sábado, 26 de novembro de 2016

O HOMEM QUE DESAFIOU O IMPÉRIO

Fidel, 1926-2016

Para marcar a morte hoje de uma das pessoas mais importantes do século passado, ícone da esquerda (e da direita, senão não o odiariam tanto), reproduzo um texto do grande escritor uruguaio Eduardo Galeano sobre Fidel Castro, traduzido por Eric Nepomuceno, publicado no Outras Palavras

Seus inimigos dizem que foi rei sem coroa e que confundia a unidade com a unanimidade.
E nisso seus inimigos têm razão.
Seus inimigos dizem que, se Napoleão tivesse tido um jornal como o Granma, nenhum francês ficaria sabendo do desastre de Waterloo.
E nisso seus inimigos têm razão.
Seus inimigos dizem que exerceu o poder falando muito e escutando pouco, porque estava mais acostumado aos ecos que às vozes.
E nisso seus inimigos têm razão.
Mas seus inimigos não dizem que não foi para posar para a História que abriu o peito para as balas quando veio a invasão, que enfrentou os furacões de igual pra igual, de furacão a furacão, que sobreviveu a 637 atentados, que sua contagiosa energia foi decisiva para transformar uma colônia em pátria e que não foi nem por feitiço de mandinga nem por milagre de Deus que essa nova pátria conseguiu sobreviver a dez presidentes dos Estados Unidos, que já estavam com o guardanapo no pescoço para almoçá-la de faca e garfo.
Governo de Fidel sobreviveu a
dez presidentes dos EUA
E seus inimigos não dizem que Cuba é um raro país que não compete na Copa Mundial do Capacho.
E não dizem que essa revolução, crescida no castigo, é o que pôde ser e não o quis ser. Nem dizem que em grande medida o muro entre o desejo e a realidade foi se fazendo mais alto e mais largo graças ao bloqueio imperial, que afogou o desenvolvimento da democracia a la cubana, obrigou a militarização da sociedade e outorgou à burocracia, que para cada solução tem um problema, os argumentos que necessitava para se justificar e perpetuar.
E não dizem que apesar de todos os pesares, apesar das agressões de fora e das arbitrariedades de dentro, essa ilha sofrida mas obstinadamente alegre gerou a sociedade latino-americana menos injusta.
E seus inimigos não dizem que essa façanha foi obra do sacrifício de seu povo, mas também foi obra da pertinaz vontade e do antiquado sentido de honra desse cavalheiro que sempre se bateu pelos perdedores, como um certo Dom Quixote, seu famoso colega dos campos de batalha.
Conquistas de Cuba, apesar do bloqueio econômico

81 comentários:

Anônimo disse...

Estou ANSIOSO pelo comentários.
Hahaha

Lola, lola...

Anônimo disse...

Cuba é uma ditadura Lola, existem prisioneiros políticos e se vc discordar de alguma coisa contra o governo vc sofre as consequências

Anônimo disse...

Com a força do meu pensamento ultrapassará 300

Anônimo disse...

Gerou uma sociedade menos injusta? È o governo da Américas que mais perseguiu a comunidade LGBT, mais até que o Chile de Pinochet. È o país mais machista e racista da América Latina, só ver quem manda na ilha e os mecanismos, é a elite branca que domina os altos postos no país.

A diferença que como casas e imóveis valem nada, pelo menos a uns 8 anos atrás, não aparece, a maioria deve viver algo comparado a um cortiço pelo que se nota de fora, a cidade toda precisa de um demão de tinta.

Só quem vai em uma festa do funcionário do governo de alto escalão encontra de tudo, a casa é linda, é que é tudo muito escondido, não é como ocorre aqui.

Anônimo disse...

Vc acha que ela e outros nao sabem disso???

Que inocente.

alessandro bruno disse...

Lola, se Cuba é tão boa porque tanta gente arrisca a vida pra tentar fugir pra Miami?

Anônimo disse...

Cuba viveu uma ditadura e Fidel era sim um ditador tirano, apesar que o embargo dos EUA tenha prejudicado bastante aquele país. Sou contra a ditadura de qualquer rótulo, seja comunista ou capitalista e seja de qualquer direção, esquerda ou direita. Qualquer tipo de ditador, ditaduras e tiranias prejudicam um país e sua população. Só achei irônico isso ocorrer depois da eleição de Trump, apesar dos EUA ter uma eleição, mesmo indireta, o Trump se comporta como um ditador tirano. A esquerda está precisando urgentemente se renovar. Se não...

Anônimo disse...

A ditadura de Fidel sobreviveu a 10 presidentes dos EUA porque em Cuba não tem eleições. Assim como não tinha também durante a ditadura no Brasil.

B. disse...

Não comemoro nem desejo a morte de ninguém, mas defender o regime cubano? É isso que estou lendo?

É de cair o cu da bunda!

Anônimo disse...

Nada contra a Lola, mas o Fidel Castro tava longe de ser um herói. Muito pelo contrário.

Anônimo disse...

q pisão nos JEWstados Unidos

os JEWnited $$$tates, mais conhecidos como Gestapos Unidos, q abriga províncias como o arKKKansas e outras sandices, se remói de ódio de uma pequena ilha do caribe

Anônimo disse...

Viva fidel! Guerreiro!

Miriam Andrade disse...

Nossa, Lola, esses reaças são muito burros mesmo.

Imagina só, eles acham que os Cubanos estão comemorando a morte do nosso heroí, que desafiou deus e o mundo para tentar implementar o sonho do Comunismo real. É claro que não, nunca que os Cubanos (os de Cuba Mesmo, não os fugitivos) iam comemorar a morte do Fidel. Não depois de tudo que o Castro fez pra eles.

Não sabiam que lá é ditadura não? Se comemorar lá ai quem morre são eles também!

Anônimo disse...

Morta q ng veio e nem vão defender o fidel castro, kkkkk q fudido

Patrick disse...

Sobre Cuba e a homofobia, transcrevo trecho da newsletter de hoje de Alex Castro:

Era Fidel Castro homofóbico?

Sempre que aparece esse assunto, alguém puxa do bolso a tal frase infeliz do Fidel. Sim, ele disse que não acreditava que um homossexual pudesse ser um verdadeiro militante comunista revolucionário e que homossexuais não deveriam estar em posição de influenciar os jovens. (1) Mas nunca citam que ele qualificou e relativizou esse absurdo várias vezes. Nunca citam que Fidel e a Revolução fazem mea culpa desse absurdo há quase cinquenta anos. Nunca citam os tantos outros chefes de estado dessa mesma época que falavam absurdos ainda maiores. O próprio Lula, antes mesmo de fundar o PT, deu uma entrevista famosa para um jornal gay afirmando que não havia homossexuais na classe operária e que as lésbicas eram umas burguesas desocupadas. (2) E eu te pergunto: faria sentido usar essa frase pra acusar o Brasil ou o Governo Lula de homófobos hoje em dia?

— É, mas nem o Brasil e nem o Governo Lula, em nenhum momento, criaram campos de concentração para homossexuais, né, Rodrigo? Pelo contrário, enquanto a gente quebrou as patentes dos coquetéis contra a AIDS, os cubanos prenderam e isolaram os soropositivos em quarentena forçada. (3) O Brasil pode não ser nenhum paraíso GLS mas são duas trajetórias nacionais bem diferentes. Além disso, em Cuba, esse governo ainda está no poder. E nós, quantos governos já tivemos desde que Fidel derrubou o Batista? Quinze? (4)

— Claro que não estou defendendo a presidência vitalícia do Fidel, mesmo ele sendo um dos maiores líderes do século, mas quase todos esses absurdos que a direita adora puxar do chapéu foram cometidos no quinquenio gris, lá na década de setenta, o período mais soviético e repressivo da Revolução. (5) Para todos os fins e efeitos, foi outro governo sim. E, além disso, a sociedade cubana já fez uma autocrítica muito mais contundente do quinquenio gris do que, digamos, o Brasil e nossa ditadura. A Folha ainda hoje comete editoriais chamando o regime militar de "ditabranda" e muito leitor aplaude. Em Cuba, ninguém, a começar pelo próprio Fidel, acha que as UMAP foram uma boa idéia. (6) De lá pra cá, o governo cubano reverteu todas essas práticas, tirou as referências ao homossexualismo do Código Civil (7), colocou casais gays nas novelas (8), e hoje faz até cirurgias de troca de sexo. O Cenesex, que a Rosa María mencionou, é dirigido pela própria filha do Raúl, promove mil campanhas de tolerância e diversidade, está até fazendo lobby na Assembleia Nacional para aprovarem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. (9) Apesar de todos os absurdos cometidos, Cuba é hoje um dos melhores países latino-americanos para ser homossexual — talvez o melhor. Lá no sul dos Estados Unidos, ainda existem leis severas contra homossexualidade que proíbem o sexo anal mesmo entre adultos, sem ninguém ver, dentro de casa. (10) E nosso querido Brasil-sil, enquanto isso, país do carnaval blá blá, também é o país da homofobia, com números altíssimos de crimes violentos contra homossexuais. O quinquenio gris realmente não foi fácil, eu me lembro, estava aqui, mas foi uma fase que passou rápido e foi totalmente repudiada."

Patrick disse...

Notas do comentário anterior:

"1. A fonte original dessa citação, que já ouvi até ser chamada de apócrifa, é o livro Cuba's Fidel (1965), de Lee Lockwood, e o texto completo é: "Nunca hemos creído que un homosexual pueda personificar las condiciones y requisitos de conducta que nos permitan considerarlo un verdadero revolucionario. Una desviación de esa naturaleza choca con el concepto que tenemos de lo que debe ser un militante comunista".

2. Entrevista ao jornal Lampião da Esquina, editado pelo escritor e ativista João Silvério Trevisan, edição de julho de 1979. Se Lula fazia afirmações assim como líder operário sendo entrevistado em um jornal gay, é de se imaginar o que não falava na mesa de bar entre amigos.

3. Em um capítulo vergonhoso, mas tristemente eficiente, da Revolução, Cuba controlou a AIDS colocando seus soropositivos em quarentena total. Somente em 1989 eles obtiveram o direito de circular semilivremente entre casa e sanatório. Em 1993, a internação nos sanatórios deixou de ser obrigatória. Hoje, a maioria dos soropositivos cubanos, quase todos homossexuais e bissexuais, apenas residem nos sanatórios por escolha própria.

4. De fato, se contarmos tanto Chefes de Estado quanto de Governo, sem incluir a Junta que governou o país por dois meses em 1969, o Brasil teve 17: Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros, Ranieri Mazzilli, Tancredo Neves, Brochado da Rocha, Hermes Lima, João Goulart, Castelo Branco, Costa e Silva, Emilio Medici, Ernesto Geisel, João Figueiredo, José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique, Lula. E, agora, em 2012 quando escrevo essas linhas, Dilma Rousseff. Vale a pena lembrar que, em fevereiro de 2008, Fidel comunicou à Assembléia Nacional que "no aspiraré ni aceptaré — repito — no aspiraré ni aceptaré, el cargo de Presidente del Consejo de Estado y Comandante en Jefe" — em uma comunicação em que citou até velhos comunistas brasileiros: "pienso como Niemeyer que hay que ser consecuente hasta el final." No mesmo mês, a Assembléia escolheu Raúl Castro como o novo Presidente.

5. A própria expressão quinquenio gris, testamento da habilidade cubana de autocrítica e autorreflexão, foi cunhada pelo grande intelectual Ambrosio Fornet, que tenho orgulho de chamar de amigo e mestre.

Patrick disse...

6. No livro Cien Horas con Fidel, de Ignacio Ramonet, publicado em 2006, Fidel Castro fez a seguinte auto-crítica da postura revolucionária quanto à Revolução Cubana: “Con relación a los homosexuales había fuertes [prejuicios]… la parte de responsabilidad que me corresponda la asumo… Yo tenía opiniones, y más bien me oponía y me había opuesto siempre a cualquier abuso, a cualquier discriminación, porque en aquella sociedad había muchos prejuicios. Ciertamente los homosexuales eran víctimas de discriminación. En otros lugares mucho más que aquí, pero si eran, en Cuba, víctimas de discriminación, y afortunadamente, una población mucho más culta, más preparada ha ido superando esos prejuicios. ... Había — y hay — destacadísimas personalidades de la cultura, de la literatura, gente famosa, orgullo de este país, que eran y son homosexuales, y han gozado y gozan de mucha consideración y mucho respeto en nuestro país. Así que no hay que pensar en sentimientos generalizados. En los sectores más cultos y más preparados había menos prejuicios contra los homosexuales. En los sectores con mucha incultura —un país en aquel tiempo de un 30 por ciento de analfabetismo— eran fuertes los prejuicios contra los homosexuales, y en los semianalfabetos también y hasta en mucha gente que pueden ser profesionales. Eso era una verdad en nuestra sociedad. ... La discriminación contra los homosexuales ya es un problema bastante superado. La adquisición de una cultura general integral, el pueblo que tenemos hoy... No le voy a decir que no haya machismo, pero ya no como el de aquella cultura nuestra en que era muy fuerte".

7. Em 1975, o Tribunal Supremo reverteu todas as leis e resoluções oficiais impedindo homossexuais de trabalhar em educação e cultura. Em 1979, ser gay deixou de ser crime, mas a "ostentação da homossexualidade" continuou proibida: segundo o artigo 359 do Código Penal, era proibida a "pública ostentación de su condición homosexual o importune, o solicite con sus requerimientos a otro". Além disso, realizar “actos homosexuales en sitio público o en sitio privado, pero expuestos a ser vistos involuntariamente por otras personas” também continuava proibido, por ser considerado delito "contra el normal desarrollo de las relaciones sexuales”. Sucessivas reformas, em 1988, 1997 e 1998, eliminaram toda e qualquer linguagem homofóbica do Código Penal. A categoria "escándalo público", por exemplo, antes definida explicitamente como importunar publicamente com "requerimientos homosexuales" foi substituída por "ultraje sexual", definido como "acoso con requerimientos sexuales".

Patrick disse...

8. Em 1998, a telenovela cubana La otra cara de la moneda, exibida pela TVC, teve uma rápida subtrama lésbica. Em três capítulos, duas moças se conheceram, se apaixonaram, uma delas largou o marido violento e alcoólatra, saiu do armário para a outra e, convenientemente, morreu num acidente de trem. Não houve beijos nem nenhum contato físico. Para os brasileiros, o episódio parece estranhamente reminiscente de Vale Tudo, exibida dez anos antes, onde também havia um casal de lésbicas estável e simpático, donas de pousada e de bem com a vida, e que ainda faziam a todos a imensa gentileza de não se encostar em público para não constranger os telespectadores. Uma vez marcada sua presença, a menos atraente das duas foi convenientemente morta em um acidente de carro — justamente para não esfregar por muito tempo sua felicidade homossexual na cara da sociedade. Exibida pouco depois em Cuba, a novela fez tanto sucesso que o nome do restaurante da personagem Raquel, interpretada por Regina Duarte, acabou batizando os paladares cubanos. Recentemente, no Brasil, a novela Mulheres Apaixonadas (Globo, 2003) também apresentava duas namoradinhas adolescentes lésbicas que, mais uma vez, não se encostaram durante a trama inteira. Parte do público clamava por um beijo e a outra parte ameaçava jogar fora os televisores se isso acontecesse. Por fim, no último capítulo, as duas meninas participaram de uma montagem escolar de Romeu e Julieta e se beijaram no palco, interpretando seus personagens masculino e feminino e não mais como duas mulheres — uma solução salomônica que, se não deixou ninguém feliz, também não deixou ninguém revoltado. Pouco depois, em Cuba, mais um passo. A telenovela El balcón de los helechos (TVC, 2004) apresentou um casal de lésbicas, ambas simpáticas e felizes, que criavam juntas um menino e que conseguiram a façanha de sobreviver ao último capítulo. Entretanto, também jamais trocaram carícias ou se beijaram, e a novela nunca mencionou sua óbvia e explícita condição de casal: imagino que em caso de reclamações por parte de elementos mais conservadores, a produção poderia argumentar que eram apenas duas excelentes amigas — que criavam juntas um filho! Os marginalizados quase sempre precisam se satisfazer, e ainda lamber os beiços, de poderem ao menos desfrutar desse tipo de pequena existência elíptica.

9. Poucos meses depois de nossa conversa, em dezembro de 2007, celebrou-se o casamento (simbólico) de Mônica e Elizabeth, o primeiro realizado em Cuba com apoio estatal. Vestidas ambas de noiva, elas se uniram no pátio interior do Cenesex, com presença e estímulo da própria diretora, Mariela Castro. O casamento não teve valor legal, mas o tema do casamento homossexual, por iniciativa do Cenesex e da Federación de Mujeres Cubanas, já está sendo debatido na Assembleia Nacional. Enquanto isso, segundo Mariela afirmou a um jornal cubano, uma das atribuições do Cenesex é justamente fazer campanhas educativas para preparar o povo para essa mudança.

10. Na verdade, eu estava errado, mas somente por quatro anos. Foi somente em 2003 que a Suprema Corte norte-americana derrubou todas essas leis estaduais, decidindo que a conduta sexual privada é protegida pela constituição. Nesse ano, catorze estados ainda tinham leis contra a sodomia e, até hoje, três estados ainda possuem leis contra a "conduta" homossexual em público."

Anônimo disse...

Ele desafiou o império dos eua e criou o seu próprio império, esperto ele. É assustador o antissemitismo, ódio e amargura dessa turminha que se diz tão ''libertária, liberal, ateia, revolucionária, paz&amor''. Cambada de falsos.

Guilherme disse...

Quer dizer que se eu torturar e matar milhares de pessoas,proibi-las de sair da ilha,roubar a propriedade privada das pessoas,transformando-a em suas,porque faz o que bem entender com elas,censurar a imprensa,prender dissidentes políticos,cometer diversas atrocidades,mas der saúde e educação,então passo a ser "uma das pessoas mais importantes do século passado" segundo a Lola,um grande líder,um grande herói,um verdadeiro pai,um paradigma da justiça social e todos esses elogios que a esquerda faz?

Isso vale para ditadores de direita?

Guilherme disse...

Enquanto para a esquerda os ditadores de direita cometeram crimes contra a humanidade,para essa mesma esquerda Fidel cometeu apenas erros.

Anônimo disse...

Fidel foi apenas um ditador ridículo que vivia no luxo, acredito que podemos colocar na sua conta, a inspiração para atual situação econômica da Venezuela.
O que salvaria os nossos pobres em uma geração é educação básica de qualidade universal e um projeto de renda mínima para os filhos deles, dos miseráveis, permanecerem na escola.
Atualmente o orçamento do MEC gasta muito com universidades.... enquanto a educação básica não tem qualidade.

Wellington Fernando disse...

Fui ler os comentários e até me arrependi. Afinal, isso aqui é um blog de esquerda ou de direita? Só vi coxinhas comentando: uma verdadeira chuva de coxinhas contaminados pela mídia burguesa capacha do Tio Sam.
Será que a lavagem cerebral foi tão forte que tem gente aí que disse que em Cuba NÃO tem eleições? Por favor, pesquisem antes de escrever besteiras. O Google está aí para isso. Parem de usar a Veja e a Globo como referência para formar suas opiniões. A mídia corporativa e o senso comum são máquinas de alienação, impondo seus dogmas capitalistas sem que a população se dê conta. Se Cuba é uma ditadura, então por que os cidadãos podem viajar livremente para o exterior? E a Yoani Sánchez que vive viajando para cima e para baixo denunciando livremente a "ditadura" cubana? Que ditadura é essa onde as pessoas são livres desse jeito?

Fidel Castro foi um HERÓI. Ele salvou seu país da ditadura de Fulgencio Batista e do imperialismo ianque que tratou Cuba como uma colônia extrativista. Fidel foi um patriota que recebeu apoio popular para fazer a Revolução ao lado de Che Guevara e outros guerrilheiros. Parem de repetir essas mentiras sobre Cuba. Vão olhar os níveis de analfabetismo e de mortalidade infantil em Cuba e comparem com o Brasil. Isso sem falar na igualdade de gênero que há em Cuba. Fidel deu dignidade, esperança, moradia, educação, saúde e igualdade gratuitamente para seu povo: tudo isso sofrendo um embargo econômico criminoso que perdura até hoje!

Parem de defender o senso comum, bando de pós-modernos!

Reitero: Fidel foi um HERÓI!

Hasta siempre, comandante!

Anônimo disse...

"q pisão nos JEWstados Unidos

os JEWnited $$$tates, mais conhecidos como Gestapos Unidos, q abriga províncias como o arKKKansas e outras sandices, se remói de ódio de uma pequena ilha do caribe"

Claramente um antissemita de merda... Vai tomar seus remédios, vai.

Anônimo disse...

Cubanos no mundo todo estão comemorando a morte deste monstro. Menos talvez em Cuba, porque se fizerem isso lá, provavelmente "desapareceriam" misteriosamente.

Anônimo disse...

Depois jura que que não é comunista. Fica brava, nega e esperneia, kkkkk

Guilherme disse...

"...,ícone da esquerda (e da direita, senão não o odiariam tanto)"

Para odiar o regime genocida de Fidel Castro não precisa ser de direita ou de esquerda.Basta ter um pingo de humanidade.

Anônimo disse...

antissemita são a turma q apoia o trAmp presidente e os mascus
e engraçado, pq não há alguém mais sionista q o tramp, em q a filha e o genro são judeus, mas mesmo assim os mascus e os loucos neonazis apoiam o traste incondiocionalmente

Anônimo disse...

não adianta nada a esquerda condenar os autoritários de direita, mas abraçar os de esquerda, incoerência total

aiaiai disse...

Nos faltou, até aqui, um líder como Fidel que botasse p correr p Miami essa elitizinha lambe botas dos EUA. É claro que num país continental é ainda mais difícil. E quem tentou ao menos avançar um pouco foi duramente golpeado.
mil vezes uma ditadura do povo e pelo povo, que uma democracia só para os poucos gananciosos de sempre. Viva Fidel!

Anônimo disse...

Lola vc é louca e vive fora da realidade!

Rosa Estrada disse...

Hasta siempre, comandante!

Anônimo disse...

Sério que ainda hoje tem gente que acha que Cuba é um dos melhores países do mundo, vamos ver quais são os maores IDH:

Noruega: 0,943
Austrália: 0,929
Holanda: 0,910
Estados Unidos: 0,910
Nova Zelândia: 0,908
Canadá: 0,908
Irlanda: 0,908
Liechtenstein: 0,905
Alemanha: 0,905
Suécia: 0,904

E o de Cuba 0,769.
Fonte: http://www.datosmacro.com/idh/cuba

Então, Cuba está longe de ser um dos melhores países do mundo pra se viver. Qualquer afirmação contrária é pura demagogia.

Anônimo disse...

cuba é um país tão "bom" quanto qualquer outro minimamente democrático, a esquerda adora superestimar esse país, mas pra isso precisam se desdobrar, fazer das tripas coração pra acharem alguma coisa defensável desse regime famigerado

Anônimo disse...

Eu tinha uma ilusão com Cuba, que a revolução melhorou a educação, mas me informando melhor descobri que antes da tomada do poder pelos comunistas a educação já era boa. O problema do comunismo é que ele não funciona, mas é lindo em sonhos.

Anônimo disse...

O castigo para quem acreditava no Fidel é ler o jornal Granma todo dia. Aposto que vai sentir uma saudade da imprensa capitalista.

http://pt.granma.cu/

Anônimo disse...

Não seria muito diferente da ditadura militar que muitos direitistas admiraram aqui no brasil e que alguns (bolsonaro) defendem a volta.

Anônimo disse...

Nem todo ditador é ditador por que esta no poder sem ser eleito. Hugo chavez é um exemplo, e não duvido que trump venha a ser e bolsonaro também, caso exista a mínima chance dele ser eleito.

Anônimo disse...

Sobre Cuba e o regime de Fidel: Deveríamos perguntar aos cubanos e ouvir o que ELES querem... porém duvido que qualquer pessoa, de qualquer vertente política de fato quer ouvir o que eles tem a dizer...

Tem uma coisa que me irrita profundamente: Ditadura só é errado, se for a ditadura do outro... a minha é certa e justificável
A direita pensa que massacrar, escravizar, perseguir, torturar, matar em nome do seu regime é certo. A esquerda faz EXATAMENTE A MESMA COISA!!!! Dois lados de uma mesma moeda...

Como é que alguém em sã consciência consegue pensar que é positivo ter um Estado que controla absolutamente todos os aspectos da vida de seus cidadãos??

Não há liberdade na ditadura. Não há benefício que justifique controle, tortura e assassinatos estatais. O que o Estado dá, ele pode simplesmente pegar de volta quando ele bem entender.

Enfiem isso na cabeça...

Jane Doe

Anônimo disse...

a) Lola sou sua fa quero muito ler seus livros sobre feminismo e o golpe no Brasil.

b) Fidel Castro foi um herói ao livrar Cuba de uma ditadura e transformar uma ilha que era um quintal dos Estados Unidos em um país com educação e saúde de qualidade.

c) Eu estou lendo muita bobagem na internet até mal de Nelson Mandela estes coxinhas andam falando.

Anônimo disse...

(Viviane)
Wellington, sobre Yoani Sanchez, leia esta entrevista publicada em 2013: http://www.viomundo.com.br/entrevistas/salim-lamrani-um-bate-papo-com-yoani-sanchez.html

Ou: como tirar a máscara de alguém apenas com perguntas.

donadio disse...

Lola, custa muito deletar comentários imbecis de um anti-semita que escreve "Jewstados Unidos"? Por que, vou te contar, é absolutamente deprimente entrar num espaço como este e encontrar esse tipo de racismo ululante passeando na calçada e fazendo xixi nos posts.

Prof. Ane Santos disse...

Anônimo das 20:50 de 26/11:
O fato de seu comentário sobre Cuba não possuir um dos melhores IDH do mundo o fez parecer incompleto... Primeiro, porque sabemos que Cuba não tem tamanho desenvolvimento assim e um dos motivos é o embargo dos EUA. Segundo, vamos criticar o que é ruim, claro; mas não sejamos hipócritas, pois Cuba tem IDH 0,76 e o nosso Brasil tem 0,75 (respectivamente, 67° e 75° no índice de 2014). Lembre-se que o Brasil em 1980 tinha IDH 0,54 (Cuba ficou ausente do relatório por alguns anos). Nosso país, o maior da América do Sul, permanece com expectativa de vida bastante baixo, inferior a maioria dos demais países da região. Quer dizer... O sujo falando do mal lavado?

Sayron Martins disse...

Li por entre tantos impropérios que ele cometeu "imperfeições e excessos". Tenha santa paciência.

Anônimo disse...

Lola gosto muito de você e na maioria das vezes concordo com suas ideias mas nessa de que o Fidel é Heroi pisaste na bola,ele era apenas mais um ditador e ninguém merece viver num pais com ditadura.

Anônimo disse...

Depois da morte do Fidel, a esquerda na mídia o recheou de vivas e honras, mas aí eu me pergunto, se a esquerda condena tanto o autoritarismo da direita, qual a lógica em abraçar os de esquerda? Os argumentos q a esquerda usa pra defender fidel e o regime cubano, por exemplo, não é nada diferente do q a direita usa pra defender as ditaduras militares, sempre cheias de justificativas, q só os "malandros" se deram mal, e q o país prosperou, etc. A mesmíssima dialética q os direitistas usam, é impressionante

Sendo assim, até quando a esquerda vai se achar melhor q a direita por ser "contra" autoritarismo? O debate político virou PURA guerra ideológica; democracia, liberdades individuais, direitos civis, isso tudo é segundo plano, o q vale mais é se o poder tem viés de esquerda ou de direita

Mais uma vez eu pergunto, a esquerda é contra a ditadura militar pq ela era uma ditadura, ou pq era um governo de direita? O q de fato incomoda nos esquerdistas? Pq pelo o q eu vi nos últimos dias, qualquer ditadura e falsa-democracia é justificável caso ela seja socialista; não se diferem EM NADA dos direitistas, eles pensam da mesma forma, sinal de q... sim, o debate político deixou de se pautar em princípios fundamentais: liberdade, democracia, estado de direito, etc., e virou a mais absoluta e PURA guerra ideológica, a esquerda (e a direita) não deixa mentir

Anônimo disse...

Quer dizer que toda aquela história de manifestação pela democracia,"precisamos defender a democracia","juntos pela democracia","o impeachment vai acabar com a democracia",tudo isso era só conversa fiada.

Anônimo disse...

Uau, trAmp, JEWstados unidos, arKKKansas, esse tipo de trocadilho da quarta série faz você se sentir esperto(a)? Porque honestamente para mim faz você parecer meio lesado(a).

Wellington Fernando disse...

Anôn. 20:50

O IDH do Brasil é pior que o de Cuba, como acrescentou a Prof. Ane Santos.

---
Anôn. 04:48

Engano seu. Ditaduras de direita e de esquerda não fazem exatamente a mesma coisa. Enquanto uma ditadura de direita funciona para atender aos interesses de uma minoria muito rica, das elites econômicas - a de esquerda age em prol do povo, dos mais pobres.

No caso de Cuba, você não sabe o que era viver em um país de cafetões, cassinos e miséria extrema na ditadura de Batista e de seus comparsas lacaios dos EUA. Fidel encheu a América Latina de médicos e sonhos e comandou uma das mais belas revoluções que o mundo assistiu com e para o seu povo.

Além disso, NÃO existe democracia em nenhum país da América Latina. O que temos ou são plutocracias ou oligarquias travestidas de democracia sob o controle dos EUA. A exceção fica por conta de Cuba, que é controlada pelos interesses nacionalistas da família Castro. Bolívia e Venezuela são os países que mais tomam porrada da mídia burguesa justamente porque são os países que mais contrariam os interesses imperialistas estadunidenses.

André disse...

13:38,

Não. A Revolução foi homofobica, como o mundo de então, mas isso mudou antes de outros países.

Anônimo disse...

Ditadura do ''povo pelo povo''? Fidel Castro nunca foi povo.
Esse/essa babaca dos ''JEWstados unidos'' só passou vergonha. Achou que iria fazer o maior sucesso com este trocadilho ridículo, cheio de ódio, preconceitos e generalizações. E ainda usa a filha e o genro do trump para justificar esses comentários cheios de ódio e precocneitos contra um povo inteiro.

André disse...

Alessandro,

Em Cuba ninguém morre de fome ou por falta de médico, todo mundo tem escola de qualidade e um lugar para morar. Mas é só isso, que quiser mais que o básico tem que fugir.

Anônimo disse...

A máscara caiu, tem gente aqui defendendo ditadura só porque é da ''esquerda''. Que horror e cinismo.
O antissemita ali zoeiro acha que o povo que é contra ou a favor de trump é completamente homogêneo, mas se enganou. Tem gente de todo tipo, religião, 'raça' e classe social contra ou a favor de trump ou qualquer outra coisa. Mesmo que exista uma incidência maior ou menor, mas existem sempre variações de gente. Inclusive tem mascus na esquerda também, mascus ateus/agnósticos, mascus negros, mascus latinos, mascus que apoiam ditadura da ''esquerda''. Inclusive já houve perseguição a homossexuais em ditaduras da ''esquerda''.

Horrível ver tanto preconceito e generalização neste blog e ainda defendendo o indefensável, que é uma ditadura.

Anônimo disse...

"Democracia" pra Lola e um homem e um partido único mandarem com mãos de ferro em um país por 58anos, e quem discordasse era levado aos famosos paredões de fuzilamento ou porões de presos políticos.

Lucas José disse...

Feministas e esquerdistas são parecidas rapadura e melaço: apesar de uma ser dura e outra enjoativo sempre vão dizer que tudo é doce.

A morte de Fidel , a vida de Fidel, a ilha de Cuba, para a Educação, a Saúde, a Economia e o Esporte não representam absolutamente nada. Não é parâmetro nem modelo para ninguém. Cuba tem uma história de guerrilhas, de assassinatos, de fome, de ostracismo sob os aplausos de toda esquerda nojenta que se apropriou da palavra Democracia desde a criação desde a criação da RDA.
De lá pra cá são só esquerdadas aparecendo.

Guilherme disse...

Como ficam os ataques da esquerda a Bolsonaro pela homenagem a Carlos Alberto Brilhante Ustra?

Anônimo disse...

"Em Cuba ninguém morre de fome ou por falta de médico, todo mundo tem escola de qualidade e um lugar para morar. Mas é só isso, que quiser mais que o básico tem que fugir."

E além disso, lá as pessoas não usam carros, e sim passeiam montadas em unicórnios, as ruas são feitas de arco-íris, as galinhas dão ovos de ouro e as vacas produzem achocolatado ao invés de um simples leite.

Anônimo disse...

"Enquanto uma ditadura de direita funciona para atender aos interesses de uma minoria muito rica, das elites econômicas - a de esquerda age em prol do povo, dos mais pobres"
-
Claro claro, então os irmãos castro fuzilaram 200 mil ricos em seus paredões, Stalim matou 30 milhões de ricos e Mao Tsé Tung 60 milhões, tudo rico foi sim.

alessandro bruno disse...

Prof Ane Santos

Tanto o Brasil como Cuba são países ruim de morar, só que ninguém está defendendo o Brasil, estamos falando de Cuba

André disse...

12:57
Depois que a badtrip passa os unicórnio viram carros russos dos anos 80. E cuidado com esse achocolatado, experimente ordenhar a vaca um pouco mais pra frente.

Anônimo disse...

20:50, veja que os países com melhores IDH são os que as mulheres possuem uma maior qualidade de vida.

Anônimo disse...

A matemática é simples: para a esquerda qualquer cidadão que ganhe mais que um salário mínimo, ou que conseguiu qualquer coisa na vida - MESMO QUE HONESTAMENTE - é um demônio capitalista, explorador e ladrão de pobre. E todo demônio explorador capitalista e ladrão de pobre deve ser arrastados para os porões da ditadura, torturado e fuzilado.

Assim como pra direita todo pobre é vagabundo, todo negro é ladrão e toda mulher é golpista. E todo vagabundo, ladrão e golpista deve ser arrastados para os porões da ditadura, torturado e fuzilado.

A diferença entre os dois é que um veste a pele do cordeiro e o outro não tem vergonha de assumir que é lobo.


Jane Doe

Wellington Fernando disse...

Engraçado esses pessoal da direita que diz que “bandido bom é bandido morto” e que “direitos humanos são para humanos direitos” se importando com as mortes durante os regimes socialistas. Mas mais engraçado que isso são esses números superfaturados de "assassinados" pelos regimes "comunistas". Dizem que Mao foi o maior assassino da história, mas colocam na conta dele a fome em massa que ocorreu na China devido a severas adversidades e catástrofes climáticas/ambientais que ocorreram naquele país, prejudicando gravemente a agricultura. O mesmo se aplica a Stalin, onde soldados nazistas e fascistas mortos na Segunda Guerra também são incluídos na conta de mortos dele. Fora que a população da URSS aumentou durante o período stalinista, o que indica uma contradição nesses números megalomaníacos.

É bom que se diga que Mao, Stalin, Fidel e até mesmo o Pinochet sofriam tentativas de assassinato todas as semanas. Matar os antirrevolucionários (e revolucionários, no caso de Pinochet) era um ato de legítima defesa para esses governantes, especialmente durante o turbulento período da Guerra Fria. E muitos dos pobres mortos eram massa de manobra das forças antirrevolução. Assim como existem capitalistas sem capital hoje, também existiam os pobres de direita naquela época dispostos a lutar até a morte contra os “opressores comunistas”. E não faz diferença se é um rico ou um pobre que pega um fuzil para matar um chefe de Estado: ambos são perigosos. Mas a diferença entre Fidel e Pinochet era o foco que eles tinham em seus governos. Fidel governava para o povo cubano através de um socialismo de Estado. Já o Pinochet pôs em prática a maluquice neoliberal dos Chicago Boys. Enquanto Fidel foi respeitado pela comunidade internacional por seu compromisso com os mais pobres, Pinochet foi tratado como um defensor ferrenho do status quo.

André disse...

Jane,

Parece que você está precisando de uma calculadora.

Anônimo disse...

Onde está aquela maluca pra dizer: "dane-se o fidel, ele era apenas um omem portador da anomalia y" ?

Anônimo disse...

HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA ! Aaiaiai, adorei !!

Quer dizer, sou feminista, mas as radicais extrapolam, né...

Anônimo disse...

Danem-se as conquistas do regime cubano. As ditaduras brasileiras, tanto a de Vargas quanto a militar, também tiveram suas conquistas e nem por isso eu as defendo. Vocês não sabem o que são princípios não?

Anônimo disse...

O Wellington Fernando só confirma o q o anon 10:51 diz:

"Qualquer ditadura é válida contanto q tenha o viés da minha ideologia", "democracia, estado de direito, liberdades individuais e diretos civis, isso tudo é segundo plano"

Realmente a máscara caiu, de ambos os lados, e nesse caso, da esquerda. Não há mais pragmatismo, e não se toma mais decisões fundamentadas no direito, e sim na guerra ideológica.

B. disse...

Tem coisas que to lendo aqui que são de cair o queixo...Não é possível gente aplaudindo o que ocorre em Cuba...Concordo 100% com a Jane Doe.

Anônimo disse...

OPA! Ela apareceu? Kkkkkkk!

Anônimo disse...

"se tem ustra, tem fidel"
ou "se tem fidel, tem ustra"

É A MENTE DESSES LIXOS

radfem s2 mascu do chan... e viveram felizes para sempre

Rafael Cherem disse...

O grande acerto da Revolução Castrista foi ter acabado com a burguesia, e é o grande problema nacional nosso, ali após a revolução Fidel ainda tentou compor com setores da burguesia nacional, mas esses começaram a minar à revolução para entregar Cuba de novo ao domínio estrangeiro, portanto, os paredões se justificam naquele momento e a manutenção do regime.

Não conheço Cuba, gostaria de conhecer e se algum coxinha quiser me mandar pra lá basta pagar a passagem que eu vou, mas pelo que sei é a sociedade latina menos desigual do continente, e isso é um feito gigantesco de Fidel e os seus, talvez tivessem outras maneiras de se conseguir isso, mas foi o caminho escolhido pelo povo Cubano e seus lideres.

Ah mas é ditadura, sim sob os aspectos formais é ditadura, mas eu cidadão classe média, trabalho 14 horas por dias, tudo o que ganho vai para as empresas de plano de saúde, educação, alimentos, vestuário e outras, posso me considerar livre em que sentido?Somos livres mesmo no capitalismo?Na Democracia burguesa? Não não somos, nossas lideranças são previamente escolhidas, sendo as urnas apenas um verniz de liberdade, o que comemos, o que pensamos, tudo isso não é escolhido por nós.

Viola os direitos humanos? Gente houve uma chacina no RJ outro dia, 18 mortos, quem somos nós para julgarmos as violações de direitos humanos em Cuba com nosso quintal imundo desse jeito?

Portanto, na minha opinião, Fidel foi sim um grande homem, e a história o absolveu.

B. disse...

"portanto, os paredões se justificam naquele momento e a manutenção do regime."

Olha...depois dessa, I rest my case.

B. disse...

"Ah mas é ditadura, sim sob os aspectos formais é ditadura"

Pronto, acabou de assumiu que o problema de grande parte da esquerda não é com ditadura, é com a direita mesmo. Se for ditadura de esquerda, tudo bem! O capitalismo selvagem tb é uma ditadura, concordo, mas o capitalismo "não selvagem" dá muito mais liberdade que o socialismo, onde o Estado controla tudo. É isso que vc quer pra vc? Um Estado controlando até o que você escuta, com rádios e TVs estatais? E Cuba é desigual, ok...pq todo mundo tá na merda! Tirando os altos membros do partido...

Rafael Cherem disse...

B.

Uma direita entreguista como a nossa não é possível defender. As ditaduras implantadas na AL nos anos 60 com o apoio dos EUA eram submissas aos interesses desse país,e do mundo ocidental como um todo, onde isso nos levou?

Não fiz um julgamento moral da ditadura de Castro, mas a anterior deixou o país a mercê do imperialismo, e pelo que se viu no restante da região, os países que seguiram esse caminho de submissão, incluindo o nosso, só tiveram aumento de miséria.Eles tinham um projeto de país, de soberania, Castro nem tinha guinado para a esquerda, talvez não o fizesse se a elite Cubana não fosse uma puta para os americanos como é a nossa.

A nomenklatura Cubana vive melhor que a média da população?Em que isso é diferente no capitalismo?Olha nosso "case".

Muitas das teses da direita são interessantes, mas infelizmente, ter um país soberano não está entre elas, ao menos não da Direita brasileira.


B. disse...

Fidel Castro fuzilou/mandou fuzilar pessoas. Me convença que isso é justificável.

Valendo!

Patrick disse...

Fidel Castro fuzilou/mandou fuzilar pessoas. Me convença que isso é justificável.

Valendo!


Toda pena de morte é condenável e os direitos humanos devem ser respeitados, mesmo no caso de pessoas abjetas, isso é algo quase unânime entre os mais diversos espectros da esquerda brasileira. Mesmo nos anos 1990, quando um general cubano foi condenado à morte por tráfico de drogas, boa parte da esquerda brasileira e até mesmo o Papa João Paulo II, pediram a comutação de sua pena e não ficaram felizes com o desenlace (fuzilamento) do regime cubano para o caso.

Isso posto, as pessoas que foram fuziladas em Cuba não o foram "a mando de Fidel". Passaram por julgamento. O famoso paredón logo após o triunfo da revolução foi quase exclusivo para agentes torturadores do regime de Batista. Gente da laia do Coronel Ulstra, que torturava crianças e bebês na frente dos pais e das mães, estuprava militantes políticos e "desaparecia" pessoas.

Aliás, essa é uma diferença fundamental da Revolução Cubana para os regimes de terror da América do Sul. Quando fez uso de violência, Cuba o fez sob à luz do sol e de cara limpa, não às escondidas. E, outra diferença fundamental, sem tortura. Quando o Che matou companheiros de guerrilha, não o fez por crueldade ou obtendo confissões sob tortura, mas investigando depoimentos de agricultoras que haviam sido estupradas por seus companheiros de armas e, por essa razão, condenando-os à morte pelo crime cometido nas situações excepcionais de luta armada.

Anônimo disse...

ai, assim é muito fácil, como eu não pensei nisso antes? eu vou montar uma ditadura e ela será completamente justificável, por q é só apontar o erro dos outros países, q pronto, automaticamente o meu regime ditatorial se torna isento e imune à críticas

Anônimo disse...

olha o outro, kkkkkkkkkkkk

fidel era um genocida mais "correto" pq o extermínio era "às claras", no mínimo interessante, pq o estado islâmico tb alica esse "método honroso" de matar pessoas

ai meu pai

Anônimo disse...

(Viviane)
B., favor definir "capitalismo não selvagem". Ou ao menos dizer como isto é possível, já que o capitalismo sobrevive da desigualdade social.

Anônimo disse...

Se a vida em Cuba e tão boa porque milhões de cubanos foram embora para os Estados Unidos, arriscando a vida em travessia em pleno alto mar?
Se a vida em Cuba e tão boa porque os admiradores de "el comandante" nao mudam em peso para la?

O que justifica 57 anos no poder? Passar o bastão da mão própria para outrem previamente escolhida?