sexta-feira, 6 de outubro de 2017

A HOMOFOBIA ATRAPALHA A VIDA DOS HÉTEROS TAMBÉM

Não dá pra deixar sem registro isso que aconteceu na penúltima quinta, 28 de setembro.
Solange, de 47 anos, e sua filha, de 20, saíram abraçadas do cinema no Liberty Mall, shopping de Brasília. Foram confundidas com um casal de lésbicas e, por isso, chamadas de cretinas e safadas por um homem de 55 anos. Solange respondeu, e foi agredida no rosto. Ela chamou os seguranças do shopping para que não deixassem o cara sair, porque exigiu que ele fosse levado à delegacia. Lá, o homem foi autuado por injúria e lesão corporal. Assinou um termo de compromisso de compromisso de comparecimento do Juizado Especial Criminal e foi liberado. 
Solange gravou um vídeo em que, emocionada, diz: "Isso tem que acabar. Eu não sou gay, mas me botei no lugar de todas as pessoas que eu conheço e que só querem ser feliz e viver a vida delas". 
Disse também: "Minha filha tem 20 anos e nunca passou por um constrangimento desses. Só que eu me orgulho porque eu mostrei para ela que a gente tem que lutar. Que a gente não tem que ficar calado". 
Parabéns a Solange, que não deixou barato. Não precisa ser gay pra lutar contra a homofobia -- que, assim como a misoginia e o racismo, são chagas sociais que prejudicam toda a sociedade.
Lógico que o ocorrido em Brasília não foi o primeiro caso. Eu me lembro bem, porque escrevi sobre isso e porque meus alunos falaram sobre o tema em sala de aula, de dois episódios ainda mais trágicos que aconteceram uns anos atrás. Num deles, de 2012, dois irmãos gêmeos andavam abraçados, à noite, em Camaçari, na Bahia, quando foram atacados por uma gangue de oito homens. Um dos irmãos morreu espancado a pedradas. 
Um ano antes, em 2011, em São João da Boa Vista, SP, um pai de 42 anos saiu com o filho de 18 e as respectivas namoradas. Enquanto as moças iam ao banheiro, pai e filho se abraçaram por um momento. Foi o suficiente para serem agredidos. O pai perdeu um pedaço da orelha. "Não pode nem abraçar o filho", protestou depois o homem, que precisou ter a orelha reconstruída. 
Quando comentei no Twitter o caso recente de mãe e filha no shopping em Brasília, muitas mulheres vieram dizer que já foram agredidas quando andavam de mãos dadas com a mãe, ou filha, ou irmã, ou prima. Uma das leitoras relatou que tinha só onze anos. Como deve ser traumático pra uma criança ser xingada por estar abraçada com sua mãe! E ainda tem homofóbico que pergunta "Como vou explicar isso pro meu filho?" quando vê um casal gay de mãos dadas na rua.
E isso que estamos falando de casos de pessoas héteros que foram confundidas com casais homoafetivos e por isso agredidos. 
Imagina o que acontece com namorados gays ou lésbicas ao andarem de mãos dadas, ou quando tentam se abraçar ou se beijar. Imagina a frequência com que essas agressões acontecem. 
Não é sinal de uma sociedade doente que um simples gesto de carinho entre duas pessoas desperte ódio? Praqueles que acham besteira, mimimi, vitimismo e sem-vergonhice a Parada de Orgulho LGBT, pensem: no contexto homofóbico em que vivemos, um casal de lésbicas andar de mãos dadas vira um ato de coragem, de transgressão. 
Este é um excelente exemplo do privilégio hétero: você só vai apanhar em público se for confundido com um gay ou lésbica.
Mas é péssimo pra todo mundo -- inclusive pros héteros -- viver num país assim.  

70 comentários:

Anônimo disse...

Essa geração de homens que hoje estão entre 50/60 anos é o que há de mais asqueroso. São gente que ainda está na ativa, mas tem a cabeça atrasada e babaca, e por isso são tão danosos.

Anônimo disse...

Já acharam que eu era amante do meu pai quando eu tinha 11 anos (sempre fui alta), vieram contar pra minha mãe e tudo.

E eu e uma tia ouvimos uns xingamentos homofóbicos também, temos uma diferença pequena de idade e vivíamos grudadas uma na outra, isso aconteceu dentro de um shopping mas os seguranças agiram imediatamente, sem a gente ter pedido ajuda. Inclusive um deles acompanhou a gente até o ponto de ônibus porque ficamos com medo dos caras estarem esperando por nós do lado de fora.

Agora acho engraçado que com meu irmão, que é gay e é do tamanho de um urso pré-histórico, não rola homofobia não... pode andar de mãos dadas, pode beijar na rua que ninguém mexe. Pq será né?

Fabrício disse...

Infelizmente, a geração de reacinhas mal-caráteres entre 15/25 vai viver um bom tempo pra cagar no mundo.

Anônimo disse...

Perfeito, só discordo do ponto "os héteros" de forma homogênea,existe um inimigo de gays,lésbicas e mulheres (mesmo as que insistem em erotizar a opressão) ele se chama homem hétero.

Anônimo disse...

"Essa geração de homens que hoje estão entre 50/60 anos"
As gerações posteriores de homens também não são grandes porcarias não, basta ver que a maioria dos bolsominions por exemplo e formada por homens jovens e adolescentes.
Só existe um caminho para as mulheres em marcha por direitos na sociedade, desistir ompletamente de homens.

Anônimo disse...

Conheço o homem que essa mulher diz que a agrediu. Ele é gay e sofre na pele, cotidianamente, aquilo que ela diz que sofreu por parte dele. Ele foi o ofendido e não ela, inclusive foi chamado de "viado" e levou um tapa na cara da mulher que o acusa. As imagens do circuito interno não mentem e ela vai pagar muito caro pela calúnia que levantou contra uma pessoa boa, honesta, correta e de grande caráter. Não acreditem em tudo o que é postado na rede...

Anônimo disse...

Lola a maioria dos homossexuais são assassinados por outros homossexuais em crimes passionais ou por questões relacionadas ao tráfico de drogas

titia disse...

Homofóbicos são uma das coisas mais patéticas e asquerosas da face da Terra. Tão inseguros a respeito da própria sexualidade e tão covardes sexualmente que um simples abraço ou mãos dadas já os ameaça. Se os bostinhas não são seguros o suficiente da própria sexualidade pra viver no mesmo mundo que gente fora dos padrões, que se castrem pra não cair em tentação de transar com quem os padrões não aprovam ou vão viver num convento murado fazendo voto de castidade.

15:30 se seu "amigo" é um gay misógino que sai por aí praticando contra as lésbicas a mesma homofobia que ele sofre, então tem mais é que se lascar mesmo pra aprender a não se juntar com a escória homofóbica.

Anônimo disse...

Nossa, que frase mais mal escrita.

Anônimo disse...

"Essa geração de homens que hoje estão entre 50/60 anos é o que há de mais asqueroso. "

A geração 20-30 dos esquerdomachos partidários não fica atrás.

Bota um batonzinho, pinta uma unha de preto, desconstruidão, mas só namora mina branca, magra, mais nova que ele e exige poli"amor".

Sei disso porque INFELIZMENTE já caí no conto do homem de esquerda desconstruído algumas vezes. Super desconstruído, até pintar um problema. Aí volta a ser o macho de sempre.

A socialização nunca falha.

Anônimo disse...

Nem misógino, nem machista, nem sexista! É um cara DO BEM, luta em defesa de tudo que é ético e honesto, lutou pela redemocratização do país e continua na luta por um Brasil mais justo para todas e todos, sem discriminação de raça, cor, etnia, classe social, opção política ou religiosa, gênero ou orientação sexual. Não merece esse tipo de agressão, porque é uma das melhores pessoas que já conheci na vida! Ele foi ao cinema (e cinema pra ele é coisa muito séria), as duas mulheres estavam sentadas na fileira detrás da dele e conversaram o tempo todo. Na saída da sessão, incomodado com a situação, ele procurou por elas para reclamar. A mulher mais velha partiu pra cima dele, gritando e gesticulando, chamou os seguranças e o barraco estava armado... Eu o conheço há 30 anos e nunca vi qualquer gesto de violência ou desrespeito partindo dele, pelo contrário, é uma das pessoas mais calmas e ponderadas que já vi. Nesses tempos temerosos em que estamos imersos, precisamos ter muito cuidado com os oportunistas e arrivistas de plantão, sempre prontos (ou prontas) a voar na jugular de qualquer um/uma que lhes garanta os 15 minutinhos de fama...

Anônimo disse...

Até os 18 anos, graças à minha timidez excessiva, nunca tinha sequer beijado na boca. Me chamavam de lésbica SÓ por causa disso, sendo que eu jamais tive nem vontade de namorar com meninas (apesar de não ter nada contra quem sente essa atração. Sou a favor de que os LGBTQ tenham os mesmos direitos e o mesmo respeito que os héteros desfrutam).
Então, quando finalmente arrumei um namorado, os "amigos" alcoólatras fracassados da família e as tias crentes se aquietaram e me deixaram em paz... pelo menos em relação à homofobia.

titia disse...

17:19 não duvido que homens gays sejam agredidos por mulheres; mas "essa vadia mentirosa quer 15 minutos de fama" é literalmente a mais velha das lorotas machistas desde que inventaram a televisão. Esse tipo de conversa simplesmente não vai ajudar em nada o caso do seu amigo, vai apenas fazer parecer que ele é outro babaca que fez merda e quer limpar a própria barra acusando a mulher.

Anônimo disse...

"Só existe um caminho para as mulheres em marcha por direitos na sociedade, desistir ompletamente de homens."

mas se desistir dos ome, quem vai me chamar de pitanguinha? quem vai fazer a pipoca pra maratona de séries netflix? quem vai matar barata e principalmente, quem vai levar o lixo pra fora e receber o ome da pizza? eu q não

sei que ozome são aquela coisa desagradável em volta do pinto mas né fazer o que, nasci hétera

Anônimo disse...

Se há imagens do circuito interno mostrando agressão vindo primeiramente das mulheres, é urgente que elas apareçam PRA ONTEM porque sabemos como é o tribunal da internet.

Anônimo disse...

"sei que ozome são aquela coisa desagradável em volta do pinto mas né fazer o que, nasci hétera"

Home e pito são igualmente desagradáveis, e eu acredito mais que você tenha sido socializada "hetera". Só não se deu conta.

Ch..f disse...

Típico reaças: valentões apenas em condições seguras para eles: atrás da tela de um computador e quando em vantagem física ou em maior numérica em relação à(s) vítima(s).

Ch..f disse...

Precisa demonstrar, pessoa. Só chegar e falar assim, sem demonstrar (não digo provar) o que diz é muito fácil. Uns 3 links de notícias ou depoimentos de fontes confiáveis já seria alguma coisa pra pelo menos começar a conversa.

Anônimo disse...

Homofobia é fruto da sociedade cristã em que vivemos, e está, tal como as grandes religiões monoteístas, é machista, patriarcal e heteronormativa. A origem do sentimento de não aceitação às pessoas lgbt se dá pela noção de pecado e de que contamina a sociedade. Claro que nem todo cristão pensa assim nem mesmo é homofóbico, e ainda que não aceite como normal, não chega a agredir ninguém por isso, mas essa é uma das principais razões que leva alguns ao ódio e ações violentas irracionais inaceitáveis.

Anônimo disse...

Esse papo de "socializada hétero" e "não se deu conta ainda" é muito semelhante ao que se diz às pessoas gays e, por essa razão, deve ser ignorado.

Anônimo disse...

Após a eliminação do dinheiro, os homens serão despojados do único poder que têm sobre as mulheres psicologicamente independentes. Eles só serão capazes de se impor às mulheres-capachos, que gostam de serem submetidas. As outras estarão ocupadas solucionando os problemas que ainda não tiverem sido resolvidos antes de planejarem seu programa para a eternidade e Utopia – renovarão completamente os programas educacionais, que possibilitarão a milhões de mulheres serem preparadas em poucos meses para trabalhos intelectuais de alto nível, que hoje exigem anos de treinamento (isso pode ser feito muito facilmente, já que o nosso objetivo educacional é educar, e não perpetuar uma elite acadêmica e intelectual); resolverão os problemas da doença, da velhice e da morte, e reprojetarão radicalmente nossas cidades e bairros. Muitas mulheres continuarão durante algum tempo a pensar que se interessam pelos homens, mas à medida que forem se acostumando à sociedade feminina e se concentrando em seus projetos, elas acabarão por perceber a total inutilidade e banalidade do macho.

Anônimo disse...

1 - Toda a solidariedade as agredidas,
2- A parte "estranha" do caso do nome do agressor não aparecer,
3 - O que dá para notar que o agressor é alguém, e no Brasil quando isso ocorre vem versão,
4 - Esperamos que vítimas se tornem as culpadas.

Anônimo disse...

06:37 = mais 1 imbecil que não sabe o que significa socialização...

Dica: https://www.youtube.com/watch?v=DzY3Kp9k36g

Filipe tomita disse...

HAHAHAHAHAH quanto mimimi! Héteros não precisam forçar nada, a biologia e a evolução humana já fez por nós... o melhor de tudo isso é que vocês não reproduzem, logo, não existirão mais! não precisam de Héteros, Igrejas nem tradições pra acabar com essa pouca vergonha... a seleção natural vai se encarregar disso... até um video cassete reproduz, vocês não AHAHAHHAAHA

lola aronovich disse...

Filipe, vc e seu pensamento são tão obsoletos quanto um video cassete...

Anônimo disse...

Bem típico de imbecis querer culpabilizar a vítima.

Anônimo disse...

Se essa realmente fosse a versão da estória, bastaria ter pedido educadamente, ainda durante o filme, que fizessem silêncio pois estavam atrapalhando. Eu mesma já pedi silêncio dentro do cinema várias vezes sem nenhum tipo de problema. Agora gente que vai atrás do outro pra tirar satisfações tá a fim é de arrumar briga.

Anônimo disse...

Eu nunca vi alguém querer combater preconceito sendo preconceituosa. Triste!

Anônimo disse...

Mais um/a imbecil preconceituoso/a.

Anônimo disse...

Gente, como pode alguém destilar tanta ignorância assim? Você acha que a cegonha que traz os gays e as lésbicas? Ou será que são filhos de chocadeira? Ah não, são filhos de casais héteros. Já você, devem ter criado a placenta no lugar do bebê, só isso explica a falta de cérebro.

titia disse...

Filipe, sabe o que é engraçado? Além desse seu chilique histérico que mostra o quanto você é enrustido e recalcado, morre de ódio dos que foram homens o suficiente pra assumir o que gostam e serem felizes enquanto você sufoca no armário feito o covarde que é?

É que durante a maior parte da história da humanidade não tivemos igrejas nem religiões, a heterossexualidade sempre existiu, os seres humanos evoluíram de neandertais pra cro-magnons, depois pra homo sapiens, depois pra sapiens sapiens... e sempre houveram homossexuais. Que coisa, né? A biologia e a evolução nos acompanham desde sempre, e desde sempre existiram seres humanos homossexuais. E olha só que coisa, eles continuam existindo até hoje! É seguro dizer que eles ainda existirão no futuro, provavelmente na mesma quantidade que existem hoje. Então, aja como homem de uma vez, ou saia do armário ou recolha-se à sua insignificância e pare de atrapalhar a vida de quem teve coragem de fazer o que você não fez.

Joana disse...

Tá enganadíssimo, pessoa. A gente reproduz, sim. DENTRO DAS CASAS DE VOCÊS. Agora já pode chorar. Ou dormir.

Joana disse...

Discordo. De pinto, eu gosto e muito. Desde que não esteja num homem, acho um brinquedo bastante agradável. Pra quem curte pinto, fica a dica: homem é totalmente dispensável, até mesmo porque só possui um pinto enquanto mulheres podem se jogar na diversidade.

Fábio disse...

"Homofóbicos são uma das coisas mais patéticas e asquerosas da face da Terra. Tão inseguros a respeito da própria sexualidade"

Você sugere então que homofóbicos violentos são gays enrustido 🤔🤔
Então é a prova de que nos heteros não temos nada com isso 🤗🤗

Anônimo disse...

Perfeito

Anônimo disse...

https://catracalivre.com.br/geral/saude-bem-estar/indicacao/nao-ha-mulher-hetero-todas-sao-bi-ou-homossexuais-diz-estudo/

Anônimo disse...

Pinto não é a mesma coisa que dildo/vibrador.

Anônimo disse...

mas se desistir dos ome, quem vai me chamar de pitanguinha? quem vai fazer a pipoca pra maratona de séries netflix? quem vai matar barata e principalmente, quem vai levar o lixo pra fora e receber o ome da pizza? eu q não



E mais:
Quem vai carregar saco de cimento nas costas? Quem vai bater uma laje? Quem vai morrer na guerra?
Quem vai ser responsável por +90% dos acidentes fatais de trânsito? Eu que não (2).

Esse papo de "eliminar os homens" e "socialização muda sexualidade" é tão babaca, mas tão babaca, tão idiota que só pode ter vindo da cabeça de um mascuzãozinho de 12 anos.

Anônimo disse...

"Discordo. De pinto, eu gosto e muito. Desde que não esteja num homem"

????????????????????????????????????????????????

Anônimo disse...

Joana, Pinto (Órgão pênis) remete a penetração o que e uma violência a integridade do corpo da mulher,tanto que o patriarcado teve ao longo dos seculos naturalizar esta violência na psique
feminina criando o mito do "amor romântico" Conforme a sociedade avança e a mulher se emancipa nestes tímidos avanços sociais se descobre que penetração não tem ligação alguma com o prazer feminino,o orgasmo da mulher e 100% ligado ao clitóris e nada a penetração, pelo contrario gera desconforto, muitas vezes dor, transmite as mulheres varias doenças como HPV,Sífilis,HIV etc, causa corrimentos, gera gravides indesejada entre outros males.

titia disse...

Tem sim, Mingal, porque todo homofóbico é inseguro da própria sexualidade. Inclusive vocês, pra quem ser hétero é tão difícil e doloroso que precisam agredir os gays e fazer parada do orgulho hétero. Alguns são mais violentos, outros menos, mas a verdade é uma só: quem é seguro da própria sexualidade não precisa oprimir os que tem orientação sexual diferente.

Joana disse...

Kkkkkkkkkkkkkkk. Mais criatividade, por favor, pessoas!

Joana disse...

Respeito a sua opinião e concordo que a maioria das mulheres não tem mesmo nenhum prazer com a penetração. Mas algumas tem e eu afirmo isso porque eu tenho. Não precisei me relacionar com um homem para fazer essa descoberta. A propósito, nunca beijei um homem nem quero - eles não me atraem. A minha experiência com pênis está contextualizada nos meus namoros lésbicos. Tive namoradas que curtiam e passei a curtir, sem nenhum risco de gravidez ou DST's (as moças eram comprovadamente saudáveis). Acho que não é correto que nenhuma mulher curte penetração. Eu curto e não é sobre quem domina. É só prazer. É simples e não carece de julgamentos.

Joana disse...

Não tenho problemas com nada disso que você citou. Carrego peso, troco bujão de gás, pneu, ajudei a trabalhar na laje da minha casa e nem por isso acho que homens devem ser eliminados. Só não quero me relacionar romântica ou sexualmente com eles porque não tenho nenhum tesão em homem, embora, fisicamente, a minha aparência seja agradável a eles. Sempre ouço que é um desperdício que eu seja lésbica. Não é sobre desperdício, é sobre quem eu sou e essa pessoa que eu sou acredita em direitos e deveres iguais para homens e mulheres e nessa conta aí entra a disparidade de deveres que sobrecarrega muitas mulheres. Assim como carrego saco de cimento, quero ver homem limpando casa, cozinhando, cuidando dos filhos, abrindo mão de sua diversão para cuidar dos filhos, abrindo mão de serviço extra em favor da família, quero ver homem lavando e passando. Mulher trocar pneu é molezinha. Quero ver é homem equilibrando trabalho, família e a "obrigação' de corresponder a um padrão estético. E não adianta dizer que eles não aguentam. Não adoram aduzir maior força? Cadê a coerência? Prefiro fazer o trabalho pesado a deixar homem se criar ao meu redor, alegando que faz o que eu não faço. Não faz, não, logo, eles que reconheçam suas obrigações e as cumpram.

Joana disse...

Dildo/vibrado é o pênis evoluído. Não broxa, não engravida, não decepciona e não adoece a ninguém.

donadio disse...

"06:37 = mais 1 imbecil que não sabe o que significa socialização... "

Acho que o problema é bem o contrário. É você quem tem uma visão totalmente romântica, rousseauniana, do que é socializiação, e acredita numa natureza humana não socializada. Isso não existe, e não existe ser humano não-socializado. Evidentemente muitas socializações diferentes são possíveis, mas aí depende do tipo de sociedade em que vivemos (e queremos viver).

Mas ideologia iluminista é só isso, ideologia iluminista.

Anônimo disse...

Dildo/vibrador não tem "a pegada"

Anônimo disse...

O nome dele não apareceu, porque é uma pessoa muito decente e não quer se expor além do que já foi. Não é nenhum "figurão", é um trabalhador, um professor, que nunca teve seu nome associado a esse tipo de situação.

Anônimo disse...

Quem usou a palavra "vadia" aqui, foi você, eu jamais me referiria a outra mulher nesses termos. Mesmo que falasse sobre alguém sem caráter ou sem ética. Sabe o que é diversionismo? É a tática de criar factóides para desviar a atenção sobre si mesmo é os ilícitos que, por ventura, esteja cometendo...

Anônimo disse...

E quem disse que ele não pediu? Reiteradas vezes e, ao invés de pararem, elas intensificaram a provocação. Ele é uma pessoa muito justa e correta, luta pelos direitos de cidadania dele e de todas e todos, foi falar com elas exatamente por isso, para que não repetissem o comportamento. Pode até ter sido enfático quando se dirigiu a elas, porque considerou a situação um desrespeito, mas duvido que tenha sido agressivo e, com absoluta certeza, NÃO FOI PRECONCEITUOSO, HOMOFÓFICO OU MACHISTA!

Anônimo disse...

Imbecil é quem compra qualquer versão postada na rede como verdade absoluta... Em épocas lavajatistas, todo cuidado é pouco, pois narrativas vão sendo criadas e alimentadas por factóides que destroem reputações e moem a alma das pessoas!

Rafael Cherem disse...

Os sapiens não evoluiram dos neanderthais.

Anônimo disse...

Ele pediu e elas não pararam. Indignado com a situação, ele as abordou após a sessão.

Anônimo disse...

O vadia é por sua conta. Jamais usaria essa palavra para falar sobre outra mulher, mesmo que fosse uma pessoa sem caráter e sem escrúpulos.

Anônimo disse...

Sobre morrer na guerra, indico o livro "a guerra não tem rosto de mulher".

donadio disse...

Anônimo, veja a situação que você cria: é um anônimo defendendo outro anônimo. Pode ser que o que você diz seja a mais exata verdade. Mas por que nós acreditaríamos?

Anônimo disse...

Já coloquei antes alguns pontos de como vejo a situação, mas se os anonymous conhecem ele fica para mim:
1 - Ele é alguém em Brasília, quem conhece sabe o grau de impunidade que essa gente se acha,
2 - O agressor não está acostumado a ser enfrentado por mulheres, por isso o comportamento para ele era de lésbicas,
3- E aí entra o nó da questão, muitas pessoas que se dizem a favor de algo quando aparece uma situação, eles agem de forma diversa ao discurso, quantas mulheres foram estupradas bêbadas por gente que diz contrária a cultura do estrupo.
4 - O nome delas eu sei, o dele não, não é estranho? Afinal, ele só é um "homem de bem"...hipocrisia é hipocrisia desde que o mundo é mundo, e verdadeiros opressores sempre se esconderam sob esse manto, de falar aquilo que não acreditam para si.
5 - Até se prove o contrário, temos duas vítimas, e um homem agressor desconhecido.

Anônimo disse...

Para o donadio não existe nada inerente a natureza humana, ele deve achar que fome e uma construção social.

Joana disse...

Mas eu tenho, uiui! Kkkkkkkk. Não tendo parceria, tenho pegada suficiente para me bastar. Tendo parceria, melhor ainda.

Anônimo disse...

1 - Ele não é "alguém em Brasília", é um trabalhador em Brasília.
2- Ele não é "agressor" e não foi confrontado por elas, tentou externar a sua indignação e foi atacado.
3 - Em 30 anos de convivência, NUNCA PRESENCIEI OU SOUBE QUE ELE TENHA AGIDO COM TRUCULÊNCIA CONTRA QUEM QUER QUE SEJA.
4 - Ele está sendo agredido incesantemente desde que essa pessoa postou o vídeo. Já estava envergonhado de ter ido à delegacia, sob essas circunstâncias. É uma pessoa discreta e não quer seu nome associado a esse tipo de ocorrência.
5 - O processo já está com o MP e a verdade aparecerá. Aliás, já apareceu...
Tempos difíceis esses, em que aquelas e aqueles que acusam não precisam apresentar prova factual do que dizem. É um tudo ou nada, onde se subverte o ônus da prova. No universo paralelo, criado e nutrido pelas extrepulias ideológico-partidárias "lava jato",todos são culpados, até prova em contrário... É a barbárie rangendo os dentes e bufando na nossa cara!

Anônimo disse...

Ah! E em nenhum momento eu disse que ele é um "cidaďão DE BEM", categoria que considero uma aberração sociológica. Disse que é uma pessoa DO BEM! Entre a preposição e a contração existe um abismo semântico, filosófico, sociológico, antropológico e histórico.

donadio disse...

"Para o donadio não existe nada inerente a natureza humana, ele deve achar que fome e uma construção social."

A fome não é; o que você considera válido para saciar a fome com certeza é.

De qualquer forma a ironia se aplica com mais razão a quem sustenta que heterossexualidade se reduz a ser socializada (e que, em contraste, se você não for socializada, será homossexual ou assexual). Isso é evidentemente ridículo; se a orientação sexual fosse como a fome, exclusivamente determinada pela biologia, a heterossexualidade seria generalizada, até por uma questão evolucionária.

Mas o ser humano "não socializado" não existe - ou se existe são essas tristemente famosas feral children, incapazes de falar mais do que palavras soltas, e com dificuldades até mesmo para se locomoverem sobre duas pernas. Então é um pouco inútil ficar especulando como seria a "natureza humana inerente"; ela não vai ser vista em seu estado puro, e nem pode explicar nenhum fenômeno propriamente social.

Essas bobagens se enraízam diretamente no iluminismo setecentista, e os seus frutos modernos - como a pseudo-ciência da "psicologia evolutiva", por exemplo - são sempre mais ou menos transparentemente reacionários e sexistas.

donadio disse...

"em nenhum momento eu disse que ele é um "cidaďão DE BEM", categoria que considero uma aberração sociológica. Disse que é uma pessoa DO BEM!"

Com licença, mas eu acho que é ainda pior, como se essa pessoa tivesse lado no grande fla-flu cósmico entre o Bem e o Mal.

Concordo com você que existe uma tendência regressiva ao linchamento moral e ao julgamento sem provas - e que isso tem sido estimulado pelo ativismo judicial do Dr. Moro. Mas agressões a casais homossexuais são frequentes, e agressões a pares de pessoas - pai e filho, mãe e filha, irmãos, irmãs - demonstrando publicamente carinho, na suposição de que são casais homossexuais, embora mais raras, também existem (e também fazem parte do barbarismo que você denuncia). Pode acontecer que você tenha razão, e que o caso em questão seja uma encenação, em que a vítima foi exposta como agressor? Pode. Mas você não traz nenhum elemento de convicção para isso, a não ser algo que se parece muito com a "prova secreta" que caracteriza os julgamentos da lava-jato: as supostas imagens das câmaras de segurança do Liberty Mall, a que ninguém ainda teve acesso.

Anônimo disse...

Eu compreendo que cada dia as mulheres se sentem mais ameaçadas, afinal espaços considerados seguros como shopping, a Solange Afonso foi uma é atacada, no fim de semana tivemos Geni de Souza Soares Wurmeister assinada dentro de uma igreja. São locais que até então eram considerados seguros, parece que não há mais proteção, já vivemos em tempos tenebrosos, mas concordo com quem acha que para mulheres é bem pior.

Anônimo disse...

O defensor do AGRESSOR DE MULHERES ou é o próprio ou tá maluco pra dar o rabo pra ele.

Anônimo disse...

O "defensor" é uma mulher, que convive com ele há 30 anos e está tão indignada que não se conteve e veio aqui (e em outros fóruns onde esse absurdo está sendo postado) por conta própria. Meu amigo pediu que ninguém se pronunciasse e, por isso, em respeito a ele, não estou revelando minha identidade. Já disse que o caso está com o MP, quando tudo se esclarecer, se e quando meu amigo quiser falar, ele falará. Conhecendo-o como conheço, não vai nem exigir reparação pecuniária pelo mal que essa pessoa está causando em sua vida. Ao contrário das e dos julgadores da web, ele não guarda rancor, guarda mágoa, como todo ser humano sensível, rancor e raiva ele deixa para os seus detratores, os físicos e os virtuais...

Anônimo disse...

"Fla-flu cósmico"... Ninguém aqui falou no maniqueísmo barato dos fundamentalistas, quando me referi a "DO BEM", é pelo conjunto da obra: ele é solidário, honesto (consigo mesmo e com os outros), um lutador incansável dos direitos humanos e da cidadania, um pacifista. Tem lá suas idiossincrasias? Defeitos? Falhas? Todas e todos temos! Quem disser o contrário é mais um cínico/hipócrita nesse cipoal de canalhice que se transformou o Brasil pós-golpe. O que não dá para engolir é você acreditar piamente naquilo que é veiculado por aí como verdade absoluta. De "verdade" em "verdade" vamos nos transformando na sociedade da dissimulação e do desrespeito. Ninguém para para pensar no que pode ocorrer com a vida do outro, ninguém mais pratica a alteridade ou exercita a empatia. Transformamo-nos, todas e todos, em juízes e algozes de nossos pares. Tá na rede? É fato! Triste fim para uma sociedade que se consolidava na diversidade e na fraternidade... Essa é minha última postagem! Já tentei fazê-las/los compreender que toda história tem dois lados, e nem sempre o lado mais ruidoso é o mais correto (ou menos errado), às vezes, o silêncio é mais eloquente do que mil palavras (ou lágrimas lamuriosas), no fim e ao cabo, a verdade aparece!

Joana disse...

Parece (vejam bem, eu disse PARECE) ser o próprio. Dificilmente alguém defende o outro com tamanha efusividade. O texto é passional e o comentarista preza por demonstrar que detém um vocabulário razoável (compatível com a função que o cara "do bem" exerce). Mas enfim... saber se é ele ou não, não mudará o que aconteceu e não presenciamos. Vamos trabalhar para mudar o que podemos: presente e futuro.

Joana disse...

Ah, pessoa... Sociedade que se consolidava na diversidade e na fraternidade? Onde? Quando? Nunca vi, nem comi e nem ouço falar. A propósito: aqui, o lado mais ruidoso foi você - maioria nos comentários e uso de letras em caixa alta para justificar (rs) o não emprego de truculência. Não convenceu.

Joana disse...

É... e agora, duas pessoas escrevem do mesmo jeito: você e a mulher... Deu ruim, pessoa.