quarta-feira, 30 de novembro de 2016

MASTERCHEF CONTRA O MACHISMO DOS CHEFS. VAI, DAYSE!

Hoje fiquei boa parte do dia no Twitter tuitando sobre aborto, já que duas hashtags continuam dominando as redes sociais, #AbortoNão e ABORTO SIM. Tudo devido à decisão do STF de que abortar até o terceiro mês de gestação não é crime. Há muita desinformação sobre o tema, e quero publicar um guest post o quanto antes. 
Cuidado: homens honrados, cidadãos
de bem super honestos trabalhando
E tem gente de esquerda falando, até com uma certa dose de razão, que não é adequado discutir este tema agora que Brasília está pegando fogo, que a PEC 55 foi aprovada no Senado, o que certamente afetará a vida da maior parte das mulheres (e dos homens) no Brasil. Sim, o momento é gravíssimo, não há dúvida. Se alguém quiser me enviar um texto sobre o cenário político, publico também, claro.
Agora estou sem tempo para escrever, e queria tratar de um assunto fútil: o MasterChef Brasil. Eu gosto muito desse programa, que na verdade é praticamente a única coisa que assisto na TV. Esta edição, com cozinheiros profissionais, estava um tanto morna. Mas o machismo esquentou o programa!
Até o maridão (ok, "até o maridão" é injusto, porque ele é bem antenado) disse ontem que nunca viu um machismo tão explícito, tão na cara (veja este vídeo com uma breve compilação).  
E, antes de entrar no tema, só alguns adendos: o mundo da alta gastronomia é extremamente machista. 90% dos chefs são homens. É aquele negócio: cozinheira é mulher, chef é homem; costureira é mulher, estilista é homem. Em outras palavras: o que é valorizado e bem pago é "trabalho de homem", o que é algo do dia a dia, sem remuneração ou com remuneração baixa, é "trabalho de mulher". Nenhuma novidade nisso.
Por isso sempre me incomodou no Masterchef Br que, quando chamam chefs especialistas para ensinar uma receita aos competidores ou para julgá-los, o especialista é homem. Creio que em quatro edições do programa, houve uma, no máximo duas chefs especialistas mulheres (corrijam-me se eu estiver errada). Não estou falando da Paola, que é maravilhosa como chef e como ser humano, e que está sempre lá. Estou falando dos especialistas.
Não é à toa que, nos programas anteriores, que destacam chefs amadores, ou gente que sonha em mudar de ramo e virar chef, sempre há muitas mulheres entre as competidoras (e as duas primeiras versões foram vencidas por elas). Mas, nesta edição, como se trata de profissionais, de gente que já atua no mercado, e como o mercado é 90% masculino, havia no começo sete mulheres, e nenhuma delas, tirando Dayse, se destacou muito. 
Dayse foi conquistando os jurados e o público. Insegura, ela sempre acha que vai se dar mal, e acaba surpreendendo. Num dos episódios, ela foi emparceirada com Ivo e Dario, e eles a deixaram de lado. Quando ela reclamou, Ivo falou pra ela pegar uma vassoura. A edição do programa incluiu uma cena de Paola balançando a cabeça, indignada. 
Creio que o MasterChef vem fazendo um excelente trabalho de denunciar o machismo, e o episódio de ontem foi exemplar. Haviam quatro competidores: Ivo, com tanta experiência, e que já havia, inclusive, sido chefe de Dayse; dois jovens ousados e moderninhos, Dario e Marcelo, e Dayse, obviamente a zebra. Na primeira prova, que não era eliminatória, cada um tinha que preparar um ingrediente com três técnicas diferentes. Marcelo escolheu a banana e usou até a casca, e venceu por sua audácia e criatividade. Dayse ficou em segundo lugar. O que ela preparou com milho também agradou. 
Com a vitória, Marcelo se classificou para a semifinal e pode escolher qual ingrediente cada um dos competidores iria usar. A prova era "surf and turf", comida que eu não comeria nem que me pagassem, que junta carne com frutos do mar (eu não como nada que venha do mar). Um dos ingredientes, considerado o mais difícil de integrar com algo do mar, era a fraldinha. Foi esse que Marcelo escolheu para Dayse, deixando claro nas entrevistas que seu objetivo era que ela fosse eliminada. 
A edição foi primorosa, mostrando toda a animosidade de Marcelo. Não restou dúvida que grande parte desse ódio que ele tem por Dayse é por ela ser mulher. Ele vai dizer que não, que é por ela ser incompetente, mas ele parte do princípio (totalmente equivocado) que ela é incompetente por ser mulher. 
E eis que Dayse preparou o melhor prato, venceu a prova, e está nas semifinais, para desespero de Marcelo, que afirmou: "Eu quero derrubá-la de qualquer jeito; pra ser uma grande final, acho que tem que ser eu e o Dário".
O eliminado de ontem foi Ivo, ex-chefe de Dayse. A edição ainda colocou algumas cenas que "representam o público", como o chef Fogaça chamando Marcelo de falso (quando ele disse a Dayse que "ela tem o seu respeito" -- tem nada!), e como o chef Jacquin exigindo que Marcelo e Dario maneirassem nas comemorações. 
Dayse comemora sua classificação
Mesmo depois do resultado de ontem, os competidores continuaram desprezando Dayse, certos de que a final será entre dois homens. Ivo, na sua despedida, teve que ser instado a falar da ex-funcionária, porque senão nem iria mencioná-la. Marcelo continua achando "palhaçada" que ela esteja entre os três finalistas. E Dario finge que não é com ele e também a ignora.
Dayse faz sinal irônico de coração
para Marcelo
O bacana é que, a julgar pelas votações que são realizadas durante o programa, 80% dos espectadores estão torcendo por Dayse. Ficou, como observou o maridão, "explícito demais" o machismo desses chefs, que não veem uma mulher a sua altura. 
Quero muito que Dayse vença. Do jeito que o programa vem agindo, o machismo já está bastante nocauteado.


A indignação de Paola no episódio em
que Ivo mandou Dayse varrer o chão
não se repetiu ontem. Infelizmente.
UPDATE: Fui informada que Paola foi criticada por não confrontar o machismo de Ivo. De fato, na despedida, ela disse a ele: "Você é um orgulho para este país", o que é uma declaração forte considerando que poucas semanas atrás o chef foi abertamente machista. Paola se defendeu no Twitter dizendo que o programa era gravado, e tentou se esquivar. Na minha opinião o programa inteiro, não só Paola, pegou leve com Ivo, e centrou a artilharia no Marcelo. Mas, pra qualquer espectador/a sensatx, foi óbvio que os três participantes homens se envolveram numa "conspiração machista" contra Dayse.

34 comentários:

Kevin Miranda disse...

Polêmica do texto , Lola não gosta de frutos do mar , kkkkkkkk , brincadeira , excelente texto, é triste e revoltante ver que muitos homens ainda tenham esse pensamento em pleno 2016, minha torcida também vai para a Dayse, enfim , parabéns Lola pelo blog e pelos maravilhosos textos.

Anônimo disse...

mais um pisão diário nos omens

Anônimo disse...

Tinha que pegar a vassoura mesmo, mas pra dar na cabeça desse zé ruela. Tomara que ela ganhe.

gabs

Anônimo disse...

Eles não querem perder pra uma mulher. Quanto a gente fala dizem que estamos sendo neuróticas e vitimistas mas está bem claro que eles estão tentando dificultar a vida das mulheres. O Dário estava tentando atrapalhar a Fádia no programa passada. Para mim aquilo não era ajuda coisa nenhuma.

A única mulher que eu não gostava no programa era a Priscilla. Estava sempre desmerecendo a si mesma e puxando o saco de algum dos caras, enchendo-os de elogios. Algum elogiou ela por alguma coisa? Não. Nem quando o prato que ela fez salvou o grupo de ser eliminado de uma prova. O Di Ferreiro escolheu o grupo dela por causa do prato que ela fez. Além disso ela falava demais.

A Deyse tem uma postura bem defensiva. Já disse várias vezes que não ia chorar. No programa passado ela contou que um ex-chef já até bateu na cara dela quando ela trabalhava numa cozinha com 20 homens e só ela de mulher. Imagina o que ela já não passou pra chegar até ali. Trabalhar rodeada de homens devem ser o inferno.

Anônimo disse...

COMO ASSIM VC NÃO GOSTA DE FRUTOS DO MAR???

Anônimo disse...

Nunca assisti a esses programas... os jurados sabem quem preparou cada prato? Acho que a avaliação deveria ser "cega", para não haver dúvidas sobre a objetividade. Se os jurados souberem de quem é cada prato, essa competidora tá numa sinuca de bico: ou perde, ou vence e vai chover recalcado falando que só deram a vitória para ela por causa desse bafafá.

Anônimo disse...

Vcs so reclamam. Kkkkkkk

Lugar de homem tbm num eh na cozinha? Fomos pra cozinha!!!

Kkkkkkkkkkk

Basta eu dizer q homens sao melhores na cozinha do q as mulheres que aparece alguma dizendo:

"Nós mulheres tbm sabemos cozinhar!!!"

Ué????? Mas e o orgulho e o ego de vcs?? Mulher na cozinha num eh coisa do patriarcado????

Vcs si reclamam. Mas sabe o q eh isso? Acho q vcs estao apenas sendo mulheres.

misha disse...

não tenho visto o programa mas vi esse episódio. apesar da boa edição, ainda fico impressionada com algumas coisas: quando ela escolheu a vieira, foram unânimes os comentários de que ela estava fazendo algo que daria errado. quando ela escolheu maracujá, o mesmo.
me pergunto, se fosse um homem, ele estaria sendo audacioso. como é com ela, já consideram que ela não sabe o que está fazendo.
claro que a atitude dela, nada blasé, só ajuda esse tipo de julgamento. mas isso considero uma qualidade, principalmente, com marcelo sendo tão esnobe.

Anônimo disse...

Fiquei chocada quando vi os vídeos. Gosto mt do programa mas essa edição não estou acompanhando, como você disse, foi muito morninha no começo e aí perdi o interesse. (Gosto mesmo é do chef Gordon Ramsay xingando e jogando comida no chão)
O que me deixou mais chocada foi pq lembrei de muitas coisas parecidas que ouvi, não trabalho na cozinha mas na tecnologia e essa cultura machista não é muito diferente.
Infelizmente a gente tem que fazer o dobro com o dobro de esforço pra conseguir alguma coisa e algum respeito.
Onde esses caras estão com a cabeça pra tratar alguém assim?

Deia disse...

Paola disse que dayse tem "mão de cozinheira" eu to ligada e não curti

Anônimo disse...

O Marcelo é um idiota. Mas estão vendo machismo onde não tem (ao.menos não tem indícios). O Marcelo claramente tem uma amizade com o Fario e quer ir para a final com ele. E claramente não gosta da Daisy. O que pode ser por N motivos, inclusive por ela ser mulher, mas não há nada indicando isso. Se ele não gostasse de um competidor negro (como alguns não gostavam de um na última edição, cujo nome eu esqueci, seria racismo?).

Existe uma diferenca entre ser babaca e não gostar de alguém e não gostar pelo motivo X.

Se eu estivesse numa competição e um dos competidores fosse meu amigo, lógico que eu gostaria de ir para a final com ele(a), até porque se eu perdesse teria a felicidade de ver meu amigo vencer, e nao meu "inimigo".

Noêmia Cristina disse...

Todo mundo fala do machismo de master chef mas ninguém fala do machismo de food wars (shokugeki no soma). O japão é extremamente machista e todos se calam diante disso!

Anônimo disse...

Realmente,no Japão inventaram até uma mentira biológica para tentar provar que mulheres não podem fazer sushi em relação ao "calor das mãos". A verdade é que independentemente da diferença de temperatura do corpo feminino e do masculino, as extremidades são sempre mais frias, portanto não faz diferença em relação a mão. Foi uma mentira cultural que, visto que o sushi era uma comida usada em cerimônias e os cozinheiros eram bem pagos,não queriam que mulheres ganhassem dinheiro por cozinhar, mas que ela cozinha-se apenas para a sua família,sem ter sua própria renda.

Anônimo disse...

Mulheres são incentivadas a cozinharem mas não querem que elas sejam chefes. O problema não são as atividades vistas femininas, mas sim que as mulheres foram proibidas de exercerem TODA atividade que gerasse renda. Cozinhar apenas para a família e não para um restaurante,tocar piano de modo amador sem ter expectativas de ser uma profissional,escrever poesias sem poder montar um livro de poemas,desenhar apenas para os outros acharem "bonitinho" sem ter o trabalho artístico valorizado,são todos exemplos de como as atividades femininas poderiam ajudar as mulheres a serem independentes se o patriarcado não coloca-se obstáculos impedindo seu crescimento próprio.

Belle disse...

Não vi o episódio da última terça, infelizmente!!! Acho que de tanto nojo desse machismo explícito dos competidores.

Deixar as mulheres na invisibilidade (não elogiar, "esquecer" seus feitos, fingir que não ouviu suas opiniões, escolher por último nas provas...) também são formas clássicas e mais implícitas que estão presentes ali o tempo todo! Tudo travestido de meritocracia, de quem cozinha melhor... blargh... Vai Dayse!!!!

Anônimo disse...

Lola, vou fugir um pouco do assunto do post, vou estar viajando em Fortaleza e queria saber, como posso te encontrar na UFC para tirar uma foto? Posso entrar em contato via e-mail?

Anônimo disse...

Nesse caso, acredito que a paola tenha dito isso por sempre declarar que "o cozinheiro vem antes do chef", não exatamente nessas palavras,mas nessa linha de raciocínio. Ela mesma tenta desmitificar o glamour que vem com o tratamento de "chef" o tempo todo, inclusive se declarando "apenas" cozinheira.

Anônimo disse...

07:43, vc tem razão. Essas mulheres só reclamam.
Inclusive os homens poderiam começar a mostrar toda a superioridade culinarística também na cozinha de casa onde não se ganha estrela Michelin e nem 100 mil reais de prêmio.

Bora?

Pode começar com com um bom bife com batata frita para o jantar de hoje!

Anônimo disse...

12:31, vc não acha um pouco sem noção pedir essa informação no anonimato? Desculpa me meter mas a Lola sofre várias ameaças. Vc poderia pelo menos comentar com o seu perfil.

Anônimo disse...

Tinha um questionamento semelhante no MasterChef Colômbia. Mesmo cozinheiras competentes eram "coincidentemente" escolhidas por último pelo clube do Bolinha, mulheres com opiniões mais fortes eram "chatas" etc. Isso é só uma coincidência, devia ser por afinidade, a gente deve estar vendo machismo onde não tem is the new "Não tenho preconceito, mas é uma questão de gosto".

Anônimo disse...

Lola, estilista não é homem.

titia disse...

Adoooooro quando machista toma gostoso no rabo. Adoro. Eu não assisto MasterChef, não tenho a menor paciência, mas essa é pra comemorar. Vai Dayse!

07:43 ah quer dizer que você sabe cozinhar? Então vai fritar um ovo pra sua mãe e para de encher o saco.

Anônimo disse...

desmistificar* :) opa

Anônimo disse...

Se os homens cozinham melhor que as mulheres o lugar deles deveria ser na cozinha,cozinhando para a esposa e filhos.

Anônimo disse...

Ei amor.hora de ir pra cozinha fazer ensopado de pescado meu gostoso com novo de camarão meu lindo.
😚

Dona juana

Ana Carolina Serrao disse...

Se você está insinuando que eles são gays... Bom, gays são homens!
Estamos falando de gênero, não de sexualidade.

Valéria Fernandes disse...

Claro que homem cozinha melhor que mulher! Quando se trata de cozinha que paga bem, que está inserida no mundo público, profissional, que não se liga somente ao afetivo e não remunerado, os homens cozinham melhor. Cozinham não somente por serem mais competentes, e alguns são muito competentes, mas por receberem o espaço para exercitar sua arte, terem o aplauso e a possibilidade de ganhos cada vez melhores, ou, pelo menos, atraentes. Quanto às mulheres? Cabe elogios como "Você cozinha como uma velhinha!" - a Paola disse isso para a Fádia, que retrucou "Aprendi com minha avó." Ah! Está explicado, foi acionado todo o afetivo familiar à todos/as nós. Comida da avó, da mãe, comida boa, mas, não, profissional. E a moça foi prontamente advertida disso.

A Dayse tem dupla carga, ela ainda tem cara e jeito de pessoa não refinada. Lembram da prova com os produtos caros? Paola, sim, ela, foi a primeira a levantar a dúvida sobre a competência da Dayse. "Não é o tipo de culinária dela..." Alguém veio defender a Chef e dizer que não foi preconceito no post que eu escrevi. Ah, foi, sim! Curiosamente, ontem eu fui assistir ao primeiro episódio do programa, o único que não tinha assistido, e o que eu vi? Dayse subiu, Marcelo ficou para a prova final e foi advertido de que estava por um fio. Foi um primeiro capítulo muito ilustrativo, também. Uma concorrente sofreu na mão do Ivo que, junto com Dario, tinha sido o melhor e foi convidado a ajudar Marcelo, João, Rodrigo (*que escaparam no final*) e a moça. "Você faz o que eu mandar!" A moça, que não tinha a prática da cozinha de restaurante, se desmontou. Foi um espetáculo triste. Não digo que ela não devesse ir embora, mas foi um exercício de autoritarismo e machismo explícito.

Agora, o machismo pode ajudar pontualmente uma mulher? Pode, sim. Vejam a Pryscila. Ela ficou e gente mais cometente - homens e mulheres - saíram ao longo de vários episódios. Ela sorria, falava macio, se escorava. Os rapazes (*e as colegas, também*) lhe cediam ingredientes, ajudavam com o maquinário. Até ligar o forno!!!! Ela piscava os olhinhos para os três jurados e foi seguindo em frente. lá no mezanino, falava mal. De quem? Das colegas mulheres, principalmente. Era vista como inofensiva e parte do grupo. E, curioso, foi assim desde o primeiro episódio.

Terminando, que já me estendi muito. Na minha família os homens cozinham, quer dizer, os irmãos da minha mãe, meu pai e seus irmãos, todos sabem cozinhar. meu pai e os irmãos cozinham coisas complexas até, mas somente em momentos especiais. Meu pai, quando minha mãe estava doente, ela normalmente não lhe dava espaço em condições outras, era questão territorial. eu mal lembro da comida dele... Mas meus tios, sempre que havia acontecimento especial, platéia. "A comida está maravilhosa! Parabéns, fulana!" Meu tio da ocasião interferia: "Ela só fez o arroz, o resto, fui eu." Aplausos. Que marido de outro, não é? Trata-se da versão chef homem aplicada ao mundo privado. Homens se saem bem, ou melhor, até nas "coisas de mulher". E quem lava a louça? Ah, vocês já sabem!

Anônimo disse...

Aiaiaiai, machista não cansa de ser hipócrita mesmo... Ele acha que as feministas não percebem...

Que ele cria até uma namorada falsa por aqui ! Mereço.

Anônimo disse...

O programa é gravado. Quando foi ao ar todos os episódios ja haviam sido gravados.

titia disse...

Estilistas não são homens, 14:13? Eles são o que então? Robôs? Etês? Homens-moluscos da quarta dimensão? Reptilianos? Os homens-baratas do filme MIB? Qual a grande conspiração que você desmascarou, qual criatura perversa se esconde sob a fachada de homens de talento pra dominar a Terra e exterminar a humanidade? Conte-nos o que você descobriu. Puxa, seria a primeira vez que um mascu serviu pra alguma coisa além de desperdiçar oxigênio.

Anônimo disse...

Jantar ? A essa hora ? Tá sabendo legal, hein...

Anônimo disse...

Nenhuma mulher é proibida de fazer nada, se ela quiser pode sim fazer o que ela quiser e se destacar nisso. Mas pra isso precisa superar os próprios conflitos internos e lidar com os desaforos e com a galera que vai querer te atrapalhar. Infelizmente somos muito suscetíveis à opinião alheia.

Anônimo disse...

Também adoro o masterchef . Não sei o quanto daquilo é ensaiado ou combinado , se corresponde mesmo a realidade ou se é um teatrinho , afinal trata- se de um reality show .
Mas fiquei com uma péssima impressão do Marcelo. Além de torcer contra a Dayse, ele claramente tenta " provoca- la" enquanto está em cima do mezanino e ainda duvidou que o prato dela tivesse ficado bom !
Mas a minha impressão é que ele tenta desestabilizar a Dayse porque acha que ela é uma concorrente mais forte que o Dário . Basta olhar na cara do Dário , não se trata de amizade entre os dois . Ele queria o concorrente mais fraco pra final . No fundo, ele tem medo da Dayse.
E tenho a impressão de que ela não tá nem aí pras provocações deles , entra por um ouvido e sai pelo outro . Ela pode ter aquele jeitinho afobado, mas no fundo e super centrada no que faz e sabe o que tá fazendo .
No começo eu até torcia pro Dário , mas acho que a " humildade " que ele parecia ter não tem nada de humildade . Pra mim é o contrário , auto estima baixa . O cara tava sempre de cabeça baixa, falando como se estivesse pedindo desculpas por existir . E no último episódio ele se revelou, quando desfez da Dayse . Não é que ele se acha melhor que ela, é justamente o contrário . O cara se acha inferior, por isso precisa tentar diminuir a outra . Óbvio que o Marcelo, que não é tonto, percebeu isso e preferia enfrentar o " amigo " inseguro do que a moça que parece insegura , mas de insegura não tem nada !
Vai ser uma grande final , tô torcendo pra Dayse .

Maria Valéria.

Anônimo disse...

É bem simples de entender: se falta mulher num ramo, é porque tem homem achando que o espaço é só dele. Competência não é definida por gênero, muito menos de coisas que são aprendidas, como fazer roupa e cozinhas (chamem pelo nome chique, não passa disso).