segunda-feira, 31 de julho de 2017

#LIBERTEM RAFAEL BRAGA

Amanhã (terça, dia 1/8) será o julgamento do habeas corpus impetrado pela defesa de Rafael Braga. 
Rafael foi condenado unicamente pelo testemunho de policiais do Rio. Seu crime: portar uma garrafa plástica de Pinho Sol nas manifestações de junho de 2013. Por causa disso, pegou 11 anos de prisão.
Seu caso é típico do racismo, elitismo (já que há milhares de homens brancos e ricos que foram flagrados cometendo crimes e nunca foram condenados), autoritarismo. Típico da injustiça do sistema judiciário brasileiro (e mundial), que sabidamente pune apenas os pobres. 
Seu caso está tendo repercussão internacional, angariando apoio de ativistas consagradas como Angela Davis
Angela, filósofa americana comunista, feminista, negra, ícone de luta, na década de 1970 esteve na lista dos mais procurados do FBI. Ela só conseguiu ser absolvida após uma campanha intensa exigindo sua liberdade
A hashtag #LibertemRafaelBraga já está agora nos trending tópics do Twitter. É preciso que permaneça lá. Todas nós ativistas devemos nos unir para impedir que o sistema mais uma vez esmague um jovem negro e pobre.
UPDATE em 8/8: O Tribunal de Justiça do RJ negou o pedido de habeas corpus a Rafael Braga, que continuará preso. Isso acontece no mesmo dia em que o playboy branco e rico Sérgio Sirotsky, de 21 anos, deixa de comparecer à delegacia pelo seu segundo crime

15 comentários:

Anônimo disse...

Que desgraça é essa Angela

Anônimo disse...

O que aconteceu com esse rapaz é absurdo. Espero que no fim de tudo isso ele consiga uma indenização histórica.

Felipe Roberto Martins disse...

É o reflexo de um Brasil - historicamente - injusto.

Denise disse...

Lola, só corrigindo uma informação: essa condenação de 11 anos de prisão não foi por “portar uma garrafa plástica de Pinho Sol nas manifestações de junho de 2013”, mas sim por tráfico de drogas. Na verdade Rafael foi preso em junho de 2013 nas manifestações e condenado em dezembro daquele ano a cinco anos de prisão, condenação essa que foi reduzida para quatro anos e oito meses meses após a apelação da defesa.

Ele estava cumprindo essa pena em regime aberto com monitoramento eletrônico, quando então em janeiro de 2016 ele foi preso novamente, por policiais militares da UPP da Vila Cruzeiro, portando 0,6 gramas de maconha e 9,3 gramas de cocaína. Foi essa nova prisão com drogas que gerou sua prisão preventiva em janeiro de 2016 (onde ele permanece até hoje) e essa semana saiu a sentença condenatória de 11 anos por tráfico de drogas.

É óbvio ululante que ambas as condenações são absurdas, a das manifestações é absurdamente desproporcional e obviamente só ocorreu por ele ser negro e morador de rua na época. Já a atual, por tráfico de drogas, ainda que se desconsidere a alegação do Rafael de que o flagrante feito pelos PMs foi forjados, é também absurda levando em conta a ínfima quantidade de droga que supostamente teria sido encontrada com ele.

Enfim, esse comentário é só pra esclarecer mesmo alguns detalhes contidos no post, mas concordo 100% com a indignação geral contra a injustiça cometida contra o Rafael que só cometeu um “crime”: ter nascido negro e pobre nesse país elitista, racista e corrupto que é o Brasil.

Rafael Cherem disse...

Enquanto isso o filho da desembargadora...

Anônimo disse...



O que a esquerda nao entende é que o fato dele ser negro nao é salvo-conduto pra
traficar our praticar crimes...

Tem que estar preso mesmo.

titia disse...

Flagrante forjado não é incomum. Já ouvi histórias de arrepiar sobre isso, e pior, eu ouvi das próprias testemunhas do flagrante forjado. A polícia desse país é uma bosta, um bando de corruptos que se acham deuses, que só querem saber de encher o rabo de dinheiro e os trouxas que pagam o salário desses bostinhas que morram na rua. Liberdade para Rafael Braga sim, a polícia que se exploda e os conservadores que chorem na cama.

E um meio off-topic aqui, só pra mostrar a cara da nossa elite tão amada e defendida por esses classes médias mamãe-quero-ser-corte burros. P.S. Isso saiu na mídia conservadora:

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/07/31/babas-escravizadas-trabalham-meses-sem-descanso-e-com-fome-em-condominio-de-alta-renda-em-sp.htm#comentarios

E o melhor é que nem os palhacinhos amestrados estão tendo coragem de ir lá defender a corja escravista.

Anônimo disse...

Denise, seu comentário foi muito esclarecedor! Eu ainda não sabia desses detalhes. Muito bom saber pra não espalhar informação errada sobre o caso...

Rafael disse...

"O que a esquerda nao entende é que o fato dele ser negro nao é salvo-conduto pra
traficar our praticar crimes..."

Claro, claro. Salvo-conduto de verdade é ter mãe desemvargadora é presidente do TJ.

Joseph K disse...

[OFF-TOPIC]

Lola, não sei se viu, mas tem um artigo publicado em uma revista da UFAC que fala um pouco sobre os ataques que você vem sofrendo. Não li, mas segue o link:

http://revistas.ufac.br/revista/index.php/tropos/article/view/1289

lola aronovich disse...

Ñ tinha visto, Joseph. Muito obrigada por avisar. Vou ler!


Rafael, adorei a resposta.

donadio disse...

"portando 0,6 gramas de maconha e 9,3 gramas de cocaína"

Resumindo, era muito pouco. Se fossem 160 kg de maconha ou 435 kg de cocaína, teria sido libertado imediatamente, com direito a elogios rasgados de um ministro do supremo, e eleito senador e presidente do principal partido de confusão.

Anônimo disse...

Se estivesse estudando ou trabalhando... ou vai dizer que tinha ido comprar produto de limpeza, por acaso, no dia hora e local exatos?

João Paulo Ferreira de Assis disse...

Devemos não só fazer a campanha pela liberdade do Rafael Braga como agir junto ao STF para este revogar a súmula do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, que permite prisões apenas com depoimentos de policiais. E o caso do Rafael é mais grave, pois tem testemunha de que ele não estava cometendo crime, e esse testemunho foi ignorado pela ''justiça''.

Anônimo disse...

Se ele foi preso por portar uma pequena quantidade de drogas, a punição é muito injusta. Isso não deveria ser crime.