quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

NAMORADO COM VIDA FAMILIAR DIFÍCIL

L. me enviou seu relato.

Me chamo L., tenho 23 anos, e estou quase me formando.
Bom Lola, tô te escrevendo por causa do meu relacionamento com o meu namorado (na verdade é mais o relacionamento dele com a família dele, e como isso afeta a gente). Não quero te colocar no papel de psicóloga, mas é que eu vejo alguns problemas bem sérios, e talvez você possa me dar uns conselhos.
Vou contar a história dele de maneira mais resumida possível, porque tem muita coisa. P. tem 27 anos e é filho de pais separados quando ele era criança, e tem um irmão mais novo. A mãe se separou do pai porque descobriu que ele tinha outra família, mulher e filhos. Na separação, eles venderam o sítio que tinham e compraram uma casa pra mãe morar com eles. Vale dizer que durante toda a infância até a adolescência do P. eles tiveram muita grana, o pai era metido com política (a mãe nunca trabalhou), e eles viviam com um alto padrão (coisa de viagem pra Disney várias vezes por ano, motoristas, etc).
Pois bem, junto com essa separação veio uma doença degenerativa da mãe. Hoje ela não anda mais. P. largou o curso quando o pai dele foi preso por sonegação e voltou pra ficar com a mãe, que nessa época morava sozinha na casa, mas ainda não estava tão mal.
Desde então os dois moram sozinhos em uma casa gigante (sem exagero, é um quarteirão de casa praticamente). De lá pra cá a situação se deteriorou, o pai nunca pagou pensão (e nem a mãe quis) e o irmão mora com o pai em outra cidade, faz facul e não liga pro P. e pra mãe.
É difícil explicar quão triste é essa situação, Lola, mas a mãe do P. tem graves problemas psicológicos também, ela se recusa a ver um psiquiatra, e a relação dela com P. é muito complicada, ela é muito dominante sobre ele, fazendo com que ele se sinta culpado por 'ter uma vida' enquanto ela não tem.
A situação não melhora, ele tá quase se formando mas eu não vejo perspectiva. Eles se sustentam com um dinheiro que o pai manda por semana, que varia muito, mas sempre é insuficiente.
Pra você ter ideia, ele passou a graduação inteira sem ter um computador. Ele não consegue comprar nada pra ele, e se vira com o que tem, e às vezes o pai super 'bondoso' dá umas roupas.
Lola, é basicamente isso: um pai e um irmão ausentes e uma mãe extremamente problemática, que bate nele e o insulta por não ter uma vida. Eu já tentei muito ajudá-la, do meu jeito, mas ela não deixa.
Nosso relacionamento não tá aguentando. Ele é um cara feliz, sabe? Não deixa a situação derrubá-lo, e eu admiro por isso, mas isso também o impede que ele procure algo além, e ele sente muita culpa em relação a mãe, e ela usa disso pra fazer coisas irreais (tipo jogar o prato de comida na parede quando não gostou, e mandar refazer).
Já tentei ver psicólogo pra ele, mas falta grana. P. não tem força pra mudar, e eu tô desistindo, Lola.
O que eu faço? Largar alguém nessa situação é horrível, mas parece que ele se acostumou, sabe? Pois vive essa vida há anos. Eu não sei o que pensar, porque não quero me separar, mas a gente nunca pode viajar, ele vem pra minha cidade muito raramente pra ficar menos de 24 horas porque a mãe não fica sozinha, e não aceita ninguém pra ficar com ela.

Minha resposta: L., o que você narrou parece ser a rotina de filhos que cuidam dos pais doentes, tarefa que geralmente é relegada a uma filha. Eu me lembro de um breve período em que fiz terapia em grupo, em Joinville (e adorei), e havia uma mulher que tinha passado os últimos vinte anos se dedicando integralmente a cuidar dos pais, como se a vida dela tivesse ficado em suspenso. Imagina o vazio que dá depois que os pais morrem? Tem que recomeçar, reconstruir tudo mesmo. 
Mas a dúvida é se você precisa fazer parte disso. Querida, se você acha que não dá mais, melhor terminar. Mesmo que seja louvável o que seu namorado faz (ou não seria mais que a obrigação?) e ele pareça ser uma boa pessoa (ainda mais por não se deixar abater), se o relacionamento entre vocês dois não está bom, se vocês quase não se veem, se você não encontra uma solução (e essa rotina pode se arrastar por vários anos), parece injusto pedir para você insistir nesse namoro. 
Não sei se estou sendo insensível ou egoísta, mas não me parece que é sua responsabilidade. Claro que muitas vezes quando a gente entra num relacionamento, a família do ou da parceirx vem junto no pacote. E cabe a você decidir se aceita isso ou não. 
O que vocês teriam pra sugerir pra P.? Ajudem, por favor!

103 comentários:

Alan Silva disse...

Vou ser direto e reto como um tiro de 20mm, você tem 3 opções:
1) Se afastar sofrer um pouco, se recuperar e depois conhecer um cara legal. Mas sempre evite os feministos a qualquer custo.
2) Continue do jeito que está e o seu sofrimento só irá aumentar aos poucos, e com certeza em algum momento ele irá te culpar por você, não está o ajudando o suficiente.
3) Entre de cabeça na relação de vocês e desista de TODOS os seus sonhos e projetos, e sofra até não aguentar mais e ainda correr o risco de VOCÊ ser agredida pela mãe dele.
Bem essas são algumas das opções que você têm, claro que existe outras mas infelizmente eu só consegui pensar nessas, espero ter ajudado em algo.

Anônimo disse...

L., queridona

Sinto muito por você passar por tudo isso, não é fácil lidar com as histórias de vida da família de quem amamos, e claro que é um gesto decente manter apoio e compreensão para quem tem que lidar com uma família difícil. Mas por quanto tempo? Será que ficar nesse relacionamento e sofrer junto, vai fazer bem para você e seu namorado? O que acontece quando nos sacrificamos por muito tempo por alguém?

Há um limite claro para a empatia e a solidariedade que todos devemos a quem amamos, e esse limite, para mim, é a nossa capacidade de sonhar dias melhores juntos e, claro, a possibilidade de viver bem e feliz no processo. Todo relacionamento é sustentado pela vida que se tem junto e pelo que se espera viver de bom no futuro. A primeira questão que você precisa responder é essa: que vida eu tenho com P? É a vida que eu quero? Como será nossa vida no futuro, é a vida que eu quero?

Acho que você sabe as respostas, não?

Se você não está feliz, e nem há chances reais de ficar feliz no futuro, é hora de terminar. Ficar junto de alguém, por obrigação, raramente resulta boas coisas, e é um processo doloroso de auto-anulação que causa frustrações imensas.

Seu namorado precisa reequacionar o relacionamento com a mãe, e levar uma vida mais autônoma, e se ele não está disposto a fazer isso, acho que você sabe que não há nada que você possa fazer para melhorar seu relacionamento.

É duro, mas talvez seja o melhor caminho para você. Toda mulher precisa tomar cuidado com essa figura da 'salvadora', da 'companheira para todas as horas', por que isso sempre resulta em processos de anulação que não fazem ninguém melhor, ao contrário, gera pessoas frustradas que irão, cedo ou tarde, descontar essa frustração em outras pessoas. Cria sentimentos de ódio, e tudo fica a um passo de manipulações e egoísmos sem fim.

Siga com a sua vida, essa é a única que você tem poder de influência. A vida do seu namorado, quem tem que levar, é ele. Ele é que precisa decidir se relacionar com a mãe de outro jeito.

Espero que você fique bem.

Anônimo disse...


Vai lá, conversa com ele, e o mande arrumar um emprego com uma semana de prazo, caso contrário diga que vai deixá-lo, é um absurdo um rapaz sem trabalho, dependendo de dinheiro do pai pra comprar roupa.

Quer saber, ele é um frouxo!

Rafael Cherem disse...

A saída fácil é abandonar o cara. Mas em NENHUM relacionamento que tiver as condições ideais irá ocorrer, ou o cara terá problemas, ou a família dele vai ter, ou os problemas simplesmente surgirão, a pergunta que deve se fazer é se ele rapaz merece sua consideração, se você realmente o ama a esse ponto, e converse com ele, a situação dele é deprimente, falta a ele pelo que tu dizes, forças pra ele romper esse ciclo.Só você pode fazer isso.

Hoje ele tá na pior, amanhã pode ser você.

Anônimo disse...

Qual a idade da mãe dele? Você não irá suportar para sempre esse problema. Meça em anos o seu amor e compare com a expectativa de vida dela.

Zrs disse...

Querida, passei por situação semelhante e sei que não é fácil.
Mãe dominadora, usando de uma doença para perpetuar um estado depressivo e opressor sobre os filhos. No meu caso: na época em que namorava meu atual marido, ele era muito subjugado pela mãe, que também não aceitava que ele fosse feliz, pois ela era infeliz; uma tortura psicológica sem fim. Deixei claro, depois de uns anos, que não queria viver uma situação como aquela (minha mãe tb viveu algo semelhante com minha avó e foi um inferno de vida).
No nosso caso acabamos nos mudando de cidade, e meu marido acabou se libertando aos poucos da dependência e da relação doentia com a mãe. Mas o outro filho ficou com ela, e hoje ambos vivem uma vida infeliz (ela fala mal do que ficou, reclama do que foi, ou seja, não mudou nada e não quer se tratar, quer viver no inferno e quer que os outros vivam no inferno com ela também. Triste, triste mesmo).
Sabe, a questão não é abandonar uma mãe ou outro parente, mas é crucial criar um espaço de sobrevivência diante de pessoas tóxicas, e sim, mães podem ser muito tóxicas.
Mas não se culpe se quiser ir embora, pode ser que o seu namorado nunca se liberte dessa situação, e pelo relato dá para ver que ele também pode ter algum grau de depressão para não reagir diante disso tudo (sem emprego,apanhando da mãe, etc).
É isso, tome coragem para decidir logo sua vida, para um lado ou para o outro.

titia disse...

L. relacionamento envolve duas pessoas, ou seja, os dois tem que estar ralando pra que dê certo. Você pode amar muito o P., mas não está sozinha na relação; ela depende do P. também. Se ele não faz ou faz mal e mal a parte dele, desculpa mas não tem futuro. Relacionamento é esforço conjunto. Um só não carrega a relação nas costas. Converse sinceramente com ele, fale tudo, sem receios de magoar ele ou a mãe horrenda que ele tem, diga que está chegando ao limite, que essa situação está tornando sua vida difícil. Seja sincera. Dê mais uma chance se acha que ele merece. Mas antes de tudo, pense em você mesma. Você sempre tem que vir primeiro. Boa sorte pra vocês.

Rafael Cherem, só quem pode mudar uma pessoa é ela própria. P. só vai mudar se ele mesmo quiser fazer isso, a L. não pode fazer nada além de conversar e aconselhar, só a pessoa consegue mudar a si mesma - falo por experiência própria. Não jogue a responsabilidade dessa mudança nas costas da L. porque não é dela, nem ela é obrigada a ir pra tumba com ele; a responsabilidade pela mudança do P. é só do próprio P.

Rafael Cherem disse...

Titia sem dúvida, tens razão.Mas talvez ela consiga mostrar um caminho pra fora da prisão que ele se encontra.

Anônimo disse...

Mas a dúvida é se você precisa fazer parte disso. Querida, se você acha que não dá mais, melhor terminar.

Lola se fosse um homem aconselhando outro a terminar o relacionamento com uma mulher em situação parecida, qual seria a sua reação?

titia disse...

Também espero, Rafael. Minha família também foi cheia de gente abusiva e sei o quanto é duro quebrar o ciclo por causa dessa sacralização estúpida que a sociedade faz da tal "família". Espero que o P. se livre disso não só pelo sucesso do relacionamento mas porque será melhor pra ele mesmo romper esses laços de dependência com a mãe tóxica que tem. Assim, mesmo que o relacionamento com a L. acabe, ele estará livre e isso será o melhor pro P.

Anônimo disse...

Titia, faço minhas as suas palavras. Você mandou muito bem!!

Anônimo disse...

Homem de 27 anos que ainda não se graduou e é sustentado pelo pai (quem controla o dinheiro que recebem? a mãe tem condições de saber desses detalhes ou ele que cuida de tudo?).

Não tem tempo pra viajar e ver a namorada porque cuida da mãe controladora e doente.

Minha intuição, olhando daqui de longe é que vc vai ser a próxima controladora de quem ele falará mal. Talvez o problema com a mãe seja real, talvez não seja tanto assim como ele expõe, mas é claro, quem está vivendo a situação é que tem condições de julgar.

De todo modo, mesmo que seja tudo verdade e ele seja uma boa pessoa, vc só vai poder saber como é essa pessoa depois que a mãe dele morrer.







Romomo disse...

Primeiramente, tire essa ideia da sua cabeça de que quando as coisas estão difíceis, a saída é simplesmente acabar com o relacionamento. Isso é coisa de feminista. Pode notar, feministas em geral são solteiras, mães solteiras, e têm dificuldades em se manter em relacionamentos de longo prazo. Feministas são fracas e desistem quando a primeira pedra aparece, e odeiam quando o relacionamento de outras mulheres são bem sucedidos. Pessoas honradas fazem o oposto.

Dá sim para salvar esse relacionamento, se você fizer o certo. Dá para ser feliz e bem sucedida com esse homem ao seu lado.

Para que isso se torne uma realidade, uma das coisas a serem feitas é combater o feminismo da mãe de seu namorado. Ela bate nele e é grossa porque ela criou um ódio aos homens, graças à safadeza do pai de seu namorado. Ela acabou virando e se comportando exatamente como uma feminista, generalizando todos os homens como maus e inimigos, por conta de um relacionamento fracassado pessoal. Ela deve ter lido a famosa feminista Andrea Dworking, que afirmou: "“No patriarcado, todo filho de uma mulher é seu potencial traidor e também inevitavelmente o estuprador ou explorador de outra mulher."

Portanto você precisa mudar essa mentalidade feminista da mãe de seu namorado. Diga para ela que homens também são gente e merecem respeito, e um homem inocente não tem culpa pelo comportamento de outro homem que fez besteira.

Outra opção seria que esta mãe fosse alertada que ela seria penalizada por seu comportamento agressivo contra seu filho inocente e responsável, e alertá-la de que não poder andar não lhe dá direito para ser uma pessoa má. Infelizmente, porém, graças às feministas, a agressão que homens sofrem de mulheres não é levada a sério na sociedade, mas motivos para piadas. Então isso pode não funcionar.


Por fim, você precisa se livrar de sua própria mentalidade feminista. Pare de dizer que o pai dele dá pouco dinheiro para seu namorado. O pai não deveria dar dinheiro algum. O rapaz já é bem grandinho. Maior de 18 pelo jeito. Isso do pai ter que ser obrigado a sustentar a esposa que ele se separou e também sustentar seus filhos por toda a eternidade é fruto de uma mentalidade feminista que deseja escravizar o homem. O pai não deveria ter mais obrigação alguma! A mulher começou a ficar doente depois que ele se separou. Portanto, pare de jogá-lo no meio dessa confusão, seja grata e diga ao seu namorado também ser grato com o pai dele, que está fazendo caridade ao enviar dinheiro.

Seu namorado é uma boa pessoa, e se ele cuida da mãe doente, ele cuidará de você, quando você ficar doente também. Pense nisso. Eu sei que você está quase desistindo e deseja se relacionar com os cafajestes e homens com dinheiro. Mas, como eu disse, livre-se da mentalidade feminista. Case com esse bom homem e seja feliz.

E pare de exigir que

Anônimo disse...

Ai querida, se vc o ama ou gosta muito do cara, fica com ele

se não, separa

por q ficar com alguém q vc não gosta?

Próximo...

Anônimo disse...

separa logo

Anônimo disse...

Concordo com vc, 16:29

Anônimo disse...

depende do quanto vc gosta desse rapaz, se for pouco demais (como vc demonstra) pra aguentar essa barra pesada, o melhor é separar mesmo

agora se vc ama muito esse omen, então fica

pena das mulheres anencéteros, omen nenhum vale a pena

Anônimo disse...

Tem que entrar com um processo judicial de interdição na mãe. Aí não tem mais essa de não querer se tratar.

Agora se o cara ficar de muito ah não é bem assim, melhor largar mesmo, eles que são brancos que se entendam.

Amiga, não se esqueça, mulher NENHUMA NESTA VIDA é obrigada a salvar homem.

Beijão e boa sorte.

Anônimo disse...

eu diria pra vc se separar, primeiro pq eu percebi q vc não gosta muito desse cara, segundo por causa dos problemas q ele tem, e terceiro pq omens não valem a pena, o melhor é ficar sem eles

então se separe

Anônimo disse...

"salve o relacionamento"
"se vc ama, então fica"

mulher não tem que ser mãe do mundo não. muito menos de macho adulto sustentado pelo pai.

por causa de conselhos idiotas como esses que mulheres permanecem em relacionamentos pouco saudáveis, ou até mesmo abusivos.

homem falar esse tipo de merda é normal, são uns egoístas mesmo, mas se for mulher eu fico pensando o quanto essa pessoa acha que tem que suportar pra ter o mínimo, o quanto de auto respeito e de dignidade essa pessoa ainda tem =(

Anônimo disse...

17:31, CONCORDO 100% COM VOCÊ

Anônimo disse...

Você não tem que salvar homem.

A mãe dele é problema dele. Ele é problema dele.

Faça a si mesma a seguinte pergunta: "O que eu ganho ficando nesta situação?".

Qualquer ganho: emocional, sexual, financeiro, sentimental, intelectual, qualquer coisa mesmo, desde que seja ganho real concreto, não coisa em potencial, que quiçá.

E por mais que seja gostosa a ideia de que "se fosse comigo, também gostaria de ter um abnegado assim do meu lado" nem disso você tem garantia. Que a pessoa faria por você. Porque esse cara nem por si próprio está fazendo alguma coisa, nem pela mãe na verdade.

Faz as contas aí e vê se a matemática fecha.

Thais disse...

Contratar uma enfermeira é uma opção? Depois de formados, talvez vocês consigam pagar. Saiba também que a mãe pode pedir pensão para o irmão do seu namorado para cobrir os gastos com a doença. Sugiro consultar um advogado a respeito. Mas acho que você tem que se perguntar quais são seus verdadeiros sentimentos pelo rapaz. Não faz sentido passar por isso se você não gosta dele o suficiente. Mas perder uma pessoa boa por causa de um momento difícil também não seria uma boa decisão.

Anônimo disse...

Esse romomo é um mascu muito do ignorante. Quem mais dá apoio a homens que sofrem algum tipo de violência, inclusive física são justamente os espaços feministas. Para machistas (sejam homens ou mulheres) homem que apanha, seja lá de quem for, é um ''maricas, um fracote''. Mães abusivas em sua maioria são justamente as que tem uma mentalidade mais machista e não feminista.

Anônimo disse...

Esquerdismo e feminismo nunca fizeram homem trair esposa não, ao contrário, isso de ter uma mulher oficial e uma outra filial é exatamente um valor machista.

Anônimo disse...

"mulher não tem que ser mãe do mundo não. muito menos de macho adulto sustentado pelo pai.

Por causa de conselhos idiotas como esses que mulheres permanecem em relacionamentos pouco saudáveis, ou até mesmo abusivos. "

É suuuuuuuuuper glorificado, toda mulher tem que ser Maria, carregar cruz de homem, cortar os pulsos pelos filhos com o avental todo sujo de ovo, olha...

E a trouxa bate no peito e fala: eu sou guerreira!

Vai fundo, eu sou da paz.

Anônimo disse...

Thais, pelo amor de deus

qdo vc diz
"se vc gosta dele o suficiente"
"perder uma boa pessoa por causa de um momento difícil"

vc tem noção de que está culpando a garota sem nem saber se o cara é de fato uma boa pessoa ou só um bom mentiroso? e que mesmo que ele seja uma boa pessoa, isso não obriga nenhuma mulher a carregar no colo sem exigir nada enquanto ele enfrenta o momento difícil, até porque quando ele estiver bem quem garante que continuarão juntos?

se fosse vc, gostaria de ouvir uma merda assim quando está absolutamente cansada de fazer tudo e não ter nada em troca porque ele nunca pode?

porque homem aceita de bom grado que a mulher se esfalfe por ele e é o primeiro a dar no pé quando as coisas não estão tão boas, é uma regra geral essa, não vamos nos fiar nas exceções.

homem tem de monte por aí, e até alguns gente boa se vc procurar direito. mas principalmente, homens disponíveis, disponibilidade é importante.

pelo amor, aceitar migalhas seja por qualquer razão que for não faz sentido. nem que seja por causa de mãe controladora, eu, hein?

Anônimo disse...

18:01

jamais chamaria uma mulher de trouxa porque é muito difícil se livrar dessa educação pra cuidar de todo mundo. além disso, infelizmente é sobre as mulheres que recai o cuidado dos mais vulneráveis, eu estaria morta (literalmente) se dependesse do meu pai.

Anônimo disse...

"homens disponíveis, disponibilidade é importante."

siiiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmmmmmmmmmmmm pelamordedeus mulherada prestem atenção nisso

Anônimo disse...

querida, se vc achou necessário fazer esse questionamento, é pq vc sabe q quer e precisa se separar ou pq não gosta muito dele, não o ama

se vc o amasse de um jeito tal, com um amor tal, vc não cogitaria escrever uma linha sequer perguntando o q deve fazer

vc já sabe q não quer ficar mais com ele

Anônimo disse...

eu não entendo como uma coisa tão simples possa virar um questionamento tão "complexo"

se vc não gosta mais da pessoa com quem vc se relaciona, pra quê continuar com esse relacionamento?

tá sendo ameaçado de morte? está sob cárcere privado?

Se for casado(a), eu até compreendo, pq tem a questão econômica, familiar e social pesando

Mas vc só está namorando e não tem filhos, qual a dificuldade de se perguntar: "eu gosto desse cara"?

Parte logo pra outra mulher, se tá em dúvida já é sinal de q vc não gosta mesmo o suficiente do rapaz, e aliado ao fardo q ele carrega, é só mais um motivo

anencéteros e seus eternos problemas de relacionamento

Anônimo disse...

vcs éteros (omens ou mulheres) têm muitos problemas com relacionamento, deus q me perdoe

Anônimo disse...

Não concordo com quem fica dizendo que

ela sabe que não gosta
que ela não ama o sufiente
que a questão é simples

se ela não gostasse não estaria namorando, é claro que gosta. é culpabilizador ficar repetindo que ela não o ama o bastante.

a dúvida é complexa porque mulheres não estão acostumadas que tem o direito de se priorizar. a gente acredita que tem que se sacrificar pelos outros.

mais empatia com mulheres. não é tão difícil assim.

Anônimo disse...

gostar de homem "difícil", inacessível, misterioso, que direta ou indiretamente coloca 300 obstáculos e fica testando a sua fé sem nenhuma contrapartida concreta é, antes de qualquer coisa, um distúrbio afetivo nosso altamente incentivado pela sociedade. A coisa é bem vista, aparece em livro, filme, novela, jogo, gibi e na sua própria vida ou na das mulheres próximas.

não tem nada de bonito nisso, exaure a pessoa, tira a força de viver, a juventude, você vira um trapo acabado e não resolve o problema do cara também, porque não é assim que funciona.

e aí quando você vira um trapo ele te larga kkkkkkkkkkkk sem esquecer que você se largou em primeiro lugar, o primeiro abandono foi o de si. Ele vai ter que chupar a vitalidade de outra pessoa, simples.

é legal querer fazer pelos outros, ter empatia, se sensibilizar, tudo isso é super bonito mas tem que ver o que funciona na prática. Ele tem uma situação terrível pra resolver e por tudo o que você tá dizendo ele não se mexe nem pra melhorar isso nem pra melhorar o lado de vocês. Já tive gente doente na família também e é foda, só que chega uma hora que o que resolve é cuidado profissional e não curandeirismo familiar cheio de boas intenções. Só que o importante mesmo é que nada disso é problema seu, é dele. O seu problema é saber claramente o que você tá ganhando e perdendo com isso e agir de acordo.


titia disse...

"Lembrando que o homem foi safado e acabou tendo filhos com outra mulher graças ao esquerdismo e feminismo que destruiram a seriedade dos relacionamentos, do casamento, e da moral sexual."

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!

Ai gente, que coisa feia desrespeitar a sagrada família e sair por aí traindo seu cônjuge e tendo filho com todo mundo. D. Pedro I, o feminista esquerdista que o diga. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!! Henrique VIII, o super feminista que traía a mulher com a própria cunhada e acusou Ana Bolena falsamente de adultério e incesto pra poder executá-la. John F. Kennedy, tão feminista que chifrava a esposa na mesa da Casa Branca. KKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkk!

Ai, respira, esses mascus tão cada vez melhores de piada! Primeiro o tratado do namoro mascu - uma risada a cada linha - e agora o feminismo transformando homens em devassos! Que coisa mais feia, feminismo!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!

Ricardo disse...

Titia. Tome cuidado ao julgar a mae dele. Existem doenças degenerativas q causam demência e mudam totalmente a personalidade da pessoa. Como ela não mencionou qual é a doença, sugiro cautela ao julga -la.

Talvez as atitudes sejam da doença, não da mãe.

titia disse...

Talvez, Ricardo, mas são bem poucas as condições e doenças que mudam a personalidade de uma pessoa. E existem sim muitas pessoas frustradas e infelizes que descontam a raiva nos filhos e querem que as outras pessoas fiquem presas na infelicidade com eles sendo totalmente são. Aconteceu na minha própria família, comigo, e as pessoas são sim muito capazes de fazer mal aos familiares pelo simples fato de não quererem sofrer sozinhos.

Domingos Tavares disse...

Todas as pessoas tem, anom das 18:21. Mesmo pessoas solteiras tem lá as suas rusgas com amigos ou parentes. E homossexuais não estão livres disso.

O ideal seria que as pessoas tivessem maturidade o suficiente para lidar com esses problemas de um jeito mais tranquilo, sem apelar para a violência, seja ela física ou não.

Mas como a cultura, no geral, incentiva a violência contra quem tem menos privilégios...

ricardo disse...

Não digo que não existem. Concordo que existem boas chances de ser o caso, mas na duvida, melhor não falar, visto que ela não deixou claro qual a doença

Anônimo disse...

O prefeito da Ariquemes (RO), Thiago Flores (PMDB), anunciou na semana passada que iria arrancar as páginas de 1.100 livros didáticos do MEC porque mostram famílias formadas por casais homossexuais.

O anúncio insólito acendeu uma polêmica na cidade de 106 mil habitantes, com ameaças do Ministério Público de processo de improbidade administrativa.

Entusiasmado pelo apoio da maioria dos 13 vereadores da Câmara Municipal, o prefeito anunciou a supressão das páginas de livros do MEC para o ensino fundamental seriam arrancadas porque, segundo ele e os vereadores, incitavam a “ideologia de gênero”.

O Ministério Público reagiu à bravata, o prefeito baixou o tom e disse que somente na próxima quinta (2) tomaria a decisão de rasgar as páginas ou comprar novos livros que não contenham informações sobre diversidade familiar.

Na sexta-feira, em reunião com as promotoras Priscila Matzenbacher e Joice Gushy, o prefeito se negou a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta para distribuir os livros que estão guardados desde o ano passado.

Segundo a promotora de Educação e Defesa de Direitos Humanos do Ministério Público, Priscila Matzenbacher, são sete livros de disciplinas como geografia, história e português, organizados pelo MEC e voltados para as crianças do ensino fundamental, com idades de 6 a 9 anos. A cidade tem 16 mil crianças matriculadas no ensino fundamental.

“É uma aberração, algo muito triste. Uma decisão que fragiliza o ensino, incita o ódio e polariza a cidade. Pode significar improbidade administrativa e dano ao patrimônio público, fora o prejuízo moral ao ensino e aos alunos”, afirma Priscila.

Na semana passada, quando foram alertadas das ideias do prefeito, as promotoras descobriram que os livros do MEC haviam sido retirados das escolas no ano passado, na gestão anterior.

“Os livros ficaram trancafiados e as crianças ficaram sem material didático”, afirmou a promotora, que vai investigar as responsabilidades pelo ocorrido.

A promotora Priscila continua: “Não podemos quantificar quantas crianças foram adotadas nessas condições, mas há muitas na cidade. Fazer o que eles fizeram é dar uma autorização para que essas crianças sofram bullying”.

O vereador Amalec da Costa (PSDB), que encabeça o movimento na Câmara contra os livros, disse que os vereadores são contra a “ideologia de gênero”.

“Essa ideologia é diferente daquilo que a biologia fala. No pano de fundo, é a [apologia à] homossexualidade”, disse o vereador.

Evangélico da igreja Quadrangular e radialista, Amalec disse ao BuzzFeed Brasil que ele e os outros vereadores estão “apenas homologando a vontade do povo, que é tradicional”.

O vereador disse que não é homofóbico, mas “como vai se explicar para uma criança de seis anos que dois homens podem ter um filho?”

Amalec negou que a medida alimente o preconceito não só contra homossexuais mas contra crianças adotadas por casais gays.

https://www.buzzfeed.com/tatianafarah/em-rondonia-um-prefeito-anunciou-que-vai-arrancar-paginas-de

Anônimo disse...

"fetos anencéteros"

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri com o apelido

Anônimo disse...

q burra q eu sou, agora q eu entendi q anencétero vem de anencéfalo kkkkkkkk, quem foi a gênia?

claire disse...

Nossa eu hein, o cara faz faculdade, tipo assim, ter tempo pra ir a facul, fazer trabalhos ele tinha, mas pq nao arrumou um emprego? Estagio não dura o dia todo, dava pra conciliar, e ele ter um pouco de dinheiro para se manter.
A mãe DEVE receber pensão do pai dele, pq nunca trabalhou e está debilitada, cabe A ELE ir atrás dos direitos da mãe, já que não há ninguém que o faça.
E ficar em casa coçando dependendo do pai, vendo a mae doente, não podendo pagar médico, aparentemente nem plano de saude ela tem, e ele não FAZ ABSOLUTAMENTE NADA! affff
é um folgado, isso sim!

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
Não concordo com quem fica dizendo que

ela sabe que não gosta
que ela não ama o sufiente
que a questão é simples

se ela não gostasse não estaria namorando, é claro que gosta. é culpabilizador ficar repetindo que ela não o ama o bastante.

a dúvida é complexa porque mulheres não estão acostumadas que tem o direito de se priorizar. a gente acredita que tem que se sacrificar pelos outros.

mais empatia com mulheres. não é tão difícil assim.

1 de fevereiro de 2017 18:24
---------------------
Ahhh faça-me o FAVOR NÉ! nao é bem assim, tem muuuuuuuuuuuuiiiiiiiitaaaaaaaa gente por ai que namora sem nem gostar.
Ela deve tá é de olho nessa mansão que ele vive, esperando a velha morrer pra ele ficar com a metade e viverem felizes sem ninguém enchendo o saco

Anônimo disse...

“Essa ideologia é diferente daquilo que a biologia fala. No pano de fundo, é a [apologia à] homossexualidade”, disse o vereador.

Como anencéteros são falsos e desonestos. Ele fala biologia mas quer dizer na verdade o que bíblia e a religião idiota dele fala e prega. A biologia não nega e nem reprime a homossexualidade, muito pelo contrário, ela mostra que a homossexualidade é normal e comum, pois existe em muitas espécies. Não é a biologia que fala que as pessoas não podem ser homossexuais e tem obrigação de formar casais étERROS e se reproduzirem feito coelhos, são essas religiões de merdas que fazem isso. Crentes anencéteros como sempre desesperados tentando reprimir a homossexualidade e fazendo apologia ao heterossexualismo, ao étERROssexualismo (adorei esses termos - étERROS e anencéteros - vou usar a partir de agora e agradeço muito à gênia maravilhosa que os inventou).

Mari disse...

27 anos e ainda dependendo do dinheiro do pai... Situação complicada.

Talvez seja uma boa opção vender a casa em que moram e comprar uma menor, contar com a ajuda de outras pessoas para ajudar a cuidar da mãe dele ou até mesmo interná-la numa clínica.

Incentivá-lo a arrumar um emprego. Sente e converse seriamente com ele. Se você realmente o ama, tente mais uma vez.

Anônimo disse...

Pra que insistir no erro? Ela já tem as respostas. Ela já sabe o que quer fazer.

Anônimo disse...

Essu troll dos "lixomens" e dos "anencéteros" acabou com o blog.

Anônimo disse...

Acabou nada, isso não afeta o blog em si, são só comentários. Ninguém pode mandar em quem comenta aqui. Nem a Lola e nem a outra moderadora, que no máximo podem excluir alguns comentários que as desagradem, podem mandar em quem comenta aqui. Não tem interesse ou tá achando ruim é só não ler o comentário e passar pro próximo. Next!

Anônimo disse...

Apenas idiotas levam a sério os comentários contendo palavras como "lixomens" e "anencéteros".

Anônimo disse...

"Acabou nada, isso não afeta o blog em si, são só comentários. Ninguém pode mandar em quem comenta aqui. Nem a Lola e nem a outra moderadora, que no máximo podem excluir alguns comentários que as desagradem, podem mandar em quem comenta aqui. Não tem interesse ou tá achando ruim é só não ler o comentário e passar pro próximo. Next!"

tomou? otário

E apenas idiotas não levam a sério os comentários contendo os verbetes: lixomens e anencéteros.

Anônimo disse...

Apenas idiotas postam comentários contendo pralavras como "lixomens" e "anencéteros".

Anônimo disse...

Olha, eu tenho doutorado em mãe abusiva...

As coisas aliviaram um pouco quando saí de casa pra estudar e depois pra morar em outro país. Mas eventualmente ela ainda acha uma maneira de me ferir...
Pessoas assim são vampiros emocionais e tiram sua energia do sofrimento alheio.

Eu entendo o cara que não consegue quebrar o ciclo de abuso, principalmente numa situação como a dele. Muita terapia e anos aparte não me fizeram sair desse ciclo.

A questão é: você quer isso pra você? Você acha mesmo que isso vale s sua sanidade mental?

Jane Doe

Anônimo disse...

(Viviane)
Pra uma criança eu teria muito mais dificuldade de explicar por que pessoas são discriminadas por seus relacionamentos...

Anônimo disse...

Que situação.
Seria interessante que o rapaz ou a namorada procurasse orientação jurídica quanto ao que é possível de se fazer nessas condições (se é que já não procuraram). Ver sobre possibilidade de internação/tratamento/interdição da mãe, a questão de eles não receberem ajuda financeira do pai de forma alguma e tbm sobre a mãe ficar como responsabilidade do filho que aparentemente tem menos condições financeiras e psicológicas de cuidá-la adequadamente. O outro filho, se maior de idade, e o pai, também são obrigados em suas responsabilidades.
Tem muita coisa aí, ver as possibilidades jurídicas é a melhor forma de começar, pelo que entendo.
A decisão de terminar ou não o relacionamento é algo que só cabe ao casal, ou no caso à namorada que está se questionando.

Anônimo disse...

Apenas idiotas acham que podem tentar controlar o que as outras pessoas comentam ou mandar no que elas pensam.

Anônimo disse...

Idiotas sem argumentos ou apenas com arjumentos péssimos e furados, aliás.

Anônimo disse...

Que situação.
Seria interessante que o rapaz ou a namorada procurasse orientação jurídica quanto ao que é possível de se fazer nessas condições (se é que já não procuraram). Ver sobre possibilidade de internação/tratamento/interdição da mãe, a questão de eles não receberem ajuda financeira do pai de forma alguma e tbm sobre a mãe ficar como responsabilidade do filho que aparentemente tem menos condições financeiras e psicológicas de cuidá-la adequadamente. O outro filho, se maior de idade, e o pai, também são obrigados em suas responsabilidades.
Tem muita coisa aí, ver as possibilidades jurídicas é a melhor forma de começar, pelo que entendo.
A decisão de terminar ou não o relacionamento é algo que só cabe ao casal, ou no caso à namorada que está se questionando.

Mais um iludido de faculdade de Direito achando que a merda de justiça nesse país ajuda em algo.

Anônimo disse...

Aqui é um site FEMINISTA. Ficar aguentando comentários machistas, homofóbicos e racistas só por causa da "liberdade de expressão" a gente não é obrigada, queridinha.

Aliás, nem é opinião a maioria dos comentários, mas discurso de ódio ! Se você acha que a Lola deve ficar achando tudo lindo, miga... Seja menos, bem menos.

Anônimo disse...

Ah, gente como você ? Faz sentido... Não entendem ironia, que coisa lamentável.

Anônimo disse...

Oi?! Você tá passando mal?

Anônimo disse...

"homens disponíveis, disponibilidade é importante."

siiiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmmmmmmmmmmmm pelamordedeus mulherada prestem atenção nisso"

homens estao disponiveis mais nenhum deles prestam.Do que adianta?

ainda mais vcs vivem falando mal dos "omens", vão querer correr atras deles pra que?

o grau de coerencia de vcs é ZERO!

A mãe dos gato tudo disse...

Poucas pessoas estão realmente dispostas a mudar. Principalmente homens, eles tendem a se acomodar mais facilmente.
Digo por experiência própria; às vezes algum ex ou amigo/colega de 10, 15 anos atrás surge no meu FB com graça e ao ver o perfil da pessoa me sinto como se tivesse voltado no tempo: salvo a aparência, a pessoa não mudou em NADA. Mesmas atitudes, mesma vidinha...

Tentei tirar um ex meu do comodismo dele por 4 anos quando estávamos juntos, e o resultado foi exaurimento mental e muito ressentimento. Se o seu namorado está assim há anos já, a tendência dele de mudar é cada vez menor. Ele vai é se enterrar mais e mais nessa situação.

Anônimo disse...

Se fosse um homem passando pela mesma situação (ou parecida) pedindo conselho em um espaço de mascus, com certeza os mascus (provavelmente por unanimidade) iriam falar para o homem cair fora imediatamente desse relacionamento, largar essa namorada, que continuar com ela seria ''manginagem'', coisa de ''beta''. Mas advinha? Alguns mascus aparecem aqui mandando a moça continuar nesta situação. Ah, vcs mascus são muito descarados.

Anônimo disse...

Esse rapaz é um projeto de mascu, um verdadeiro encostado, uma vergonha pra família e pra sociedade um homem nessa idade não produzir nada.

titia disse...

"Papai, por que aqueles dois homens estão se beijando?"

"Porque eles são namorados, filho"

"Namorados?"

"É, eles gostam um do outro."

"Mas homem gosta de homem?"

"Alguns sim, filhão. Alguns homens gostam de homem, outros gostam de mulher, outros ainda gostam dos dois. Tem mulher que gosta de mulher, mulher que gosta de homem, mulher que gosta de homem e de mulher e por aí vai."

"Por que, papai?"

"Porque as pessoas são assim."

"Mas como eles podem ter um filho sem uma mamãe?"

"Ué, quem adota não é pai e mãe também?"

"É mesmo! Ah, papai, é o Marquinhos e ele trouxe a bola nova!"

"Vá lá brincar com ele, filho. Eu queria mesmo bater um papo com o Dr. Zeca."

Se o povo desse país realmente se acha representado por sua excelência Cérebro de Bosta, peço encarecidamente que larguem os diplomas e os livros, coloquem um arreio na boca e comecem a puxar carroças. Os senhores nos congressos e prefeituras queiram por favor fazer o mesmo, com o adicional chicote no lombo. Estaremos muito melhores com os burros e mulas governando e ensinando nossas crianças.

Anônimo disse...

A velha desculpa da ironia depois que as pessoas percebem que vc tá falando merda.

Anônimo disse...

A mais pura verdade, anon 15:33. Homens héteros passam a vida tentando provar pros outros a própria "masculinidade", provar que são "machos de verdade", "Homens com H maiúsculo", "Héteros com H maiúsculo", e sempre estão defendendo a si mesmos contra a homossexualidade, contra as "viadagens", de todas as formas possíveis. Inclusive se utilizando de várias ajudas fornecidas pela sociedade hetERROssexualista que eles criaram a fim de serem protegidos contra a sexualidade masculina direcionada aos próprios homens, contra a própria homossexualidade e "viadagens", enfim, a sociedade hetERROssexualista criada pelos homens para protegê-los deles mesmos.

Quem sabe se os homens héteros experimentarem uma boa rola eles deixam de serem tão defensivos e frustrados e param de fazer tanta merda nessa eterna busca de provarem a própria masculinidade.

Anônimo disse...

Eu gosto de tapioca de nutella com banana, vocês já experimentaram?

Anônimo disse...

''rola é a cura para o heterossexualismo masculino''

e é mesmo...adooooro!

Anônimo disse...

Felizmente sou empoderadx não binárix, só me relaciono com gente gender fluid.

Anônimo disse...

Oi?! Você tá passando bem?

Anônimo disse...

To.e vc?

Anônimo disse...

Mais uma humilhação retumbante q os asnos da direita vêm recebendo

Na eleição pra presidente da câmara:

Erundina - 10 votos
Brancos - 5 votos

bolçolixo - 2 votos (o voto do filho e q ele mesmo se deu NÃO CONTA)

KKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkk FRACASSADO

A cada dia q passa esse vômito humano fica cada vez mais desmoralizado, assim como o trumijo, bebedor de urina do putinho

Anônimo disse...

Tem certeza?! Tá mesmo? Não parece...

Anônimo disse...

Pq não pareço?

Anônimo disse...

Lola, não vai ter post sobre a Amanda?


Anônimo disse...

a lola já não deveria ter voltado das férias?

Marix disse...


Bom, tenho um conselho para dar para ti e para seu namorado. O mesmo conselho serve para os dois.
Há uma história bíblica (sobre a mulher de Ló) e uma na mitologia grega (Orfeu e Euridíce) em que os personagens deveriam seguir em frente, sem olhar para trás, e, se olhassem para trás, teriam uma severa punição dos deuses.
A mulher de Ló, desobedeceu a ordem divina, e olhou para trás, e como punição, foi transformada numa estátua de sal. Ficou, assim, uma estátua, imóvel, parada para sempre no mesmo lugar.
Orfeu teve que descer até Hades, para resgatar sua amada Euridíce que havia sido feita prisioneira no mundo inferior. As deusas permitiram que ele resgatasse a amada e a levasse com ele, DESDE QUE, ele seguisse em frente e não olhasse para trás. Ele deveria caminhar sempre à frente, até chegar de volta ao mundo superior. Acontece que Orfeu olhou para trás, e, então, Euridíce foi tragada novamente para o mundo inferior, e ele perde para sempre sua amada.

Querida, tanto você quanto ele precisam tomar uma decisão, a decisão de viver, de achar um jeito de lidar com relacionamento tóxico. de viver sem serem prisioneiros, de fazer planos e buscar realizá-los. E vocês podem tomar essa decisão em conjunto, ou, individualmente. Seja o que for que decidir, neste momento, não olhe para trás. A decisão pode ser individual ou tomada em conjunto.

Anônimo disse...

"Anônimo disse...
nunca se esqueçam:

"etERROssexualismo masculixo é falta de rôla"

é sempre bom lembrar

3 DE FEVEREIRO DE 2017 00:21
"

A única diferença entre esse tipo de comentário e o Bolsomerda dizendo que "homossexualismo é falta de porrada" é o alcance, um comentário foi dito por um deputado nacionalmente famoso e outro por algum babaca anônimo de internet, mas o ódio que fomenta esse tipo de comentários é absolutamente o mesmo.

? disse...

Por que a esquerda está tão furiosa com o povo britânico pelo Brexit, se essa mesma esquerda 20 anos atrás estava lutando com unhas e dentes contra a implantação da ALCA? Será que bloco regional no dos outros é refresco?

Anônimo disse...

Eu já tive mãe doente e sinceramente, esse namorado aí deveria é ser denunciado a polícia. Porque quem tem dinheiro pra manter uma casa de um quarteirão consegue sim enfermeira, clínica, homecare e o diabo. Sem casa de um quarteirão consegui, sem ajuda também porque povo some mesmo, fui atrás de advogado e consegui ação de alimentos pra ela, cuidei dela até o fim (em casa enquanto deu mas com acompanhamento profissional e depois no hospital, quando ela se debilitou além da conta) e depois que morreu e vem a hora da herança aí a família aparece né, pois bastou eu mostrar a conta de tudo o que tinha gasto pra quem aparecia que os ratos voltaram para seus devidos buracos muito rapidamente e foi uma beleza de fácil fazer o inventário. Tinha dois empregos, fazia bico de qualquer coisa quando dava, estudava e ainda arrumava tempo pra namorar um rapaz que morava em outro estado, porque quem não tem tempo pra nada é vagabundo, gente ocupada sempre dá um jeito e também não ficava mais de 10 dias sem a gente se encontrar porque não vejo o menor sentido em ficar em um relacionamento que me deixa mais carente do que quando estou sozinha. Ele não faz nada da vida dele porque não quer e se você bancar a heroína e querer assumir o problema dele só vai arrumar mais um vagabundo pra sustentar então pensa direitinho aí e vê se isso é bom pra você, se for, votos de felicidade ao casal.

Anônimo disse...

É sério? A falecida ALCA é a mesma coisa que o Bretix?

E isso num post sobre relacionamentos, por que né, mulher alguma pode comandar um debate.

Deixa de ser ridículo e volta lá para os debates viciados e da profundidade de um pires da direita, aqui, a pauta é outra.

Ah esse ataques a Samantha são ridículos. A moderação faz todo o possível, os trolls é que não conseguem ir embora, são viciados em debates feministas. Imagina se o feminismo 'importasse realmente'.

S. disse...

Que comentários foram esses tão brilhantes que eu deletei, anônimos? Você fazendo aqueles trocadilhos super maneiros de lixomem, eterrosexualismo e outras idiotices? É você dizendo que mulher não deve se relacionar com homem? É aqueles comentários de anencéteros? Pois se são esses, você tem razão, eu deletei tudo.

=)

Unknown disse...

Ministério dos direitos humanos é recriado pelo governo Temer e Luislinda Valois assume como ministra: http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-02/temer-cria-ministerio-dos-direitos-humanos-e-moreira-franco-vira-ministro

Luislinda, primeira juíza negra a ser desembargadora, é filiada ao PSDB, em 1993 redigiu a primeira sentença condenatória por crime de racismo no Brasil.

Quais serão as atribuições do novo ministério, todavia, é incógnita, já que o atual ministro da Justiça, Alexandre de Morais, recebeu poderes ampliados para lidar com as questões de segurança pública, uma das exigências da bancada da bala.

Não conheço o trabalho da Luislinda, mas é, felizmente, um grande salto de representatividade para esse governo misógino ao extremo. Tomara que ela continue focada nas políticas raciais e amplie o combate, mais do que necessário, ao racismo no Brasil.

Anônimo disse...

A questão é bem complexa. Como assistente social que trabalha com a área de idosos, eu sugeriria procurar o CREAS (Centro Especializado de Assistência Social) para acompanhamento. Você não deixou claro se a doença a incapacita mentalmente. Em caso afirmativo sugeriria também que o filho a interditasse judicialmente e assim ele mesmo poderia ajuizar pensão de alimentos para mãe e vender a casa em que moram. Vender a casa é urgente se não tem dinheiro para manter uma casa enorme. Até porque não há necessidade de duas pessoas morarem em uma casa de um quarteirão. Com o $ daria pra comprar uma menor, porém acessível e confortável e colocar o restante no banco em alguma aplicação que rendesse o suficiente para pagar uma enfermeira. Se a mãe não for lúcida não adianta tentar pedir a colaboração dela em aceitar uma cuidadora: é contratar e pronto. Com o tempo se acostuma com a cuidadora (obviamente o filho deve ficar atento, colocar câmeras, se necessário, pra segurança da mãe e contratar com referência uma profissional capacitada para cuidar de alguém enfermo). Se a mãe for lúcida, cabe sentar com ela e oferecer as opções, explicar que precisa ter cuidadora, que ele não tem como ficar 24 hrs, 7 dias na semana por conta e bancar essa decisão! Todo filho tem obrigação de amparar os pais na velhice e enfermidade, mas isso não significa virar capacho e anular a própria vida. Obviamente é muito mais fácil pra quem está de fora. Para os filhos é extremamente dificil bancar estas decisões, e sugiro que ele procure um psicologo na rede pública que o ajude a enfrentar isso!

Anônimo disse...

Agora pra namorada não há outro conselho a não ser: se pergunte se vc o ama o suficiente para aguentar essa barra junto...Só vc pode dizer isso!

Rafael Cherem disse...

Unknow, cosmética a mudança e a criação desse ministério, só isso.

Anônimo disse...

Olha , leio o blog já há anos e estava relendo post antigos.
A diferença da caixa de comentários é gritante. Tinha espaço, tinha uma discussão saudável
pras mulheres.

Agora nem chego perto de ler comentários, mal passo os olhos numa tentativa e desisto.
Assim como eu não estou mais aqui nos comentários, acredito que outras mulheres também não.

Deixo o registro caso quiserem repensar a política de comentários.
Podia dar um delete e bloqueio nesses comentários de haters, trolls, mascus, quem aguenta isso? Por favor!
Do jeito que está, esse espaço tá servindo a quem?

Anônimo disse...

"aqueles trocadilhos super maneiros de lixomem, eterrosexualismo"

Sim, os trocadilhos geniais são a melhor parte <3

Anônimo disse...


Oi moça do post.
Meu conselho é, não tenho ctz se vocês ainda não fizeram isso, mas vale a pena ter uma conversa/ultimato bem franca.
Não sei o quanto forte são seus sentimentos por ele, nem o quão disposta vc está em ajudar, mas se for o caso, fala com ele, o quanto a situação está estragando o relacionamento e que ele precisa fazer algo sobre, senão não dá mais.
A situação é complicada, mas não podemos (nem devemos, acho) tentar salvar ninguém. O máximo que vc pode fazer é apoiar, mas ele msm precisa resolver a propria vida.
E isso é uma escolha dele: se dedicar à mãe 100% ou viver uma vida que tenha espaço para você. Eu tb não acho que as duas coisas precisam ser mutualmente exclusivas, se ele conseguisse se recuperar do abuso psicológico da mãe, conseguisse um emprego e encontrasse um equilibrio nas coisas (cuidar da mãe, mas ter tb umx cuidadorx).
Bom, não sei o quanto essa possibilidade seria realista porque estou de fora, né.

Mas a questão é que, em última instância, essa é uma escolha que ele tem que fazer, não vc.
Se não dá mais, não dá. Se vc estiver disposta a tentar apoiar no que pode e ele disposto a tomar passos pra melhorar a situação, talvez dê certo.
Se não... melhor partir pra outra.

Anônimo disse...

02:45 a única diferença aqui é q vc não consegue captar sarcasmo, não percebeu q isso é uma resposta no mesmo nível pra quem diz: "feminismo é falta de..."

Nem eu nem a maioria. Essa desculpa de "sarcasmo" está no mesmo nível dos gentilis da vida que falam tudo quanto é merda e depois vem com "é só uma piada", "é só sarcasmo"... Se vocês queriam mesmo se igualar a machistas, misóginos e homofóbicos do pior tipo então parabéns, conseguiram. Mas não pensem que com isso conseguiram algo de bom.

Mas na verdade ainda acho que esses comentários do tipo "eterrosexualismo" não vem de alguém que quer "responder à altura", mas sim de trolls que vieram aqui destruir este espaço, e nesse caso também, parabéns, estão conseguindo. A Anônima de 10:28 tem toda a razão.

Anônimo disse...

eu achei engraçado esse "o pai super bondoso" pq o cara tem vinte e sete anos.
VINTE E SETE ANOS.

Não tem mais obrigação nenhuma de dar pensão mesmo não, desculpe, sei que ele foi cachorro no passado mas...
Eu sei que é foda a situação, mas ele está acomodado sim, bastante. a gente se acomoda mesmo quando a situação não é boa, e natural. Eu entendo o que e ser dominado pelo/pai/mae mas enquanto ele não dar um basta a situação não vai mudar e vc vai ser arrastada nisso tb

Anônimo disse...

A hipocrisia de vcs é nojenta, no post anterior tem a moça q nunca trabalhou na vida, dá pra ver q tem problemas psicológicos e recebe apoio.
O cara desse post q tb parece ter problemas emocionais e psicologicos, é um folgado, vagabundo q n quer trabalhar

Kkkkkkkkkk depois com a maior cara de pau falam q n demonizam homens. Atitude bem parecida com o dos machistas, 2 pesos e 2 medidas.

Anônimo disse...

11:25 só anencéteros se doem por causa disso querida

12:41 cala boca mascu, vai fazer campanha do bolçomerda

Anônimo disse...

Das 12:41 ele é um vagabundo sim, é uma vergonha um homem dessa idade não trabalhar, homem não pode ter essa opção.

Anônimo disse...

11:25 eles só estão provando do próprio veneno, querida

Anônimo disse...

Não é fácil essa situação. Acho que você tem que analisar até onde você consegue ir, se você esta disposta a permanecer do jeito que está, se tem algo que talvez ele possa fazer para mudar.

Se você considera pelo menos uma mínima possibilidade de dar certo, converse com ele, explique, seja sincera. Talvez juntos vocês conseguem chegar a um meio termo onde existe cooperação mútua. Relacionamentos são difíceis e independente com quem você for se envolver, uma hora ou outra vão surgir problemas, é ai que você descobre o quanto esta disposta a levar a frente a relação. O quanto você pode se doar pelo outro, etc.

Se for permanecer com ele, permaneça por amor mesmo, não fique pensando que futuramente pode ocorrer o mesmo com você e ele vai agir igual, nem sempre é assim, sei que é clichê, só que nesse momento faça o que manda o seu coração.

titia disse...

11:55 a pensão é pra mãe doente e sem aposentadoria, não pro rapaz - que, aliás, o canalha do ex deveria pagar mesmo sem ela ter pedido, afinal a mulher não trabalhava provavelmente porque ELE não queria e está sem recursos hoje por causa disso.

donadio disse...

"Olha , leio o blog já há anos e estava relendo post antigos.
A diferença da caixa de comentários é gritante. Tinha espaço, tinha uma discussão saudável
pras mulheres.

Agora nem chego perto de ler comentários, mal passo os olhos numa tentativa e desisto.
Assim como eu não estou mais aqui nos comentários, acredito que outras mulheres também não.

Deixo o registro caso quiserem repensar a política de comentários.
Podia dar um delete e bloqueio nesses comentários de haters, trolls, mascus, quem aguenta isso? Por favor!
Do jeito que está, esse espaço tá servindo a quem?
"

x2

Anônimo disse...

Sou mulher e fiquei impressionada com a falta de amor que esta moça demonstra pelo namorado.

Quer terminar porque não pode viajar? SÉRIO?
Você quer que ele viva em função de você, por isso está chateada.

Você deixaria sozinha sua mãe/pai doente pra sair viajando pelo mundo?

Gente... Esse rapaz é muito humano, e de bom coração. Ele pode fazer isso por culpa, mas certamente também faz por amor e compaixão. Vi isso acontecer na minha família, tia que sacrificou a propria vida para cuidar de um pai doente e depois que ele faleceu, cuidar de um mãe idosa e dependente.

É essencial pro ser humano ter autonomia, poder se realizar, se expressar, agir no mundo. Mas não podemos ignorar e passar por cima das dores das pessoas que amamos. Amar é isso. E acho que quem ama, apoia e dá força, para que os obstáculos sejam superados. É olhar nos olhos e dizer "estou com você".

Acho que nós temos que ser do jeito que nós queremos que nossos parceiros sejam. Se eu quero um homem que ame, me aceite, que me apoie, eu também preciso ser assim pra ele. E quando um ser humano se sente apoiado e amado de verdade, ele ganha forças para tomar atitudes que melhoram a propria vida. Ele cresce como ser humano e se fortalece e se supera.

A situação que ele está não tem resolução rápida e indolor. E é por isso que ele está preso nela. Porém, certamente há medidas que poderiam ser tomadas, para que ele ganhe um pouco mais de alivio e liberdade. Mas mesmos medidas menores, serão sofridas e difíceis, e é por isso que o amor incondicional nessas horas pode fazer toda a diferença. A maioria das pessoas tentam ajudar intervindo, mas não é assim tão simples. Existem emoções, uma história familiar envolvida, e não dá pra mexer nisso abruptamente, sem causar um enorme conflito emocional, ainda mais dor e as vezes piorando a situação. Precisa amor, leveza, menos cobrança, mais positivismo, mais incentivo, e acreditar mais no ser humano. Leia sobre a teoria Profecia autorrealizável.

Porém, acredito que você sentir vontade de terminar por causa disso seja porque você não tem maturidade para lidar com a situação, ou seu sentimento por ele não é um amor maduro o suficiente. E independente das sugestões, sua decisão será apenas aquela que sua maturidade conseguir lidar.

Anônimo disse...

L., querida,
A meu ver, tem tanta desinformação ou bobagem nos comentários, que nem entrarei nos méritos.
Minha impressão é de que vc tem compaixão pela história e situação dele, eu tb teria.
Entretanto, um relacionamento se constrói com parceria, e ele - pelo motivo que seja - parece não ter esse compromisso com vc.
Com certeza ele tem uma relação super complicada com a mãe, que ou tem doença degenerativa, ou é asquerosamente abusiva e covarde.
Emocionalmente, ou ele encara os próprios sentimentos exacerbados de culpa (escavando a própria história), e descobre quanta RAIVA ele provavelmente guarda bem escondido contra a mãe especificamente, ou ele vai sofrer com vc ou com qq outra pessoa.
Uma vez que na nossa cultura hipócrita reprimem violentamente sentimentos negativos em relação aos pais, a pessoa - seu namorado, no caso - SE quiser se encarar, tem de dar muita sorte para encontrar suporte terapêutico eficiente. Ele precisa, qualquer um na situação dele precisa.
Se não, ele vai continuar nessa simbiose com a mãe (ela tb sem tratamento), vai recalcar a raiva por ela. Porque, por mais que comandem o que as pessoas podem ou não sentir, o sentimento não pode ser apagado, só pode ser clivado. Daí, essa raiva clivada inconsciente vai ter de sair pra algum lugar, ou vai pra dentro dele mesmo (depressão), ou ele vai PROJETAR na pessoa mais disponível (emocionalmente). Isso é pra quem não encontra o raro suporte psicológico e/ou deseja evitar lidar com os próprios sentimentos mais doloridos.

Quer dizer, tem o problema prático (esses canalhas pai e irmão dele têm de assumir a parte deles, espero que P.reconheça pelo menos isso). Que com muito trabalho e paciência, dá pra encarar.

Mas o emocional - o mais escondido, o que ninguém quer falar/ouvir sobre, o que é tabu e pode confrontar o desejo consciente de P.de agradar e "compensar" a mãe por todos os problemas da vida dela (convenhamos, jogar prato de comida e mandar fazer outro, e ele se achar na obrigação de fazer, está num nível bem complexo de relação doentia - ele tb, não é só ela não - claro que como filho crescendo desse jeito, pessoa em formação co-dependente de um adulto adoecido em sei lá quantos níveis - ele teve pouca, zero, escolha).

Mas cabe a ele a vida dele, não a você, por mais que queira ajudá-lo, vê-lo bem, investir na relação COM ele (lembrando da parte dele na parceria).

(Só não entendi a parte das viagens, se ele não tem dinheiro pro básico, vc banca tudo? Ok, muita intromissão, é que ficou meio esquisito).

Muito boa sorte
(AG)

Anônimo disse...

Anon 13/03

Eu tb sou mulher, mas me impressionei mais pelo seu julgamento moralista segundo o qual L. deve "amor incondicional" a P., sem a menor noção do contexto de relação em construção deles.

Sério que vc leu o post e achou que o problema é ela demandar que o namorado "viva em função" dela? Sério isso?

(Parece troll)

A mulher DEVE "amor incondicional" ao namorado que sequer sabe se tem a relação deles dois como prioridade, ela tem de apoiar, se anular, abnegar-se. Amélia do século XXI. Sem esperar NADA pra ela.

Eu não sei com que frequência L.quer viajar, mas ficou limpidamente claro no post o fato de que eles não têm tempo pra relação deles. Nada a ver com filhos abandonando pais doentes e idosos na rua.

Pelamor, nem pais têm "amor incondicional", vai exigir isso de uma mulher em crise numa relação super complexa em que claramente ela não é tratada como prioridade e o namorado não dá a ela perspectiva? Exigir = julgamento MORAL = mulher, se não amar incondicionalmente (e morrer enquanto PESSOA), É IMATURA.
TÁ CARIMBADO: "IMATURIDADE".

Quantos homens de 23 anos em situação semelhante vc já deu o mesmo julgamento moral?
(AG.)