segunda-feira, 9 de outubro de 2017

O FALSO POST SOBRE A LINDA MERYL

É muito interessante como uma citação falsa atribuída a grande Meryl Streep sempre volta nas redes sociais.
Supostamente, Meryl teria colocado uma foto antiga sua no metrô de Nova York e escrito isso: "Isso foi no caminho de volta pra casa depois de um teste para King Kong em que foi dito que eu era 'feia' demais para o papel. Esse foi um momento decisivo pra mim. Esta única opinião infeliz podia tirar dos trilhos os meus sonhos de me tornar uma atriz ou podia me forçar a me levantar e acreditar em mim mesma. Respirei fundo e respondi: 'Sinto muito que você acha que sou feia demais pro seu filme mas você só representa uma opinião num oceano de milhares e estou indo procurar uma maré mais gentil'. Hoje tenho 18 prêmios da Academia".
Meryl ao receber seu 1o Oscar
Bom, é mais ou menos tudo fake. Meryl Streep nunca escreveu isso, até porque ela não tem 18 Oscars, e suponho que ela saiba quantas estatuetas tem ("só" três, mas foi indicada vinte vezes, um recorde absoluto). E também porque não combina com a humilde atriz -- um gênio do cinema -- se vangloriar dessa forma. Mas a foto existe, é de 1981 quando Meryl tinha 32 anos, e foi tirada por um fotógrafo profissional. 
A reação do apresentador
Em 2015, o post falso viralizou e teve mais de um milhão de likes. Não é uma mentira total, já que Meryl contou num talk show britânico que ela foi apresentada a Dino de Lauretis, produtor do remake de King Kong (o papel da "donzela em perigo" ficou com outra atriz maravilhosa, Jessica Lange). 
O filho de Dino tinha visto Meryl numa peça e, todo feliz, a levou para conhecer o pai, que exclamou, em italiano: "Por que você me trouxe essa coisa feia?" Meryl respondeu, também em italiano: "Eu entendi o que você diz; sinto não ser bonita o suficiente para estar em... King Kong".
Meryl com suas filhas e marido em
2006, na premiere de Diabo Veste Prada
Ou seja, Meryl nunca fez teste pra King Kong em 1976, e muito menos existe alguma imagem dela triste por não ter conseguido o papel. Aliás, em 1981, ano da foto em questão, ela já tinha recebido um Oscar de atriz coadjuvante por Kramer vs. Kramer, e sido indicada outras duas vezes (por O Franco Atirador e A Mulher do Tenente Francês).
Mas por que esse post falso é tão popular, a ponto de ressurgir frequentemente? É uma mensagem de superação, de não desistir dos seus sonhos por causa de uma opinião estúpida. E imagino que tem muita menina que lê o post e pensa "Se até a Meryl Streep que é linda foi chamada de feia, tá cheio de otário que chama qualquer mulher de feia". 
Além do mais, o enorme sucesso de estrelas incríveis como Meryl e Jessica não se deve a sua beleza. 
Talvez dê pra buscar inspiração até em imagens falsas. E talvez dê pra resumir tudo numa frase bem menos educada: dane-se o que eles pensam. 

30 comentários:

Anônimo disse...

Entendo a proposta do post. No entanto, pra mim nunca vai deixar de ser muito inconveniente e incômodo essas “fábulas de whatsapp”, como eu chamaria esses virais fakes, de qualquer natureza. É muito desagradável quando vemos pessoas em geral compartilhando qualquer informação sem garantias de veracidade. Mesmo num caso desses em que é uma “mentira do bem”...
PS: Meryl é foda ;)

claire disse...

Eu detesto essas mentirinhas. Na verdade se eu lesse uma coisa dessas, poderia tomar como verdade.
De qualquer forma, em um dia triste, depois de ouvir comentário idiota sobre sua pessoa, uma frase dessa pode cair bem.

Viviane disse...

O pior desse compartilhamento de posts falsos é que mesmo que você mostre a informação correta, as pessoas preferem acreditar na mentira...

donadio disse...

Pelo menos nem o texto atribuído à Meryl não é horrorosamente ruim, nem a Meryl é uma escritora famosa. Pior tivemos aqui estes dias, quando um imbecil qualquer, daqueles que se passa por mulher pra tentar validar seu próprio machismo postou um texto absolutamente ridículo, daqueles de livro de auto-ajuda (com direito a "você poderás" e "só aí então", para nem falar do lugar comum batídissimo do "usar os sapatos do outro"), atribuindo a chorumela a Clarice Lispector.

Virou mais ou menos a regra: qualquer bestagem que o sujeito gosta, ele vai lá e posta como sendo da Clarice, do Shakespeare, do Einstein ou do García Marquez. Quanto mais piegas e mal-escrito melhor. Quando não é o contrário, texto de vilão de James Bond que nem o Lex Luthor ou o Dr. Silvana assinaria atribuído ao Lênin, ao Marx, ao Che Guevara, ao Gramsci.

Juliana disse...

Gostava da Meryl Streep e admirava sua postura, mas depois daquela entrevista em que ela afirmou que "não era feminista, mas sim humanista", caiu no meu conceito. Como uma mulher que posa de engajada dá uma dessas? Parece conversa de reaça brasileiro, "não sou feminista, nem machista, sou humanista", mas que no fim das contas não sabe o que é feminismo, o que é machismo e, muito menos, humanismo.

Anônimo disse...

"Se está na internet, é verdade" (Abraham Lincoln)

Anônimo disse...

"As pessoas boas devem amar seus inimigos" (Mahatma Gandhi)

"Nenhum trabalho é ruim, ruim é ter que trabalhar" (Karl Marx)

"Quando a fome aperta, a vergonha afrouxa" (Foucault)

"As dívidas são sagradas!" (Pio XII)

Anônimo disse...

Concordo, Juliana. Pra mim foi uma atitude covarde da Meryl. Uma mulher que é engajada no feminismo dizendo que não é feminista por medo dos mascul

Joana disse...

"Dane-se o que eles pensam" é uma frase muito pertinente numa sociedade onde cem pessoas manifestam apreciação por uma determinada pessoa, mas esta pessoa pira na batata quando UMA, apenas uma manifesta desaprovação. Que isso, pessoas, tem cem gostando e a vida segue. Danem-se as opiniões negativas e destrutivas. Valor não vem de fora para dentro, vem de dentro para fora. Valorizar-se é saber mandar um lindo "foda-se" na hora certa.

Anônimo disse...

Seu Madruga

Anônimo disse...

Fala sério,ela precisa de carteirinha de feminista pra ganhar sua admiração? Quer dizer,não se dizer feminista invalida tudo que ela é? Nao seja ridícula.

André disse...

Sei não, acho que esse meme é mais para reforçar a ideia de que a pessoa deve deixar de mimimi porque o mundo é cruel e o politicamente correto é uma desgraça que só serve para deixar todo mundo fraco. É evidente que devemos educar nossos filhos para enfrentar uma realidade que é cruel, mas também seria bom deixar claro que o objetivo de longo prazo deveria ser mudar a realidade.
PS: anônimo 18:56 essas citações são do Seo Madruga.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

"Se está na internet, é verdade" (Abraham Lincoln)

9 de outubro de 2017 18:47
Anônimo Anônimo disse...

"As pessoas boas devem amar seus inimigos" (Mahatma Gandhi)

"Nenhum trabalho é ruim, ruim é ter que trabalhar" (Karl Marx)

"Quando a fome aperta, a vergonha afrouxa" (Foucault)

"As dívidas são sagradas!" (Pio XII)

9 de outubro de 2017 18:56



Genial kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk mas faltou uma muito importante

a vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena (Maquiavel)

Marcia disse...

Eu detesto o post falso por essa eterna ideologia de que o 'indivíduo supera tudo'. Não minha gente, ninguém sozinho muda o mundo, o que você enquanto indivíduo consegue sozinho é se adaptar. E aí está o meu X da questão: não quero me adaptar a uma sociedade machista, quero mudá-la.

E sim, não tem como fazer isso fora do meu corpo, então é óbvio que ação tem uma dimensão individual inescapável, mas as nossas chances individuais de vitória sobem astronomicamente quando nos mobilizamos juntas. E posts como esse falso aí são sempre usados para dizer que nós mulheres não precisamos agir em coletivo.

Balela, precisamos de mobilização coletiva e precisamos urgentemente.

Juliana disse...

Ridículo é você, anônimo das 07:48. E, já que perguntou, no meu caso precisa ser feminista SIM pra ter a minha admiração. E que parte do "no fim das contas não sabe o que é feminismo, o que é machismo e, muito menos, humanismo" você não entendeu? Muito provavelmente a Meryl seja sim feminista, apenas seja ignorante com relação ao termo, dada a declaração que fez, o que muito me espanta, visto se tratar de uma atriz aparentemente culta e engajada, como mencionei no comentário anterior. Prefiro de coração acreditar que seja isso do que a possibilidade levantada pela comentarista das 19:46, de que seria um ato de covarida por medo dos "macho".

Anônimo disse...

Ah sério dona? Então pra você ele tem que levantar bandeira.Só quem levanta bandeira presta pra ti.

Isso tem um nome: Sectarismo.

Kasturba disse...

Nada a ver com o post, mas queria partilhar minha indignação: Ontem fui assistir a um filminho estilo comedia romântica com meu marido, só pra relaxar a cabeça mesmo.
No filme, um cara desconhecido gosta da mulher (gosta = acha bonita e decide que tem que enfiar o peru nela, sem ter a menor ideia se ela é hetero, se tem uma outra pessoa, se está a fim), segue ela até um elevador, ela diz não ter interesse. Ele ainda fica insistindo, ela entra num taxi, ele pára o taxi pra pedir mais uma vez o telefone dela, e ela recusa. Depois ele vai no trabalho dela, uma biblioteca pública, fazer doações de livro. Ele admite que a viu antes numa reunião, e decidiu doar somente para ter contato com ela. E faz uma chantagem do tipo "se vc não concordar em sair comigo, eu não faço mais a doação". Os dois saem juntos, acabam transando na casa dele, e depois ela tem problemas pessoais e acaba não procurando mais ele. Alguns dias depois, ao chegar em casa, ele está na frente da porta dela com flores, sendo que ela nunca tinha dado o endereço pra ele. Ele diz que conseguiu o endereço no local de trabalho porque "precisava encontrar com ela mais uma vez". Ela, obviamente, fica puta e manda ele ir embora (eu ficaria com medo e chamaria a policia!! Cara louco perseguindo a mulher, sem nenhum bom senso, inconveniente e insistente). Depois, conversando com outra mulher, ela conta o que aconteceu, e a outra mulher disse que ele foi muito carinhoso, e ela foi grosseira com ele. Conclusão: Ela pede desculpas pra ele, pois estava em um dia ruim, e no final, obviamente, ele é um fofo e formam um casal romântico lindo e felizes para sempre...

Cara, fiquei chocada!!!! Que merda é essa?? O cara persegue a mulher, insiste pra caramba, até a ela ceder por cansaço, depois aparece do nada na casa dela, totalmente inconveniente e desrespeitoso com a privacidade dela, e ele é carinhoso? E ela que foi grosseira e errada por se impor depois de muita invasão do seu espaço??
Por isso que essas porras desses moleques acham que podem insistir pra uma mulher ficar com eles na boate, no carnaval. Por isso que se sentem no direito de beijar à força, e ainda ficam putos e acham que podem xingar se a mulher não quer beijar e transar com um desconhecido qualquer.

Anônimo disse...

Nao, colega. Ela não precisa de nenhuma carteirinha de feminista até porque não existe carteirinha nenhuma. Ela precisa apenas ter a coragem de dizer o que é. Atitude ridícula foi a da Meryl Streep em dizer uma coisa dessas por medo da crítica dos machistas. Fora que ser feminista não significa que você também não possa ser humanista como ela deu a atender. O que ela disse foi ridículo. Não foi uma atitude digna de admiração. E para mim ela deixou mesmo de ser uma feminista a partir daí.
É só para esclarecer você pode ser humanista e feminista ao mesmo tempo. Uma coisa não impede a outra ao contrário do que a Meryl Streep pensa.

Anônimo disse...

Eu acho que foi covardia sim. Onde Meryl mora feminista também é chamada de lésbica e associada com feiúra e ódio a homens. muitas mulheres que na verdade são feministas estão evitando dizer que o são por causa do esteriótipo. Há algumas mulheres que não sabem o que é feminismo, mas eu duvido muito que a Meryl não saiba.

lola aronovich disse...

Qual é o nome do filme, Kasturba? Absurdo mesmo!
Mas é isso que a mídia nos ensina todos os dias. Que assédio é romântico!

Anônimo disse...

11:52. Típico comentário de quem não gosta do feminismo, mas quer posar de descolado e fazer as feministas parecerem as vilãs. Não há nada de sectarismo. A atitude Meryl foi ridícula mesmo.

Anônimo disse...

Esses casos de feminicídio não são chocantes porque sabemos das estatísticas, mas são aterrorizantes.

Kasturba disse...

Lola, o nome do filme é A Incrível História de Adeline. Vi na NetFlix.
E pior que eu já havia visto antes, há um tem pinho, e não tinha reparado os absurdos... tinha achado um filminho bonitinho... Aí ontem, por falta de criatividade, fui ver novamente com meu marido, e percebi o absurdo que é! E como essestá comportamentos inaceitáveis são apresentados disfarçados de romantismo, e acabamos aceitando como naturais.

Rafael Cherem disse...

Lola, o que a Kasturba falou é lugar comum em comédia romântica não? Valia um post.

Anônimo disse...

Pois eu adorei essa entrevista. Saiu da cartilha e sabia seria massacrada por pensar por conta própria. Não gostou? Que bom.

Anônimo disse...

Quem massacrou a Meryl? Você tá maluco? E ela não pensou por contra própria idiota. Quem é massacrada todos os dias por dizer o que são na verdade são as feministas. A Meryl disse que não era feminista exatamente para não ser massacrada. Não se faça de desentendido.

Anônimo disse...

Ah e tem mais anon 22:03. Eu não gostei. E se você não gosta que nós não nos chamemos de feminista. Te digo só uma coisa: sou feminista. Não gostou? Que bom!
Não sou covarde. Não tenho medo de sua opinião nem dá opinião de qualquer mascul. Beijinho no ombro!

Anônimo disse...

E outra colega: sou anon das 19:46 12:31 e de mais um coment que a Lola ainda não postou. Quando se fala que a Meryl foi covarde é uma crítica a atitude dela. Não uma crítica a pessoa inteira. É inegável que ela é uma grande atriz e uma mulher forte. É inegável que ela é, na verdade, uma feminista mesmo com medo de falar isto. O fato é que ela teve uma atitude covarde e não adianta você tentar florear isso. Não adianta racionalizar. Tentar dizer que foi um ato corajoso de "desafio a cartilha" porque não foi. Essa atitude foi de medo. Só tô respondendo Aida porque há a pequena possibilidade de você ser uma mulher que se identifica com a Meryl. Querida, não se preocupe. Você não é mulher maravilha. Não precise ter a coragem de se dizer feminista e aguentar a crítica pesada dos mascul e de quem não entende o que é o feminismo. Isso não faz você ou a Meryl pior do que ninguém. Uma atitude medrosa todo mundo tem em algum aspecto da vida. Isso não te dá um rótulo de covarde em tudo. Nem a Meryl. Viva como você quer e seja feliz. É isso que o feminismo quer para todas as mulheres.
Agora se você é apenas um mascul nojento, enfia o seu machismo no c* e mais do que nunca, beijinho no ombro pra você.

donadio disse...

""Nenhum trabalho é ruim, ruim é ter que trabalhar" (Karl Marx)"

A economia é a base da porcaria (Karl Marx).

donadio disse...

To do is to be. (Kant)

To be is to do. (Sartre)

Do be do be do. (Sinatra)