segunda-feira, 13 de novembro de 2017

NÃO TEM PRA ONDE FUGIR

São tantas notícias ruins (incluindo a tentativa desesperada e incansável dos deputados fundamentalistas de proibirem o aborto em todos os casos) que às vezes a gente até fica desanimada (o "às vezes" é minha porção Pollyanna Deslumbrete falando). 
Vi várias notícias de violência contra mulheres na semana passada e elas foram me marcando. Não que tenham algo de muito excepcional. Quinze mulheres são mortas todos os dias no Brasil, a maior parte pelo companheiro ou ex. Antes que venha algum troll repetir que muitos mais homens são assassinados do que mulheres, pense: quem mata? Os homens são mortos por serem homens? (Sim, também: o modelo de masculinidade tóxica que a sociedade cultiva não faz nada bem pra eles). Um dado da ONU que cala todas as bocas desinformadas: no mundo, de todas as mulheres que são assassinadas, 38% são mortas pelo parceiro ou ex-parceiro. Se isso não é uma pandemia universal, eu não sei o que é. 
No segundo caso de morte por arma de fogo dentro de escolas em Goiás em menos de um mês (e o pessoal ainda quer liberar as armas no Brasil!), um rapaz de 19 anos, Misael, invadiu uma sala de aula e disparou dez tiros no rosto de Rafaela, 16 anos. Ele planejou durante um ano matá-la. Ela nem o conhecia, não tinha relação nenhuma com ele, só morava no mesmo bairro. Ele tentou adicioná-la no FB, ela não quis.
Misael passou um ano juntando R$ 2,3 mil para comprar o revólver calibre 32 e munição  Em depoimento, ele disse não se arrepender de ter matado Rafaela. Depois de matá-la, ele iria se suicidar ingerindo chumbinho, mas foi impedido pela polícia.
Dez tiros no rosto de Rafaela. É muito ódio. Muito sentimento de posse. Muita ignorância de quem nunca foi ensinado a lidar com uma rejeição.
Nossa sociedade tem o péssimo costume de condenar as mulheres que são vítimas de violência doméstica, estupro, feminicídio. Por que não foram embora antes? Por que se juntaram com homem que não presta? Mas quando elas recusam qualquer tipo de relacionamento -- caso da Rafaela --, também são condenadas. Quando tentam terminar um relacionamento, são mortas. 
O caso de Kelly, moça que foi morta durante carona no interior de São Paulo, é revoltante também. Kelly, 22 anos, radiologista, fez o que qualquer homem faz. Combinou uma carona num aplicativo específico para isso, para poder rachar a gasolina. Isso é super comum pra quem viaja de uma cidade pra outra pra estudar ou trabalhar. É inclusive recomendável porque, além da economia, polui-se menos o meio ambiente. 
Jonathan, o assassino, combinou com ela como se fosse um casal. Só que, na hora h, disse que viajaria sozinho. Kelly não desconfiou. Era pra desconfiar? É pra ter medo de todos os homens? Mas quando a gente sente medo eles não nos chamam de paranoicas, não juram que não são todos os homens, só alguns, só aqueles monstros, doentes?
No caminho, Jonathan a matou e roubou o carro. Há suspeita de estupro também.
Vejam os comentários. Vejam os caras condenando Kelly porque ela viajou sozinha com um homem. Eu vi um vídeo de um mascu dizendo que mulher direita nunca deve sair à rua sem estar acompanhada por um homem. Tem vários comentários nessa linha.
Outro reaça escreveu num site (não um comentário, um post inteiro): "O empoderamento da mulher quer dizer fazer tudo aquilo que desagrada ao homem, seja pai ou namorado/ marido, e ele está a pleno vapor. Fazem pela aventura, pelo ciúme, pela preocupação que provocam". Ele culpa o Estado pela morte de Kelly (pois permitiu que Jonathan saísse da cadeia após oito condenações).
O reaça em questão acha absurdo que a polícia esteja investigando se Kelly foi estuprada, antes ou depois de sua morte. "Tudo é estupro hoje", queixa-se ele. Ahn, bundão, a polícia investiga porque estupro é mais um crime a que o meliante terá que responder, se o cometeu. E porque Kelly foi encontrada sem a calça. E talvez porque mascus, ao comentarem a notícia, comemoraram: "Hoje vai ter festa no necrotério!" Sabe aquilo de cultura de estupro que nós feministas vivemos falando e vocês reaças consideram mimimi? Pois é, pode chamar de "tudo é estupro hoje", se preferir.
E o caso da mãe que foi a uma entrevista de emprego e deixou a filha de 10 anos, Alanna, em casa, no Maranhão? A menina foi estuprada e estrangulada até a morte por Robert, ex de Jaciane. Quem a população decidiu culpar? A mãe. 
Em Jucás, Ceará, uma garota de 17 anos acusou o pai de estuprá-la desde que ela tinha 6 anos. Apesar das testemunhas e do delegado considerar que "há indícios suficientes", o pai ainda não foi preso. Pior: a família agora rejeita a adolescente e não a aceita mais em casa. 
Aí o pessoal pergunta: "Por que você não denunciou?"
No final do mês começa mais uma edição do 16 Dias de Ativismo contra a Violência de Gênero, realizada no Brasil desde 2003 (e no mundo, desde 1991). A campanha internacional tem início no dia 25 de novembro -- data que marca o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres -- e vai até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. 
Não seria bom se as escolas tratassem do tema? Se isso fosse discutido pelas crianças e adolescentes? Uma pesquisa encomendada ao Ibope pela ONU Mulheres revelou que 75% dos brasileiros querem prioridade para promoção da igualdade de gênero. Outra pesquisa, também do Ibope, pedida pela ONG Católicas pelo Direito de Decidir, mostra que 84% dos entrevistados são a favor de discutir gênero nas escolas. É exatamente o contrário do que movimentos reaças como o Escola sem Partido querem nos fazer crer.
Em Nairóbi, no Quênia, passaram a discutir questões de gênero nas escolas. "Aulas de consentimento" (em que os meninos são ensinados a respeitar as meninas) fizeram que estupros caíssem 50%. As lições incluem defesa pessoal para as garotas, mas também masculinidade positiva para os garotos, ensinando-lhes a ficar do lado delas, não contra. 
Antes das aulas, a maior parte dos meninos acreditava que era justificável estuprar meninas que fossem levadas para um jantar caro, vestissem minissaia, ou saíssem sozinhas. 
Por que não fazer algo parecido por aqui?
Eu escrevi no título que não tem pra onde fugir. Mas tem saída sim. O caminho é a educação.

88 comentários:

Anônimo disse...

Pelo jeito acabou sendo publicado automaticamente antes de estar pronto.

Anônimo disse...

Lola, você acha que o garoto que juntou 2300 reais p comprar a arma p matar a garota comprou uma arma legalizada? Que cumpriu todas as exigências formais para obtenção do porte?

Kelly foi morta por asfixia, assim como alana. Sem armas de fogo.

A vedação não impediu qualquer um desses crimes barbaros de serem cometidos. O inimigo eh outro...

Alicia

Anônimo disse...

Se você achar que mulher só serve para ser estuprada e assassinada por homens, realmente não tem saída. Questão é que não é só isso, tá cheio de mulher aí vencendo com todas as dificuldades possíveis e imagináveis, mulheres crescendo, estudando, abrindo empresas, dando empregos, conquistando espaços, conquistando reconhecimento, contribuindo para a comunidade, movimentando a economia, se destacando na ciência, nas artes, nos esportes, na inovação tecnológica mas é o tal negócio: pra quem só assiste programas policiais, é claro que a vida é uma grande chacina e o feminismo atual reforça, propositalmente, em demasia esse discurso da tragédia e do medo mas chama isso de libertação e empoderamento.

Anônimo disse...

O feminismo não reforça discurso nenhum. Você acha que todos os casos citados pela Lola são delírios esquizofrênico? O trabalho do feminismo é dar voz a todas as mulheres que sofrem injustiça independentemente de tudo de bom que já conseguimos. Enquanto houver mulheres sofrendo devido a violência machista e ao sexismo haverá feminismo. Porque o feminismo não está aqui para quem já está bem, mas para as mulheres que ainda precisam de ajuda.
Não se trata de não enxergamos o lado bom das coisas, mas de buscar melhorar ainda mais denunciando o que está errado. É a insatisfação que leva o mundo para a frente.

titia disse...

Depois que digo que mulheres nunca devem confiar em homem nenhum e eu é que sou a feminazi louca odiadora de homens que deve queimar na fogueira. Porra.

Homens são inimigos das mulheres. São porque querem ser e agem como tal. Mas, como as criancinhas mimadas com barba que são, não admitem que as mulheres os vejam e tratem como inimigos: querem poder odiar e ser inimigos das mulheres e ao mesmo tempo querem que elas os amem e os considerem como amigos e amantes. Mulheres e meninas que leem o blog: os homens são seus inimigos. Eles são pq querem e gostam. Nunca presuma que eles são amigos, amantes ou mesmo gente boa; nunca confiem num homem com sua integridade e vida. Eles simplesmente não merecem. Até provas (sim, tem que ser mais de uma) em contrário, homens são os inimigos e devem ser vistos e tratados como tal.

Beleza Alícia, vamos liberar as armas de fogo, assim além do que já morrem, as pessoas vão morrer pq o idiota levou uma fechada no trânsito, pq o garçom se confundiu e devolveu troco a menos, pq a mulher não teve tempo de fazer o jantar, pq sonhou que a namorada estava traindo, pq o filho fumou um baseado por curiosidade. Se você me garantir que só a reaçada conservadora com idade mental de 5 aninhos vai morrer, apoio a legalização pra ontem. Mas não é o que vai acontecer, né? Então esquece.

14:10 são vocês homens que acham que nós só servimos pra sermos estupradas e mortas. Tudo que a Lola faz é denunciar esse pensamento misógino de vocês, se a verdade dói, problema seu.

Anônimo disse...

Mas para não ser injusta contigo, as vezes sinto falta nos sites feministas da narração de histórias de mulheres que estão vencendo em todas as áreas inclusive na luta contra o machismo sem necessariamente se chamarem de feministas. Há toda uma história de mulheres guerreiras que o mundo deveria conhecer, mas o próprio machismo impede a visibilidade a elas. Os sites feministas deveriam falar dessas mulheres. Elas são grandes exemplos para todas nós.

Anônimo disse...

Se tivesse armada Kelly talvez sobrevivesse.

A esquerda tem que parar com essa ojeriza as armas, já dzia Lenin:

"A única garantia possível de democracia é um fuzil no ombro de cada trabalhador!"

Mulheres armem-se.Não dêem bolas pra essas feministas de faculdade.

Rodrigo Almeida disse...

Mas quando se oferece leis mais duras pra esses lixos humanos vcs da esquerda são os primeiros a negar.

Ta ai, o cara q matou a menina que deu carona tava foragido de uma saidinha temporária da prisão. Reclamam quando policial mata um traste desses, reclamam pq a cadeia esta cheia, reclamam de tudo, menos que esses merdas tem o passe livre pra fazer atrocidades.

Continua passando a mão nesses vagabundos, enquanto isso a solução de feminista é destruir o machismo com muito textão de rede social.

Anônimo disse...

É titia, quem sabe se portassem armas,as mulheres que foram vítimas poderiam ter se defendido, né?

Anônimo disse...

Por curiosidade digitei no Google "garçom é morto. Digitei também "motorista é morto".
Inúmeras notícias elencadas.

Não eh a legalização da arma que me faz matar oh não alguém quando estou com raiva.

E nem eh a proibição que impede alguém de matar (vide todas as notícias que vc citou sobre a mulher não fazer o jantar ou o filho fumar baseado. Tenho ctz que há casos). Essas violências já acontecem mesmo existindo uma proibição da arma de fogo.

Alicia

Anônimo disse...

Ué, eu sou feminista e sou a favor das leis maduras. Agora o porte de armas é mais uma questão de liberdade do que uma questão de diminuir a criminalidade. Armar a população simplesmente não vai funcionar

Cindy disse...

O caminho é sempre a educação. <3

Anônimo disse...

Taxa de homicídios, Brasil 2013:

Homens: 50/100 mil

Mulheres: 4,5/100 mil

_Ain, mas são os homens que matam" - sim eles matam as mulheres E OS HOMENS TAMBÉM

_Ain mas elas morrem por serem mulheres" - isso implica logicamente que você prefere "morrer por um 'motivo X' (ou por um não-'motivo Y')" do que simplesmente "não morrer"

FIM. DE. PAPO.

Anônimo disse...

Dai então falamos que a doença social chamada homem, (masculinidade/testosterona) devem serem tratados como o que ´r, patologia social grave. E que se envolver emocionalmente/sexualmente
com estes primitivos e um ato de alto flagelo feminino camuflado pelo mito do amor romântico,
dizem que somos radicais demais.
Vocês brigam com os fatos, homens não mudam não tem esta capacidade,alguns se camuflam apenas.

Anônimo disse...

"O caminho é sempre a educação."
_
Homens em sua grande maioria não absorvem educação de gênero.
O caminho e a contenção.

Anônimo disse...

*Leis mais duras. Esse corretor ortográfico é um idiota.

titia disse...

Então, pessoas reclamando, que se legalize o porte de armas só pra mulheres. Já que são os homens que matam por motivos imbecis, que eles continuem proibidos de portar armas e que as mulheres possam carrega-las pra se proteger deles. Ah, mas aí não pode né? Aí vocês vão chorar por direitos iguais e reclamar sobre como os póbriszomis ficarão indefesos contra essas vadias assassinas, coitadinhos dos homens gente, eles só queriam matar e estuprar umas vagabundas, não mereciam ter morrido!

https://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/02/mulher-presa-por-matar-seu-estuprador

www.hardmob.com.br/boteco-hardmob/126916-mulher-mata-estuprador-e-pode-ser-presa

Mulher é presa por matar estuprador da filha - bahianoar.com › Policial

https://www.portaldotocantins.com/2014/10/25/mulher-de-26-anos-e-enforcada-no-ira-por-matar-estuprador

https://www.terra.com.br/noticias/mundo/estados-unidos/mulher-e-presa-por-matar-seu-estuprador-ha-20-anos

www.portaldoholanda.com.br/assassinato/mulher-e-condenada-por-matar-seu-estuprador

Com certeza só o que se precisa pra resolver estupro é a mulher ter uma arma. Com certeza.

E aí fico eu sem saber se é ingenuidade ou má fé.

Anônimo disse...

Foi uma tentativa de acabar com o feminismo, trollzinho 17:34? Você acha mesmo que nós não conhecemos estas estatísticas? Quantas vezes vamos ter que explicar para você que o feminismo se preocupa com a morte de mulheres nas mãos dos homens devido ao machismo, por serem mulheres, por serem mortas pelos companheiros? Os homens morrem mais do que mulheres porque ELES matam a eles mesmos, idiota. O feminismo visa proteger as mulheres da selvageria masculina. Não temos culpa se vocês são ogros estúpidos.
Se vocês querem se matar, então que se foram! Vão parar de se matar quando evoluírem de bestas estúpidas para gente.
O feminismo está preocupado com as 4,5/100 mil. Os 50/100mil que se foda. São vocês matando as vocês mesmo.
Continuaremos lutando contra a violência machista... Por nós mulheres.

E agora sim:

FIM. DE. PAPO.

beijinho no ombro!

Anônimo disse...

Na verdade anon 17:34. Você é ruim pra caralho quando se trata de lógica. A única implicação é que não queremos continuar morrendo nas mãos dos homens. Nada mais é nada menos do que isso. Guarde as sua conclusões Ilógicas para você e morra nas mãos de seus colegas do mesmo gênero.

João Antonio Alves Martins disse...

Cindy, por mais que a esquerda fique passando a mão em bandido, ninguém deseja que qualquer tipo de crime seja cometido. Infelizmente a esquerda é a única que levanta a bandeira do empoderamento feminino e consequentemente criticando uma sociedade, autoproclamada civilizada, onde pessoas matam outras por causa do sexo.

Charle Coimbra disse...

É exatamente no que eu acredito, Lola: educação. Violência de gênero, machismo, cultura de estupro etc. Se educarmos as crianças, meninas e meninos que diferenças de gênero não existem e que nada justifica violência contra mulheres, o futuro será diferente e melhor. Pra todos.

Anônimo disse...

Ou, mais simples : esse argumento de que "morrem por serem mulheres" significa pensar que é melhor 10 mulheres morrerem em assaltos do que 1 morrer morta pelo marido

Anônimo disse...

sim, concordo com o anon das 17:34.

Anônimo disse...

Homens morrem porque matam uns aos outros. O feminismo é para proteger as mulheres desses brucutus! Babaca!

Anônimo disse...

Estranho q n vemos essa chacina toda nos EUA, onde é liberado porte de armas, n tem notícias de " fulano ficou putinho no trânsito e matou geral" .

Seria justo ter dados sobre violência feminina contra homens para fazer uma comparação.

Anônimo disse...

"Não vemos essa chacina toda nos EUA"

é muito cara de pau... não sei nem como esse lixo de comentário absurdamente mentiroso é aceito, deve ser pra fazer a gente perder tempo e energia respondendo esses vermes..

Anônimo disse...

Gente, eu não acredito que os homens são podres por mera construção social da sociedade patriarcal machista PORQUE QUEM CRIOU TUDO ISSO FORAM ELES.

Gente, é tanta coisa perturbadora, esse lugar é o inferno, meninas só teremos paz quando eles não existirem mais.

Eles são seres inferiores, o cérebro deles é atrofiado, eles só entendem de retórica e por isso conseguiram dominar a merda de mundo que eles mesmo inventaram aaaaaaaaa nunca tem fim esse ciclo do capeta!

Anônimo disse...

Essa coisa de "o problema é que os homens não foram ensinados a não serem os escrotos que eles são" é mais uma vez reverter a culpa do opressor/agressor para a oprimida/vítima, é voltar (ou continuar) a colocar a culpa de tudo nas mulheres, só que com um discurso superficialmente "feminista", supostamente preocupada em resolver o problema da melhor forma possível, sendo bem didática, paciente, amável, maternal, cuidadora, delicada, meiga, linda, fofa, cheirosa e limpinha. Muito feminista...

Por que é reverter a culpa dos homens para a mulheres, você pergunta? Oras, em quem sempre é jogada a carga de levar o mundo inteiro nas costas? Quem são as obrigadas a serem as mãezinhas, acolhedoras, professoras, cuidadoras eternas dos homens? Quem é responsabilizada e culpada por quase tudo nesse mundo? Quem seriam as responsabilizadas em ensinar os homens a não serem escrotos, a não agirem como eles agem? Outros homens? Que são iguaizinhos aos outros? Que fazem o mesmo que eles? Óbvio que não, com certeza são as mulheres mesmo que serão as encarregadas dessa educação.

E também as mulheres que são culpadas depois por isso não dar certo... Porque como disseram outras comentaristas os homens não aprendem e não vão aprender, eles não querem mudar e tenho minhas dúvidas que realmente sejam capazes disso. Os homens não veem vantagens em serem diferentes, o machismo e o patriarcado os beneficia, eles tiram vantagens e benefícios de toda violência e opressão que infligem sobre as mulheres.

Mas fica essa questão para pensarem: se toda a culpa e a condenação que cai sobre as mulheres pelo que sofrem nas mãos dos homens for revertida de volta para os verdadeiros culpados sobraria um só de pé no final?

Anônimo disse...

Se é pra comparar EUA com Brasil, vamos comparar todas as outras coisas tbm né, assim é fácil.

Anônimo disse...

Pior que é verdade, se mudar vira gay. Então prefiro continuar gostando de mulheres e não matar elas.

Fernanda disse...

A educação dos meninos precisa mudar e muito e rapido, por nós mulheres, por eles tb. Infelizmente nao vejo no Brasil algum moviemnto neste sentido, muito ao contrario a Idade Media veio pra ficar parece. To morando fora do pais pela 4° vez, e sempre demoro pra perceber que posso sair a noite, que homens nao vao tocar em mim ou me falar merda na rua, onibus, etc. Pq em alguns lugares isso é inaceitavel, é culturalmente inaceitavel fazer algo assim....Vc sair deste inferno e perceber que o seu direito de IR e VIR nem sequer foi retirado, nunca te foi dado é muito foda, com 11 anos ja tinha cara se masturbando em onibus na minha frente , eu magrela, de uniforme escolar...bando de fdp.

Viviane disse...

Titia, isso vale também para negros ou qualquer outra minoria que "ouse" andar armada. Que ninguém se engane: reaças usam os problemas das minorias para angariar apoio à sua "causa", mas no fundo, o que querem é o porte de arma apenas para homens brancos e ricos.
Em tempo: sou contra a liberação do porte de armas de fogo. Estou contribuindo para desmontar mais essa falácia dos reaças.

Anônimo disse...

Discordo de você me relaciono com um homem. Sou hetero. Sempre me relacionei com homens ainha vida inteira. A masculinidade não é uma doença assim como a feminilidade não é uma doença, estúpid@
O feminismo que eu tenho é para acabar com os babacas que constam mulheres.

Anônimo disse...

Em sua maioria eles absorvem a educação sim. O problema é que eles só se reeducando se forem forçados a se reeducar pela justiça.

Anônimo disse...

Pois é titia, chegamos a um ponto em que a mulher que mata um estuprador acaba presa. E depois ainda falam que cultura do estupro não existe por aqui.

Anônimo disse...

Anon,20:31. Santo Deus, como uma pessoa como você pode ser tão ruim de lógica a ponto de tentar fazer uma conclusão lógica e fazer uma conclusão ilógica? Definitivamente tiraram o teu cérebro de dentro da cabeça e colocaram merda no lugar.
Pra começar, idiota, não se compara números de vítimas. Uma vida morta não vale menos do que 10.000 vidas mortas. Bote na sua cabeça que o feminismo luta pelas mulheres contra a violência sexista. O feminismo não é e nunca será um movimento para defender os pobres homens (e nem para mata-los). Você gostando ou não o feminismo continuará a luta pelas mulheres contra a estupidez de vocês. Querem para de morrer nas mãos de vocês mesmo? Evoluam de bestas para gente e parem de matar uns aos outros. Mas o fato de vocês matarem uns aos outros não é problema do feminismo. Deixe de mimimi e choradeira e resolvam os problemas de vocês que nós vamos continuar lutando para resolver os nossos problemas que aliás são causados por estúpidos como vocês.

Anônimo disse...

É porque o anon das 17:34 tem merda na cabeça. Como não tem um cérebro não consegue fazer conclusões lógicas. E você como não tem uma cérebro viu lógica onde não há lógica por total incapacidade mental. O anon 17:34 tem merda na cabeça e você que nem sequer conseguiu formular um pensamento ilógico e burro como o dele também tem merda na cabeça. Só que merda líquida!

Anônimo disse...

Dados sobre violência feminina já existem, no plano conjugal correspondem a 10%, no máximo. Dá violência doméstica. A maior parte da violência doméstica e cometida por homens. Dá violência pública também.
Agora eu não entendi: porque você achava que não havia dados sobre a violência feminina? Porque só ouve falar da violência masculina? O motivo para isso é simples: é porque os homens cometem mais violência ( e muito mais) do que as mulheres. Os dados sobre violência cometida por mulheres estão aí pra comparar.

Anônimo disse...

Vc tá louco anon 22:41. O que mais tem é chacina com armas naquele país de loucos.ou assassinatos com armas mesmo

Anônimo disse...

Os EUA nunca foram modelo de baixa violência.

Anônimo disse...

Não dê retórica e lógica essa porras não entendem. Olha eu acho que a solução seria a punição efetiva apenas do que praticam violência contra as mulheres. Querem que todos eles não existam é extremismo.

Anônimo disse...

Você disse muita coisa verdadeira. Mas eu acho que as mulheres são culpadas pelos homens serem machistas sim. Elas são as cuidadoras da primeira infância e muitas vezes tratam os menininhos como reis. Elas dão educação diferenciada a meninos e meninas. Elas se colocam de forma subalterna ao parceiro na frente dos filhos. As crianças internalizar esses comportamentos e o machismo se perpetua com o apoio ainda que inconsciente das mulheres. Se as mulheres não mudarem de postura isso nunca vai parar. Pois os homens se beneficiam do sistema é por isso pouco estão dispostos a mudar.

Anônimo disse...

Constam = matam. Erro do corretor

Cão do Mato disse...

"O feminismo está preocupado com as 4,5/100 mil. Os 50/100 mil que se foda. São vocês matando a vocês mesmos".

A maioria dos pobres e negros da periferia vítimas de homicídio é morta por outros pobres e negros da periferia. Como sou branco e de classe média, darei de ombros toda vez que alguém vier com aquela história de que "vidas negras importam". A mim, o que importa é o "mano" que me assalta no semáforo.

Coerente, não acham?

Anônimo disse...

A mudança na educação tem que começar em casa. Se as mulheres se colocam como subalternas em relação aos homens é essa a mensagem que as crianças internalizam.

Anônimo disse...

"Homens são inimigos das mulheres. São porque querem ser e agem como tal. Mas, como as criancinhas mimadas com barba que são, não admitem que as mulheres os vejam e tratem como inimigos: querem poder odiar e ser inimigos das mulheres e ao mesmo tempo querem que elas os amem e os considerem como amigos e amantes. Mulheres e meninas que leem o blog: os homens são seus inimigos."

Olha o raciocínio dessa descontrolada, vejam a que ponto a solidão pode levar uma pessoa.

Essa postura nós x eles é tão ridícula quanto improducente ao movimento feminista, se há uma cultura a ser combatida ok, mas colocar a outra parcela da humanidade como inimiga de outra parte é burro mesmo.Bota a cara no sol "titia", sai um pouco do computador e do armário.

Kasturba disse...

Alicia, um saco plástico pode ser usado como arma para matar outra pessoa, quando se está realmente resolvido e se arquiteta tal ato. Mesmo antes de existirem armas de fogo, existiam assassinatos, e mesmo se elas sumissem do mundo, os assassinatos continuariam existindo.
A diferença é que uma pessoa com arma de fogo só precisa apertar um gatilho (leve) pra que uma morte aconteça. Pode matar à distância. De cabeça quente. Sem chance de defesa pela vitima.
Alguém que queira matar, pode matar com uma faca. Mas pra matar outra pessoa com uma faca, é necessário muito mais sangue frio, força e tempo. Uma pessoa de "cabeça quente" aperta um gatilho e no segundo seguinte pode ter matado outra. Uma pessoa com uma faca, pode partir pra cima da outra, mas se acalmar e "se arrepender" antes de concluir sua intenção.
Além disso, quantas vezes vc já ouviu falar de estudantes matarem n colegas na escola portanto uma faca? Quantas pessoas mataram apos discussão de transito com uma faca? Quantas crianças já morreram ou mataram acidentalmente com uma faca?

Talvez não haja como evitar os crimes daqueles que estão realmente resolvidos (ou o caminho seja somente a educação precoce). Mas restringindo o acesso a armas de fogo, evita-se, sim, que muitos acidentes, chacinas e crimes de "cabeça quente" ocorram, ou diminui-se sua letalidade.

Anônimo disse...

Não existe culpa coletiva. A culpa do crime é do criminoso e apenas dele.

Anônimo disse...

"Uma vida morta não vale menos do que 10.000 vidas mortas. "

Então, por exemplo, a chacina do Carandiru é comparável ao Holocausto?

É claro que é preferível morrer menos do que morrer mais. Isso não implica que CADA uma das vítimas do grupo que morreu mais seja mais importante que CADA uma do outro grupo.

Mais argumento, menos xingamento

Anônimo disse...

Vcs são a favor da saidinha dos bandidos, é isso que ocorre.

Anônimo disse...

Concordo com a Alícia quanto ao porte. Nenhum desses crimes foi praticado com arma legalizada, mas talvez algum pudesse ter sido impedido por uma.
Em circunstâncias normais, é claro que as armas devem ser banidas da sociedade. Mas infelizmente não estamos nesse mundo utópico. Principalmente no nordeste, a violência urbana está em níveis tão assustadores que não dá mais para pensar apenas em educação nas escolas. É claro que isso é importante, mas algo precisa ser feito imediatamente. As pessoas precisam ter meios de defesa.
A gente defende a possibilidade de as mulheres terem conhecimento de técnicas de defesa pessoal, usarem spray de pimenta, arma de choque não letais. Por que não arma de fogo também?
Medo de que as ruas virem um faroeste? Teria até, se já não vivêssemos isso nas grandes cidades nordestinas. Quando uma quantidade tão grande de pessoas resolve transgredir não tem polícia que dê jeito.

Anônimo disse...

Anon 08:39h
É verdade que, no fim das contas, não é justo que o fardo dessa mudança de comportamento dos homens quanto ao exercício social da sua masculinidade recaia apenas sobre os ombros das mulheres. Entretanto, como alguém já disse aqui, não dá para esperar que os homens assumam espontaneamente a iniciativa de mudança, porque o status quo os favorece. E isso não é masculino não, é humano. Qualquer pessoa, independentemente do gênero, terá uma inclinação a manter as coisas que lhe sejam favoráveis.
Assim, por mais que não seja justo, concordo com você. As cuidadoras primeiras, mães, avós, professoras têm de assumir uma postura de mudança na educação dos meninos desde a mais tenra idade.

Anônimo disse...

Entre os 501 estudantes que conquistaram OURO nas olimpíadas da matemática, só 3% são meninAs. O q q acontece heim? Uzômi são mesmo tão burros como dizem aqui e as mulheres é que são as inteligentes? Ué?

donadio disse...

"E aí fico eu sem saber se é ingenuidade ou má fé."

É fácil saber.

Imagina que a Kelly andasse armada. Imagina que ela reagisse e matasse o carona. Agora imagina o que as criaturas que defendem que porte de arma liberado resolve tudo estariam dizendo. Só feche os olhos e ouça:

Coitado do rapaz, só queria pegar uma carona. A piranha atraiu ele para o carro dela e matou a sangue frio. E ainda calunia o pobre do morto, dizendo que ele tentou estuprar ela, sem prova nenhuma. Ah, se esse rapaz andasse armado, talvez não tivesse morrido, coitado.

Anônimo disse...

Então... se vc abrir o noticiário vai ver que não tá evitando coisa nenhuma.
Temos uma das legislações mais restritivas quanto a posse e porte de armas de fogo, no entanto qualquer um, de qualquer classe social tem acesso a uma arma se quiser, em questão de horas, no mercado clandestino.
Proibição em excesso gera isso tudo, menos redução da violência, como estamos cansados de ver.

Alicia

titia disse...

Pois é, né donadio? Pra quê eu ainda me pergunto?

09:54 amigo se ter um macho bem dotado pra te comer resolve os teus problemas, arranja um e vai ser feliz, ué. Não projete seus problemas, desejos enrustidos e carências em mim, saia do armário e vá ser feliz sob o sol. E se a verdade dói o problema é totalmente seu. Claro, um misógino escroto louco pra estuprar e matar que só não o faz por medo de ser preso como você vai achar ruim que essa realidade seja denunciada, mas advinha? Eu não vou me calar só porque você quer que as mulheres continuem sendo suas vítimas. Pode esquecer.

titia disse...

12:20 eu moro numa grande cidade nordestina e te garanto que não temos tiroteio na esquina por causa de briga de bar, não temos ladrão de galinha sendo enforcado em plena rua, não temos toque de recolher nem gente sendo espancada e roubada por gangues na rua. A coisa está bem pior no Rio do que aqui, te garanto. Mas tente colocar uma arma na mão de qualquer desmiolado cabeça quente, mimadinho problemático, playboy birrento, psicopata enrustido, bebêzão barbado adorador de violência que quer resolver tudo na base da agressão e aí sim esse país vira uma merda de um faroeste.

Kasturba disse...

Alicia, os noticiários não mostram os "crimes que deixaram de ocorrer".
Os crimes que ocorrem com armas de fogo conseguidas em "mercado clandestino" não são os que estão sendo evitados com a restrição. A restrição visa impedir que o "homem de bem" que tem uma arma "somente para sua proteção" brigue no trânsito e dispare. Que seu filho se mate ou mate os amiguinhos de maneira acidental. Que num momento de fúria e sem medir consequências, ele dê um tiro ma mulher por ciúmes.
Não há como negar que apertar um gatilho é muito mais fácil (demanda frações de segundo e nenhuma força física) do que enterrar uma faca repetidamente na barriga de alguém.

Talvez alguns crimes poderiam ser evitados caso a vitima portasse uma arma? Sim, certamente.
Mas também quantos crimes e/ou acidentes não iriam ocorrer pelo fato de o "cidadão de bem" ter uma arma em sua residência?

Acredito que deveríamos parar de usar discursos deturpados ("o cidadão de bem armado seria muito responsável e só usaria sua arma para defesa da própria vida" ou então "arma é algo satânico e nunca pode ser útil para alguém") e fazermos um debate imparcial, com dados reais de países com políticas X e Y para termos uma conclusão real se facilitar porte de armas seria algo benéfico ou prejudicial para nossa população.

Meu palpite (não fiz o tal estudo sério): Se de maneira geral não temos capacidade nem para utilizarmos automóveis de maneira responsável e segura, não acredito que teríamos discernimento suficiente para portarmos armas de fogo. Mas esse é meu ACHISMO.

Anônimo disse...

e a galinha veio antes do ovo né? só que ao contrário...

Anônimo disse...

E daí? Ela estaria viva e se lixando p opinião de idiotas.
Viva. Viva.

Alicia

Anônimo disse...

A titia não é o troll lesbopolitico. O troll eu também ataco. E se vc continuar mexendo com a titia vc vai levar um monte de foras.

Anônimo disse...

Mais argumentos e menos xingamentos se eu assim quiser fazer, anon 11:31. Onde foi que vc fez um argumento, seu burro? O problema é exatamente esse: não houve argumento nem lógica alguma no seu comentário. E mais uma vez você fez mais um comentário sem lógica nenhuma. Tirou conclusões que não tem o menor sentido. Em que parte eu falei que não era preferível morrer menos do que morrer mais? Ainda assim não se compara número de VIDAS perdidas. a chacina do Carandiru assim como o holocausto se tratou de violência do estado ambas com aplauso de certos setores da população. A gravidade maior do holocausto está no racismo, na escolha de extermínio de uma raça inteira. Não houve tentativa de extermínio semelhante na população carcerária. Se o número de vítimas do holocausto fosse igual ao número de vítimas do Carandiru ainda seria tão grave quanto se fossem 6 bilhões. Pois seria a tentativa racista de exterminar uma "raça" por ela ser uma "raça" considerada inferior. Não importa o número de pessoas que houvesse nesta raça. A uma implicação grave aí: existiria uma raça superior, a ariana, e todos os outros deveriam morrer. Eles começaram com os judeus. Se tivessem conseguido seu intento quem eles eliminariam depois? Quem eles escravizariam por serem considerados inferiores. A questão do nazismo vai muito além do assassinato de judeus. Considerando que vidas foram ceifadas o holocausto é tão ruim quanto o massacre do Carandiru.

Mais interpretação de texto e menos ilógica!

Rafael Cherem disse...

Sou a favor do porte irrestrito de armas em tese. Mas discordo que isso seja aplicado no Brasil, onde assassinos não são punidos e o sistema legal não funciona.

Kasturba disse...

Anon 17h34 e 20h31, vou dar um voto de confiança e acreditar que vc realmente não entendeu, e tentar te explicar de maneira polida:

Existem diversos espaços para tratar dos mais variados assuntos. Ninguém é obrigado a defender nenhuma (ou todas) as bandeiras, e igualmente ninguém tem que levantar exclusivamente uma bandeira.
O feminismo é o espaço destinado a conversarmos sobre como uma sociedade machista é destrutiva, violenta e mata principalmente mulheres. Por isso, em espaços feministas estamos preocupadas em conversar e discutirmos soluções para as 4,5/100mil mulheres mortas por homens, vitimas de uma sociedade machista.
Isso não quer dizer que não nos preocupemos com as mulheres (e homens) que morrem em assaltos, em acidentes de carro ou de câncer. E nem quer dizer que nenhuma feminista possa se preocupar e participar de discussões que visam melhorar esses outros panoramas. Só que essas discussões têm seus próprios espaços, que não são os espaços feministas. Mas são também discussões validas e importantes, e devem acontecer, sim.
Se você se preocupa com as vítimas de assalto, ótimo. Procure os espaços destinados a essas discussões, debate, troque ideias e proponha soluções. Mas não venha querer reduzir a importância das discussões feministas e nem querer determinar pautas para nosso movimento. Cada qual levanta a bandeira que acha mais importante/urgente/interessante.

Ps.: Sou vegana, assim como muitas feministas, e participo de grupos sobre discussões veganas. Mas não venho nesse blog, que sei que não trata sobre esse tema, querer dizer que todas as feministas precisam levantar a bandeira do veganismo. Cada pessoa é livre para escolher em quê acreditar e pelo quê lutar.

Anônimo disse...

"Em que parte eu falei que não era preferível morrer menos do que morrer mais? Ainda assim não se compara número de VIDAS perdidas."

É incrível, você se contradiz na frase seguinte e nem percebe.

Pra ser possível dizer que é preferível morrer menos gente do que mais gente requer PRECISAMENTE comparar o número de vidas perdidas.

De resto, você só confirmou o que eu falei antes: pra você, o MOTIVO da morte é mais importante do que a morte em si.

Pela sua lógica não faria diferença se o Holocausto fosse 600 ou 600 milhões, seria a mesma coisa.

Do mesmo jeito, você acredita que morrer a uma taxa de 5/100 mil por ano devido a "feminicídio" é PIOR do que morrer a uma taxa de 50/100 mil por ano por outro motivo qualquer.

Anônimo disse...

Como sempre mulheres são culpadas pelo que os homens fazem contra elas, até por quem se diz feminista. Nada de novo... só um bando de gente tediosamente idiota, irracionalmente medíocre, estupidamente partidária dos homens, extremamente machista que sempre protege os homens de serem responsabilizados pelos crimes que eles cometem contra as mulheres.

titia disse...

http://www.msn.com/pt-br/noticias/mundo/atirador-mata-quatro-pessoas-na-calif%c3%b3rnia/ar-BBEY9BV?li=AAggXC1&ocid=iehp

"Os tiros foram disparados nas ruas no entorno da Escola Primária Rancho Tehama enquanto os pais deixavam as crianças no colégio, por volta das 8h da manhã do horário local (14h em Brasília). As informações ainda não foram confirmadas, mas segundo a emissora Fox News, outras quatro pessoas ficaram feridas, entre elas três crianças. A polícia informou que o homem portava um rifle semiautomático e dois revólveres e que os disparos foram aleatórios."

Agora, façamos um momento de silêncio e pensemos sobre como seria isso no Brasil.

O país da lei de Gérson.

O país onde 97% dos assassinatos nunca são solucionados.

O país onde a matricida e parricida confessa Suzanne von Richtoffen não passou dez anos na cadeia.

O país onde o feminicida sádico Guilherme de Pádua não passou um dia na cadeia.

O país onde quatro pleybas mataram um homem queimado e não cumpriram pena; onde o criminoso menor de idade, aliás, nem registro criminal tem.

"Tragédia esperando pra acontecer" não descreveria um décimo da situação.

Anônimo disse...

Não cãozinho uau uau. Não é coerente. O feminismo enquanto movimento tem como preocupação a morte das mulheres nas mãos dos homens pela violência sexista e o machismo. Como pessoas individuais qualquer feminista pode se preocupar com as mortes de negros e pobres da periferia e também com a morte de brancos de classe média em assalto. Mas isto não é a pauta do feminismo. Ele não foi criado para defender os homens e isso não vai mudar! O fato de eu lamentar as mortes de pobres da periferia por saber que fatores sociais também estão envolvidos não muda meu pensamento de que os homens precisam evoluir de bestas caninas para gente. Afinal, mulheres pobres negras da periferia tambem estão sob as mesmas pressões sociais e mesmo assim não cometem tantos crimes quanto os homens, não é mesmo? Também não me faz pensar que bandidos não devam ser punidos e reeducado só por serem negros. Mas você não é obrigado a gostar de bandidos. Ninguém é.

Anônimo disse...

Não. Não são burros. Mas quando de trata de violência são umas bestas longe de evoluirem para seres humanos. Há uma matéria sobre o fato de mulheres terem pouco apreço pela matemática. Desde criancinhas elas se vêem como "menos brilhantes" que os homens. Acham os meninos mais espertos e inteligentes e que meninas são princesas. O desestímulo a matemática começa aí. Mas se você procurar na net vai ver que há muitas mulheres brilhantes nas ciências exatas também.

Anônimo disse...

Claro que não é, imagina...

Anônimo disse...

Mas titia... esses crimes aí aconteceram já, nesse país onde a armas são altamente proibidas. Proibir não eu a solução e achismos de que liberar piora não eh argumento. Parece aquelas pessoas contra o aborto que falam que se liberar a mulherada vai fazer aborto a rodo.

Alicia

Anônimo disse...

Então por que você não vaza daqui de uma vez? Ah, mas a vontade de trolar é mais forte né?

donadio disse...

"O país onde a matricida e parricida confessa Suzanne von Richtoffen não passou dez anos na cadeia."

Ela foi condenada em 2006, mas está presa desde 2002, e, até onde eu saiba, continua na cadeia. Como foi condenada a 40 anos de prisão, só terá direito a livramento condicional após cumprir 20 anos da pena, ou seja, em 2012. Em 2014, ela teve direito à progressão para o regime semi-aberto, mas ela mesma pediu para continuar no regime fechado, por temer agressões no outro estabelecimento prisional.

"O país onde o feminicida sádico Guilherme de Pádua não passou um dia na cadeia."

Oi? Pádua foi condenado a 19 anos de prisão. Foi preso em 1992, e saiu da cadeia em 1999. Pelas minhas contas, são sete anos em regime fechado. Pode ser pouco, mas não é exatamente "não passou um dia na cadeia".

"O país onde quatro pleybas mataram um homem queimado e não cumpriram pena; onde o criminoso menor de idade, aliás, nem registro criminal tem."

Cumpriram pena, sim. Inclusive tiveram de retornar para o regime fechado depois de terem progredido para o semi-aberto, por que foram flagrados frequentando barzinho antes de voltar para a penitenciária.

*****************

É muito comum essa ideia de que certas pessoas não foram punidas pelos crimes que cometeram. Toda hora ouço gente reclamar que o "Juiz Lalau" nunca foi preso, ou que o Luiz Estevão nunca passou um dia na cadeia. É repetido quase como um meme. Mas não é verdade, pelo menos nesses dois casos famoso, e em nenhum dos três que você cita. Não sei por que isso ocorre; talvez por que a imprensa noticia os crimes na primeira página, e as sentenças em algum canto escondido dentro do jornal?

donadio disse...

"esses crimes aí aconteceram já, nesse país onde a armas são altamente proibidas."

Neste país onde as armas são proibidas mas a proibição não funciona, como não funciona a proibição do tráfico de drogas ou do jogo do bicho.

Quando você compara países com ordenamentos jurídicos eficientes, os Estados Unidos - onde a posse de armas é quase liberada - tem taxas de homicídios muito maiores do que o Reino Unido - onde a posse de armas é proibida e a polícia faz a proibição valer.

Então o problema é outro. É que o nosso ordenamento jurídico não é realmente aplicado (e não é realmente aplicado por que na prática temos dois sistemas legais diferentes, um em que vale a presunção da inocência e os criminosos só são punidos depois de devidamente julgados, e outro em que as pessoas mofam nas cadeias sem culpa formada. É um resquício da escravidão, claro, mas essa é a discussão que é preciso fazer, na verdade.

donadio disse...

"após cumprir 20 anos da pena, ou seja, em 2012."

Em 2012 não, em 2022.

Cão do Mato disse...

Não, anon chorona 20:00... As mulheres não estão sob as mesmas pressões sociais que os homens. Não são pressionadas a serem fortes (isso pra vocês é bônus),não são pressionadas a serem os provedores da família (para não serem chamados de fracassados), não são obrigados a resolverem tudo na base da porrada (para não serem chamados de covardes, inclusive pelas próprias mulheres). Homens e mulheres são pressionados socialmente de formas diferentes. Ou você acha que a grande maioria dos criminosos serem homens é devido a fatores genéticos?

Kasturba disse...

Então você concorda que o feminismo, pondo fim nessas "pressões sociais", vai melhorar a vida de todos, homens e mulheres, né?
Eu também!

Anônimo disse...

Então, cachorrinho uau uau uau mimimimim: essas pressões que vc cita em cima sobre os homens são resultado dessa estrutura patriarcal. O feminismo luta contra essa estrutura patriarcal, por mudanças em prol das mulheres. O fim da sociedade patriarcal, machista, sexista, vai beneficiar as mulheres e, por tabela, os homens. É justamente contra esse sexismo e por uma educação mais igualitária e humana, sem supostos "privilégios" de acordo com o gênero das crianças, que as feministas estão engajadas. Acabando essas pressões sociais para os homens serem isso ou aquilo, vc não vai mais precisar vir aqui choramingar.

Anônimo disse...

Concordo com a Titia, não se pode confiar em homens. Não vem escrito na testa quem é confiável ou não, então desconfio de todos.
Como dizem por aí "confio desconfiando". Apesar de ser hetero e não querer ter filhos, se um dia eu os tiver, não os deixarei sozinhos com o pai jamais. Principalmente se for menina. Não se pode confiar, se você confia e acontece algo a culpa é toda "sua". Então não ligo se eles se ofenderem, melhor eles ofendidos do que algo acontecer comigo ou com meus futuros filhos. Não se pode ter pena, ninguém tem pena de nós. Se acontece algo a culpada, a xingada, a louca, a que deve ser investigada é sempre a mulher. Então não me importo mais se estou incomodando um homem com minha desconfiança, eles já nos incomodam desde os primórdios da sociedade.

Anônimo disse...

Anon 20:10. Você sabe que ela não é. Ela só fica com raiva de vez em quando e tem razão.

Anônimo disse...

Sai pra lá, cão do mato! E eu lá vivo chorando??? Não acredito que os homens são assim apenas devido fatores genéticos. A pressão social existe sobre os homens para que sejam "machos", coisa que aliás é denunciada pelo movimento feminista com o nome de patriarcado. Sim, as feministas sempre falaram que a sociedade patriarcal pressiona homens e mulheres a seguirem papéis rígidos predeterminados. Também existe pressão para que as meninas sejam princesas boazinhas. No entanto existe uma outra coisa para ambos os sexos: liberdade de escolha. Apesar do patriarcado as mulheres estão tentando ser o que quiserem ser e estão conseguindo isso. Isso nunca foi bônus. As mulheres lutaram e ainda lutam por tudo isso. Elas também poderiam escolher, apesar de 'desfavorecidas' pelos genes e apesar da pressão patriarcal serem violentas como os homens. Essa liberdade de escolha também a tem os homens. Homens podem escolher romper com padrões impostos pelo patriarcado, controlar a 'agressividade genética' e serem o que quiserem ser. Considero que genes influenciam um pouco, mas não são decisivos da vida de ninguém. O que falta nos homens é a vontade de mudar: preferem matar e morrer a serem de outra forma. E ainda ficam chorando com a pressão social, com a testosterona, com tudo. Mas não fazem nada para lutar contra tudo isso como as mulheres estão fazendo. E não fazem ou por covardia ou por falta de vontade.

Anônimo disse...

Você está outra dizendo coisas que eu não disse. Eu não falei que não era preferível morrer menos do que morrer mais. Também não falei o contrário porque não se compara número de vidas humanas. O razão de eu achar o holocausto pior não tem a haver com o número de vítimas. Se o número de judeus mortos fosse igual ao número de mortos no Carandiru, ou até mesmo se o número de judeus mortos fossem mil e não 6 milhões ainda assim, pelos fatores apontados, entre outros, o holocausto teria a mesma gravidade sendo pior do que o massacre do Carandiru. Mas não é pelo número de mortos que eu estou comparando.
Morte, motivo da morte e número de mortes são questões diferentes e ninguém está comparando isso. Eu falar que há motivos de morte mais grave não significa que as mortes em si são mais ou menos graves. Não existe contradição nenhuma em dizer que não se compara número de mortes, porque comparar número de mortes é simplesmente ridículo.

"Ou, mais simples : esse argumento de que "morrem por serem mulheres" significa pensar que é melhor 10 mulheres morrerem em assaltos do que 1 morrer morta pelo marido"

Não implica em nada!

O fator morrer por ser mulher é uma palta do feminismo. Não significa que as outras mortes de mulheres ou homens não são preocupantes. No entanto estas outras causas de morte são tratadas em outros locais. É com essa pauta especifica que o feminismo se preocupa. A falácia é a conclusão a que você chegou pois não existe essa implicação lógica. Não há comparação entre a morte de uma mulher e 10 mulheres, também não há comparação entre a mulheres que morrereram no assalto ou na mão do marido. O feminismo abraça a última causa porque é esta que afeta a mulher por ela ser mulher. É o assunto de preocupação escolhido pelo movimento. Não só as mortes, mas tudo o que afeta negativamente as mulheres por serem mulheres. E a violência doméstica é uma violência que afeta as mulheres mais do que aos homens é apenas por serem mulheres, portanto tornou-se pauta do feminismo.
No mais, a Kastuba explicou tudo direitinho.
Todo movimento escolhe coisas como pauta mais importantes e isso não significa que o que ficou fora não tenha importância.

Liberais acham importante diminuir o estado a todo custo.

Conservadores acham importante impor seus valores morais aos outros.

Esquerdistas acham importante diminuir as desigualdades sociais alguns apoiando a violência para conseguir isso.

Feminista querem o fim do que prejudica as mulheres apenas por serem mulheres. Outras causas não importam ao movimento. Pode-se abraçar outras causas também importantes, como lutar pelo fim da violência geral, mas esta não é a pauta do movimento.

Anônimo disse...

Tadinhos dos homens, tão oprimidos, tão pressionados, tão obrigados e sem escolha nenhuma, coitadinhos, né mascu sarnento do mato? As mulheres estão sob as mesmas pressões sociais que os homens, só que não, né masCUZÃO? (é o que ele disse logo depois disso: não são pressionadas...) São umas "vadias protegidas, beneficiadas, privilegiadas", né mascu pulguento? São culpadas por tudo, até pelo que os homens fazem contra elas e contra o resto do mundo...

Anônimo disse...

Feminismo "bonzinho", meiguinho, limpinho, cheirosinho e complacente com macho abre todas as portas p/ masculinistas, acomoda eles no lugar mais confortável, serve cházinho com biscoitos, enxuga as lágrimas de crocodilo e ainda fornece munição que eles não hesitam em usar contra as feministas. Uma prova disso é essa mesma caixa de comentários, que é sempre cheia de lixomentários de mascus idiotas, como esse cão do mato que adora fazer vocês perderem tempo catando as pulgas dele e é presença cativa nos comentários. O mato não sai dele mas parece que ele já saiu do mato há tempos, já foi adotado como mascu de estimação por aqui.

titia disse...

Valeu, donadio. Eu realmente não soube dessas sentenças, talvez porque esse tipo de informação não costuma ser divulgado. Eu lembro de ter visto vários protestos pedindo pela prisão deles e reportagens em que essas pessoas estavam fora da cadeia e nada sobre o tempo que eles passaram presos ou as condenações que receberam. Ainda assim, duvido que tenham sido tratados com o mesmo rigor que os pobres e negros. A justiça brasileira é frouxa quando se trata de punir criminosos brancos e ricos.

Alícia estamos num país onde as pessoas não seguem as leis de trânsito mais básicas, bebem e vão dirigir, transam com desconhecidos sem camisinha, não usam os devidos dispositivos de segurança quando viajam com animais ou crianças, nadam e surfam em águas infestadas de tubarões, fazem tatuagens em locais inadequados e sem higiene, saem na porrada por causa de futebol, quebram o braço de quem se recusou a beijá-los na balada, atropelam ciclistas e fogem sem prestar socorro, andam de moto sem capacete, fazem sexo sem proteção e não contam pro parceiro/parceira que tem alguma DST, transmitem HIV de propósito. Enfim, estamos falando de um povo que não tem responsabilidade nem consigo mesmo e nem considera a vida humana particularmente valiosa.

Mais ainda, um povo que nunca assume seus erros e suas responsabilidades. Quantas pessoas subornam o examinador do DETRAN ao invés de fazer mais aulas? Quantos dão propina aos guardas de trânsito quando estão com a carteira vencida ao invés de aceitar que fizeram merda e irem cumprir os procedimentos legais pra reaver a CNH?
O brasileiro médio simplesmente NÃO TEM capacidade psicológica de carregar uma arma e usá-la de forma responsável. O brasileiro médio é imaturo, violento, estúpido, uma criancinha barbada que envelheceu sem amadurecer e mal tem condições mentais de dirigir um carro, quanto mais de carregar um instrumento de destruição.

Aborto é um procedimento invasivo, doloroso e que envolve riscos, Alícia. Puxar um gatilho é muito fácil. Um aborto evita que um punhado de células se torne um ser humano; um gatilho puxado é uma pessoa que pensa, sente e sofre morta, uma pessoa que deixa pra trás uma família e amigos que a amam, que sofrerão com a morte dela. Não tem nem comparação.

Anônimo disse...

Anon 13h00:
Você ganhou uma medalha das Olimpíadas de Matemática?
Ou nem todo homem é assim tão inteligente como vocês falam? Ou você não é homem de verdade?

Anônimo disse...

Fim de papo o caralho!

Anônimo disse...

Eu teria medo de dar carona p/ qualquer um estranho de app, inclusive p/ mulher tbm. Foi errado terem soltado esse bandido mesmo.