quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

A FINAL DO MASTERCHEF E O COMBATE AO MACHISMO

Ontem foi a final do MasterChef Profissionais e, como este era praticamente o único programa que eu via na TV, quero falar um tiquinho dele.
Eu dei um show à parte, porque esqueci que estava vendo o programa uma hora depois do "resto do Brasil" (pô, o Nordeste inteiro não tem o maldito horário de verão!) e tuitei, durante o comercial, que a final era previsível e sem suspense, e que Marcelo "já ganhou". Aí veio um montão de gente me avisar: "Ahn... Lolinha, spoiler: Dayse campeã!" 
Eu tinha certeza absoluta que Marcelo se sagraria campeão. Óbvio que minha torcida (assim como a de quase 90% dos espectadores do programa) era pra Dayse. Marcelo sem dúvida é um ótimo cozinheiro, mas é insuportável, arrogante, grosso. Entendo que a edição de programas de TV exagere pra criar um climão muitas vezes inexistente, só que foi a imagem que ficou. Marcelo se queimou demais uns três episódios atrás, quando torceu abertamente contra Dayse -- e quebrou a cara.
Melhor tuíte
Ainda assim, ontem os dois finalistas tiveram que preparar oito pratos (entradas, pratos principais e sobremesas) em quatro horas e meia (eu fico perplexa como alguém consegue fazer sorvete, como Dayse fez, em tão pouco tempo! Ok, eles são profissionais. Mas todos falharam na prova do suflê). Dayse se pôs em desvantagem porque esqueceu de pegar alguns ingredientes-chave no supermercado. E os pratos de Marcelo foram elogiadíssimos desde o começo. Os de Dayse também, certo, mas nem perto dos de Marcelo (era "sabor agradável" contra "sensacional"). Por isso, eu estava crente que ele venceria. Acho que a maioria também pensava assim.
E aí veio a surpresa, anunciada ao vivo (quero dizer, "ao vivo" pro resto do Brasil. Pra gente do Nordeste, uma hora depois): Dayse rainha, Marcelo nadinha (não com essas palavras). Uma coisa boa foi que o programa decidiu ser transparente e dar um toque mais objetivo: leu as notas de cada jurado para cada um dos pratos. Portanto, Dayse ganhou na soma dos pontos. Foi melhor avaliada nas entradas e sobremesas; Marcelo, nos pratos principais (como alguém faz língua e é elogiado permanece um mistério pra mim). 
Porém, as notas também foram chocantes. Sugestão pra qualquer um que usar notas: avise sempre o critério. É de um a cinco, ou de zero a dez? (foi o segundo quesito). Quando Ana Paula Padrão leu a primeira nota 2 para Marcelo, vinda de Paola, eu pensei: what the duck? Mesmo se fosse 2 em 5, ainda seria baixa. 2 em 10, então, era ridículo.
Ridículo não porque o prato de repente não estava bom, mas porque em nenhum momento os jurados deram a entender que algum foi tão abaixo da média. Pelo contrário. A palavra mais usada por Paola para descrever tudo que Marcelo preparou foi "sensacional". Conte quantas vezes Paola disse "sensacional". "Sensacional" não combina com nota 2. Nem com nota 5. Nem com 7. (Um internauta decidiu somar os pontos dos jurados para os finalistas para apagar a impressão que as notas baixas de Paola, a jurada favorita de quase todo mundo, foram determinantes pra perda de Marcelo).
Primeiro parênteses. Algumas pessoas fizeram no Twitter uma comparação entre as notas baixas recebidas por Marcelo e as notas dadas em alguns cursos em universidades. 
Tipo assim: o professor ou membro avaliador da banca diz "Seu trabalho está fantástico", e na hora da nota, taca lá um 7. Pô, isso não se faz. Eu, como professora e avaliadora, não faço isso. Tem que tomar um certo cuidado com as palavras. "Fantástico", "sensacional", é nota 9 pra cima. 
Segundo parênteses. Eu pessoalmente achei os pratos horríveis, se bem que eu nunca poderia ser chef ou jurada de gastronomia, porque eu não como nada que venha da água ou que seja asqueroso ou bizarro, como miúdos ou escargot, e só gosto realmente de sobremesas de chocolate (anote aí, caso algum dia você me chame pra ir pra um restaurante ou comer na sua casa). O único prato que fiquei minimamente tentada a comer foi o fudge da Dayse. Bem, eu não sou o tipo que vai a restaurantes chiques. Prefiro mil vezes um hamburger gorduroso feito em boteco que super prime gourmet burger. Fim do parênteses. 
Marcelo, que tinha mais certeza do que eu que ele seria o vencedor do MasterChef, não lidou bem com a derrota. Foi embora sem cumprimentar Dayse. Segundo testemunhas, a irmã dele protestou contra o resultado, lançando o clássico "É por isso que o Brasil tá uma merda!" Os outros concorrentes, que assistiram à prova do mezanino, também ficaram arrasados, pois sempre viram Dayse como fraca (apesar d'ela ter provado o contrário em vários testes). 
Alguns veículos noticiaram o que as câmeras não mostraram: que, nos discursos contra o machismo, uns candidatos trocavam olhares irônicos. "Virou Guerra dos Sexos", indignou-se a mãe de Marcelo. No fim da noite, Marcelo e Ivo (que, mesmo tendo trabalhado com Dayse, foi incapaz de torcer por ela) dividiram um táxi. Um disse pro outro, sarcástico: "Entra aqui, machista". 
Como sabe qualquer pessoa que acompanhou o MasterChef, esta edição foi marcada pelo machismo
A camaradagem de três chefs (Marcelo, Ivo, Dario) contra uma chef que eles desprezam e consideram menor -- provavelmente por ser mulher --, a declaração de Ivo de que as mulheres são frágeis, sua resposta ("Pega uma vassoura") após Dayse reclamar que estava sendo deixada de fora na própria equipe -- tudo isso foi muito perceptível para o público. 
No final, os discursos de Ana Paula Padrão (que disse que ela também, como Dayse, está num "ambiente super machista", o jornalismo) e Paola ressaltaram essa certeza.
Paola afirmou: "Assim como eu e a Ana, você escolheu entrar em uma profissão dominada pelos homens. Às vezes a gente tem que ouvir umas idiotices que… vou te falar. Mas você não está aí por ser mulher, mas por ter um talento incrível. Nós, jurados, não vemos gênero, religião, se é fofinho, carismático… Nós vemos pessoas, e nosso trabalho é julgar pratos que nos surpreendam”. 
As estatísticas não mentem: 90% dos chefs são homens, num mundo em que cozinhar, no dia a dia, ainda é visto como função feminina. Mas, quando é pra cozinhar profissionalmente, pra deixar sua marca, pra assinar o prato, pra ser valorizado, é visto como função masculina. Pegou mal o âncora do Jornal da Noite, quase tão repulsivo quanto Boris Casoy, dizer logo após o programa que a vitória de Dayse confirmava que o lugar da mulher era na cozinha. As intenções são boas, mas todas nós sabemos que, muitas vezes, uma pessoa acaba deixando seu machismo transparecer mesmo quando está tentando agradar (como João inventando um "apelido carinhoso" pra Dayse: "gordinha"). 
Na saída do estúdio da Band, a campeã deu uma entrevista relâmpago pra Folha, e disse que não é "símbolo do feminismo, porque não sou feminista". 
Eu nunca achei que fosse. Grande parte da minha torcida por ela (e, acredito, de boa parte das pessoas) não foi tanto pelo que ela fez ou disse, mas porque os marmanjos se uniram contra ela. E grande parte da união contra ela foi por ela ser mulher. É absurdo que, em pleno século 21, ainda tenha homem que se dói por "perder de mulher" (em qualquer área). 
E eu, francamente, dispenso um "símbolo" feminista no MasterChef ou onde quer que seja. 
Eu quero é que o machismo seja discutido, desnaturalizado, derrotado. Eu quero é que as mulheres se empoderem e se convençam que podem ser o que quiserem, que lugar de mulher é onde ela quiser. O MasterChef não vai acabar com o machismo na alta gastronomia, muito menos na nossa sociedade. Mas ele trouxe uma discussão de gênero importante. Durante algumas horas nas noites de terça, o público percebeu o machismo dispensado a uma das participantes, e se revoltou contra isso. Pouco importa se Dayse é ou não feminista. 
Putz, quase 90% dos espectadores torceram por Dayse, e pode apostar que 90% do público não é feminista (cerca de 30% das mulheres brasileiras se assumem feministas). Nós feministas somos "acusadas" de vermos o machismo em tudo (e a gente responde: o espantoso não é a gente ver machismo em tudo, o espantoso é você não ver). O bacana do MasterChef foi que o público viu esse machismo de forma muito presente. 
No entanto, o programa anda não acabou. Terça que vem tem um episódio com "lavação de roupa suja", em que talvez o programa tente negar tudo que apresentou nesta temporada (há boatos que Ivo deu um tapa na cara de Dayse quando foi seu chefe). É possível que Ivo diga no ar que fica profundamente irritado quando alguém o acusa de machismo. É possível que outros participantes digam que a edição do programa exagerou ao focar nesse tema. É possível que Dayse afirme que não, não existe machismo entre os chefs, é só nossa impressão. É possível até que ela explique por que não é feminista, usando todos os clichês machistas que conhecemos tão bem ("sou hétero, sou cristã, me depilo, quero casar"). Vamos ver.
O fato é que o MasterChef Brasil costuma suscitar discussões interessantes e relevantes. O programa nunca esperava que, quando realizou uma versão júnior, no ano passado, alguns babacas iriam sexualizar meninas de doze anos. A excelente hashtag #MeuPrimeiroAssédio, uma incrível iniciativa feminista para mostrar que mulheres começam a ser sexualmente assediadas quando são ainda meninas de 8, 10, 12 anos, veio como resposta a essa sexualização precoce.
Que o MasterChef traga mais discussões. Não é pela comida gourmet, cara, em proporções minúsculas que eu sou atraída pelo programa...

57 comentários:

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus! Parem de falar em machismo neste caso do Masterchef. Isso ofende a moça e da a impressão que ela teve uma vitória por cotas. Pensem! Ela ganhou por é uma profissional melhor, simplesmente. Não tem nada a ver com sexo. Os concorrentes homens era menos capacitados, pedantes, grossos, descompensados e se estreparam. Bem feito! Parabéns para a cozinheira. Sim, cozinheira, porque esse negócio de chef é outra coisa altamente pernóstica.

Naty disse...

Ótimo post!
Lola, os jurados já haviam indicado que as entradas do Marcelo haviam deixado a desejar. As críticas foram sutis, mas a maioria descrevia os pratos como desequilibrados tanto em gosto quanto em combinação. Além disso, depois dos pratos principais (nos quais Marcelo fora obviamente melhor), a Paola comentou que durante as entradas, o vencedor já estava bem claro (Dayse), mas que os pratos principais mudaram isso - e portanto, a decisão se daria com as sobremesas, o que foi exatamente o que aconteceu. Contudo, eles realmente deveriam tomar mais cuidado com a escolha de palavras. Afinal, achistas sempre vão usar desculpas pra desvalorizar a conquista de uma mulher...
Uma pena que a Dayse (como tantas outras) não perceba que na prática, só por sua resistência, ela *já* é uma feminista.

Anônimo disse...

Vamos problematizar tudo agora, é a geração mimimi, daqui a pouco até campeonato de bolinha de gude vai ser alvo de discussão

Anônimo disse...

Então não reclame sobre o alistamento obrigatório,os trabalhos inseguros a mortalidade maior dos homens (por culpa dos mesmos).

Anônimo disse...

Lola, vou precisar chamar a sua atenção agora.

Você já ouviu falar de um jovem chamado Wallace de Jesus Barroso?

Ele é conhecido na internet como "Aurum Magno" e "Profeta Final". Ao que me parece ele provavelmente deve ser o "doxxingfag" do Dogolachan. Ele foi discípulo do Gustavo Guerra e do Ministro Eric no passado, e agora prega seu pensamento nojento em blogs misóginos.

Acho que cabe criação de post sobre ele.

Anônimo disse...

Ela não deveria precisar dar satisfações por não ser feminista. Muitas mulheres ficam repetindo aquelas clichês de sempre exatamente porque são pressionadas pelas feministas a ficarem sempre se justificando por não querer usar o título de feminista. Deixe ela em paz ser o que ela quiser.

Anônimo disse...

mais uma vez omens sendo PISADOS, como de costume

17:23, o único mimizento q eu vejo aqui é vc

17:10, não omen, não vamos nos silenciar; sim, os concorrentes (lix)omens realmente eram ruins, até pq não dá pra esperar nada melhor do sexo masculixo, mas além de serem PÉSSIMOS cozinheiros, eram machistas tb, logo, iremos condenar os machismo SIM

omen sempre tem q vir defender a raça machista, credo

titia disse...

Uhuuu! Não assisto MasterChef admito, mas três machistas tomando no cu de uma vez só é simplesmente épico! Vou lá abrir o champanhe e comemorar essa ocasião.

17:10 ah claro, claro que nós vamos parar de falar do machismo só pra te agradar... só que nem que a vaca tussa a Abertura 1812 de Tchaikovsky em dó maior. Olha, você pode se quiser ir tomar no cu junto com os outros machistas. Ah, eu sei que cu de machista é sensível, mas afinal pra quê servem os lubrificantes, né?

Anônimo disse...

essa questão do machismo é óbvia("pega a vassoura" arrrgh!) mas vcs não acham q eles tinham uma implicância com a Day-z por ela ser uma pessoa mais simples,tanto na culinária(sem os nitrogênios e trecos estranhos e técnicas da cochinchina)quanto na maneira de se expressar(adorava o "esqueci o nome desse trequinho ai" na hora de apresentar o prato hauhau)?tipo,"povão" mesmo.Enquanto isso o resto era os 393939 prêmios do Ivo,"o amor por revolucionar a culinária blá blá" do Marcelo,as modernidades do Dario etc etc.a Dayse vinha sem nada disso(mas tem mais tempo de carreira do q mtos outros ali),cheia de gíria,tchururu.
esse pessoal é bem esnobe e elitista tb.

Ass:Tayná,não consigo fazer login no Google hauhau

titia disse...

17:23 tá certo, em vez disso vamos discutir coisas úteis, tipo qual porcentagem da verba pública destinada aos setores de pediatria dos hospitais públicos deve ser desviada pra criar a bolsa panicat e quanto do dinheiro destinado à educação pública pode ser cortado pra financiar camaros grátis pra mascus babacas.

Anônimo disse...

obs:Lola,eu vi vc perguntando no twitter sobre a historia do chefe q deu um tapa na cara da Dayse,ela citou isso no discurso dela antes do resultado.meio q relevando,meio q "a profissão é isso ai mesmo".
aqui ela fala de novo sobre http://veja.abril.com.br/entretenimento/dayse-a-masterchef-tem-mulher-sonsa-cozinha-pede-ogra/

ass:Tayná

Ezco Musaos disse...

Amon 27:23, geração mimimi é a de vocês, reaças lixosos. Não aguentam ver nada ser problematizando que começam a reclamar que estão sendo "atacados" pelos movimentos sociais. Os verdadeiros vitimistas mimizentos são vocês, que não aguentam ver machismo, racismo e homofobia serem questionados, os verdadeiros bebês chorões são vocês, lixos cibernéticos.

Anônimo disse...

A primeira temporada, a de 2014, em q foram duAS finalistas, será sempre a melhor temporada

mas essa tb não fica muito atrás

Patrick disse...

Eu vi agora o programa no Youtube e achei as notas dos jurados com coerência interna. Ou seja, apesar da discrepância de notas eu tive a impressão que eles sempre concordaram em quem foi o melhor em cada um dos pratos. E a Paola, salvo engano, deu ao menos dois 10 pra Marcelo e nenhum pra Dayse.

Anônimo disse...

Lola: então a titia pode mandar os outros tomar no cu? Parabéns!

Anonimo 19:11 os melhores cozinheiros do mundo são homens. Essa moça do Masterchef é uma exceção.

lola aronovich disse...

Sim, anon das 22:40. Titia pode tudo por aqui. Pensei que vc já tivesse reparado.
Meu blog, minhas regras.


Verdade, Patrick querido. Mas é que a primeira nota 2 foi da Paola, e deixou todo mundo em choque. Eu honestamente pensei que era 2 em 5, e mesmo assim achei uma nota baixa. Quando fiquei sabendo que era 2 em 10... Nossa!

Denise disse...

Não assito Masterchef (na verdade não assisto nada na TV), mas achei muito interessante a questão levantada no post: “Eu quero é que o machismo seja discutido, desnaturalizado, derrotado. Eu quero é que as mulheres se empoderem e se convençam que podem ser o que quiserem, que lugar de mulher é onde ela quiser.” É isso mesmo que penso, em passo de formiga vamos discutindo essas questões.

Só não me conformo da tal da Dayse ter declarado que não é feminista. Como uma mulher pode dizer isso? Ela poderia dizer que não é ativista do movimento, ou que não se considera símbolo do feminismo (o que concordo), mas daí a dizer que não é feminista é sinonimo de dizer que não acredita que deva haver igualdade entre homens e mulheres, o que partindo de uma mulher é lamentável. Pelo visto o feminismo ainda tem muito trabalho pela frente para desconstruir o próprio significado de igualdade de géneros e convencer as mulheres que elas não precisam se subjugar aos homens e podem exigir tratamento igual, que a busca por igualdade não tem qualquer relação com credo, opção sexual ou nível de escolaridade.

Anônimo disse...

Ah mascus não enche, as feministas são contra o alistamento militar obrigatório tanto de homens quanto de mulheres. A obcessão desses trogloditas cretinos e ignorantes por bombas, panicats bombadas e seus brutamontes ''alfas'' bombados e camaros amarelos bregas deixou os cérebros deles atrofiados e arrombados.

Anônimo disse...

Com esses trolls de radfem aqui condenando mulheres heteros, mandando todas ''virarem lésbicas'' a qualquer custo, só repetindo as mesmas asneiras de sempre, toda mulher como a Dayse se assusta mesmo. Primeiro expliquem para as radfems que feminismo não tem qualquer relação com credo, opção sexual ou nível de escolaridade. Depois deixem a Dayse decidir em paz o que ela quer seguir da vida dela, como ela quer se chamada e considerada.

Anônimo disse...

Então está explicado o que não fazia sentido:

titia = o álter ego mal educado da Lola.

Mirian Andrade disse...

Isso, aqui é lugar de toda feminista, inclusive as rads.

Alias, é sempre bom apoiar estas mulheres, elas nunca fizeram mal a ninguém, nao ameaçam nem nunca fizeram acusações infundadas.

http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2015/05/eu-mais-ou-menos-branca.html?m=1

Anônimo disse...

Você já parou para pensar que as rads criticam o porque de insistir em relações violentas e o falso romantismo que prende as mulheres e que nenhuma feminista liberal de batom vermelho tem profundidade de pensar? Quando é que vocês vão ver que a liberdade sexual atualmente trás mais problemas do que vantagens para as mulheres?

Anônimo disse...

Será que existe trols radfem ou são outras que incapacitadas de argumentar com elas as chamam assim ? As rads possuem um feminismo com um pensamento materialista e não a idealista que as liberais possuem. Pense nisso.

Anônimo disse...

Você já pensou que várias mulheres criticam o feminismo justamente por esse pensamento estúpido de que é bom e orgulhoso ser vadia e apoiar tudo ligado ao pornografico? Deveriamos lutar por melhorar a educação das mulheres no mundo, a prostituição,o tráfico humano ao invés de incentivar a fazer sexo anal para ser "empoderada".

Anônimo disse...

Acho que elas possuem pena das mulheres heteros por se submeterem e nunca demonstrarem um campo crítico mais aprofundado. Exatamente como o patriarcado quer,a parte rosinha e falsa do feminismo.

titia disse...

Obrigada Lola :3

22:40 você quer vir num blog cheio de histórias de como o machismo desgraçou a vida de um monte de pessoas mandar (nem pedir, mandar, como se tivesse esse direito) que a gente não discuta mais o machismo porque você acha chato, e ainda ser tratado como realeza? Não, meu filho, comigo não. Aliás, eu nem mandei você tomar no cu, veja bem. Eu SUGERI que você fosse tomar no cu - apenas sugeri, e ainda dei uma dica sobre como não sentir dor enquanto faz isso, olha como eu sou legal. Talvez se você fosse adulto, ou tivesse um pouco mais de noção de ridículo, ou pensasse antes de falar (ou digitar) bosta não precisaria ouvir a resposta que merece.

Ana disse...

Não consegui assistir ao episódio, vou ver no YT depois. Acho que as pessoas têm dificuldade de separar as coisas... criticamos o machismo sim, temos que falar quando vemos algo errado, uma injustiça acontecendo. Porém, lutar contra injustiças não nos faz fracas nem coitadas, nos faz fortes. Assim, a Dayse ter vencido o programa não resulta da injustiça que sofreu com relação aos outros participantes. Ela ganhou porque mereceu, porque mostrou serviço, foi a melhor! Lutar contra o machismo, ser feminista, não nos faz coitadas que devam ser protegidas. Pode ser que a Dayse tenha ganho a simpatia do público por ter sido perseguida, desmerecida pelo Marcelo, um cara arrogante e sem noção. Mas com certeza não venceu por isso. Venceu porque mereceu, ponto. Essa separação (reconhecer que foi injustiçada, mas que não foi por isso que venceu) acho que muita gente não consegue enxergar, nem ela mesma... acho que ela tem receio de se reconhecer como vítima do machismo, se ver como feminista, e automaticamente ser taxada de coitada. Por isso essas declarações de "a cozinha é dominada por homens porque é um ambiente bruto, muita mulher não dá conta, tem que ser ogra", e a alta tolerância a ser maltratada (penso que foi o jeito que ela encontrou de permanecer forte mesmo em momentos difíceis). Enfim, tudo bem ela não se ver como feminista (assim, seria ótimo se ela tivesse essa percepção, mas.. muitas pessoas nem sabem o significado da palavra), às vezes ainda está passando por uma desconstrução. Mas concordo contigo, Lola, foi ótimo esse assunto ter sido debatido, discutido, com certeza o programa serviu pra empoderar muitas mulheres.

Anônimo disse...

"os melhores cozinheiros são homens"

ERRADO, e mesmo se fosse, a cozinha q é o lugar deles, não das mulheres, incluindo a casa, o tricô, a roupa, os filhos, a creche, etc.

façam bom proveito das tarefas domésticas meninos, já q vcs se acham tão "bons" assim

Anônimo disse...

Com essas psicopatas radfems sempre repetindo os mesmos absurdos, agressões e baixarias de sempre, apoio muito a Dayse de querer se manter bem longe daqui.

Anônimo disse...

A vitima NUNCA tem culpa

titia disse...

07:36 "ser vadia" é um conceito machista. É a ideia estúpida e machista de que a mulher não pode transar com quem quiser quando quiser, que ela deve se "preservar", ser casta e recatada pois do contrário não tem valor - isso enquanto os homens podem passar o rodo geral. Antes querer vir cagar regra em pautas feministas, por favor tente deixar de ser machista.

Anônimo disse...

Não são as radfems que defendem sadomasoquismo-bsdm como algumas gostam por aqui. Estou com nojo dessa geração de falso feminismo que defende a depravação da mulher,a cultura do estupro e o fetiche do estupro. Estou com nojo das liberais que pouco se importam com as mulheres que vão se suicidar na síria para não serem estupradas. Estou com nojo do assunto de usar ou não maquigem e idolatrar a futilidade ser mais importante que a vida REAL das mulheres.

Anônimo disse...

Você reclama das rads mas nunca demonstra sequer um argumento em relação ao que elas defendem. Você nem deve saber oque elas querem e defendem mas comprou o espantalho que o patriarcado te vendeu. Ser uma "feminista" rosinha e fofa que não muda porra nenhuma na realidade e aceito todas as merdas pós-modernas é amplamente defendido peloa homens. Vai por mim,isso vai dar merda.

Anônimo disse...

Eu acho estranho uma pessoa se ver como forte e ao mesmo tempo aceitar tantas humilhações dos outros. Não deveria ser forte o suficiente para tentar MUDAR a realidade cruel ao invés de aceitar calada?

Anônimo disse...

Absurdo e paradoxal é feminista defender prostituição e pornografia.

Kittsu disse...

Quando o débil mental se recusa a usar equipamentos de segurança porquê é "coisa de mulherzinha", apesar de todo o esclarecimento dado sobre o assunto... É culpa dele, sim.

Anônimo disse...

Eu, como 90% dos telespectadores, torcia para Dayse (por todo o contexto, não pelos pratos dela). Mas é inegável que os pratos do Marcelo na maioria foram bem melhores. Acharia justo ele ganhar, já que é uma disputa técnica. Mas... a decisão foi por 3 pontos (bem controversos segundo as avaliações), foi muito acirrada, sabemos que qualquer um poderia ter levado o título, mas só um poderia ganhar mesmo.
Fiquei chateado ao final quando vi Dayse falando que não era feminista, que não levantava bandeira de machismo ou feminismo, enfim, vi que é mais uma pessoa sem esclarecimento necessário para essa questão...

Anônimo disse...

Sobre alistamento obrigatório masculino: quem inventou essa treta foi Olavo Bilac, reclamem com ele!
Eu já tive vontade de entrar para o exército e não podia, poxa. Deve ser porque o alistamento masculino é obrigatório também, e apinha a instituição de gente hipocrita, incompetente e idiota.

Anônimo disse...

Aceitar calado exige mais força do que fazer um pandemônio. Instabilidad emocional e impulsividade é coisa de gente fraca mentalmente. Uma pessoa mais centrada e sóbria analisa as possibilidades e age. Ela mudou a realidade dela ganhando o Masterchef, se ela se voltasse contra os rapazes ao ouvir tais idiotices, provavelmente ficaria abalada psicologicamente, perderia o apoio popular, ouviria umas boas asneiras e perderia. Talvez até fosse desclassificada.

Anônimo disse...

Lola, SOCIALIZA seu Blog!

NÃO ??? MAS PQ ???

***PROPRIEDADE PRIVADA*** sua né.

AHHHH TÁÁÁ...

Anônimo disse...

O cara é tão desesperado que quer ter direito em blog...

titia disse...

06:48 eu não sou a Lola, bestinha. Se eu fosse já teria tirado print dos seus comentários machistas e mandado pra sua mãe, irmãs, chefe e qualquer outra mulher da sua convivência. A Lola é muito boazinha com vocês trolls, eu já teria banido você sem dó nem piedade e antes de bani-los os denunciaria pra todas as mulheres da sua convivência.

13:02 a Lola socializa o blog dela sim, do contrário você precisaria de senha pra navegar nele. Mas você não manda aqui, entendeu? O blog não é seu, é da Lola portanto quem manda aqui é ela. Você não manda aqui, mascu. Entendeu? Deixa eu repetir mais devagar: você.Não.Manda.Aqui.Mascu. Você não manda nem nas suas próprias cuecas, quer mandar no blog alheio?

Anônimo disse...

Sinceramente não entendi o tanto de comentários e vídeos que vi sobre " resultado polêmico " do masterchef .

Não vi nada de polêmico no resultado , não provei os pratos pra saber . E quer saber, Marcelo parecia ser um excelente cozinheiro, mas foi tão arrogante que os jurados acabaram escolhendo a Dayse que tinha uma postura mais ética . Pra mim não basta cozinhar bem . Eu jamais iria a um restaurante onde o chef fosse grosso, ou ficasse de mimimi ,por causa de uma crítica ou sugestão minha a respeito de um prato . Você vai lá pra comer e pra ser bem atendida, e o Marcelo me passou a impressão de que um restaurante dele não duraria um mês se ele tratasse os clientes dele com a postura que mostrou no programa.
Não entendi o carnaval que a família do Marcelo fez do resultado , ue, não sabem perder ? !!

Não critico a Dayse por não ter se declarado feminista , talvez ela nem esteja por dentro do que é o feminismo e possa aprender com o tempo . Já adorei a postura dela no programa , pois me passou muita segurança no que fazia , e as ofensas e indiretas babacas que ela escutava pra mim ela deixava entrar por um ouvido e sair pelo outro, não tava nem aí . Não era à toa que o Marcelo não a queria na final, ela era bem mais forte e centrada que o Dário !

Acho super válido discutir o machismo no programa , faz parte , e não entendo o drama que tão fazendo em cima do resultado , dizendo que virou guerra de sexos, que escolharam a candidata que se faz de coitada ( ?? Nunca vi Dayse se fazer de coitada, ao contrário !) , ou píor, que escolheram a Dayse pra agradar a massa e o povao ....como se a própria pessoa que escreveu esses comentários fosse podre de rica e não fizesse parte do que ela chama de massa ....rsrsrs .

Tô curiosa pra ver a lavação de roupa suja que farão semana que vem, rsrsrs ....mas pra mim esse drama que estão fazendo em cima do resultado já deu .Marcelo e família , aceitem perder que dói menos .

Venceu a pessoa que cozinha bem, que é centrada, que tem mais postura ética e era mais segura do que estava fazendo , ponto final.
Não sei se o sabor dos pratos do Marcelo eram melhores , mas postura e ética em minha opinião contam pontos e a Dayse fez por merecer . Não confundir nervosismo que é normal e a Dayse pode ter apresentado em alguns momentos , com falta de confiança em si e soberba do Marcelo. Só quem não confia o suficiente no seu taco precisa tentar rebaixar o outro.

Beijo, Lola,

Maria Valeria



Anônimo disse...

Concordo com a Maria Valéria.

O Masterchef Profissionais tem a obrigação de avaliar também a postura profissional do participante, ao contrário do amador (embora eu ache que postura e comportamento devam ser avaliados sempre).

Entre pratos bons e boa postura e pratos bons e má postura, o resultado foi justo!

Anônimo disse...

Interessante como mulheres gostam de serem endeusadas como número um.Os movimentos feministas sempre combateram o papel da mulher na cozinha procurando mostrar a mesma em outras áreas como engenharia.Quando homens começaram a aparecer na TV como cozinheiros elas começaram a disputar aquilo que antes era símbolo do machismo

Anônimo disse...

"13:02 a Lola socializa o blog dela sim, do contrário você precisaria de senha pra navegar nele. Mas você não manda aqui, entendeu? O blog não é seu, é da Lola portanto quem manda aqui é ela. Você não manda aqui, mascu. Entendeu? Deixa eu repetir mais devagar: você.Não.Manda.Aqui.Mascu. Você não manda nem nas suas próprias cuecas, quer mandar no blog alheio? "

AHAHAHHAHAHAH Titia, você é d+!
Chupem, mascus!!!!

Anônimo disse...

"13:02 a Lola socializa o blog dela sim, do contrário você precisaria de senha pra navegar nele. Mas você não manda aqui, entendeu? O blog não é seu, é da Lola portanto quem manda aqui é ela. Você não manda aqui, mascu. Entendeu? Deixa eu repetir mais devagar: você.Não.Manda.Aqui.Mascu. Você não manda nem nas suas próprias cuecas, quer mandar no blog alheio? "

titia radfem,
O blog é tão socialista que SÓ ACEITA COMENTÁRIOS QUE ELA QUER.
Tá mais pra ditadura, que é a definição de socialismo.

Quem manda é ditador.

Já correu hoje, titia?
Tá precisando ein.

Anônimo disse...

08:20 Acho que você não leu o post direito. Há sim uma diferença entre uma dona de casa que passa um dia inteiro na cozinha e uma chef: A remuneração. Sempre foi um paradoxo da nossa sociedade, não apenas com a cozinha, mas todas as tarefas consideradas femininas que quando colocadas em um contexto de trabalho se tornam improprias para mulheres. Tocar piano sempre foi visto como algo feminino, mas mulheres deveriam tocar apenas para a própria família sem muitas ambições, o mesmo com pintura e desenho, podiam aprender apenas como forma amadora e não para serem artistas conhecidas, ou no caso da costura, que no máximo seria um trabalho de operária, nunca fazendo diferença na alta-costura ou sendo estilista.

titia disse...

Obrigada, 09:22 :)

08:20, nós gostamos de ser endeusadas? Não, colega, nós só queremos ser tratadas com o devido respeito que se deve a um ser humano. Quem quer ser endeusado são vocês, machos, que querem pautar o blog dos outros, querem mandar no que as mulheres vestem, comem, em como elas devem se comportar e até nas suas vaginas. Querem estar sempre certos em tudo mesmo quando o que dizem ou fazem está errado, querem mandar na vida de outros homens, querem tudo feito do seu jeito. Eu não esqueci até hoje o chilique que um macho deu porque não foi o príncipe quem salvou a princesa no filme Malévola, e foram machos quem reclamaram do remake de Caça-Fantasmas com mulheres nos papéis principais. São vocês que reclamam quando o foco é das mulheres, quando perdem um pouquinho só de espaço. E, quando nós conseguimos um espaço, vocês reclamam que nós queremos exatamente o que vocês querem. Machinhos mimados.

Anônimo disse...

"Não dá pra esperar nada melhor do sexo masculixo", amiga, para com isso que tá feio. Aqui é um blogue feminista, e não misândrico ou femista.

Ezco Musaos disse...

Anon 08:20, você sabe ler? Ou só se faz de idiota? Acho que a segunda opção é a mais viável.

"90% dos chefs são homens, num mundo em que cozinhar, no dia a dia, ainda é visto como função feminina. Mas, quando é pra cozinhar profissionalmente, pra deixar sua marca, pra assinar o prato, pra ser valorizado, é visto como função masculina."

Anônimo disse...

"Não dá pra esperar nada melhor do sexo masculixo", amiga, para com isso que tá feio. Aqui é um blogue feminista, e não misândrico ou femista. "

Mas então o que se pode esperar de bom? A sociedade está uma merda, os homens agem como uns merdas e temos que ficar levando merda. Aponte uma coisa boa que podemos esperar, eu gostaria muito de ver um ponto otimista.

Anônimo disse...

Ao anônimo 14 de dezembro das 17:10

Dayse ganhou apesar do machismo dos concorrentes. Foi guerreira!

Anônimo disse...

Lógico que ela não vai dizer que é feminista, ela não quer fazer parecer que ganhou por causa disso, como muita gente disse. Fora que depois dali ela vai continuar em grande parte trabalhando com homens, e esse tipo de coisa pode afetar a carreira dela.

Anônimo disse...

"Tia Lola, a titia me mandou tomar no cu, briga com ela"
Vcs são lamentáveis. Chegam aqui falando um monte de asneira num blog feminista, destratando a blogueira e as comentaristas e sem vontade nenhuma de debater (só de trollar) e querem ser recebidos com flores, chocolates e abraços apertados. Vão chorar nos chans de vocês.

Anônimo disse...

e quem disse que ela ganhou por causa disso? Releia o texto e sim, Houve machismo e dos mais grotescos admita oo óbvio , e ela ganhou por puro talento.

Anônimo disse...

o que? ele era misógino e agora é feminista? serio isso?