terça-feira, 3 de abril de 2018

O MECANISMO DE VERDADE AGRADECE À SÉRIE DE PADILHA

Antonia Pellegrino é roteirista há 14  anosescreveu três filmes que somam mais de cinco milhões de espectadores, 
colaborou em cinco novelas e sete seriados, publicou livro... mas foi reduzida pela Veja Rio à "namorada do Freixo". 
Reproduzo aqui a ótima análise que ela fez da série O Mecanismo (que não vi e não estou com muita vontade de ver). 

Não escrevo sobre a série O Mecanismo para defender governo algum, mas porque há problemas gravíssimos no novo lançamento de José Padilha e vou me deter apenas em alguns pontos mais estruturais.
O primeiro dos inúmeros problemas da série O Mecanismo está na cartela que abre os episódios, onde lê-se: baseado livremente em fatos reais. Sabemos que para a realidade fazer sentido fílmico é preciso editá-la. Mas não distorcê-la -- e sobre isso não estou contestando o fato de ter havido muita corrupção nos governos petistas. Para abrir este mecanismo, seria mais honesto se a cartela dissesse: baseado em delírios toscos, alucinações ingênuas e arrogância elitista. Como dizia Wally Salomão: "nossa memória é uma ilha de edição".   
A narrativa é inteiramente montada para comprovar uma tese da cabeça do criador da série, o diretor José Padilha. A tese é mais velha que vovó mocinha, mas precisa de sete episódios para ser desenhada -- o que acontece quando o personagem principal tem uma epifania com um bueiro. A política é um câncer que deve ser combatido. Uma doença que devora a todos: políticos de todos os campos ideológicos, agentes públicos, grandes empresários. Ninguém presta. E a solução para a política está fora dela. Na polícia federal, no ministério público e num ex-policial, um outsider bipolar disposto a tudo para quebrar a engrenagem. 
O personagem Rufo, o outsider do mecanismo, é aquele que, por ter a coragem de enfrentar o mecanismo, pode ser meio louco e usar qualquer método para combatê-lo. Inclusive a violência, a intimidação, o micro-terrorismo. Se for pra combater o mecanismo, vale -- e nada mais simbólico que combater o mecanismo usando a violência. Depois de oito episódios que me causaram náusea, me pergunto: o que mais vale, além da força policial, para combater o mecanismo? Uma ditadura militar? Um outsider alucinado, com porte de arma, que finge ser de fora da política e promete colocar a casa em ordem no grito? 
Padilha se inspira livremente em fatos reais para narrar a novela política que o Brasil inteiro acompanha há anos e se dá a liberdade de criar um personagem central para a trama que não existe. Se permite colocar a frase que explica e legitima o impeachment na boca do ex-presidente Lula. Porque pra Padilha é tudo farinha do mesmo saco, estão todos presos no mecanismo, então não interessa quem disse o que. Interessa mostrar como é o mecanismo. 
No mecanismo dele, o escândalo do Banestado acontece no governo do PT. E a investigação não vai adiante porque o MP comete "um erro" -- quando na verdade o governo FHC pagou por uma operação abafa. Mas nada disso importa. "É livremente inspirado em fatos reais". E se precisar ser desonesto pra caber na tese do diretor, não tem problema. A desonestidade é sempre dos outros. Não do diretor. Ele não está roubando. 
Ele está fazendo cinema como um verdadeiro herói, alguém que tem a coragem de filmar, revelar e, portanto, combater o mecanismo. Seus métodos, assim como os do Rufo, não importam. Mentir, distorcer, caluniar. Tá de boa porque a causa é nobre e maior: combater o mecanismo. Já vimos este filme na realidade e ele não acaba bem. Acaba em totalitarismo, seja de esquerda ou de direita. 
O grande perigo da cabeça política de Padilha é que ele monta um time de craques, capazes de potencializar ao máximo sua tese ingênua, arrogante e perigosa. Mecanismo é tosco como visão de mundo, mas é muito bem feito. Entre elenco e membros da equipe estão amigos queridos, profissionais que admiro e respeito. Estão todos brilhando em suas funções. Sabemos que um papel incrível, como o do diretor da Petrobrasil ou do doleiro, por exemplo, não são simples de chegar às mãos. 
Sabemos que é difícil ser coerente e temos contas a pagar. Sabemos que a vaidade é um fato e o quão sedutor é trabalhar numa série da Netflix realizada por um time incrível. Mas me pergunto por que, neste momento do país, que exige máxima responsabilidade de todos, pois está colocada uma clara disputa entre barbárie e democracia, artistas deste calibre aceitam dedicar tempo, energia, talento e amor para realização de um panfleto fascista?
Se a eleição presidencial fosse hoje e Bolsonaro eleito, pela lógica da série, estaria tudo ótimo. O mecanismo poderia ser quebrado. Acho que José Padilha não entendeu o mecanismo.
O real mecanismo: o das oligarquias e rentismo, agradece.

29 comentários:

Luise Mior disse...

Porra, não tinha pensado nesse viés da série. Também não vi, só acompanhei análises de quem viu- acho que vou tentar assistir próximo final de semana. Tipo, será que se assemelha à premissa de Star Wars prequels, que todos os políticos seriam corruptos e inúteis, devendo tudo ser decidido por um 'líder sábio'? Mensagem perigosa, para variar, como a de Tropa de Elite 1 coloca não é mesmo Lola? Mensagem fascista precisa ser combatida. Obrigada pelo post e novamente machismo na mídia só entedia. Abraços ❤

titia disse...

Nem sabia que essa porra existia. Mas não fico nem um pouco surpresa com esse enredo "batalha-de-um-maluco-só-contra-o-mundo-imaginário-do-diretor" e suas mentiras, delírios e distorções fascistas. É isso que acontece quando gente alienada tenta falar sobre o mundo real: nada juntando com coisa nenhuma e fazendo tanto sentido quanto brasileiro nazista (nenhum, pros poríferos altamente miscigenados de plantão).

Anônimo disse...

normal, essa é a dialética de hollywood

ele tá lá curtindo LA, beverlly hills, bel air, san diego

é o q os ares da califórnia fez pra cabeça desse "senhor"

Rafael Cherem disse...

A esquerda caiu como um pato.Ingênuos assim não precisamos chegar ao poder

Kasturba disse...

Meu marido está louco pra ver essa série, e eu já estava adiando mesmo sem saber que era esse o tom... Acho que ele vai ter que ver sozinho então, não vou ter estômago pra isso...

Anônimo disse...

Quando ele meteu o pau na policia ele era o pica, agora que ele mete o pau no partidão não preta mais.
E muita hipocrisia ideológica.

Anônimo disse...

Queria saber se essa série se beneficiou da Lei Rouanet? Alguém sabe dizer?

Caso não tenha se beneficiado, tudo bem. Cada um faz a arte que quiser.

Liberdade de expressão acima de tudo.

Desde que não saia do meu bolso, lógico.

Anônimo disse...

A serie foi totalmente financiada pela NetFlix.

Os petistas estão fechando suas contas no NetiFlix...e abrindo outra em nome de laranjas kkkkkk

O Lula disse que só não cancela a serie porque esta no nome de um amigo dele kkkkk

Anônimo disse...

O legal da amanhã e que se o supremo não acatar a prisão do Lula por condenação em segunda instancia, vai abrir precedente para soltura de um monte de bandidos, corruptos, estupradores assassinos...que beleza de legado hem?!

Anônimo disse...

15:57 - sim, idiota

mas isso não signifca q alguma coisa saiu do seu bolso, sua mula

já dá pra ver q é câncerva comedor de bosta do olasno só por não saber como funciona a lei ruanê

aliás: "Desde que não saia do meu bolso, ~~lógico~" - "~lógico~", cof cof cof..., a grana pra pagar a mensalidade da sua conta na netflix saiu do seu bolso, sua anta

Anônimo disse...

É fora do assunto, mas eis um vídeo de um homem usando o seu espaço de voz para falar para outros homens sobre o que as mulheres enfrentam no futebol.

https://www.youtube.com/watch?v=oFO9v-9TGps

lola aronovich disse...

Obrigada! Ótimo vídeo. #DeixaElaTrabalhar

Danielle Pasqualoto disse...

Eu li e entendi a posição da Antónia Pellegrino. É possível ter esta interpretação como ela descreveu, tanto é verdade, que vi diversas pessoas declarando seu voto ao Bolsonaro como resposta a série. Mas o que aassisti foi diferente! Vi uma série que mostra que a corrupção não tem ideologia politica ou partidária. Quem mais recebe grana para campanha politica, mais comprometido está sistema chamado pelo Zé Padilha como mecanismo. Ele mostra corrupção, vaidade e interesse em todos os sistemas, inclusive o da policia federal e MP. Pra mim o que ficou claro é que o problema não esta na ideologia politica, mas sim como a politica é feita, ou seja, com dinheiro, muito dinheiro! A mudança que podemos fazer é no voto! A alternativa está em buscar candidatos que não tem milhões para fazer campanha politica, está na mudança do comportamento do eleitor. Mas enquanto a gente brigar para manter os mesmos, financiados pelas empresas de sempre, o mecanismo continuará, ou pelo menos será o mesmo.

Rodolfo abrantes disse...

Ei blogueira mais não era essa a mesma intenção do filme do lula?

O diretor fez um série apartidária sim, pois não especificou partidos e colocou a corrupção com uma endemia que atinge todos os setores do poder.

Vocês estão com raiva porque não tem mais como encobrir o crimes do PT e ficam com raivinha quando alguém usa as mídias de massa para divulgar isso.

Rafael Cherem disse...

Danielle, com todo respeito, o voto na democracia burguesa é pura ilusão. Vale de nada.

Alice disse...

O mais delirante nesta série é que ela deixa totalmente de fora o embate ideológico que está no centro da questão. Em SP, palco das grandes manifestações contra o PT, o discurso anticorrupção era apenas um disfarce para um embate feroz entre socialistas e gente que abomina (odeia) o socialismo. Esse ódio contra a ideologia socialista esteve abafado durante anos no Brasil, mas saiu do armário com a vitória do Lula. Conseguir ignorar isso demonstra o talento do Padilha para reinventar a realidade.

Anônimo disse...

Excelente texto, falacioso, mas não deixa de ser um excelente texto.

Conhecendo a história de Antônia Pellegrino não poderia ser diferente: Uma intelectual-orgânica fazendo o seu papel.

Anônimo disse...

Não havia embate contra socialistas porque não há socialistas reais neste país. Eles são minoria. Nem o Lula é socialista. Socialismo só existe na cabeça dos zumbis do Olavo de Carvalho e nas cabeças das Alices no país das maravilhas.

Anônimo disse...

Por acaso é aquela serie onde atribuíram ao Lula uma fala de Jucá. Queria muito ver uma série onde se mostrasse a corrupção de todos os lados, mas não é nisso que a serie está interessada. Se estivesse não atribuída ao PT várias coisas que não foi de autoria do PT. Você leu mesmo o texto da Lola Daniele? O problema são mentiras, a criação de uma falsa narrativa que as pessoas estão aplaudindo. Não vou defender a esquerda porque sei que ela também é capaz de fazer isso com os adversários também. Não existe mais nenhum respeito a verdade. Querem passar por cima da constituição em julgamentos por puro ódio do adversário. Eu acho que a intenção desse cara talvez tenha sido mesmo fazer com que as pessoas optem em votar no Bolsonaro. Votos escolhidos com base em odio, mentiras, vontade de destruir o inimigo sem nenhum apelo a razão. Esse país vai acabar substituindo a constituição pela biblia. O povo brasileiro não quer viver com liberdade. Quer " autoridade" seja ela estatal ou "divina".
E assim vai morrendo a liberdade sem que seja preciso um verdadeiro golpe militar... com o apoio de idiotas.

Anônimo disse...

Socialistas de mentirinha que fizeram um país pobre como o brasil ter que pagar impostos de primeiro mundo e ser um dos últimos em liberdade econômica? Estamos praticamente vivendo em uma economia socialista, onde tudo depende do estado e tudo existe para o estado, a única coisa que falta é estatizar oque ainda não é publico.

Anônimo disse...

Quem não consegue viver sem autoridade é a esquerda que prega a porra do estado em tudo e fode a vida de todo mundo, direita quer mesmo liberdade econômica.

Anônimo disse...

Sem liberdade nos costumes e portanto sem liberdade do sujeito. Com uma bíblia retrógrada no lugar da constituição. Não se faça de desentendido. Pra você se houver liberdade econômica sem liberdade política com uma ditadura já está bom. Eu quero liberdade em TUDO.

Anônimo disse...

Enquanto não estatizar o que ainda não é publico o que aliás nunca vai acontecer porque nem o Lula tentou isso então não é socialista. Volte para o ensino médio e aprenda o que é socialismo, comunismo e estado grande.

Anônimo disse...

"últimos em liberdade econômica"

só vcs liberOtários se importam com o engodo da lIbeRrdadjÍ eCÚnoMyCa, kkkkk, ng liga pra essa merda fraudulenta, vá te catar

"Estamos praticamente vivendo em uma economia socialista..." (sic) - nos seus delírios urológicos, só se for

Sinceramente, vá se foder legal, seu delirante de merda

"direita quer mesmo liberdade econômica" - kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

não é o q o trumijo, o boçalnaro, olasno do caralho et caterva dizem, putz, "direita quer liberdade econômica" - quer o c%ralho, seu estrume

lIbeRrdadjÍ eCÚnoMyCa além de IRRELEVANTE só serve pra recrudescer o poder das já grandes empresas, seu estervo

Anônimo disse...

"Se a eleição presidencial fosse hoje e Bolsonaro eleito, pela lógica da série, estaria tudo ótimo. O mecanismo poderia ser quebrado. Acho que José Padilha não entendeu o mecanismo."


Essa entendeu tudinho, só que não.

Raíza Marinho Godois disse...

Tupa não sabe nem ler ? O texto crítica as mentiras do diretor e ponto final

donadio disse...

O Marco Ruffo se orgulha muito de jamais ter aceitado propina.

Entretanto, comete todo tipo de crime: ameaça, dano, chantagem, lesão corporal.

Então me pergunto: já que ele comete tantos crimes, por que não comete mais um aceitando logo propina, e pára de encher o saco?

Viviane disse...

Esse personagem está igual ao cafetão dando lição de moral no Lula, olha isso:
https://blogdacidadania.com.br/2018/04/stj-absolveu-cafetao-que-promete-premios-a-clientes-se-lula-for-morto-na-prisao/

Vivien Gonzaga disse...

Ahhh neim, gente! Eu só lamentei, mesmo, como a Antonia Pellegrino, que um time de atores ultraqualificado tenha se dado a tanto desrespeito. Será que foram filmando sem o roteiro completo, tipo telenovela ou algo assim? Não duvido, porque, feito dessa forma, justificam-se furos absurdos como a ressurreição "natural" de Rufo, lá no segundo ou terceiro episódio. Aí já deu pra mim, e parei de assistir! Parece que me poupei de maiores desgostos, pois, quando se distorce a história (aquela factual, já dificílima de ser apreendida) com descarada intencionalidade e tamanha irresponsabilidade, aí não cabe justificativa!