terça-feira, 20 de junho de 2017

GUEST POST: UM ROSTO, UM NOME, UM FIM

Publico aqui o relato dolorido de uma colega querida. Embora seu algoz já esteja morto há tempo, para ela escrever isso é "sinal de libertação. Finalmente um rosto, um nome e um fim". 

Há muito tempo me reservo o desafio de publicar a violência que sofri quando criança. Não há nada que possa explicar ao meu corpo a dor que ainda hoje sinto quando me deparo com as imagens. Fugi delas a vida inteira. Paradoxalmente, as encontrei em outros momentos, quando terapeuta, médico e ainda desconhecidos me violaram o corpo. Hoje entendo que precisava reencontrar a imagem para poder deixa-la como imagem, e nunca mais fazê-la personagem de minha vida. 
Fui abusada quando era bem pequena. Não sei precisar a idade, mas sei que ainda não ia para a escola e andava de calcinha em casa. Não sei também dizer quantas vezes, pois passei anos sem poder lembrar na consciência desses maus tratos.
Foram cometidos por um grande amigo de minha família. Todos lá em casa gostavam dele. E talvez esse querer tenha me feito entender menos. Tive dificuldades de me relacionar com minha mãe durante anos, pois não aceitava, mesmo sem compreender a origem, que ela não tivesse me protegido.
Anos mais tarde, já adulta e por ter sido invadida e violada na primeira terapia, comecei a me tratar com uma psiquiatra, especialista em psicodrama, a quem finalmente me debruço em gratidão. Foi na elaboração da violência terapêutica, num drama, que as cenas de abuso me vieram. Só chegaram hoje, quando pude ser acolhida. Amigos, ali de egos auxiliares, me fizeram o colo. E finalmente pude chorar e ver no meu corpo, a prisão que a pedofilia me trouxera. 
Hoje, ao abrir o Facebook, me deparo, em foto de minha cidade natal, onde fui abusada, com a foto do meu agressor. Com tristeza o vi numa foto de "zelador do coração de Jesus". Com repugnância o encarei. O estômago ainda embrulhou, mas não o trouxe a mim. 
Com alívio, sei que está no passado. Que depois de muitos anos de busca da criança que existia antes der violada, encontrei minha integridade e posso lutar contra todas as formas de violência e opressão. O faço na educação, plantando amor, solidariedade, ética e paz, defendendo a cidadania e o direito de ser mais. 
Para ele, reservo essa denúncia, até aqui guardada do público, onde retirei de mim o corpo, o nome e o tempo violentos. 
V. A., você não foi zelador do coração de Jesus, você não viveu pautado no cristianismo e não amou ao próximo nem defendeu as crianças. Você foi um pedófilo, criminoso, mal zeloso e cruel. A você, minha luta pelo direito das crianças a não perderem a infância, a liberdade e a vida.

11 comentários:

Anônimo disse...

Moça, te dou o parabéns por sua força e conseguir se reerguer.
Se eu tivesse na sua pele iria confrontar esse canalha, e diria pra ele que um pedófilo nojento como ele NUNCA será zelador de Jesus!

Unknown disse...

Moça, chorei com seu relato. Obrigada por compartilhar, é muito importante saber que é possível resistir a dor, que é possível viver com ela, passar por ela, e se reencontrar consigo mesma. Obrigada, mesmo, por não desistir, obrigada por ter coragem.

Um abraço e dois beijos carinhosos.

Marcia.

Anônimo disse...

"Se eu tivesse na sua pele iria confrontar esse canalha, e diria pra ele que um pedófilo nojento como ele NUNCA será zelador de Jesus! "

O capeta já deve ter dito isso para ele, pessoalmente.

Anônimo disse...

Isso nunca deveria acontecer. Parabéns para você por dedicar-se à luta contra esse e outros horrores ! Minha admiração e respeito !

Anônimo disse...

Trágico o fato.

Mais trágico que isso é usar tragédia pra se esquivar de falar de crise economica...

Anônimo disse...

Complicado

Anônimo disse...

PÔxa... só espero que tu consigas viver de forma inteira e que sejas feliz. Que as feridas do passado te façam forte no presente, mas que não doam mais. Quanto ao monstro, ódio e raiva.

Anônimo disse...

Não consigo compreender como alguém consegue violar dessa forma uma criança. Qual o impulso que move um homem não importando a consequência na vida desse ser tão ingênuo.
Muita crueladade, ainda bem que essa mulher se reinventou e fez da sua história sua própria superação. Parabéns querida e um forte abraço.

Anônimo disse...

Jesus dedica uma boa parte do seu discurso a avisar o que acontece com quem maltrata crianças.

Charle Coimbra disse...

Felício você pela coragem e pela força. Desejo que seja muito feliz apesar dessa cicatriz na alma. Eu sei que será. Um abraço fraterno. E manifestação tarde o aqui o desejo que ninguém acoberte e minimize essa violência contra alguma criança. Estejamos sempre conscientes da necessidade de protegê-las.

Anônimo disse...

"Jesus dedica uma boa parte do seu discurso a avisar o que acontece com quem maltrata crianças."

A maior parte dos pedófilos são cristãos