quarta-feira, 16 de novembro de 2016

VIRAMOS AS NOVAS ILUMINATIS?

A R. me enviou este email muito interessante, cheio de reflexões:

Escrevo para trocar uma ideia. Eu, com o meu péssimo hábito de acompanhar comentários de notícias, não deixo de ficar alarmada e preocupada com a crescente e cada vez mais intensa onda de ódio que toma conta desse país (alguns dizem que até do mundo). Tudo o que é diferente do pensamento do indivíduo é rechaçado com ódio espumante (sim, falo até dos movimentos sociais).
É com alegria que li este post. É fundamental celebrarmos as mudanças positivas que as mulheres estão fazendo por si mesmas, a meu ver, a essência do feminismo: o empoderamento feminino. É claro que essas mudanças seriam acompanhadas pelo backlash. Sempre vai ter gente incomodada quando um grupo que não tenha voz de repente começa a questionar quem detém os privilégios.
Falando do ponto de vista do feminismo, percebo que viramos as novas Iluminati. Se antes tudo era culpa do PT -- do desemprego a um vendaval no interior dos Estados Unidos -- observo que qualquer comportamento feminino ultimamente seja atribuído às maléficas feministas destruidoras da família tradicional.
Não é de hoje que o feminismo desperta ódio do pensamento dominante. 
As sufragistas já sofriam com os mesmos xingamentos que ouvimos hoje (peludas, lésbicas, invejosas de pênis ou emasculadoras). Mas já ganhamos rótulos contraditórios e que diferem de acordo com a conveniência dos haters (quando nos posicionamos contra a pornografia somos moralistas, mas somos vadias quando falamos de empoderamento feminino). Ultimamente vem sendo comum o "disso as feministas não falam" ou "as feministas apoiam isso" (quando uma mulher comete um crime ou algo moralmente duvidoso).
Normalmente eu não acharia problemático essas duas ideias que claramente se originam na ignorância sobre o feminismo. Mesmo com a internet, certas tendências na comunicação persistem, por exemplo, quando procuramos e aceitamos como dogmáticos veículos de comunicação (TV, sites, blogs) que reafirmam nossas opiniões, automaticamente rechaçando opiniões contrárias. Acredito que quando não procuramos debater nossas ideologias, estamos nos radicalizando e nos fechando ao debate. É preocupante ver delírios típicos dos masculinistas, como a ideia de extermínio geral dos homens ser pauta do feminismo, dita pelo cidadão comum.
Há também a má fé de coletar o pior exemplo para generalizar o movimento. Esses dias, me deparei com um post de um amigo do movimento negro contrário ao feminismo, sobre uma moça (que se identificava como radical) alegando que mulheres brancas não oprimiam homens negros. Foi uma fala digna de ignorância e não compreensão de todos os fatores de opressão e que obviamente não representa as feministas. Porém, para quem quer odiar é uma ótima pedida para classificar o movimento inteiro como racista e intolerante.
Obviamente, não estou a dizer que somos santas e imunes aos preconceitos. Dentro do feminismo há sim muitas feministas racistas e elitistas e mesmo machistas (afinal, é um exercício diário nos livrarmos do papel de opressores), assim como todos os outros setores da sociedade brasileira não são divididos entre o bem e o mal.
Todos esses ataques devem ser comuns, como eu falei, a um movimento que visa questionar privilégios de uma determinada classe. Mas acho problemática quando somos consideradas "inimigas" de movimentos que supostamente deveriam dialogar conosco (negro, LGBT, esquerda etc) e principalmente, quando enxergo mulheres batendo orgulhosamente no peito que odeiam feministas e lutam pelo fim do feminismo (tá, também quero que o feminismo seja inútil algum dia, quando tivermos equivalência de condições). Onde não estamos sendo claras? Todas essas situações seriam mecanismos de backlash num momento onde as mulheres estão se tornando mais fortes e o feminismo está cada vez mais em pauta?

Meus comentários: São excelentes questionamentos! Até hoje leio feministas da Segunda Onda, engajadas já nos anos 1960 e 70, mostrarem sua perplexidade. Grande parte acreditava que, passado o choque inicial -- uau, essas mulheres querem direitos iguais aos homens e o fim das opressões --, os homens se juntariam a nós. Perceberiam que o machismo também é ruim pra eles e marchariam conosco rumo a um mundo menos desigual.
Não foi isso que aconteceu. Claro, muitos se juntaram a nós, e continuam se juntando. Mas vários também elegeram o feminismo como seu inimigo número um.
Que homens conservadores e de direita nos vejam como inimigas, eu acho bastante previsível. 
Eles estão perdidos num mundo em transformação. Os papéis de gênero passaram a ser questionados, e os velhos padrões de masculinidade não são mais aceitos sem críticas. Homens que não gostam de mudanças ficam confusos, não sabem como agir, pensam que perderam sua importância, veem seus privilégios (que eles nunca viram como privilégios, e sim como mérito) ameaçados. E, tal qual um animal ferido, atacam quem eles identificam como ameaça. Nós.
E nós somos sim uma ameaça, porque somos um movimento revolucionário bem estabelecido, com dezenas de correntes diferentes (o que não é uma fraqueza, mas uma força), com décadas de estrada, e com potencial pra mudar o mundo. Já mudamos muito, e vamos mudar mais. Eles veem que somos fortes. Em 2014, boa parte da vitória de Dilma sobre Aécio se deveu a nós, que batemos na tecla do machismo. Os fascistas que querem Bolsonaro nos veem como uma pedra no sapato.
Mas agora perdemos nos EUA. Havia uma candidata que se assume feminista e um candidato que abertamente odeia as mulheres. E, mesmo que a grande maioria das mulheres negras e latinas tenha votado em Hillary, 53 das mulheres brancas ajudaram a eleger Trump. Óbvio que não se pode culpar as feministas por esta derrota, Entre 30% e 40% das mulheres nos EUA se assumem feministas (um número próximo ao do Brasil e Reino Unido). Imagino que essas não votaram em Trump.
No início dos anos 1980, o número de mulheres americanas que era assumidamente feminista era de 80%, uma enormidade. O que mudou? O backlash, a reação conservadora, conseguiu reverter o quadro. E ainda estamos sob influência desse maldito backlash
Pra mim, sinceramente, é incrível que existam mulheres anti-feministas. 
Até posso entender mulheres que não queiram se dizer feministas (não concordo, mas entendo), mas mulheres que difamam e combatem a luta das mulheres, não. No entanto, elas existem. Quase sempre são mulheres conservadoras, muitas religiosas, que creem em papéis fixos de gênero e preferem estar sempre sob a tutela dos homens. 
Eu não conheço anti-feministas que não sejam machistas (e, na maioria das vezes, também racistas e homofóbicos). E, como todos os preconceituosos, eles se baseiam na ignorância. Acham mesmo, ou fingem achar, que feministas odeiam homens, que feministas são mal-amadas ou promíscuas (nossos oponentes não se decidem!), que feministas inventaram o aborto ou que só feminista aborta etc, etc. Como nós entendemos outros movimentos de esquerda como igualmente inteligentes, é chocante quando alguns de seus ativistas se opõem ao feminismo. 
Helena Ramirez é muito
parecida com Vera
Fischer (clique para
ampliar)
Mas algo que devemos levar em consideração é que os inimigos do feminismo raramente se baseiam em fatos pro nos atacar. Baseiam-se em mentiras! Certo, de vez em quando eles escolhem a dedo alguma declaração ou ato infeliz de uma feminista para generalizar e atacar todo os feminismos. Mas eles são mais bem sucedidos quando inventam e espalham alguma coisa que feministas não disseram ou fizeram. Por exemplo, até hoje circula no Brasil o hoax de que a feminista Helena Ramirez foi ao programa do Jô dizer que mulheres não devem transar de quatro, pois esta seria uma posição vexatória. Não existe feminista brasileira com esse nome, o número de feministas entrevistadas pelo Jô pode-se contar nos dedos (e nenhuma se chama Helena Ramirez), ninguém disse nada disso. Mas essa estupidez continua repercutindo!
Ou lembra quando inventaram e divulgaram que existem feministas que têm orgulho de expor seu sangue menstrual pra todos verem e que não se deve usar instrumentos patriarcais como OBs? Pois é, como uma besteira dessas pegou e fez tanta gente acreditar? Porque junta-se ódio contra as feministas (eles querem acreditar que feministas espalham seu sangue) com o velho machismo que faz da menstruação um tabu. 
Em outras palavras: na maior parte das vezes, os inimigos do feminismo não conseguem atacar nós feministas pelo que falamos ou fazemos. Precisam inventar declarações e atos pra gente. Isso é um bom sinal, não? Sinal de que acertamos muito mais do que erramos.
Creio que, enquanto o feminismo existir (infelizmente ele não se tornará obsoleto tão cedo, não nas nossas vidas, nem nas das nossas netas), haverá anti-feministas. Mas eles sabem que estão perdendo. Cada vez mais meninas se identificam com o feminismo, ou crescem empoderadas, sem levar desaforo pra casa. É até engraçado ver reaça dizendo que feminismo é "modinha". Uma "modinha" de 160 anos! E que estará na moda por muito tempo ainda. 

40 comentários:

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHA

Sério que tão se achando tanto assim? Ui ui ui, somos as novas iluminatis, ui ui ui, vamos dominar o mundo!

Menos queridas, bem menos. Vocês não são melhores nem piores que as outras correntes de pensamento, apenas diferentes.

Anônimo disse...

Lola, sabe qual é o problema desses boatos ridículos que surgiram sobre o transar de quatro, exibir o sangue da menstruação e outros? Tem mulher que replica isso!!! Querem tanto ser levadas a sério, e tem umas que fazem de tudo pra boicotar a própria causa!

Anônimo disse...

Ignorância, sempre impedindo o ser humano de ver além do que ja está conhechido e pré-estabelecido. Esse problema que ve desde que existe o ser humano.

Anônimo disse...

Texto pra reclamar de generalização enquanto generaliza todo mundo. Kkkkkk

Anônimo disse...

Lola, já que vc usou a imagem do novo caça fantasmas, saiba que o filme foi um fracasso em virtude do mesmo ser ruim e não por causa de uma conspiração do patriarcado

titia disse...

Mas desde quando mulheres que não se conformam com padrões idiotas deixaram de ser as grandes culpadas por tudo que dá errado no mundo? Sério, isso já era velho na época de D. Pedro I. As feministas, os ativistas das minorias, os que não se calam, os que mexem nos privilégios dos homens brancos héteros e ricos sempre foram os culpados do mundo "estar" essa desgraça que é "hoje". Entre aspas porque o mundo sempre foi essa bosta, apenas não sabíamos já que trocar informações era difícil.
E detalhe: o mundo é masculino. Esse mundo que é uma bosta, ainda mais de acordo com a visão dos machistas, é masculino. E desde que a propriedade privada foi inventada, esse mundo bosta em que vivemos é masculino. Preciso dizer mais?


12:47 obrigada pelo seu comentário totalmente irrelevante e dispensável. Você não tem uma prova para a qual estudar?

Anônimo disse...

Mas é claro que as meninas estão se identificando mais com o feminismo. Pessoas inteligentes são ambiciosas, querem uma vida melhor e é isso que o feminismo oferece. Ninguém esperto vai querer ser uma dona de casa sem dinheiro dependente de marido que trai. É jogar sua vida no lixo.

Anônimo disse...

E eu respondo: e daí? Transar de quatro e algo bonito de se ver? Ficar em uma posição de cadela é algo bom? Vão me chamar de moralista por isso e de vadia por eu defender o aborto? Sou uma freira vagabunda na mente de vocês?

Anônimo disse...

"Sério que tão se achando tanto assim? Ui ui ui, somos as novas iluminatis, ui ui ui, vamos dominar o mundo!"

Não querido, quem acha que somos as novas Iluminatis são vocês. Se fôssemos tão irrelevantes assim, qualquer comentário que se aproxime minimamente do feminismo você, por exemplo, não estaria aqui. E seria o primeiro a comentar. Dando F5 no blog da Lola?, tá dando muita importância para quem acha que o feminismo não tem poder

Unknown disse...

Boa tarde Lola,
Venho aqui para pedir que escreva sobre o caso de Mariana Costa,uma mulher rica,sobrinha do Sarney e mesmo assim vítima do machismo.Sou parente do marido dela.
https://www.google.com.br/amp/g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2016/11/cunhado-confessa-que-matou-sobrinha-neta-de-sarney.amp?client=safari

Anônimo disse...

Boa tarde Lola,
Venho aqui pedir para que escreva sobre p caso Mariana Costa,por favor.Enviei um e-mail com o link da notícia

Anônimo disse...

Lacrou miga

Anônimo disse...

Quase todo post desse blog é assim

Anônimo disse...

Essa estória de que "os homens estão confusos com um mundo em mudança" é balela pura, eles continuam nos pisando.

Eles não estão perdendo, como estão perdendo? Em que lugar do mundo? Ainda mais agora, nós estamos é mortas enquanto acreditarmos que temos aliados entre eles, nenhum vai levantar a voz enquanto estivermos sendo queimadas, nenhum vai se importar, os democratas já levaram cartazes fazendo apologia a estupro da esposa do futuro presidente! Eles nos odeiam.

Mesmo os melhores dentre eles nos odeiam, e, sim, há os que reconhecem e tentam mudar esse padrão de pensamento e comportamento - mas os piores se dizem feministas e tentam nos manipular dizendo qual feminismo é aceitável e o que as mulheres podem ou não dizer.

Uma mulher não reconhecer privilégio de raça, meo deos, que absurdo, vamos jogar na fogueira, só podia ser radical...


acho que pior que não reconhecer privilégios (NUNCA vi radical fazendo isso, é uma bosta que vcs libs falem isso O TEMPO TODO, que droga) é ficar perdendo tempo justificando feminismo pra homem manipulador que nem te reconhece como uma pessoa, mas acha divertido ficar apontando contradições sobre algo que vc acredita. Homem que provavelmente já constrangeu uma moça a transar sem caminha, vcs já pensaram que estão perdendo tempo discutindo feminismo com um abusador, que além de tudo é cínico?

Enquanto a gente não aprender a ignorar comentários masculinos e a mandar eles reverem os próprios posicionamentos (não adianta dizer que já faz isso individualmente enquanto tem mulher sendo estuprada, ok? não dá pra aceitar esse papo, todos eles se valem do fato de sermos aterrorizadas por essa possibilidade, então, enquanto houver estupro, NENHUM homem deveria ter o direito de palpitar feminismo. isso se tivéssemos um mínimo de dignidade e coerência, mas deixa pra lá, melhor falar mal das outras do que confrontar macho, não é mesmo?).

Mas enfim, é difícil ser feminista porque qualquer posicionamento em favor de mulheres é mal visto, e também é difícil se dizer feminista quando grande parte do movimento prega liberação sexual (não liberdade) como forma de empoderamento, quando não ensina meninas a se protegerem de relações abusivas, mas joga as garotas na fogueira, não ensina como homens são abusivos porque não considera estatísticas e bom senso pra "não generalizar", não parecer "odiadora de homens".

Mulheres não são anti-feministas porque gostam de estar sob a tutela dos homens. Essa afirmação é misógina, descontextualizada e ignora a realidade histórica das mulheres, ignora todas os constrangimentos e agressões desde a infância, e ignora especialmente que ser verdadeiramente feminista é nadar contra a corrente - é dolorido, difícil, não é só auto-afirmação.

Anônimo disse...

Tem mulheres/feministas que não se sentem superiores as cadelas e outras espécies em geral. E também tem mulheres que não tem problemas com nenhum tipo de posição sexual, apenas não faz algo se não se sente confortável com isso, mas não transforma isso em um discurso ou imposição ideológica.

Gente mau caráter, mentalmente desequilibrada tem em todo lugar, inclusive no próprio feminismo e ninguém deve ser obrigada a se envolver com este tipo de gente apenas por ser mulher e feminista. Tem muito oportunista e psicopata que adora se infiltrar em tudo quanto é ideologia para manipular e usar pessoas mais inocentes, vulneráveis e influenciáveis, inclusive em ideologias de esquerda também e isso inclui as feministas. Claro que tem feminista que está precisando mais de psicoterapia do que de ideologia. Mas isso em nada invalida o feminismo e as feministas que são realmente pessoas sérias, inteligentes, sensíveis e comprometidas com as mulheres.
Não gostava muito da Hillary, mas com certeza era uma opção bem menos pior em relação ao trump.

Anônimo disse...

As pessoas não são contra o feminismo atual por causa dessa helena ramirez ou uma historinha idiota de menstruação.

As pessoas são contra pq vcs pegam a média dos salários das mulheres comparam com dos homens e dizem que mulher ganha menos pelo mesmo serviço prestado.

Pq tudo que vocês não entendem botam a culpa no machismo

Pq vcs fazem de tudo pra se fazer de vítima e depois tentar pedir privilégios

Pq vcs querem que uma mulher que diz ter sido estuprada seja tratada como dona da verdade que basta ela postar um textão no face que não precisa de provas

Pq vcs acham q homem tem que aceitar mulher promíscua e não pode querer uma mulher mais resguardada

Que achar uma mulher gorda feia é gordofobia e que isso foi ensinado pela sociedade.

E várias outras hipocrisias que é só vc bater 5mins de papo com feminista que aparecem

Anônimo disse...

19:16, tente rebater então todos os posts, toda a violência e injustiça tratada nesse blog se é tão fácil assim. Já vi que é homem, e digo, a mulher pode exigir também homem recatado ao invés de um vagabundo que vive em puteiros.

Anônimo disse...

Gente '-'

Quanta ignorância em um comentário !

Você ganhou o Prêmio Nobel da Bizarrice deste ano, parabéns !

Anônimo disse...

Até pq sao cheio de doenças.da boca ao c*

Hele Silveira disse...

Uau, que crise histérica de projeção! Que chororô de mascu-pinto-pequeno!

A quem interessa que mulheres ganhem menos? Quem é que não suporta mulher bem sucedida?

Por que tudo que vocês não entendem é culpa do feminismo?

Por que vocês se fazem de vítimas até na hora de arrumar um simples prato de comida e querem reivindicar privilégios no grito (dica: vai reivindicar na pqp, porque aqui, não cola!)?

Por que pretendem que palavra de estuprador valha alguma coisa, já que nem há necessidade de fazer textão, só dizer: "é mentira da vadia"?

Por que acham que mulheres tem que aceitar homens rodados que acharam seus pintos no lixo?

Por que achar homem gordo feio é gordofobia? Se for gordo e pobre, então, já viu, rs. O canecão de male tears entorna, rs.

E várias outras hipocrisias, que é só um mascu escrever dois minutos que aparecem.

Mas claro que não podia faltar o mais importante. Tá vendo, mascu? Não? Olha direitinho! Força! Viu, você é capaz de enxergar! Isso! É o super foda-se, bem ali, rsrsrsrsrs.

Na verdade, eu iria te mandar tomar num certo lugar, mas como pressenti que iria adorar, contente-se com o super foda-se. Beijos!

Anônimo disse...

Anom 19:16

vc obviamente odeia mulheres e nem é do tipo que procura disfarçar.

se eu pudesse colocaria um aviso na testa de caras como vc, pra que nenhuma mulher se aproximasse. vc é tóxico.

Anônimo disse...

Desse blog? Faz me rir. Generalizam feministas o tempo todo, generalizam tudo e todos o tempo todo e o problema são as postagens do blog? Ah ta. Antes fosse esse o problema.

Vocês generalizam e reclamam de algo que vocês mesmo fazem. Só pode se for contra feministas né, hipócritas.

Anônimo disse...

Já vi que é homem, e digo, a mulher pode exigir também homem recatado ao invés de um vagabundo que vive em puteiros.

16 de novembro de 2016 20:34

e por acaso alguém disse que não? Escolhe quem te faz feliz, se tu gosta do recatado, beleza! Se tu gosta do vagabundo, beleza! Agora vocês são as primeiras a recriminar o "bela, recatada e do lar". Ninguém é obrigada a ser assim, mas respeitem que é ou gosta de gente assim.

Tem pra todos os gostos, se organizar direitinho todo mundo transa!

Anônimo disse...

Por que pretendem que palavra de estuprador valha alguma coisa, já que nem há necessidade de fazer textão, só dizer: "é mentira da vadia"?


E quando não houve estupro, quando é tudo inventado, quando é "vingancinha", porque só a palavra da mulher vale? Tem vários casos assim, inclusive de gente que foi preso, pra depois a bonita admitir que não houve nada!!!

Esse tipo de atitude é que tira a credibilidade daquelas que realmente sofreram abuso!

Náy disse...

Lola,a situação está realmente alarmante.Anteontem um jovem de esquerda,Guilherme,de apenas 20 anos,aluno da Universidade Federal de Goiás,foi assassinado pelo próprio pai,um engenheiro de 60 anos,que suicidou-se em seguida. E advinhe o motivo?O rapaz participava do movimento de ocupação da universidade e o pai não concordava. Então discutiram,e o pai perseguiu e matou o rapaz com quatro tiros.Aqui em Goiânia não se fala em outra coisa.O pior são os comentários nos portais de noticias: muitas pessoas justificando o crime, colocando a culpa na esquerda.Enfim,um horror.

Anônimo disse...

Obrigada Lola por publicar esses pensamentos, que, embora não encadeados, são questionamentos que tenho todos os dias lendo notícias variadas.
Aos machos histéricos, favor apontar as generalizações. Ao mandar este relato para Lola, eu juntei informações que eu vi de diferentes seguimentos: do branco-hetero-cristão-de-direita ao negro militante pan africanista da periferia, mulheres não-feministas mas que em algum momento se posicionaram a favor da equidade, e mulheres que se dizem feministas tentando justificar aos homens que não são as odiadoras de homens ou vadias que mostram os seios. Sobrou pra todo mundo, significando que o ódio está impregnado nas pessoas tornando-as incapazes para o diálogo.

Anônimo disse...

titia disse...
"Entre aspas porque o mundo sempre foi essa bosta, apenas não sabíamos já que trocar informações era difícil"
"Esse mundo que é uma bosta, ainda mais de acordo com a visão dos machistas, é masculino."
"E desde que a propriedade privada foi inventada, esse mundo bosta em que vivemos é masculino."

Vish...

Anônimo disse...

Lacrou miga 2

Anônimo disse...

Calma. Vagabunda é palavra q alimenta mentalidade d ódio. Estamos em plena era d comunicação que será crucial pra definir muita coisa no planeta. Precisamos alinhar nossa voz com estratégia, acho q é mais isso q a mana acima quis dizer e não criminalizar comportamentos.

Anônimo disse...

Oi
Eu já escrevi p Lola e ela geralmente pública os gust post. Ajude a Lola escrevendo! Fora q é muito bom arejar com novos pontos de vista é receber feedback. Abraço!

Anônimo disse...

Por isso são msacu lixos, nojentos, perversos e promiscuos

Anônimo disse...

Só queria acrescentar algo ao bom post da mana.

"Todos esses ataques devem ser comuns, como eu falei, a um movimento que visa questionar privilégios de uma determinada classe. Mas acho problemática quando somos consideradas "inimigas" de movimentos que supostamente deveriam dialogar conosco (negro, LGBT, esquerda etc)"

Precisamos muito achar consenso entre os diferentes feminismos e na minha opinião o feminismo precisa muito ser mais aberto ao movimento negro e apoia-lo muito mais.
Há um terrível genocídio em curso e os ataques são mais fortes contra as mulheres negras.
Fui em um debate do movimento negro pra aprender e ouvir. Precisamos apoiar muito está causa e a interseccionalidade com o feminismo. Atenção meninas, por favor vamos favorecer cada vez mais espaço ao movimento negro no feminismo!

lola aronovich disse...

Sim, gente, quem pediu que eu escrevesse sobre o assassinato da sobrinha-neta do Sarney: se vcs quiserem escrever um guest post, eu publico. Não sei nada sobre o caso fora o que li nos jornais. Não teria o que acrescentar. É mais um feminicídio, e é terrível. Alguém do Maranhão deve saber muito mais... Escrevam, por favor!

titia disse...

Licença gente, não parem de debater, só vim encher minha caneca de male tears com o mascu chorão com complexo de "vale menos que um torrão de bosta mas se acha a coisa mais preciosa da face da Terra".

E Helen, ADOREI sua resposta ao mascu chorão. Você é o máximo.

Morga Dias disse...

Texto foda, amei!

Anônimo disse...

Sabe o que eu acho engraçado, pessoal ?

Esses mascus. Só não é "mimimimi" quando é com eles.

Quando uma pessoa sente preguiça de debater ou pensar em uma resposta sobre certo assunto, fica mais fácil dizer que o outro está fazendo mimimi sobre determinado caso, quando não existem argumentos para serem debatidos. Afinal, é sempre mais fácil dizer que a culpa está no outro do que ter paciência de refletir e dialogar, até chegar em uma conclusão mais elaborada, do que uma repetição de duas simples letras...

Quem não vive o problema, reclama de que se está fazendo um mimimi sem razão. Só que normalmente, essa mesma pessoa passa a fazer o seu próprio mimimi quando sofre por algum motivo específico, que só ela conhece, e por aí vai a eterna roda de julgamento e reclamações que estamos nos viciando em ler por aí. A não ser que esteja acontecendo com você, a reclamação do outro acaba sendo tida como chata e sem sentido de existir. Já que ao usar determinada palavra não “tinha intenção de ferir" ninguém, isso deve, automaticamente, te ausentar de qualquer culpa. Qualquer responsabilidade por uma treta que se inicia e textões que são feitos e compartilhados aos montes.

Sabe, mascu, você pode refletir antes de dizer determinada coisa. E se não tiver certeza se será ou não interpretado de maneira equivocada, prefira não dizer. É bem mais simples! O mimimi pode acabar, mas é preciso que a gente deixe de ser egoísta primeiro!

Anônimo disse...

na minha opinião, o feminismo é o maior e o mais bem sucedido movimento social da história

parabéns meninas

Anônimo disse...

Até que fim Lola você aceitou o fato da Hillary ser feminista. Ufa! Bom, quem comete mais abortos? A imensa maioria deles, por sinal? Mulheres conservadoras. Bem fácil encontrar uma mulher que cometeu aborto, e elas são... Bingo, conservadoras. É entendível, de certo ângulo, para deixar bem explícito para que não haja mal entendidos, o fato de muitas e muitas, e bota mais muitas, mulheres se oporem ao feminismo. Motivo? A cultura do machismo que está entranhada nessas mulheres (prefiro chamar machismo do que sexismo, machismo é um termo mais amplo). Não brinque, séculos e mais séculos de opressão levaram milhões e milhões de mulheres sentirem auto-aversão. Gente, desculpa se incomodo, ou magoou alguém, mas a verdade infelizmente é essa. Feministas radicais existem? Sim. Como existem pessoas radicais em todo e qualquer movimento, seja ele de esquerda ou direita. O mais importante dentro do próprio feminismo é até mesmo combater os radicalismos. Simplesmente porque não ajudam em nada e são lesivos. Feminismo incomoda muita gente, e vai continuar a incomodar. Mas isso é excelente sinal. Mostra que o feminismo cumpre seu papel. E que continue a cumprir sempre.

Michelle disse...

Caraca, estou começando a gostar muito desse blog, esse foi o primeiro artigo que li, mas to sentindo que vou gostar muito dos demais e os comentários... ufa... vamos que vamos.

Laura disse...

Também podemos pensar que não tem como um movimento assim 'morrer'. As mulheres anti-feministas provavelmente sentem estranhamento e depois preguiça de lidar com o tanto de tabu que encontram pelo caminho. Preferem o conforto de uma vida tranquila sob tutela dos homens. A partir do momento que certas coisas são desmistificadas, elas se incomodam e jamais veem o mundo da mesma forma e isso estará contra elas. Se o marido controla a vida dela e depois ela o descobre traindo, já sabe direitinho que aquilo não era uma forma de amor. E ela só sabe porque as feministas disseram, ou seja, se o mensageiro parar de enviar as mensagens quem sabe ela não viveria mais em paz. Mas agora temos movimentos nas escolas, páginas no facebook, atrizes, propagandas.. tudo que vai questionar um modo de vida sem elas irem atrás para saber.