terça-feira, 29 de maio de 2012

DUAS OU TRÊS OPINIÕES CONTROVERSAS SOBRE ESTUPRO

Esta vem do blog I Blame the Patriarchy, de um post de 2006 (eu li faz um tempão, achei interessante, traduzi, e o esqueci numa dessas gavetas também conhecidas como arquivo de computador):
“Estupro não é um apenas um conjunto de incidentes cometidos por um contingente de psicopatas. É, como disse Susan Brownmiller, 'um processo consciente pelo qual todos os homens mantêm todas as mulheres num estado de medo'.
Se você é um homem, e não estupra mulheres, bom pra você, mas se você me mandar um comentário elaborando como o seu autocontrole nobre e pessoal invalida a afirmação de Brownmiller, você estará apenas se envergonhando. Independente do tipo de homem que você é, você se beneficia de mil formas diferentes da subordinação feminina perante a violência sexual. Os estupradores de verdade criam o choque e o espanto, mas eles são apenas a infantaria; cabe a você acabar o trabalho.
Você faz isso demonizando feministas, alugando mulheres para lap dances, deixando que os estupradores sejam absolvidos em corte, comprando lingerie sexy pra sua mulher, parabenizando sua namorada na plástica pros seios que fez, ignorando estupros em massa em lugares onde há guerra, passando o endereço virtual do último vídeo-sensação pornô, encarando sem parar a menina no ponto de ônibus, deixando que sua mãe lave sua roupa, “dando” sua filha em casamento, votando em gente que quer controlar os úteros, pressionando sua namorada a fazer anal porque todos seus amigos fazem, tendo uma opinião sobre o tamanho dos lábios vaginais, argumentando que striptease dá poder às mulheres [...], por sua inabilidade em conceber sexo sem dominação, e pela recusa, mesmo após trinta anos de mulheres inteligentes e estudadas te falando o contrário, em conceder que você não vê verdadeiramente as mulheres como você vê a si mesmo.
Mas a situação pras mulheres, você pode querer discutir, já que ouviu falar que homens começaram a compartilhar o trabalho doméstico, melhorou muito. Você acha? Então por que uma mulher americana é estuprada a cada dois minutos, e como 78% dos estupradores são maridos, namorados, ou paqueras? Menos de 16% desses estupros são notificados. O tempo médio que os poucos condenados cumprem de pena: onze meses.”

Se você achou o pedaço do post acima provocativo, espere até ler este, que é de um post de 2008 de outro blog feminista radical americano, Rage Against the Man-chine. Uma feminista sugere, apenas como exercício de pensamento (não pra levar a cabo), que, em casos de estupro, a lei seja mudada. Ao invés da vítima ter que provar que foi estuprada (o que em muitos casos não dá pra provar), o acusado é que deveria ter que provar que não estuprou:
“Há um perigo inerente nesse sistema que alguns homens inocentes seriam punidos, e isso é lastimável. Não é mais lastimável, porém, que o fato dos homens estuprarem com impunidade em proporções epidêmicas simplesmente porque suas vítimas não conseguem provar a uma sala cheia de misóginos que elas não consentiram a um ato sexual. As vítimas determinarão se um crime ocorreu, não os réus. Isso pode assustar os homens, e alguns deles dirão que as mulheres usarão a lei para puni-los, só por vingança. Isso pode acontecer raramente, mas a intenção é proteger o máximo de pessoas possíveis, e acusações falsas de estupro representam um centésimo dos estupros que não são punidos.”
Ela apresenta a ideia revolucionária de que, assim, os homens só poderiam fazer sexo com as mulheres que querem fazer sexo com eles: “estupro é uma punição por ser mulher”.
Como você pode imaginar, muitos comentaristas sentiram-se ultrajados por sua sugestão. E isso realmente é uma constante em qualquer discussão sobre estupro: os homens sentem-se acusados, acuados, dizem que não têm nada a ver com o tema, que não são estupradores e acabou. Não seria mais interessante canalizar essa revolta não contra quem te lembra que estupro existe, mas contra o crime do estupro em si? Nos EUA, por exemplo, há grupos de Men Can Stop Rape (Homens Podem Parar com o Estupro). Espero que sejam muito mais numerosos que grupos de Acusações Falsas de Estupro, quase sempre formados por mascus (pra eles, todas as acusações de estupro são falsas. Estupros só acontecem nas cadeias, entre prisioneiros. E quem liga pra eles? Não os mascus).
Este comentário entre os 202 deixados no post da Rage deve ter sido escrito por um mascu: “Se as mulheres não querem ser estupradas elas deveriam parar de beber. Sinto muito que homens são mais fortes e podem estuprar mulheres mas isso é genético e foi Deus quem quis assim”. Aham. Pelo menos ele sente muito.
Isto também é um pouco antigo, mas talvez sirva de inspiração pro grupo (já com mais de 270 membros) iniciado poucas semanas atrás pra combater in loco a propaganda sexista. Sei que vocês não fazem apologia à pichação, meninas. Foi assim: uma empresa acostumada a fazer comerciais e anúncios machistas, a American Apparel, teve que trocar um de seus outdoors nos EUA. Ele mostrava uma mulher sem rosto em pose insinuante.
Um carinha passou lá, viu o anúncio, ficou indignado com o tratamento que a propaganda dá às mulheres, foi pra casa, pegou tinta grafitti, voltou pro local, esperou até as 4 da manhã, e deixou lá o seu protesto: “Gee, I wonder why women get raped?” (“Puxa, eu me pergunto por que as mulheres são estupradas”). A empresa teve que trocar o outdoor. Detalhe: o presidente da empresa já foi acusado cinco vezes de assédio sexual.

279 comentários:

«Mais antigas   ‹Antigas   201 – 279 de 279
Sil Teixeira disse...

Anônimo das 00:14

Dentro de um prostíbulo creio que a chance dela poder recusar seja zero. Afinal ela ainda trabalha para alguém.
As prostitutas de rua não tem essa opção porque precisam do dinheiro, já que ganham bem menos que as "de luxo" (termo ridículo).

Olha, sobre sua opinião do libido de 20h por dia acho que só se for de um adolescente que não tem nada para fazer. Homens também tem preocupações, tarefas, trabalho, etc. Isso desconcentra o homem de pensar só em sexo 20h por dia. Aliás, ele tá com o libido alto até quando dorme? Ou só dorme 4h?
Em relação a dificuldade da mulher, ela não é estimulada o tempo todo a ter libido como os homens.

LisAnaHD disse...

LoLa, esta está buenísima !!!

Esta mujer me fascina más como mujer que como cantante a pesar que canta extraordinariamente bien.
MrFanaticoRock 3 weeks ago

No, no y no
http://www.youtube.com/watch?v=4DoJSv7sdp0&feature=related

Anônimo disse...

Sil Teixeira,
concordo sobre o que você disse.

Conheço algumas mulheres que se protituem/prostituiram. A maioria delas não têm família e faz/fez programa para se sustentar.
Minha tia faz parte de uma ONG no DF, e ela disse que a maioria das meninas se prostituem para manter a família ou o vício nas drogas, que são uma valvula de escape para aguentar a dura vida na prostituição, já que elas não têm a opção de escolher os clientes e muitas vezes são agredidas e humilhadas. Inclusive, não conseguem deixar de usar drogas, pois não há muitos centros de tratamento para dependentes químicos por lá.
É um circulo vicioso.

LisAnaHD disse...

Simples e complexamente não compreendo essa rixa-richa entre homens e mulheres aqui no blog e, menos ainda, entre mulheres e mulheres. Num mundo onde se canta tanto o amor as pessoas se deixam levar por palavras de desavenças...

"Siempre seràs el amor de mi vida, te he amado con todo mi corazòn, todavìa tengo en mis oìdos, tus palabras: YA NO TE AMO. pero mi corazòn no las escuchò, y te seguirè amando el resto de mis dìas, porque no solo fuiste el amor de mi vida, FUISTE MI VIDA!!

Carolina, por siempre te amarè
tonnyrodriguezl 1 week ago"

Te amaré vida mía - Chavela Vargas
http://www.youtube.com/watch?NR=1&v=GlGhS7NOV5k&feature=endscreen

Luiz disse...

Não acho que nossa sociedade tolera o estupro. Condenados por crimes sexuais são os primeiros a serem mandados para o isolamento dentro das prisões para não serem mortos pelos outros presos. Em rebeliões são os primeiros a serem mortos. Uma condenação de estupro é sem dúvida uma das penas mais severas da nossa lei penal. Concordo que temos que prestar toda a solidariedade as vítimas de violência sexual e buscar sim maneiras de se punir os seus agressores. Mas por favor. Faremos isso respeitando o estado democrático de direito mesmo que isso custe a não prisão de alguns culpados.

Agora vamos para a outra parte do post. Defender que alguém tenha que provar que não é culpado de um crime é um flerte perigosíssimo com os princípios totalitaristas mais esdrúxulos. A condenação de um inocente é sempre um ato de extrema violência. Pessoalmente, seria favorável a pena de morte. Minha oposição a pena capital resulta da impossibilidade prática de se evitar injustiças. Mas eu pergunto. E se o condenado for inocente? Alguém consegue estimar o tamanho da punição? O máximo que se produziria são dois desastres. Dai que vem as minhas ressalvas.

Voltaremos ao caso do estupro e aos textos aqui mencionados. Não me surpreende que este texto seja escrito por alguém que se auto define como radical. Radical é alguém que sempre estará errado. Quando não erra no princípio , erra no método. Dai não me surpreende que uma radical assim queira retroceder o estado de direito para a idade da pedra lascada. Entre deixar que se escape alguns culpados e punir alguns inocentes eu prefiro correr o risco de deixar que alguns culpados escapem. Não se pode fazer justiça punindo inocentes. Vejam este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=b0O0ZrX__F4&feature=related

Não meus caros, isto não é justiça. Uma sociedade democrática não pode tolerar isso. vale a alerta feito no comentário de uma leitora que disse ser juíza e relatou que as principais denúncias de crimes de natureza sexual contra o parceiro aparece depois da separação. Tão estúpido quanto cometer estupro (Um crime bárbaro)é punir injustamente alguém. O ser humano é mesquinho, baixo e aproveitador. Mulheres não estão livres disso. Mau caratismo é uma prerrogativa humana. Não é exclusividade de homens ou mulheres. Mulheres podem sim usar este expediente para acusar injustamente algum homem de estupro para "tirar" algum proveito. Ressalto, isso é a minoria. Por isso a justiça não pode basear sua decisão apenas na palavra da vítima. Ela tem que vir acompanhada de laudo psicológico, prova material e testemunhal.

http://revistaepoca.globo.com/Mente-aberta/ruth-de-aquino/noticia/2012/01/palavra-e-o-sexo.html

Luiz disse...

Outro ponto que a autora radical (e errada) toca é acusar todos os homens de se aproveitarem de um sistema. Bem, vamos aos fatos. Não seis se a vida de uma mulher é boa. Posso especular muito a respeito, mas nunca serei uma mulher para saber. Dai que duvido sempre quando a vida de um homem é sempre melhor que de uma mulher. Para gente! Vamos ter um pouco mais de humildade.

É muita pretensão achar que você sabe o que é bom para a vida do outro. Que você consegue estimar o grau de felicidade do outro. Ser mulher deve trazer problemas e deve trazer vantagens. Ser homem me traz algumas vantagens e muitos problemas. Isso eu garanto. Mas dai a achar que os meus problemas são piores ou melhores que o das mulheres é muita petulância da minha parte. Cada pessoa é única e deveria ser vista em sua individualidade. Não faz sentido eu vestir uma camisa com o slogan "100% Judeu" e sair assim andando nas ruas de Berlin só para lembrar aos alemães que eles tentaram matar a minha bisavó em um campo de extermínio. A grande maioria dos alemães atuais não fizeram isso. Isso é a busca do prazer mórbido das supostas vítimas, e a busca de uma condição que me dá licença moral para chutar a canela do adversário e gritar: “Fui agredido!” Isso é degradante, desonesto. O ser humano deve ser olhado em sua individualidade. se tem um alemão comprovadamente nazista ele deve ser punido. Se tem um homem comprovadamente estuprador ele deve ser punido. Se tem um branco comprovadamente racista ele deve ser punido, mas não se deve punir todos os alemães por culpa de um nazista, não se deve punir todos os homens por causa de um estuprador. As pessoas são indivíduos e como tal devem ser tratadas e respeitadas.

PS. Se uma mulher quer se prostituir ou fazer um filme pornô o direito dela de fazer e isso deve ser respeitado. Da mesma forma é a sexualidade. Se o único tipo de relação sexual que um homem quer ter é com prostitutas, esse é um direito dele. Há um projeto de lei no Congresso que regulamenta a prostituição. Ironicamente ele não vai a voto por causa da oposição da bancada religiosa e da bancada feminina. Um claro sinal de que dogmas não são um bom critério para nortear as decisões no mundo terreno. Enquanto esperamos femininas e religiosos defenderem de seus dogmas, vemos algumas prostitutas ficarem entregues a cafetões e exploradores sexuais. um claro sinal de que o bom senso nem sempre dá expediente na cabeça de algumas pessoas.

LisAnaHD disse...

Há dois tipos de prostituição e um deles é devastador: é a prostituição decorrente da falta de escolaridade, da pobreza, da ignorância, da subjugação e suas consequências. Essa prostituição não toma em conta a dignidade humana sob nenhum aspecto. Eu sei que no Brasil a literatura e sua obra de ficção não é realmente levada a sério no contexto de que retrata a realidade e pode mudar a sociedade. Porém, nos romances de Victor Hugo podemos aprender sobre a sordidez do sistema que leva meninas à prostituição. Émile Zola também dedicou sua literatura a esse aspecto da sociedade. Leo Tolstoi, em seu último romance, "Ressurreição", retrata o que podemos dizer é a corrupção do sistema judicial/judiciário brasileiro e de outros países afins.

A segunda forma de prostituição é exercida por mulheres intelectual e financeiramente independentes e são prostitutas por opção por mais que isso possa surpreender a muitas outras mulheres. Trata-se de mulheres com ensino superior completo e até mesmo mestrado em grande número. São prostitutas pq cobram pelo sexo mas não vivem pelas ruas e nem têm um cafetão que as explora. Toda prostituta tem o direito de dizer NÃO e fim de conversa. Todo profissional tem o direito de recusar seus serviços.

Dou aulas particulares e volta e meia digo NÃO e um exemplo é qdo a pessoa é folgada e não é chegada aos livros e nesse caso não há dinheiro suficientemente tentador pra pagar uma aula minha. Também dou aula de graça qdo sei que a pessoa não pode pagar mas tem muito interesse em aprender. Prostituta tb pode dizer NÃO oras e não sofrer represálias que se acontecerem devem ser respondidas por.

Ano passado uma dessas prostitutas sofisticadas foi morta pelo namorado e ele fez horrores com o corpo da defunta pra esconder as provas. A polícia identificou a moça pelo número do implante de silicone dos seios. Qdo se viu sem saída no cerco policial, apesar de haver fugido pro Canadá, o cara se suicidou num quarto de hotel. Bonito, culto, havia participado de um reality show na TV. Uns meses depois outro cara fez o mesmo com a namorada (advogada que não exercia a profissão pq preferiu ser prostituta), mas não acompanhei que fim levou o cara.

Prostitutas como esses dois exemplos não são mulheres que se dizem prostitutas, mas foi fato sabido que faziam programa por grana e provavelmente se envolveram e se apaixonaram por caras que pareciam ser um grande partido e daí descobriram que eram vigaristas, terminaram o relacionamento e deu no que deu. Outras prostitutas trabalham para locais fechados e seguros e algumas moças trabalham somente nos finais de semana, outras somente duas semanas por mês... isso existe por todos os lados e acho que até mesmo em Cuba pois lá até a prostituição de mocinhas pelas ruas de La Havana está correndo solto e nesse caso é decorrente da pobreza unicamente.

Obviamente alguém que passa por aqui poderia apresentar o mesmo assunto com um redação mais elaborada e sofisticada do que a minha, até mesmo usando terminologia jurídica ou científica coisa e talz, mas basicamente é isso.

LisAnaHD disse...

Luiz eu não havia lido seu comentário antes de postar o meu das 03:02 e te digo que, mais uma vez, aprecio o que vc escreve. Mesmo se eu discordar no todo ou em parte com o que vc escreve, ainda assim admiro a seriedade com que vc trata dos assuntos que aborda. Admiro seu intelecto e a maneira sensata com vc se expressa.

"Vamos ter um pouco mais de humildade. É muita pretensão achar que você sabe o que é bom para a vida do outro. Que você consegue estimar o grau de felicidade do outro." --Luiz 2:53

kai disse...

Lola, acabei de ter uma idéia MARAVILHOSA.

MARAVILHOSA, MARAVILHOSA, MARAVILHOSA.

e te dou assim, ó, de graça, só porque eu te amo muito e acompanho o seu blog desde mil anos (e recomendo pra todo mundo rs).

SEGUINTE (LÁ VAI): Você, vocêzinha mesma, poderia selecionar várias críticas suas, fazer A triagem - até porque você tem um milhão de posts no seu blog - e publicar um livro.

1. Sua audiência cresce exponencialmente.
2. Você é reconhecida nacionalmente academicamente como uma importante voz contra bullies, estupros, homofóbicos, racistas, machistas, gordófabos e tudo o mais.
3. O seu estilo é apaixonante. É só ler um post que dá vontade de devorar o blog inteiro.

Enfim, se eu soubesse como te ajudar, EU FARIA com minhas proprias maos. mas acho que voce precisa de alguém big no assunto.
um marketing eficaz. e voalá : mais informação nas livrarias, mais cabeças abertas, mascus revoltadíssimos e, de sobra, graninha pra vc e o maridão passearem pra cima e pra baixo.

bom, é isso. espero que não tenha achado muita viagem.

kai / kailabre@gmail.com =*

Joana disse...

Luiz, eu acho que essa relativização excessiva esconde a realidade. Os homens são privilegiados em vários sentidos. E reconhecer esse privilégio é parte do caminho pra se buscar igualdade.

E eu acho que a nossa sociedade é conivente com estupro sim.
Salvo nos casos de "moça de família" que foi espancada e estuprada ou crianças e jovens "de família" que foram estuprados, a sociedade é bem conivente.
Porque certas coisas (fazer sexo com um mulher muito bêbada que não está nem em condições de falar, fazer algo que uma prostituta não queria, forçar a mulher ou namorada a fazer sexo) uma boa parte da sociedade não considera estupro.
Essa palavra "forte", que leva os presos a sofrerem na cadeia só é empregada nos casos em que a vítima não é considerada culpada pelo crime.

Agora, isso não quer dizer que eu concorde com os textos!

Principalmente o segundo!! Desse eu descordo totalmente. Eu sou a favor da igualdade e me causa pavor saber que pessoas estarão sujeitas a ter que provar que não cometeram crimes.

Mas fato que estes textos provocaram debate....

Joana disse...

Oh Céus! DISCORDO. Com "i"!!!

Anônimo disse...

Não gostei dos textos, mas meus motivos já foram explicados pelos outros comentários.

Sobre a prostituição, o curioso é que uma prostituta de luxo possa ganhar tanto dinheiro a ponto de largar um trabalho formal para isso. Isso revela duas caras:

1) O corpo, isento da pessoa que o "habita", é considerado um brinquedo de luxo. Uma prostituta ganha muito dinheiro para despir-se de suas preferências e dormir com o cliente. E as pessoas pagam esse dinheiro para ter uma escrava sexual previamente acordada por algumas horas.

2) A significação do sexo cai rapidamente com a compra dos serviços, o que exime de responsabilidade.

Enquanto o ponto dois pode ser moralmente discutido por reduzir uma pessoa a um boneco de carne, a segunda me suscita dúvidas.

Vi uma vez um documentário sobre garotas de programa. Elas entram no ramo porque querem, porque curtem, e encontram prazer sendo profissionais do sexo. Elas escolhem seus clientes. Acordam os detalhes antes de ir à cama, explicam o que fazem e o que não, e muitas examinam os órgãos sexuais deles à procura de indícios de doenças. E se o cliente quebra as regras, elas podem se recusar e o contrato é rompido.

Então, se elas fazem o que querem com o corpo DELAS (algo que as feministas dizem e repetem) porque gostam, qual é o problema de cobrar por isso? Aliás, qual a diferença entre elas e uma mulher que faz sexo casual com semidesconhecidos por prazer?

NÃO ESTOU CHAMANDO MULHERES ASSIM PUTAS, não estou desmerecendo a mulher que faz sexo casual. Mas estou perguntando por que temos que desmerecer a profissão de prostituta se são mulheres que levam às últimas consequências o conceito de "eu dou pra quem quiser, a porra da buceta é minha" (alguém usou essa frase num comentário há um tempo). Ou vocês acham que boa parte dos homens de one-night-stands nunca nos vêem com os olhos de quem vê uma prostituta?

Por que a prostituta tem de ser repudiada e desejada ao ponto de ser uma, liberada das barreiras moralistas que limitam o uso de seu corpo como modo de vida, é financeiramente hipercompensador? É porque suscitam o desejo de que um homem pode comprá-las? Mesmo que façam suas próprias regras?

Se o tabu fosse quebrado, isso não perderia tanta importância ao ponto de que ser prostituta seria um trabalho normal e corrente, e perderia toda sua aura de perversão e todo o dinheiro? No documentário, várias profissionais comentaram que muitos homens só as pagavam pra conversar (e por isso concordo com o Caracala de que não é apenas uma coisa sem emoção; pode haver respeito,a conselhamento e até amizades, assim como uma trepada casual pode ter isso, e assim como uma pessoa pode ser amiga do seu cabelereiro, apesar de pagá-lo) A demanda cairia, se os homens se comunicassem melhor com suas mulheres e essas deixassem cair os tabus. Talvez até desaparecesse em termos práticos.

Mas para isso há que superar o preconceito que as próprias feministas têm com mulheres que escolhem trabalhar dessa forma. Vamos julgá-las? Antes julgar a um publicitário que faz propagandas de cigarro, ou pesquisas para vender mcdonald's às crianças, que isso é quase vender a alma.

Branca disse...

Lola, alguém uma vez postou o site "what about teh menz" e andei lendo. Através de um link, cheguei nessa página, que fala sobre a educação sexual péssima dada pelos pais a seus filhos HOMENS:

http://goodmenproject.com/featured-content/what-happens-when-we-dont-teach-our-boys-about-sex/

Achei muito corajoso que um homem admita e jogue as cartas claramente.

fabio disse...

eu ? feministas não são a favor da liberdade sexual ? prostitutas, desde que adultas fazem o que fazem por opção, ninguem as obriga, param quando quiserem, assim como, stripers, dançarinas de funk, capas de revista masculina, garotas de programa tambem.

-
sabem porque s feministas detestam a prostituição ? porque isso tira o poder de barganha que a mulher tem com o sexo, devido a alta libido do homem, e baixa libidio feminina, a mulher ussa o sexo para dominar e subjulgar a mente do homem,mas oque as feministas não veem e que as prostitutas so estõ atendendo uma regra bassica de mercado, a da oferta e da procura, alguem conhece um prostibulo de garotos de proglama frequentado por mulheres ?

-
quanto a monogamia e fidelidade, sou totalmente a favor, se alguem deseja exclusividade e dedicação, deve no minimo fazer o mesmo, eu estou a um ano e meio num relacionamento, e digo com orgulho que sou completamente fiel, não somente por respeito a ela, mas tambem a mim e a meus valores, passados a mim por meu pais e minha mãe, PALAVRA DE HOMEM NÃO FAZ CURVA !!!

Anônimo disse...

fabio



Ser idiota desse jeito requer muita prática ou já nasceste com tal habilidade?

Anônimo disse...

"porque isso tira o poder de barganha que a mulher tem com o sexo, devido a alta libido do homem, e baixa libidio feminina, a mulher ussa o sexo para dominar e subjulgar a mente do homem"



Além de analfabeto funcional ele é humorista.

PARA
BÉNS!

fabio disse...

charme nenêm, kkkkk, e puro charme
(^-^), eu sou muito e gostoso !!!

Anônimo disse...

Sim, mui lyndro.
Dá pra ver pela foto... quase um Orlando Bloom (depois de 5 atropelamentos, 2 incêndios e 4 surras).

Anônimo disse...

Quando vcs,homens,foram falar de prostituição precisam tirar Bruna surfistinha da cabeça(seja lá qual for) e pensar nas meninas do documentário "Anjos do sol" ,nas meninas de 12 anos ESTUPRADAS por um cara, inocentado por uma juíza,sob o argumento de que as menias já eram P*TAS,portanto,nada inocentes em relação ao sexo ou naquelas mulheres,verdadeiros farrapos humanos,vendidas por uma pedra e coisa que o valha,nas que são oferecidas por seus pais e ou companheiros(verdadeiros cafetões espancadores)é nelas que tem que se pensar.Se bem que,após a descrição de roteiro de filme pornô feita aqui,por um cara consumidor desse serviço,fica complicado esperar essa empatia desse povo,pra eles,e é bem conveniente pensar assim,todas são Bruna surfistinha.


Cética

Anônimo disse...

E tem que ser muito cabaço pra usar como argumento " mulheres odeiam prostitutas,pq elas diminuem seu poder de barganha" pode até acontecer,mas com as bobonas de pensamento machista,o que não é o caso das meninas daqui,aqui ninguém odeia mulher nenhuma,nem nos subdividimos em categorias "elas putas" nós "mulheres de familia" pra dispustar a atenção do macho,o que eu sinto pelas mulheres e CRIANÇAS nessa situação é pesar,pq ter que aguentar o que elas suportam;um estranho FAZENDO sexo nelas,pq sexo COM elas não acontece.


Cética

Anônimo disse...

Liga não, Cética... O Fabio esqueceu de tomar a clozapina, a risperidona e o aripiprazol hoje.

Dignidade, queridão? Tu não saberia o que é dignidade nem se ela sentasse na tua cara.

Anônimo disse...

Anônimo das 8:00

Onde vc viu julgamento as prostitutas aqui? está se falando aqui da situação da maioria,e não da minoria que escolhe/faz com quer/a hora que quiser...


anônimo das 9:15

Eu não ligo não =p


Cética

Subvertidas disse...

Sobre porque estupramos mulheres: nós, homens e mulheres. http://www.subvertidas.blogspot.com.br/2012/05/como-o-ocidente-matou-amina-filali.html

George Pedrosa disse...

Ridículo. O ônus da prova cabe sempre, SEMPRE ao acusador. Em qualquer situação. Estupro não é o único crime que gera impunidade. A lei em qualquer país democrático age sempre sob o princípio de que é melhor libertar dez culpados do que prender um inocente. Mudar o ônus para o acusado nos casos de estupro é não só uma sugestão ridícula como também abre um precedente perigosíssimo para que isso seja aplicado a outros crimes, e aí pessoas pobres e negras, alvos fáceis de acusadores, serão encarceradas a torto e a direito. Admiro você, Lola, mas essa sugestão é completamente absurda e arrogante, além de ser um desserviço para a causa feminista.

.maria. disse...

adorei o post de hoje. necessário. principalmente no primeiro texto, em que se coloca claramente o fato de que a sociedade levanta a bola e o estuprador corta. Nossa cultura machista viabiliza esse tipo de crime, dá respaldo e protege o criminoso, justificando muitas vezes seus atos ("homem é animal mesmo", então mulheres pertencem a outra espécie? não sabia...)
A erotização da imagem da mulher a desqualifica e isso é um hábito tão presente na nossa vida que muitos se sentiram ofendidos qdo leram e perceberam que fazem naturalmente, sem pensar, o que afirmou a autora do primeiro texto. Sobre provar que não cometeu o estupro ao invés de o contrário, acho irreal, mas se apenas se partisse do princípio que a vítima pode estar falando a verdade, já será um gde avanço num mundo que acredita ser a mulher a culpada por ter sido estuprada.

Vivi disse...

Sobre alguém que falou da Bruna Surfistinha. Também tenho a impressão de que existem algumas pessoas que vê a prostituição com um olhar muito romântico. A Bruna Surfistinha, o erotismo, o sexo livre na prostituição, pelo que sei é exceção. A maioria é pobre mesmo, prostituta de rua, sem condições mínimas para se cuidar, toda detonada de tanto ter que se vender, fora a prostituição infantil do Norte-nordeste. Chega de romantizar a prostituição gente. Sei que a arte faz isso há séculos (Dama das Camélias, Uma Linda Mulher, Hilda Furacão, A bela da Tarde etc etc..)..mas eu duvido que a realidade condiga com este fetiche que a arte criou, desta glamorização da puta.....E é só pensar quem criou estas peças, livros, filmes com o retrato prostituta romantizada...a maioria homem pelo que sei!
Bjos Lola!!

Anônimo disse...

inversão do ônus da prova em matéria penal?? condenar inocentes é melhor que a impunidade de culpados???

ah, dá um tempo... ainda que a causa seja justa isso é tão absurdo que não mereceria os 5 minutos de atenção que eu dei.
e vai dar munição pra mascus e simpatizantes.
assim como os fantásticos comentários da dri caldeira, que anda particularmente inspirada.

Caracala disse...

Minoria
Eu quero ser a minoria
Eu não preciso da sua autoridade
Abaixo com a moral majoritária
Pois eu quero ser a minoria
Eu prometo lealdade ao submundo
Uma nação oprimida da qual eu resisto sozinho
Um rosto na multidão
Não celebrado, contra o modelo
Sem uma dúvida
Excluído
Do único jeito que eu sei
Porque eu quero ser a minoria
Eu não preciso da sua autoridade
Abaixo com a moral majoritária
Pois eu quero ser a minoria
Pisei fora da linha
Como uma ovelha foge do rebanho
Marchando sem ritmo
Ao meu próprio compasso agora
Do único jeito que eu sei
Uma luz, uma mente
Piscando no escuro
Cegado pelo silêncio de mil corações partidos
Por reclamar alto ela gritou para mim
Liberdade à todos
Fodam-se todos eles
Você é a sua própria opinião
Porque eu quero ser a minoria
Eu não preciso da sua autoridade
Abaixo com a moral majoritária
Pois eu quero ser a minoria
Uma luz, uma mente
Piscando no escuro
Cegado pelo silêncio de mil corações partidos
Por reclamar alto ela gritou para mim
Liberdade à todos
Fodam-se todos eles
Você é a sua própria opinião
Porque eu quero ser a minoria
Eu não preciso da sua autoridade
Abaixo com a moral majoritária
Pois eu quero ser a minoria
A minoria, A minoria, A minoria, A minoria

Marina disse...

-b, essa exceção só é possível para marcas (first to use). Especificamente em patentes o que vale é o "first to file", pelo menos aqui no Brasil.
Mas enfim, isso não tem nada a ver com a discussão!huhauhauahuah

Vivi disse...

E diga-se de passagem que quem usufrui desta prostituição”glamorosa” da puta “romantizada” são só os poderosos., ou os gringos que vem pro nordeste comprar o corpo de crianças..etc..

Sonado disse...

Depois de ler argumentos bem elaborados de pessoas como LisAnaHD, Luiz e Joana, tinha de aparecer um tosco como o Fábio para estragar o debate...

Vinicius disse...

"É muita pretensão achar que você sabe o que é bom para a vida do outro. Que você consegue estimar o grau de felicidade do outro. Ser mulher deve trazer problemas e deve trazer vantagens. Ser homem me traz algumas vantagens e muitos problemas. Isso eu garanto. Mas dai a achar que os meus problemas são piores ou melhores que o das mulheres é muita petulância da minha parte. Cada pessoa é única e deveria ser vista em sua individualidade. "

Ok, mas machismo naõ é um problema do indivíduo, não é uma opinião. Machismo é um estado de coisas completo, é um problema social, não individual. Não se resolve com boa educação e ética.

É por isso que não tem essa de "prostituta por que quis, então não há machismo". 'Pq quis' não é um argumento. Ainda há um conteúdo significativo que é social, não depende do supostos "motivos" do indivíduo.

E é por isso que falar que mulheres estão numa categoria de oprimidas e homens numa de opressores não é um "julgamento da vida alheia", mas sim uma constatação de cunho coletivo.

Sonado disse...

Muito bem colocado Vinicius. Ainda mais se formos levar em conta que somos frutos dos processos sociais, e portanto é pouco provável que alguém optou pela vida de prostituição.

A prostituição é um problema social, mas não vai ser combatendo o machismo que vamos resolver este, ele não nasce apenas no machismo, mas também nas desigualdades sociais. Aqui temos um terreno bem amplo a se debater.

Sil Teixeira disse...

Eu juro que li os comentários e não vi ninguém desmerecendo as garotas de programa. Como disse elas são o puro reflexo da sociedade.

Tem mulheres que estudaram e são garotas de programa, certo. Elas também podem fazer acordos e transar com quem bem entender. Se isso fosse maioria, eu concordaria em partes, continuo com alguns ideais fortes meus. Como nesses termos não colocaria a pessoa que pratica em risco, seria um avanço muito bom.

Mas, realmente, parem de romantizar a situação. Você acha que uma mulher que tem 19 anos começou com 19 anos? Não, ela começou menor de idade. Quem sabe não foi vendida e se acostumou com a situação, pensou que não tinha como sair dali e resolveu viver o resto da vida sendo vista como mercadoria. Enfim, tem alguns casos isolados de garotas de programa que são felizes com a sua profissão, mas a maioria esmagadora não é.

Luiz disse...

LisAnaHD,

obrigado pelos seus comentários. Também gosto muito das suas intervenções. São intelectualmente honestas. É bom o seu comentário sobre prostituição e eu concordo em parte com ele. Fico estarrecido com o tanto de gente que tenta regular a vida privada de outras pessoas em coisas que não lhe dizem respeito. Acho que tem muito de moralismo nesta discussão. É incrível o medo que prostitutas e pornografia põe nos "religiosos" de qualquer natureza. Pessoalmente não faço uso do serviço delas mas não vejo problema nenhum no fato de algumas pessoas o requisitarem. Se o cara é casado isso é um assunto que tem que ser resolvido por ele e pela esposa. Quase sempre combate-se a prostituição e a pornografia usando o argumento da exploração e das condições sub-humanas dos envolvidos. Sim, elas existem mas na indústria têxtil também existe. Não vejo ninguém propor boicote ao uso de roupas por causa das condições degradantes que os imigrantes paraguaios e bolivianos são expostos nas confecções de SP ou propor o fim do consumo de açúcar por causa do trabalho escravo nos canaviais. Só na prostituição e pornografia se propõe isso. Qual a razão? Moralismo? Humm, acho que sim.

Joana,

muito difícil avaliar essa coisa de privilégios. Vou te apresentar um argumento. Sou professor universitário e meu limite de aposentadoria é 65 anos. Tenho muitas colegas professoras e todas, pela lei se aposentam com 60 anos de idade. Outro dado, a expectativa de vida para mulheres no Brasil e 76,3 anos e para homens 68,7 anos. Ou seja homens aposentam mais tarde e morrem mais cedo. Você sabe me apontar onde está o meu privilégio de homem nesta celeuma toda?

Você poderia alegar que mulheres tem jornada dupla. Pode até ser mas muitas das minhas colegas são solteiras ou são casadas e não tem filhos. Dai percebe-se que a teoria da jornada dupla fica bem enfraquecida. Por que não estender o privilégio da aposentadoria precoce a todas as pessoas que tem filhos e cuidaram deles?
Tenho duas filhas e participei ativamente da criação delas. Não foram poucas as madrugadas que fiquei acordado e tive que ir trabalhar no dia seguinte sem dormir nem 15 minutos durante a noite. Para um poder descansar adotávamos um rodízio. Um dia era eu o responsável por ficar a noite cuidando delas e a outra era minha esposa. O que posso te dizer é que eu fiz mais jornada dupla que qualquer mulher que não tenha tido filhos. Não reclamo disso. Ter filhos foi também uma escolha pessoal que fiz. Tenho que arcar com as consequências dela, mas não consigo entender porque uma mulher que trabalha tanto quanto eu e recebe o mesmo salário, se aposenta mais cedo simplesmente porque é mulher. O que você acha disso?

PS. Adoro meu trabalho e se depender de mim só me aposentarei compulsoriamente. pela regra atual é aos 70 anos.

Anônimo disse...

O homem que estupra não o faz pela roupa que a vítima usa e sim pq a vítima é fisicamente mais fraca do que ele. É um crime para provar a força física.

Sonado disse...

"O homem que estupra não o faz pela roupa que a vítima usa e sim pq a vítima é fisicamente mais fraca do que ele. É um crime para provar a força física."

Na verdade a motivação do crime é muito mais plural. Normalmente o estuprador tem algum histórico de violência sexual em seu passado, o que demonstra não ser um crime de auto afirmação e sim um crime motivado por um problema social gerado previamente.
Não estou defendendo o estuprador, apenas contestando a base da afirmação.

"Mas, realmente, parem de romantizar a situação. Você acha que uma mulher que tem 19 anos começou com 19 anos? Não, ela começou menor de idade. Quem sabe não foi vendida e se acostumou com a situação, pensou que não tinha como sair dali e resolveu viver o resto da vida sendo vista como mercadoria. Enfim, tem alguns casos isolados de garotas de programa que são felizes com a sua profissão, mas a maioria esmagadora não é."

Este é sim um fato, não há muito o que se falar a respeito que não seja para concordar com a afirmação.

Anônimo disse...

Luiz, é mais difícil se meter com problemas sociais como os que vc identificou (indústria têxtil/moda, sub-escravidão nos canaviais) enqto que sair às ruas em bandos como um bloco carnavalesco requer menos neurônios e basta sair batendo-boca para defender o ponto de visto. No primeiro caso as pessoas precisam ser politizadas, saber conversar com autoridade e autonomia sobre o que defendem e pelo que lutam.

"Vivi disse... E diga-se de passagem que quem usufrui desta prostituição ”glamorosa” da puta “romantizada” são só os poderosos., ou os gringos que vem pro nordeste comprar o corpo de crianças..etc.. 30 de maio de 2012 10:49"

---expelir coisas assim não requer nada mais além de impulsividade e capacidade para juntar várias letras do alfabeto e formar uma sentença completa...
KKK

Vinicius disse...

"muito difícil avaliar essa coisa de privilégios. Vou te apresentar um argumento. Sou professor universitário e meu limite de aposentadoria é 65 anos. Tenho muitas colegas professoras e todas, pela lei se aposentam com 60 anos de idade. Outro dado, a expectativa de vida para mulheres no Brasil e 76,3 anos e para homens 68,7 anos. Ou seja homens aposentam mais tarde e morrem mais cedo. Você sabe me apontar onde está o meu privilégio de homem nesta celeuma toda?"

Numa perspectiva ampla, o privilégio se situa em um homem ser, historicamente, considerado como o ideal de capacidade para exercer atividades sociais, econômicas e políticas.

Trabalhar durante mais tempo significa poder (não-adquirido, de nascença, mesmo). É uma das conotações modernos do poder que há no gênero masculino (já que o próprio trabalho "útil" está ligado, também às atividades masculinas).

Morrer cedo libera uma significação exata do trabalho praticado a vida toda. Logo, morrer cedo precisa ser analisado juntamente com o morrer tarde da mulher e juntamente com a aposentadoria tarde homem. Se o homem se aposenta tarde e morre cedo, sua vida é tida como uma dedicação ao trabalho social, uma dedicação à sociedade e também imputa significações de poder sobre o gênero.

Muito pelo contrário, nesta disposição das coisas, a mulher continua como sendo uma parasita. Ela ainda tem "privilégios", como o de aposentar mais cedo e viver mais tempo, entretanto, esses "privilégios" são a condição de sua subserviência.

Sonado disse...

Luiz e Vinicius

Creio que o mais adequado, novamente, seria uma revisão dos valores culturais de nossa sociedade.
Há a necessidade de uma conscientização do homem quanto a sua saúde ao longo da vida e quando a responsabilidade quando jovem. Esses dois fatores matam muito e fazem a nossa expectativa despencar.
Em média, a maioria das mulheres ainda tem jornadas duplas e a maioria dos homens não são participativos. Se conseguirmos mudar isso teremos um motivo justo para defender a igualdade de aposentadorias por idade equivalente, pois por hora, a previdência tem avaliado esse tipo de fatores.
Claro que haverão casos a parte como a sua e de suas colegas, mas a lei é feita para a imensa maioria que não se enquadra nesse perfil.

LisAnaHD disse...

A prostituição e exploração sexual infantil a que Vivi se ref. é decorrente de um sistema que permite o que Luiz se referiu qdo abordou a indústria têxtil, a situação dos trabalhadores em canaviais etc. Existe algum grupo feminista no Brasil envolvido particularmente no assunto em questão? i.e. condição subhumana em que homens e mulheres vivem para ganhar o pão nosso de cada dia?

yulia2 disse...

quando vão ensina-los a não estuprar?

Anônimo disse...

alguém disse: "A demanda [da prostituição] cairia, se os homens se comunicassem melhor com suas mulheres e essas deixassem cair os tabus. Talvez até desaparecesse em termos práticos." Não, não, não - a demanda cairia se OS HOMENS DEIXASSEM CAIR SEUS TABUS, quais sejam, desmerecer mulheres sexualmente liberadas, casando-se com as 'santinhas' reprimidas que não lhes satisfazem. Quando os homens vão deixar de temer as mulheres sexualmente resolvidas? Quando vão, enfim, ser homens (maduros, resolvidos, psicologicamente fortes) e não essas criancinhas que temem ser alvo de piadas de corno?

Anônima Beócia

Maicon Vieira disse...

"Quando os homens vão deixar de temer as mulheres sexualmente resolvidas? Quando vão, enfim, ser homens (maduros, resolvidos, psicologicamente fortes) e não essas criancinhas que temem ser alvo de piadas de corno?"

E é fácil? É fácil suportar sempre ser o alvo de piadas? Acho que ninguém gosta de sempre ser o motivo para piadas.

Cláudia Tostes disse...

ótimo o post.
fiquei contentíssima em encontrar o blog, pois às vezes me sinto como uma louca contra o resto do mundo, é bom quando me lembro que tem muitas outras pessoas que não acham que o machismo é o normal, ou pior, que nem existe...
ainda que raramente me manisfeste, vou estar sempre por aqui.
abraços.

Anônimo disse...

hahahahhaah que redonda MENTIRA!!!! vê-se que é um sabedor de nada sobre as mulheres. principalmente sobre as mulheres sexualmente resolvidas e liberadas. essas prezam demais sua liberdade para ver um homem apenas como provedor.

Anônimo disse...

Óin, pobrezinhos dos sacudinhos... tão deprezados, humilhados. Essa sociedade bucetista nega-lhes uma virgem-ninfomaníaca-submissa pronta para fazê-los feliz. Essas mulheres feias e malvadas só querem o dinheiro dos coitadinhos, enganando-os e os transformando em mamíferos chifrudos. Oh, que dó. Que dó!

Chega a ser desumana, a forma como tratam os mascuzinhos, só que não.


(Não sei como alguém em sã consciência tem paciência pra aguentar esses boçais, não sei!)

Sonado disse...

"alguém disse: "A demanda [da prostituição] cairia, se os homens se comunicassem melhor com suas mulheres e essas deixassem cair os tabus. Talvez até desaparecesse em termos práticos." Não, não, não - a demanda cairia se OS HOMENS DEIXASSEM CAIR SEUS TABUS, quais sejam, desmerecer mulheres sexualmente liberadas, casando-se com as 'santinhas' reprimidas que não lhes satisfazem. Quando os homens vão deixar de temer as mulheres sexualmente resolvidas? Quando vão, enfim, ser homens (maduros, resolvidos, psicologicamente fortes) e não essas criancinhas que temem ser alvo de piadas de corno?

Anônima Beócia"

Isso remeteu a falta de tabus por parte das mulheres. Elas são humanas, também os tem, não são perfeitas e na maior parte dos casos tem tantas inseguranças com seus corpos como nós homens.
O dialogo entre o casal dificilmente resolveria todo o problema. Homens eliminarem todos os seus tabus também.
Alegar que o homem é o centro do problema da prostituição é o mesmo que alegar que o capital é o centro do problema da miséria.
Nós homens carecemos de amadurecimento sim, agora, tod@s tem insegurança sobre a lealdade d@ parceir@, pois não temos como saber se seremos ou não traid@s. Esse comentário sobre ser corno foi bastante infeliz.

Particularmente, sobre ser resolvido, quanto ao chifre, sou favorável a politica de minha noiva, "o importante não é não ser traído, mas sim o quão eficiente é a vingança!"
'-'

Sonado disse...

"E é fácil? É fácil suportar sempre ser o alvo de piadas? Acho que ninguém gosta de sempre ser o motivo para piadas."

Por isso eu e minha noiva, que estamos longe dos padrões sociais tradicionais, acabamos sendo extremamente anti sociais.
Mas acho que não vem ao caso...
Realmente, piadas sobre confiança são um tema delicadíssimo...que transcende os limites do sexismo em muito.

Anônimo disse...

Anônimo das 14:06

Como tá o tempo aí na redoma da ignorância? Vai chover ou fazer sol?

Mulher bem resolvida não quer um idiota desses pra nada, muito menos pra prover alguma coisa.
Normalmente esses babacas são incompetentes em todos os setores da vida, desde o econômico até o amoroso...

Sabe quando é que eu deixei ou vou deixar um babaca pagar por algo que eu comprei/consumi? Noonca!
Nem presente eu aceito, que é pra não dar motivo pra mister-trouxa jogar algo na minha cara después.



Passar bem!

Bruna B.

Sonado disse...

"Sabe quando é que eu deixei ou vou deixar um babaca pagar por algo que eu comprei/consumi? Noonca!
Nem presente eu aceito, que é pra não dar motivo pra mister-trouxa jogar algo na minha cara después."

E faz bem!

Karina M. disse...

Vinicius,

Você leu Bourdieu, não é? Acho a leitura de “A Dominação Masculina” fundamental, você também acha?

yulia2 disse...

. Quando os homens vão deixar de temer as mulheres sexualmente resolvidas? Quando vão, enfim, ser homens (maduros, resolvidos, psicologicamente fortes) e não essas criancinhas que temem ser alvo de piadas de corno?
____________

O QUE VC quer é simplesmente utopia!
o homem já nasce com complexo de corno.

yulia2 disse...

antes que venham me atacar...
A MAIORIA DOS HOMENS nascem com complexo de corno. OUTROS NÃO.

Sonado disse...

"O QUE VC quer é simplesmente utopia!
o homem já nasce com complexo de corno."

E também nascemos sabendo lançar hadukens...

Sonado disse...

"antes que venham me atacar...
A MAIORIA DOS HOMENS nascem com complexo de corno. OUTROS NÃO."

Então o machismo não pode ser combatido, só nos resta aceitar e tolerar quem indiscriminadamente nasce machista...só que não neh ¬¬

yulia2 disse...

Então o machismo não pode ser combatido, só nos resta aceitar e tolerar quem indiscriminadamente nasce machista...só que não neh
_______________

mas desde quando o complexado quer lutar para mudar?
mudar pode, bata querer, agora eu pergunto, querem mudar mesmo??? ou ficar na zona de conforto das queixas...?
o que mais vejo aqui no blog é mascu chorando chorando e chorando, é friedzone , é não sei mais o que.... mas não tem interesse nenhum em mudar a situação. ao invés de combaterem o machismo que é o que os assola, querem combater as feministas que em ultima instancia (caga sangue) pra combater o machismo no dia a dia.

Sonado disse...

"mas desde quando o complexado quer lutar para mudar?
mudar pode, bata querer, agora eu pergunto, querem mudar mesmo??? ou ficar na zona de conforto das queixas...?
o que mais vejo aqui no blog é mascu chorando chorando e chorando, é friedzone , é não sei mais o que.... mas não tem interesse nenhum em mudar a situação. ao invés de combaterem o machismo que é o que os assola, querem combater as feministas que em ultima instancia (caga sangue) pra combater o machismo no dia a dia."

Eu poderia estar matando, eu poderia estar roubando, eu poderia estar sendo machista, em vez disso estou tentando achar formas de nós homens fazermos parte integrante de uma transformação social necessária por igualdade social enquanto sou chamado de complexado...
Eu preciso mudar? Me aponte meus erros no que eu venho comentado aqui e o porque esta errado. Se o fizer, prometo fazer o que esta ao meu alcance para mudar. São praticas libertarias, a auto critica e a reflexão.

^^

Sobre as friendzones, e sei lá mais o que. Realmente, tem muita gente infantil no sexo masculino, mas assim como disse a reacionari@s ontem em outra comunidade, "não insulte minha inteligencia me comparando genericamente com eles!"

ps.: a dita comparação fora para com stalinistas pelo fato de eu não concordar com o modelo capitalista

Joana disse...

Luiz, os privilégios dos quais eu falo são sociais. É uma liberdade de poder ser o que quiser, ter seu corpo como propriedade somente sua, não ter que pensar no que vestir para "não passar mensagem errada". Ou pelo menos ter que pensar muito menos. E muitas outras coisas. Esse privilégio é masculino.
E como o Vinícius disse "entretanto, esses "privilégios" são a condição de sua subserviência."

Claro que existem exceções à regra. Meu pai também cuidou de mim, foi na reunião de escola, mas ele ganhava de todos os pais e mães os maiores elogios do mundo. Minha mãe fazia o mesmo e ninguém dizia nada.

Quanto a morrer mais cedo, eu não sei se o que empurra essa média pra baixo é o fato de homens se envolverem mais freqüentemente em conflitos violentos (e isso eu acho que é uma clara influência do machismo, que faz com que os meninos só possam dar vazão aos seus sentimentos por meio da agressividade), ou o fato de homens terem mais problema de coração, por exemplo.

Quanto à aposentadoria, eu acredito que a idade limite deveria ser igual para todos.
E concordo plenamente com você que se fosse pra ter uma diminuição do tempo de trabalho uma ótima justificativa seria ter cuidado dos filhos, independente do gênero.

Joana disse...

Oh céus, de novo, ficou faltando uma parte. Quando eu cito o Vinícius, faltou escrever que o privilégio que ele escreve entre aspas era o das mulheres, de se aposentar mais cedo e de morrer mais tarde. Que na verdade, como ele bem diz, não é exatamente um privilégio

Sonado disse...

Bem colocado Joana. É algo que eu sempre comento ao abordar o tema, que o machismo é extremamente cruel mesmo com o homem.
Seu pai é um exemplo muito bom, quero um dia poder me orgulhar de ser um exemplo como ele, mesmo sem ter pretensão a ter filhos por hora.

Teofilo Tostes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teofilo Tostes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Teófilo,

digamos que agora todas as vítimas estão realizando as denúncias.

Existe mais alguma coisa que as pessoas (na sua maioria mulheres, já que fora da cadeia são as que mais sofrem com esse crime) possam fazer para evitar tornarem-se vítimas de estupro?

Anônimo disse...

Esse comentário sobre ser corno foi bastante infeliz.

1) esse comentário sobre ser corno foi realista. a maioria dos homens julga que estará se expondo à cornitude casando com uma mulher 'rodada'. é simplesmente ridículo.

Particularmente, sobre ser resolvido, quanto ao chifre, sou favorável a politica de minha noiva, "o importante não é não ser traído, mas sim o quão eficiente é a vingança!"

2) uau, que maduro. vingança eficiente pra muita gente é matar, sabia? ridículo também.

3)um mundo maduro funciona assim: homens e mulheres são livres para fazer o que quiserem sexualmente, se for com o consentimento de maiores de catorze anos e em pleno uso de suas faculdades mentais. caso haja traição numa relação monogâmica (que, bem sabido, pode se dar com homens e mulheres que tiveram 1 ou 100 parceiros), senta-se COM O PARCEIRO, conversa-se, resolve-se continuar ou não. é sério que isso é tão difícil de conceber?

Anônima Beócia

Maicon Vieira disse...

"caso haja traição numa relação monogâmica (que, bem sabido, pode se dar com homens e mulheres que tiveram 1 ou 100 parceiros), senta-se COM O PARCEIRO, conversa-se, resolve-se continuar ou não. é sério que isso é tão difícil de conceber?"

Ou faz que nem esse cara.

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2012/05/28/mulher-e-condenada-a-indenizar-ex-por-traicao.htm#comentarios

Anônimo disse...

Anônima Beócia,

você acha então que a chance de alguém cometer uma traição não tem relação nenhuma de quantos parceiros teve??

Porque se tiver, então é completamente racional querer evitar firmar relacionamentos com pessoas promíscuas.

Então se prefere um cara promíscuo, fique a vontade, mas chamar de machista quem evita firmar relacionamento com mulheres promíscuas é uma verdadeira piada.

Teofilo Tostes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Teofilo Tostes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

"Então se prefere um cara promíscuo, fique a vontade, mas chamar de machista quem evita firmar relacionamento com mulheres promíscuas é uma verdadeira piada."

Em sua opinião, qual o número exato de relacionamentos sexuais é necessário para que uma mulher ou um homem sejam considerados promíscuos?
Tem uma diferença númerica entre homens e mulheres, digo, para classifica-los como promíscuos?

Anônimo disse...

Tem sim, mas não me lembro agora. No post sobre doação de sangue foi discutido isso.

Anônimo disse...

você acha então que a chance de alguém cometer uma traição não tem relação nenhuma de quantos parceiros teve??

EXATAMENTE. TRAIÇÃO NÃO TEM RELAÇÃO ALGUMA COM A QUANTIDADE DE PARCEIROS QUE ALGUÉM (HOMEM OU MULHER)JÁ TEVE.

Precisa desenhar?

Anônimo disse...

Vish! Fugiu da resposta.

Anônimo disse...

Eu também acho isso. Lógico que se a pessoa gosta de trair, vai trair mesmo várias vezes, né, rapazes?

Luiza disse...

E o que tem a ver gostar de trair com relações sexuais enquanto solteir@, one-night-stands e afins com estar num relacionamento estável?

Tem gente que tem a maturidade emocional de uma barata.

Anônimo disse...

Essa desengonçada de pernas arreganhadas ilustrando o post, a que se deve?
Zizi

Anônimo disse...

Por favor, Luiza, contenha-se. Não ofenda as baratas.

lola aronovich disse...

A quem está perguntando sobre a última imagem, que realmente é de PÉSSIMO gosto, bom, se vcs clicarem na imagem poderão vê-la maior... e aí verão que é um exemplo de anúncio do American Apparel, que é a marca horrorosa que estamos falando.

Anônimo disse...

Sou super a favor do defacement de anúncios publicitários machistas, misóginos etc. Ando com minhas canetas-Piloto pra toda parte e não perco uma chance de deixar meu recadinho.

«Mais antigas ‹Antigas   201 – 279 de 279   Recentes› Mais recentes»