reacionarismo, neoliberalismo e alienação midiática é que transformarão o nosso país em uma republiqueta das bananas.

Anônimo disse...

[repost]

Depois da morte do Fidel, a esquerda na mídia o recheou de vivas e honras, mas aí eu me pergunto, se a esquerda condena tanto o autoritarismo da direita, qual a lógica em abraçar os de esquerda? Os argumentos q a esquerda usa pra defender fidel e o regime cubano, por exemplo, não é nada diferente do q a direita usa pra defender as ditaduras militares, sempre cheias de justificativas, q só os "malandros" se deram mal, e q o país prosperou, etc. A mesmíssima dialética q os direitistas usam, é impressionante

Sendo assim, até quando a esquerda vai se achar melhor q a direita por ser "contra" autoritarismo? O debate político virou PURA guerra ideológica; democracia, liberdades individuais, direitos civis, isso tudo é segundo plano, o q vale mais é se o poder tem viés de esquerda ou de direita

Mais uma vez eu pergunto, a esquerda é contra a ditadura militar pq ela era uma ditadura, ou pq era um governo de direita? O q de fato incomoda nos esquerdistas? Pq pelo o q eu vi nos últimos dias, qualquer ditadura e falsa-democracia é justificável caso ela seja socialista; não se diferem EM NADA dos direitistas, eles pensam da mesma forma, sinal de q... sim, o debate político deixou de se pautar em princípios fundamentais: liberdade, democracia, estado de direito, etc., e virou a mais absoluta e PURA guerra ideológica, a esquerda (e a direita) não deixa mentir

Anônimo disse...

Embargo contra Cuba? Que embargo, se Cuba compra 70% dos seus alimentos dos EUA, e as remessas de dólares dos cubanos exilados compõem quase a metade das reservas externas de tal país?

Embargo? O tal embargo já não existe há décadas. E mesmo quando existia nunca impediu nenhum país do mundo de negociar com Cuba. Embargo não é BLOQUEIO: os EUA jamais impediram país algum de negociar com Cuba!

As empreiteiras brasileiras estão lá, construíndo porto de Havana. Tem um monte de dinheiro venezuelano, espanhol, argentino, chinês, brasileiro, etc por lá. E mesmo assim a ilha-prisão dos Castro continua sendo uma latrina, em que falta papel higiênico (a turma limpa com o Granma, o jornal do PCC, partido comunista cubano) e o povo só não foge de lá porque eles não deixam, senão eles iam governar para as plantas de tabaco e cana de açúcar.

Aliás, se o americano fosse esperto mesmo retirava o tal embargo, só pra acabar com o argumento estapafúrdio dos vermelhuxos latrino-americanos.

Anônimo disse...

A sáide publica cubanae tal taxa de mortalidade infantil baixa de Cuba é uma FRAUDE!

Em Cuba 95%, sim, NOVENTA E CINCO PORCENTO das crianças são registradas apenas após o primeiro ano de vida.

Qual é o ano de vida em que a taxa de mortalidade infantil é a maior?

O PRIMEIRO ANO DE VIDA!!! :)

Bacaninha esses cubanos né? ;)

E é assim que a tirania stalinista dos homicidas Castro constrói seus factóides… Fraudando os números e as estatísticas.

No mais, mudarei de opinião NA HORA sobre Cuba no dia em que vir balsas de imigrantes de toda a América, especialmente dos Estados Unidos, querendo se mudar para aquele “Paraíso na Terra”…

Anônimo disse...

Sobre o comentário: "Ele acabou de dizer que Cuba é um país miserável. Ser classe média lá é IMPOSSÍVEL, segundo ele. É um animal."

Bom, segundo o texto INTEIRO, que supostamente teríamos que ler para comentar aqui, ele disse que seria ruim para ele por ser de classe média ALTA, onde, mais uma vez, segundo o mesmo, se importa mais com liberdade do que com pão. E onde está a parte que afirma sobre a miserabilidade do país no texto? Fica mesmo fácil entender como se firma essa crença de que "a esquerda quer transformar o Brasil em Cuba" quando fica assim tão evidente a falta de capacidade para interpretação de texto dos "cidadãos de bem."

Anônimo disse...

Engraçado.

Vcs num sao tao fãs de cuba, socialismo, anti-capitalismo...

ENTAO PQ VCS NAO DAO O PRIMEIRO PASSO??? DEEM EXEMPLO PARA NÓS CAPITALISTAS.

Vc faz todo o discurso anti-capitalista e VIVE uma vida capitalista.

Vc mesmo se ilude.

Comecede de VOCE seu hipocrita.

Nao espere que a sociedade mude pra DEPOIS vc mudar.

SE DESCONSTRUA VC PRIMEIRO.
Ou ta com medinho?

Como vc quer me convencer de uma vida que vc diz que eh boa se VOCE MESMO nao pratica?

Wellington Fernando disse...

Parece que esse pessoal utópico defensor de democracias não quer entender o que acontece na América Latina. Eu desafio qualquer um a dizer aqui nos comentários em qual país da América Latina existe democracia. Diga o nome de pelo menos UM país onde exista democracia do México para baixo.

Aprendam de uma vez por todas que a questão aqui não é idolatrar ditaduras ou ditadores. O ponto central aqui é que é impossível, repito: é IMPOSSÍVEL existir democracia na América Latina enquanto os EUA continuarem nos tratando como uma colônia: como o quintal deles. Nenhuma pessoa em sã consciência acha que uma ditadura é algo maravilhoso ou ideal. Mas quando nós temos que escolher entre uma plutocracia, uma oligarquia, uma ditadura que gera miséria ou uma ditadura onde não há miseráveis, o que você acha que uma pessoa com o mínimo de empatia pelos outros seres humanos escolheria?

Fidel Castro era um homem que sonhava com uma democracia real, mas sabia que jamais poderia haver uma democracia em Cuba ou em qualquer país da América Latina enquanto as oligarquias norte-americanas existissem. Vocês acham mesmo que a Dilma Rousseff caiu por causa das "criminosas" pedaladas? E João Goulart, Salvador Allende, Arturo Umberto Illia e Fernando Lugo caíram porque o povo quis? Ora, os EUA e as oligarquias nacionais NÃO querem políticos nacionalistas e irão boicotá-los e derrubá-los sempre que possível. O único país de todas as Américas onde a plutocracia não manda é justamente Cuba, porque lá não há elites rentistas, banqueiros corruptos, lobby de megaempresários, juízes partidários e mídias corporativistas apoiadas pelo imperialismo.

Aqueles que ousarem defender a democracia na América Latina serão perseguidos, presos, exilados ou mortos. Veja o que está acontecendo com Maduro e com o Lula, por exemplo, enquanto a sujeira de FHC e demais tucanos é jogada para debaixo do tapete.

Isso não é uma questão de ideologia. Liberdade, democracia e Estado de direito são IMPOSSÍVEIS - utopias totais - na América Latina enquanto os donos do mundo continuarem a interferir na política dos nossos países.

Anônimo disse...

Lá vem a maluca defensora do indefensável em sua ululante fantasia comunista falar bem de Cuba novamente... e o pior é ela tentar nos convencer de que isso é bom. Tsk Tsk Tsk...
É de dar dó.

Anônimo disse...

(Viviane)
Quando li o título do post, achei que não era boa ideia a Lola insistir neste tema polêmico. Deixo claro que, embora me considere de esquerda (mais social-democrata do que socialista propriamente dita), não tenho opinião formada sobre Fidel Castro e o governo cubano.
Porém, a discussão está servindo para desnudar toda a pobreza de argumentos das "feministas de direita" que batem ponto aqui no blog. Só por isso, já agradeço à Lola pela diversão.

luluzinha disse...

Nossa cara! A ONU e a anistia Internacional reconhecem os índices de desenvolvimento humano de Cuba!

Wellington Fernando disse...

Não há outra maneira de se combater a miséria, a desigualdade e as injustiças senão através da luta. A corrupção não é o que causa a miséria, como devaneiam os incautos moralistas que bateram panelas contra a Dilma. O que causa a miséria e a pobreza é o tipo de política elitista e entreguista a que o nosso povo é submetido há séculos. Não devemos baixar a cabeça e aceitar o mesmo sistema, eleição após eleição, onde sempre quem vence é um candidato financiado pelos ricos para atender os seus interesses e (quase) nunca os do povo.

Enquanto isso, pessoas estão morrendo de fome, morando nas ruas, morrendo nas filas dos hospitais e dormindo em filas intermináveis para conseguir um emprego que as dê um mísero salário mínimo. Os nossos jovens – futuros professores, atletas, pensadores, cientistas e estadistas – estão morrendo assassinados na periferia ou de desnutrição e doenças. Isso, sim, é uma violência imposta pelos donos do sistema que nunca toleraram um segundo sequer de democracia. Afinal, que democracia é esta em que temos que uma grande mídia de proporções continentais (e financiada por multinacionais estrangeiras) dizendo na cara de pau com seus "especialistas" que o que é ruim para o povo é "bom para o povo" e que "medidas amargas" são necessárias? Uma mídia que manipula a opinião pública a favor de seus próprios interesses jamais permitirá democracia de qualquer tipo.

Aí vem um inocente qualquer dizer que Fidel Castro era um "ditador sanguinário". Não se pode fazer uma omelete sem quebrar alguns ovos. Não se pode vencer uma situação de desigualdade e opressão sem confrontar-se contra quem as impõe. E isso não é violência. Como disse o "facínora" Ernesto Che Guevara: "Violentos são os que impõem a desigualdade, e não os que lutam contra ela". Violência é ver nossas crianças e jovens morrerem como moscas por inanição devido a uma política excludente e desumana voltada para os interesses de uma classe dominante egoísta, imediatista, cobiçosa, ranzinza e parasita que não deixa o país ir para frente.

E no fim das contas, os inocentes dizem que o violento era Fidel, e não os homens que promovem diariamente miséria, desigualdade, fome e exploração em toda a América Latina.

Anônimo disse...

Weelington, só vc acha q toda essa sua apologia não é baseada em ideologia, ela é sim: "Os argumentos q a esquerda usa pra defender fidel e o regime cubano, por exemplo, não é nada diferente do q a direita usa pra defender as ditaduras militares, sempre cheias de justificativas, q só os "malandros" se deram mal, e q o país prosperou, etc. A mesmíssima dialética q os direitistas usam"

Vc admira cuba pq lá tem alguns avanços, e ainda como se fosse o único país no mundo a ter o mínimo, mas a direita tb tem do q se orgulhar de avanços em suas ditaduras, e aí, eles estão mais certos ou mais errados q vc?

Ser um país imperialista ou dominado por um, é uma ideologia tão válida quanto ser contra isso, então pq vc acha q uma política só é legítima se for antítese dos U$$$A? estar alinhado com o "imperalismo yankee" tb traz benefícios, tantos ou mais q outras nações ~antimperislistas~, só ver o modo como a venezuela está agonizando

B. disse...

"Violência é ver nossas crianças e jovens morrerem como moscas por inanição..."

Ah, tá!

E em Cuba tudo é lindo né? Passar forme é lindo né? Ah, lembrei, não se faz omelete sem quebrar ovos, ok, foda-se que morra gente fuzilada.

Anônimo disse...

Oh Lola, pára que tá feio! Defender ditadura e tirania só porque é da esquerda Lola? Que feio!

Anônimo disse...

E isso não é violência. Como disse o "facínora" Ernesto Che Guevara: "Violentos são os que impõem a desigualdade, e não os que lutam contra ela". Violência

Será que ele disse isto quando deu um tiro na nuca decum menino de 12 anos por considera lo filho da burguesia? Pierre San Martin era o nome dele.

Anônimo disse...

Os índices sobre a saúde cubana cedidos a ONU são de autoria do próprio governo cubano. E a anistia internacional condena Cuba há décadas pelos presos políticos.

Anônimo disse...

para o wellington, quem mora na américa latina "não tem moral" pra criticar fidel castro, kkkkkk

quem teria então? norte-americano e europeu? nossa, isso me soa tão elitista

Anônimo disse...

Quero que a desigualdade se lasque, estou indo no shopping comer fastfood que ganho mais.

Wellington Fernando disse...

Anôn. 10:42, a Venezuela só está agonizando por conta da interferência das políticas estadunidenses naquele país. Essa desestabilização é feita de propósito pelos EUA com o objetivo de surrupiar as riquezas naturais daquele país. Nada de novo nisso.

E – reitero pela enésima vez – isso não é uma questão ideológica. A ditadura militar brasileira, que matou, torturou e perseguiu esquerdistas tinha um cunho nacionalista e um plano de desenvolvimento real para o país. Mesmo ditaduras de direita podem ser boas sob certos aspectos e não é errado defendê-las. O que estou a falar insistentemente aqui é que JAMAIS um país se desenvolverá enquanto houver outros países grandes controlando a sua economia, roubando seus recursos naturais, sugando suas riquezas e derrubando seus chefes de Estado impunemente. Eu sou capaz de votar e até apoiar um nome de direita, desde que ele se preocupe com o nosso país e o nosso desenvolvimento ao invés de ser um capacho dos EUA que destrói o próprio país.

Sim, só é possível política em um país se ele for um país, e não uma colônia. Uma colônia não é um país: é um pedaço de terra sem autonomia a ser saqueado e explorado. Ser dominado por outro país não é ideologia política, é colonialismo.

B. disse...

"Essa desestabilização é feita de propósito pelos EUA com o objetivo de surrupiar as riquezas naturais daquele país."

Na dúvida, culpe os EUA. Daqui a pouco vão dizer que foram os "EUA" que afundaram o Titanic...

Anônimo disse...

Nossa! Como vc é esperto heim?Tem certeza de que está ganhando mais? Sério, pense bem. Existe alguém ganhando "muito mais" com sua apatia. Mas garanto que não é vc.

Anônimo disse...

cem vezes uma plutocracia oligárquica a uma ditadura socialista, ao menos na primeira há liberdade e os mínimos direitos civis respeitados

Anônimo disse...

Lolinha ainda tentando Romantizar essa figura execrável, só porque é do mesmo viés ideológico que o seu ?, ditadura boa é a da minha ideologia ??? como bem disse um articulista

"Não, Fidel Castro não foi um personagem complexo, polêmico, controverso ou qualquer outro eufemismo que se escolha para absolvê-lo. Fidel era simples. Foi, tão-somente, um tirano sanguinário, o ditador mais longevo na história da América Latina.

Seu governo foi responsável, somando apenas os registros comprovados pelo projeto Cuba Archive, por no mínimo 7.062 mortes até o final de 2014, dentre as quais 3.116 execuções por pelotão de fuzilamento, 1.166 assassinatos extrajudiciais e 1.010 mortes em tentativas de fuga da ilha.

É um número pequeno perto das estimativas de organizações de defesa dos direitos humanos, que falam em no mínimo 15 mil assassinados pelo regime castrista. Na América Latina, a ditadura sanguinária mais próxima do regime de Fidel em Cuba foi o Chile de Pinochet, onde os registros oficiais falam em 3.065 mortos – embora o governo tenha reconhecido mais de 40 mil.

Isso não inclui a censura à imprensa, a perseguição aos homossexuais, a crueldade com os balseiros, a tortura nas prisões, a proibição da internet e o empobrecimento da população – forçada a trabalhar num regime econômico fechado, estatista e dependente da boa vontade de aliados de ocasião, primeiro União Soviética, depois Venezuela

Se você se vê diante de alguém que consegue falar do “outro lado” de Fidel, de sua “determinação”, de seus “sonhos”, de sua “coragem”, saiba estar na presença de um ser desprovido de capacidade racional, tal como os fundamentalistas islâmicos ou os nazistas alucinados.

Ninguém falaria do “outro lado” de Hitler, ou se o fizer, como já fez Lula, então é prova de sua própria psicopatia. Nada, absolutamente nada justifica um Hitler, como nada justifica um Fidel Castro. Foram monstros assassinos, frios e cruéis, implacáveis, dispostos a praticar genocídio para permanecer no poder. Quem alivia a barra desses tiranos só para alimentar seu ódio e sua inveja aos americanos precisa de uma terapia urgente, pois sofre de caso agudo de patologia."

Para que ta feio miga !!!

Anônimo disse...

errado Wellington, também é ideologia, imperialismo é um projeto político tão válido quanto o seu socialismo ditatorial, não adianta achar q só a sua visão de mundo em q tudo se resume a ser antítese de alguma outra nação é a única correta, a alienação fidelista corroeu teu cérebro?

e eu achei q a ditadura militar de 64 foi plantada pelos U$A, ué, uma hora a ditadura militar tinha um plano nacionalista, na outra fazia parte de uma conspiração norte-americana, vcs precisam decidir, quanta esquizofrenia argumentativa

e q bom q vc finalmente admitiu q apoia ditaduras contanto q ela siga a ideologia q vc achar melhor, não vale reclamar depois quando os direitistas fizerem o mesmo em relação a ditadura militar no brasil, na argentina, no chile, na espanha, na itália fascista e na alemanha nazista

hitler tb acreditava nessa ideia de nacionalismo a qualquer custo, deus me livre, prefiro ter liberdade, e bin laden tb foi outro q lutou bravamente contra o "império", pq a esquerda não faz homenagem pra esse "herói" tb

Anônimo disse...

Qualquer pessoa em sã consciência estando diante das opções:

A) Plutocracia, oligarquia e imperialismo
B) ditadura socialista

Vai preferir a primeira sem pestanejar, só os comunistas acham q não, vivem numa bolha e realmente acreditam q o povo é antiamericano igual a eles, aliás, minto, eles sabem muito bem q a população rejeita a utopia socialista, então precisam invocar ditaduras, pq é a única forma de terem um governo q se alinhem com a ideologia q defendem

Na primeira oportunidade q o povo cubano tiver de escolher, vão preferir ser "colônia" dos estados unidos, o fidel sabia bem disso, e como acreditava q a ideologia estava acima de qualquer coisa, foi capaz de ser contra o próprio povo, contra a liberdade do próprio povo, pra manter seu governo durante décadas a qualquer custo. fidel, assim como os seus apologistas e defensores, não se importam com o povo, e sim com a ideologia, pq o povo mesmo rejeita o comunismo, e ao q parece, a esquerda fidelista jamais vai respeitar a autonomia popular

Anônimo disse...

"sou capaz de votar e até apoiar um nome de direita, desde que ele se preocupe com o nosso país e o nosso desenvolvimento ao invés de ser um capacho dos EUA"

Vc votaria no Hitler? Ou no Osama bin Laden? Dois "heróis" q lutaram corajosamente contra os États-Unis

Anônimo disse...

"O grande acerto da Revolução Castrista foi ter acabado com a burguesia, e é o grande problema nacional nosso, ali após a revolução Fidel ainda tentou compor com setores da burguesia nacional, mas esses começaram a minar à revolução para entregar Cuba de novo ao domínio estrangeiro, portanto, os paredões se justificam naquele momento e a manutenção do regime." Esse foi um comentário feito no post anterior. Então, por essa mesma lógica, se justifica defender a morte de assassinos e estupradores, por exemplo, para defender a população brasileira atualmente assolada pela violência? Mas não são vocês esquerdistas que são contra a pena de morte? Para vocês a frase "bandido bom é bandido morto" está errada, mas no caso em questão, "burguês bom é burguês morto", pode? Então, para defender a ideologia, vale tudo, até mesmo ser favorável à pena de morte? Hipocrisia pouca é bobagem, não é mesmo?!!!! Ditadura é ditadura, não importa se é de direita ou de esquerda. Ambas são um desastre! FATO!

Anônimo disse...

Se "75,9% dos brasileiros vivem com menos de U$10.000 ao ano enquanto 10% dos brasileiros abocanham 75,4% da renda nacional."

Ou seja, o PT mentiu quando disse o número de miseráveis e agora a maioria dos brasileiros vive na Classe Média. O Brasil nunca saiu do mapa da fome.

E quanto à Cuba?
De acordo com o Anuario Estadístico de Cuba 2014, o salário médio mensal no país, que era 455 pesos cubanos em 2011, subiu para 584 pesos cubanos em 2014.

Porém, qual o valor de um peso cubano? Para os turistas, e exclusivamente para os turistas, um peso cubano conversível vale um dólar. Isso significa que o turista que chega com um dólar é obrigado a trocá-lo por um peso cubano. Mas, para os habitantes da ilha, que não têm acesso a esse mercado controlado pelo governo, o câmbio é outro: atualmente, 26,5 pesos cubanos equivalem a um dólar.

Ou seja, o salário médio em Cuba equivale a 22 dólares mensais — ou R$ 75 mensais; enquanto isso, no Brasil, o salário médio nominal está em R$ 2.231.

Os salários médios mais baixos estão na indústria hoteleira (377 pesos cubanos, ou R$ 49) e os mais elevados estão na indústria açucareira (963 pesos cubanos, ou R$ 124). Os salários do setor educacional são inferiores à média (527 pesos cubanos, ou R$ 68) e os do setor de saúdes, superiores (712 pesos cubanos, ou R$ 92).

Logo, quem trabalha na indústria hoteleira recebe US$ 14,20 mensais e quem trabalha no setor educativo, menos de US$ 20 mensais.

E vale ressaltar que estes são os salários médios de cada setor: ou seja, há muitos cubanos recebendo valores consideravelmente menores do que esses.

O próprio governo castrista já faz esse serviço para nós. Dado que a imensa maioria dos preços é completamente controlada pelo governo, podemos saber em primeira mão quanto custam determinados produtos básicos recorrendo às resoluções do Ministerio de Finanzas y Precios, que é o órgão que estipula os preços dos bens de consumo em Cuba.

Sendo assim, de acordo com a resolução 95/2014, um pedaço de pão de 130 gramas custa 3,25 pesos cubanos. Já uma dúzia de ovos custa, segundo a resolução 61/2011, 13,2 pesos cubanos. Um quilograma de leite em pó, segundo a resolução 165/2014, custa 175 pesos. Uma lata de extrato de 440g de tomate custa 8,1 pesos (resolução 38/2013). Um quilo de peito de frango custa 119,25 pesos. E um litro de iogurte natural, 29,15 pesos (resolução 214/2012).
(cont.)

Anônimo disse...

(continuação)
Ou seja, o salário médio da população cubana — atenção, estamos falando do salário médio de toda a população (que no Brasil é de R$ 2.231) e não apenas de um salário mínimo — permite que ela adquira, mensalmente, 20 pedaços de pão, três dúzias de ovos, um quilograma de leite em pó, dez latas de extrato de tomate, um quilo de frango e um litro de iogurte natural.

No entanto, é claro que nem só de alimentos básicos vive o homem. Sendo assim, convém conhecer os preços de outros bens que, no Ocidente, já são considerados essenciais: uma caixa de fósforos custa 1 peso (resolução 51/2013); uma mensagem de texto de celular (o SMS) chega a 2,3 pesos, e uma hora de internet custa 53 pesos (preços oficiais da empresa estatal ETECSA cotados em "peso cubano conversível", o qual vale um dólar).

Já uma saboneteira custa 75 pesos (resolução 80/2011). Um creme dental, 4 pesos (resolução 78/2014). Um tambor de detergente de 2,5 quilogramas, 119 pesos. Um aparelho de rádio, 321 pesos.

E uma televisão de 29 polegadas, 9.275 pesos (resolução 214/2012).

Vale enfatizar: uma televisão equivale a nada menos que 16 meses de trabalho.

Em suma, as condições de vida em Cuba são totalmente miseráveis. E não, não são miseráveis por causa do embargo americano, mas sim porque o socialismo gera pobreza. O embargo nunca impediu Cuba de transacionar com nenhuma empresa de outro país. Com efeito, as importações cubanas chegaram, em 2013, 6,72 bilhões de dólares (8,7% de seu PIB).

Cuba é pobre porque é socialista. E socialismo é pobreza.

midia.edu disse...

Animal é você.
1°) Quem escreve é a Lola, uma mulher, que tem opinião e pensamentos. Sim, MULHER!

2°) O ponto não é ocultar nem defender os privilégios desta sociedade desigual e sim reconhecer, mostrar mesmo!

Leia o artigo inteiro e não descontextualize, seja lá quem você for!

Wellington Fernando disse...

Anôn. 13:17 - O imperialismo é um projeto político para as metrópoles. Mas para as suas colônias, é um projeto de escravidão econômica e ideológica: é uma síndrome de Estocolmo.

Sim, a ditadura militar de 64 foi apoiada pelos EUA devido ao clima tenso da Guerra Fria, mas nem por isso os militares cederam a tudo. Com todos os problemas e restrições a liberdades, os militares não entregaram nossas estatais a preço de banana e nem os nossos recursos naturais às multinacionais estrangeiras. Entregar todas as riquezas e deixar a população morrer de inanição na miséria extrema não é ideologia coisa nenhuma: é a destruição total de uma nação.

Não é possível optar entre imperialismo e "ditadura socialista". Só existe opção de escolha na América Latina se você estiver disposto a fazer revoluções, coisa que só foi possível em Cuba. Que escolha temos no Brasil? Aqui temos que optar entre plutocracia ou... plutocracia. Não existe democracia aqui. Escolha há em países onde realmente há democracia, como nos países escandinavos, na Europa, na Austrália e no Canadá onde há democracia real e as pessoas podiam optar entre liberalismo ou social democracia. Na América latina não existe essa liberdade. Aqui, livre mercado e bem-estar social são inimigos da nossa burguesia subalterna aos ianques.

Ah, então você se acha livre? Que liberdade é essa onde você pode perder a sua casa se não pagar o IPTU? Que liberdade é essa onde você precisa pagar para ter uma saúde de qualidade? Que liberdade é essa onde seus filhos só têm ensino de qualidade se pagar? Isso porque você não tem ideia do que é "ter a liberdade" entre morrer de fome, catar comida no lixo ou roubar uma lata de leite para dar para o seu filho.

Anônimo disse...

Lola vc ficará nesse assunto até quando?

Wellington Fernando disse...

Anôn. 13:30 - Vai lá perguntar pro povo cubano o que eles preferem. Se foram contra Fidel, por que a Revolução Cubana foi apoiada por grande parte da população? Você conhece a história de Cuba? Conhece as eleições que ocorrem em Cuba? Conhece a opinião do povo sobre Fidel?
---/---

Anôn. 14:19 - Sua cínica questão só mostra a sua pobreza de argumentação. Você está fugindo do tema. Enxergar Hitler como herói era algo comum na Alemanha dos anos 1930 que foi humilhada com o Tratado de Versalhes e estava sob forte crise. Para as pessoas comuns da Alemanha daquela época, Hitler era retratado como a única esperança. Lógico que Hitler não tem como ser apoiado sobre nenhum ponto de vista na nossa época, mas para as pessoas daquela época, naquele contexto histórico, Hitler era, sim, um "herói". Bin Laden seguiu por caminhos diferentes e não era um líder respeitado em seu país.

Além disso, só para ficar claro, eu não odeio os EUA: eu amo e respeito os EUA mais que todos esses coxinhas que querem morar lá. O que eu reprovo é a política externa norte-americana que é controlada por suas oligarquias.

Anônimo disse...

"A ditadura militar brasileira, que matou, torturou e perseguiu esquerdistas tinha um cunho nacionalista e um plano de desenvolvimento real para o país. Mesmo ditaduras de direita podem ser boas sob certos aspectos e não é errado defendê-las"

sim, e a alemanha nazi fez a mesma coisa

então é correto defender o nazismo segundo o wellignton, afinal, td se resume ao nacionalismo e o quanto o meu país é contra os estados unidos; sobre esta égide, tudo se justifica, até o estado mais totalitário e genocida, vide o 3º reich, a ditadura militar e o regime castrista, entre outras

Anônimo disse...

(Viviane)
Ué, anon de 13h08, copiou o texto inteiro e não citou a fonte? Ficou com vergonha? Pois aqui está, graças ao Google: http://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/por-que-o-fascinio-com-o-tirano-fidel.html

Essa Globo... nunca decepciona...

Anônimo disse...

"Você está fugindo do tema"
e vc fugiu da pergunta, nem respondeu ela, seu patife

"Lógico que Hitler não tem como ser apoiado sobre nenhum ponto de vista na nossa época"
e o fidel castro por acaso tem? sendo q os dois são dois lados da mesma moeda, só mudam os extremos, um era de extrema-direita e ou outro de extrema-esquerda, bem disse Einstein com aquela teoria de q os extremos se convergem

Anônimo disse...

16:00 vc acha q liberdade é ter saúde pública e casa pra morar, rapaz? isso não é liberdade, isso é subsistência

Liberdade é poder ter eleições diretas, é eu poder expressar uma opinião sem sofrer represália do governo, ter liberdade de abrir um negócio e não ser um eterno dependente do estado, ter uma imprensa livre e o direito ao conhecimento, não ser um preso político e nem por alguma outra razão como orientação sexual, religião ou ideologia política, entre outras coisas, nada disso tem em cuba, muito menos na coreia do norte, ou em qualquer outra ditadura socialista

Isso pq eu usei o conceito mais básico de "liberdade", e mais uma vez, não adianta ficar apontando os "erros" dos outros países pra justificar a sua ideologia, vê se cresce

Só pq o brasil tem duas ou três opções ruins de candidatos políticos, não é sinal de q eu tenha q aprovar as opções mais do q péssimas de cuba, q aliás, nem são "opções" no plural, mas sim opção, no singular, pq é apenas uma ÚNICA OPÇÃO RUIM, se comparar com o brasil, ainda estamos no lucro, pq aqui ainda tem mais de uma

Se o povo "apoia" tanto a ditadura socialista de cuba, pq lá não tem eleição direta pra presidente? pq não pode ter mais de um partido? pq lá a internet e a mídia não são livres? só coisas de uma democracia básica.
Tem certeza q a dinastia castro é tão segura assim com o seu governo? eu acho q não

E pra terminar: "Aqui temos que optar entre plutocracia ou... plutocracia", tá... ok; e vc acha q os cubanos estão melhores, pq lá eles podem optar entre: ditadura socialista ou... ditadura socialista?

Anônimo disse...

"Escolha há em países onde realmente há democracia, como nos países escandinavos, na Europa, na Austrália e no Canadá onde há democracia real"

Wellington, filhote, se esses países são tão bons e democráticos (e são mesmo, eu concordo), pra quê ficar defendendo a ditadura cubana? Garanto q nenhum desses países [realmente] democráticos citados por vc, nenhum deles endossam o regime castrista. Vc quer puxar o saco da social-democracia nórdica, sendo q ela é exatamente o oposto do socialismo ditatorial de cuba, vc se contradiz demais

E ainda diz q no brasil temos q optar entre "plutocracia e plutocracia" (até prefiro, ao invés de uma ditadura socialista a lá cuba e coreia do norte), mas em cuba (e coreia do norte, et caterva) eles só optam entre 'ditadura socialista e ditadura socialista', vc acha mesmo q eles estão melhores do q a gente?

Anônimo disse...

Fidel Castro era um GENOCIDA

outros genocidas conhecidos:
Hitler, Stalin, Winston Churchil, Brusho Jr., Brusho Sr., donald trAmp (muito provavelmente), Rei Davi, Alexandre o Grande, Saddam Hussein, Mao Tsé Tung, King Jong Un, Augusto César, João Calvino, Josué (da bíblia), entre outros

Percebam tb q os maiores genocidas da história, como os q eu citei, eram omens, não dá pra esperar nada melhor vindo dessa escória, o sexo masculixo

Leonardo Vieira disse...

So avisa para o nosso amigo que nos últimos 14 anos nos vivemos sobe o comando de um governo de esquerda, que disse que iria tirar o pobre da miséria mais os únicos que eles tiraram da miséria foi a família do lula.

E interessante esse conceito de boa educação, eles podem ter sim uma boa educação, mais me responde uma coisa, para usar a onde se em cuba não tem indústria nem comercio, deve ser nas plantações ou os hotéis que são as únicas coisas que tem por la. Eu fico pensando por que tem tanta gente querendo fugir do paraíso afinal e um pais tão bom para a sua população.


Sabe o que a morte do Fidel representa, mais um golpe( por mais que simbólico)na esquerda latino-americana, kkkk vocês caminham a passos largos para extinção...

Como eu disse e um outros post o inverno chegou para ficar meu amigos de esquerda.

Anônimo disse...

"Não há outra maneira de se combater a miséria, a desigualdade e as injustiças senão através da luta. A corrupção não é o que causa a miséria, como devaneiam os incautos moralistas que bateram panelas contra a Dilma. O que causa a miséria e a pobreza é o tipo de política elitista e entreguista a que o nosso povo é submetido há séculos. Não devemos baixar a cabeça e aceitar o mesmo sistema, eleição após eleição, onde sempre quem vence é um candidato financiado pelos ricos para atender os seus interesses e (quase) nunca os do povo.

Enquanto isso, pessoas estão morrendo de fome, morando nas ruas, morrendo nas filas dos hospitais e dormindo em filas intermináveis para conseguir um emprego que as dê um mísero salário mínimo. Os nossos jovens – futuros professores, atletas, pensadores, cientistas e estadistas – estão morrendo assassinados na periferia ou de desnutrição e doenças. Isso, sim, é uma violência imposta pelos donos do sistema que nunca toleraram um segundo sequer de democracia. Afinal, que democracia é esta em que temos que uma grande mídia de proporções continentais (e financiada por multinacionais estrangeiras) dizendo na cara de pau com seus "especialistas" que o que é ruim para o povo é "bom para o povo" e que "medidas amargas" são necessárias? Uma mídia que manipula a opinião pública a favor de seus próprios interesses jamais permitirá democracia de qualquer tipo.

Aí vem um inocente qualquer dizer que Fidel Castro era um "ditador sanguinário". Não se pode fazer uma omelete sem quebrar alguns ovos. Não se pode vencer uma situação de desigualdade e opressão sem confrontar-se contra quem as impõe. E isso não é violência. Como disse o "facínora" Ernesto Che Guevara: "Violentos são os que impõem a desigualdade, e não os que lutam contra ela". Violência é ver nossas crianças e jovens morrerem como moscas por inanição devido a uma política excludente e desumana voltada para os interesses de uma classe dominante egoísta, imediatista, cobiçosa, ranzinza e parasita que não deixa o país ir para frente.

E no fim das contas, os inocentes dizem que o violento era Fidel, e não os homens que promovem diariamente miséria, desigualdade, fome e exploração em toda a América Latina."

nossa.nunca vi um discurso tão demagogico e sujo como esse.De longe esse é o comentario mais podre desse post.

"Aí vem um inocente qualquer dizer que Fidel Castro era um "ditador sanguinário". Não se pode fazer uma omelete sem quebrar alguns ovos."Quer dizer então que voce e a favor da matança desenfreada que ele promoveu?

"E no fim das contas, os inocentes dizem que o violento era Fidel, e não os homens que promovem diariamente miséria, desigualdade, fome e exploração em toda a América Latina."

Claro.afinal,os comunistas,os socialistas,a esquerda,o whatever, são todos "santos" e só querem o poder para fazer o "bem ao povo".

"Não devemos baixar a cabeça e aceitar o mesmo sistema, eleição após eleição, onde sempre quem vence é um candidato financiado pelos ricos para atender os seus interesses e (quase) nunca os do povo."

também acho.por isso,sou a favor da lava-jato.voce sabia que o pt tava sendo financiado por gente rica para atender aos seus interesses?

risos eternos de voces de esquerda.voces se tornaram uma piada.

Wellington Fernando disse...

Anôn. 16:21 - Onde que eu disse que é correto defender o nazismo? Coisa feia esse espantalho aí.

---//---

Anôn: 19:03 - Sobre apoiar Fidel, não o compare com Hitler, isso é desonesto de sua parte. Fidel foi um humanista. Por acaso a ONU alguma vez lamentou pela morte de Hitler? Pois a ONU lamentou a morte de Fidel e reconheceu solenemente a sua importância como líder de seu país. Vários líderes mundiais, incluindo o presidente Barack Obama, trataram sua morte com respeito. Mandela, vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1993, fez vários discursos fervorosos em respeito ao humanismo de Fidel. A violência do regime castrista teve seu ápice no início da Revolução porque eles estavam em guerra civil contra uma ditadura. Acha que é possível fazer uma revolução com flores e versos?

---//---

Anôn. 19:24 - Viu, você concordou que nem nós e nem os cubanos temos liberdade de para escolher o nosso próprio sistema. Além disso, você também está usando os "erros" de Cuba para justificar isso que você entende por "liberdade".

---//---

Anôn. 19:36 - Em momento algum eu disse que Cuba é um paraíso na Terra a ser copiado. Sou da escola keynesiana e o sistema mais próximo do ideal é, para mim, a social democracia. O problema é que a nossa classe dominante não quer social democracia, nossos políticos também não querem e as oligarquias norte-americanas menos ainda. O que querem implantar aqui a pulso é corporativismo e neoliberalismo. E o único jeito que os latino-americanos têm de se livrar disso é fazendo uma revolução. Nos países escandinavos, as elites de lá não são imediatistas, egoístas e ranzinzas como as nossas e permitiram o desenvolvimento pleno do país. O que temos no Brasil é um 'socialismo dos ricos'.

---//---

Anôn. 21:41 - Minha avó já dizia que a árvore que mais leva pedrada é justamente a que mais dá fruta. Seu comentário mostrou isso de certa forma. Falando nisso, você assistiu o último vídeo do Tio Rei no site da Veja? Lá você vai ler comentários "lindos", "limpinhos" e "cheirosos" do jeito que a direita brasileira adora.

Anônimo disse...

"Se um homem tem uma casa cheia de
jornais, o chamamos de louco. Se uma
mulher tem uma casa cheia de gatos, a
chamamos de maluca. Quando pessoas
juntam tanto dinheiro que elas empo-
brecem outras, as colocamos na capa
da revista Fortune e fingimos que são
modelos a seguir"

Texto perfeito!!!
Fidel juntou milhões em fortuna enquanto empobrecia as pessoas.

Anônimo disse...

"você concordou que nem os cubanos tem liberdade para escolher o próprio sistema"

"em momento algum eu disse que Cuba é um paraíso na Terra a ser copiado"

admitiu q o regime castrista é uma droga e completamente falido

Anônimo disse...

a) As pessoas tem que entender uma revolução não se faz distribuindo flores.

b) Se Fidel não tivesse tomado o poder hje Cuba seria um Haiti melhorado.

c) Fidel processou a revista Forbes sobre o fato dele ser milionário e ganhou

Anônimo disse...

" Sobre apoiar Fidel, não o compare com Hitler, isso é desonesto de sua parte. Fidel foi um humanista. Por acaso a ONU alguma vez lamentou pela morte de Hitler? Pois a ONU lamentou a morte de Fidel e reconheceu solenemente a sua importância como líder de seu país. Vários líderes mundiais, incluindo o presidente Barack Obama, trataram sua morte com respeito"

Wellington Fernando voce so pode ser um humorista.tipo gregorio duvivier,que não tem graça nenhuma.mas todo mudo chama de humorista por pena.Cara,o fato de haver um certo respeito de orgaos internacionais e representantes politicos sobre a morte do fidel,foi um mera formalidade.voce já ouviu falar de diplomacia?pois é.Ate o Michel Temer,que voces chamam de golpista,"lamentou" a morte do ditador cubano.no fundo,todo mundo comemorou a morte dele.

Rafael Cherem disse...

Curioso que no país de chacinas diárias, campeão de acidentes de trânsito, prisões, trabalho escravo, acidentes de trabalho, mortes por arma de fogo, há tanta preocupação com direitos humanos e preocupação com prisões arbitrárias e execuções no país alheio,e justamente Cuba, vou dar uma dica para vocês, as cadeias brasileiras estão cheias de prisões arbitrárias, o país está lotado de execuções sumárias, falam de Cuba como se aqui fosse um exemplo de civilidade e nação desenvolvida, fosse exemplo até de um capitalismo vibrante, lastreado na livre-concorrência(cof,cof) e na meritocracia.

Falam de Fidel como se o representante atual da direita brasileira não exaltasse um torturador sanguinário em pleno Congresso, como se nossas eleições fossem para valer e não uma legitimação dos escolhidos pela elite financeira do país.

Não podemos dar lições,infelizmente

Arthur Nathan disse...

Nossa...já que você citou a bíblia(josué) ,como contra exemplo,Jesus também seria válido, certo?! Não só ele mas diversos outros personagens bíblicos que pregaram a tolerância e amor ao próximo, existem pessoas e pessoas, tão ruim quanto o machismo é esse feminismo radical