segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

A TRAGÉDIA ANUNCIADA DO ETERNO ÓDIO CONTRA AS MULHERES

Que maneira horrenda de começar o ano! Ontem, assim que li pela primeira vez alguma notícia sobre a "chacina" e "tragédia" de Campinas, em que um homem de 46 anos invadiu uma festa de reveillon e matou doze pessoas, entre elas sua ex-esposa e seu filho de 8 anos, tuitei pedindo que a mídia tratasse o caso como feminicídio. 
Porque tragédias e chacinas, pra mim, tem outra conotação. Tragédia está mais ligada a desastres naturais, coisas não premeditadas. Chacinas são quase sempre cometidas por traficantes ou policiais. Feminicídio (que os dicionários ainda sublinham de vermelho, como se o termo sequer existisse) são crimes em que a vítima ou a maior parte das vítimas é mulher, que foi morta por ser mulher. É uma epidemia internacional. Segundo a ONU, 38% de todas as mulheres assassinadas no planeta são mortas pelo parceiro ou ex-parceiro. É o cara que jurou amor eterno mas não aceitou o fim do relacionamento, que prefere ver a companheira morta do que com outro, que quer se vingar, que quer lavar sua honra. É incrível a quantidade dos homens que recorre à violência quando tem que lidar com algum tipo de rejeição. Só esses índices alarmantes já provam como o feminismo é imprescindível e como aulas de gênero podem ser importantes para combater a violência.
Este caso terrível me lembrou imediatamente de três outros casos igualmente terríveis. Um foi o de Queimadas, na Paraíba, em 2012, quando dois irmãos e seus oito amigos decidiram fazer uma festa de aniversário em que simulam um assalto e estupraram as convidadas. Duas delas reconheceram os caras (encapuzados e armados), seus "amigos", e foram executadas. Dez rapazes sabiam do plano e concordaram com ele! Eles quiseram estuprar mulheres (conhecidas, amigas)! Era um programa pro final de semana. E tem gente que acha que feministas se vitimizam e fazem mimimi...
Outro caso nem é tão conhecido, mas pra mim foi marcante porque foi em abril de 2009, quando meu blog tinha um ano e pouco de vida e eu não tinha tanta experiência com o ódio nos comentários dos portais de notícias. Um professor de Direito da USP matou o filho de 5 anos e se matou em seguida, porque não conseguiu a guarda do menino depois do divórcio. Os comentaristas julgaram a mãe, aquela "vadia" que acabou com a família ao pedir a separação. Alguns pediam a revogação da lei do divórcio. Outros se indignavam que a guarda geralmente fica com a mãe. Lembrando: eles estavam lamentando que a guarda não fica com o pai numa notícia sobre um pai que matou o próprio filho!
O outro caso, bastante óbvio, é o massacre de Realengo, que ocorreu em abril de 2011. Um rapaz de 23 anos invadiu a escola pública no Rio em que tinha estudado e matou doze jovens, a maior parte com 13 anos de idade. 
Foram dez meninas e dois meninos. A mídia até hoje não trata o massacre como um crime de ódio, como feminicídio, como crime de gênero. Na época, os telejornais tentaram explicar o "placar" da matança apelando para justificativas esdrúxulas, como "meninas correm menos, não conseguiram fugir, e sentam na frente da classe" -- apesar das testemunhas afirmarem que Wellington atirou nas meninas na cabeça, para matar mesmo, e apesar do assassino ter deixado registros em que chamava mulheres de "seres impuros". 
Wellington era um masculinista (que faz tempo que apelidei de "mascu"), frequentador assíduo de fóruns e blogs que todos os dias compartilham o ódio que vários homens medíocres, tristes, perturbados, e de extrema direita compartilham pelas mulheres. Mascus geralmente são diferentes de machistas genéricos porque o machista padrão é aquele que acha que nenhuma mulher presta, exceto a santa mãe dele. Pra mascus, nenhuma mulher presta e pronto. Isso inclui a própria mãe. Todas as mulheres são vadias. Um dos mantras mascus é "não existe mulher exceção". 
Mascus já cometeram vários massacres pelo mundo. E, em todos os lugares, a mídia tem dificuldade em classificar as mortes como feminicídios, como crimes de ódio. Um dos primeiros massacres mascus foi numa faculdade politécnica de Montreal, em 1989, em que um rapaz que não conseguia vaga entrou numa sala de aula, separou as alunas dos alunos, e matou 14 mulheres enquanto gritava "Odeio feministas!" Ahn, o que mais um cara precisa fazer para que a imprensa considere que foi um crime de ódio? Mas mesmo o Canadá levou anos para tratar o massacre como feminicídio, não como "tragédia". 

Talvez o massacre de Realengo tenha sido nosso primeiro caso no Brasil de assassinatos em massa motivados por misoginia. Acho que podemos considerar os feminicídios em Campinas o segundo. Teve o mesmo número de vitimas (doze pessoas: nove mulheres e três homens, um deles uma criança). As motivações foram diferentes, mas o vocabulário dos assassinos e o ódio que eles nutriam pelas mulheres são muito parecidos. E podem ser lidos diariamente em portais de comentários e em fóruns mascus.
Alguns desses mascus me ameaçam de morte, estupro, tortura, desmembramento, há seis anos. Faz uns dois anos, eles passaram também a ameaçar meu marido e minha mãe.
Eles já ameaçaram cometer atentados em várias instituições onde palestrei, mas agora, dois dias antes do Natal, enviaram um email ao reitor da minha universidade, a UFC, dizendo que ou ele me demite, ou um massacre que matará 300 pessoas (o email continha links de como produzir armas caseiras, tóxicas) irá acontecer em breve. A Polícia Federal, a Polícia Civil (principalmente a do Paraná, onde mora um dos responsáveis por um chan de ódio), e a Abin estão investigando. Esperamos que eles finalmente sejam presos (dois deles foram presos em 2012 pela Operação Intolerância). 
Quem já leu meio parágrafo de linguajar mascu reconheceu na carta de Sidnei, o assassino de Campinas, o mesmo vocabulário, o mesmo ódio. Que Sidnei seguia a ideologia da direita, não há dúvida. Chamava Dilma de vadia, chamava o Brasil de "paizeco de bosta", odiava defensores de direitos humanos e feministas, condenava pagar impostos. Soa familiar, né? Todo mascu é de direita. Mas nem todo reaça é mascu. Sidnei era acima de tudo um mascu. Ele escreveu para o filho (tudo sic): 

"Não tenho medo de morrer ou ficar preso. [...] Morto tbm já estou, pq não posso ficar contigo, ver vc crescer, desfrutar a vida contigo por causa de um sistema feminista e umas loucas. Filho tenha certeza que não será só nos dois quem vamos nos foder, vou levar o máximo de pessoas daquela família comigo, pra isso não acontecer mais com outro trabalhador honesto. Agora vão me chamar de louco, más quem é louco? Eu quem quero justiça ou ela que queria o filho só pra ela? Que ela fizesse inseminação artificial ou fosse trepar com um bandido que não gosta de filho.
A vadia foi ardilosa e inspirou outras vadias a fazer o mesmo com os filhos, agora os pais quem irão se inspirar e acabar com as famílias das vadias. As mulheres sim tem medo de morrer com pouca idade. Ela não merece ser chamada de mãe, más infelizmente muitas vadias fazem de tudo que é errado para distanciar os filhos dos pais e elas conseguem, pois as leis deste paizeco são para os bandidos e bandidas.
Filho, não sou machista e não tenho raiva das mulheres (essas de boa índole, eu amo de coração, tanto é que me apaixonei por uma mulher maravilhosa, a Kátia) tenho raiva das vadias que se proliferam e muito a cada dia se beneficiando da lei vadia da penha!
Não posso dizer que todas as mulheres são vadias! Más todas as mulheres sabem do que as vadias são capazes de fazer!
Sei que me achava um frouxo em não dar uns tapas na cara dela, más eu não podia te dizer as minhas pretensões em acabar com ela! Tinha que ser no momento certo. Quero pegar o máximo de vadias da família juntas."

É bem raro um cara escrever "Vadia da Penha" sem ser mascu. Os mascus americanos, conhecidos como Men's Rights Activists (Ativistas pelos Direitos dos Homens, grande mentira porque eles só existem para atacar ativistas), costumam ser mais velhos que os mascus brasileiros. Lá é mais frequente um homem ser atraído para um movimento de ódio depois de se divorciar e não conseguir a guarda dos filhos. Aqui no Brasil a maior parte dos mascus não é casada ou tem filhos (ainda bem!). Mas eles também comungam do discurso de "leis misândricas feitas pra arruinar o homem". 
Comum no discurso de todos os mascus é esse sentimento de que eles são os "caras bonzinhos". São eles os homens de bem, os homens honrados, justos, sãos, de boa índole, trabalhadores honestos, mas infelizmente "as vadias", por serem burras, loucas e irracionais, não os escolhem. Sabe como é, vadias preferem bandidos, não caras bacanas que invadem festas de reveillon para matar elas e toda sua família. 
Na carta, Sidnei projeta no filho o ódio que sente. Pensa que o filho o considera "frouxo" por não apelar para a violência doméstica, mesmo depois de estar cinco anos separado. A gente fica pensando: se Sidnei tivesse contado ao filho e a outras pessoas suas "pretensões em acabar" com a ex-esposa, o que poderia ter sido feito? Ameaças individuais só são levadas a sério pela própria vítima. Provavelmente Isamara já havia sido ameaçada. Alguém que comete um assassinato gasta muito tempo fantasiando, planejando, ameaçando. O filho provavelmente sabia também, o que explica a declaração de uma professora. Ela conta que João Victor havia dito que, quando crescesse, queria matar o pai
Talvez o que mais chame a atenção na carta é como um sujeito que usa tanto a palavra "vadia" para se referir às mulheres explique ao filho -- que ele já havia planejado matar -- que não é machista. Afinal, ele "ama de coração" as mulheres de boa índole. Ele é o juiz que determina quem tem "boa índole" e quem é "vadia". E é uma linha tênue, porque pra uma mulher ir de "boa índole" para "vadia" é um pulo. Basta discordar do cara. 
Nos fóruns mascus, Sidnei (assim como Wellington de Realengo e tantos outros mascus assassinos) automaticamente virou objeto de culto. Os únicos pontos de discussão é se ele fez bem ou não em matar o próprio filho, ou se ele deveria ter matado "a vadia" ele mesmo ou ter contratado alguém para matá-la. Alguns comentários coletados rapidamente escritos por esses homens honrados:

"Deus te abençoe, Sidney". 
"Nosso irmão Sidnei fez e fez bem feito. Meu ato está programado para o Carnaval e tomou mais forma e incentivo depois desse maravilhoso ano novo".
"Ele fez exatamente como aconselhei".
"O cara até raspou a numeração pra não prejudicar quem vendeu a arma. Um verdadeiro herói". 
"Tem um lugar no céu esperando por você, guerreiro. Graças a sua atitude nobre, o mundo se tornou um lugar melhor". 
"Meu herói. Inspiração para um 2017 melhor e mais valente na minha vida". 

A promessa de massacres e atentados é comum em fóruns mascus. Como são espaços que reúnem muitos homens frustrados, solitários, desajustados sociais que não veem perspectivas profissionais, acadêmicas ou afetivas para suas vidas, o que mais se vê são tópicos sobre suicídio. E, em todo tópico sobre suicídio, sempre aparecem outros mascus para pedir que o sujeito faça sua morte valer a pena: "Leve a escória junto" é um outro mantra. A justificativa é que, já que você vai se matar, antes abra fogo ou exploda uma bomba numa marcha das vadias, ou numa parada gay, ou numa palestra feminista, ou num prédio de humanas numa federal. Para eles, "homens de bem", todo o resto da população ou é escória ou gado. E eles juram que o que os impede de cometer atentatos é a dificuldade em conseguir armas de fogo no Brasil. Sonham com o dia em que possam comprar armas de fogo em supermercados.
E aí você tem que ler os reaças, que são companheiros ideológicos dos mascus, dizendo que um massacre cometido com armas de fogo poderia ser evitado se um monte de gente na festa de reveillon (incluindo talvez o menino de 8 anos?) estivesse portando armas de fogo, ou vindo perguntar no seu Twitter "e a mulher que mandou matar o embaixador da Grécia?", ou afirmando que quem defende a legalização do aborto não tem moral para condenar o massacre em Campinas, ou jurando que Sidnei era ateu, então por que estamos falando de misoginia, e não de cristãofobia? 
Mais uma vez eu insisto: temos lados. Tem um lado que combate o machismo, o racismo, a homofobia, a transfobia, e tem um lado que combate quem combate a intolerância. É fascinante ver que mesmo num exemplo de crime tão chocante e explicitamente misógino como este, reaças procurem brechas para justificar as ações do assassino e atacar feministas. É terrível saber que existe gente tão misógina no Brasil e no mundo? É. Mas se vocês passam os dias atacando mulheres, mesmo de brincadeira, vocês são cúmplices do ódio. 
Mais uma vez: de que lado você está?

Leia também a análise da Valéria e da Daniela Lima sobre o caso.

227 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 227 de 227
Anônimo disse...

Quando esses casos acontecem,fico pensando no que as mulheres que possuem relacionamentos conturbados pensam. Vocês tem medo de morrer? Porque eu que nunca tive um relacionamento e nem pretendo morro de medo de um cretino ameaçar atirar em todas as mulheres nas universidades,como no Canadá. E se tivesse namorado ciumento querendo fritar meus miolos ficaria paranóica em dobro, porque nesse caso eu seria esquartejada em casa.

Sandra disse...

mais um "caso isolado": homem tranca porta, ateia fogo na casa e mata 5 pessoas da familia:

http://www.correio24horas.com.br/detalhe/bahia/noticia/homem-tranca-casa-toca-fogo-e-mata-cinco-parentes-em-feira-de-santana/?cHash=2fe60a8f5c242c7f0ed5fd44cecb5183

Anônimo disse...

A maioria das mulheres não consegue ficar sem omi e os omi não aguenta ficar sem mulher.A primeira é por carência,baixa auto estima,provar pra suciedade que tem macho.Tem umas que quando arruma um namorado até afasta das amigas,de tando medo de perder o "tesouro".Quando casa aí se acha mais ainda poderosa,muié de respeito.Aí vem fio,pronto,agora sou mãe,muié realizada na vida,tô mentindo gente?esnoba as solteiras na alta.O segundo é só pra provar que é machão.Relacionamentos afetivos não foram feitos pra darem certo,foi tudo pegadinha pra perpetuação da especie.E elas ficam igual besta buscando amor nos omi...tem que rir!

Anônimo disse...

Quando revelarem os nomes dos lixos que usaram a deep web para se juntarem e convenceram esse outro lixo a cometer esse crime, o lixão vai ficar todo em polvorosa.

Quando os lixinhos manipulados perceberem que são massa de manobra de outros lixos psicopatinhas, e que estão recebendo lavagem cerebral para se paramentarem com o intuito de cometer crimes em nome da ideologia bizarra e do narcisismo megalomaníaco desses cu-virado (que não têm coragem nem de sair de casa pra comprar pão e correrem o risco de pegarem resfriado), talvez acordem para a vida e colaborem em botar essa corja toda no hospício - o que os "lideres" desses mascus têm não é algo tratável.

Ninguém aceita por muito tempo ser jogado no fogo em nome de um reizinho distante, e é o que os "lideres mascus" estão fazendo com esses seguidores. Além do mais, é melhor demonstrar a boa-fé ajudando a investigação do que tentar se explicar depois que a merda bate no ventilador.

Os prints já foram feitos. Os logs estão lá guardados. Quem acha que internet é terra de ninguém talvez se surpreenda. Time's up.

André disse...

12:11,

Você não veio debater (tô pegando ódio desse termo também), você veio 'lacrar' com perguntinhas supostamente irrefutáveis. Por mim não carece de voltar.

Anônimo disse...

É, todos os problemas iriam acabar só cortando o papo... a gente nem vive na mesma sociedade que eles, né

Laura disse...

Querida lola, escrevo pela primeira vez aqui no seu blog mas leio e tento divulgar porque concordo com você e adoro como escreve e como faz crescer as pessoas.

Sinceramente o que aconteceu me deixa com muito medo do que possa acontecer num futuro com outras mulheres.

Escrevo com muita dor, tbm com muita raiva por alguns comentarios que li, frustração mas tbm admiração porque não sei como você aguenta tudo isso aqui e fora daqui...
Sinta meu abraço e tbm as mulheres que estão na luta como muitas aqui com filhos pequenos e enfrentando horrores do pasado e do presente, como eu passei por anos e agora vejo como vai ficando pior infelizmente.

Deveria existir um ponto de reflexão mas vejo que não é possivel com alguns homens, então sinto muito pelo futuro de todas nós.
Uma tristeza enorme tenho no coração...

Devemos acompanhar, assistir a nossas amigas/irmãs nesses momentos sempre que seja necessario.
Isso deve ser uma pauta.

Não da nem pra escrever Lola...
Beijos

Unknown disse...

Mas ele via o filho. Em finais de semana alternados. Já presenciei vários casos de alienação parental, e querer matar e cometer suicídio não é comum. Como ele poderia ver o filho sozinho? Por que se recusou a fazer tratamento psicológico? Todas essas perguntas envolvem uma dose de reconhecimento de machismo. Ninguém quer matar o filho, por que não pode vê-lo. Ou será que os homens podem enlouquecer assim? Se eu fosse a mãe, teria feito a mesma coisa, senão tivesse fugido para bem longe...

Unknown disse...

Titia não desmerece imagem nenhuma de mulher. Eu tenho é orgulho do que ela escreve. Também sofri violência psicológica do meu pai, levou anos, mas estamos bem. Isso não muda o fato de que ele foi um pai de merda.

Anônimo disse...

12:11,

Você não veio debater (tô pegando ódio desse termo também), você veio 'lacrar' com perguntinhas supostamente irrefutáveis. Por mim não carece de voltar.

E digo mais André, ele veio aqui para tirar o foco da discussão (engraçado que quando homem faz merda, eles fazem questão de desviar o foco). Tem um milhão de posts sobre o aborto. O momento não é de falar de aborto, o momento é para falar de uma criança inocente, mulheres e idosas que não tiveram nada a ver morrerem na mão de um louco simpatizante da extrema direita.

Anônimo disse...

http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2017/01/suspeito-ameaca-ex-mulher-de-morte-e-e-preso-apos-dizer-que-faria-chacina.html

Arrancado do troninho troll no meio da madrugada. O que eu disse sobre ter gente se surpreendendo? rsrsrsrsrs
Time's up...

Anônimo disse...

"Maxarada tediosa: o problema está todinho em vocês omens, seus bostas. Se vocês não mudarem suas atitudes e comportamentos péssimos vão viver apenas reclamando pelos cantos que ninguém quer saber de vocês. Mulher gosta de ser livre, se divertir e ser feliz, não de se aborrecer com um pedaço de merda que só lhe traz problemas, que a entedia mortalmente... e vocês são um porre, um estorvo, um entulho fedorento e inútil, extremamente broxantes. Façam a matemática aí, senhores do pensamento lógico e racional..."

NOSSA, eu concordo 100% com tudo

Anônimo disse...

"Lembra do massacre que ocorreu na Noruega"

sim rodolfu, cometido por outro mascu direitista

vcs sempre fazendo merda ao redor do mundo

Anônimo disse...

Rodrigo, você é brasileiro padrão com pensamento padrão. Não tem como falar o por que eles procurariam ou não. Se não conhece ou não é um estrangeiro, tá só arrotando asneiras. E sim convivo com estrangeiros e ja vivi no estrangeiro pra falar com propriedade.
O Brasil é mal desenvolvido não é só pelo tempo não, tem tanta coisa envolvida.
E esse assassino é fruto de uma cultura, uma ideologia que tá enraizada na humanidade e que muitos adoram negar quando coisas como essa acontecem.

Ana disse...

19:26,

Você mesma cita: "carência, baixa auto estima... medo de perder... poderosa, muié de respeito". Essas coisas não aparecem do nada na cabeça das mulheres, é tudo construção social. Nós somos criadas pra acharmos que precisamos de homem/casamento/filhos pra sermos felizes, e a criação dos homens é de serem os "coletores" de tudo isso. Nós, os filhos, o relacionamento: tudo deles, e as mulheres que se agarrem no que conseguirem.

Me dá raiva também quando eu vejo mulheres agindo assim e perpetuando esse pensamento, mas daí eu me lembro que tive muita sorte de ter uma boa cabeça, uma boa criação e passar por experiências fortes quando pequena... ou talvez tivesse esse mesmo tipo de visão de mundo.


Só um desabafo.

Anônimo disse...

"Loucura"
"Crime passional"

Quanta loucura no mundo, não? Quanta passionalidade, dá até medo de se apaixonar!

Estranho como essas coisas acontecem praticamente sempre com homens, que gente bizarra...

Anônimo disse...

12:17,

Entendo perfeitamente o seu desabafo.É doído a gente falar isso,eu sei que é construção social,produto do meio,enfim.Todas nós nascemos na ignorância total e vamos buscando meios de aprender,criticar e discordar.Quando eu chego de mansinho,tentando levar um pouco do FEMINISMO pra algumas mulheres do meu meio,seja da família,no salão de beleza,na academia,na padaria,no trabalho,citando exemplos,debatendo algum assunto que esteja acontecendo e tal,sou taxada de amarga,odeia homens,que não depila,aquele ranço que as não feministas tem de nós,do movimento.Me dá tristeza,desesperança mesmo.Elas não querem ouvir.Fui falar com uma colega outro dia sobre empoderamento e fiquei triste com a reação estranha da pessoa,é tanta ignorância que eu penso que estou falando com alguém a 500 a.c. Meu namorado me disse uma vez que mulheres que tem aversão ao FEMINISMO não querem sair do lugar comum,elas não querem ir na contramão do sistema,perder o posto de gostosa,deixar de agradar macho,porquê muitas se sentem valorizadas sendo assim.

Anônimo disse...

E o que isso tem a ver com se eximir do dever de cuidar de um filho que você ajudou a fazer, anon de 18:46?

Anônimo disse...

Lola, veja este texto escrito por UM HOMEM e que convida os outros homens a repensarem a questao da cultura do machismo, tendo como pano de fundo a chacina de Campinas. Segue-se o link. MUITO BOM!!! Ate sugiro vc fazer um post sobre ele!!!

Link:
http://justificando.cartacapital.com.br/2017/01/03/chacina-de-campinas-nos-homens-precisamos-discutir-nossa-masculinidade/?utm_content=buffer1dc77&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer

Anônimo disse...

Sidney, você era um machista, misógino, burro, incapaz e nojento. Um assassino que, infelizmente, se matou, covarde, que preferiu botar a culpa em meio mundo mas não em sua própria incapacidade.

Espero que você apodreça no inferno.

E a todos os mascus que o apoiam, vocês são vermes nojentos e impotentes, de pau pequeno, igualzinho ao Sidney. F R A C A S S A D O S

José Silvério disse...

Anônima do dia 4.1.2017 ás 15,41 hs:

vc. disse: "Mulheres fetichizadas sexualmente não são necessariamente a preferência que a homarada tem em exibir.
Inclusive, vi uma análise muito interessante sobre mulheres fetichizadas pelo pornô e configuração dos casais. A análise se referia aos EUA, onde curiosamente a tag interracial faz o maior sucesso, no entanto, as configurações de casais são majoritariamente intrarraciais".

Mas no caso do Brasil essa análise estaria "furada", pois o enorme sucesso das "As brasileirinhas", está batendo com os casais. vc. pode consultar a Estatistica do registro civil do IBGE, p.ex., ref. a 2015, e vai ver que 99,82% dos casamentos de homens brasileiros foram com mulheres brasileiras.E foram mais de 1.120.000 em 2015!

Anônimo disse...

Mas José,
É óbvio que a maior parte dos brasileiros se casará com mulheres brasileiras, mas sua estatística não diz nada sobre quais são essas mulheres. Entenda que o tipo de mulher Brasileirinhas é um padrão não predominante entre as pessoas comuns. Citei esse artigo para ilustrar que as mulheres com as quais os brasileiros se casam não são necessariamente as que estão presente no seu imaginário estética ou sexualmente (até porque as pessoas se casam avaliando outros critérios né). Logo é preciso separar as mulheres reais, com as quais os homens se relacionam e das mulheres "ideais" - aquelas que estão presente no imaginário, tanto feminino quanto masculino, como ícones de beleza ou sensualidade.
Entenda que se o imaginário do brasileiro não estivesse permeado por um padrão específico, o padrão midiático (ou seja, a mulher bonita usada para "vender" e representar a imagem do nosso país lá fora) não seria coincidentemente estrito. A maioria das mulheres que vemos como símbolos sexuais ou de beleza estão sim dentro de padrões eurocêntricos. Mesmo mulheres negras, indígenas ou orientais só alcançam esse patamar se possuírem características compatíveis com esse padrão.

christinefortes disse...

Outro dia recebi pelo whats um discurso sobre como o feminicida de Campinas era um homem indignado pelas injustiças que sofre. Dizia ainda que a sociedade que protestou contra o governo petista e protesta contra a corrupção nas ruas era a culpada pelo ocorrido. Ele misturou machismo com posição política de direita ou esquerda. Penso que há machismo em todos os lados e associar machismo à direita é dicotômico e simplista.

titia disse...

Obrigada, Unknow. Sabe, também me orgulho muito de todas vocês, comentaristas corajosas e fortes que estão aí, lutando, dando a volta por cima, seguindo em frente apesar de todas as pedras no caminho (e que são muitas) enquanto esses frescos se jogam no chão e choram porque a filha da tia da madrinha da concunhada da prima da madrasta da sobrinha da vizinha que nem sabe que eles existem disse que não quer casar nem ter filhos. É, os nossos pais erraram, fizeram merda, mas-e aí está a diferença deles pra esses mascus idiotas-eles quiseram ser pais melhores e deixaram todo esse 'poder' paterno de lado pra isso. Tão simples, né, pessoas mudam e melhoram o tempo todo... mas pros mascus isso parece impossível, como pode um homem abrir mão dos seus privilégios apenas pra... ser um pai melhor pros filhos? Ainda bem que mascus não se reproduzem.


E eu já fiz meu textão sobre isso mas tenho que repetir, putz, como esses caras são patéticos! Basta você não passar mão na cabeça de macho canalha que já é uma misândrica odiadora de homens, uma vergonha pra todas as mulheres! Tá vendo no que dá não ensinar aos filhos que eles não são floquinhos de neve especiais só por ter um pinto?

Anônimo disse...

Nenhuma. É apenas um paradoxo da sociedade machista: os homens não fazem o seu dever com a família e mesmo assim continuam dando palpite sobre o aborto (quando não deveriam ter opinião nenhuma).

Anônimo disse...

Ela falou alguma mentira?² são homens que matam as mulherees por serem mulheres e que tem ódio de mulher

Anônimo disse...

Mais um acontecimento terrível q só recrudesce o q eu penso a respeito dos omens, dos masculinistas e dos mascus: são abomináveis, deploráveis, execráveis, abjetos, seres desprezíveis, baixos, nojentos, repugnantes, repulsivos, odiosos, detestáveis, asquerosos, malacafentos, malignos, maleficentes, maléficos, malévolos, extremamente ruins em tudo, perniciosos, lesivos, danosos, nocivos, prejudiciais (à saúde de nós mulheres, a nós como um todo e até para eles mesmos), doentes, virulentos, cancros sociais, cancerosos, pestilentos, pragas humanas, nefastos, malditos, miseráveis, desgraçados, lixos, imundos, porcos, sujos, altamente tóxicos, hediondos, sórdidos, horrendos, horrorosos, bestas, monstros, demoníacos, anômalos, anormais, aberrantes, erros evolutivos e anencéteros, é o q são os lixomens

Eternos portadores de anomalia y, aberrações cromossômicas e equívocos da evolução

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 227 de 227   Recentes› Mais recentes»