terça-feira, 28 de novembro de 2017

REBECA, UMA MULHER DE CORAGEM QUE PRECISA ABORTAR

Esta é a história de Rebeca, uma mulher que pediu o direito ao aborto seguro no STF na semana passada.
Em uma fase de troca entre métodos, de injeção para DIU, o serviço público de saúde deixou Rebeca Mendes Silva Leite, 30 anos, mãe de dois filhos, sem método alternativo enquanto esperava uma ultrassonografia. Ela engravidou e procurou a Anis - Instituto de Bioética para uma medida judicial que lhe concedesse o direito de realizar um aborto legal. Fez exames laboratoriais e por imagem que atestam gravidez de 6 semanas, 2 semanas de atraso menstrual. Ela está informada e lúcida, foi a uma psiquiatra que emitiu laudo sobre os riscos a sua saúde mental, de sua família e mesmo do feto com a obrigatoriedade da gravidez. Ela repete muito “Não quero morrer, quero ser a mãe de meus dois filhos”. Recorrer a um método clandestino não é uma opção para ela. 
Na quarta passada, 22/11, o Supremo Tribunal Federal conheceu a história de Rebeca, por meio de uma ação apresentada pelo PSOL e a Anis pedindo o direito de interromper uma gravidez indesejada de seis semanas. Rebeca não tem condições econômicas e emocionais de levar sua gestação adiante: é responsável pela criação de dois filhos e vive com recursos de um trabalho temporário que vai só até fevereiro. 
Aqui, Rebeca conta novamente sua história, em uma carta direcionada a ministra Rosa Weber, da 1ª turma do Supremo, solicitando a descriminalização e segurança do aborto para o seu caso. Não há prazo para que a ministra tome a decisão. Se for determinado pelo STF que a decisão tem repercussão geral, o aborto para todas as mulheres até a 12.ª semana da gestação passaria a ser permitido.
Em tempo: não há até então nenhuma decisão autorizando casos como o de Rebeca no STF. Todas as decisões sobre aborto dizem respeito a gestações de risco de vida para a mulher ou de fetos com má-formação.
(O depoimento de Rebeca foi originalmente publicado no site Think Olga e faz parte da campanha #EuVouContar, criada pela Anis e pelo Think Olga com o intuito de ouvir semanalmente histórias de aborto). 
Meu nome é Rebeca, tenho 30 anos, sou mãe de dois meninos. Thomas de 9 anos e Felipe de 6 anos. Não é fácil, mas tentarei descrever o motivo do meu atual sofrimento. Na terça-feira, dia 14/11, descobri que estou grávida.
Minha menstruação, até então, estava atrasada apenas 10 dias. O que isso significou pra mim naquele momento? Bom, senti um grande abismo se abrindo e me sugando cada vez mais para baixo. Desde então, já não sei o que significa dormir, comer, estudar, enfim, tudo o que faço tranquilamente e quando não estou fazendo “nada”, eu estou chorando. Fico imaginando as possibilidades, e a longo prazo se eu estivesse vivendo outra realidade, o mínimo diferente que fosse, eu não estaria escolhendo fazer um aborto.
O que tentarei fazer aqui é um relato verdadeiro do que está acontecendo neste momento e mais ainda, tentarei ser o mais racional possível. Como já disse, sou mãe de dois meninos lindos e mesmo o pai pagando a pensão alimentícia para os meninos e morando muito perto de nós, ainda assim, me considero uma mãe que também faz o papel de pai. 
O lema dessa pessoa que se considera pai dos mais filhos é: “eu já pago pensão”. Isso é o que eu escuto basicamente, em qualquer situação, desde chegar da faculdade às 23 horas e perceber que um deles está com febre alta e ligar e pedir que nos leve até o hospital, pois ele tem carro e eu não, e a resposta que eu tenho é: “Eu não pago pensão? Chama o Uber e leva você”. Dentre outros absurdos que não vêm ao caso.
Mas o que isso tem a ver com a atual gestação? Infelizmente, o pai dos meus dois filhos é responsável também por essa gestação. Quando eu conto esse detalhe, geralmente as pessoas riem da situação. Mas não sabem como é ter um relacionamento saudável e sem remorsos, sendo uma mãe solteira. Mesmo assim, estamos separados há 3 anos, e essa foi a única aproximação amorosa que tivemos. Mas ainda assim não é esse o motivo que me leva à decisão de interromper essa gestação. 
Já adianto aqui, são dois motivos que me levam a essa decisão. O principal deles é que em fevereiro, para ser mais exata, no dia 11/02/2018, eu serei uma mulher desempregada. Tenho um contrato de trabalho temporário no IBGE, e nessa data ele se encerra sem a possibilidade de renovação. Serei então uma mãe de dois filhos desempregada e grávida.
Se já é difícil para uma mulher com filhos pequenos trabalhar em nosso país, é impossível uma mulher grávida conseguir um trabalho para qualquer atividade que seja. Seremos três pessoas passando necessidades, não conseguindo pagar meu aluguel sem ter dinheiro para comprar comida e com toda essa dificuldade ainda terei um bebê a caminho. Esse é um cenário que a longo prazo não tenho perspectiva de melhora. 
O outro motivo que tenho é que estou cursando o quinto semestre do curso de Direito, curso este onde eu possuo uma bolsa integral pelo PROUNI e é o passaporte da minha família para uma vida melhor. Continuar com essa gestação significa também interromper por prazo indeterminado a conclusão desse sonho.
Não sou uma mulher irresponsável, estava trocando de uso de um contraceptivo por outro. Como não possuo convênio médico, todo procedimento é feito pelo SUS, onde todo e qualquer procedimento é moroso. Moro na cidade de São Paulo e, pra ser sincera, eu poderia ter ido até a Praça da Sé com 700 reais e comprar o tal do “Cytotec” e ter tomado na minha casa e acabado com tudo isso. 
Diante dessa possibilidade pesquisei o funcionamento e as consequências deste ato. Me entenda, eu nunca estive nessa posição e os relatos que vi foram mais que suficientes para descartar essa possibilidade. O medo do procedimento não funcionar e acarretar má-formação ou o remédio causar uma hemorragia causando a minha morte, e ser levada para um hospital e chegando lá ser levada para delegacia. Não quero ser presa e muito menos morrer. Não parece ser justo comigo. Não estou grávida de 4 ou 5 meses, estou grávida de dias apenas.

Meu comentário: Toda força e apoio a Rebeca. Que mulher de coragem! Dar a cara no meio de um clima tão reacionário como o que estamos vivendo... Ela é a primeira mulher a procurar proteção judicial para realizar um aborto voluntário.
Ministra Rosa Weber, seja uma mulher de coragem você também: permita que Rebeca interrompa essa gravidez de menos de duas semanas e possa continuar vivendo, estudando, trabalhando, dando amor aos dois filhos que ela cuida sozinha. Chega de criminalizar o corpo das mulheres! #PelaVidaDeRebeca

UPDATE: A ministra negou o pedido de Rebeca. Mostrou que não tem coragem. Aliás, faltou tanta coragem que sequer divulgou a íntegra da decisão. 

137 comentários:

Anônimo disse...

Em primeiro lugar Rebeca está sendo USADA como uma espécie de mártir pelo PSOL, ela está sendo direcionada a fazer esse circo, em segundo lugar uma pessoa que já tem dois filhos com um pai ausente e vai e faz outro com o mesmo homem irresponsável, e agora que posar de vítima.

Anônimo disse...

Qualquer pessoas sabe como se engravida, se vc chegar em uma tribo isolada e perguntar: como os bebês são feitos? eles vão te responder exatamente como o processo se dá, portanto essa história de " aiinnnn eu engravidei por falta de informação" não procede, homens e mulheres devem assumir sua responsabilidade.

Anônimo disse...

a) A questao do aborto nao vai avancar pois temos um congresso pavoroso e se nao reagirmos mulheres violentadas serao obrigadas a ter filhos e casar com seus agressores.

b) Lola temos que aumentar a bancada progressista vou votar no Psol para o legislativo e Ciro Gomes presidente

Anônimo disse...

Se Rebecca estivesse cuidando dos filhos e trabalhando, será que este bebê teria nascido?

titia disse...

Sabe, são casos como esse que mostram exatamente se alguém é a favor da vida ou de punir mulheres por terem feito sexo. De um lado temos uma mãe solteira que trabalha, estuda e cuida dos dois filhos praticamente sozinha, porque o bosta do pai acha que cumprir suas obrigações é dar um terço do salário. Uma mulher que quando perder o emprego, se não conseguir outro, vai passar por várias privações, inclusive frio, fome e doença. E que, além disso, vai sofrer vendo os filhos passarem necessidade, chorarem com fome ou crescendo nas ruas, semianalfabetos e expostos a todo tipo de perigo.

Desse lado temos também duas crianças pequenas que dependem da mãe pra comer, se vestir, estudar, pra se tornarem cidadãos saudáveis, bem ajustados e produtivos. Crianças que ficarão desamparadas se a mãe perder o emprego, porque o pai já mostrou que não serve pra muita coisa. Que ficarão COMPLETAMENTE desamparadas se a mãe morrer, porque o pai não vai cuidar. O pai talvez não os deixe morrer de fome, mas com certeza não vai cuidar, dar atenção, proteção, carinho, amor. Que não vai pegar o carro às 23 horas pra levar o filho com febre alta pro hospital, vai enfiar um remédio qualquer goela abaixo do menino e deixa-lo fritar de febre, sozinho, sofrendo e com medo no quarto enquanto paga prostituta e cerveja na balada. Que vai deixar os filhos largados, expostos a abusos físicos e sexuais, vulneráveis à violência e ao aliciamento.

De outro, temos... um punhadinho de células menor que um bago de feijão que não pensa, não sente, não sofre, sequer tem consciência de que existe.

Bote as vidas de Rebeca e dos filhos e a mera existência do embrião na balança. uma pessoa normal e sã, alguém que não seja um merda dum psicopata misógino, um bostinha religioso hipócrita ou um completo desperdício de moléculas de oxigênio cagado por uma pobre coitada que acreditou que estava gestando um ser humano SABE que a vida de Rebeca e dos filhos dela é INFINITAMENTE mais importante que o embrião.

Anônimo disse...

isso vai parar o país. no aguardo.

alícia

Anônimo disse...

Solicitar o sacrifício de uma vida humana concebida, justificando o pedido principalmente por razões financeiras e de comodidade da mãe, soa absurdo.

Mas será interessante ver um posicionamento jurisdicional a respeito.

Isso, se é que será avaliado pelo Supremo, já que não me parece haver controvérsia constitucional, dado que o direito à vida é o bem jurídico que se sobressai ante todos os outros direitos.

Anônimo disse...

Ela procurou problema pra si mesma. Ficou com o cara, engravidou e ele demonstrou q é um bosta, porque só paga pensão e caga pros filhos. E mesmo assim, teve mais um filho do mesmo bosta e tá grávida de novo dele! Pqp!
E n usou camisinha, isso é irresponsável sim. Mas espero que ela consiga o aborto.

Anônimo disse...

Eu acho que quem ganha mais de 8000 por mês é uma Burguesa Capitalista!

A Verdade disse...

As melhores, mais satisfatórias e mais eficientes formas de contracepção e controle de natalidade são a homossexualidade e simplesmente não fazer sexo com homens. Eles nem são bons sexualmente: não sentem empatia pela parceira, são extremamente fixados, obcecados, por si mesmos, seus pênis, suas penetrações, seu próprio gozo, sua performance de "foder"... Além disso eles são perigosos e nada confiáveis, podem ser violentos, agressivos, agressores, estupradores, manipuladores, controladores, podem te usar para se auto-afirmarem de sua masculinidade, muitas vezes expõem sua intimidade para os "parças", saem por aí caluniando e difamando até mulheres com quem eles nem se relacionaram — imagine as que tiveram o infortúnio de se relacionarem com eles. Os homens também são muito chatos, tediosos, não sabem conversar direito e quando não querem só trepar, sem assumir compromisso nenhum nem se responsabilizar por nada, grudam feito carrapato e começam a querer mandar em você e atrasar sua vida. Isso tudo sem falar nas inúmeras doenças e infecções que podem levar até ao câncer e à morte, que os homens transmitem e provocam, porque nem limpar aquele pinto nojento eles fazem direito — precisando de campanhas de saúde pública de incentivo do governo para terem um mínimo de higiene. Enfim, a masturbação e o sexo com outra mulher são infinitamente mais prazerosas e mais satisfatórias emocionalmente e fisicamente e muito menos arriscadas e não são prejudiciais para as mulheres como é o sexo com homem.

Anônimo disse...

Pelo seu raciocínio, sua própria mãe também estava preocupada com outros "afazeres" além de estudar e trabalhar, ou você não existiria. Ou será que sua mãe é a virgem Maria?

Anônimo disse...

Dinheiro é coisa de burguês capitalista, amizade, vamos demolir logo esse sistema!! Inteiro abaixo dessa vez!!!

Anônimo disse...

As desculpas esfarrapadas e desonestas de vocês... já tem gente se manifestando oferecendo ajuda a ela. A casa pró vida imaculada tá oferecendo ajuda psicológica, material e juridica, inclusive ajuda para ela doar o filho se quiser, eles ajudaram outras a doar.
Mas duvido q aceite, já q ta sendo usada pelo psol e o intuito é forçar e aprovar aborto. E como assim, vão passar fome? O pai das crianças é um infeliz, mas paga a pensão.
Por que n fazer campanha para conseguir um emprego, doações? To cansada de ver pessoas pedindo doacoes por varios motivos. O último q vi a garota pediu ajuda pra estudar balé nos eua, um curso de uns 3 meses, pra complementar o q ela já estuda aqui. Ela tava trabalhando, juntando dinheiro, mas faltava bastante e o dia da viagem estava perto, e conseguiu, um bando de gente doou e ela tá lá.
Esse argumento de todos se lixam pra todos é ridículo.


E vocês sempre jogando a culpa toda em cima do homem. Ele é um infeliz sim, deveria cuidar dos filhos e n só pagar pensão, mas vejam bem; se ela viu que ele estava se lixando pro primeiro filho deles, por que teve outro? Pq engravidou de novo do babaca?
O filho deles n tem culpa de nada. E ela ainda diz q n foi irresponsável. Os dois foram, o cara porque caga pros filhos e n se previne pra evitar mais.


"De outro, temos... um punhadinho de células menor que um bago de feijão que não pensa, não sente, não sofre, sequer tem consciência de que existe. "

Provas? Isso é pura especulação, provas de fato, ninguém tem. Mas é fato q é uma vida , se encontrar no estágio de "punhado de células " n muda isso. É só uma das fases do desenvolvimento do ser humano, é um argumento mais desonesto que o outro pqp!

Cindy disse...

Me deu um pouco de medo dessa atitude. O aborto "social" não é permitido. Sei que tem outras condições sofridas, mas tenho receio de que esse pedido feche as janelas já abertas até agora aos abortos já decididos, sabe?
Vamos aguardar para ver.

Vanessa disse...

Não dá pra acreditar que ela teve coragem de ter 3 filhos com esse lixo. Essa história de aborto é complicado. Por um lado, parir sem ter vontade ou condicâo deve ser horrível e por outro lado n deixa de ser uma vida.
Mas é incoerente legalizar pra estupro, doença e risco de vida à mulher e condenar por outros motivos, porque em qualquer circunstância n deixa de ser uma vida. O motivo da proibição é machismo mesmo, deveria ser tudo legalizado.
E eu acho que as feministas deveriam parar de espalhar que todo mundo é mal informado, que os métodos que falham ou q as pessoas tem alergia a camisinha (pelo que eu pesquisei é raro) como desculpa pra irresponsabilidade das pessoas.
Se as pessoas continuarem se recusando a se prevenir direito, esse tipo de situação n vai acabar tão cedo.
Ela falou q estava trocando as pílulas, ok. Mas e a camisinha? Com um verme desses,ela n pensa nas doenças? O cara já deixou bem claro que ta cagando pra ela e pros filhos, ele n vai se importar de passar doença pra ela.

titia disse...

Mascuzada, se vocês se incomodam tanto com a ideia de que mulheres PRECISAM de relacionamentos afetivos e sexuais, que não, elas não viram a virgem santa imaculada nem se tornam assexuada depois de parirem, que elas cometem erros e, em momentos de carência, exaustão emocional, desamparo e solidão, transam com machos escrotos e bostas como vocês, simplesmente não transem com elas. Transem com outros homens, enfiem seus pintos sujos nos rabos uns dos outros e nos deixem em paz.

15:02:

Doar o filho não resolve os problemas que ela terá com a gravidez. Sabe, mulheres grávidas precisam faltar ao trabalho pra fazer pré-natal e consultas; não raro, perdem o emprego por causa disso - e lá se vai o sustento dos filhos, porque um terço de um salário mínimo (que provavelmente é o que pai paga) não é suficiente pra sustentar nem um cachorro. Gravidez pode causar vários problemas de saúde, que incluem mas não se restringem a hipertensão, infecção urinária, diabetes gravídica, insuficiência cardíaca, e no pior dos casos, eclampsia. Ah, e não esqueçamos que tanto gravidez quanto parto podem matar, viu? Sem contar as humilhações e a violência obstétrica.

Campanha? Apostar o futuro dela e dos filhos na solidariedade de gente como você, que está cagando pra ela, que está recriminando a coitada, tratando-a como lixo e tentando humilhá-la? Que não se dispõe a fazer nada pra ajudar, só a jogar a conta pros outros pagarem?

Ela estava usando anticoncepcional. Eu sei que é meio chocante pra vocês mascus, mas... anticoncepcional falha. Assim como o pinto sujo que vocês não encapam...

Um grão de arroz é uma vida, uma folha de grama é uma vida, uma tartaruga é uma vida, um boi é uma vida... e antes que você esqueça, uma mulher e uma criança também são vidas. Vidas que pensam, sentem e sofrem, embora vocês pensem em mulheres como buraco pra esvaziar o saco e em crianças como distintivos da sua virilidade ou porra alheia. Mas essas vidas não importam pra vocês: o que importa pra vocês é o embrião, que deve ser mantido pra punir a vadia por ter transado - mas que depois de nascer é só mais um trombadinha que pode morrer de fome junto com a vadia na rua, não é mais problema seu mesmo.

Agora, sobre essa palhaçada de "Ai, concepção": Humano (Homo sapiens)termo que deriva do latim "homem sábio", ser humano, ser pessoa, gente, é a única espécie animal ainda viva de primata bípede do género Homo. Caracteriza-se por um cérebro altamente desenvolvido, com inúmeras capacidades como raciocínio abstrato, linguagem, introspecção e resolução de problemas complexos. Outros processos de pensamento de alto nível, como autoconsciência, racionalidade e a sapiência, são considerados características que definem uma "pessoa". Cadê a prova de que o bago de feijão é capaz de tudo isso, pra que a "vida" dele seja tão importante quanto a de uma mulher ou de uma criança já nascida que são plenamente capazes desses processos?

Tira a cabeça de dentro da bunda, colega. Você não é o herói dessa história. Você é só outro misógino idiota querendo regular o sexo alheio pq não suporta a ideia de que mulheres gozam. Vai arranjar um homem pra transar e seja feliz com sua vida sexual, assim vc para de querer se meter na dos outros.

Anônimo disse...

O velho argumento de Carola moralista que não transa ou não consegue chegar ao orgasmo e com inveja quer que todas as mulheres fechem as pernas ou sejam punidas com gravidez.
Fof@, uma terapia sexual ajuda, viu.

Anônimo disse...

Exatamente, titia. A preocupação é punir a mulher por ter feito sexo. A vida sexual dessas desgraças moralistas e bregas não é satisfatória. Se estivessem preocupados com a vida de importariam com as duas crianças que já são nascidas e que a mãe diz que serão prejudicadas com a chegada de mais uma. Esse povinho moralista deveria ter sido ser abortado!

Anônimo disse...

Nenhuma lei passa por cima de uma mulher decidida a abortar. Quando ela quer faz e acabou. Devo dizer que também acho que essa mulher tá sendo usada pelo PSOL. Mas se ela quisesse, faria clandestino como todas as outras mulheres. Minha solidariedade a Rebeca. Tanta gente preocupada com o feto, mas nenhum se oferece pra criar. Nem o pai Hipocrisia reina neste país brega.

Rodolfo Abrantes disse...

E impressionante a pessoa já vive uma vida miserável, cheia de dificuldades e privações e ainda por cima arranja mais um filho.

Ela diz que poderia ir na praça e comprar um remédio abortivo, sendo que ela podia ter ido na farmácia e comprado uma camisinha. E até mais barato.

Se a ministra acatar o pedido dela vai abrir um precedente perigoso, toda mulher que se sentir prejudicada, abalada ou sem condições financeiras irar abortar.


Então que se aprove de uma vez o aborto, até lá ele continua proibido então seria um ilegalidade.

Anônimo disse...

Também acho que ela não deveria ter dado para esse cara. Não digo pra fechar as pernas, mas o cara é mesmo um bosta. Como são um monte de merda esses imbecis da bancada da Bíblia.

Anônimo disse...

Um punhado de células não é um ser humano. Isso não é pura especulação, idiota! Ele não sente, não pensa e não sabe que existe. Isso não é especulação, asno! É embriologia. Desonesto foi o teu NÃO argumento.
É tanta gente burra que dá raiva de ler os comentários.

Anônimo disse...

Nas cidades grandes a desinformação é rara, Vanessa. Mas nós interiores atrasados tem mulher que transa em pé pra não engravidar. E isso não é raro não.

Kasturba disse...

Geralmente esses casos chocam e conseguem arrecadar bastante ajuda logo no inicio... Mas você sabia que um filho pra criar dura 18 anos, no mínimo? E que, como ela mesma disse, conseguir um emprego com criança pequena é quase impossível no Brasil? E ainda mais conseguir um emprego, conciliar com estudos e um bebê pequeno. Você já cuidou de um bebê, pra saber quanto tempo e dinheiro demanda? Ainda mais não tendo ajuda do pai, e ainda mais duas crianças pra cuidar?
Se ela estivesse pedindo dinheiro, seria taxada de vagabunda encostada. Como está pedindo somente condições mais favoráveis pra conseguir um emprego e continuar estudando pra melhorar sua vida e de seus filhos, aí também está errada...

Anônimo disse...

Não foi por “falta de informação”. Ela deixou bem claro no texto que é super informada, tão informada que escolheu trocar o método anticoncepcional que estava usando por outro que julgou melhor. A gravidez aconteceu por uma falha do método anticoncepcional que, por mais que muitas pessoas prefiram ignorar, acontece com TODOS os métodos.

Fernanda disse...

Eu sou feminista e totalmente favorável à legalização do aborto, mas tem hora que fica difícil. É cada "argumento", que não dá. Admita que quer abortar porque não deseja o filho e pronto, ninguém tem nada com isso. Direito sagrado seu. Agora, esse tipo de vitimismo só serve pra enfraquecer o movimento e dar mais munição pros "pró-vida".

Já não bastou ter dois filhos com o cara, que, segundo consta, é um traste e a maltrata, ainda transa com ele de novo e sem camisinha?

"... o serviço público de saúde deixou Rebeca [...] sem método alternativo enquanto esperava uma ultrassonografia". Não tinha camisinha no posto, não? E, em último caso, desculpem o palavreado, mas fechar as pernas costuma ser um ótimo método alternativo, amiga! Ia morrer se ficasse sem dar "umazinha" enquanto esperava pelo DIU?

Era só o que faltava, o SUS já anda capengando e mal dá conta do atendimento da população DOENTE, agora ainda tem que dar conta da vida sexual da fofa que não quer ficar sem um vuco vuco... ah, dá licença.

Estudante de direito, ainda por cima, quero ver agora o argumento da "falta de informação" e "falha do método".

Enfim, ainda se servir como um precedente pra outras ações do tipo rumo a uma legalização geral, tá valendo, mas, infelizmente, duvido muito.

Anônimo disse...

Sabe quem não consegue chegar ao orgasmo? A grande maioria das mulheres que transam com homem.

Anônimo disse...

18:45

Tá certo. E esse punhado de células q se forma na mulher quando ela está grávida gera um cabrito depois de 9 meses.


Ô titia, n se faça de besta. Ela trocou a pílula, pílulas falham , mas e CAMISINHA? Uma mulher q faz faculdade nunca ouviu falar nisso? O q a impediu de usar uma?

Vanessa disse...

Concordo com você,Fernanda . O aborto tem que ser legalizado, mas as pessoas tem que tomar vergonha na cara e se prevenir direito. Pra evitar abortos desnecessarios. Ela tinha 700 pra comprar cytotec, mas n tinha 2 dilmas para camisinha?
E é chocante ver como a mulher, de forma geral, aceita qualquer traste sem pensar.

Anônimo disse...

Apenas aplaudindo você e Vanessa. Melhores comentários.

Alicia

Anônimo disse...

Conta outra titia, a mulher tem 2 filhos, emprego e faz faculdade. Me explica como mais um filho vai destruir a vida dela. Parece q ela nunca mais vai conseguir emprego na vida.

E você me surpreendeu, não tinha a menor noção que mulheres continuavam transando depois de terem filho,que usam pílula e que elas falham ... Mas a moça com certeza sabia e nem assim quis ter o trabalho de usar camisinha.

"Cadê a prova de que o bago de feijão é capaz de tudo isso, pra que a "vida" dele seja tão importante quanto a de uma mulher ou de uma criança já nascida que são plenamente capazes desses processos?"

Em nome da causa, vale falar qualquer merda. Tem noção de que o ser humano capaz de pensamentos complexos n existe sem passar da fase do feijão? Isso é um estágio de desenvolvimento antes do nascimento, fingir que isso não tem a menor importância, que não é vida e que não tem nada a ver com ser humano(como a outra falou aí)é ridículo num nível estratosférico.

O resto são seus delírios de sempre. Se ela fizer aquelas vaquinhas online eu ajudo com certeza, muita gente vai ajudar e não passou despercebido vc fingindo que n sabe q a casa pró vida está oferecendo total apoio a ela. Pq o negocio é continuar com a ladainha de que todos cagam e querem q ela se foda com a criança.

Anônimo disse...

E pelo que eu vi no site da casa pro vida, eles ajudam com leite, roupas, cestas básicas, pagam aluguel, constroem ou reformam a casa da mulher se precisar.
Realmente, todos cagam e querem q a mãe e a criança se fodam...

Anônimo disse...

É bem por aí. Outro dia vi um cara no Face contra o aborto até em caso de estupro, falando como se fosse tudo muito simples, "é só dar pra adoção". Como se fosse pouco sofrimento, aff. Daí eu fiquei pensando, no tanto de embrião que existe nas clinicas de fertilização, que com exceção dos religiosos fanáticos, ngm se importa...Pq nesse caso não tem a mesma graça né, não tem mulher pra ser julgada, não tem estupro pra minimizar. E o pior de tudo é ver muitas mulheres apoiando isso. Acompanho uma página que fala muito da legalização e tem muitas mulheres com discurso igualmente nojento.

Anônimo disse...

Ah depende viu. Isso de causar má formação no feto é real, o risco de morte tbm. Eu tenho um filho e entendo esse medo dela, é engraçado mas tbm tomo mais cuidado comigo por medo dele ficar só. Acho que aborto seguro só pra quem tem dinheiro pra fazer num lugar bom, e pelo que parece ela não tem. Mas concordo na parte que ela pode estar sendo usada, pq se esses políticos quisessem arrumavam o dinheiro pra ela. Mas pelo menos ela está dando visibilidade pra algo importante, mostrando a realidade, apesar que quem é contra parece que não tá nem aí pra realidade.

Anônimo disse...

Gente eu até pensei isso por um segundo, mas assim, vcs não imaginam o quanto é difícil pra uma mãe solteira namorar. Hj eu entendo pq muita mulher aguenta traste, algumas tem sorte de ter pessoas na família que ajudam a olhar a criança pra poder ter um tempo livre. Ou qndo o pai presta pra alguma coisa reveza os finais de semana e dá uma folga pra mãe poder ter vida própria tbm. Pra mãe é muito mais fácil levar pra dormir na casa dela o pai dos filhos do que um estranho. Fora que é difícil achar alguém que aceite as limitações de se relacionar com alguém que tem filhos, ainda mais no caso dela que são dois. Não tô falando que é impossível, mas dificulta muito pra quem não tem pessoas próximas apoiando.

Anônimo disse...

Cara camisinha fura. Conheço uma pessoa que a camisinha furou e a pilula do dia seguinte falhou. Apesar que a gente fala isso mas ngm acredita, mas vamos lá...Vi muita gente aqui falando que a moça é irresponsável. Isso por causa de um suposto erro, mas estão ignorando toda a parte em que ela cuida sozinha de dois filhos e ainda faz faculdade. Irresponsável pra mim é quem põe filho no mundo e deixa largado por aí. Ela tá batalhando por ela e pelos filhos, ela não faz um aborto todo mês. Duvido muito que ela vá fazer um aborto feliz e satisfeita, acho engraçado demais esse povo todo tão perfeito.

Anônimo disse...

Essa parte do texto de que "o Estado deixou ela sem opção" não foi a moça que escreveu. No texto dela, ela não deixa claro se usou camisinha, pq camisinha fura. Eu sei que é difícil mas acontece. Aconteceu comigo mês passado, bem na minha semana fértil, eu fiquei bege, corri na mesma hora, tomei pilula do dia seguinte, chorei e morri de medo. Mas tbm não acho que tem que ficar se justificando, falta de condições financeiras e/ou psicológicas pra ter o filho, pra mim já tá de bom tamanho. Só que de qualquer forma, nenhum argumento é válido pros pró nascimento, no fim dá no mesmo.
Agora vamos parar de julgar a moça pelo comportamento sexual dela, isso não combina com feminismo. Para e pensa, vc acha que é fácil pra uma mae de dois filhos se relacionar? É fácil pra ela largar os filhos e ir pro motel com o boy que ela conheceu na balada? Amiga,nem balada nem boy. Provavelmente ficou com o ex pq era mais fácil. Se a mulher põe um estranho em casa e acontece algo aí chamam de louca irresponsável. Só rica que tem babá. E mesmo que não tenha usado camisinha, meu, todo mundo erra. Se for abortar todo mês tbm não concordo, mas poxa ela cuida dos filhos, tá estudando, foi um erro no meio de tudo isso, não precisa crucificar.

Anônimo disse...

Uai. Mas li em um post pessoas dizendo que lei alguma impediria qualquer mulher "fazer" um aborto. ...

Anônimo disse...

Hoje em dia é fácil pôr filho no mundo. Afinal quem criam são os avós. ....

Anônimo disse...

Conheci uma mulher na Alemanha em uma situação semelhante - separada de uma traste, com dois filhos menores, procurando um emprego. Engravidou do namorado. A diferença que ela procurou por um aborto legal e em 4 dias o procedimento foi realizado.
Logo depois encontrou um bom emprego e continuou a prover para os filhos e cria-los.

É ridículo ainda ter que discutir isso: assim como ovos não são pintinhos, sementes não são arvores, mórulas não são seres humanos. E seres humanos já nascidos e em desenvolvimento deveriam ser prioridade! Ponto final.

Porém algo é um fato inegável no mundo inteiro - em alguns lugares mais, outros menos - a tremenda "incapacidade" que alguns humanos tem de pensar meio segundo em sexo protegido. E falo aqui sobre adultos saudáveis, bem informados e com acesso a todos os tipos de contracepção - desde a mais barata camisinha até o caríssimo implante subcutâneo.
Além disso, vamos parar um pouquinho de jogar tudo nas costas das mulheres - encapa esse pau de vocês, merda!!! Uzomi adoram estufar o peito e mandar a mulher fechar as pernas, dizendo que a pobre blástula é uma vidinha, mas encapar o pinto - deuzulivre, eu?? chupar bala com papel???

Quando a prevenção parte dos dois lados muitíssimo raramente o sexo vai terminar em gravidez.

Aborto seguro não deve ser tabu, muito menos crime. Mas deveria ser acima de tudo a última alternativa...

Jane Doe

Anônimo disse...

Principalmente o seu comentário 18:45

Anônimo disse...

Feministas apontando o dedo e recriminando mulher que engravidou e quer abortar... É, estamos mesmo fudidas.
Vem, meteoro!!!!!!!

Viviane disse...

Até quando temos razão é preciso saber argumentar. Por isso, concordo com Fernanda, Vanessa e outr@s que disseram que essa ação judicial é um desserviço à causa.
É mais ou menos como aquela tentativa de usar a epidemia de zika como argumento: acaba se virando contra as mulheres, tachadas de "desalmada".
Confesso a vocês que fui me tornando favorável à legalização do aborto devido as leituras de blogs feministas (incluindo este). Eu não faria (e já passei pela situação de engravidar sem querer e me desesperar), mas justamente por saber que é uma decisão muito pessoal e difícil, não creio que tenhamos o direito de julgar quem faz.

Anônimo disse...

Embora muitos ministros concordem com ela, acho que a possibilidade de uma decisão favorável nesse caso é zero (como de fato foi). Como advogada eu espero que ela tenha sido bem orientada nesse sentido já que a exposição num caso desses vai ser terrível para ela e para o futuro bebê que assim que aprender a ler vai descobrir que a mãe entrou com essa demanda.

Anônimo disse...

Por causa disso que o brasil está uma merda, as piores pessoas estão se proliferando enquanto que as mais estudiosas não estão tendo filhos. Aborto para essa patota de ignorantes já!

titia disse...

18:34 é exatamente isso. Se as pessoas desse país realmente se preocupassem com a vida, não haveria tantas crianças abandonadas, em situação de extrema miséria, maltratadas, estupradas e mortas como temos por aí.

23:18 não o punhado de células em nove meses gera outro ser humano. Mas até lá punhado de células NÃO é um ser humano. É só um punhado de células. Embriologia passou longe de ti, hein, amigo?

E pessoas cometem erros nessa vida. Acontece. Ao invés de reclamar da Rebeca, reclame com o traste que não usou camisinha. São vocês que tem pau, então vocês é que deviam se preocupar em ter e usar camisinha sempre. Ou vocês são tão incapazes, idiotas, descerebrados e infantis que até dos seus paus as mulheres é que tem que cuidar? Querem que a gente limpe suas bundas e passe talquinho também?

A quem está esbravejando pela Rebeca não ter usado camisinha: sim, mulheres costumam aceitar qualquer traste. Somos educadas, treinadas, adestradas pra isso desde pequenas. Somos acossadas de todos os lados pra aceitar traste e abuso de homem, somos encurraladas socialmente desde crianças, e não se rompe com toda essa programação machista de uma hora pra outra. As senhoras que são feministas mas se depilam, usam maquiagem, saltos ou pagam fortunas num salão de beleza sabem disso, eu inclusive. Não uso maquiagem nem pago fortuna em cabeleireiro, mas eu me depilo. Isso é programação machista? Sim. Eu sei? Sim. Consigo romper? Não. Do mesmo jeito que as senhoras não conseguem romper definitivamente com alguma coisa. E se romper com essas coisinhas já é difícil, imagine com programações voltadas pra conter o gozo feminino, o maior terror da sociedade patriarcal! O que se passa com a sexualidade feminina nesse país é simplesmente castração sem faca. Se vocês já conseguiram romper com isso, ótimo, maravilhoso. Fico genuinamente feliz com isso. Mas lembrem que ainda tem mulheres que não só ainda estão mentalmente presas numa ideologia machista quanto estão cercadas por uma sociedade disposta a usar até mesmo de violência pra mantê-las nessa 'linha'. Não é difícil entende-las; é só se lembrarem de como vocês mesmas eram antes de conhecer o feminismo.

Anônimo disse...

E se a mulher não tiver atração por outras mulheres? Faz o quê? E quem falou que certas relações homossexuais não podem ser tambem abusivas?

Anônimo disse...

Quem viveu os anos 1990 deve se lembrar do famoso escândalo das pílulas anticoncepcionais de farinha da Microvlar. Quem pode garantir que isso não possa estar acontecendo de novo? Problemas de fabricação, de controle de qualidade ou na fé acontecem. As pessoas tomando anticoncepcional achando que vão estar protegidas mas não??

Anônimo disse...

Engravidei minha namorada, mas não tive culpa. A camisinha estourou e a pílula do dia seguinte falhou. Ela quer ter o filho mas eu não. Não me levem a mal, não sou irresponsável, mas estou estudando na faculdade de Direito com bolsa do Governo e vivo com o dinheiro do meu estágio, que é uma merreca. Não tenho como pagar pensão. Vou pedir ao STF que me conceda o direito de abrir mão da paternidade de forma legal, de maneira a não precisar registrar a criança em meu nome, nem pagar pensão.

Anônimo disse...

E o pai?
E o pai?
E o pai?
E o pai?

E o pai? Nada. É capaz de não alterar um centavo a pensão alimentícia.
Se fosse eu, paria e entregava a guarda dos três filhos pro pai e ficava eu pagando a pensão.

Vamos trocar as figurinhas pra ver se continua tudo tão bom assim.


Anônimo disse...

Olha, ao ler este texto só posso concluir uma coisa: mesmo sabedor do sofrimento das mulheres, perpetrados por homens, noutro giro, causa perplexidade a incapacidade de algumas mulheres na gestão de sua própria vida. A mulher já teve dois filhos, oriundos desta relação desgraçada e ainda assim, faz sexo com o ex cônjuge. Ao que parece, ela não foi obrigada a praticar tal ato e, por conseguinte, não percebemos no caso em lide, que o machismo tenha contribuído, já que ela é livre pra fazer o que quiser e assim o fez. Destarte, qual seria a explicação para tamanha sandice por parte de algumas mulheres?
Com raríssimas exceções, muito do sofrimento feminino, no campo das relações amorosas, advém das escolhas feitas por elas mesmas, as quais acarretarão consequências danosas. Neste caso específico, foi escolha dela continuar nesta relação. Seria a mulher um ser incapaz de avaliar riscos, desprovida da capacidade de analisar parâmetros para uma tomada de decisão segura e por isso seria mais suscetível à violência?
Só a guisa de exemplo, é estarrecedor saber que mulheres correspondem com indivíduos presos e mandam cartas pra estes em suas celas nos presídios! Como isso é possível??? Indivíduos que estão ali por serem , assassinos, ladrões, gente da pior estirpe e que alimentam a fantasia de mulheres. É de dar asco!

Anônimo disse...

A decisão de fazer um aborto é um ato de amor. Amor pelo filho a ser desassistido pelo pai, violado pelo Estado, negligenciado pela família. Dói muito, mas muito, ver um filho em situação precária e pouco poder fazer.
Já os pró-desgraça, ops, pós-vida, gostam, alimentam-se de observar a tragédia alheia, abutres carniceiros, moralistas arrogantes que acham que podem julgar e definir o que uma mulher deve fazer da sua vida.
De que lado o judiciário está? De que lado você está?
Que vergonha.
Fabi

Anônimo disse...

Com certeza, última alternativa. Mas pra mim é uma decisão totalmente pessoal, é complicado isso de ficar julgando quem é irresponsável e quem não é. Em muitos casos existe irresponsabilidade sim, mas em outros acontece de uma pessoa que sempre se cuidou ter um momento de deslize. E justo nesse momento acontece, daí as pessoas querem que a mulher passe o resto da vida pagando por esse erro ou que ela tem que ficar ouvindo o quanto é irresponsável pra sempre. Enquanto muita gente aí fica pagando de família margarina mas não tá nem aí pros filhos. Pra mim esses que ficam batendo no peito e querendo dar lição de moral nos outros são os primeiros a fazer as coisas por debaixo do pano, pq todo mundo faz merda, e na hora que acontece a vergonha deles é muito maior. E se a pessoa é irresponsável do tipo que não tá nem aí pra nada, sei lá, não entendo pq tanta gente quer que esse tipo de pessoa tenha filhos.

Anônimo disse...

Nossa, verdade né, tipo, "sou a favor do aborto" mas nesse caso blá, blá, blá...Ta igual os machistas falando, "não suporto ver homens de mao dada, mas não sou homofóbico, tenho vários amigos blá, blá, zzz...

Anônimo disse...

A ministra seguiu a lei, assunto encerrado.

Anônimo disse...

De Rosa Weber não dá para esperar corgaem, maaas as leis do país não permitem aborto nesse caso, portanto, queriam o que?

Anônimo disse...

Olha, vamos lá. Eu sou mãe solteira, tinha um relacionamento sério que era tudo de bom, até eu ficar grávida por descuido e o cara se transformar. A maioria dos homens acha que a vida da mulher acabou qndo engravida, e assim ele pode fazer o que quiser. Me separei do "traste" e nunca mais quis saber dele, mas nem por isso fico batendo no peito que sou fodona, sabe porque? Pq eu tenho uma família maravilhosa que me ajuda muito e minha mãe olha meu filho uma vez por semana pra eu ter um dia pra sair, já que o "traste" só aparece qndo quer. Veja bem, quem cria sou eu, é um dia por semana que faz toda a diferença na minha vida e do meu filho que fica em total segurança. Eu fico pensando como deve ser a vida da mulher que tem filho e não tem ninguém pra ajudar, eu tenho certeza que se não fosse o apoio da minha família eu tbm tinha voltado com o "traste" que ficava no meu pé, pq passei por muitos momentos de solidão e ficava confusa.
Agora sobre essas mulheres que vão atrás de bandido ou homem que maltrata tbm não entendo, mas procuro não julgar. Não sei vc já leu mas segundo a psicologia, mulheres que sofreram maus tratos da família ou que cresceram em lares desestruturados tem mais chance de reproduzir isso na vida adulta, enquanto os homens que passam por isso têm mais chances de se tornar violentos, por questões biológicas. Não acredito que seja tão simples achar que uma pessoa sofre pq gosta. Enfim...

Bruna de Oliveira disse...

"mas o método anticoncepcional não funcionou!"
Usasse camisinha e não transasse com l traste.
"Mas vc sabe como é difícil pra mãe solteira se relacionar com homens e namorar?"
Compra um vibrador então.
Ela foi irresponsável e ponto.

Anônimo disse...

Caro acéfalo, veja como sua história é uma bosta como vc: vc está querendo abandonar uma CRIANÇA, já com vida, nascida!Entendeu? A mulher, ao abortar, NÃO tem a criança. O monte de celulas NÃO vira feto e criança, certo? Burro.

Sofia disse...

As vezes leio comentários aqui e não tem lógica, penso que não pode ser uma mulher, deve ser um homem bem troll comentando aqui.

As pessoas não tem empatia pelo próximo, é muito fácil julgar o outro do lugar onde estamos mas sem vivenciar a realidade dele. Na grande maioria dos casos em que existe divórcio e tem filhos menores envolvidos a responsabilidade recai toda em cima da mãe (isso eu vejo todo santo dia no escritório de advocacia em que trabalho), são mães que dão o sangue para criar os filhos enquanto a maioria absurda dos pais acredita que visitar uma vez por semana, pagar R$ 200,00 de pensão e levar a criança pra comer uma pizza já tá fazendo tudo que podia e até mais..

A legislação prevê que a obrigação, os deveres perante os filhos (poder familiar) são de ambos os pais, portanto eu não sei de onde alguns homens tiram a ideia de que a mãe deve se virar sozinha.

Já vi tudo quanto é caso, até homem que batia na ex - esposa e no filho e depois colocava a culpa nela pelas agressões, alegando que ela estava maltratando a criança.

As pessoas não compreendem, é tudo muito difícil. Não é só colocar comida em casa, quando se diz respeito a criança, (muitos pais e mães aqui vão saber do que estou falando) trata-se ainda do dever de prestar carinho, amor, educação, conviver com os filhos, e isso se torna muito mais difícil quando você é uma pessoa só, imagina a guerreira que a Rebeca é, estuda e trabalha (só quem faz um curso superior e trabalha sabe o que é), cuida de duas crianças.

Então independente do que digam essa mulher é uma guerreira pela coragem, e pela batalha que deve vivenciar no dia a dia. Espero que dê tudo certo pra ela e que algumas pessoas deixem um pouco de analisar as coisas utilizando como parâmetro a bolha em que vivem, e passem a olhar mais para o próximo ao invés de destilar ódio pra todo lado.

titia disse...

10:01 não acontece só com mulheres. Suzanne von Richtoffen e Casey Anthony receberam várias cartas de homens na cadeia. David Keller casou com Katherine Knight mesmo com a mãe DELA avisando que Knight o mataria se eles casassem - e ela tentou mesmo mata-lo, logo na noite de núpcias. John Price casou com Knight mesmo sabendo que ela tinha quase matado o primeiro marido. A serial killer Juana Bazarra casou-se aos 56 anos na cadeia. Fascinação com gente ruim acontece com homens e mulheres. Aqui tem um texto com várias teorias sobre o assunto:

http://oaprendizverde.com.br/2015/07/25/admiradoras-de-serial-killers-mulheres-que-amam-psicopatas-assassinos/

E um detalhe especial dessa reportagem, é que ela fala de um homem que tinha o mesmo tipo de fixação por serial killers, um cara chamado Jason Moss.


01:12 leia o comentário que eu publiquei mais acima e o comentário da Jane Doe. Enquanto seu argumento for "Você está delirando sua feminazi comedora de criancinhas" só o que você merece é desprezo.

donadio disse...

"Por causa disso que o brasil está uma merda, as piores pessoas estão se proliferando enquanto que as mais estudiosas não estão tendo filhos. Aborto para essa patota de ignorantes já!"

Vergonha alheia de ler semelhante estupidez.

Anônimo disse...

Não amiga é só as pessoas pararem de cuidar da vida dos outros em uma coisa que não te afeta em nada.

titia disse...

Bruna, às vezes não é uma questão apenas de gozar, essas mulheres querem um relacionamento. Por mais superficial que seja, elas precisam do contato com outro ser humano, da interação, da conexão que as pessoas tem quando transam. Carência e adestramento social fazem com que as mulheres cometam erros; querer usar algo tão sério e importante quanto a maternidade pra puni-las demonstra não só um imenso desprezo pela condição humana (porque, sabe, seres humanos erram e isso não precisa ser o fim do mundo) mas também pelas crianças e pelo futuro da nossa sociedade.

Rafael Cherem disse...

Parabéns para quem nunca erra, nunca desliza, nunca toma uma decisão errada, nunca cede a desejos, parabéns mesmo! Digam para nós mortais, como conseguem viver em tanta perfeição, qual o caminho a seguir, juro que nem nos atos dos apóstolos eu consegui descobrir esse caminho.

A mulher errou, o sujeito lá também, alias o camarada pelo relato da Rebeca, vem errando à alguns anos já, ELE deveria ter pensando nos filhos, ou evitando a relação ou usando o preservativo já que não e homem o suficiente para sustentar e cuidar os filhos que já tem.

Vejam, se ELA chegou nessa atitude é justamente pela falta de apoio DELE, fosse o cara um HOMEM de verdade ela saberia que teria apoio.

A atitude é extrema, é uma medida desesperada, mas já ouviram o ditado sobre situações desesperadas? Então é isso.

A vida é isso ai, fôssemos um país civilizado, era não passaria por isso, mas somos um país onde questão de saúde pública é tratada por padre maluco em pleno Senado.

Talvez seja melhor essa criança não vir ao mundo nessa terra.

Anônimo disse...

Esse perfil de mulher de periferia que acaba se relacionando com trastes só para ter relacionamento é algo desprezível porque elas acabam destruindo suas próprias vidas e qualquer esperança me ascenção financeira ou social. Mas acho que a maior parte das pessoas querem que esse tipo de gente sofra as consequências porque seria um tipo de "aprendizado", em que um ser não cometiria o mesmo erro duas vezes, o que não acorreu nesse caso já que ela foi estúpida o suficiente para errar na terceira vez.

Anônimo disse...

É vergonhoso e estúpido, mas mesmo assim é o que acontece na realidade. Reafirmo: os mais estudiosos e responsaveis tem menos filhos enquanto que estão em piores condições tem mais. Não apenas no brasil, mas se compararmos a natalidade do Canadá com a Índia é óbvio, e até mesmo em uma comparação histórica do número de nascimentos de 50 anos atrás (um brasil mais pobre) com o atual.

Vanessa disse...

Entendam de uma vez, n é questão de tacar pedras porque ela errou. Num país onde aborto n é legalizado, é insano continuar com a ladainha de "vc n fez nada errado, acontece, a culpa é dos métodos contraceptivos q falham!".
Isso está longe da verdade. E quem se fode é a mulher, sempre. As pessoas tem que ter um mínimo de responsabilidade.
Ninguém acho estranho tanto gente jurando q engravidou se protegendo direito, mesmo com a porcentagem mínima de falha?
Tem algo errado aí. Ou as pessoas mentem ou estão vendendo pilula estragada e camisinha furada.
Além de tentar legalizar aborto, é muito importante fazer as pessoas enxergarem que tem q se proteger de verdade. Isso n é brincadeira, olha situação dessa mulher, ela está ferrada!
Agora ela vai ser obrigada a ter o filho ou se arriscar com o remédio.

Anônimo disse...

No budismo se diz que o sofrimento é inevitável. Penso que pode ser evitado sim: faz o aborto. Evita de por no mundo mais um ser humano para sofrer (poderia ter-se evitado mais sofrimento ainda, não ter tido relação sexual com o traste em questão). Mas oq está feito está feito. Não desejo o sofrimento para ninguém e nem julgo ela. Cada um deve se responsabilizar por seus atos. Por isso, deve ter o direito de ser responsável por si mesma e decidir se vai ter o bebê ou não.

Algumas tribos indígenas sacrificam os bebês que nascem com algum defeito. Eles entendem que esse bebê futuramente podem não ter condições de levar um saudável e feliz, e até mesmo podem prejudicar a comunidade. Penso que eles estão certo.

Também sou a favor da eutanásia. Se uma pessoa leva uma infeliz e de sofrimentos, ela deve ter o direito de escolher em acabar com isso.





Anônimo disse...

Sexo com o ex foi estúpido? Falta de proteção de ambos os lados, uma vez que ela estava entre troca de AC e o bonito não se deu o trabalho de emborrachar o pau? Não parar pra raciocinar antes de fazer sexo é de uma imbecilidade imensa?
É. E nem precisa ser muito esperto pra notar isso...

Porém pessoas erram e como eu disse antes, existe uma resistência imensa quando se trata de sexo seguro e de procriação. Parece um bug no sistema na maioria esmagadora dos humanos, a tela fica azul, "o Windows encontrou um erro fatal e será desligado".

O que eu vi nos comentários, não só desse post, mas SEMPRE que o tema é aborto, maternidade e sexualidade feminina é um julgamento injusto, sem chance de defesa com a execução da pena mais severa e desproporcional possível.
Não se trata de discutir sexo seguro, ou como diminuir o número de gestações indesejadas/não planejadas, de como reparar o "bug no sistema". Se trata ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE - qual é a maneira mais brutal de punir a puta que abriu as pernas?

Agora eu pergunto - quantos abortos esse método evitou? Quantas gestações foram prevenidas? Como isso diminuiu a gravidez na adolescência? Como isso fez pessoas serem pais mais responsáveis? QUANTOS HOMENS PASSARAM A USAR CAMISINHA?

Jane Doe

Denise disse...

Eu tive muita dificuldade de engravidar. Demorei anos e felizmente consegui e tive um lindo filho (apesar de uma gravidez pavorosa). Agora estou na reta final da segunda gravidez. Como mãe e grávida posso dizer: PUTA QUE PARIU que mundo de merda esse em que as mulheres tem que ser punidas por fazerem sexo! Dane-se se ela podia ter usado camisinha ou não, dane-se se tem condições de criar essa criança ou não, mulher não é incubadora humana e não deveria ser obrigada a passar 9 meses (10 na verdade, porque na maioria dos casos a gravidez dura entre 40-42 semanas) sofrendo uma mudança absurda no seu corpo e no emocional, e depois carregar a vida toda essa responsabilidade de criar um filho. Só mesmo um homem que não tem ideia da dificuldade que é gerar e parir uma criança, ou pessoas que cagam pros filhos e não tem o mínimo remorso em negligenciar uma criança, ou então seres com absoluta falta de empatia pra querer obrigar uma mulher, pelo motivo que seja, a ter um filho que ela não quer.

Tantas mães que eu conheço que mesmo tendo desejado muito ter um filho sofrem um baita choque de realidade, entram em depressões seríssimas, levam anos para se recuperar, e isso tendo ótimas condições financeiras, um parceiro pra ajudar a criar os filhos, uma vida estável. Imagina no caso da Rebeca, que está a beira de ficar desempregada, tem um ex-marido de merda, já vive em penúria financeira e está a beira de um colapso nervoso justamente porque é uma pessoa de bem que quer o melhor pros filhos e óbvio que teme pelo futuro incerto.

Eu sou absolutamente contra o aborto, acho sim que existem várias formas de se prevenir uma gravidez, acho que tem que existir programas pesados de planejamento familiar, fico muito triste quando ouço histórias de amigas que fizeram um aborto (apesar de guardar pra mim a minha tristeza). Mas a minha visão pessoal de forma alguma pode impor a outra mulher que ela seja uma incubadora humana! Absolutamente imbecil o argumento de “ah, mas depois que nascer é só colocar pra adoção”, isso só pode sair da boca de alguém que 1) não passou por uma gravidez, muito menos uma gravidez de risco; 2) tem absoluta falta de empatia, beirando a psicopatia.

O pior é que as mesmas pessoas que são contra o aborto são contra educação sexual nas escolas, são contra direitos humanos, cagam para crianças pobres, ou seja, um bando de hipócritas! Vão cuidar da própria vida e deixem o corpo das mulheres em paz!

Anônimo disse...

Divulgou sim e a argumentação para negar a autorização foi extremamente óbvia para qualquer estudante de Direito diga-se de passagem. Quem entrou com essa ação reprovaria lindamente na segunda fase da OAB.

Kasturba disse...

A história e os comentários me lembram uma historia recente que passei. Uma amiga começou a se relacionar com um "homem de bem" evangélico pró vida e etc, que lhe disse que estava noivo mas s estava esperando a noiva vir visitá-lo na sua cidade para terminar o noivado. Pouco depois essa amiga descobriu estar grávida, e ficou até feliz, pois amava esse cara (eles se conheciam há vários anos, com uma historia complicada, e finalmente estavam juntos). Seria difícil assumir pra família uma gravidez, visto ser recém-separada de seu marido (certamente seria taxada de piranha e tudo mais, por ter acabado de se separar e aparecer gravida de outro), mas ela tinha certeza que esse homem, o "amor da sua vida", lhe daria todo o apoio necessário, e teriam uma família feliz. Pois bem, tudo o que o "homem honrado pró vida" fez foi dizer pra ela abortar, e dizer que não ficaria com ela. Ela não queria abortar, mas também não queria passar pela barra que seria enfrentar a família, a filha, o ex marido, os amigos, uma gestação e criar uma criança sozinha. E fui eu, a "feminista pró-aborto sem coração" que ouvi seus medos, conversei sobre todas as opções, apoiei e lhe dei forças, sem julgamentos. No final da história, decidimos que ela esconderia a gestação enquanto pudesse. Depois viria para nossa cidade, meu marido se registraria como pai biológico, ela abriria mão do pátrio poder, e eu adotaria a criança futuramente. Ambos "feministas malvados", estávamos dispostos a sermos pais e criarmos com todo amor essa criança, enquanto o nojento do dono do semen, evangélico, militar, homem honrado e de bem, pro-vida, tudo que fez foi abandonar uma mulher desesperada à própria sorte, com um filho seu na barriga.

Infelizmente (ou talvez felizmente, não sei bem), ela acabou sofrendo um aborto natural, após tanta tensão...

Anônimo disse...

Por isso tudo é que mulher tem que ser "puta veia" porquê quem se fode toda é ela.Eu sou mulher e agora estou num relacionamento sério mas antes diz muito sexo casual e SEMPRE me previni,como até hoje aos quase 40 o faço. Sou boba? Eu sei que a prejudicada,a julgada e a pura vai ser eu.Mulher tem que fica muito mas muito esperta.A sociedade está se lixando pra gente.País subdesenvolvido abrir um precedente desse? Fico preocupada uma vez que se a prevenção não é o fim,o aborto seria o meio.

Bruna de Oliveira disse...

Escuta,quem quis expor na mídia foi ela. Segundo, me meto sim, feminista não gosta de ficar se metendo em jogos (que elas não jogam), filmes (que elas não assistem) e HQs (que elas não lêem)? Então, AMIGUINHA, vou comentar sim e foda-se.

Anônimo disse...

Como assim q o único responsável pela camisinha deve ser o homem? Se o cara n quiser, a mulher aceita assim mesmo? Sabendo q ela é q vai se fuder? A decisão da mulher n deve depender do q o homem quer ou n.
Aí a culpa é dos dois.

Anônimo disse...

Vanessa faz as contas, um por cento em milhões de pessoas dá gente pra caramba. Fora que qualquer desvio no uso correto aumenta essa porcentagem, por exemplo se não coloca a camisinha direito, se toma a pilula e tem uma diarréia etc. É ÓBVIO que não é só por falha de anticoncepcional que o povo engravida. Mas tem que falar disso pra mostrar que qualquer um pode ser pego de surpresa. Mesmo a pessoa que se cuida, mesmo com uma chance minima pode acontecer, por isso não é bom, principalmente mulheres,ficarem criticando umas às outras.Pq se amanhã isso acontecer com vc tbm vão te apontar o dedo. E qnto a quem é totalmente irresponsável e sai por aí transando sem proteção...eu só consigo pensar que não tenho nada com a vida dessa pessoa. Ela tá arriscando a própria saúde. Se engravidar não sou eu que vou parir e cuidar da criança, então acho que o melhor a fazer é cada um cuidar da própria vida.
Ah não ser no caso de se falar em educação sexual, aí sim. Mas pra ficar simplesmente apontando dedo na cara, tô fora.

titia disse...

Kasturba também vi um típico caso de hipocrisia 'pró-vida' na família. Minha avó, religiosa, trabalha de vez em quando no sopão da igreja católica que frequenta. Todo domingo vai pra missa, junta doações, ajuda nos eventos solidários e no sopão, mas na hora de botar a mão na massa... uma mulher, viciada em crack que costumava aparecer lá no sopão, apareceu grávida. Mendiga, morava na rua, tudo que conseguia era pra comprar pedra. Minha avó veio com todo aquele papinho de 'pró-vidismo', vidinha, fetinho, anjinho do céu que quer viver, mimimi, terminando com o velho 'deixe nascer e dê'. Aham. Certo. Com certeza o filho de uma mulher negra, pobre, usuária de crack cujo pai provavelmente era outro usuário (e talvez fosse bandido) seria adotado na hora.

A mulher disse então que ia dar o filho pra ela criar. Imagina o desespero em que minha avó ficou. Ela, funcionária pública aposentada, classe média, com casa de campo e que já viajou até pra Europa, criar filho de mendiga preta viciada em crack? Perdeu o sono de medo. Em nenhum momento ela pensou em ajudar a moça, não pensou nem mesmo em encaminhá-la a um tratamento, só pensava em como se livrar do encargo. Então a mulher sumiu por uns dias e, quando voltou, tinha feito o aborto. Minha avó só ficou choramingando e lamentando "Ah, por que você fez isso? Que desgraça, era uma vida, como você pôde fazer isso?". Mas na hora em que foi chamada a agir como quem é a favor da vida mesmo, ela só pensou em como tirar o dela da reta. Nunca é realmente pela vida; é só pra castigar a mulher por ter feito sexo.

00:37 é a mulher pode dizer não e ir embora. Mas você acha que nenhum homem vai simplesmente agarrar a mulher à força e estupra-la se ela disser não? Você acha que nenhum homem vai fingir que concorda e, no meio do ato, tirar a camisinha sem a mulher ver pra poder gozar dentro? Essa de tirar a camisinha no meio do sexo, aliás, é a nova moda entre os escrotos, eles inclusive criam fóruns online pra trocar dicas e técnicas de como fazer isso. Que tal você evoluir um pouco e parar de fazer o mesmo que todo mundo faz? Comece a cobrar os homens pra fazer a parte deles, afinal, se não fosse por eles nenhuma mulher teria que se preocupar com gravidez indesejada.

Ah, obrigada por deixar cair a máscara, mascu Bruna. Valeu mesmo, adoooooro quando máscaras caem. Muito agradecida por mostrar a sua verdadeira cara - que é muito feia, aliás - e a sua falta de caráter e maturidade na internet pra todo mundo ver. Agradecida.

Anônimo disse...

Eu pensava, ingenuamente, que um blog feminista tinha o objetivo de ajudar , empatizar e apoiar quem está precisando .
Mas me enganei .
Pelo visto tá cheio de gente perfeita, Santa e cheia de virtudes aqui , que NUNCA erra, que NUNCA fez merda da vida .
Ela cometeu o erro de transar com o ex - parceiro ( que pelo que ela conta não presta ) . Cometeu o erro de “ não esperar uma semana para dar para ele enquanto aguardava o SUS resolver o método anticoncepcional dela “ . Cometeu o erro de não usar camisinha nem pílula do dia seguinte . Cometeu o erro de aceitar a imposição do macho de não usar camisinha , para ele não se sentir “ chupando bala com papel “ ( as três últimas estou supondo , porque ela não afirma nem conta ) . E DAI??? Em qualquer país civilizado ( com os quais os reacas adoram nos nivelar por baixo ) , ela teria o direito de fazer o aborto seguro , quaisquer que fossem os motivos ou as merdas que ela fez .Pensei que o intuito desse post e a nossa luta fosse por isso ; mas pelos comentários que li aqui to vendo que tá um festival de atirar pedra na moça .
Eu sou médica, e já vi casos (um recente ) de mulher que usou o DIU Corretamente ,fez todas as revisões , e engravidou . “ não se preveniu, “ né ? “ fez sexo enquanto deveria estar amamentando o bebê “? Ou ela merece mais a nossa solidariedade só porque “ se cuidou direitinho “ e a Rebeca não ? Pra mim tá muito claro, TODAS merecem a mesma empatia , o mesmo apoio e a mesma solidariedade .
Se ela “ deveria ter mais auto estima “, “ mais cuidado consigo mesma “, não é da minha conta, ou se é , o máximo que eu poderia dizer é para ela fazer uma boa terapia e trabalhar essa auto estima , para não cometer o mesmo erro no futuro . É muito comum , aliás, as mulheres persistirem no mesmo erro e fazerem a mesma burrada por anos seguidos, voltar para o mesmo ex, seja por carência ou seja por qualquer outra coisa ,
Se as pessoas fossem tão perfeitas , tão santas como muitas aqui estão querendo que sejam, acredito que se poderia extinguir as faculdades de psicologia e a profissão de psicólogo, a residência médica de psiquiatria e as medicações para depressao .
Eu mesma já fiz muita merda . Uma vez comentei aqui ( em anônimo, porque não sou trouxa ) de uma burrada que fiz anos atrás e que jamais farei ou desejo pra vida de outra mulher; teve gente aqui que só faltou querer descobrir onde moro pra me apedrejar ou me fazer uma tatuagem com ferro em brasa pra ficar marcada o resto da vida . Eu heim, aprendam a se por no lugar da outra , aprendam que somos seres humanos, passíveis de erros e acertos ..
( segue em 2 partes pq ficou longo )

Maria Valeria

Maria Valéria disse...

2a parte
Como disse , eu mesma já fiz muita merda na vida . Há três anos tomei uma decisão, de ser mais racional, mais seletiva, de cuidar mais de mim, da minha vida, para não entrar mais em furadas . Não posso garantir que por essa decisão , nunca mais farei merda na vida, mas as chances diminuíram bastante ; e por enquanto só tomei as decisões mais corretas ( dentro das possibilidades ) . Só que essa foi uma DECISÃO RACIONAL, que tomei num momento em que me dei conta que não adiantava mais ficar em frangalhos, implorando para que a pessoa X, Y , Z, retribuísse o meu amor do jeito que eu esperava ou pelo menos que não agisse comigo como se fosse um canalha . Resolvi cuidar de MIM. Essa decisão , como qualquer outra, doeu, doeu crescer, amadurecer, largar algumas coisas para trás que eu achava “ prioridade” ; hoje três anos após ainda não estou cem por cento recuperada, mas garanto que estou muito feliz por saber que tomei a decisão correta e por estar colhendo HOJE, TRÊS ANOS APÓS, os frutos de uma decisão tomada há tanto tempo. Com todos os perrengues, e dificuldades de ter começado tudo do zero , que não foi nada fácil .
Espero , de coração, que a Rebeca consiga um dia agir mais pelo racional do que pela emoção e pelo momento ( pelo post ficou a impressão de que ainda age pelo momento, pelo impulso ) ; mas jamais vou apontar o dedo , julgar, criticar, já fiz muita cagada na minha vida para falar da vida dos outros . E eu ajo pelo racional, mas nada garante que um dia não faça besteira de novo. Só fiquei bem mais atenta , nem mais seletiva e as chances de errar feio são bem menores, mas nada garante que eu acerte sempre
Sobre a parte legal , se abre precedente, não vou comentar ; pois não tenho conhecimento do assunto . Só vou dizer que queria que o Brasil fosse mais avançado nesse sentido e legalizasse o aborto seguro no primeiro trimestre . Fim .

Maria Valeria

titia disse...

E não esqueçamos que mesmo nas grandes cidades brasileiras ainda tem muita ignorância a respeito do assunto. Um dia li uma matéria online sobre criminosos que transmitem AIDS propositalmente e vi, nos comentários, gente dizendo que sexo oral não transmitia AIDS, ou tinha menor chance de transmitir (a chance é a mesma da penetração vaginal) e gente dizendo que AIDS era doença de gay, de promíscuo (sim, a matéria era sobre a comunidade gay; um caso foi um encontro casual e os outros, estupros), falando que se não fosse a "imundícia sexual", as "práticas antinaturais" isso não teria acontecido.

Em um site de aconselhamento pra adolescentes que eu frequentava quando mais jovem, vi todo tipo de absurdo: gente perguntando se ducha vaginal com coca cola servia como anticoncepcional, dizendo que não engravidava porque o namorado tirava e ia gozar no canto do quarto, querendo saber se transar em pé ou na primeira vez engravidava (pra quem acha que só no interior é que ainda acreditam nessas besteiras), pensando em fazer só sexo anal pra não ter que usar camisinha (como se DSTs não fossem transmitidas por sexo anal também), querendo saber se pode tomar pílula vencida, perguntando se duas pessoas sem HIV pegariam AIDS se transassem sem proteção, enfim, a ignorância era brava. Mas normal, uma vez que ninguém orientou esses garotos e garotas antes.

E como é que isso muda? Com educação. Com alguém sentando com adolescentes e jovens e ensinando as coisas. Até hoje tem gente que não usa camisinha do começo ao fim das relações porque acha que o líquido lubrificante masculino, aquele que sai antes da ejaculação, não engravida. Que não sabe que, se vomitar ou tiver diarreia, a pílula tomada não vai ser absorvida. Que acha que DSTs só se pegam por sexo e esquecem que hepatite B, por exemplo, pega-se por agulhas infectadas em estúdios de tatuagens. Que não sabe que camisinhas vem em vários tamanhos, e se aquela não cabe em você, é pra ir na farmácia e pedir por outros tamanhos pra testar, não correr pro abraço sem ela mesmo. A ignorância sexual dos brasileiros é imensa, mas os 'pró-vidas' simplesmente não aceitam educação sexual. É 'imoral', vai 'corromper as nossas crianças', vai 'transformar os meninos em viados e as meninas em vadias', 'É desculpa de pedófilo pra estuprar criança!' (mas o padre e o pastor com mil processos por pedofilia nas costas estão acima de qualquer suspeita, né?).

E além de ignorante, boa parte dos brasileiros é irresponsável. Sempre acha que não vai acontecer com ele, não liga, ainda mais os homens - uma vez que eles tem plena licença da sociedade pra agir de modo irresponsável e escroto e a maioria se aproveita disso sem o menor pudor. Tem gente por aí que sabe que pode pegar AIDS se trepar sem proteção mas faz assim mesmo; pra alguns sujeitos perturbados, o risco é justamente parte da graça.

Agora, por favor, alguém me responda a pergunta de um milhão de dólares: em que mundinho doido gente que se arrisca a MORRER só pra não ter que gastar dois minutinhos emborrachando o maldito pau dá um bom pai pra uma criança? Em que mundo distópico e louco que só existe na imaginação de lixos humanos gente irresponsável a esse ponto tem capacidade de criar uma criança? Não importa de que lado você olhe, nada nos argumentos dos 'pró-morte-pra-vadia-que-transa' merece respeito. É só ódio misógino e recalcado pelo gozo feminino.

Anônimo disse...

Coitada. Vai ter que parir. Que desgraça!

Viviane disse...

Troll com nome falso detectado. A troco de que uma feminista faria questão de ressaltar que feministas "se metem" em assuntos de jogos, filmes e HQs?
Taí, Lola, mais um que comenta "com nome e sobrenome" e não deixa de ser troll por isso.

Viviane disse...

Pois é, Lola, eis um troll com nome, sobrenome e conta (falsa, obviamente) no Google. E agora?

lola aronovich disse...

Obrigada, Viviane, tô de olho! Desde o primeiro comentário o mascu que criou conta com nome "Bruna" já mostrou que é (mais) um mascu tentando se passar por mulher. Eles são tão previsíveis... Hoje um mascu (não sei se foi a "Bruna" ou outro) deixou um comentário com nome de mulher dizendo que este relato é fanfic (eu não aprovei o comentário porque nem original é -- TODO SANTO POST vem gente dizer que é fanfic). Quer dizer, o cara cria toda uma ficção (nome de mulher, perfil com foto e tal) pra poder fingir ser mulher em blog feminista. É muita carência, viu?

Bruna de Oliveira disse...

Filha, não sou troll e muito menos uso nome falso. E deixei de ser feminista a muito tempo, querida. Acompanho o site da lola porque gosto de ler outras versões de um mesmo argumento, mesmo que eu não concorde. Só porque alguém discorda de você, não significa que a pessoa é automaticamente um troll, espertona.

Viviane disse...

E nós ajudamos, Lola! Creio que é do interesse de todos melhorar os debates do blog.

Vanessa disse...

Maria Valeria

Como eu disse, engravidar se prevenindo acontece, mas é raro. A moça do post vai ter 3 filhos, não dá pra crer que falhou 3 vezes. Ou ela não se previne direito ou tem muito azar.
De qualquer forma, eu não queria tacar pedras nela, nem pagar de certinha, todo mundo erra e faz merda.

Só que eu não entendo o tal empoderamento do feminismo. O que eu vejo é que sempre que a mulher comete um erro basta jogar a culpa no machismo, como se a gente fosse demente, sem capacidade de raciocinar para nada. Eu já fiz várias merdas, mas tenho consciência que nem tudo foi o machismo ou culpa de outra pessoa, foi erro meu mesmo.

Ela merece todo o apoio, mas falar que ela n tem nem 1 % de responsabilidade na própria situação, jogando tudo pro traste do ex, não vai ajudar ela em nada. Como é que qualquer um nesse mundo vai evoluir, se a gente ficar sempre na posição de vitima, de que tudo é culpa do outro?

Ela tá vacilando nisso, n sei o que ela passou na vida, mas esse é um ponto que ela precisa melhorar, pelo bem dela mesma.
Será que as feministas que a apoiaram no pedido do aborto, conversaram com ela sobre isso? Para ela realmente se prevenir, que ela não tem esperar decisão de macho para usar camisinha( se é que foi isso mesmo, pq tem mulher q tb n quer usar nada)?
Pq dá pra ver que ela repete um padrão a muito tempo, então, provavelmente ela vai acabar grávida de novo.


Viviane disse...

Bem, como não fui só eu quem percebeu, espertão, qualquer coisa que você escreva não me atinge.
Mas fica aqui o registro do argumento usado por dez entre dez trolls: "ain, sua chata, qualquer pessoa que discorde de você é troll?". Não, mas existem argumentos e estilos de escrita característicos. Ou seja, você vai ter de treinar mais se quiser enganar alguém, moleque...

Anônimo disse...

Dá tanta preguiça que eu só li o teu comentário agora 02:55. Mais um burro com comentários patéticos de "é uma vida humana". Você criaria o filho do estuprador da tua mulher?

Anônimo disse...

Acho que eu aceitaria teu comentário se dissesse para um homem que ele pode guardar o pinto, afinal não vai morrer sem um vuco vuco também, né? Seu comentário foi de julgamento do comportamento sexual da mulher é só dá mulher como costuma fazer qualquer carola moralista. Incrível como até mesmo as pessoas que se dizem feministas julgam o comportamento sexual das outras e tentam controlar a buceta alheia!
Outra coisa: cada caso é um caso. Essa mulher tinha informação mas o método anticoncepcional falhou e eu sou totalmente contra a "solução" carola moralista de " fechar as pernas" já que não existe no vocabulário do povão a solução guardar o pinto. Também não acredito muito nesse teu feminismo.
Perguntinha: vc tá com inveja da moça por que ela dá e você não?

Anônimo disse...

Acho que eu aceitaria teu comentário se dissesse para um homem que ele pode guardar o pinto, afinal não vai morrer sem um vuco vuco também, né? Seu comentário foi de julgamento do comportamento sexual da mulher é só dá mulher como costuma fazer qualquer carola moralista. Incrível como até mesmo as pessoas que se dizem feministas julgam o comportamento sexual das outras e tentam controlar a buceta alheia!
Outra coisa: cada caso é um caso. Essa mulher tinha informação mas o método anticoncepcional falhou e eu sou totalmente contra a "solução" carola moralista de " fechar as pernas" já que não existe no vocabulário do povão a solução guardar o pinto. Também não acredito muito nesse teu feminismo.
Perguntinha: vc tá com inveja da moça por que ela dá e você não?

Anônimo disse...

Não, anon 18:45. Não gera um cabrito depois de 9 meses, mas pode gerar um asno. Foi esse o caso do monte de células que deu origem a você, rsrsrs.
Semente não planta, ovo não é galinha, feto não é pessoa. Precisa desenhar?
Algo com potencial pra se tornar pessoa humana ainda não é pessoa humana.
Fica difícil argumentar com quem traz asneira religiosa.

Anônimo disse...

Porque ELA é que tem que tornar vergonha na cara e não ELE? Que "feminismo" de merda é esse de vocês? Que feminismo é esse que envenhergonha uma mulher por sua conduta sexual como qualquer machista de merda faz? Que papinho de beata moralista é esse?

Anônimo disse...

Ridículo num nível estratosférico é achar que semente é planta que ovo é galinha é que feto é uma pessoa humana. Tem que desenhar pra você entender? Um punhado de células que não sente e não sabe que existe não é uma pessoa humana. Ele poderá se tornar uma pessoa se a mãe não quiser abortar. Enquanto for um punhado de células sem desenvolvimento do sistema nervoso ele não é pessoa humana.

"Em nome da causa, vale falar qualquer merda. Tem noção de que o ser humano capaz de pensamentos complexos n existe sem passar da fase do feijão? "

E daí? Isso não torna um feto uma pessoa humana com pensamentos complexos.
Se você tivesse que escolher entre a vida de um feto é a de seu filho crescido cheio de pensamentos complexos quem você escolheria? E agora caro defensor dos fetos? O feto é igual ao seu filho adulto. Poupem-me da babaquice de vocês. Que povo idiota!

Anônimo disse...

Sim, é exatamente isso: cagam é querem que a criança e mãe se fodam. Principalmente os hipócritas defensores dos fetos. A Lola mostrou um caso de uma menina de 9 anos estuprada que ficou grávida e não vai poder abortar porque passou do prazo. Os defensores de feto não se preocupam com a menina que é uma pessoa humana e pode morrer nesse parto, mas se preocupam com um punhado de células indesejado fruto do estupro. Quanto amor pelas pessoas humanas, né?

Anônimo disse...

Não impede. 1 em cada 5 mulheres já fizeram aborto. E elas vão continuar fazendo com ou sem lei proibitiva. O quê impediu essa mulher de fazer o aborto foi o medo, não as leis. Além disso ela decidiu obedecer ao próprio medo. As leis não conseguem impedir mulher nenhuma que esteja decidida a fazer aborto.

Anônimo disse...

Né, teve momento lendo os textos delas que achei que eram mascul disfarçados de feministas. Mas é que mesmo as feministas são machistas e moralistas pra caralho de vez em quando, msem perceber que são

Anônimo disse...

Alguém disse q só ela tem q tomar vergonha na cara? pessoas no geral devem fazer isso. e parem com o mimimi de raiva por ela ter transado, o problema é n se proteger e depois ainda achar q pode matar o próprio filho, só pq ela e o paspalho n se deram o trabalho de perder 1 minuto para usar camisinha.

Anônimo disse...

burro acéfalo, não há simetria entre ser pai é ser mãe, otário. Se ela quiser ter o filho vc não pode pedir que ela não tenha porque está no ÚTERO DELA. Se ela decidir que não quer ter, ela vai abortar porque está no ÚTERO DELA. Que pensa né? Os homi não tem o útero.

Larissa disse...

Bom, nem tem muito o que falar. Ela está ferrada. Espero que ela receba algum tipo de ajuda, porque acho que ela não vai se arriscar com o remédio, por causa dos outros filhos.

Anônimo disse...

Que tal parar de cagar regras na sexualidade alheia, brunatroll? Se a moça quiser usar pênis ou vibrador é problema dela, não teu! Você realmente não é feminista, você é machista! Cadê a parte em que se diz que o cara foi irresponsável? Isso uma machista como vc nunca fala não é?
Você é troll imbecil, ponto!

Anônimo disse...

Troll, detected! Faço minhas as palavras de Donadio: vergonha alheia!

Anônimo disse...

Mas a crítica foi feita porque vocês culparam APENAS ela. Mandaram ela fechar as pernas mas nao mandaram o cara guardar o pau. A responsabilidade tem que ser dos dois. E aliás, acidentes acontecem mesmo com os que se previnem, então nada de mandar a mulher fechar as pernas. Isso soa tremendamente machista.

Fernanda disse...

Anônimo(a) das 23:53:

É óbvio que o ex da mulher em questão ou qualquer outro homem que fosse, neste caso, também deveria ter guardado o pinto dentro das calças, mas não é dele que se trata este texto. Aqui só temos a versão dela, e a justificativa da própria pra ter saído com o cidadão de novo, por isto me ative à postura dela. E onde que o método dela falhou, se fica bem claro que ela engravidou justamente no período em que não estava usando nada, e o texto sugere que, por isso, uma gravidez seria "inevitável". Somente por este motivo listei não um, mas dois métodos ALTERNATIVOS que, NA FALTA DE OUTROS, costumam funcionar muito bem, obrigada. Ninguém aqui mandou a mulher "fechar as pernas" eternamente. Será que precisa desenhar?

E outra, se você acredita no "meu" feminismo ou não, o problema é todo seu! Não estou te pedindo licença pra ser feminista, portanto, vá cassar carteirinhas em outra freguesia.

Por fim, agradeço também sua preocupação com a minha vida sexual, mas, respostinha:
Ela vai muito bem, obrigada! Com muito tesão, responsabilidade e RESPEITO, mesmo porque, se fosse somente pra "dar", como você diz e como fez a infeliz do texto com a primeira porcaria que aparece, eu preferia ficar sozinha. E pare de projetar a sua própria frustração nas outras, que fica feio!

Kasturba disse...

Vanessa, ela em momento nenhum disse que os dois primeiros filhos foram acidentais. Ela era casada e teve dois filhos com seu marido, com o qual permaneceu 4 anos ainda, após o nascimento do ultimo filho.
A gravidez acidental foi só a terceira...

Anônimo disse...

Perfeito o comentário da Maria Valéria.Gente,não é crucificar a mulher por ter transado.Nós estamos falando de uma mulher adulta e não de uma criança.Eu sei que se um homem ejacular dentro de mim a chance é grande de engravidar.Custa pensar?pôr a cachola pra funcionar?Abortar não é só ir na farmácia e comprar um remédio não.Será que o nosso país está evoluído e maduro o suficiente para que a legalização não vire "festa"? A sociedade nunca vai mudar,então a mulher precisa se impor,se responsabilizar pelos seus atos também.Imagine a vida de 1 bilhão de pessoas nas costas só do Estado e da Sociedade?

Maria Valéria disse...

Vanessa

Li seu comentário de ontem à noite para mim, e entendi sim o que quis dizer. Gostei .

Agora estou sem tempo, vou voltar à noite para lhe responder com a consideração e tempo que vc merece.

Tenho algumas ressalvas ao que vc escreveu, mas entendi seu ponto,

Beijo
No fim, queremos a mesma coisa né ?

Anônimo disse...

Fernanda matou a pau.

Outra coisa, ELE tem responsabilidade SIM!!!Mas ela também!!! Isso é fato! Passar a mão na cabeça não ajuda, temos que admitir que algumas de nõs são estúpidas.

Anônimo disse...

00:30

Ah é, e a mulher fez o filho sozinha? O dia q as mulheres forem capazes disso, vcs podem mimizar q fazem o q bem entenderem com os filhos.
O pai da criança tem tanto direito quanto a mãe

Vanessa disse...

Kasturba

Ela realmente não disse, mas pela circunstâncias é o que parece. Esse traste dela, caga pros filhos e para ela, já dá para perceber que o casamento foi uma merda.E ele com certeza não era um super pai e marido antes, que do nada sofreu uma transformação de homem para verme e passou a não ajudar ela em nada, chegando ao ponto de não se importar se os filhos ficam doentes.
Ela teve o primeiro filho, n teve ajuda do infeliz, ficando tudo nas suas costas e ela planejou o segundo filho com o mesmo traste? Se foi isso, ela precisa de mais ajuda do que eu pensava.


Maria Valéria.

Obrigado, vou esperar a resposta. Queremos a mesma coisa sim.

Anônimo disse...

Imagina esse povão que faz filho a torto e a direita,sem responsabilidade nenhuma.Abortar para eles e elas vai ser igual tomar remédio pra dor de cabeça. Amo,vamo usar camisinha não,se você engravida nois aborta.PREVENÇÃO E ABORTO é só para responsáveis.ABORTO É RESPONSABILIDADE.Sem mais!

Kasturba disse...

Vanessa,

É, nao tem como sabermos, porque ela não disse sobre as duas primeiras gestações. Mas pra mim a impressão foi outra.
Até porque, já vi isso acontecer bem próximo de mim, com uma amiga: Casou, teve o primeiro bebê, planejado. O cara não era o melhor do mundo, mas também não era o pior. Servia pelo menos pra ela deixar a criança enquanto ia tomar banho, quando ia cozinhar... Ele era carinhoso com o filho e quando tava a fim, brincava, dava colo, levava pra passear. Também quando tava a fim dava um banho, trocava uma fralda, dava a mamadeira... Nada diferente da maioria dos maridos e "bons" pais por aí, que pensam que a criança é responsabilidade da mãe, e que somente quando estão a fim, dão uma ajuda. Essa amiga nunca reclamou; acho que ele era exatamente o que ela esperava de um homem (afinal, é isso que somos ensinadas a esperar, não é?). E depois teve o segundo bebê, também planejado. E ele foi exatamente o mesmo tipo de pai que era pro primeiro: um "bom" pai. As crianças eram inclusive bem apegadas a ele. Depois de uns 3 ou 4 anos do nascimento do segundo filho, eles acabaram separando, e só aí ele mostrou realmente o tipo de pai que era: Aquele tipo que marca de sair pra buscar as crianças pra levar pra passear, e não aparece. Que promete que vai na festinha de aniversário, e em cima da hora arranja uma desculpa pra não ir, ou chega atrasado e sai antes do final. Já teve inclusive uma oportunidade de essa minha amiga marcar uma viagem pro exterior, e marcar com o "pai" que ele ficaria com as crianças durante esses poucos dias. Em cima da hora, com passagens compradas, hotel reservado, tudo planejado, ele simplesmente liga pra dizer que "não vai dar pra ficar com eles não", assim, sem nenhum motivo e nenhuma satisfação.
Hoje ela vê que ele é um péssimo pai, mas enquanto estavam casados, ela não tinha essa noção não. Talvez porque ela justificasse mais as falhas dele, ou talvez porque ele se esforçasse um pouco pra ser um "bom" marido. Mas de qualquer forma, ambos os filhos foram planejados.
E depois do divórcio, sei que ela transou com ele algumas vezes sim. Por amor, por desejo, por falta de opção ou qualquer motivo que seja, ela fez exatamente o que a Rebeca fez. E não acho que ela esteja errada por transar com quem quer que seja: é adulta, paga as próprias contas, não deve satisfação pra ninguém. A única diferença é que ela não teve o azar de engravidar pela terceira vez.

Kasturba disse...

Anônimo das 13h40:

Exatamente, o pai da CRIANÇA tem os mesmos direitos que a mãe. E isso já acontece. Depois que a criança NASCEU com vida, o pai tem os mesmos direitos e mesmas responsabilidades que a mãe (embora a grande maioria dos homens tenham dificuldade em entender a parte das responsabilidades). Mas antes de nascer, enquanto é uma MÓRULA, um ZIGOTO, um FETO, e está vivendo dentro do ÚTERO DA MULHER, a decisão é da mulher. Tanto que um recém-nascido precisa da autorização do pai pra viajar com a mãe pro exterior. Mas uma mulher grávida em qualquer período (mesmo na véspera do parto) tem autonomia pra ir onde quer que seja, sem depender de autorização de macho nenhum pra levar o feto pra onde quer que seja.

Homem nenhum manda no útero alheio. Aceite.

Maria Valéria disse...

Vanessa,

Voltei pra te responder

Vou começar pela sua última frase . Vc diz que ela erra repetindo um mesmo padrão de erro . Vc esta certa .
Só que falar isso , por si, não resolve.
Repetir o padrão de erro é o que faz a mulher que volta pro marido alcoólatra , pro marido que q espanca , pro marido que a trai , que a violenta , que a machuca verbalmente . Eh óbvio que tem algo errado que faz com que ela repita esse padrão , mas não acredito que o foco desse post seja esse . Ou se é, as pessoas deveriam ter mais empatia . Não digo que foi você não que não foi empática tá ? :)

Eu vejo / atendo casos assim quase todos os dias . A gente tem que entender por que a mulher esta com a auto estima tão baixa, tão acabada, que aceita se submeter a essas coisas , mesmo sabendo que está se descuidando e / ou arriscando sua saúde .
Uma mulher que repete esse padrão de comportamento já não gosta de si mesma faz tempo . Não é malhando que poderemos reverter essa situação . Eh oferecendo ajuda, carinho, apoio , dizendo que ela não está sozinha . É fundamental uma TERAPIA para essa moça .
Senão corremos o risco de cair no mesmo discurso do “ voltou pro cara que a espanca porque gosta de apanhar “ . Entendeu ? Entre essa frase e “ voltou pro traste porque quis sabendo que ele era um traste e das consequências “ eu não vejo muita diferença .

E, essa coisa do “não aguentou esperar o método anticoncepcional , se proteger pra dar umazinha “ me incomoda muito . ; “ não fechou as pernas , não aguentou ficar sem Pinto “ . Do jeito que estão falando, parece que o foco é punir por querer sexo, seja qual for o motivo . E lendo esse relato, e já tendo saído de uma relação que não me fazia bem , posso garantir que o problema da moça não é falta de sexo . Eh falta de afeto, de ligação. De amor, de carinho. Porque se o lance fosse só o pinto, o sexo ...ué , hoje em dia ta facinho, qualquer pessoa arruma um por dia pra transar no tinder . “ com tanto homem, por que foi procurar justo o traste ? “ óbvio, que porque de alguma maneira gosta / ainda se sente ligada e ele. se o problema fosse só a transa em si, não precisava ser com ele , podia ser com qualquer outro da esquina . Isso que as pessoas que estão comentando aqui não estão entendendo .

Essa coisa do “ empoderamento “ feminino me incomoda muito . Fica uma cobrança pra sermos duronas, feitas de aço, sem ter o direito de errar nunca . Tipo assim , leio coisas do estilo “ não se empoderou AINDA .” ?.. ainda não ué !!! Se estivesse “ empoderada” , não estaria aqui pedindo ajuda ; estaria no máximo ajudando outras .

Óbvio que tem caso de gente que vc tenta , oferece ajuda, e a pessoa não quer ajuda e não quer ser ajudada . Tem trocentas pessoas assim , quando chega esse ponto eu tbem perco a paciência pois tenho mais o que fazer da vida . As pessoas têm limite, a gente oferece, da, se a pessoa não quer ajuda, bem, não vou perder mais tempo tentando obrigalá a se ajudar . Mas não parece por enquanto que é o caso dessa moça do post . O relato dela não me da base pra chegar a essa conclusão,ainda .

Éspero ter me feito entender por vc ; nós somos mulheres e queremos o bem um das outras ;)

Super beijo,

Anônimo disse...

Lola , mandei 3x a resposta pra Vanessa pela conta do blogger e deu erro , consegui mandar na 4a como anônimo assinando meu nome

Caso tenha recebido as outras 3 desconsidere e aprove só uma kkkk

Continuando ....

Quem não entendeu por que a moça voltou e não aguentou esperar pra transar com o “ traste “ , deveria ler “ mulheres que correm com os lobos “ , em especial o capítulo que fala dos instintos prejudicados . ( análise do conto os sapatos vermelhos de Andersen )

Quando a mulher está com a auto estima baixa, ou passa por uma privação emocional muito forte ( parece o caso da autora do post ) , ela fica com os instintos prejudicados para reconhecer as “ armadilhas “ e “ ciladas “ da vida, mesmo que já tenha caído N vezes na mesma armadilha .

Isso acontece , gente , eh mais comum é mais sério do que muita gente pensa .
Claro que ela teve sua parcela de “ irresponsabilidade “ , mas existe uma razão para ela estar assim . Essa moça precisa de terapia urgente, não de julgamentos nem de conselhos do tipo “ eu te avisei “
.

E só pra constar, hoje estou bem, mas já tive a auto estima tão ferida, já estive tão em frangalhos que já cai em quase tudo que é tipo de cilada . Hoje sou mais atenta e penso primeiro em mim antes de fazer qqer coisa pela carência , e tem dado certo.

Mas nas minhas fases de auto estima baixa e de fazer burrada , já fiz burrada de tudo quanto era tipo .
Só escapei de engravidar e de entrar pra drogas e bebida porque sou médica, e sou muito “cagona “sequer pra experimentar um baseado . E como médica, filha de delegado de polícia (!!!) e sabendo dos riscos de um aborto inseguro , de ir parar na cadeia se fosse pega fazendo , , de tudo o que eu iria sofrer sempre me cuidei em dobro pra evitar , sempre tive PAVOR de isso acontecer . Não queria dar desgosto pro meu pai e de pedir pra ele , delegado, me levar pra fazer aborto . Porque era médica e tinha pai delegado , e uma mãe maravilhosa , sempre soube o que poderia acontecer caso engravidasse ( porque eu nunca quis filho ) . Eu tinha toda a a informação da parte legal e biológica . Mas não fosse por isso, e por eu ser uma “ cagona “, se bobear teria engravidado ou ido pras drogas facinho .

Maria valéria

Anônimo disse...

Kasturba

Permita me corrigir o último comentário do seu post de 17:29

A diferença não foi ter o azar de engravidar pela terceira vez .

A diferença foi ter o azar de morar no Brasil .

Porque em qualquer outro país civilizado, ela teria o aborto legal e seguro, e esse post nem seria necessário .

Maria Valeria

Kasturba disse...

Verdade!

Anônimo disse...

Lembro perfeitamente disso...

Anônimo disse...

Mentira.Já ouviu falar de alimentos gravidicos?Alias a Rebeca já pode pedir essa ajuda ao pai do filho dela na justiça.O pai já é responsável.

Anônimo disse...

De fato ele é responsável. Mas só vai pagar a pensão obrigado. E pelo depoimento da moça ele não tem o menor interesse em se envolver na criação dos filhos além do pagamento da pensão. Quem vai obrigar esse nojento irresponsável a criar os filhos?

Anônimo disse...

Ridículo num nível estratosférico é comparar um zigoto/embrião/feto que não sente nada e não sabe que existe com uma pessoas humana. Ridículo é dar o mesmo valor a planta é a semente ao ovo e a galinha ao feto é a pessoa humana como se elas fossem a mesma coisa. Ridículo é condenar a vida de um ser humano, adulto ou criança, grávida por acidente ou estupro pra "salvar" um punhado de células que não é uma pessoa! Vocês tem o interesse apenas de condenar a mulher por ter transado. Até mesmo uma menina de 11 anos grávida de estupro é obrigada a ter um filho correndo risco de morte graças ao moralismo hipócrita de gente como você.
É você o ridículo em nível estratosférico aqui!

Anônimo disse...

Agradeço o esclarecimento pelo erro quanto ao método contraceptivo. Como a Kasturba falou lá embaixo a moça teve dois filhos enquanto estava casada com o homem e o último ela teve por acidente. Há uma única solução para isso: o aborto porque o útero pertence a ela.
Acho quem que tá projetando sua frustração sexual nas outras, principalmente na outra que resolveu dar pro cara outra vez é você! Não estou te dando permissão ou proibição de ser feminista. Não sei onde fica a tal instituição de fabricação das carteirinhas. Meu trabalho de feminista é sem registro profissional até hoje. Estou apenas mostrando o seu machismo. Quem é você pra dizer que uma mulher deve fechar as pernas para sempre ou temporariamente. Se você prefere ficar sozinha, fechar as pernas do que "dar para a primeira porcaria que aparece" - o ex dela, diga-se - é uma decisão sua. Agora vc dar uma solução de beata moralista para as outras é MACHISMO! Esse é o único nome para essa atitude.
Ah eu não estou nenhum um pouco preocupada com a sua vida sexual. Na verdade estava tentando entender de onde vem essa solução de fechar as pernas que você deu a esta moça. Acho que a moça do texto está infeliz. E está infeliz por não poder realizar um aborto e ter sua liberdade sexual julgada até pelas que se dizem feministas.
E, não, eu não estou projetando minha própria frustração em você. Nem fiz nada de feio. Feio é mandar outra mulher fechar as pernas. Feio é tentar impor regras de comportamento sexual aos outros. Acho que alguém que esteja realmente feliz em sua vida sexual não precisa dizer para ninguém fechar as pernas. Não é machismo se você faz isso em sua própria vida. Não é machismo se você acha que isto é o certo, mas aí dizer pra outra "fechar as pernas" é uma expressão extremamente machista. Principalmente quando se cobra isso apenas da mulher.
E falo essas coisas porque já agi exatamente como você. Eu percebi o quanto eu estava errada.

Joana disse...

Mentira SUA, desonestidade SUA. Alimentos gravídicos não são devidos à mórula ou ao feto mas À GESTANTE. Quando a criança nascer, se o progenitor não a reconhecer espontaneamente, será necessário que a mãe ingresse com INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE, a fim de comprovar a filiação pois sem o vínculo legal de filiação consubstanciado na certidão de nascimento, não é possível invocar o dever de alimentar. Então, PARE de mentir descaradamente. Nem uma criança NASCIDA que não teve a paternidade reconhecida faz jus aos alimentos, quanto mais uma mórula/um feto. Da próxima vez que der vontade de mentir, lembre-se: as pessoas NÃO são tão desinformadas que engulam qualquer coisa.

Anônimo disse...

"E outra, se você acredita no "meu" feminismo ou não, o problema é todo seu! Não estou te pedindo licença pra ser feminista, portanto, vá cassar carteirinhas em outra freguesia."

Olha, não existe carretinha nenhuma. Sou feminista sem registro profissional há um tempão.
E é melhor que seja assim. Então não tenho a mínima intenção de "cassar" a sua carteirinha porque nunca tive uma. Na verdade nunca nem vi uma. Nem sabia que isso existia.

Anônimo disse...

"E outra, se você acredita no "meu" feminismo ou não, o problema é todo seu! Não estou te pedindo licença pra ser feminista, portanto, vá cassar carteirinhas em outra freguesia."

Olha, não existe carteirinha nenhuma. Sou feminista sem registro profissional há um tempão.
E é melhor que seja assim. Então não tenho a mínima intenção de "cassar" a sua carteirinha porque nunca tive uma. Na verdade nunca nem vi uma. Nem sabia que isso existia.

O foco da discussão deveria ser na legalização do aborto. O direito da mulher sobre o próprio corpo e de elevar adiante uma gravidez ou não e não se ela deve dar ou "fechar as pernas".

Anônimo disse...

Não ele não tem. Não na fase em que existe apenas um feto. Enquanto for apenas um feto no útero dela apenas ela pode decidir se a gravidez vai adiante ou não. Não há simetria na condição natural de homens e mulheres. Mulheres e homens trans tem o útero e podem interromper a gravidez se assim o quiserem, independentemente das leis ou do que o fornecedor do esperma pense. A diferença está na natureza é esse poder é da mulher. No dia em que os homens cis puderem gerar filhos em seu próprio corpo então eles terão o mesmo poder. Mas por enquanto esse poder é só da mulher. Homens tem poder sobre crianças que nasceram se forem os pais biológicos ou de criação.

Anônimo disse...

Anon 1 de dezembro 13:40:
O pai da CRIANÇA NASCIDA tem tanto direito quanto a mãe. Enquanto existir um zigoto/embrião/feto o homem não tem direito nenhum porque ele nem sabe se é o pai mas ela tem certeza que é a mãe!
Enquanto for apenas um punhado de células no útero dela apenas ela pode decidir se a gravidez vai adiante ou não. não existe simetria na condição natural de homens e mulheres em relação a gravidez. Mulheres e homens trans tem o útero e podem interromper a gravidez se desejarem independentemente das leis ou do que o dono do espermatozóide queira. A diferença está na natureza e esse poder é da mulher. No dia em que os homens cis puderem gerar vida em seus próprios corpos então eles terão este mesmo poder que as mulheres tem. Mas por enquanto esse um poder é só da mulher.Homens só tem poder sobre crianças nasidas das quais são pais biológicos ou por adoção. Ponto.

Anônimo disse...

"imagina esse povão que faz filho a torto e a direita,sem responsabilidade nenhuma.Abortar para eles e elas vai ser igual tomar remédio pra dor de cabeça. Amo,vamo usar camisinha não,se você engravida nois aborta.PREVENÇÃO E ABORTO é só para responsáveis.ABORTO É RESPONSABILIDADE.Sem mais!

anon de 1 de dezembro de 2017 16:30, não existe abortos para eles porque eles não tem útero! O aborto existe só para ELAS! Com responsabilidade ou sem responsabilidade se você prefere usar esta palavra. ELA tem o direito de fazer o aborto da mesma forma que tem o direito de transar com quem ela quiser porque é a liberdade DELA.

Que mané abortar para eles, isso nem existe.

Anônimo disse...

Dá o que pensar o comentário de uma anon que comparou a indignação com o aborto ser muito maior do que a indignação com a morte de embriões em clínicas de fertilização. Fica bem claro que o objetivo é obrigar e punir a mulher por ter feito sexo e não salvar o zigoto/embrião/feto. Se não houver a possibilidade de controlar o corpo da mulher não tem graça, né. Descartar embrião de clínica de fertilização pode. Fazer aborto não pode. Ué, não eram todos vidas vidas humanas? então porque o duplo padrão de julgamento? Por um único motivo: a mulher que ousou transar tem que ser punida.

Anônimo disse...

"Eles abortam" eu quis dizer no sentido de mandar a mulher abortar.Ele não usa camisinha, goza dentro e depois fala pra mulher e lá abortar como se isso fosse a coisa mais normal do mundo.Esse é um dis tipos de aborto masculino.Interpretação de texto faz parte.

Anônimo disse...

Interpretação do texto faz parte, mas escrever tambem. Tu falou eles e elas. Mesmo que eles digam pra mulher ir lá abortar quem aborta é somente ela. Não existe aborto masculino. No máximo incentivo ao aborto por parte dos homens. Mas já entendi o que vc quis dizer. Obrigada pela explicação de qualquer modo.

Fernanda disse...

Anônimo das 14:09, ou você não leu o texto direito, ou não leu meus comentários direito, ou as duas coisas, o que parece ser o caso. Já comecei falando que sou totalmente FAVORÁVEL à legalização do aborto para qualquer mulher, em qualquer circunstância, desde que respeitado um número limite de semanas da gravidez, como já é feito nos países civilizados mundo afora.

Isto posto, meu ponto é que ficar "justificando" os motivos para "merecer" o direito a tal ato é um tiro no pé se o foco for militar pela legalização do aborto no Brasil, visto que os argumentos apresentados na "defesa" de Rebeca são facilmente desmontáveis, assim como a grande maioria dos argumentos nesses casos. O que quero dizer é que abortar ou não é uma decisão que deveria ser baseada no desejo da mulher, e tudo bem, esse é um direito que deveria assisti-lá. Pois do mesmo modo que ninguém impede uma mulher que quer abortar de fazê-lo, no sentido de que ela é capaz das medidas mais extremas para isso, o mesmo ocorre com quem quer manter a gestação. Tem mulher que mora na rua, com uma penca de outros filhos pra criar, passando pelas mais diversas privações, mas segue o baile. E tá ok, a questão, pra mim, é que o DESEJO e as escolhas de cada uma devem ser respeitados, e ponto.

Voltando à questão de "fechar as pernas", já que você insiste em bater nessa tecla, ao invés de conversa de "carola moralista", como você gosta de dizer, é uma medida racional e responsável em muitos casos quando outros métodos contraceptivos não estão disponíveis, seja por qual motivo for. É um sinal de bom senso e inteligência, por quê tanta ofensa? Antes bancar a "carola moralista" do que agora estar aí na lama, sozinha e desempregada e com mais um filho de um traste pra criar. Adiantou ser muito "liberalzona"?

E outra, não sei quem é Rebeca, e embora torça para que consiga resolver essa questão complicada em sua vida, eu não podia me importar menos com o que ela ou qualquer outra pessoa faz entre 4 paredes. Que abra ou feche as pernas o quanto quiser, não tenho absolutamente nada a ver com isso, não me interessa nem um pouco. Mas ela escolheu divulgar seu caso, o qual veio parar aqui no blog da Lola para ser debatido, correto? Então tenho o direito de dar minha opinião, segundo a qual é absurdo sugerir que a pobre moça não tinha qualquer meio de evitar essa gravidez, porque tinha, sim.

E mais uma vez, só pra deixar bem claro: penso que, se é do seu desejo, ela (e todas as mulheres do mundo) deveriam ter garantido o direito de abortar com respeito e segurança. E ponto.

Por fim, gosto muito deste espaço e admiro demais a Lola, que foi quem me introduziu no feminismo através de seus textos, e não quero ficar poluindo o espaço dela com bate-bocas, ainda mais, porque o "inimigo" no caso, é outro, toda essa gentalha "pró-vida".

Encerro a minha participação por aqui e só posso desejar que Rebeca encontre a melhor saída para si e os filhos, que dela dependem. Podemos discordar quanto aos meios, mas acredito que a grande maioria dos que comentaram aqui hoje têm o mesmo fim: posicionar-se em prol dos direitos das mulheres e pela legalização do aborto no Brasil.

Anônimo disse...

Parabéns,Fernanda.Seu comentário foi inteligente,empático e elegante!

Anônimo disse...

Lendo o último comentário da Fernanda, consegui perceber a empatia e a sensibilidade em seu posicionamento ; e lhe dou parabéns .

No entanto , acredito que algumas expressões devem ser evitadas , não porque foi essa ou aquela pessoa que as disse / escreveu ( até porque nem conheço as pessoas que comentam aqui ); mas porque fica feio .

“ Abrir / fechar as pernas “ em minha opinião é feio e não deve ser dito em contexto algum ; pois existem outras expressões menos machistas que podem substituí - la ( por ex : não transar por carência , não transar sem proteção) ,que tenho certeza que foi isso que ela quis dizer. .Nao estou aqui para julgar a Fernanda, até pq eu mesma talvez ainda use / tenha usado expressões que não se deve dizer ; e que a gente tem que fazer um esforço diário para se libertar delas e se policiar .

Quero dizer : não acho legal falar “ fechar as pernas “ , da mesma forma que acho legal falar “ não sou suas negas “, “ aquela vaca “, qualquer que seja o contexto . E acredito que a nossa luta inclui, sim, se libertar dessas expressões .

Mas essa sou eu tá ?

Fica a reflexão e a certeza que quase todos que comentaram aqui ( inclusive a Fernanda ) estão lutando pela mesma causa.

A propósito , sugiro que os “ machos “ que estão tão revoltados com a luta pela legalização do aborto dispensem mulher, transem entre eles ou se resolvam sozinhos; ou então se for pra usar da mesma expressão que eles usam e nivelar por baixo ( coisa que não gosto de fazer ): mantenham seu passarinho trancado na gaiola , ué !!

Beijo a todos que lutam pela causa ;)

Maria Valeria

Anônimo disse...

Tenho 36 anos, três filhos e engravidei a primeira vez com 17 anos após uma única vez de sexo sem proteção. Tenho relação sexual desde os 13 anos e SIM tenho prazer, GOZO, faço muito sexo e já tive muitos parceiros então não sou nem de longe "Carola"... EU ACHO - minha opinião pessoal para deixar BEM claro - eu acho que abortar é errado e nada justifica. E EU ACHO, que se essa mulher usasse essa "coragem" dela pra ir trabalhar se cuidar e cuidar dos filhos ela estaria melhor. E EU acho que esse bando de mulheres que falam que é "empoderamento" eu digo: tem que ser muito MULHER pra assumir responsabilidades mas qualquer Zé ruela foge quando o negócio aperta.

Anônimo disse...

ELA sim porque as consequências são principalmente pra mulher. "Meu corpo minhas regras" então usa essa regra é diz: só faço sexo de camisinha. Compra um vibrador se tá com tesão! Mas sair com qualquer cara só pra ter prazer? E ainda sem proteção? É burrice! Que mulher é essa que não pode viver sem um pênis??